mais sobre mim

subscrever feeds

Segunda-feira, 27 DE Julho DE 2015

Terrestres passando por Plutão


PLUTÃO é como ficou conhecido o DEUS dos mortos e das RIQUEZAS na mitologia romana.
(wikipedia.org)

 

Tendo passado no dia 14 deste mês nas proximidades de Plutão (e tendo-o entretanto deixado para trás), a sonda New Horizons encontra-se já a cerca de 15 milhões de quilómetros do planeta anão.

 

lor_0299123689_0x632_sci_3.jpg

Plutão a 800.000km de distância
(13 de Julho de 2015)

 

Plutão é um planeta rochoso e gelado, com uma força de gravidade cerca 1/3 da Lua, uma temperatura média inferior a 200°C negativos, uma pressão atmosférica baixíssima (0,3Pa quando na da Terra ao nível do mar é de 101,325kPa) e tendo na composição da sua ténue atmosfera nitrogénio, metano e ainda outros gases (como o monóxido de carbono). E apresentando uma particularidade na sua órbita em torno do Sol: devido à sua inclinação e excentricidade (comparativamente com os outros planetas do Sistema Solar) a sua órbita periodicamente chega a cruzar a de Neptuno, colocando aí Plutão mais próximo do Sol.

 

Já depois de ter ultrapassado a 14 de Julho o seu ponto de encontro mais próximo do planeta anão PLUTÃO – e na continuação da sua viagem através do Cinturão de KUIPER – a sonda NEW HORIZONS presenteia-nos agora com uma imagem que a partir do local onde nos encontramos no nosso Sistema Solar (o longínquo planeta Terra), jamais poderíamos ter observado: apontando as suas câmaras em direcção ao corpo celeste há pouco tempo ultrapassado e aproveitando-se da interposição do planeta anão entre a sonda e o Sol, obteve uma imagem da metade da superfície de Plutão onde na altura era de noite.

 

Pluto-night-side-7-14-2015-New-Horizons-e143777976

Plutão já a mais de 2 milhões de quilómetros de distância
(15 de Julho de 2015)

 

Pôde-se assim comprovar que Plutão possui uma camada atmosférica envolvendo toda a sua superfície, podendo esta atingir uma altitude de mais do que uma centena de quilómetros: atmosfera essa composta por hidrocarbonetos e talvez responsável pela cor meio avermelhada de Plutão. Um corpo celeste escondendo-nos ainda muitos mistérios mas que desde já sabemos ser um mundo gelado, conter H₂O e parecer ser mais novo e geologicamente activo do que o inicialmente previsto.

 

Agora estamos condenados a ficar a aguardar uma nova visita a este ex-décimo planeta do Sistema Solar, sabendo desde já e de antemão que nada está reservado (para curto e médio prazo) especialmente para Ele e para Nós: um encontro que talvez não se repita em mais um momento (da nossa vida) e que entretanto num instante já passou por nós (e nunca mais voltará). É que os condicionalismos financeiros da NASA são hoje de tal maneira asfixiantes que qualquer dia nem para enviar DRONES (telecomandados) há dinheiro. E por isso também acredito que a NASA não pode ser só isto: nem o poder absoluto e ilimitado da maior potência da Terra (os EUA) o consentiria, até porque há outros muito curiosos, interessados e já lançados (como a Rússia, a China e até a índia).

 

(imagens: NASA)

tags:
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:41
Domingo, 26 DE Julho DE 2015

A Volta de FROOME, o Vencedor

Volta à França em Bicicleta 2015
(classificação final individual)

 

Posição Corredor País Equipa Tempo
1 FROOME GBR SKY 84h 46' 14''
2 QUINTANA COL MOVISTAR + 01' 12''
3 VALVERDE ESP MOVISTAR + 05' 25''

 

(seguindo-se Nibali, Contador, Gesink, Mollema, Frank, Bardet e Rolland)

 

55b4c66b1700002600565672.jpg

Christopher Froome

 

Em vez de salientarem à sua chegada a PARIS e em plenos Campos Elísios a vitória do inglês CHRISTOPHER FROOME na Volta à França em Bicicleta (que a partir de certa altura e acompanhando toda a orquestração dos média franceses começou a ser insultado, cuspido e agredido), as autoridades francesas resolveram aproveitar o último dia desta volta de 2015 para promoverem o seu poder e eficácia anti-terrorista: face a um veículo que tentava atravessar as barreiras de protecção em torno do circuito onde se realizaria o evento ciclista final, a polícia não hesitou em usar armas e pôr-se a disparar. Não se preocupando com as razões da fuga destes seus potenciais suspeitos de terrorismo, mesmo sabendo que o carro suspeito tivera um acidente com um táxi nesse local e que à sua volta muito público inocente percorria esse espaço em princípio pacífico e protegido, acompanhando à sua maneira esse grande evento nacional, internacional e desportivo.

 

O inglês acabaria por ganhar a Volta à França em Bicicleta de 2015 deixando para trás toda a sua concorrência (e inimigos) e aparentemente dispensando-se de se aplicar com todas as suas capacidades físicas e mentais na prova, de modo a assim evitar ser chamado de Drogado e de Vigarista: uma prática inacreditável e de base estritamente irracional e racista aplicada por um povo que ainda se gosta de considerar um dos principais representantes da cultura e da tolerância europeia, ainda por cima aplicada sobre um inglês e logo nascido no Quénia. Tal e qual Barack Obama. Nas suas declarações finais como vencedor da Volta à França em Bicicleta Froome acabaria por agradecer a contribuição de todos aqueles que lutaram pela concretização deste seu objectivo (especialmente e como todos podemos ver durante toda a prova a grande colaboração da sua equipa a SKY em prol do seu chefe de equipa), não deixando de lado a resposta a todos aqueles que o atacaram (e vilipendiaram por ausência de provas) acusando-o de um hipotético doping: afirmando categoricamente o seu desejo de sempre dignificar o ciclismo e neste caso a prova francesa. Subliminarmente afirmando (com as suas declarações) existirem ciclistas bons e maus profissionais, mas que não seria por isso que ele se transformaria num novo Lance Armstrong (o tal que terá retirado algumas vitórias importantes a outros ciclistas franceses e provocado o grande trauma velocipédico instalado neste país).

 

(imagem: huffingtonpost.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:07
Domingo, 26 DE Julho DE 2015

O Enorme Calhau 1999 JD6

E como previsto o grande calhau lá passou e bem longe de nós.
Outro grande calhou aproximar-se-á lá para o meio de Agosto (o asteróide 2005 JF21), sensivelmente com a mesma dimensão e um poucochinho mais distante.
Mas felizmente que não será (como ainda não foi desta) o nosso Fim do Mundo.
E a acontecer algo será uma surpresa.
É que já vivemos no Inferno, apresentando este vários níveis e já sendo um deles o Fim do Mundo.

 

1999JD6.jul25.p05us.and.p125us.p5hz.300sec.GBT.s27

Asteróide 1999 JD6

 

Um enorme asteróide passou ontem nas proximidades do planeta Terra. Conhecido como 1999 JD6, este viajante do Sistema Solar com uma dimensão aproximada de 1.6km, terá passado no dia 25 de Julho (ontem) a uma distância de quase 8 milhões de quilómetros do nosso planeta. Se pensarmos por um lado que o maior corpo celeste que se encontra mais perto de nós (a Lua) fica a quase 400.000km de distância (da Terra), poderíamos afirmar sem qualquer tipo de dúvida que a passagem deste asteróide (relativamente perto de nós), nunca representaria nenhum perigo para os habitantes da Terra: como assim a distância a que ele se encontrará de nós será igual a cerca de 20x a distância Terra/Lua. No entanto e por outro lado 8.000.000km (ou 0.0485UA) é uma distância ridícula face à dimensão do nosso Sistema Solar (só a distância Sol/Plutão anda perto das 40UA ou seja 800x maior), podendo-nos por esse motivo e por alguma preocupação envolvida, levar-nos a questionar sobre as possíveis consequências da sua passagem tão perto de nós, de outros planetas e no interior do nosso sistema. Como assim um asteróide até poderá não constituir uma ameaça para a Terra, o que não impedirá que o seja para outros corpos celestes (que até poderão estar perto de nós): como foi o caso do cometa Siding Spring que no ano passado (no dia 19 de Outubro) passou tão perto de Marte (a quase 140.000km da sonda MRO orbitando na altura o planeta). No caso do cometa Siding Spring passando a uma distância de Marte igual a 1/3 da distância Terra/Lua, o que se fosse transposto para a Terra daria certamente origem a observações espectaculares e cenários por nós nunca vistos. No seu caminho até atingir o seu periélio (tendo o Sol como referência) o asteróide ainda irá cruzar a órbita de Vénus (lá para meados de Agosto), pelo que ficaremos a aguardar notícias deste seu novo encontro com o seu tão conhecido planeta (um dos corpos celestes de menor dimensão, fazendo parte da lista dos mais importantes visitantes de Vénus).

 

(imagem – NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:06
Sábado, 25 DE Julho DE 2015

Algarve – O Paraíso dos Reformados

Best Places To Retire Overseas:
Number one on the list for the second year running was Algarve, Portugal.
(huffingtonpost.com)

 

O Algarve foi escolhido neste ano de 2015 pela LIVE AND INVEST OVERSEAS como o melhor destino estrangeiro para todos aqueles que tendo atingido a sua idade de reforma, ainda pretendam ter um resto de vida descansado usufruindo de tudo aquilo de bom e de bonito que a vida ainda lhes possa proporcionar. Não sendo por acaso que os parâmetros que mais favoreceram o Algarve na sua selecção e escolha final fossem entre outros: casas e custo de vida baratos, bom tempo e boa comida, boa qualidade nos tratamentos de saúde e ainda a existência de várias comunidades estrangeiras já aí instaladas e claro está a localização de Portugal no continente europeu (e na EU).

 

55b245cc150000ef00174287.jpeg

 

“I won’t hold you in suspense any longer. This year, for the second year running, Algarve, Portugal, takes top honors, thanks to its low cost of living, low cost of real estate, great weather, established expat community, new retiree residency program, and endless options for how to meaningfully fill your days and evenings. In addition, you can get by speaking only English, and I’d say that this coast is one of the safest places on earth right now.” (Kathleen Peddicord – liveandinvestoverseas.com)

 

Só é pena que muito daquilo que o Algarve nos poderia ainda hoje oferecer, se tenha perdido na espuma dos dias criada por aqueles que para além da sua cultura e memória só vêm dinheiro e promoção social: terra planando de uma forma irreversível o passado de um povo (pela destruição total do seu quotidiano fundador), estivesse ele localizado no litoral (pesca artesanal) ou até no interior (agricultura tradicional). No entanto continuando a ser uma alternativa viável na área do turismo, especialmente dirigido para a faixa etária da terceira idade: tal e qual o retrato futuro elaborado pelos técnicos da CEE aquando da entrada de Portugal no espaço económico das União Europeia (turismo, criação de gado, produção florestal) e no caso do Algarve com as suas estruturas a serem pensadas numa lógica de resposta ao crescimento do turismo de massas (sazonal) e a um turismo mais exigente e acompanhado dirigido aos mais velhos (para estadias de médio e longo prazo).

 

2015-03-31-1427831827-2168104-AlgarveCoastBig.jpg

 

“I'm speaking of Portugal's Algarve, a unique bit of European geography at the southwestern corner of the continent. Situated at the longitude of Great Britain, more or less, and the latitude of Delaware, this region is protected from winter by the movement of the ocean in the Gulf Stream, which carries warm water to the Algarve's coast. It also benefits from prevailing winds that keep it from being unbearably hot or humid, even at the height of summer, and boasts more sunny days than anywhere else in Europe (more than 300 annually).” (Kathleen Peddicord – huffingtonpost.com)

 

(imagens – huffingtonpost.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:28
Sexta-feira, 24 DE Julho DE 2015

Nix e Hydra

Dez dias depois do encontro NEW HORIZONS/PLUTÃO, a NASA oferece-nos agora mais uma imagem desse dia histórico, mas agora com a presença de artistas secundários. E com um deles em cor e forma parecido com um feijão (NIX).

 

150722014718_1_900x600.jpg

NIX e HYDRA
Imagem de duas das cinco luas de Plutão
(e da sua péssima resolução)

 

Esta é mais uma das imagens obtidas a partir da sonda norte-americana NEW HORIZONS aquando da sua passagem nas proximidades do planeta anão Plutão (e do seu sistema de cinco luas): CHARON, HYDRA, KERBERUS, NIX e STYX.

 

A imagem foi registada na manhã do dia 14 de Julho de 2015 na data indicada para a sonda atingir o seu ponto de maior aproximação ao planeta: neste caso quando a sonda DAWN se encontrava a mais de 160.000km de NIX e 230.000km de HYDRA. Duas das cinco luas de Plutão sensivelmente com o mesmo tamanho.

 

(imagem – NASA)

tags: , ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:35
Sexta-feira, 24 DE Julho DE 2015

Evento Sísmico em Monchique

Maiores eventos sísmicos registados em Portugal Continental desde o início deste ano de 2015 e afectando sobretudo a zona sul do nosso país (à excepção do caso de Sintra aqui inserido por ser o último registado na rede antes do de Monchique e servindo como termo de comparação):

 

Data Magnitude (Ritcher) Epicentro Profundidade
22.07 3.4 5km NE Monchique 4km
19.07 3.2 4km oeste Sintra 18km
31.03 3.3 40km O/NO Cabo S. Vicente 26km
11.03 2.8 16km SO Albufeira 22km
03.03 2.5 6km SO Loulé 8km
13.02 3.9 (Aumento da actividade sísmica na zona do Banco D. João de Castro) (Localizado em pleno oceano entre a ilha Terceira e de S. Miguel)

(Estações da Rede Sísmica do Continente)

 

No mapa seguinte fornecido pela organização EMSC/Earthquakes a serem também salientados os sismos ocorridos nos últimos quinze dias em Portugal Continental, destacando-se entre eles os quatro pontos assinalados a amarelo (3, 4, 5 e 6) e uns outros quatro pontos (1, 2, 7 e 8) assinalados a branco (observando da esquerda para a direita) – com a indicação adicional de local/região/data/profundidade/magnitude:

 

T34_44_-12_-2.2weeks.jpg

Sismos registados na zona Euro Mediterrânica
(Portugal – últimos quinze dias)

 

1: Açores – Cabo de S. Vicente – 14.07 – 7km – 2.3
2: Açores – Cabo de S. Vicente – 10.07 – 31km – 2.0
3: Continente – Lisboa – 18.07 – 15km – 3.2
4: Continente – Monchique – 22.07 – 18km – 3.4
5: Continente – Castro Verde – 22.07 – 6km – 2.4
6: Continente – Fronteira sul Portugal/Espanha – 20.07 – 19km – 2.4
7: Estreito de Gibraltar – Mediterrâneo – 10.07 – 77km – 2.6
8: Estreito de Gibraltar – Mediterrâneo – 16.07 – 10km – 2.5

 

(sequência cronológica: 7, 2, 1, 8, 3, 6, 4, 5)

 

img_757x426$2015_07_22_23_21_28_473663.jpg

O Comandante dos Bombeiros de Monchique

 

Tudo isto a propósito de dois dos últimos sismos registados em Portugal (a 18 na região de Lisboa e a 22 na região de Monchique) ambos com magnitudes acima de 3. Nos dois casos não se tendo verificado danos pessoais ou materiais. Mas o que me mais interessa é o de Monchique, até porque é o que fica mais perto (de Albufeira) e por possuir uma conhecida fonte de águas termais (nas termas das Caldas de Monchique). Apenas porque quando aqui cheguei ainda ouvi falar do (actualmente inexistente) vulcão de Monchique, que sempre entendi como uma mensagem de que naquela zona de barreira do Barlavento Algarvio há muitos milhões de anos teriam existido manifestações eruptivas e escorrências de correntes de lava (como alguns vestígios de cones vulcânicos localizados em Lagos ainda comprovam), no presente resumidas a manifestações mínimas de movimentos (e manifestações) geológicos externas da Terra, através do aparecimento à superfície deste tipo de águas vindas do seu interior e com características termais (e curativas).

 

(dados: ipma.pt – imagens: emsc-csem.org e cmjornal.xl.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:13
Sexta-feira, 24 DE Julho DE 2015

Uma Nova Terra

“The first exoplanet orbiting another star like our sun was discovered in 1995. Exoplanets, especially small Earth-size worlds, belonged within the realm of science fiction just 21 years ago. Today, and thousands of discoveries later, astronomers are on the cusp of finding something people have dreamed about for thousands of years -- another Earth.” (NASA)

 

KEPLER-452B

 

452b_artistconcept_beautyshot.jpg

Planeta Kepler-452b
(ilustração)

 

A NASA acaba de nos confirmar numa conferência de imprensa realizada hoje (dia 23), de que podemos estar prestes a descobrir um irmão mais velho e maior do que o nosso planeta Terra: um planeta com cerca de 6 biliões de anos (mais velho que a Terra em 1,5 biliões de anos), com um diâmetro aproximadamente 5/3 do da Terra e localizado a cerca de 1400 anos-luz do Sistema Solar (onde a Terra está integrada). Com a particularidade especial de que este planeta se encontra na zona de habitabilidade da sua estrela de referência (tal como acontece com o planeta Terra e com a sua estrela de referência o Sol), estrela essa ligeiramente maior que a nossa (na ordem dos 10%) e situada a pouco maior distância (Sol/Terra = 150 milhões quilómetros) do planeta em causa (uns 5%): falamos do planeta Kepler-452b.

 

fig3-searchinghabwrlds.jpg

À procura de mundos habitáveis

 

Só falta mesmo lá chegar: numa viagem que levaria a bordo de uma das agora tão faladas sondas norte-americanas, mais de 25 milhões de anos a percorrer a distância entre estes dois sistemas planetários. Sempre o problema do Espaço e da sua sistemática incompatibilidade com o Tempo.

 

fig5-scale_of_452_system.jpg

Comparação de vários sistemas planetários

 

Um sistema planetário que integra na sua constituição uma estrela semelhante ao Sol, um planeta proporcionalmente também muito parecido com a Terra e sensivelmente apresentando a mesma distância entre eles (estrela/planeta): o que até poderá significar que este planeta poderá apresentar muitas características muito semelhantes ou até idênticas às da Terra (como temperaturas e pressão atmosférica) e poder ter água líquida à sua superfície. E onde há Água poderá existir sempre Vida. E se Kepler-452b até apresenta um movimento de translação em redor da sua estrela muito semelhante ao da nossa Terra (385 dias), não nos custará assim tanto manter por mais uns (provavelmente muito longos) tempinhos, a nossa ilusão de que este planeta (tal como outros entretanto já inscritos na lista e com divulgação próxima) ainda poderá ser nosso.

 

(imagens – NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:03
Quinta-feira, 23 DE Julho DE 2015

Era uma vez um Planeta

Desde que na minha juventude li o livro de Jimmy Guieu “O Universo Vivo” (Livros do Brasil – Colecção Argonauta – N.º 5), que ficou bem registada na minha memória (e no meu processo formativo), a ideia de que o Universo em que sempre vivemos talvez pudesse ser mesmo retratado e de uma forma bastante fiel, como um verdadeiro Organismo Vivo.

 

sadhu_helicalmotion1.jpg.CROP.original-original.jp

Modelo helicoidal do Sistema Solar

 

Enquanto que o SOL continua a viajar pelo ESPAÇO a uma velocidade aproximada de 230km/s (imaginem os biliões de quilómetros percorridos por ano), deixemo-nos levar pelo bailado realizado por todos os corpos celestes orbitando em seu redor: acompanhando a sua estrela na sua viagem misteriosa pela imensidão do Universo e deixando-se levar na sua rede cósmica de energia. Como se víssemos repercutida no Espaço a nossa sequência de ADN com todo o Sistema em movimento e em rotação helicoidal. Pensem no Sol como o Propulsor da Criação e todo o seu sistema agregado como o grande Espermatozóide: a nossa estrela de referência foi lançada há biliões e biliões de anos aquando do seu Evento Ejaculativo (BIG BANG), sendo acompanhada na sua trajectória Divina e Reprodutora por inúmeros organismos direccionados para a fecundação, evolutivos e susceptíveis de transformação. Incluindo a Criação.

 

pia19578-1041 F.jpg

Superfície de Ceres

 

Agora imaginem que estão confortavelmente instalados num amplo e cómodo sofá colocado na superfície de um corpo celeste do nosso Sistema Solar (convidados por algum amigo até agora desconhecido mas desejando por qualquer motivo a nossa talvez inspiradora companhia) e que subitamente sentindo directamente na pele a presença de um ambiente exterior talvez virgem talvez selvagem, se decidem a usufruir do momento, enquanto observando o horizonte apreciam calmamente uma Caipirinha. O corpo celeste escolhido pode ser pequenino e localizado não muito perto de nós: como é o caso de CERES (d>900km), maior que a lua ENCELADUS (d>500km) mas menor que o anão PLUTÃO (d>2300km). Bem lá ao fundo no Céu a Terra nem se vê. Bebo um gole da bebida e o gelo como que fica preso na garganta: o horizonte revela-me um mundo alienígena, com pontos luminosos e por identificar sobressaindo da sua superfície e com um montanha bem distinta e de formas com excelentes contornos, destacando-se provocatoriamente sobre a escuridão do Espaço – como se fosse um Corpo exposto e pronto a revelar-se. Mas certamente que não será socorrendo-se de um DRONE.

 

pia19574-1041 B.jpg

Superfície de Ceres

 

Viremos então o sofá para o outro lado do cenário e apreciemos uma nova paisagem deste misterioso planeta anão: situado bem longe da Terra (na Cintura de Asteróides) mas muito mais perto que Plutão (já a caminho da Cintura de KUIPER). Imagino-me a percorrer uma planície inóspita e aparentemente desértica de mais um mundo novo para mim, caminhando com uma mochila às costas (típico dum humano prevenido) e a compasso militar (apenas para manter a cadência); e tentando de um modo ou de outro ultrapassar mais uma inesperada e extensa elevação de terreno (interpondo-se no meu trilho, de comprimento sem fim), alcançando no final e como recompensa momentânea (bónus de viagem) o objectivo da concretização de mais esta ilusão (o alcançar da Luz). E se as luzes de Ceres nos intrigam, é porque já compreendemos o que as da Terra nos podem querer dizer.

 

Em Ceres as temperaturas registadas eram sempre negativas e extremas, variando na escala térmica em torno dos 100°C abaixo de zero. Comparada com a atmosfera terrestre, a do planeta anão era bastante reduzida. O que significava que de oxigénio certamente nada, apesar da probabilidade da existência de grandes superfícies de H₂O (devido ao frio extremo) congelada. No entanto e ao contrário do que muitos pensavam com sinais evidentes de actividade geológica (como a formação de cadeias montanhosas) confirmando a sua juventude e vivacidade interna. Lá fora estava frio e não se conseguia respirar.

 

E do meu posto de observação, o que via só o evidenciava – com o conjunto de luzes fixando-me ao fundo, a serem o Farol de todo este esquema (que iluminava o espelho como tela de projecção).

 

(imagens – NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:17
Quinta-feira, 23 DE Julho DE 2015

Saúde em Portugal – Um pouco mais de Nada

Como diz a Constituição da Republica Portuguesa no seu Capítulo 2/Artigo 64.º (Direitos e deveres sociais/Saúde) – entre vários dos seus pontos:

 

Todos têm direito à protecção da saúde e o dever de a defender e promover;

 

O direito à protecção da saúde é realizado através de um serviço nacional de saúde universal e geral e, tendo em conta as condições económicas e sociais dos cidadãos, tendencialmente gratuito;

 

Para assegurar o direito à protecção da saúde, incumbe prioritariamente ao Estado garantir o acesso de todos os cidadãos, independentemente da sua condição económica, aos cuidados da medicina preventiva, curativa e de reabilitação. (parlamento.pt)

 

images.jpg

O Estado da Saúde em Portugal

 

“Ministro da Saúde diz que dois milhões de portugueses não vão ao médico de família.”
(Nuno Noronha – Notícias – LUSA)

 

Mas porque será?

 

“Temos muito mais portugueses com médico de família do que aqueles que o utilizam.”
(Paulo Macedo – Ministro da Saúde – LUSA)

 

E como sempre a culpa não é do indivíduo responsável por hierarquicamente superior (neste caso e num dos extremos da linha o próprio Ministro – se não subirmos mais nas escadas do Estado), mas uma vez mais do indivíduo desconhecido e ignorante colocado no fim de linha (talvez por acaso, talvez por coincidência) – apenas aparecendo de facto em caso de extrema necessidade: se calhar optando por remediar (em vez de prevenir) unicamente por falta de dinheiro. O problema para o nosso Ministro é que na contabilidade final, tratar fica mais caro do que naturalmente deixar morrer: mas se ele o executa (como um carrasco) alguém ordena a sua aplicação (o ordenante da execução).

 

(imagem: cogitaresaude.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:25
Quarta-feira, 22 DE Julho DE 2015

Eleições Presidenciais nos EUA

Com a chegada de TRUMP à campanha presidencial até a FOX ficou atarantada.
(será que são gémeos e não o sabem?)

 

doocy-kilmeade-hasselbeck-fox-and-friends-2.jpg

Apresentadores da FOX: Contra ou a Favor?
(talvez reine a confusão)

 

Com as eleições presidenciais norte-americanas marcadas para o dia 8 de Novembro de 2016, começam a aparecer dos mais variados quadrantes políticos (ou seja republicanos, democratas e os outros) os seus respectivos pré-candidatos à nomeação presidencial. Aqui ficam para já duas amostras recentes dos cinco principais candidatos por cada um dos principais partidos norte-americanos (Republicanos e Democratas) à nomeação como candidato à Presidência dos EUA.

 

Sondagens realizadas em 20 de Julho de 2015
(ABC e Washington Post)

 

Republicanos ABC/WP (%)
TRUMP 24
WALKER 13
BUSH 12
HUCKABEE 8
RUBIO 7

 

 

Democratas ABC/WP (%)
CLINTON 63
SANDERS 14
BIDEN 12
WEBB 2
O’MALLEY 1

 

Como se pode constatar pela simples observação das duas tabelas anteriores, se no campo Democrata a vantagem de CLINTON parece cada vez mais inatingível para os restantes candidatos (será que são mesmo?), já no campo Republicano e pelo contrário o caos aí instalado é total: se já anteriormente a situação era extremamente confusa com o principal candidato (BUSH) a ver-se aflito para descolar dos seus restantes adversários (apesar da preferência depositada nele pelos militares e pela nomenclatura republicana), com a chegada do outro republicano o louco e milionário TRUMP o caldo entornou-se de vez. E agora é só ver (à medida que começa o cada vez mais apertado cerco dos republicanos a TRUMP) o que na realidade acontecerá no campo republicano e qual o candidato que sairá vivo desta grande embrulhada.

 

Sondagens realizadas em 20 de Julho de 2015
(ABC e Washington Post)

 

Candidato ABC/WP (%)
CLINTON 50
BUSH 44

 

Entretanto e eliminando todos aqueles podendo conter algum parâmetro susceptível de anormalidade, fiquemos com os dois únicos candidatos apresentando mais vasto currículo em situações indiferenciadas (tabela anterior). No caso BUSH pelos Republicanos e CLINTON pelos Democratas, como se fossem os nomeados pelos seus respectivos partidos. E as sondagens não mentem (não é?).

 

(sondagens: realclearpolitics.com – imagem: FOX NEWS)

tags: ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:04

pesquisar

 

Julho 2015

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
28
29
30
31

comentários recentes

Posts mais comentados

blogs SAPO


Universidade de Aveiro