mais sobre mim

subscrever feeds

Domingo, 31 DE Julho DE 2011

Passarinhos Fritos

Juntinhos numa tarde de chuva

 

O papagaio não sabia o que dizer à sua mãe.

 

Voou chateado para o outro lado do bosque e lá encontrou a Rosinha. O tempo aquecera ligeiramente, mas ameaçava chover. No cimo do tronco quebrado de uma árvore centenária, a amiga encolheu-se aos primeiros sinais de vento e de alguma humidade espalhando-se pelo ar.

 

Acalmou-se ao pousar, bateu as asas para se fazer notar e suspirou, olhando-a de lado. A Rosinha era linda, parecia-se mesmo com ele! A última vez que estivera com ela, tudo decorrera normalmente, voando ambos como sempre, por todos os cantos do bosque. Era um troféu da vida, poder partilhá-la com a natureza.

 

Começou a chover como previsto e o papagaio observou as gotas de chuva escorrendo sem parar sobre as penas coloridas da sua companheira ali ao lado. Sem trocarem sinais, os seus corpos foram-se aproximando cada vez mais, juntando-se lateralmente num amor letárgico de cumplicidade e de esperança.

tags: ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:37
Sexta-feira, 29 DE Julho DE 2011

Assaltos em Albufeira

Assalto – centro da cidade

 

Cheguei a Albufeira há mais de vinte e cinco anos.

 

Hoje em dia é uma terra completamente diferente e já não reconheço as pessoas que antigamente a habitavam: partiram, desapareceram ou então morreram e foram substituídas por outras, que no mesmo instante e para se destacarem, deitaram abaixo o velho e construíram o seu Novo Mundo.

 

Capital do Turismo

 

Construíram casas, supermercados, estradas alcatroadas, hotéis, marinas e muito mais, diversificando a sua clientela de intervenção, para estratos sociais com mais disponibilidade financeira. Nesse sentido o porto de abrigo para os pescadores não existiria, se não fosse a marina e o seu parque de estacionamento.

 

Assaltos no Mercado Municipal

 

O Mercado Municipal é o exemplo de uma infra-estrutura desaproveitada e da qual a câmara tem pouca consciência da sua real utilidade, parecendo ignorá-lo. Mesmo com os assaltos que aí têm ocorrido, não chega para ser notícia e os dias decorrem como se nada se passasse: nesta terra à beira-mar plantada, com moradias geminadas ou então à bandeirada, já ninguém é capaz, de dizer que o rei vai nu!

 

Assalto ao INATEL

 

Os grupos que praticam certos actos são sempre um reflexo da sociedade onde nós todos vivemos. No entanto não é por vivermos em conjunto que se justificam certas acções de elementos desse grupo. Umas vezes condenam-se esses elementos mesmo sem os conhecerem, outras, mostrando-se magnânimos, deixando-os ir embora e em paz, desde que não reincidam nas suas opções de vida.

 

Assalto nas praias

 

Quando era novo comecei por ir à praia de Espinho com a minha avó e lá via o banheiro a lançar as crianças pela primeira vez às ondas e ao mar, no meio de muito choro e de muita gritaria. Era uma das formas, de um modo violento, de habituar as crianças ao poder das ondas do mar. Esta foi uma das razões porque não esperei a acção deste tipo de escola de natação, atirando-me logo e por minha iniciativa, às águas frias de Espinho. O mar não é agora o único perigo existente, já que com o progresso e a globalização, a praia tornou-se mais um dos sectores do grande centro comercial que é Portugal: e assim chegaram os pistoleiros e os carteiristas.

 

Assalto ao ATM

 

Numa caixa ATM não vivem pessoas anãs, que fabricam notas de manhã até à noite e usam sapatilhas de marca. O monitor que aqui aparece na imagem, não apanha estações de televisão, nem novelas, nem a TV cabo. Se pusermos lá uma bomba, não é certo que dali saia qualquer coisa; o mais certo é vermos o bombista a fugir e a casa do vizinho com uma parede a menos para caiar. A polícia, essa não resolve nada, porque não está ligada à construção civil e quanto à caixa ferida, há mais donde esta veio. Tudo tecnologia portuguesa.

 

Terra de Sonhos

 

Os golfinhos parece que estão muito felizes, dando saltos constantes e sem se magoarem, numa bacia linda e azul, mas tão pequena. Qualquer criança iria adorar estes golfinhos, tão certinhos e arrumadinhos, mesmo no seu salto no ar. Neste aspecto, acho que seria útil uma visita a este local de peregrinação, por parte dos técnicos do Zoomarine: poderiam trazer os golfinhos, talvez aprendessem algo com os seus irmãos de Albufeira. Já agora, notaram aquela mancha de construção que aparece por trás da bacia azul, mais para o lado direito? Aquilo está ali levantado há anos, não se vê por lá ninguém, ainda pode apodrecer de tanto se ver, sem ninguém o poder usar (nem os donos). Em minha casa e na mesma situação, o meu pão endurece e ganha bolor!

tags:
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:46
Quarta-feira, 27 DE Julho DE 2011

Verão na China

Apesar da invasão de algas na praia, os nadadores não hesitam e mergulham

 

Numa praia da China, a temperatura ambiente elevada que se sente, empurra as pessoas para dentro de água, à procura da humidade que o seu corpo, acha que lhe falta. Nem a profusão de algas que se estende como um tapete sob os seus pés, as impede de atingir o seu objectivo de partilha da água, para equilíbrio da sua temperatura corporal.

 

Dizem tratar-se de algas não tóxicas, cujo crescimento acelerado terá sido provocado por uma utilização intensiva de fertilizantes nos campos, conjuntamente com o registo de uma longa onda de calor. No entanto, as pessoas inserem-se sem hesitação neste ensopado tépido de uma qualquer sopa chinesa, com os jovens em posição dianteira e a geração do toldo, observando à distância.

 

As algas existem, são verdes, aos montes e até são alimentos, remédios e até mesmo, arte decorativa – um jardim relvado sobre o mar plantado.

 

(Foto NG)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:01
Segunda-feira, 25 DE Julho DE 2011

Assassinatos Éticos

1. Uma pistola apontada à cabeça

 

Amy Winehouse – morreu em Julho de 2011

 

Os excessos foram tão frequentes que em 2007 o pai da cantora anunciou que já tinha escrito o discurso de funeral da filha, na sequência de um novo internamento de Amy por abuso de drogas, influenciada pelo ex-marido Blake Fielder "Quando descobri que Blake lhe tinha dado mais drogas, não quis acreditar. Era tão mau como se alguém tivesse apontado uma pistola à cabeça da minha filha", comentou Mitchell Winehouse na altura.

 

Correio da Manhã

 

2. Uma pistola apontada às cabeças

 

Anders Behring Breivik – matou em Julho de 2011

 

Na sexta-feira, a Noruega foi abalada com dois ataques, um à bomba  em Oslo e um a tiro na ilha vizinha de Utoeya num acampamento de jovens, que causaram a morte a pelo menos 92 pessoas e ferimentos em 97. A polícia deteve um norueguês de 32 anos, identificado como Anders Behring Breivik, que já confessou a autoria dos ataques, considerando que foram  "cruéis", mas necessários. 

 

Correio da Manhã

 

3. Muitas pistolas, poucas cabeças

 

Pistola

 

Pode-se morrer de muitas maneiras. O cardápio que nos oferecem, obrigatório e sem retorno, dá-nos muitas alternativas de percursos e factos daí decorrentes. Todos morremos na salvaguarda de algum padrão ético, seja ele bom, seja ele mau. Por vezes nem isso, por subtracção de estratos dispensáveis, da vasta população mundial. O nosso currículo de vida, depende apenas do modo como nos suicidamos – ou por proposta ou por autopromoção. A morte é sempre a mesma, mas sentimos mais o suicídio/eutanásia.

 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:53
Sexta-feira, 22 DE Julho DE 2011

O Fim de Um Mundo em Colapso

 

O espaço vai e vem, seja de que modo for...

 

Lançamento – preparação

 

 

A vida é uma constante ocupação de espaços...

 

Aterragem – espera

 

 

A beleza da vida está na constante presença das várias dimensões do espaço...

 

Espaço – Terra ao fundo

 

 

Na inconstante formação de espaços por vezes somos confrontados com situações que nos fazem pensar...

 

Terra – lançamento do Vaivém

 

 

As causas do colapso

 

Não queremos perceber o mundo e a sua constante ocupação de espaços, porque continuamos subjugados à ditadura racional e institucional, de uma outra dimensão que inventamos em sonhos programados por alguém, que apenas nos ensinou que o tempo é a indicação da nossa limitação como mortais que somos, colocando-nos assim e definitivamente, à sombra complacente e opressora da religião que contorna a nossa vida, asfixiando-nos com calma e crueldade, entre o movimento dos ponteiros do relógio.

tags:
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:17
Quinta-feira, 21 DE Julho DE 2011

A Última Vez

Visões – NASA

 

Com tudo o que de estranho, que se está a passar no mundo, qual será o futuro da NASA e da exploração espacial?

 

A Guerra Fria acabou – desde aí, nunca mais nada se inventou.

 

Caiu o Muro de Berlim – e o pobre em festa, viu o rico festejando.

 

A Europa – velhinha vivendo de juros – caminha para o seu fim; os seus filhos, já nem sequer a conhecem e os mestres, também já não os convencem.

 

O Petróleo – devido à sua crescente escassez – é o gatilho para a guerra mundial, que para já, é só regional.

 

A Ásia vai dominar o mundo: os seus contentores invadem os mares e já ocupam muito dos portos.

 

E os EUA continuam a apontar as suas armas, à enorme fila de credores.

 

A NASA, pelos vistos, despachou o vaivém e ninguém, sabe se algo, se verá mais além.

 

Vaivém Espacial – NASA

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:55
Segunda-feira, 18 DE Julho DE 2011

O Macaco Nu

Honduras – Túmulo Maia

 

O primata que vemos passar no lado inferior direito da imagem representada acima, é um nosso familiar pertencente ao mesmo grupo de mamíferos e que há milhares de anos percorre connosco, o nosso planeta Terra.

 

Vai em passo ligeiro, tronco erecto, cauda bem esticada e personalizada, cabeça indicando o caminho e a direcção a seguir. É belo o espaço que o rodeia, natureza em profusão de cores e de vida, com muros erguendo-se sobre o solo e com formas entrelaçadas e estranhas, direitas, orientadas e simétricas. Mas o macaco não reconhece o fenómeno e encara-o como mais um espaço, dentro do espaço.

 

A Natureza é bela, quando é partilhada!

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:40
Segunda-feira, 18 DE Julho DE 2011

Memória de Elefante

Elefantes – Quénia

 

Ainda há quem leia um retrato, como se de um livro se tratasse.

 

Na beleza perdida deste retrato, vem-nos à memória as paisagens da nossa infância, o poder e a força dos nossos antepassados, a amizade ainda sentida e partilhada, entre nós e a natureza, as promessas não cumpridas de um novo mundo, apenas destinado a tornar-nos todos felizes.

 

Gosto de olhar e mesmo sem chorar, desentupir os canais lacrimais e senti-los um pouco mais. Ainda temos alguns órgãos dos sentidos!

 

Hoje o betão, o asfalto, as armas, a droga, o dinheiro, a corrupção, os políticos, a moral, os eruditos e toda a outra podridão que invade todos os nossos sentidos, espalha-se por todos os pontos cardeais que formam este mundo, cobrindo-o com um manto negro de esperança, não nos deixando sequer sonhar com o dia de amanhã, porque já ontem, nos entregaram com responsabilidade, a nossa certidão de óbito.

 

À medida que morremos e trocamos a nossa postura natural – vendendo pelo melhor preço a nossa memória e a nossa cultura – por um manual, um diploma, um maço de notas e alguma segurança, negamos a nossa existência, repudiamos as novas gerações e caminhamos para o nosso extermínio definitivo.

 

Comecemos por nos olharmos ao espelho, sem recurso a novas máscaras de vida.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:01
Segunda-feira, 11 DE Julho DE 2011

Many Legends, No Evidence

Ark of the Covenant

 

This legendary artifact is the ornate, gilded case built some 3,000 years ago by the Israelites to house the stone tablets on which the Ten Commandments were written. Biblical accounts describe the Ark as large, about the size of a 19th-century seaman's chest, made of gold-plated wood, and topped with two large, golden angels.

 

National Geographic

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:07
Segunda-feira, 04 DE Julho DE 2011

Azul Eléctrico

 

Estas duas primeiras fotos foram tiradas na Polónia, mais exactamente nos arredores de Szubin, por Marek Nikodem.

 

 

Nuvens carregadas de electricidade vão colorindo o céu, com uma forte tonalidade azul, engolindo o pôr-do-sol.

 

 

Na árvore, a cegonha toma conta do seu ninho, sob este manto colorido e quase sufocante de nuvens.

 

Holanda – Kloetinge – Foto de Jan Koeman

 

Estas nuvens situadas na parte mais alta da atmosfera terrestre são constituídas por pequenas formações de pequeníssimos cristais de gelo. Quando se dá a chegada do Verão – e das cegonhas à Polónia para nidificação – a intensa luz solar ao incidir nestes cristais, dá origem a este céu brilhante, azul e eléctrico.

 

(SpaceWeather.com)

 

tags: ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:06

pesquisar

 

Julho 2011

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
19
20
23
24
26
28
30

comentários recentes

Posts mais comentados

blogs SAPO


Universidade de Aveiro