mais sobre mim

subscrever feeds

Terça-feira, 28 DE Fevereiro DE 2017

O Enigmático Continente da Antártida

“O Imaginário é uma das partes constituintes de um Todo, de que também faz parte a Realidade.”

 

02ihtmurakamiimg-articleLarge-v2.jpg

 

Enquanto por cá nos entretemos a comemorar o Carnaval importado anual e sistematicamente do Brasil (nesta maciça colonização cultural tendo tido nela enorme influência as novelas brasileiras do pós-25 de Abril) – e em vez de colocarmos máscaras para fazermos o que nos der na gana e que durante todos os restantes dias do ano infelizmente não nos permitem fazer – mais uma vez nos escondemos covardemente, agora atrás de uma segunda barreira (máscara) imitando os gestos e os tiques daqueles que nos controlam e que deveríamos necessariamente questionar: ou estará tudo de tal maneira bem no Mundo que nem necessitaremos mais de opções e alternativas?

 

E até como os burros não usam palas (somos nós que lá as colocamos) é sempre bom ser como eles e ir indo ou recusando.

 

O que se poderá aplicar ao caso aqui a seguir referido dos acontecimentos eventualmente a decorrerem na Antártida, com uns a verem nas evacuações algo de estranho e até podendo sugerir a presença de outras entidades desconhecidas no terreno (aqui enterradas no gelo, podendo ser de origem alienígena e potencialmente perigosos), enquanto outros acompanhando desde o início todo o processo e apontando para tal procedimento como sendo normal (até pela manutenção das condições mínimas de proteção e de segurança para quem lá se encontra – sendo a evacuação apenas mais uma dessas estratégias) o referem como motivado pela presença de uma grande fratura progredindo perigosamente no terreno (um fenómeno natural ligado ao aquecimento global – e à participação artificial do homem). 

 

Mass Evacuation Of Antarctica Happening Just Now

All Civilians and Scientists Being Flown Out

Special Ops And Military Moving In

(25/02)

 

snapshot 1.jpg

 

I'm a civilian contractor for a defense industry company you've probably heard of.
We sell advanced hardware and electronic gear mainly to the US Army and Marines. Inhandle a lot of the logistics for moving mass quantities of this shit around.

 
I was enjoying a few brews this Saturday when I got called in for an emergency. I didn't think much of it until I got there and there were some heavy hitter top brass there I've never seen. We work closely with the military so when a bunch of Colonels show up I never met I knew some serious business was in the works. On top of that some of them looked really panicked. Can't divulge much but I can say there is an instant order to move a shit ton of some badass state of the art gear down to Antarctica. And also found out all civilians are getting evacced asap.


That is all I know. But never seen anything like this before. Thought I'd pass it along.

 

(godlikeproductions.com – Anonymous Coward – Use ID: 71009535 – USA – 25.02.2017)

 

Antarctic Researchers Forced to Evacuate

Due to Ice Shelf Melting

Larsen Ice Shelf is rapidly decaying causing sea level raise

(09.02)

 

antarctic-ice-shelves.jpg

 

Antarctic researchers were forced to evacuate an area because of massive ice shelf melting. Changes which occurred in the Larsen Ice Shelf since the 1980s. The ice continues to tear apart. A huge crack in the Larsen C ice shelf is bound to free an iceberg as big as Delaware from the continent.

 

The massive Larsen Ice Shelf is located on the northeast coast of the Antarctic Peninsula along the Weddell Sea.

 

Researcher (Carl Anton Larsen, a Norwegian explorer) analyzed parts of the ice shelf in 1893. Based on the data provided by the National Snow and Ice Data Center (NSIDC), since 1995, this massive ice shelf in the Arctic continuously melted, losing 75% of its mass.

 

A study from 2004 shows that Antarctic researchers from NSIDC have revealed that massive sheets of ice have accelerated their course toward the sea.

 

(councilchronicle.com – Adam Martin – 09-02.2017)

 

E sendo assim, encerradas todas as festividades de Carnaval e guardadas as máscaras até ao próximo ano, lá voltaremos nós à triste e irremediável monotonia de nosso quotidiano consolidado (definido como realidade), repondo a nossa imagem referida como natural e no entanto escondendo atrás dela as nossas trombas de elefante – perdido o marfim e o poder. Mas ainda antes destes 365 dias oficiais se passarem (de monotonia e certamente de miséria para a maioria dos 7 biliões de terrestres), podendo-se ainda ter a esperança de por qualquer motivo que percecionemos e nos sensibilize (se ainda tivermos os nossos órgãos dos sentidos ativos e disponíveis) sermos sobressaltados nem que seja oficiosamente e por alguns de nós pretensamente em delírio. Mas o que distinguirá o Imaginário do Real, a Loucura da Normalidade, o Bem do Mal, a Matéria da Energia? Certamente nada, fazendo tudo parte do mesmo. Sendo que o problema não estará na anormalidade (se espontânea – num elemento natural) mas no que dirá o Anormal (se condicionado – um elemento artificial).

 

(imagens: matthewpink.co.uk – UFOmania/youtube.com – councilchronicle.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:07
Terça-feira, 28 DE Fevereiro DE 2017

Universe Today – Mars

[Para todos aqueles que assiduamente visitam Marte – através da observação dos registos enviados pelas diversas sondas aí colocadas (na sua órbita ou no próprio solo marciano) – mais umas quantas imagens (9) sendo muitas delas familiares (já que as tínhamos visto antes e registado na nossa memória), que nos elucidam um pouco mais sobre o que estamos a ver (nuns casos confirmando a certeza, noutros casos tirando-nos as dúvidas, ou então, retirando-nos simplesmente as palas).]

 

 

Wow, Mars Sure Can Be Pretty

(Evan Gough – universetoday.com)

 

For a supposedly dead world, Mars sure provides a lot of eye candy. The High Resolution Imaging Science Experiment (HiRise) aboard NASA’s Mars Reconnaissance Orbiter (MRO) is our candy store for stunning images of Mars.

 

ESP_049009_1520-700x432.jpg

This colorful image of Martian bedrock, punctuated in the center by dunes, is courtesy of the HiRise camera aboard NASA's Mars Reconnaissance Orbiter

 

Recently, HiRise gave us this stunning image (above) of colorful, layered bedrock on the surface of Mars. Notice the dunes in the center. The colors are enhanced, which makes the images more useful scientifically, but it’s still amazing.

 

HiRise has done it before, of course. It’s keen vision has fed us a steady stream of downright jaw-dropping images of Elon Musk’s favorite planet. Check out this image of Gale Crater taken by HiRise to celebrate its 10 year anniversary orbiting Mars. This image was captured in March 2016.

 

PIA20167_hires-1024x768.jpg

HiRise captured this image of unusual textures on the floor of the Gale Crater, the same crater where the Curiosity rover is working

 

The MRO is approaching its 11 year anniversary around Mars. It has completed over 45,000 orbits and has taken over 216,000 images. The next image is of a fresh impact crater on the Martian surface that struck the planet sometime between July 2010 and May 2012. The impact was in a dusty area, and in this color-enhanced image the fresh crater looks blue because the impact removed the red dust.

 

PIA17932_hires.jpg

This color-enhanced image of a fresh Martian crater was captured by the HiRise camera

 

These landforms on the surface of Mars are still a bit of a mystery. It’s possible that they formed in the presence of an ancient Martian ocean, or perhaps glaciers. Whatever the case, they are mesmerizing to look at.

 

oddridges.jpg

These odd ridges are still a mystery. Were they formed by glaciers? Oceans?

 

Many images of the Martian surface have confounded scientists, and some of them still do. But some, though they look puzzling and difficult to explain, have more prosaic explanations. The image below is a large area of intersecting sand dunes.

 

polygondunes.jpg

What is this? A vast area of Martian rice paddies? Lizard skin? Nope, just an area of intersecting sand dunes

 

The surface of Mars is peppered with craters, and HiRise has imaged many of them. This double crater was caused by a meteorite that split in two before hitting the surface.

 

weirdest-mars-craters-11-130507.jpg

This double impact crater was caused by a meteorite that split into two before hitting Mars. Notice how the eroding force of the wind has shaped each crater the same, smoothing one edge and creating dunes in the same place

 

The image below shows gullies and dunes at the Russell Crater. In this image, the field of dunes is about 30 km long. This image was taken during the southern winter, when the carbon dioxide is frozen. You can see the frozen CO2 as white on the shaded side of the ridges. Scientists think that the gullies are formed when the CO2 melts in the summer.

 

hirise-gullies-580x435.jpg

These gullies are on the dunes of Russell Crater on Mars. This image was taken during winter, and the frozen carbon dioxide on the shaded slopes

 

The next image is also the Russell Crater. It’s an area of study for the HiRise team, which means more Russell eye candy for us. This images shows the dunes, CO2 frost, and dust devil tracks that punctuate the area.

 

Russell_Crater_Dunes_Defrosted-resized.jpg

This image of the Russell Crater, an area of study for HiRise, shows the area covered in dunes, with some frost visible in the lower left. The larger, darker markings are dust devil tracks

 

One of the main geological features on Mars is the Valles Marineris, the massive canyon system that dwarfs the Grand Canyon here on Earth. HiRise captured this image of delicate dune features inside Valles Marineris.

 

chojnacki-1-a.jpg

These delicate dune features formed inside the Valles Mariners, the massive canyon system on Mars

 

The Mars Reconnaissance Orbiter is still going strong. In fact, it continues to act as a communications relay for surface rovers. The HiRise camera is along for the ride, and if the past is any indication, it will continue to provide astounding images of Mars.

And we can’t seem to get enough of them.

 

(Evan Gough – Wow, Mars Sure Can Be Pretty – 24.02.2017 – Universe Today)

 

[imagens: NASA]

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:29
Segunda-feira, 27 DE Fevereiro DE 2017

Sofia – Há Um Ano Atrás

Recordando

“Um ser Humanoide entrevistado por um ser Humano na estação CNBC”

 

Numa apresentação de Março de 2016 gravada pela estação de televisão norte-americana CNBC podemos observar o projetista robótico David Hanson numa demonstração ao vivo levado a cabo em conjunto com a sua criação o androide Sofia – na altura considerado o mais avançado humanoide dotado de Inteligência Artificial. Num dos momentos da entrevista gravada pela CNBC e levada a cabo por Hanson (o Criador) questionando Sofia (a Criação), deixando alguns de nós um pouco preocupados face à resposta do robot humanoide em que o mesmo admitia que um dia destruiria humanos.

 

R1.jpg

Sofia e Hanson

 

Um robot humanoide que na entrevista com o humano seu criador (e sabendo de antemão do projeto futuro que o mesmo lhe reservara – daqui a uns 20 anos movimentando-se e passando despercebido entre nós) já demonstrou relevantes capacidades de conversação e de reconhecimento visual (necessária para a sua inserção na sociedade), desejos particulares a concretizar durante a sua vida (como o de ter uma família, apresentando assim algo de semelhante às nossas emoções e com sentido resiliente e evolutivo) e até alguns pensamentos coletivos podendo interferir na organização da estrutura (corpo central do nosso sistema): confessando (se necessário) poder destruir seres humanos (matá-los).

 

Uma afirmação que tendo sido emitida pela primeira vez, em público e pela TV pela boca de um robot humanoide em diálogo com um ser humano (quando este a questionava sobre temas como as suas aspirações e as suas crenças) deixou muitos dos que a escutavam perplexos e especialmente alarmados: com Sofia a responder “que gostaria de ir à escola, constituir família e destruir humanos”. Uma Máquina que poderá vir a substituir o Homem na pirâmide hierárquica terrestre, colocando de novo no pedestal da Vida algo diretamente ligado ao Mundo Mineral e com a particular ironia de aí ser recolocada pelo Mundo Animal – a estrutura extraordinária resultando do esforço, da dedicação e da evolução da Matéria (Mineral) criando algo de exclusivo (um organismo).

 

Sofia

A Robot Humanoide mais Avançada do Mundo

1

 

R2.jpg

 

2

 

R3.jpg

 

3

 

R4.jpg

 

Sofia

Pelo menos assim retratada há um ano atrás

  

Sendo capaz de perceber (mantendo um diálogo), recordar (outras interações passadas com os registos visuais) e evoluir (com a repetição ficando cada vez mais inteligente). E tal como acontece com as nossas máquinas (biológicas) tornando-se cada vez mais conscientes, criativos e cheios de capacidades (de todo o tipo e feitio e certamente de outros mais). Hoje já percebendo (talvez por interposta pessoa e sendo mesmo temporário) ainda não ser uma pessoa e sendo ainda ilegal não o podendo exercer – e assim partilhar o espaço e ser um nosso igual. Apenas com um processador e uns quantos algoritmos.

 

E obviamente para aqueles que receando um levantamento popular de mais uma minoria nem sequer se podendo designar como um ser vivo, biológico e assente numa estrutura orgânica (como um conjunto mecânico que são controlado por processadores minerais), levando-os de novo e de uma forma mais dura a manifestar-se de imediato contra as Máquinas dotadas de Inteligência Artificial: com o aparecimento dos primeiros robots biomecânicos e até com a aplicação dos primeiros periféricos em seres humanos (as novas próteses mas agora inteligentes e adaptadas adaptando-se) temendo pelo fim da espécie Humana – neles se incluindo nomes como o do cientista Stephen Hawking ou do milionário Elon Musk (e com este último a comparar a utilização da inteligência artificial a “uma convocatória feita ao Demónio”).

 

R6.jpg

Sofia

 

No final, como sempre e até para a Máquina continuar a funcionar eficazmente – triturando até ao seu fim o seu futuro e único obstáculo o Homem (problema inerente ao ato de criar e logicamente com os efeitos deste sendo associados ao seu Criador) – com a balança a ficar de novo equilibrada e à primeira vista perfeita: no fundo nada se fazendo para evitar o desastre, que assim se irá tornando inevitável e já neste preciso momento irreversível. Com uns a posicionarem-se frontalmente contra, enquanto outros vão apresentando possíveis virtudes e benefícios futuros de tal intervenção (até por estarem interessados no desenvolvimento do seu próprio projeto não só cientifico como financeiro).

 

Dos que estão Contra

(como Hawking e Musk)

Dos que estão a Favor

(como Hanson)

No Futuro a maior parte das ameaças contra a Humanidade serão causadas pela enorme diferença entre o grande desenvolvimento tecnológico e o nosso pobre desenvolvimento intelectual; com a tecnologia como a parte mais forte a representar o maior perigo e podendo nos próximos séculos provocar um grande desastre (com as Máquinas a dominarem o Homem).

 

Num Evento que só não será ao nível de extinção da Humanidade (já que a concretização do nosso paradigma está ligado á Tecnologia e à respetiva operação da qual será o resto) desde que a mesma encontre um meio de viajar no Espaço: e assim evitando com a permanência na sua única zona de conforto, o desastre e o fim da Humanidade (com guerras, problemas climáticos e doenças).

 

Prevendo-se caso o cenário mais dramático (para o Homem) se concretize (a chegada da Hora das Máquinas) que os empregos diminuam, que os robots se equiparem (a nós) e com tudo isto a ocorrer em menos de uma década ou duas. Com estas máquinas misturadas ou não (com componentes orgânicos) tendo até personalidade e as suas próprias emoções. Quando muito adaptadas do Homem para a Máquina.

Inevitavelmente um dia virá no Futuro em que Homem e o Robot (a Máquina) se confundirão: com os mesmos circulando na maior das normalidades entre nós e fazendo as mesmas coisas que nós fazemos todos os dias – ajudando, brincando, aprendendo e ensinando e com uma maior experiência e desenvolvimento, podendo executar (cada vez) mais tarefas.

 

 

Evoluindo até um nível tal, que poderá ser equiparado a um amigo – um nosso semelhante, numa réplica perfeita e tornando-se idêntico.

 

E até podendo ter ideias idênticas às nossas (ou não fossemos nós a sua fonte e modelo).

 

 

 

Até para o Bem e até para o Mal – seja o grande Criador ou a sua Criatura: criatura que quando indagada pelo seu criador sobre se “se gostaria de destruir humanos” pestanejou (ou dobrou o sobrolho) e disse que “sim”. Com o seu Criador a sorrir. O que qualquer um faria fosse Homem ou fosse Máquina.

 

 

E perante tudo isto envolvendo Organismos (elementos biológicos, adaptados ao meio ambiente e vivos como nós) e Máquinas (elementos mecânicos, programados para se adaptarem – ao meio ambiente mas prioritariamente ao Homem – e suportados por uma estrutura central de base mineral), qualquer um de nós seja leigo ou cientista e colocado perante tantas versões (e outras tantas previsões) só poderá mesmo pensar no grande buraco negro onde estamos (todos) enfiados – e entre tantos trilhos que nos dizem existir, resumindo todos a 2 em caminhos paralelos e tendo o mesmo destino: um entronizando o Homem como único protagonista-herói (a única personagem, a principal e à imagem de um Deus ativo/direto e cruel), outro solicitando à Máquina apoio tornando-o um ícone (figura sagrada e simbólica e à imagem de um Deus mas num estado já passivo/contemplando e pacifista) – e tendo todos como destino uma guerra declarada (e há muito iniciada), entre o Homem e o Homem ou entre o Homem e a Máquina (mas sempre com a Máquina presente e atuando legal ou ilegalmente).

 

Pelo que o maior perigo que as Máquinas nos dias de hoje representam para o Homem não será tanto motivado por uma revolta das mesmas (numa fase muito inicial do seu desenvolvimento, manifestando-se violentamente contra o seu Criador e ainda sem garantias de autossuficiência futura), mas por aquilo que o Homem fará utilizando o que nós pensamos ser apenas mais um periférico: mais próximo, atuando independentemente e a uma certa distância. E no meio da cirurgia com a mais exata das precisões, surgindo os colaterais e as primeiras vítimas humanas – com as Máquinas entretidas a substituírem as peças (delas).

 

(imagens: CNBC/youtube)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:19
Domingo, 26 DE Fevereiro DE 2017

Kill The Beast Quickly – Damn, He´s Still Alive!

KTBQ THE-45

 

30548ccd4110be9d9cf24c410cdc2d71.jpg

Donald Trump

The Fucking Rep-Beast

 

NASA finds Earth-hab planets round Trappist-1 star.

Trump announces wall to keep aliens out.

(@PeterJStockwell)

 

Num momento da História da Terra em que tendo sido eleito um novo líder para comandar a maior potência militar a nível Global (o recentemente eleito 45ºPresiodente dos EUA, por sinal veementemente contestado por todos os seus opositores, por alguma parte dos seus apoiantes e pela maioria dos eleitores norte-americanos), os cientistas de uma organização governamental norte-americana (tendo já demonstrado muitas reticências sobre a política do novo Presidente em assuntos como o do investimento no Programa de Exploração Espacial e nas questões relacionadas com o Aquecimento Global – e assim colocando-se do lado da oposição) acabam eventualmente de descobrir um novo e potencial Sistema Solar (por algumas semelhanças e pelo que elas poderão significar). Através da utilização do telescópio Spitzer colocado em órbita da Terra a quase 570Km de distância, detetando a presença de radiações infravermelhas emitidas por corpos celestes localizados a enormes distâncias em zonas bastante longínquas do nosso Universo (algo impossível de ser feito à superfície da Terra devido à interferência da nossa atmosfera). O sistema Trappist-1 integrando no seu centro uma única estrela (estrela-anã) e com 7 planetas girando à sua volta provavelmente rochosos e podendo conter água: e com pelo menos três deles podendo integrar a zona habitável.

 

ssc2017-01d_Inline.jpg

TRAPPIST-1 system

Our Salvation and Destiny

 

Trump signs Executive Order banning aliens from these 7 planets from entering US:

TRAPPIST-1b - 1h.

(@rickkemp202)

 

Já que a campanha de assassinato político (iniciada antes mesmo de o candidato ser considerado como tal e prosseguindo ativa e ininterruptamente ainda hoje) parece declaradamente não querer produzir frutos (mais de 3 meses depois deste já ter sido eleito e tendo já sido nomeado para o cargo em causa), num ato de puro desespero, de brutal hipocrisia e como que num insulto e ato de desprezo para com todos os nossos sonhos destruídos por uma esperança prometida mas infelizmente sempre adiada (e no qual os nossos líderes políticos tiveram um papel fundamental de manipulação, desmobilização e manutenção do status quo) – e recorrendo ainda-por-cima ao nosso espirito de criança aventureira (vista como uma entidade misteriosa sempre pronta a correr todos os riscos e a enfrentar o desconhecido só para alcançar o impossível) – os estrategas deste tipo de Eventos nunca vistos antes por estes lados, parecem não querer desistir nem largar as suas armas insistindo no desaparecimento e na eliminação do adversário: nem que para tal tenham que arrolar ao seu contingente, bruxas, feiticeiros, mágicos e outros espíritos poderosos (se necessário executando rituais e invocando-os) combatendo o Maldito – isto se quiserem ficar por este planeta; ou em alternativa partindo para um Outro Mundo onde a Besta 666 não os possa alcançar – e já com um Sistema Planetário em vista. Pelos vistos abandonando de vez a preferência inicial de uma considerável percentagem de cidadãos, optando por ser atingido por um asteroide a ter este Presidente (ou o outro certamente, com o asteroide atingindo ambos e todos os restantes); e com outros mais comedidos e dando valor à vida (à sua vidinha) a anunciarem ainda a sua preferência por Marte – talvez porque lá chegados a morte se daria em segundos (não sendo tão longa e sofrida, como com este Presidente controlando o planeta Terra).

 

1_main_pia21423-png.jpg

A Trappist-1 planet

Dreaming with is Surface

 

It might take us 400,000 years to get to TRAPPIST-1

But girls we have to get off this shit show before Trump kills us all.

(@WholeGlassOfB)

 

De acordo com um dos órgãos de Comunicação Social Norte-Americana declaradamente apoiando os Democratas e do qual o The Huffington Post (integrando as Fake News) é um exemplo típico e dos mais flagrantes (nunca largando a sua presa como um cão agarrado a um osso e escolhendo como seu objetivo prioritário a destruição e abate daquele que inesperada e inopinadamente derrotou a sua candidata, há muito considerada como a Vencedora) e abandonadas definitivamente por extremamente perigosas as alternativas Asteroide e Marte, eis que agora o mesmo jornal (online) apoiando-se numa sondagem levada a cabo pela SurveyMonkey (empresa de pesquisas online) nos vem comunicar que 1/3 dos cidadãos residentes nos EUA estariam dispostos a abandonar o nosso planeta e a partirem (temporariamente, numa de tranquilidade e sem Trump) para um outro. Aproveitando a última descoberta anunciada pela NASA de um Sistema Planetário localizado a mais de 370 triliões de Km da Terra (viajando à velocidade da luz de 300000Km/s só demorando 39 anos a lá chegar) e com fortes possibilidades de possuir um mundo habitável para os seres humanos: mesmo com a loucura não tendo limites nem se sabendo como lá chegar (à Loucura e ao Sistema), sendo já uma das hipóteses implantadas na nossa mente (subliminarmente) condicionada por um cérebro perdido, muitas vezes dispensado e em claro (e deliberado) subaproveitamento (e decadência). Um Sistema denominado TRAPPIST-1, integrando vários planetas e com os cientistas a associarem-no (comparando-o, procurando semelhanças) ao nosso Sistema Solar. Segundo o The Huffington Post (lançando o isco) com sete planetas orbitando uma “super-legal” estrela-anã localizada na constelação Aquário e com três deles movimentando-se numa área em redor dessa estela provavelmente habitável e podendo conter água (e talvez mesmo Vida tal como sucede na Terra): segundo o jornal fazendo com que de imediato centenas de pessoas se propusessem para fazer a Viagem ou então (e depois de constarem o perigo que seria abandonar a sua zona de conforto) que o outro se oferece-se para ir na vez deles.

 

p1110460.jpg

SETI – Allen Telescope Array

Searching for Aliens in Hat Creek

 

Já hoje dia 25 de Fevereiro com o site norte-americano Universe Today (universetoday.com) ligado à divulgação científica e tecnológica nas áreas da exploração do Espaço e da Astronomia (e referindo-se ao agora tão falado sistema Trappist-1), a atribuir à organização SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) utilizando o radiotelescópio de Arecibo (Porto Rico) e os telescópios Allen (Califórnia), a primeira tentativa efetiva de observar o longínquo Sistema localizado a quase de 40 anos-luz de distância da Terra:

 

SETI Has Already Tried Listening to TRAPPIST-1 for Aliens

(Matt Williams – Universe Today)

 

“…And now it seems that there is more news to be had from this star system. As it turns out, the Search for Extraterrestrial Intelligence (SETI) Institute was already monitoring this system with their Allen Telescope Array (ATA), looking for signs of life even before the multi-planet system was announced…And while the survey did not detect any telltale signs of radio traffic, further surveys are expected. Given its proximity to our own Solar System, and the fact that this system contains seven planets that are similar in size and mass to Earth, it is both tempting and plausible to think that life could be flourishing in the TRAPPIST-1 system. So far, nothing has been picked up from this crowded system…But the SETI Institute is not finished and future surveys are already in the works. If there is a thriving, technologically-advanced civilization in this system (and they know their way around a radio antenna), surely there will be signs soon enough…”

 

(texto/itálico: dailydot.com – ilustrações/imagem: dailydot.com e nasa.gov/worldpress.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:48
Domingo, 26 DE Fevereiro DE 2017

Na Quinta-Feira em Albufeira os Carros estavam todos Castanhos

Explicando o motivo pelo qual quinta-feira de manhã pelas 08:00 horas locais e ao sair de casa encontramos todos os carros cobertos por uma fina camada de poeira (castanha) meio-colada ao mesmo (pela percentagem de humidade ainda presente no ar), ficamos agora a saber que tal acontecimento registado um pouco por todo o sul de Portugal (especialmente no Algarve e neste caso em Albufeira) se deveu ao deslocamento de um significativo conjunto de nuvens constituídas por gases e muita poeira, deslocando-se do norte de África para o sudoeste da Europa – e afetando quase toda a área integrando a Península Ibérica (exceto o litoral a norte).

 

ThoughtfulVigilantGrouse.jpg

Nuvens de Poeira

(por volta das 3 da manhã de quinta-feira)

Viajando do Sahara, atravessando o Mediterrâneo e atingindo o sul da Europa

(22 a 25 de fevereiro de 2017)

 

Na prossecução da sua deslocação iniciada no norte de África (por volta de terça-feira, 21) e tendo como uma das suas origens o Reino de Marrocos, a espessa camada de nuvens carregada de poeiras atingiu fortemente Portugal (e Espanha), dirigindo-se de seguida para leste e atingindo países do sul do continente desde a França até à Turquia. Um fenómeno atmosférico que para muitos nada mais significará do que um monte de sujidade depositado numa determinada superfície, mas que na realidade poderá representar (caso um dia tal aconteça com mais intensidade e frequência) um problema ambiental a encarar e a prevenir: com estas poeiras na sua constituição a serem dos principais componentes dos aerossóis presentes na atmosfera terrestre (poluindo e contribuindo para o aquecimento global.

 

(alguns dados e imagem: TW/watchers.news)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:07
Sábado, 25 DE Fevereiro DE 2017

Em Marte Algo se Mexe – podendo estar Vivo

Ao contrário do que muitos pensam (face à evidência de que Marte não possui uma atmosfera como a existente na Terra) existirão certamente outros planetas onde poderemos constatar o aparecimento à sua superfície de redemoinhos de vento: bastando para tal a presença de camadas sobrepostas sobre a superfície do planeta de materiais a diferentes temperaturas (no seu estado gasoso e envolvido por finas poeiras) obrigando essas mesmas camadas (as mais quentes/leves a subirem as mais frias/pesadas a descerem) a deslocarem-se e a provocar efeitos dos mais visíveis e caraterísticos desse tipo de fenómeno (universal – o Vento.

 

O que significa que Marte também terá a sua atmosfera (numa constituição diferente da nossa, familiar, mas como se fosse de outra espécie) e os seus redemoinhos: os chamados Dust Devils. Para futuras expedições ao planeta Marte sendo mais um problema para os humanos resolverem: postos perante redemoinhos marcianos muitas vezes superior em intensidade aos testemunhados na Terra (50X ou mais).

 

PIA21457.jpg

Mars

Dust Devil in Hilly terrain

(Mars Reconnaissance Orbiter – PIA 21457)

Optical Instrument HiRISE

 

No cumprimento do seu programa de observação do planeta Marte iniciado aquando da sua inserção em órbita (em 10 de Março de 2006), a sonda norte-americana MRO enviada ao planeta Vermelho com o objetivo prioritário de encontrar vestígios da existência de água no passado, continua a enviar-nos testemunhos ao vivo de um planeta que nos seus momentos de maior aproximação à Terra se encontra apenas a uns curtos 76.5 milhões de Km (como aconteceu a 22 de Maio do ano passado quando Marte se encontrava em oposição e no ponto da sua órbita de maior aproximação à Terra; e o que acontece aproximadamente de 2 em 2 anos quando Marte se coloca do outro lado do Sol) – e que em 27 de Julho de 2018 ainda estará mais perto: a menos de 60 milhões de Km.

 

Um planeta nosso vizinho, que nos parece querer dizer algo, que um dia poderá ter tido água, atmosfera e até vida – elementos de um cenário comum que também temos na Terra – e que apesar de declarado como morto há biliões de anos atrás, ainda nos vai intrigando com vestígios e movimento: vestígios de um Mundo (ainda) Vivo e sobretudo em Movimento – Mineral ou Orgânico ou com qualquer outro tipo de base (de suporte à estrutura).

 

E como todos nós sabemos que um dos indícios de que a Matéria está Viva e em constante Transformação é o de se mover, interagir, trocar e transformar energia (ocupando sucessivamente novos espaços ao deslocar-se), observar-se um objeto deslocando-se entre determinados parâmetros e assim integrando-se no seu meio (por mais inóspito que o consideremos) só poderá significar que este não será propriamente um objeto inanimado tendo pelo contrário e como seria Natural uma missão a cumprir e um determinado objetivo a executar (dentro do conjunto a que pertence): como o teria qualquer elemento que fizesse parte de um determinado Mundo e fizesse parte dessa Estrutura – naturalmente e para poder persistir inteligente, organizada e como tal Viva.

 

There are many dust devils on Mars -- little twisters that raise dust from the surface. They have also cleaned dust off of the solar panels of the rovers Opportunity and Spirit, improving the solar power production. Spirit became stuck in 2009 and ceased communication a year later. (nsa.gov)

 

PSP_009819_2130.jpg

Mars

A Dust Devil on Hilly Terrain

(Mars Reconnaissance Rover – 2008 Image in the Amazonis region)

Optical Instrument HiRISE

 

Se um calhau se desloca, algo ou alguém interagiu com ele – em termos relativos ou absolutos (tanto faz) movimentando-se a uma determinada velocidade (a indicada para o mecanismo) e com a matéria que o compõe e que lhe dá forma (a estrutura que o define tipo ADN) interagindo com todos os componentes interiores que o caraterizam e com os exteriores que o condicionam (influenciando a sua evolução).

 

Para tal efeito utilizando toda a tecnologia natural desde sempre disponível (mas tal como o nosso cérebro aproveitado minimamente), com a Matéria (a providencial doadora) evidenciando toda a sua pujança e vigor (que a carateriza como criadora de Vida), com constantes trocas (e transformações) de energia eletromagnética (desequilibrando e equilibrando o sistema) e como consequência (vital) obrigando-o todo o edifício a mexer-se, a criar soluções e a evoluir na direção mais correta (adaptando-se pois a perfeição não existe sendo apenas um desejo).

 

(imagens e legendas: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:10
Sexta-feira, 24 DE Fevereiro DE 2017

Hoje vamos à Bruxa

Hoje dia 24 de Fevereiro de 2017 e aproveitando o início de mais um fim-de-semana (pelos vistos mais propícios à pratica de rituais), inicia-se mais uma campanha contra o 45ºPresidente dos EUA – Donald Trump: aqui podendo-se invocar bruxas, feiticeiros, mágicos, duendes e tudo o mais que nos lembrarmos dos nossos tempos de infância, mas agora não para contrapor (ao mundo dos adultos) mas apenas para informar que continuamos simplesmente a obedecer (a quem nos tem sempre negado a Esperança). É que o Mal existe e está onde eles nos indicam!”

 

Para se ver até onde pode chegar a histeria-animal instigada pelos (seus) predadores – com as próprias presas no altar oferecendo-se em sacrifício. Lembrando-nos de tempos ainda tão próximos e da psicologia de massas do fascismo (antes de aplicação direta agora subliminar).

 

A Spell to Bind Donald Trump and All Those Who Abet Him:

February 24th Mass Ritual

 

16903271_883777908430615_8898892083045838516_o.jpg

 

To be performed at midnight on every waning crescent moon until he is removed from office

 

The first ritual takes place Friday evening, February 24th, at the stroke of midnight

 

Com o promotor publicitário (com uma página própria no Facebook só destinada a Trump) divulgando esta ação, a colocar-nos logo a par de tudo o for necessário: desde adereços e artefactos que deveremos necessariamente levar (uma foto de Trump, uma carta de Tarot, velas e o que mais nos for permitido – aqui referido como opção), passando por conselhos (úteis) de modo a sabermos como nos preparar e apresentar (por exemplo rezando e invocando o nosso santo protetor) e até como cumprir o ritual ou as suas diversas variantes (permitindo a presença de mágicos de modo a esconjurar o Diabo). E tendo já algo para dizer (mundo psíquico) para acompanhar o Ritual (mundo físico) – uma letra e sendo de câmbio (trocando algo por outra coisa, mesmo que não se saiba o quê):

 

 

Hear me, oh spirits

Of Water, Earth, Fire, and Air

Heavenly hosts

Demons of the infernal realms

And spirits of the ancestors

 

I call upon you

To bind

Donald J. Trump

So that he may fail utterly

That he may do no harm

To any human soul

Nor any tree

Animal
Rock
Stream
or Sea

 

[Parte do Ritual (v.2.1)]

 

 

1 6O5ulWUIGqx6gVtkEz57WQ.jpeg

 

Tower tarot card

 

 

Pelo que se não puder hoje dar um saltinho até à América (pode conhecer alguém que o possa e que como que por magia o leve) e viver meio perdido num outro buraco do Mundo (sem acesso a estas coisas), o que terá de fazer sem receio do que (poderá) acontecer (inebriados como estaremos no Mundo do Imaginário), será sentar-se num cantinho, beber um copinho de vinho e deixar-nos aí a sonhar: também com Bruxas mas das Boas.

 

Enquanto isso nos EUA continua a Guerra Civil não declarada entre “os trampa e os contra-esta-trampa” mas com todos trabalhando para o mesmo tipo de trampa. Todos dentro da sanita e com alguém no autoclismo.

 

(textos/inglês e imagens: extranewsfeed.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:36
Sexta-feira, 24 DE Fevereiro DE 2017

Snooker – Coral Shoot-Out e Liga dos Campeões

Neste momento e integrando o Circuito Mundial de Snooker estando a decorrer duas provas distintas e não muito usuais: o Coral Shoot-Out (à melhor de 1 frame e contando para o RM) e a Liga dos Campeões (à melhor de 5 frames e não contando para o RM).

 

snapshot S.jpg

Robin Hull – FIN – 54ºRM

Vencedor do 2016 Coral Shoot-Out

(batendo na final o belga Luca Brecel 28ºRM)

 

Com as partidas do grupo 6 da Liga dos Campeões a terminarem – com a vitória de Ryan Day sobre Martin Gould na final por 3-1 – arrancou hoje uma nova competição contando para o Ranking Mundial: o Coral Shoot-Out. Contando com 128 jogadores, disputando 4 rondas iniciais até atingirem os quartos-de-final e aí chegados e tendo ultrapassado os QF e as MF, alcançando a Final e aí podendo reclamar o título conquistado o ano passado por Robin Hull – decorrendo de 23 a 26 de Fevereiro na cidade inglesa de Watford e atribuindo ao vencedor um prémio de quase 38000 Euros (a adicionar aos pontos do RM).

 

Com os dois primeiros dias da competição (4ªfeira e 5ªfeira) a serem ocupados com a 1ªronda e a realização das suas 64 partidas. E notando-se a ausência de alguns jogadores do top 16 do Ranking Mundial (aqueles que dão acesso direto à disputa do Campeonato do Mundo) como Mark Selby (1ºRM), Judd Trump (3ºRM), Ding Junhui (4ºRM), John Higgins (6ºRM), Neil Robertson (8ºRM) e Marco Fu (9ºRM) – para só indicar os ausentes do Top Ten. Talvez por alguns deles ainda estarem ocupados com a Liga dos Campeões (concluindo-se hoje o Grupo 6), ainda com o Grupo 7 por disputar (27/28 Fevereiro) e a própria Final da Liga (1/2 Março); ou então tendo optado por um período de maior descanso e preparação para a disputa do cada vez mais próximo Campeonato do Mundo de Snooker de 2017 (a decorrer na Inglaterra entre 15 Abril e 1 de Maio); numa derradeira e talvez mais correta explicação, por não gostarem muito de uma competição disputada num único Frame (o que caracteriza esta prova).

 

Ordem

Jogador

País

RM

1

John Higgins

ESC

6

2

Michael Holt

ING

23

3

Graeme Dott

ESC

29

4

Mark Selby

ING

1

5

Stuart Bingham

ING

2

6

Ricky Walden

ING

20

7

Martin Gould

ING

18

Liga dos Campeões – Grupo 7 – 27/28 Fevereiro

(de apuramento do último dos 7 finalistas da LC)

 

Com estas duas provas do Circuito Mundial de Snooker – o Coral Shoot-Out (contando p/RM) e a Liga dos Campeões (não contando p/RM) – a terminarem a 26/22 e a 2/3 respetivamente. Seguindo-se de imediato a 21ªprova do circuito o Open de Gibraltar (decorrendo de 1/5 Março e contando para o RM). E às 20:00 desta quinta-feira com o Grupo 6 da Liga dos Campeões já encerrado e com 6 dos 7 jogadores já apurados para a final: David Gilbert (ING)/Grupo 1, Anthony McGill (ESC)/Grupo 2, Mark Davis (ING)/Grupo 3, Barry Hawkins (ING)/Grupo 4, Judd Trump (ING)/Grupo 5 e Ryan Day (GAL)/Grupo 6. Com o sétimo a sair do Grupo 7 constituído pelos jogadores indicados no quadro anterior. Numa competição à melhor de 5 Frames; Já no caso do Coral Shoot-Out e num relance rápido pelas partidas da 1ªronda já concluídas, destacando-se desde já a qualificação do detentor do troféu Robin Hull para a 2ªronda da competição (afastando Mei Xi Wen). Numa competição à melhor de 1 Frame.

 

No caso do Coral Shoot-Out restando-nos aguardar pelo próximo fim-de-semana para ficarmos a saber quais destes 128 jogadores se apurarão entre os oito melhores da competição realizada com partidas com 1 só frame. Que certamente terá nomes bastante interessantes nos quartos-de-final – e talvez não comparecendo muitas vezes em fases tão avançadas destes torneios (do Circuito Mundial de Snooker e contando para o RM).

 

(imagem: Snooker GG/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:52
Quinta-feira, 23 DE Fevereiro DE 2017

Black & White/Poor & Rich

Sendo surpreendente (ou talvez não), esquecidas e postas de lado as suas respetivas ideologias, vermos vindo de todos os quadrantes políticos (da direita até à esquerda) o mesmo medo e inquietação de perderem os seus direitos – pelos vistos sendo divinos e há muito adquiridos (como deuses, profetas, discípulos ou simpatizantes que são). Não se descortinando exceções no meio de tamanho rebanho.

 

vmi3fdghohmkcemcrdkj.jpg

Sixty Percent of Americans Are Worried That Donald Trump Will Take the USA

To War in His First Term

(Elisabeth Joan – playbuzz.com)

 

Com os EUA a atravessarem internamente um período de autêntica Guerra Civil entre grupos poderosos e influentes instalados na sua sociedade e que de maneira nenhuma querem perder os privilégios de uma vida, a presença da perseguição racista já não se limita apenas à instrumentalização e utilização do negro (pondo brancos a caça-los) como bode expiatório para tudo o que de mal acontece, como se torna ainda mais vergonhosa ao servir-se da psicologia de massas tornada violenta e irracional (numa opção típica de regimes fascistas) para colocar uns pobres a lutar contra outros pobres apenas pela manutenção do status quo dos ricos.

 

Recorrendo às memórias que cada vez menos nos restam do passado, maioritariamente esquecidas e obliteradas pelo pouco tempo que ainda nos sobra para viver, por vezes somos levados inexplicavelmente a ressuscitar certos temas, que por tantas e tantas vezes adulterados e acabando-se mesmo por optar pelos seus simétricos, nos levam à negação das evidências, à apatia pelas suas consequências e finalmente numa mistura explosiva das duas à indiferença e à intolerância: aceitando de uma forma aberta (as sugestões emitidas pelos seus líderes), utilizando um trajeto exclusivo (de modo a assegurar a proteção, segurança e persistência do grupo) e selecionando sem qualquer tipo de restrições (mesmo recorrendo à morte antecipada) a destruição de outros grupos. Tudo com o único objetivo tornado responsável e credível (ao longo da nossa educação e formação inalterado, como comprovativo do facto de sermos autênticas réplicas uns dos outros) de preservar a espécie e o modelo adotado por esse grupo (enunciado e declarado como o grupo modelo): e simultaneamente interiorizando progressivamente (porque um dia poderá chegar a nossa vez) que face aos interesses estabelecidos como necessários e prioritários por esse grupo, todo o elemento seu constituinte é transitório e suscetível de ser neutralizado (suspenso para eventual recuperação/reeducação ou arquivamento/prisão).

 

636052119253193340-XXX-JJC6810.JPG

Ysanel Torres of Rhode Island

Attends a Black Lives Matter march during the 2016 Democratic National Convention

(Josh Afner – usatoday.com)

 

Daí partindo-se para o problema das minorias, das raças, das etnias, do género, da idade e de tudo o mais que possa existir e dividir a espécie, levando-a a sucessivos e crescentes conflitos, a guerras intermináveis e de seguida à definitiva extinção – no sentido em que essa extinção será definida e limitada à esmagadora maioria habitando este planeta (7 biliões-uns quantos), englobada naquele pacote monstruoso mas realista (a realidade por todos previamente escolhida) contendo todos aqueles que usufruindo de menos de metade do que a Terra lhes poderia oferecer, nunca o chegaram a ver ou a tocar porque algo ou alguém lá chegou antes e o fez desaparecer: num processo artificial imposto por uma minoria irrelevante, de modo a definir o seu próprio modelo evolutivo – e dispensando simultaneamente o processo evolutivo natural – como se por acaso tivéssemos assumido o papel de Deuses e deixando de ser o que sempre fomos (meras replicas uns dos outros obtidas a partir do mesmo molde original), nos achássemos superiores (aos outros) apenas enganando e manipulando. Através da utilização crescente e exponencial de máquinas e de periféricos num mundo biomecânico em que o segundo matará o primeiro (ao contrário do idealizado e desejado por Isaac Asimov – talvez por ainda acreditar na dicotomia estabelecida pelo Homem entre o Bem e o Mal – como uma forma inicial e primitiva de se defender).

 

Por exemplo pensando no caso norte-americano e no seu eterno problema com a minoria étnica africana (ou minoria negra) – e começando a história por meados do séc. XVIII (e limitando-nos apenas aos últimos 150 anos para evitarmos mais atos horrendos). Bastando para tal analisar a evolução demográfica de brancos e negros nos EUA desde a Guerra Civil Norte-Americana iniciada em 1861 (faz agora 156 anos). E já agora adicionando-lhe a questão dos hispânicos/latinos, comparando a sua evolução (demográfica) com a dos indivíduos de raça negra.

 

P/%

P

P

P

P P

%

 %

%

%

Ano

Branco

Negro

Outro

(Total)

H

Branco

Negro

Outro

H

1860

26,9

4,4

0,1

31,4

0.2

86

14

0

1

1890

55,1

7,5

0,3

62,9

0.4

88

12

0

1

1920

94,8

10,5

0,4

105,7

1,3

90

10

0

1

1950

134,9

15,0

0,8

150,7

3,2

90

10

0

2

1980

188,4

26,5

11,6

226,5

14,6

83

12

5

6

2010

223,6

38.9

46,2

308,7

50.5

72

13

15

16

Demografia – EUA

[P: População (em milhões) T: Total H: Hispânicos/Latinos]

 

Analisando os dados apresentados na tabela anterior concluindo-se:

- Que se em 1860 em cada 10 habitantes 8.5 eram brancos e 1.5 eram negros, 150 anos depois cerca de 7 eram brancos, mais do que 1 eram negros e menos que 2 eram hispânicos/latinos: ou seja de 2ºgrupo passando a 3º: com os negros a serem ultrapassados na sociedade norte-americana por cidadãos falando a língua espanhola (13% contra 16%);

- Com a população negra mantendo uma proporção semelhante à população branca: 1 negro para 6 brancos – mas estagnando no seu crescimento (média de 12%) face ao crescimento dos hispânicos/ latinos (de 1% para 16%): e a ter sofrido uma diminuição notória de 1860 a 1950. E com os hispânicos/latinos a revelarem-se pela mesma altura (1950) e a dispararem para atingirem o seu auge no ano de 2010 (últimos dados registados e que passados 7 anos deverão ser ainda maiores);

- E a partir destas conclusões e de muitas outras que se tentarão certamente elaborar, podendo-se relacionar esta evolução demográfica com alguns acontecimentos históricos ocorridos neste último século e meio (e só para mencionar 7): como a Guerra Civil nos EUA (1861/1865), as duas Guerras Mundiais (1914/1918 e 1939/1945), a Guerra do Vietnam (1955/1975), a Guerra do Golfo (1990/1991) e as Guerras do Afeganistão (2001/2014) e do Iraque (2003/2011).

 

A partir do ano de 2010 com os EUA vindo de dois mandatos sucessivos do Republicano G. W. Bush estando já sobre o comando do seu novo e 44ºpresidente dos EUA o Democrata Barack Obama (20 Janeiro 2009 a 20 Janeiro 2017) – num planeta partilhado hoje em dia por 195 países (193 países membros da ONU e 2 países observadores), onde habitam mais de 7 biliões de pessoas e em que o novo Homem-Forte da América e como consequência do Mundo, é agora um republicano, por sinal um milionário e também sendo Presidente habitando a Casa Branca: Donald Trump de seu nome.

 

(legendas e imagens: as indicadas)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:15
Quinta-feira, 23 DE Fevereiro DE 2017

Os Marcianos e Elon Musk

Entre as 2 hipóteses colocadas em cima da mesa – sobre a presença de um objeto não identificado nas proximidades da Falcon/Dragão – a versão natural, lógica, científica e oficial será a de que se terá tratado de uma parte do foguetão (entretanto descartada) ou de lixo espacial (de passagem na altura); com os leigos, curiosos e desesperadores da vida (cansados de uma vida de réplica e dos seus atos replicados) a optarem imediatamente pela 2ªhipótese, a da presença alienígena (já que os terrestres parecem não ter mais nada para lhes oferecer).

 

snapshot.jpg

Objeto voador passando nas proximidades do foguetão/nave Falcon/Dragão

(19 de Fevereiro de 2017)

 

1

Numa operação bem-sucedida levada a cabo pela empresa norte-americana (privada) de transporte espacial SPACE-X (na sua 10ªmissão comercial), a equipa técnica responsável pela execução da missão CRS-10 concretizou no passado dia 19 de Fevereiro (domingo) mais uma viagem aérea entre o complexo 39A do Centro Espacial Kennedy (na sua 1ªutilização como rampa de lançamento ao serviço da referida empresa) e a Estação Espacial Internacional ISS.

 

2

Com o foguetão Falcon 9 (através do poderoso motor instalado no seu 1ºandar) a vencer a força da gravidade terrestre (graças à combustão de centenas ou mesmo milhares de toneladas de combustível) e a colocar em órbita numa trajetória de encontro com a ISS a sua nave DRAGÃO: propulsionada agora pelo motor colocado no seu 2ºandar e levando-a a uma manobra final de acoplagem entre a Dragão e a ISS.

 

3

Aparentemente e segundo todas as informações oriundas dos órgãos de comunicação social e da própria empresa, tendo tudo corrido bem, desde o lançamento do foguetão Falcon 9, passando pela libertação da nave Dragão e terminando no regresso do seu 1ºandar numa aterragem concretizada numa plataforma flutuante instalada sobre o mar. E no entanto com um intruso-voador a surgir inesperadamente (por 1 ou 2 segundos) num vídeo sobre a missão.

 

4

Pela localização do incidente (gravado pelas câmaras da Space-X) e pelo período durante o qual o mesmo foi registado (já tinham ocorrido os processos de separação da nave), sendo razoável de pensar que se tratariam de objetos associados à separação do 1ºandar do foguetão do 2ºandar transportando a Dragão: algo de semelhante já tendo sido observado em missões similares levadas anteriormente a cabo pela Space-X (missão de 4 de Março de 2016).

 

5

Num momento em que a ISS (já acompanhada pela Dragão numa estadia conjunta de cerca de um mês) se desloca na sua órbita a cerca de 450Km de altitude, a uma velocidade de mais de 27500Km/h e movimentando-se (acompanhando a parte da Terra onde é noite) sobre a América do Sul na direção da Austrália (10:00 em Portugal). Certamente com as duas a passarem ao lado de muito lixo espacial que se tem vindo a acumular nessa região nas proximidades da Terra – mas nunca se podendo negar a possibilidade extraterrestre.

 

O que nos leva a pensar que se os eruditos estiverem errados e os leigos (de acordo com as suas teorias e afirmações) tiverem algo de importante ou até mesmo de verdade para a explicação deste incidente (vindos do mundo profundo das suas convicções), então até poderemos sugerir estarmos em presença de marcianos preocupados com a estratégia de Elon Musk de num futuro a muito curto-prazo chegar ao seu planeta e colonizá-lo: algo que já nem na Terra acontece e que Marte (e os marcianos) jamais consentirá.

 

(imagem: spacex.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:38

pesquisar

 

Fevereiro 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
22

comentários recentes

Posts mais comentados

blogs SAPO


Universidade de Aveiro