Conflitos de Poder – O Impacto Alienígena e Os Interesses Instalados

A impaciência dos Alienígenas pode tornar-se perigosa face à inação dos representantes das zonas intervencionadas perante as propostas de proteção e de desenvolvimento apresentadas

 

“Contributo para o alcance da Verdade face ao Secretismo obrigatório”

(Projeto Flash Gordon)

 

        

Representantes da S.L.N. e jovem observador enviado pelo Gangue da Manta

 

Está a ter um grande impacto – e dando origem a sucessivas ondas retaliatórias e violentas, de consequências imprevisíveis para a região – a divulgação do projeto inspirado nas propostas Alienígenas para o desenvolvimento integrado do nosso concelho, estabelecido em reuniões tripartidas e consensuais e respeitando ética e moralmente o acordo prévio estabelecido a nível da Coligação. O motivo da discórdia reside nos conflitos representativos entre cada um dos dois grupos em que os alienígenas estão presentes e poderosamente representados (C.A.E e T.A.E.P.) – e que estes seres exteriores resolveram promover e integrar de modo a poder contar com o apoio de todas as forças vivas da cidade – que em vez de colaborarem para o benefício de todos os seres em presença, se digladiam mortalmente entre si, não pelo controlo de todo o processo a longo prazo, mas pela otimização do lucro no mais curto espaço de tempo. O corpo ainda vivo e em movimento da S.L.N. e núcleo fundamental de um dos grupos com interesses na Marina de Albufeira, não aceita as contrapropostas oferecidas pela Coligação, exigindo como contrapartida solidária a entrada de capitais angolanos no projeto e a partilha por estes investidores de todos os benefícios financeiros de tal empreendimento.

 

        

Elementos de uma das duas fações em conflito e popular armado em sua defesa

 

Por este motivo não ser de ignorar as constantes informações recentemente transmitidas em conversas restritas de amigos, sobre reuniões secretas realizadas no concelho de Albufeira pelo denominado “Grupo da Coelha”, inimigos declarados do grupo do Sotavento Algarvio, também conhecido por “Gangue da Manta”, mais imediatistas e declaradamente oportunistas na exploração do momento – e na maior extração financeira possível de qualquer tipo de mercadoria – mesmo com o estatuto fictício do capitalismo moderno, agora denominado eufemisticamente por de época de saldos de verão.

 

        

Indivíduo utilizando radar portátil e popular patrulhando rede rodoviária urbana

 

Existem ainda registos de graves incidentes ocorridos por toda a região do Algarve – e não divulgados por menorização, mesmo pelo Jornal da nossa região A Avezinha – desde acidentes rodoviários propositados, passando por agressões cometidas sobre pessoas inocentes ou sem vinculação e terminando com batalhas aéreas noturnas travadas nos céus da serra e do barrocal algarvio, que como toda a gente sabe terminou violentamente com uma inusitada proliferação de incêndios no sul de Portugal. Nunca esquecendo o reforço da presença das forças da GNR na proteção dos líderes destes grupos ou gangues, poderosos na prática económica e no tráfico intercontinental de influências.

 

(imagens – retronaut.co)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:17