mais sobre mim

subscrever feeds

Sábado, 30 DE Setembro DE 2017

Sondagem Legal em Albufeira

“Nem todas as Sondagens realizadas durante o Período de Reflexão são ilegais ‒ podendo-o ser sendo reais, não o sendo se Imaginárias (apesar de estes dois Mundos serem Um).”

(Em 30/01/2017 a poucas horas da abertura das urnas)

 

IMG_2303.jpgIMG_2307.jpg

 Residentes do Concelho

(freguesia de Albufeira)

 

Sem nenhuma chamada telefónica realizada a qualquer um dos eleitores ativos do concelho de Albufeira (Albufeira & Olhos d’Água, Guia, Ferreiras e Paderne), foi este o resultado da sondagem nunca antes realizada (talvez tendo sido feita unicamente a felinos):

 

P/C

%

Mandatos

PS

38

3

PSD

28

2

CDU

19

1

VIVA

12

1

CDS

3

0

(BE)

a)

a)

(PAN)

a)

a)

Responsabilidade da Sondagem: Produções Status Quo

(P/C: Partido/Coligação)

 

Realizadas as Eleições, confirmando-se as previsões (um pouco imaginativas mas mesmo assim resultando de cálculos) e certamente existindo algum Flip-Flop de ideias (tão caraterístico dos políticos), sendo 3 as possibilidades de arranjo e de maioria autárquica:

 

PS+PSD

PS+CDU

PS+VIVA

 

Em função dos resultados da Eleição de dia 1 e em função das 3 hipóteses de Governo Autárquico (4 mandatos dá a maioria), pelo passado histórico e pela necessidade de manutenção do Status Quo eliminando-se desde logo B (por envolver os vermelhos);

 

Restando assim e apenas a 1ª e a 3ª hipóteses, uma envolvendo dois Partidos a outra um Partido e uma Coligação: sendo a 1ª uma contradição (PS/PSD) e a segunda uma continuação (saindo o PSD e sendo substituído na rifa, inevitavelmente ficando PS/VIVA).

 

IMG_3015.jpg

 Dois abstencionistas em reflexão

(freguesia da Guia)

 

Como vêm e se não surgir uma grande surpresa (para os mais de 40.000 residentes de Albufeira) continuando tudo alegremente (na mesma) seja novo (Ricardo Clemente) ou não (Carlos Sousa) o Presidente. E com os outros felizes (se) vendo-se vereadores.

 

[a) Dada a falta de dados em relação a eleições anteriores (de modo a poderem ser manipulados na sondagem) e os encargos financeiros que a obtenção de tais dados poderia acarretar (tudo se paga tornando o pouco insuportável) sendo infelizmente impossível introduzir (neste lado do Espelho) o BE e o PAN. No entanto ainda podendo subtrair à CDU, oferecendo mais um animal/racional ao PS/Maioria Absoluta.]

 

(imagens: PA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:38
Sexta-feira, 29 DE Setembro DE 2017

Num Clima Geral de Pesadelo

O Genocídio de Myammar VS. Os Mísseis de Kim

 

Nada é obra apenas do Acaso, tratando-se muitas das vezes de uma simples e proveitosa resposta, a uma certa Necessidade.

 

snapshot 1.jpgsnapshot 3.jpg

snapshot 6.jpg

 A minoria étnica da Birmânia os Rohingya

(em fuga para o Bangladesh)

 

Enquanto todo o Mundo Ocidental (EUA e seus Aliados) é esmagado sob camadas sucessivas de informação deliberada e estrategicamente apontando como alvo (por alguns) a Coreia do Norte (aparentemente possuidora de armas atómicas) e o seu ditador Kim Jong-Un (um louco controlando os mísseis), a uns 3500Km de distância (para SW) no estado de Myammar (uma ditadura militar) continua extremamente ativa uma verdadeira limpeza étnica de uma minoria da sua população (a comunidade Rohingya): pelos vistos com um genocídio exercido sobre uma determinada população durante vários anos e agora atingindo um dos seus extremos (com 500.000 refugiados a fugirem da operação de limpeza levada a cabo pelos militares na região de Rakhine tentando alcançar o Bangladesh) ‒ e contando sempre com o silêncio oportunista e culpado do Ocidente ‒ a ser menos importante para toda a Comunidade Internacional (incluindo a ONU) do que as lutas de supremacia global em curso nos dias de hoje em todo o continente asiático (neste momento envolvendo os EUA e a Coreia do Norte, com este último a ser um simples intermediário tentando-se desse modo atingir a China) pelo controlo final do novo Eixo Económico e Financeiro Mundial. Por um mero acaso com a Coreia do Norte e Myammar a fazerem fronteira com a China, um tendo um ditador (por hereditariedade) no poder, outro tendo uma ditadura (militar) no poder e no entanto um atacado por Washington e o outro (curiosamente) não. E não é por ter mísseis e se falar em bombas (podendo ser químicas ou atómicas) que a Coreia do Norte será alguma vez (a) mais perigosa (até pelo seu paupérrimo poder económico apenas sendo suportada pela China) se pensarmos no Paquistão (esse sim) com mísseis e arsenal nuclear (e logo ali ao lado com a Índia seu grande adversário, regional e político e também como o Paquistão uma potência nuclear).

 

O Falhanço da ONU VS. A Perseguição dos Rohingya

 

Um país anteriormente conhecido como Birmânia (agora Myammar), governado por uma Junta Militar poderosa (e extremamente violenta) e pela aparente Líder do país e ex-Nobel da Paz Aung San Suu, nada fazendo no entanto face ao massacre (de parte) do seu povo.

 

snapshot 2.jpgsnapshot 4.jpg

snapshot 5.jpg

 Nas mãos dos Militares e do Nobel da Paz

(e da sua limpeza étnica)

 

Agora a vermos o Secretário-Geral da ONU o português António Guterres a vir declarar mais uma vez ao Mundo o que se passa atualmente em Myammar (antiga Birmânia), com os Militares no Poder perseguindo uma parte da sua população numa limpeza étnica e cometendo genocídio (com as localidades a serem destruídas e os seus habitantes pondo-se em fuga a única forma de não serem mortos), justificando as suas ações como sendo um ato normal e legal para expulsar grupos referidos como de imigrantes ilegais (os chamados bengalis): num condicionamento económico-social imposto pelo poder Militar a toda a sociedade birmanesa, levando alguns dos seus cidadãos já marginalizados ou descontentes (com a grave situação social, económica e moral no seu país) a esquecerem os seus verdadeiros vilões (a Junta Militar) e a optarem por outros ainda mais desprotegidos do que eles ‒ da fronteira ou do interior, naturais ou naturalizados, sendo todos birmaneses, mas pelos vistos havendo uns (sendo) mais (birmaneses) do que outros (Vamos matá-los a todos como se fossem cães”). Uma declaração de António Guterres que em nada apaga a atitude vergonhosa assumida pela canadiana Renata Lok-Dessallien como ex-Chefe da missão da ONU em Myammar (não sendo no entanto este ato da responsabilidade do mandato do novo secretário-geral), enquanto responsável dessa missão (evidentemente de proteção das minorias) tendo sempre protegido os militares silenciando as suas atrocidades (e nunca dando ouvidos à oposição birmanesa, aos crimes dos militares e à perseguição e morte do grupo de etnia Rohingya) tentando de todas as formas fazer esquecer o conflito e assim agradando aos norte-americanos e à sua estratégia regional. Felizmente podendo não passar impune e depois de ser afastada podendo ser acusada (Myanmar: Top UN official in Myanmar to be changed/bbc.com) ‒ ao não dar prioridade aos direitos humanos (a sua função) face aos interesses da Junta (de manutenção do poder). Infelizmente por lá ter passado (até porque o mais certo será passar por outos lugares, fazendo precisamente o mesmo).

 

(imagens: BBC News)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:30
Sexta-feira, 29 DE Setembro DE 2017

Snooker ‒ Feminino ‒ UK Championship

Mundial Snooker Feminino (2ª prova)

30 Setembro 2017/1 Outubro 2017

UK CHAMPIONSHIP

(detentor: Reanne Evans)

 

a5cf63_f4bc711326a44ebaa16edf4a241b77b1~mv2.jpg

 

Com a jogadora de Hong Kong NG ON YEE a sagrar-se Campeã do Mundo de Snooker época 2016/17 (e com a líder do Ranking Mundial a ser a inglesa REANNE EVANS) iniciou-se esta nova época de 2017/18 com a disputa do PAUL HUNTER CLASSIC.

 

Campeonato do Mundo de 2016/17

 

Fase

J

N

J

N

F

MF 1

Ng On

Yee

HK

Reanne

Evans

ING

5-4

MF 2

Vidya

Pillai

ÍND

Rebecca

Kenna

ING

5-1

F

Ng On

Yee

HK

Vidya

Pillai

ÍND

6-5

(MF: Meia-Final F: Final J: Jogador N: Nacionalidade F: Frames)

 

Na disputa das Meias-Finais do Paul Hunter Classic (1ª Prova contando p/RM) além da presença de Ng On Yee e de Reaane Evans, sendo também relevante a presença da inglesa REBECCA KENNA nas duas meias-finais (além de Vidya Pillai e de So Man Yan numa MF).

 

Paul Hunter Classic

 

Fase

J

N

J

N

F

MF 1

 

Ng On

Yee

HK

So Man

Yan

HK

4-3

MF 2

 

Reanne Evans

ING

Rebecca

Kenna

ING

4-2

F

 

Reanne Evans

ING

Ng On

Yee

HK

4-1

 

No conjunto das duas últimas provas disputadas (a última da época passada e a primeira desta época) e contando para o RM ‒ e antes da realização da 2ª prova o UK CHAMPIONSHIP ‒ com Ng On Yee e Reanne Evans a serem as melhores.

 

Tabela de resultados das 2 provas

 

P

J

N

RM

V

PFD

PMF

PQF

1

Ng On

Yee

HK

2

1

1

-

-

2

Reanne

Evans

ING

1

1

-

1

-

3

Rebecca

Kenna

ING

5

-

-

2

-

 (P: Posição V: Vitória PFD: Presença Final Derrotado PMF: Presença Meia-Final PQF: Presença Quartos-Final)

 

Durante o próximo fim-de-semana (Sábado/30 SET e Domingo/1 OUT) realizando-se a 2ª prova da época com a participação de 25 jogadoras. De entre as 6 primeiras do RM estando ausentes (3): Reanne Evans, Ng On Yee e Wan Ka Kai.

 

Tabela do Ranking Mundial

 

RM

J

N

RM

J

N

1

Reanne Evans

ING

4

Laura

Evans

GAL

2

Ng On

Yee

HK

5

Pebecca Kenna

ING

3

Maria Catalano

ING

6

Wan Ka

Kai

HK

 

Abrindo uma possível porta à vitória de uma jogadora do trio CATALANO/EVANS/KENNA dada a ausência de Ng On Yee (atual Campeã do Mundo) e sobretudo de Reanne Evans ‒ apenas 11X Campeã do Mundo e talvez a melhor jogadora atual.

 

Continuando ausente do Circuito Mundial de Snooker (nesta época 2017/18) a atual Vice-Campeã do Mundo a indiana VIDYA PILLAI (31ªRM).

 

(imagem: wlbsl.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:46
Sexta-feira, 29 DE Setembro DE 2017

O Fim de mais um Cometa

Imagens (de um cometa):

Observatório SOHO

Instrumentos LASCO C3 (imagens 1/2) e LASCO C2 (imagem 3)

NASA

 

SOHO 6.jpg

 Imagem 1

 

Mais uma sequência de imagens captadas pelo Observatório Solar e Heliosférico da NASA (SOHO uma sonda espacial tendo como objetivo estudar a nossa estrela) registando os últimos momentos de um cometa na sua aproximação (final) ao Sol.

 

SOHO 1.jpg

 Imagem 2

 

Um registo obtido a partir de instrumentos óticos a bordo da sonda SOHO ‒ neste caso LASCO C2 e LASCO C3 ‒ referindo-se a esta quarta-feira (dia 27) e provavelmente a um impacto desse cometa declarando aí a sua morte.

 

SOHO 3.jpg

 Imagem 3

 

Pela dimensão do cometa e pelo brilho emitido (estando correlacionados) durante a sua trajetória (desde que aparece no canto inferior da imagem até desaparecer junto ao Sol) aparentemente sendo pequeno e não tendo escapado ao Sol (e à sua atração gravitacional).

 

(imagens: sohodata.nascom.nasa.gov)

tags: , ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:36
Quinta-feira, 28 DE Setembro DE 2017

Eleições Autárquicas em Albufeira

Com o Ambiente Político em Portugal a 3 dias das Autárquicas a sugerir pelo menos no concelho de Albufeira uma vitória do PS (ou então ‒ mas talvez menos esperada ‒ do PSD) e um vereador para a coligação PCP/PEV fazendo a alternância (ou então mantendo-se o vereador do VIVA). Sendo sim ou sendo não no dia 1 se verá.

 

camara-de-albufeira.jpg

Câmara Municipal de Albufeira

No topo-central com uma estrutura fazendo lembrar um Ovni

Podendo-nos sugerir a mesma estar cheia de extraterrestres

 

A 1 de Outubro de 2017 (já no próximo Domingo) realiza-se a 11ª Eleição Autárquica (após o 25 de Abril de 2017) em cada um dos 308 concelhos de Portugal ‒ aí se escolhendo a composição de cada Assembleia de Freguesia, de cada Assembleia Municipal e da Câmara Municipal (e dos respetivos Presidentes).

 

P/C

 

V

%

M

Obs.

PSD

 

4847

35.94

3

-

PS

4284

31.76

3

(a 563 votos do PSD)

VIVA

 

1534

11.37

1

-

PCP/PEV

1317

9.76

0

(a 217 votos do VIVA)

PP/MPT/PPM

 

347

2.57

0

-

BE

 

-

-

-

(não concorreu)

PAN

 

-

-

-

(não concorreu)

Brancos/Nulos

 

1159

8.59

-

-

Abstenção

 

13488

58.99

-

-

Resultados das Autárquicas de 2013

Nas 4 freguesias do concelho de Albufeira

(P/C: Partido/Coligação V: Votação %: Percentagem M: Mandatos Obs.: Observações)

 

No caso do concelho de Albufeira com 7 candidaturas às Eleições Autárquicas ‒ 50 vindos das Eleições para as Freguesias (4 freguesias, Albufeira & Olhos de Água, Ferreiras, Guia e Paderne) 21 para a Assembleia Municipal e ainda 7 vereadores (num total de 78 lugares) ‒ e não se conhecendo sondagens, sendo o cenário mais provável uma luta pela conquista da Câmara entre a atual maioria (PSD/VIVA) e o PS.

 

Carlos-Silva-e-Sousa_2.jpg

Carlos Sousa

O Atual Presidente

 

Com a Autarquia de Albufeira a ser a recordista de candidaturas às Autárquicas (pelo menos na Região do Algarve) e com estas a serem (para a Vereação e como Presidente):

 

Carlos Silva e Sousa (PSD)

Ricardo Clemente (PS)

Ana Vidigal (VIVA)

Manuela Jorge (CDU-PCP+PEV)

Sandra Costa (BE)

Jorge Loureiro (PP/MPT/PPM)

Isabel Machadinho (PAN)

 

Num concelho com cerca de 40.000 residentes ‒ com o número de idosos a crescer (comparando-a com a evolução dos jovens) e os alunos nas escolas a diminuírem ‒ que nas últimas Eleições Autárquicas de 2013 teve o PSD como partido vitorioso (com 4847 votantes/3 vereadores) obtendo a maioria na Câmara graças à eleição de um vereador pelo VIVA (com 1534 votantes/1 vereador): o que por pouco não foi em 2013 completamente alterado, dado o PS ter atingido o mesmo número de vereadores (com 4284 votantes/3 vereadores) do PSD e a CDU (PCP/PEV) ‒ com 1317 votantes ‒ ter estado perto de poder ultrapassar o VIVA substituindo-o na vereação e dando à Câmara uma maioria PS/CDU.

 

A/%

PSD

PS

VIVA

CDU

CDS

BE

APU

PRD

AD

FEPU

76

40/3

40/3

-

-

-

-

-

-

-

17/1

79

-

29/2

-

-

-

-

19/1

-

48/4

-

82

38/3

41/3

-

-

5/0

-

12/1

-

-

-

85

38/3

42/4

-

-

-

-

10/0

9/0

-

-

89

26/2

51/4

-

6/0

14/1

-

-

-

-

-

93

40/3

4774

-

7/0

4/0

-

-

-

-

-

97

24/2

38/3

-

8/0

27/2

-

-

-

-

-

01

48/4

36/3

-

6/0

6/0

-

-

-

-

-

05

62/5

26/2

-

5/0

2/0

-

-

-

-

-

09

67/6

21/1

-

3/0

3/0

3/0

-

-

-

-

13

36/3

32/3

11/1

10/0

3/0

-

-

-

-

-

Resultado das 11 Eleições Autárquicas realizadas em Albufeira

Desde o 25 de Abril de 1074

(A: Ano)

 

desiderio.jpg

Desidério Silva

O 2º Dinossauro de Albufeira

 

Não havendo sondagens conhecidas sobre o Concelho de Albufeira, podendo-se desde já imaginar que desde as últimas Eleições Autárquicas em que o PSD ganhou a Câmara ‒ fazendo-o ininterruptamente nas Autárquicas seguintes ‒ esta poderá ser a grande hipótese de o PS ganhar a Câmara de Albufeira e se o quiser atingir a Maioria (com ou sem coligação): realizando-se num período em que o Governo PS aparentemente ainda controla a situação (e o país político), em que não existe oposição válida e credível a este Governo (basta olhar para as intervenções ultrapassadas ‒ e sem conteúdo e reflexo na sociedade ‒ de Passos Coelho) e em que todas as circunstâncias politicas e sociais empurram inevitavelmente a Geringonça (e seus aliados) para a vitória e para a manutenção do Status Quo atual: com os Socialistas no Governo (ou nas Autarquias), BE e CDU a apoiarem (tentando também manter ou aumentar o nº de Câmaras) e PSD e PP contra (na prossecução do seu caminho suicidário para o Abismo podendo sofrer a maior derrota de sempre ‒ desde 1976).

 

Período

 

Presidente

Partido

Obs.

74/75

Romeu Santa Clara Brito

-

a

75/76

Rui Jorge da Silva Ferreira

-

a

76

Carlos Oliveira Macieira

-

a

76

Xavier Vieira

Xufre

-

a

76/79

Xavier Vieira

Xufre

PS

-

79/82

José Manuel E. dos Santos Silva

AD

-

82/97

Xavier Vieira

Xufre

PS

-

97/01

Arsénio Manuel Vieira Catuna

PS

-

01/12

Desidério Jorge da Silva

PSD

-

12/13

José Carlos

Rolo

PSD

b

13/17

Carlos Silva e Sousa

PSD

-

Os 9 Presidentes da Câmara de Albufeira desde 1974

(a: Comissão Administrativa ou de Gestão b: Interino)

 

Pelo que a 1 de Outubro de 2017 quando os portugueses forem votar nas Eleições Autárquicas, verificando-se aí se as pessoas ainda acreditam (em 2013 com 59% de abstenção) e no caso de Albufeira se querem manter tudo na mesma ou mudar alguma coisa (sabendo-se poder ser para melhor, igual ou pior mas com outros dirigentes). No fundo ou ganha o atual Presidente (Carlos Sousa) ou o candidato PS (Ricardo Clemente), sendo o mais certo só obterem maioria ou com o VIVA ou com a CDU ‒ ou então coligando-se entre eles (PSD e PS) o que dada a história passada, ninguém (para já) acredita.

 

xufre0.JPG

Xavier Xufre

O 1º Dinossauro de Albufeira

 

E com estas Eleições Autárquicas a desenrolarem-se em pleno período de Governo por parte da Geringonça ‒ o que até poderá ser uma vantagem já que o adjetivado Governo ainda lá vai governando transformando o negativo da mensagem em algo de inesperadamente positivo (e para já agradável) apenas por funcionar ‒ podendo finalmente Albufeira mudar de liderança política ao fim de 16 anos (depois de lá ter estado o PS durante 19 anos). Esperando que vença quem vença tudo não continue na mesma!

 

(imagens: postal.pt/sulinformacao.pt/alfachar.blogspot.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:17
Quinta-feira, 28 DE Setembro DE 2017

Snooker ‒ Intervalo

Em 8 provas individuais integrando o Circuito Mundial de Snooker época 2017/18 (5 contando para o RM e 3 não contando para o RM), 8 vencedores também diferentes e de 4 origens distintas: oriundos do Reino Unido (5 e com Gales em grande destaque com 3), da China (1), de Austrália (1) e da Bélgica (1).

 

Opening-a-New-Snooker-Club.jpg

 

Com a presença dos 20 melhores jogadores integrando o Ranking Mundial de Snooker, realiza-se entre 26/29 de Setembro em Inglaterra a Ronda de Qualificação do INTERNACIONAL CHAMPIONSHIP (a disputar-se de 29 de Outubro a 5 de Novembro na China) contando com a presença de 128 jogadores ‒ com um deles a tentar levar consigo (e de novo) o troféu conquistado no ano passado: o inglês Mark Selby (1ºRM e atual Campeão do Mundo).

 

RM

J

N

£/P (x1000)

1

Mark Selby

ING

1272

2

Ding Junhi

CHI

635

3

Judd Trump

ING

496

4

John Higgins

ESC

461

5

Shaun Murphy

ING

419

6

Marco Fu

HK

387

Ranking Mundial/RM

(J: Jogador N: Nacionalidade £/P: Libras/Pontos)

 

P

J

N

RM

V

PF/d

PMF

PQF

1

Luca Brecel

BEL

12

1

-

1

-

2

John Higgins

ESC

4

1

-

-

(+1)

3

Ding

Junhui

CHI

2

1

-

-

-

-

Ryan

Day

GAL

17

1

-

-

-

-

Michael White

GAL

27

1

-

-

-

6

Shaun Murphy

ING

5

0

2

-

(+1)

Jogadores c/melhor aproveitamento época 2017/18

(P: Posição V: Vitória PF/d: Presença Final/derrotado PMR: Presença Meias-Finais PQF: Presença Quartos-de-Final (+1) Prova n/contando RM)

 

E antes da fase final do Internacional Championship (na China) com os jogadores a seguirem para a Bélgica (MASTERS EUROPEU), seguindo-se um regresso a Inglaterra (OPEN de INGLATERRA) ‒ e assim se cumprindo a 6ª/7ª prova do Circuito Mundial de Snooker contando para o RM. De momento e com 5 provas já disputadas com Mark Selby a manter a liderança incontestável do RM (apesar de um mau início de época 2017/18) e com o belga Luca Brecel a ser o jogador a destacar com a presença numa Final (5 provas, 5 vencedores diferentes) vencendo-a e com a presença noutra Meia-Final.

 

(imagem: snookercrazy.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:36
Quarta-feira, 27 DE Setembro DE 2017

O Meteorito do Arizona

“Meteorite: a rock that has fallen to Earth from outer space.”

(nasa.gov)

 

snapshot A.jpg

 Bola de Fogo explode sobre o Arizona

(24.09.2017)

 

Mais uma Bola de Fogo detetada nos céus noturnos dos EUA, neste episódio atravessando o sul do Arizona pelas 03:32 UTC do dia 24 de Setembro e segundo testemunhas ao atravessar a atmosfera terrestre acabando por explodir e desintegrar-se (com o acontecimento a durar 12 segundos) ‒ uma bola brilhante movimentando-se na atmosfera, acabando por desintegrar-se e por emitir um estrondo sonoro, sendo o mesmo registado em sismógrafos localizados na proximidade de Tucson.

 

Segundo a NASA e a sua equipa de observação de Meteoros (Nasa Meteor Watch), com o objeto a entrar na atmosfera terrestre a uma altitude de 80.000 metros ‒ sobre o deserto a sudoeste de Tucson e a uma V = 150Km/h ‒ desintegrando-se pouco depois perto de Oracle (Arizona) a uns (agora) 32.000 metros de altitude (e devido ao BOOM sónico escutado e registado nos sismógrafos locais, podendo ter dado origem a outros meteoritos menores acabando por cair sobre o deserto).

 

No caso deste meteoro entrando na atmosfera (do nosso planeta), no seu trajeto atmosférico desintegrando-se (acabando por explodir devido à ação erosiva dos constituintes atmosféricos) e como consequência provocando um estrondo sonoro (através da propagação das ondas de choque sendo registado nos sismógrafos), podendo-se tratar este objeto como um pequeno fragmento de um asteroide, com cerca de 45Kg e a dimensão de apenas uns 30cm (do comprimento de um pé).

 

arizona-fireball-september-24-2017-heatmap.jpg

 Área de visualização da Bola de Fogo

(e direção de deslocação)

 

De tudo isto (o asteroide vindo do espaço que deu origem ao fragmento e a Bola de Fogo daí resultante ao entrar na nossa atmosfera) concluindo-se que se um fragmento de tão diminutas dimensões (30cm) pode dar origem a um cenário como o verificado a 24 de Setembro no Arizona (explosão, estrondo sonoro, registo sismográfico e possíveis mas irrelevantes impactos) ‒ e nem sequer se analisando outras características importantes do objeto como a sua densidade ‒ um outro objeto um pouco maior, provavelmente com maior densidade, com uma velocidade mais elevada e um determinado ângulo de entrada (entre o oblíquo e o perpendicular), poderia ter como efeito não a mera observação de um Evento banal, mas a vivência ao vivo e em direto de um outro Evento potencialmente catastrófico.

 

Recordando os dois mais conhecidos impactos da nossa História mais recente (o incidente de TUNGUSKA em 1908 e o meteoro de CHELIABINSK em 2013 por acaso ambos ocorridos na Rússia), no caso do objeto de Tunguska com uma dimensão estimada entre 50/100 metros (3333 X Meteorito do Arizona) e no caso da Bola de Fogo de Cheliavinsk andando pelos 17 metros (566 X Meteoro do Arizona). O que nos diz que se os objetos como o meteorito de 24 podem significar o usufruto de um cenário espetacular ao atravessarem a atmosfera terrestre no período noturno (quem já não viu em Portugal e no Verão o espetáculo das estrelas cadentes), sendo um pouco maior e por ventura mais densos tudo se poderá alterar.

 

E se as colisões entre objetos de grandes dimensões (digamos 1000 metros) e a Terra são pouco frequentes (talvez de 500.000 em 500.000 anos), já noutras colisões e nela intervindo objetos com menores dimensões, poderão aparecer mais impactos (com a Terra) numa razão de 1/ano se a dimensão for de 4 metros ou de 1/5 anos se for 7 metros (neste último caso equiparando-se à energia cinética libertada pela bomba atómica de Hiroshima). Falando ainda de outros corpos celestes como o de Cheliavinsk (com quase 20 metros de diâmetro e fazendo parte dos objetos que eventualmente só atingem a Terra 2X cada 100 anos) com o mesmo a ter uma resposta bem mais poderosa ao entrar na atmosfera e ao explodir (próximo de uma região povoada) provocando uma libertação de energia mais de 30 X superior à de Hiroshima (originando uma violenta onda de choque provocando danos materiais e cerca de 1200 feridos).

 

(imagens: NASA e AMS)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:48
Terça-feira, 26 DE Setembro DE 2017

América e Ásia

[Furacões, Sismos e Vulcões]

 

A Terra terá sempre a última palavra sobre o Futuro da Humanidade

Podendo no entanto o Homem provocar a sua autoextinção

(se o nosso Webmaster o permitir)

 

América

(mas para ir dar à Ásia)

 

Vivendo no presente um período de relativa tranquilidade após a passagem de vários Furacões, de dois fortes Sismos e até de uma Erupção, a América do Norte e Central aproveita este interregno de paz e de calma meteorológica (talvez temporário), para tentar recuperar das catástrofes (climáticas) nos últimos tempos afetando (e destruindo) muitas estruturas e vidas:

 

Bali 2.jpgBali 1.jpg

 Bali ‒ Monte Agung

Vulcão Agung ameaçando entrar em atividade e colocando residentes em fuga

 

Com os territórios localizados no Atlântico na região das Caraíbas a serem os mais afetados pelos furacões criados a meio do Atlântico (e nas proximidades de África/Cabo Verde) ‒ desde as Ilhas Virgens, passando por Porto Rico, Cuba e Bahamas e deslocando-se para o golfo do México ou para o litoral este da América do Norte ‒ destacando-se entre eles o furacão Harvey (atingindo o estado do Texas) e o furacão Irma (atingindo o estado da Flórida) por serem os mais violentos assim como os mais destrutivos (em vidas e infraestruturas); aí se confirmando a fragilidade de todas as infraestruturas básicas existentes nestes pequenos territórios/ilhas (como por exemplo a tão solicitada por portugueses republica Dominicana ‒ uma ilha compartilhada com o destruído Haiti), maioritariamente dedicadas à indústria do turismo, com eventuais paraísos para o visitante usufruir, mas rodeados por zonas de brutal exploração humana onde os locais apenas servem unicamente para sobreviver (como antes se fazia aos escravos) ‒ em casas inundadas pela chuva e posteriormente levadas pelo vento;

 

Com o México entre furacões, sismos e erupções a ser o mais sofredor (simultaneamente em destruição e vítimas mortais) no meio dos vários países atingidos (por estes fenómenos atmosféricos e geológicos), levando com dois fortes sismos (M8.1 e M7.1) no espaço de poucos dias (11 dias) e ultrapassando (ou andando perto, abaixo ou acima) de umas 400 vítimas mortais (no total): com o segundo sismo atingindo a Cidade do México e apesar de menor magnitude a ser o mais devastador (se comparado com o primeiro que atingiu com maior intensidade as províncias mexicanas de Oaxaca e de Chiapas na costa do Pacífico) dada a menor profundidade do seu epicentro; um país tal como os EUA (e como todos os outros países acompanhando a costa ocidental do Pacífico, da América do Norte à do Sul passando pela Central) localizado mesmo ao lado da região do Globo Terrestre mais ativa sismologicamente e a nível vulcânico ‒ o Círculo de Fogo do Pacífico ‒ numa zona em contínua convulsão e grande agitação, tal e qual como se fosse uma panela de pressão, mas para já com a válvula de descompressão (e segurança) ainda a funcionar e sem perigo de explodir/ rebentar (saltando-lhe o anel/a tampa da panela).

 

Tudo porque a Terra está bem Viva (internamente), manifestando o seu estado (externamente) através da manifestação pública das suas movimentações (Tectónicas) e na crosta terrestre suscitando choques, sismos e erupções. No caso específico do México de entre estes três fenómenos (furacão/sismo/erupção) sem dúvida a ser o território mais atingido, como se já não lhes chegasse o seu Governo Criminoso e Corrupto (uma Marca Mexicana), os assassinatos em grupo e em cadeia (até de estudantes), o tráfico humano (e até de órgãos), de armas e de drogas e agora até o MURO ‒ contando e como sempre com a indiferença das autoridades (mexicanas que não de Trump) e de todas as Administrações anteriores (Republicana ou Democrata) na sua construção.

 

Ásia

(vindo da América)

 

O continente Asiático na sua região sul (em territórios sobre o oceano) tem a particularidade de ser povoado por ilhas e arquipélagos distribuídos pelo Pacífico (e parcialmente com a região fronteiriça do Índico) por coincidência com todos eles rodeando um dos braços do Círculo de Fogo do Pacífico. A zona geologicamente mais ativa no nosso planeta (se fosse a nível de florestas a Amazónia da Terra) e constantemente sujeita a fenómenos como sismos e erupções:

 

Bali 4.jpgBali 3.jpg

 Bali ‒ Vulcão Agung

Evacuando os animais da zona de perigo e centro de evacuação de Klungkung

 

Voltando-nos para o Continente Asiático (agora que se mantem ainda ativos os furacões Maria e Lee e o vulcão Popocatépetl no Continente Americano) e sem perspetivas (felizmente) de aparecimento de nenhum ciclone tropical nas próximas 48 horas (segundo a NOAA), com os Asiáticos neste caso os habitantes de BALI localizada a NW de Dili (a primeira uma ilha e um das províncias da Indonésia com cerca de 4 milhões de habitantes) numa distância cumprida em cerca de 1h 45mn de avião ‒ a depararem-se agora com um vulcão de novo em atividade, podendo entrar em erupção e colocar em grande risco as comunidades adjacentes (locais) como até regionais (afetando em maior ou menor grau toda esta ilha fazendo parte da Indonésia): um vulcão localizado no Monte Agung (com o mesmo nome) em linha reta distando em torno de uns 50Km (+/-) da capital da província Bali e como consequência podendo vir a afetar toda a ilha (com uma área de pouco mais de 5600Km² e correspondendo em termos comparativos a um quadrado de 75Km de lado).

 

Com os avisos sobre uma possível erupção no vulcão do Monte Agung a levar ao êxodo maciço de 75.000 pessoas (entre residentes e turistas), obrigando ao abandono de muitas localidades nas proximidades do mesmo (vulcão), numa 1ª fase da zona mais exposta (a menos de 12Km da cratera do vulcão) mas com todos os outros residentes habitando um pouco mais afastados e face a todo o alarme instalado (e constantes indicações e avisos das autoridades) a fazerem desde logo o mesmo e a fugirem para lugares mais distantes (numa das suas ultimas erupções há mais de meio século com o vulcão do Monte Agung a provocar mais de 1000 mortos). E com os habitantes da ilha sobretudo vivendo mais perto do vulcão a desejarem que o mesmo não entre em erupção (violenta) e se fique pelos pequenos espasmos (por ex. sísmicos) até agora produzidos. Uma ilha turística famosa pelas suas praias (propícias para o Surf) e pela promoção da sua elegante e bela Cultura Hindu, com cerca de 5 milhões de visitas em 2016 e com um Aeroporto Internacional servindo a capital, agora posta perante uma possível erupção e todas as suas consequências (para já com centenas de sismos, proporcionando um cenário de uma possível erupção, mas para já sem data marcada nem se sabendo se acontecerá).

 

Mais uma vez nunca se podendo esquecer que na beleza de determinados cenários (como no caso das Caraíbas agora varrida por furacões), por vezes se escondem outras coisas já não tão agradáveis: no caso das belas e paradisíacas praias da ilha indonésia de Bali, com as mesmas ocupando uma ilha detentora de um vulcão (Agung) integrando um extenso arquipélago (também pejado de outros vulcões), localizado numa região de alta sismicidade e erupções vulcânicas, em pleno oceano Pacífico e constituindo o Anel de Fogo do Pacífico.

 

(imagens: gettyimages/reuters/shutterstock/gettyimages)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:02
Terça-feira, 26 DE Setembro DE 2017

Cassini ‒ Suicídio para Preservar

“No dia da Comemoração dos 20 anos sobre a partida da sonda Cassini (da Terra tendo como destino Saturno), por imposição Humana e como medida aparente de Preservação (e tal como um preservativo), celebra-se em sua vez (porque já morreu) a missa do 30º dia (da sonda).”

 

cassini_nasabanner.jpg

 Explorando os planetas Exteriores ‒ Gigantes e distantes

 

Fazendo este ano no dia 15 de Outubro 20 anos sobre o seu lançamento da Terra (localizada a 150 milhões de Km do Sol) de Cabo Canaveral (Califórnia/EUA), a agência espacial NASA (em colaboração com os europeus da ESA e com os italianos da ASI) responsável pelo seu lançamento e posterior inserção orbital (menos de 7 anos depois) em torno do planeta Saturno (localizado a 1500 milhões de Km do Sol), decidiu antecipar a comemoração deste grande Evento Tecnológico dos finais do século XX (numa missão integrada no maior e mais caro projeto da NASA utilizando sondas automáticas para a exploração dos Planetas Exteriores ‒ com as Viking, as Voyager e a Galileu), substituindo-a por um episódio dramático (necessariamente envolvendo vítimas), potencialmente marcante (pelo choque ficando impresso na memória) e sobretudo final (obviamente mortal).

 

69_IMG001942_768.jpg

 Sonda Cassini-Huygens ‒ Ainda na Terra em 1996

 

Na cronologia de vida desta sonda automática desde que deu à luz até ao momento em que se foi (do Programa Flagship com o objetivo de explorar regiões distantes do Sistema Solar), tendo a mesma colocado nas mãos do seu Criador o seu próprio destino (um objeto inanimado não tem destino, servindo apenas um objetivo), do qual o Mesmo não abdicou, mesmo sabendo as consequências do que estava a fazer (a matar o seu próprio filho). No dia 15 de Setembro de 2017 (precisamente um mês antes do Fim) e quando os mais otimistas vivendo no final do séc. XX (e suspeitando da mesma poder funcionar 20 anos depois) certamente pretenderiam (se ainda cá estivessem) festejar esta data como um marco histórico (da História da Conquista do Espaço por sondas automáticas não tripuladas, desde o abandono das missões Apollo), com a NASA a impor aos responsáveis desta missão o suicídio da sonda Cassini basicamente por duas razões (a segunda mais importante que a primeira):

 

pia21895_impactsite_figa_finalimage_1042.jpg

 Cassini a 634 mil Km de Saturno ‒ Em 14 Setembro 2017

 

Com a energia necessária ao seu funcionamento cada vez mais perto de se esgotar/1ª razão (fonte de alimentação de plutónio dado os painéis solares terem sido postos de lado dada a grande distância de Saturno ao Sol) e mais importante ainda com a possibilidade (no fundo inevitabilidade) de se poder perder o controlo da sonda (por falta de energia e de comunicações) facultando-lhe por mera neglicência mais uns tempos de vida (em vez de a abater imediatamente) e com isso podendo no seu caminho (desconhecido) encontrar outros Mundos (por exemplo como a preservada lua Encelados com os seus potenciais oceanos) contaminando-os (apesar de não convincente sendo para alguns uma razão para a concretização de um momento para eles espetacular) ‒ e daí THE GRAND FINALE.

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:54
Segunda-feira, 25 DE Setembro DE 2017

Anomalia

Olhando para a Terra tal como ela seria se não estivesse (como hoje) recoberta por Atmosfera, Água e Vida (menos redondinha mas completamente careca como Marte), seria esta a sua forma (aqui apresentada) não muito parecida à dos seus semelhantes mais próximos (os Planetas Interiores): para cá da Cintura de Asteroides e excluindo os Planetas Exteriores/Gasosos (Júpiter, Saturno, Úrano e Neptuno) tomando como termo de comparação os vizinhos Mercúrio, Vénus e Marte (e já agora a Lua por apêndice ligada à Terra).

 

geoid2005_champgrace_2362.jpg

 Terra

(imagem: CHAMP, GRACE, GFZ, NASA, DLR)

 

Uma forma no entanto habitual para muitos dos objetos (se não todos) movimentando-se no interior do Sistema Solar, na sua circulação no interior desse Sistema Planetário tendo como centro o Sol, sofrendo os efeitos provocados pela sua deslocação através do mesmo, exercida por nuvens de material de pouca densidade (deslocando-se no Espaço), por partículas extremamente radioativas e penetrantes (como as solares e cósmicas), por campos eletromagnéticos espalhados um pouco por todo o lado (ligando o vazio à matéria como numa ligação elétrica) e até por previsíveis impactos de outros objetos na sua rota intersetando a Terra ‒ como efeito da Erosão (da Matéria), da passagem do Tempo (inevitável para o Homem mas não para a Matéria) e da componente associada (a Energia). Mas talvez que a Alma seja uma forma de Energia (formando o Trio Energia/Massa/Velocidade) podendo ser transformada até mesmo ao Infinito (ou não fosse E = MC²).

 

The-anomaly-in-the-Earths-magnetic-field-which-has

Anomalia Magnética do Atlântico sul

(imagem: ROSAT/SAAD/NASA)

 

Tudo isto e por associação (mental por necessariamente sugerida) por se falar agora com alguma insistência (e estranheza por há muito conhecida) numa Anomalia Magnética localizada no sul do oceano Atlântico, agora de novo elevada a notícia através de novos estudos incidindo sobre amostras de lavas da ilha de Tristão da Cunha (bem no meio da Anomalia do Atlântico Sul, entre a América do Sul e a ponta sul de África) ‒ tendo como investigadora Laura Roberts (do EGU/European Geosciences Union): tal como acontece em toda esta grande área estendendo-se de África (África do Sul) até à América (Brasil) ‒ atravessando todo o oceano Atlântico (sul) e aqui denominada como SAA (Soutn Atlantic Anomaly) ‒ com a baixa intensidade do campo magnético terrestre (e local) a refletir-se nas amostras geológicas, tanto nas de hoje (verificando-se que o fenómeno persiste) como nas do passado (sempre com baixa intensidade magnética).

 

iStock-657653834-1.jpg

 Amazónia

(imagem: ciclovivo.com.br)

 

Persistindo o fenómeno no mínimo há uns 400 anos mas podendo ser um remanescente (parcial ou ainda intacto) de um passado distando de uns 45/90 mil anos. E como todos nós sabemos dados os fenómenos semelhantes que ocorrem nos polos terrestres (Polo Norte/Ártico e Polo Sul/Antártida) com a proteção oferecida pelo campo magnético terrestre a diminuir drasticamente podendo ser mesmo nula: nos polos como extraordinariamente noutras regiões como será atualmente o caso do Brasil (e a Argentina), com o Cinturão de Van Allen a não cumprir a função (de nos proteger das radiações mortais) abrindo um buraco no céu (as portas e as janelas de casa e logo sobre a Amazónia) e expondo-nos ao exterior (e aos seus perigos já conhecidos). Deixando-nos a pensar se na continuação do fenómeno e com a mancha (da anomalia magnética) a alastrar, algo de mais preocupante (ou drástico) se passará, podendo acarretar consequências muito mais graves (para o planeta e) para nós: deixando-nos sem proteção exterior (campo magnético terrestre) e até podendo afetar o dínamo que alimenta a Terra (ameaça interior e entre outros aspetos responsável pelo seus movimentos como rotação e translação) e a (nos) faz mexer.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:16

pesquisar

 

Setembro 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
16
18

comentários recentes

Posts mais comentados

blogs SAPO


Universidade de Aveiro