mais sobre mim

subscrever feeds

Sexta-feira, 31 DE Março DE 2017

Alienas de Marte Via NASA

Hoje (dia 30 de Março de 2017) a NASA presenteia-nos com uma imagem já com mais de oito anos (8 de Janeiro de 2009) de uma zona localizada junto a uma cratera não identificada do planeta Marte (hemisfério sul).

 

PIA21574 b.jpg

Marte

(PIA 21574)

 

Numa imagem recolhida pela sonda MRO utilizando o seu instrumento HiRISE e com as lentes das suas câmaras focando um depósito de material bem visível sobre a superfície marciana: como se pode constatar pelo tom amarelado.

 

Deixando-os intrigados com a presença de material mais claro e brilhante na sequência desses depósitos à superfície, espalhando-se a partir desse local através de estreitas e contínuas depressões existentes no terreno.

 

Se estivéssemos com os nossos olhos fixos num cenário de paisagem terrestre, certamente se podendo sugerir estarmos presente um local de possível extração mineral (à superfície ou subterrânea), com o seu ponto central e rotas de escoamento.

 

PIA21574 C.jpg

 

Mas como estamos em Marte e os únicos movimentos até agora detetados e erosivos só podendo ser atribuídos a fenómenos atmosféricos também presentes neste planeta (como será o caso da ação dos ventos – os Dust Devils), sendo tudo e logicamente de origem natural.

 

Um planeta há biliões de anos sujeito a algum tipo de cataclismo verdadeiramente avassalador, que segundo os cientistas terá destruído toda a atmosfera então envolvendo Marte, feito desaparecer um grande oceano cobrindo uma parte apreciável do planeta e a partir daí muito provavelmente destruindo e calcinando todos os vestígios de vida nesse passado extremamente remoto tendo grandes probabilidades de existir.

 

Hoje sem denotar a presença de qualquer tipo de organismo por mais primitivo ou estranho que seja (alienígena), apresentando-nos um planeta seco e calcinado como se tivesse sido literalmente varrido por um fogo Mortal mas vindo dos Céus. Sem vida nem presenças.

 

PIA21574.jpg

 

E no entanto no empolgamento da descoberta e na procura cega e imediata de respostas inequívocas nem sequer nos informando e assim esclarecendo sobre a presença de outras formas estranhas e deslocadas sobre a superfície deste Mundo distante (morto e como tal não diverso mesmo em forma).

 

Como o da presença de diversos elementos estranhos todos com a mesma estrutura, forma, cor e brilho sobre a superfície de Marte (na imagem inicial com um aparecendo no canto inferior esquerdo), sugerindo serem externos ao sistema e como tal e para o mesmo de origem alienígena: como se estivéssemos perante uma exploração mineira, com o artefacto aí inserido a ser apenas um habitáculo (fixo) ou um veículo de transporte (móvel) – talvez mesmo um disco-voador.

 

(imagem: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:10
Sexta-feira, 31 DE Março DE 2017

Open da China 2017 (M-F)

E Quase Tudo o Vento Levou…

 

Poderíamos dizer como apresentação dos quartos-de-final do OPEN da CHINA concluídos hoje (ao início da tarde na Universidade de Pequim), que os 4 principais favoritos à passagem às meias-finais desta competição contando para o RM (e na véspera da disputa do Campeonato do Mundo de 2017) como que foram varridos do mapa – com o único sobrevivente a ser o atual líder do RM e Campeão do Mundo Mark Selby.

 

Quartos-de-Final

(à melhor de 9)

J/N

F

J/N

Judd Trump (ING)

3-5

Hossein Vafaei (IRA)

Shaun Murphy (ING)

1-5

Mark Williams (GAL)

Kyren Wilson (ING)

5-1

Ding Junhui (CHI)

Stephen Maguire (ESC)

1-5

Mark Selby (ING)

(J: Jogador N: Nacionalidade F: Frame)

 

Sem dúvida com o jovem iraniano Hossein Vafaei vindo bem lá do fundo da tabela do RM a eliminar surpreendentemente (o mínimo que se pode dizer) o atual Vice-Líder do RM e um dos principais favoritos à candidatura a Campeão Mundial de 2017 o inglês Judd Trump; e por outro lado com o galês Mark Williams e logo depois de uma reviravolta espetacular frente ao escocês John Higgins (a perder 1-4 foi ganhar por 5-4), eliminar outro dos favoritos mantendo a sua candidatura a um dos 16 melhores do RM (entrada imediata no Mundial 2017).

 

1597.png2729.png1335.png3395.png

Selby, Wilson, Williams e Vafaei

 

Na primeira meia-final com o 4X finalista e 3X vencedor do Open da China o galês Mark Williams (2002/2006/2010 nas vitórias e 2000 na derrota) – e Campeão do Mundo em 2000 e 2003 – a defrontar a grande surpresa desta edição o jovem iraniano Hossein Vafaei (22 anos) apresentando no seu currículo duas participações em QF de provas a contar para o RM e claro está a sua presença nas meias-finais desta edição do Open da China.

 

Meias-Finais

(à melhor de 11)

H

J

N

RM

J

N

RM

07:00

Hossein Vafaei

IRA

64

Mark Williams

GAL

22

 

RA

5-4 Dechawate

5-2

Joe Perry

5-4 Woollaston

5-3 McLeod

5-3

Trump

 

 -

 

 -

5-3 Xintong

5-1

Z. Anda

5-2

Holt

5-4 Higgins

5-1 Murphy

 

 -

 

 -

12:30

Kyren Wilson

ING

14

Mark Selby

ING

1

 

RA

5-2 Georguiou

5-3 Guodong

5-2

S. Lam

5-2 Bingham

5-1

JunhuI

 

 -

 

 -

5-3 Stefanow

5-0 Burden

5-1 O’Donnell

5-4 Higginson

5-1 Maguirte

 

 -

 

 -

(RA: Ronda Anterior H: Hora RM: Ranking Mundial)

 

Na segunda meia-final que poderia muito bem ser a final com o líder do RM, atual Campeão do Mundo e 3X finalista do Open da China (vencendo em 2015 e perdendo na final em 2011 e 2013) Mark Selby, a defrontar o também inglês Kyren Wilson: outro jovem prometedor (25 anos), mas dada a sua origem com uma pedalada muito superior ao do seu colega iraniano. A demonstrá-lo a sua vitória no Masters de Shangai (15/16), a sua participação este ano na final do Open da Índia e a sua sétima participação numa meia-final – a do Open da China de 2017.

 

(imagens: worlsnooker.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:49
Quinta-feira, 30 DE Março DE 2017

Snooker – Open da China 2017 (8)

Com um prémio de presença nas Meias-Finais de 21000£, um prémio de presença na Final de 35000£ e finalmente um prémio para o Vencedor de 85000£, o que se pode concluir para além do aspeto financeiro é que já nada se alterará até à disputa do Mundial no que diz respeito aos 3 primeiros do RM e que ainda existe uma réstia de esperança de Williams e de Maguire de entrarem nos 16 melhores – se vencerem o Open.

 

2017Mar28104025_632218496.jpg

Os 4 Favoritos

Ding Junhui

(em rota de colisão com Mark Selby)

 

Oitavos-de-Final

P

J

F

J

.

P

J

F

J

1

Trump

5-3

Pengfei

.

5

Bingham

2-5

Wilson

2

McLeod

3-5

Vafaei

.

6

Joyce

3-5

Junhui

3

Murphy

5-1

White

.

7

Wells

1-5

Maguire

4

Williams

5-4

Higgins

.

8

Higginson

4-5

Selby

(P: Partida J: Jogador F: Frame)

 

Com os quartos-de-final do Open da China já no horizonte seis europeus e dois asiáticos têm marcado para amanhã quatro encontros que decidirão quais os 4 melhores jogadores a disputarem as meias-finais: para quatro deles na sua luta particular pela primazia no Snooker Mundial (Selby, Trump, Junhui e Murphy) e para os outros quatro com todos eles a tentarem ganhar a sua primeira prova na temporada de 2016/17 (Wilson, Williams, Maguire e Vafaei) – no caso de ser Williams ou Maguire dando entrada direta nos quadros do Mundial de Snooker.

 

maxresdefault.jpg

Os 4 Favoritos

Judd Trump

(em rota de colisão com Shaun Murphy)

 

Quartos-de-Final

H

J

N

RM

F

J

N

RM

07:00

Judd Trump

ING

2

-

Hossein Vafaei

IRA

76

07:00

Shaun Murphy

ING

5

-

Mark Williams

GAL

22

12:30

Kyren Wilson

ING

14

-

Ding Junhui

CHI

4

12:30

Stephen Maguire

ESC

24

-

Mark Selby

ING

1

(H: Hora N: Nacionalidade RM: Ranking Mundial)

 

Na 3ªronda disputada esta quinta-feira com Shaun Murphy e Stephen Maguire a apurarem-se com relativa facilidade, ao contrário de Mark Selby e de Mark Williams tendo ambos de recorrer à negra para assim seguirem em frente. E com a deceção a ser Stuart Bingham (eliminado) e o favorito Judd Trump (talvez um mero palpite). Com o jogo de maior cartaz destes quartos-de-final a ser o que oporá o jogador da casa Ding Junhui ao inglês Kyren Wilson (o tal que eliminou Bingham por 5-2).

 

477318226.jpg

O Intruso

Hossein Vafaei

(tendo pela frente nada mais nada menos que Judd Trump)

 

Entretanto na sua partida com o chinês Tian Pengfei (que venceu por 5-3) o inglês Judd Trump além de garantir para já 12500£ por atingir os quartos-de-final da prova, junta desde já ao seu pecúlio (se entretanto ninguém mais fizer o mesmo) 2000£ por atingir o máximo de pontos numa só entrada e outros 30000 por ser precisamente o máximo (a 3ªvez que o jogador o faz na sua carreira): 147 pontos. Ou seja num total acumulado de 44500£ (num total possível só para Trump e se o mesmo vencer de 117000£ – quase 135000 Euros).

 

[Transmissão no EUROSPORT]

 

(imagens: livesnooker.com/youtube.com/google.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:12
Quinta-feira, 30 DE Março DE 2017

A Questão de Tremer

O primeiro sismo registado e referido a 30 de Março (quinta-feira) verificou-se pelas 00:08 no norte da Califórnia com um pequeno sismo de M2.2 – na sequência de outros 6 de M2.6/4.2/2.6/5.7/3.3/2.0 registados ontem e de outros 3 de M2.9/3.0/4.3 registados hoje (e com os 4 últimos sismos referidos a Portugal e ocorridos todos ontem a serem, um de M2.2/1Km E de Vendas Novas, outro de M2.1/17Km N de Évora e ainda outros dois de M5.0 e M4.8/Açores sensivelmente no mesmo local).

 

Se olharmos para um mapa mostrando a atividade sísmica a nível mundial, é bem visível o lado oriental do Y que se estende através do Anel de Fogo do Pacífico e o lado ocidental do mesmo estendendo-se até à região do Mediterrâneo. Com a ponta inferior do Y bem assente sobre a Nova Zelândia (logo ali ao lado da Austrália). Um mapa carregadinho de pontos e carregadinho de muitos e fortes sismos (muitos deles de M> 5.0) – sobretudo decorando o Anel.

 

TWORLD.2weeks.jpg

Mapa mundial de sismos

(registados hoje 29.03 até às 22:10)

 

Sendo um corpo movimentando-se no interior de um Sistema fictício cuja estrutura obedecerá certamente a determinados parâmetros, uns conhecidos e outros não, a Terra terá forçosamente de se integrar no conjunto restrito dos Organismos Vivos que por vezes, talvez por acaso talvez por necessidade, surgem nestes intervalos de transformação que polvilham o Universo – dando-lhe um certo grau de consciência coletiva (para o melhor e para o pior bem presente no Homem) e obviamente um sentido para sujeitos e objetos (pelo menos para nós e para o resto, réplicas do mesmo molde): pelo que se neste corpo celeste convivem em harmonia e simultaneamente componentes Minerais e componentes Orgânicos, esta evidência de algo mais (a que chamamos Vida) só poderá resultar não só de fatores externos como também de outros fatores mas neste caso internos.

 

S1.jpg

A falha de Kekerengu

 

E se no caso do planeta Terra este tenha sofrido a influência de agentes ambientais externos no decurso do seu movimento agregando matéria e dando-lhe forma (criando de fato as condições para a existência de Vida) – maioritariamente oriunda de impactos, da ação dos raios solares e ainda dos raios cósmicos – nunca poderemos esquecer os efeitos provocados na Terra e à sua superfície (manto exterior e crosta terrestre) pelas poderosas forças oriundas do seu interior (núcleo interno) e que sempre se repercutem no ecossistema terrestre: com o poderoso campo eletromagnético gerado no interior da Terra e propulsionado a energia solar e a energia cósmica (energias renováveis) por uma máquina extraordinária (e que nos inclui), a juntar energia e matéria e conjugando movimento dando-lhe relevância evolutiva e capacidade criativa, por simples transformação e constante adaptação (a sucessivos cenários).

 

S2.jpg

Num deslocamento de terras na ordem dos 10m x 2m (H/V)

 

Assim sendo importante o estudo da atividade sísmica (assim como vulcanológica), da sua evolução e até dos modelos (como os da previsão pela descoberta das causas e do conhecimento dos seus efeitos), pois será esta que debaixo dos nossos pés dará forma ao nosso território e ao nosso primeiro e talvez único lar. Com um desses pontos de interesse da crosta terrestre a ser o Anel de Fogo do Pacífico, uma região de intensa atividade vulcânica e constantemente sujeita a abalos sísmicos, alguns deles de grande magnitude: apanhando ilhas como a Nova Zelândia, todas as outras a norte da Austrália (como a PNG, a Indonésia e as Filipinas) e indo até ao Japão, terminando e fechando o círculo ao longo de toda a costa norte e sul-americana. 40000Km de extensão da crosta terrestre existente à superfície ou submersa, numa maioria da sua quilometragem estando debaixo de toneladas de água do oceano Pacífico, mas ainda numa percentagem apreciável da sua superfície (cobrindo uma boa área com várias ilhas), com cada uma delas sobrepondo-se à linha imaginária do Círculo de Fogo e acompanhando-o no seu caminho (no mínimo) turbulento.

 

S3.jpg

Desnível positivo registado junto ao mar

 

Com um Evento geológico ocorrido nesta região e envolvendo fortes movimentações das placas tectónicas aí presentes e interagindo entre si (em diferentes meios, direções e profundidades), a dar origem a um fenómeno destrutivo (especialmente para as nossas infraestruturas) como o ocorrido em 13 de Novembro do ano passado na Nova Zelândia atingida por um violento sismo de M7.8 na escala. Num local de confluência de placas tectónicas umas erguendo-se outras afundando-se (sobre a superfície), por vezes colidindo violentamente entre si e por processos de interação e de replicação provocando movimentos de terra mais ou menos intensos (conforme a velocidade de propagação, a sua intensidade e ainda a confluência ocasional de processos semelhantes e como que encadeados), no caso deste Evento tal a sua dimensão, tantas as falhas associadas, atuando ao mesmo tempo e como que em cadeia (logo umas 6/12), mesmo não provocando grandes vítimas (2) e para lá dos grandes estragos (materiais), ter provocado alterações geológicas e topográficas no território da Nova Zelândia (à vista ou submerso): com zonas a erguerem-se sob o mar e outras sujeitas aos tsunamis subsequentes, a serem invadidas e a serem minadas ou progressivamente afundadas.

 

S4.jpg

Numa área do litoral anteriormente submersa

 

Uma ilha do Pacífico que em 22 de Fevereiro de 2011 já tinha sido atingida na mesma região por um sismo de M6.3, apesar de menos intenso provocando 200 mortos e destruindo entre outras a localidade de Christchurch localizada nas proximidades do epicentro. Integrada no Círculo de Fogo do Pacífico – certamente a região da Terra com maior atividade sismológica e vulcânica à superfície do nosso planeta e sobre a qual assentam alguns territórios completamente rodeados de água (e de uma forma ou de outra melhor ou pior consolidados na crosta terrestre) – e aí incluindo ilhas como a Nova Zelândia, a PNG, Timor-Leste, as Filipinas, a Indonésia, o Japão e as Aleutas (entre outras). Sugerindo que se tal como no passado certas regiões da superfície terrestre se alteraram radicalmente a nível geológico e topográfico, umas afundando-se outras surgindo acima do nível da água do mar, tal como numa panela cheia de água a ferver a tampa que a cobre também condiciona o seu interior – como consequência criando uma zona limite sendo propícia a eventos mais radicais e extremos – um dia e num determinado cenário (mas expetável) essa tampa poderá saltar, alterando toda a paisagem e com ela levando a ilha (como terá acontecido com a Atlântida, fosse Ilha ou Continente – ou parte dele).

 

(imagens: emsc-csem.org e GNS Science/watchers.news)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:32
Quarta-feira, 29 DE Março DE 2017

Snooker – Open da China 2017 (16)

Ainda com todos os seis cabeças-de-série (e simultaneamente os seis líderes da tabela do RM) vivos e em competição: com Judd Trump à cabeça (vencedor no ano passado do Open da China), logo seguido de Mark Selby (atual Campeão do Mundo e líder do RM) e com outros à espreita (talvez como Bingham ou Junhui).

 

Mark_Joyce_Snooker_UK_2012.jpg

Mark Joyce

(Inglaterra/33 anos)

Melhor participação (última) – QF Masters da Alemanha 2015/16

51ºRM

 

Com uma diferença de fusos horários entre Lisboa e Pequim de 7 horas (mais tarde na capital chinesa) decorre hoje a partir das 07:00 de Lisboa a 2ªronda do OPEN da CHINA (a 2ªsessão inicia-se às 12:30 (de lisboa). Pelo que durante a tarde desta quarta-feira se ficará a saber quais os dezasseis jogadores que durante mais 3 eliminatórias lutarão por atingir a final da prova para aí discutirem entre si a conquista do troféu ainda na posse de JUDD TRUMP (vencedor em 2016 batendo na final Ricky Walden – ainda em prova).

 

hqdefault.jpg

Hossein Vafaei

(Irão/22 anos)

Melhor participação (última) – QF Open Irlanda Norte 2016/17

76ºRM

 

Na contabilidade para o RM com os participantes na 3ªeliminatória a ganharem entre 6500£ (eliminados) e 8000£ (apurados) – um fator importante já que as £ ganhas correspondem a pontos para o RM. Desse modo e no decorrer do Open da China, além de se ir podendo apostar no mais provável vencedor desta prova, também se decidindo alguns duelos particulares entre grupos de jogadores: sendo o mais importante o travado por Gould, Walden, Williams, Holt e Maguire tentando integrar (último folego) os 16 melhores do RM.

 

Resultados dos jogos da 2ªronda (16):

 

P

 

J

F

J

F

P

J

F

J

F

1

Judd

Trump

5

Eden Sharav

0

9

Stuart Bingham

5

Noppon Saengkham

2

2

Tian

Pengfei

5

Martin Gould

3

10

Kyren Wilson

5

Sanderson Lam

2

3

Mike

Dunn

3

Rory McLeod

5

11

Mark

Joyce

5

Ronnie O'Sullivan

4

4

Ben Woollaston

4

Hossein Vafaei

5

12

Zhou Yuelong

0

Ding

Junhui

5

5

Shaun Murphy

5

Gary Wilson

1

13

Daniel Wells

5

Matthew Stevens

2

6

Allister Carter

3

Michael White

5

14

Li

Hang

3

Stephen Maguire

5

7

Michael Holt

2

Mark Williams

5

15

Andrew Higginson

5

Ricky Walden

4

8

Mark

Davis

2

John Higgins

5

16

Martin O´Donnell

1

Mark

Selby

5

(P: Partida J: Jogador F: Frame)

 

Concluída a 2ªronda da prova:

Com a grande surpresa a vir da eliminação do inglês e penta-Campeão do Mundo Ronnie O’Sullivan (confirmando mais uma vez que algo não bate certo) às mãos do nº 51 do ranking mundial o seu compatriota Mark Joyce;

Com a confirmação da existência de duelos particulares a vir especialmente de um trio de jogadores, lutando ainda por um lugar nos 16 melhores do RM – Mark Williams, Stephen Maguire e Michael White;

E ainda com Judd Trump (5-0), Shaun Murphy (5-1), Ding Junhui (5-0) e Mark Selby (5-1) a despacharem com relativa facilidade os seus respetivos adversários, ficando-se a decisão de apuramento apenas na negra para Hossein Vafaei, Mark Joyce e Andrew Higginson.

 

Jogos relativos à 3ªronda (8):

 

P

 

J

N

RM

J

N

RM

1

Judd

Trump

ING

2

Tian

Pengfei

CHI

56

2

 

Rory

McLeod

ING

57

Hossein

Vafaei

IRA

76

3

Shaun

Murphy

ING

5

Michael White

GAL

28

4

 

Mark

Williams

GAL

22

John

Higgins

ESC

6

5

 

Stuart

Bingham

ING

3

Kyren

Wilson

ING

14

6

 

Mark

Joyce

ING

51

Ding

Junhui

CHI

4

7

 

Daniel

Wells

GAL

63

Stephen

Maguire

ESC

24

8

 

Andrew

Higginson

ING

53

Mark

Selby

ING

1

(N: Nacionalidade RM: Ranking Mundial)

 

Amanhã ficando-se a conhecer os apurados para os quartos-de-final do Open da China, em oito jogos a decorrer em duas sessões e onde a partida de maior cartaz envolverá os ingleses Stuart Bingham e Kyren Wilson – o primeiro tendo já sido Campeão do Mundo no ano de 2015 (intrometendo-se entre as duas vitórias do também inglês Mark Selby – 2014 e 2016). De momento com 13 europeus ainda em prova (8/ING+3/GAL+2/ESC) e apenas 3 asiáticos (2/CHI+1/IRA).

 

(imagens: maximumsnooker.com e virtantiq.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:35
Terça-feira, 28 DE Março DE 2017

Ainda Meio a Dormir, o Sol Falou

(De repente o Sol acordou de um repouso de muitos dias)

 

Contrariando dias seguidas sem manchas solares e com o Sol parecendo adormecido, aqueles que previam ser este mais um momento de confirmação da fase fraca do ciclo solar, vêm-se agora perante três manchas solares em crescimento e por sinal bem ativas: e se uma delas irá desaparecer (pelo menos temporariamente devido à sua posição e à rotação do Sol – AR 2646) já as outras duas para além do seu crescimento estão neste momento viradas para o lado onde está o nosso planeta (AR 2644 e AR 2645).

 

star-ch-and-ar-map-march-26-2017.jpg

Sol

(26 de Março de 2017)

 

On Sept. 2, 1859, an incredible storm of charged particles sent by the sun slammed into Earth's atmosphere, overpowered it, and caused havoc on the ground. Telegraph wires, the high-tech stuff of the time, suddenly shorted out in the United States and Europe, igniting widespread fires. (space.com)

 

Neste momento com a mancha solar AR 2645 a ser a mais ativa, com explosões na sua coroa a produzir a ejeção de elevadas quantidades de energia solar (raios-X) atingindo níveis da classe C5 (de qualquer das formas sem consequências negativas para a Terra). E com a mancha solar AR 2644 ainda pouco ativa mas podendo ultrapassar nesse aspeto e brevemente a outra mancha virada para nós, já que apresenta a grande possibilidade de produção de chamas de classe M (devido à presença no campo magnético de raios beta/gama).

 

aHR0cDovL3d3dy5zcGFjZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMDAwLzAwNC

Sol

(4 de Janeiro de 2002)

 

If a storm that severe occurred today, it could cause up to $2 trillion in initial damages by crippling communications on Earth and fueling chaos among residents and even governments in a scenario that would require four to 10 years for recovery. For comparison, hurricane Katrina inflicted somewhere between $80 billion and $125 billion in damage. (space.com)

 

Com os parâmetros dos raios emitidos pelo Sol e atingindo a Terra a poderem aumentar na sua intensidade e efeitos (provocando mais auroras e aumentando as interferências nas radiofrequências) nestes próximos dias (especialmente hoje e amanhã) e com o vento solar a atingir uma velocidade na ordem dos 700Km/s (a esta velocidade demorando 60 horas a atingir-nos). Convindo recordar que apesar de uma mancha estar virada para o lado da Terra, tal não significa que uma chama solar (ou então uma CME) a pudesse atingir, podendo passar obviamente ao lado da mesma.

 

Olhando só um pouquinho para trás (28 anos) podendo-se recordar 1989 (em que uma forte CME deixou 6 milhões de pessoas sem luz no Canadá), 2012 (em que uma poderosíssima CME passou mesmo ao lado da Terra, atingindo-a, podendo ainda hoje estarmos confrontados com o desastre) e o ano de 2014 – e no que a NASA afirmou na sequência deste último Evento (com o Sol emitindo poderosas CME): de que a Terra teria 12% de probabilidade de ser atingida por uma grande CME nos próximos 10 anos (2014/24).

 

(imagem: watchers.news e space.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:18
Terça-feira, 28 DE Março DE 2017

Snooker – Open da China 2017 (32)

A caminho do Campeonato do Mundo de Snooker de 2017 a disputar em Sheffield (ING) de 15 de Abril a 1 de Maio, jogou-se hoje a 1ªronda da penúltima prova do Circuito Mundial de Snooker o OPEN da CHINA. Com as maiores surpresas a serem a eliminação de Anthony McGill (ESC), Liang Wenbo (CHI), Joe Perry (ING), Robert Milkins (ING) e Mark King (ING).

 

1ºronda do Open da China

C7717VYX0AInQCq.jpg

Eden Sharav

(94ºRM/ESC)

Na 2ªronda em confronto com Judd Trump

 

Entre os 32 jogadores apurados para a 2ªronda com 14 deles integrando os 24 melhores do RM (logo à cabeça com os 6 melhores do RM liderados pelo inglês Mark Selby) e dos restantes 18 com o menos pontuado no RM a ser o escocês Eden Sharav (96º). Com a 2ªronda a decorrer amanhã (quarta-feira,29) a apresentar alguns confrontos interessantes:

 

J

N

RM

J

N

RM

Shaun

Murphy

ING

5

Gary

Wilson

ING

44

Allister

Carter

ING

10

Michael

White

GAL

28

Michael

Holt

ING

23

Mark

Williams

GAL

22

Mark

Davis

ING

36

John

Higgins

ESC

6

Mark

Joyce

ING

51

Ronnie

O'Sullivan

ING

13

Zhou

Yuelong

CHI

37

Ding

Junhui

CHI

4

 

Com os jogadores eliminados nesta 2ªronda a receberem 6500£ e com os 16 apurados a receberem respetivamente 8000£ ou 12500£, caso sejam eliminados na 2ªronda ou passem aos quartos-de-final. Uma questão importante para alguns dos jogadores ainda presentes nesta prova, tentando ainda integrar a lista dos 16 melhores do RM (com entrada direta no Mundial). Sendo eles Martin Gould (ING), Ricky Walden (ING), Mark Williams (GAL), Michael Holt (ING) e Stephen Maguire (ESC) – e para tal tendo no mínimo de atingir a final do Open da China.

 

Com o maior contingente de jogadores presentes em Pequim e continuando ainda em prova (num total de 32) a serem oriundos das Ilhas Britânicas (19/ING+4/GAL+3/ESC=26) e com os restantes oriundos da Ásia (4/CHI+1/TAI+1/IRA=6): ou seja com os jogadores ainda em prova e disputando o Open da China na universidade da capital do país Pequim, a falarem esmagadoramente língua inglesa: 81%. Veremos quantos sobram no final de quarta-feira.

 

[O Open da China é transmitido na EUROSPORT]

 

(imagem: worldsnooker.com)

tags: ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:09
Terça-feira, 28 DE Março DE 2017

And If We Are Trash?

O que pensaria um Extraterrestre ao chegar à Terra, sabendo que seres minúsculos caraterizados pela violência e prepotência sobre a sua própria raça (equiparando-a e equiparando-se a zero), se autodenominavam como Excecionais?

 

23-trump-aliens.w710.h473.jpg

Donald Trump Would Make a Great President

If Aliens Attack Earth

 

“So when the murderous, chittering insectoids from Planet X come calling with their laser drills, are you telling me you don’t want this guy leading the charge for Team Planet Earth? Are you pretending that you wouldn’t thrill to the vision of Earth’s own Cheeto Jesus building that wall or electrified force dome or other impractical giant apparatus that will protect us all from the rampaging hordes of intergalactic assassins? Think about it: A fictional invasion by soulless anthropomorphic kill-monsters from outer space is the one scenario — perhaps the only scenario — in which the prospect of President Trump seems entirely reassuring. Do your worst, Mars, because we’re Earth, and we’re going to win. We’re going to win so much.” (Adam Sternbergh/vulture.com)

 

Após a inesperada vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais norte-americanas de Novembro de 2016 (já lá vão 4 meses e com os Democratas a conseguirem até ao momento fazer-nos pensar que as eleições ainda não se realizaram), apanhando completamente desprevenida a elite na altura fazendo-se passar como representante do verdadeiro poder nos EUA (nem sequer lhes dando tempo para se orientar e pondo em causa a vida económica e financeira da candidata derrotada, da sua família, fundação privada e associados), a única lição que daqui poderemos tirar é de que o poder já não está no Estado e muito menos nos seus representantes – mas efetivamente nas estruturas que suportam as Corporações. Apoiando-se (as Corporações) no Homem mas descartando-se dele sem remorsos e digerindo-o no decorrer do processo – tornando-o irreconhecível mas fazendo parte do todo. E abalroada a Pirâmide com a descida da plataforma (de milionários), vendo-se os parasitas correrem gritando salve-se quem puder. E assim, enquanto a areia desce inexoravelmente na ampulheta e para adiarmos o fim, invertemos o artefacto logo ali fazendo o pino – e logo ficando eretos. Batendo com a cabeça no chão, partindo o tempo sem solução e sem tempo de recuperação.

 

Like Trash, Like Shit.

 

(legenda e imagem: vulture.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:12
Terça-feira, 28 DE Março DE 2017

Serpentes Marcianas Acomodando-se ao Meio Ambiente

Sob a ação do Sol e dos Ventos os seres minerais vão-se movimentando na superfície de Marte – adaptando-se e propiciando o aparecimento de uma nova fase evolutiva (concessionada pela sua capacidade de se transformar). Certamente replicada tanto no Espaço como no Tempo (já que o adotamos como um parâmetro real) – e de que somos testemunhas, além de exemplo prático.

 

Quando constante e inconscientemente se olha para uma natureza morta,

E lá procuramos incessantemente e contra toda a lógica (que a define)

Algum tipo de modificação ou de outro tipo de movimento (o que diferencia um ser vivo de outro morto) que a confirme

Ou no mínimo que a sugira (como se vê com a questão do tempo sempre presente),

A justificação clínica será certamente o de uma perturbação (mineral/biológica, física/mental),

Talvez acompanhada de um período demasiado extenso de reflexão e de alguma imaginação (extrema, tornando-se incontrolável e mesmo muito perigosa):

Como se ainda soubéssemos como fazer para pensar e evoluir (o que é na realidade pensar, para que serve e como o fazer tendo tão pouco tempo disponível).

E já hoje decidindo por não pensar, optando inopinadamente por não existir.

 

PIA21571.jpg

1

Marte

Sonda orbital MRO/Instrumento de observação HiRISE

 

A mais de 70 milhões de Km de distância, localizado num Mundo Alienígena e pelos habitantes da Terra sendo considerado como um Planeta Morto, somos por vezes surpreendidos pelas formas que a partir daí nos são apresentadas, na sua configuração, diferentes tonalidades e sua disposição no terreno, imediatamente nos fazendo disparar qualquer coisa dentro de nós dizendo-nos haver algo de comum entre o que todos os dias vemos por aqui (na Terra) e as imagens que nos vão chegando de lá (de Marte):

 

Numa sensação de tal forma intensa e intrusiva que certamente haverá algo de idêntico ou de semelhante entre estes dois corpos celestes, integrando o mesmo Sistema, rodeando a mesma estrela e tendo o mesmo conjunto em comum – serem os dois planetas (interiores) e ainda-por-cima vizinhos.

 

PIA21571_fig1 D.jpg   PIA21571_fig1.jpg

Marte

(Hemisfério Sul – Dunas – Hellas Planitia)

 

Com estas dunas a situarem-se no Hemisfério Sul de Marte a ocidente da baía de impacto conhecida como HELLAS (uma zona de grande proliferação de paisagens dunares):

 

Tendo como uma das suas principais características a sua cor escura (devido à sua composição), estando dispostas sobre esta região da superfície marciana em torno das suas muitas crateras (assim como no seu interior) e com as mesmas dunas espalhando-se pelas planícies e outras depressões a orientarem-se em função dos agentes erosivos presentes na atmosfera de Marte.

 

PIA21517.jpg

2

Marte

(Hemisfério Sul – Dunas – Cratera Russel)

 

E ainda (com):

 

O vento a ser como na Terra o agente responsável de erosão e transporte, atribuindo ao cenário movimento e sugerindo (talvez ilusoriamente) que o mesmo ainda possa estar vivo (nem que noutra realidade como a do Mundo Mineral);

 

O serpenteado dinâmico cobrindo esta região do sul de Marte a ser construído sob as forças do vento e iluminado e contrastado pelos raios do Sol – sendo visível essa orientação e a maior iluminação por reflexão (com a luz à direita e o norte para cima).

 

Em imagens (1 e 2) não referenciadas (data) e publicadas na passada 5ªfeirta (23).

 

E entretanto sugerindo (existindo movimento, existe matéria e energia) que algo de paralelo existe em Marte. Coincidente?

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:45
Segunda-feira, 27 DE Março DE 2017

Snooker – Open da China 2017

Open da China 2016

Final

Judd Trump (ING) – 10 Ricky Walden (ING) – 4

 

 

135247551_14596714735441n.jpg

Judd trump e Ricky Walden

Final do Open da China 2016

 

Iniciando-se hoje a penúltima prova do Circuito Mundial de Snooker relativo à época 2016/17 – o OPEN da CHINA – com a presença de 72 jogadores (56 já apurados para a 1ªronda, 8 vindos ainda da fase de qualificação e outros 8 por convite), disputar-se-ão esta segunda-feira (27) e terça-feira (28) além de quatro jogos entre os oito jogadores vindos da fase de qualificação e de outros quatro jogos entre os oito jogadores convidados (de onde sairão os 8 que juntando-se aos 56 darão 64), os 32 jogos relativos à 1ªronda do Open.

 

Com os três líderes do RM já definidos faltando apenas saber qual será o Vice-Líder (Trump ou Bingham já que o Líder será sempre Selby), os interesses poderão virar-se agora para mais uma tentativa do penta-campeão do Mundo Ronnie O’Sullivan de integrar o Top Ten do RM (isto se pelo menos conseguir atingir as meias-finais) e dada a ausência de Ryan Day do Open da China para a última tentativa de um grupo de 5 jogadores de o ultrapassarem na tabela e de se apurarem desde logo para o próximo Mundial (desde que atinjam a final).

 

P

J

N

£

P

J

N

£

P

J

N

£

1

Selby

ING

943

9

Robertson

AUS

366

17

Perry

ING

192

2

Trump

ING

593

10

Carter

ING

319

18

Gilbert

ING

192

3

Bingham

ING

587

11

Allen

NIRL

302

19

King

ING

190

4

Junhui

CHI

474

12

Wenbo

CHI

288

20

Gould

ING

188

5

Murphy

ING

457

13

O’Sullivan

ING

284

21

Walden

ING

187

6

Higgins

ESC

427

14

Wilson

ING

246

22

Williams

WAL

172

7

Hawkinds

ING

392

15

McGill

ESC

232

23

Holt

ING

169

8

Fu

HK

382

16

Day

GAL

215

24

Maguire

ESC

136

RM antes da disputa do Open da China

(£ em milhares)

 

Logo de início com alguns encontros interessantes e relativos ainda à última ronda de qualificação (realizada em finais de Janeiro) com Judd Trump, Liang Wenbo, Ding Junhui e Mark Selby a tentarem qualificar-se para a 1ªronda da prova todos contra adversários aparentemente acessíveis (e vencendo acedendo a uma ronda onde estarão os 64 melhores). E já incluídos na 1ºronda e com os jogos já definidos, alguns embates a seguir pelos jogadores e pelos RM envolvidos (dos 32).

 

Do grupo restrito de 15 jogadores que venceram no mínimo uma prova do Circuito Mundial de Snooker, contando ou não para o RM, destacando-se as ausências de Hawkinds, Fu, Robertson e Hamilton (todos com uma vitória). E entre os 11 restantes jogadores presentes no Open da China, com os que mais venceram a serem Selby (3), Trump e McGill (2) – ainda se podendo acrescentar Junhui (2 = 1 prova contando para o RM a outra não) e Higgins (3 = provas não contando para o RM. Mas com tudo em aberto quanto ao principal favorito: Judd Trump?

 

Michael

White

WAL

28

Yu De

Lu

CHI

47

Zhang

Anda

CHI

75

Mark

Williams

GAL

22

Stuart

Bingham

ING

3

Scott

Donaldson

ESC

67

Kyren

Wilson

ING

14

Xiao

Guodong

CHI

46

Alan

McManus

ESC

26

Mattew

Stevens

GAL

43

Stephen Maguire

ESC

24

Fergal

O’Brien

IRL

45

6 Encontros relativos à 1ªronda do Open da China

(em 32 jogos a disputar)

 

Open da China que decorrerá entre segunda-feira/27 Março e domingo/2 de Abril, com os prémios a variarem entre 4000£ (eliminados na 1ªronda) e 85000£ (vencedor) e com os mesmos (associados à tabela do RM) podendo ainda modificar algo no que diz respeito aos jogadores apurados diretamente para o Campeonato do Mundo de Snooker – a decorrer entre 15 Março e 1 de Maio (só os 16 primeiros do RM têm entrada direta no Mundial tendo os outros de se sujeitar a uma pré-qualificação de 5 a 12 de Abril).

 

(imagem: xinhuanet.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:15

pesquisar

 

Março 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
26

comentários recentes

Posts mais comentados

blogs SAPO


Universidade de Aveiro