mais sobre mim

subscrever feeds

Terça-feira, 03 DE Outubro DE 2017

Donald Trump e o Tiro na Cabeça

Como é fácil de concluir para qualquer pessoa minimamente elucidada sobre o que se passa no Globo Terrestre (então tratando-se dos EUA, ainda sendo mais obrigatório esse conhecimento, dado ser a capital-sede da Polícia do Mundo), no dia em que Donald Trump afrontar o Lobby Norte-Americano das Armas (como por exemplo a NRA), estará antecipadamente a assinar a sua declaração de morte. Que se saiba algo que o mesmo não deseja (e assim mantendo-se o impasse).

 

171002110241-donald-trump-las-vegas-address-octobe

Donald J. Trump (REP)

Proposto para 2ª vítima Presidencial do Complexo Industrial-Militar

 

Para todos os oportunistas que aproveitam tudo o que lhes chega às mãos para poderem surfar a onda tornando-se protagonistas, uma das armas que a maioria deles usa até por ser da moda, associar publicidade e dar relevo ao citado, será o de pegar no Boneco associá-lo aos efeitos e apontá-lo como a causa ‒ dando cabo do Boneco e sob um estridente aplauso ocupando o seu lugar: sem ninguém se aperceber da réplica do Boneco ou de outro fantoche qualquer (já que nunca foi o Boneco a deter o Poder, mas evidentemente quem lhe dava o movimento).

 

No caso mais recente passado nos EUA, neste fim-de-semana e mais precisamente no último 1º de Outubro (num Domingo à noite), com um atirador a parir de um 32º andar de um hotel de Las Vegas a disparar sob uma multidão assistindo ao ar livre a um Festival de Música Country, provocando cerca de 500 feridos e quase 60 vítimas mortais. Passado o primeiro momento de desespero provocado pelo impacto deste terrível incidente, vindo logo a lume (expondo-se mais uma vez à superfície) o problema das armas e do seu fácil acesso (praticamente livre e em artigos dos mais variados).

 

hqdefault.jpg

Dwight T. Eisenhower (REP)

O 1º Presidente a denunciar o perigo do Complexo Industrial-Militar

 

E deliberadamente aproveitando a situação política (interna) reinante ‒ com os Democratas a não quererem reconhecer a derrota nas Presidenciais mesmo mais de nove meses depois, o tempo de gestação de um humano ‒ tentando de novo chamar ao ringue o Presidente (pondo-o afalar e tentando-o queimar) questionando-o sobre qual o seu lado, a Favor ou Contra as Armas. Com os proponentes de tal questão (Presidencial) a saberem muito bem qual a posição do Presidente e da Maioria Republicana (na Câmara e no Senado) ‒ a favor dos lobbies das Armas ‒ e apesar de tudo o dito, em sentido contrário vezes e vezes, repetido em todo o lado, mas nunca concretizado (mesmo pelos Democratas tão hipócritas como os Republicanos) ‒ e (mais grave ainda) afirmando os Democratas ser Contra ‒ se esquecerem de mencionar que dos 45 Presidentes da História dos EUA (lembrem-se dos mais recentes desde que estão conscientes), nenhum deles (pelo menos até hoje sendo REP ou sendo DEM) conseguiu acabar com o protagonismo das Armas e da Violência no interior da sociedade norte-americana, servindo (igualmente) de Espelho (comportamental) para todo o Mundo.

 

Nenhum deles tendo conseguido acabar com o poder absoluto do Complexo Militar Norte-Americano sobre a sua sociedade civil e como consequência sobre o Mundo Inteiro (ou não fossem os EUA e de uma forma avassaladora a maior Potência Militar Global graças às suas Impressoras e ao produto final impresso o dólar), apesar de um deles o Republicano Dwight T. Eisenhower num dos seus discursos mais famosos (referindo-se ao papel negativo do Complexo Industrial-Militar) ainda ter falado (ou permitido falar) desse Grande e Eminente Perigo para o futuro dos EUA e do Resto do Mundo (ou seja da Humanidade) e outro o ter tentado mas de uma forma mais prática (e que se revelou perigosa e mortal face ao fortíssimo oponente) aí traçando o seu destino e acabando assassinado ‒ o Presidente Democrata John F. Kennedy obviamente assassinado (a 22 de Novembro de 1966) às mãos de um comunista (Lee Harvey Oswald).

 

1024px-JFK_limousine.jpg

John F. Kennedy (DEM)

Tendo sido a 1ª vítima Presidencial do Complexo Industrial-Militar

 

Mais uma vez com a Comunicação Social norte-americana em massa e histérica a rodear o seu Presidente (impulsionada por quem os controla, DEM e REP, vendo em perigo a sua posição política até agora protegida face à chegada dos seus patrões os milionários) e a exigir-lhe uma resposta imediata, eficaz e decisiva ‒ como se tal fosse alguma vez possível: e não sendo certamente Donald Trump (sabendo muito bem o que aconteceu ao 35º Presidente norte-americano John F. Kennedy em Dallas no Texas) a pôr a cabeça no cepo esperando ser decapitado.

 

Caso contrário o problema (mental) de quem pede a cabeça de Trump poderá ser mesmo definitivo (e grave dependendo do nível social do doente e das suas capacidades financeiras para ter acesso a cuidados de saúde) e provocado por uma lobotomia interna e autoinfligida (não física para não desfigurar tornando-se a imagem anterior irrecuperável). No entanto e como sempre com os autoinfligidos a poderem retomar outro caminho, adaptando-se e reconvertendo-se (numa opção só para os privilegiados).

 

(imagens: cnn.com - Jeff Kitney/youtube.com - wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:18
Terça-feira, 03 DE Outubro DE 2017

A Um Passo dos Primeiros Confrontos?

Oficiales de la Guardia Civil piden que no se delaten sus movimientos por carretera

 

"La actual situación ante el referéndum no nos puede hacer olvidar

Que nos encontramos en alerta nivel 4"

Recuerda el capitán Javier Montes, que ha pedido la máxima difusión de su mensaje.

(elconfidencial.com)

 

1507012982_248319_1507020625_noticia_fotograma.jpg

Manifestantes em protesto em frente ao hotel onde se aloja a Guarda Civil

(Pineda de Mar)

 

Para quem ainda tem memória (cultural) da Guerra Civil de Espanha (1936/39) ‒ com Barcelona e a Catalunha a serem uma das últimas cidades e regiões de Espanha a cair nas mãos dos Franquistas (dos fascistas italianos e da pré-máquina de guerra Nazi) ‒ como preparação (e antecedendo a curto-prazo) para a II Guerra Mundial (com os Alemães e seus aliados de um lado e o Resto do Mundo do outro) ‒ opondo duas ideologias incompatíveis (Fascismo VS. Democracia) simbolizadas em dois baluartes urbanos (Madrid e Barcelona),

 

Com Madrid e Barcelona estando desde o início do conflito do lado dos Republicanos (só sendo definitivamente vencidas no 1ª trimestre de 1939) integrando democratas (do Governo da Frente popular), anarquistas e comunistas (apoiados pelas Brigadas Internacionais),

 

Lutando contra os Nacionalistas integrando Militares e forças Franquistas (apoiados pelos italianos de Mussolini e pelos alemães de Hitler) e sendo apoiados/socorridos na sua intervenção (na realidade estritamente militar tentando-se impor pelo poder das armas que não das urnas) pela máquina de guerra em preparação para o início do verdadeiro Conflito (1939/45),

 

Devido à polarização (e eternização ideológica) do conflito no período franquista e mesmo pós-Democracia (com as regiões Basca e da Catalunha a terem algum protagonismo devido à ação dos seus movimentos Independentistas), com Madrid a reconverter-se no símbolo do Franquismo/do centro de poder de Espanha e Barcelona a elevar-se a um símbolo da Democracia/da Independência da Catalunha (libertando-se do jugo castrador e prepotente da capital).

 

1507041695987.jpg

Agentes da polícia em frente ao hotel onde estão/ou estavam hospedados

(Pineda de Mar)

 

"Por favor, os pedimos que no aportéis información de los desplazamientos de las distintas unidades de policía, ya sea Guardia Civil, policía nacional, mossos o policías locales".

(elconfidencial.com)

 

Passados 78 anos sobre o fim da Guerra Civil de Espanha (e 72 sobre a II Guerra Mundial) com o conflito (já latente há muitos anos) a agravar-se e a poder atingir (infelizmente) um ponto de não retorno (podendo levar à violência, como os primeiros sintomas indicam e vindo de ambos os lados), não só pela incompetência de Madrid (com um Governo consentido, de gestão e sem poder) como pelo oportunismo dos políticos de momento à frente dos destinos de Barcelona (e talvez nem se interessando pelo resto da Catalunha) sabendo a fraqueza de Madrid (e apenas a explorando em seu benefício) e ainda-por-cima sendo liberais e de Direita (ou extrema).

 

MWN_f6caaec9-2image_story.jpg

1º Ministro da Catalunha Carles Puigdemont

(prometendo para os próximos dias a Declaração de Independência)

 

“Una parte de la población independentista está en rebelión contra las autoridades policiales tras las detenciones y registros efectuados por la Guardia Civil. Las manifestaciones de protesta frente a juzgados y cuarteles se han venido sucediendo durante los últimos días, pero Montes recuerda que el trabajo de estos cuerpos es garantizar la seguridad.”

(elconfidencial.com)

 

Neste preciso momento, depois da convocatória do Referendo (considerado ilegal por Madrid), da realização do mesmo no passado Domingo (90% pela Independência), da proclamação dos resultados (por Barcelona) e do anúncio da passagem para uma nova fase (a seguinte e talvez final) tendo como objetivo (há muito tempo proclamado) a Independência da Catalunha como país Independente e Soberano separado de Espanha, com as primeiras Forças Militares (ou Paramilitares tanto faz) a manifestarem-se e a exigirem o cumprimento dos seus direitos (pelas autoridades Governamentais sediadas em Madrid) desse modo cumprindo as suas funções (os seus deveres) e defendendo as leis e as instituições do seu país (Espanha ‒  fazendo a Catalunha obviamente parte dela). A esta hora com a Guardia Civil entregue aos bichos, sem saber o que fazer e à deriva (parecendo abandonada à sua sorte na Catalunha) e a qualquer instante num momento de irreflexão, de desespero ou até mesmo de manipulação (podendo vir dos dois lados e do que poderá vir a ser uma barricada) a poder alterar a sua filosofia (de intervenção) pegando aí em armas e podendo incendiar ainda mais uma situação já potencialmente explosiva (se os dois lados políticos continuarem a fornecer combustível).

 

(imagens/legendas: EL PAÍS/REUTERS - EL PRERIÓDICO/REUTERS - MENA FM)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:02
Terça-feira, 03 DE Outubro DE 2017

A Presença do Sol a 250 milhões de Km

Sabendo-se que na Terra todos os seus habitantes (cerca de 7,5 biliões) são expostos anualmente a um nível de radiação de 0,62 rad (e que o ser humano poderá suportar uma dose temporária perto dos 200 rad), em Marte e segundo estudos levados a cabo pelos cientistas responsáveis pela missão MARS ODISSEY, não só esse nível é 2,5X ao verificado na ISS/Estação Espacial Internacional (8 rad/ano) como quase 13X ao registado (e sentido por nós) à superfície do nosso planeta. Podendo mesmo atingir um pico máximo diário (em caso de um Evento Solar significativo) de 2 rad/dia (uma monstruosidade para a sobrevivência dos seres Humanos num ambiente hostil e mortal como Marte).

 

ega_1ms_mapcam_color_corrected_0-b.jpg

 O Planeta Azul-Mármore

A Terra a 22 Setembro 2017

(a partir da Sonda OSIRIS a 170.000Km de distância)

 

Com o planeta MARTE a 30 de Setembro deste ano a localizar-se a cerca de 249.207.000Km do Sol (com a luz emitida pela estrela a demorar pouco menos de 14 minutos para atingir o planeta) ‒ recorde-se que a Terra se localiza a 149.780.000Km (com a luz a demorar pouco mais de 8 minutos a cá chegar) eis que a sonda norte-americana MAVEN lançada em Novembro de 2013 pela agência espacial NASA com o objetivo de estudar a atmosfera marciana (e inserida em órbita há 3 anos), nos bem agora (mais uma vez e como se fosse necessário) demonstrar todo o poder do SOL.

 

PIA21855.jpg

1

Aparecimento de uma grande Aurora em Marte

(PIA 21855)

 

Numa Imagem (PIA 21857) editada a 29 de Setembro por uma das ligações da agência norte-americana NASA (photojournal.jpl.nasa.gov) utilizando os instrumentos científicos a bordo da sonda orbital MAVEN, com os mesmos a detetarem o aparecimento de uma AURORA (imagem 1) na atmosfera marciana (a diferentes altitudes) e mais relevante ainda sendo 25X mais brilhante (imagem 2) de que a maior anteriormente registada (pela sonda). Encaixando-se a intensidade dessa aurora e a data de pico máximo (12 Setembro 2017) com a intensa atividade do Sol registado no início de Setembro (emitindo chamas solares monstruosas).

 

PIA21857_modest.jpg

2

A Aurora de 12 Setembro 25X mais brilhante que a de 08.03.2015

(PIA 21857)

 

Mesmo com o planeta localizado a uma distância (do Sol) 1,66X a da Terra, com os efeitos das explorações solares (se dirigidas) a chegarem bem ativas a Marte, devido à grande intensidade das chamas (solares emitidas) e à grande possibilidade de CME (ejeção de massa da superfície do Sol). Com a luz da explosão a chegar em 14 minutos (a Marte) e no fim com os efeitos da mesma a viajarem pelo Espaço transportadas pelos ventos solares atingindo o planeta (digamos que viajando em redor de uns 500Km/s) nuns 6 dias. Apontando a explosão (registada no gráfico a 12) para o dia 6 no Sol.

 

aHR0cDovL3d3dy5zcGFjZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMDAwLzA2OS

3

A poderosa chama solar de 6 de Setembro de 2017

(da classe X 9.3/SDO)

 

O que na realidade aconteceu fazendo sobressair ainda mais os dados fornecidos pelo gráfico e simultaneamente informando-nos (e elucidando-nos) até que ponto o Sol pode influenciar o Sistema (Planetário) mesmo em regiões mais distantes (do Sistema Solar). Nesse dia 6 de Setembro de 2017 (imagem 3) e com as manchas solares AR 2673 e AR 2674 bastante ativas, com estas regiões da superfície solar a entrarem em erupção e a ejetarem para o Espaço uma poderosíssima chama solar da classe X 9.3 (sendo X a mais alta na escala). Neste caso viajando pelo espaço e 6 dias depois atingindo Marte (e originando Auroras).

 

PIA21856_modest.jpg

4

As partículas energéticas atingindo a atmosfera/superfície de Marte

(PIA 21856)

 

Concluindo-se com esta pequena análise (referida a Marte) e tendo como termo de comparação o nosso planeta (a Terra) ‒ com o mesmo a ser um planeta Vivo (com o seu motor interno a funcionar) ao contrário de Marte (sem erupções ou movimentos tectónicos visíveis) e além do mais possuindo escudos de proteção (o Cinturão de Van Allen e a nossa Atmosfera) e vida orgânica desenvolvida, organizada e inteligente (no topo estando o Homem) como o produto final pode ser tão diferente utilizando (como exemplos paralelos mas no entanto distintos) estes 2 planetas (a Terra e Marte), com um mais perto do Sol (Distância) mas no entanto muito mais protegido e seguro (duplamente):

 

aHR0cDovL3d3dy5zcGFjZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMDAwLzAyMC

5

A Terra e Marte/O Vivo e o Morto

(Terra = 2X diâmetro Marte ‒ duração dia T≈ duração dia M ‒ peso T ≈ 3X peso M)

 

Do que o outro mais distante, mas sem recurso a processos de carater preservativo (completamento exposto aos raios solares e cósmicos e ainda eventuais e periódicos impactos de objetos).

 

E com um Vivo (Terra) e o outro Morto (Marte) ‒ como os da Imagem 5.

 

No gráfico (imagem 4) indicando o número de partículas (energéticas e transportadas pelo vento solar) atingindo o planeta Marte na sequência da grande atividade solar registada no início de Setembro (com o seu pico máximo no dia 6 com uma chama solar da classe X9.3 a mais elevada) ‒ partículas atmosféricas (sonda Maven) e partículas à superfície (sonda Curiosity) ‒ com o mesmo referindo-se a 12/13 (de Setembro) evidenciando claramente um aumento bastante significativo do número de protões (em dois níveis energéticos no caso da atmosfera) tanto na atmosfera (parte superior do gráfico) como no solo marciano (parte inferior).

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:34
Terça-feira, 03 DE Outubro DE 2017

Hologramas ‒ Imperfeições e Intrusões

Reality may be just an illusion, what we see could be just one big projection of holographic anomalies. It sounds crazy but in 1997 theoretical physicist Juan Maldacena already proposed that our Universe is not real and would be merely a hologram. If our entire existence is a program then who is running the simulations?

 

Uma boa maneira de nos abstrairmos da monotonia violenta e indiferente que nos persegue (e se entranha) no nosso dia-a-dia (quotidiano) de miséria será o de esquecermos a Realidade que nos confronta e optarmos pelo Imaginário que (pacientemente) espera por nós (já com pouca esperança, perdidos que estão muitos sonhos ‒ em extensão e em compreensão).

 

light anomaly sky hologram.jpg

 Imperfeições

(anomalia no céu)

 

Pelo que uma boa alternativa aos canais oficiais de informação (comunicação e manipulação) ‒ cujos Flash (já nem sequer necessitando de ser subliminares) nos entram e saem abruptamente pelos ouvidos (sem utilizar o processador) ‒ que só transmitem a Verdade acordada por determinado Webmaster (in accordance with fact or reality), será o da opção pelo Anormal e se tivermos (sobre) capacidades pelo Paranormal.

 

E segundo este guião de trilho não definido (não indefinido por definido por alguém) e impróprio para o poder (sem estrada nem carro chegando-se a Espaço algum) ‒ surgindo (como por implosão e no meio dos destroços e levando por vezes a interpretações incorretas) inesperadamente o Homem (novo) olhando para o Outro Lado e no meio Conspirando (acreditando à falta de melhor nas Teorias da Conspiração).

 

According to Oxford philosopher Nick Bostrum it is quite possible that an advanced civilization with enormous computing power has decided to run simulations and projecting holographic displays to create an illusion and we are all living in this illusion. If that should be the case then what about the strange light anomaly in the sky filmed from an unknown location on September 28, 2017 that looks like some kind of projection which covers a part of the sky/clouds.

 

No meio infernal (tantos os cruzamentos e controles) constituído por todas as redes de comunicação utilizando todas as infraestruturas representativas do inimaginável Mundo Digital, por vezes saindo dali uma cabeça (saltando mas também puxada por nós) dando a sua opinião e (muitas vezes perdendo a cabeça) despertando a atenção: correndo sempre o risco da marginalidade efetiva (e crescente) ou então um dos imensos casos (o Normal) de sanidade mental.

 

hunter camera angelic entity (1).jpg

 Interferências

(objeto não identificado)

 

Sendo aqui a dimensão o objeto de transporte da imagem, como prova da existência, de uma outra no Espelho, num Mundo Caleidoscópico. Falando-se da nossa existência como a projeção num determinado espaço, vindo de um molde original e reproduzido indefinidamente algo no mesmo impresso (como se fosse um código genético), de um qualquer Holograma, registado numa sequência sem fim, num dos (infinitos e divinos) periféricos de Deus.

 

Com a Humanidade vivendo num Sistema Planetário (Sistema Solar) com cerca de 4,6 biliões de anos (pretensamente iniciado no Grande Estouro) e só há pouco tempo tendo a consciência da sua própria existência (ao confrontar-se com a inevitabilidade e o mistério do momento após a morte), olhando o Mundo à sua volta, para baixo, para os lados (e para dentro) e mesmo olhando para os céus, fazendo (sem o saber por drogado) de espetador estático calado na sua cadeira e olhando a projeção sem saber ser o protagonista (a hologram is a three-dimensional photographic image).

 

(texto/itálico/inglês e imagens: ufosightingshotspot.blogspot.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:03
Terça-feira, 03 DE Outubro DE 2017

Snooker/Feminino ‒ UK Championship

Neste fim-de-semana (30 Setembro/1 Outubro) desenrolou-se no Reino Unido a 2ª prova do Circuito Mundial de Snooker Feminino o UK Championship. Contando com a presença de 27 jogadoras entre elas a Campeã do Mundo NG ON YEE (CHI) e a Líder do RM REANNE EVANS (ING). Depois de uma fase de grupos (c/ 27 jogadoras) e da 1ª ronda eliminatória (c/16 jogadores), jogando-se os QF as MF e a F ‒ com os resultados a terem sido os seguintes:

 

22218218_1622322357842366_2750593696826660870_o.jp

 Ng On Yee

 

Quartos-de-Final (QF)

 

Jogo

 

J

N

RM

F

J

N

RM

1

Reanne Evans

ING

1

3 ‒ 0

Suzie Opacic

ING

8

2

Katrina Wan

HK

a

3 ‒ 0

Laura Evans

GAL

4

3

Maria Catalano

ING

3

3 ‒ 0

Paula Judge

IRL

27

4

Ng On Yee

HK

2

3 ‒ 0

Rebecca Kenna

ING

5

(J: Jogador N: Nacionalidade RM: Ranking Mundial F: Frame a: sem ranking)

 

[Com as notas de maior destaque dos QF a serem a facilidade com que as jogadoras apuradas venceram as suas respetivas adversárias (todas por 3-0) e a eliminação da galesa Laura Evans (4ªRM) face à jogadora de HK (sem ranking) Katrina Wan.]

 

Meia-Final (MF)

 

Jogo

 

J

N

RM

F

J

N

RM

5

 

Reanne Evans

ING

1

4 ‒ 0

Katrina Wan

HK

a)

6

 

Ng On Yee

HK

2

4 ‒ 2

Maria Catalano

ING

3

 

[E no quadro das MF com as jogadoras apuradas (para a Final) a serem as consideradas (previamente) como as favoritas, dado o seu currículo e o seu RM. E apenas com Ng On Yee a ter mais dificuldades em ultrapassar a inglesa Maria Catalano (4-2).]

 

16487852_1622322661175669_6969263380279212060_o.jp

 Reanne Evans

 

Final (F)

 

Jogo

 

J

N

RM

F

J

N

RM

7

 

Ng On Yee

HK

2

4 ‒ 1

Reanne Evans

ING

1

 

No 5º jogo disputado entre as 2 jogadoras desde finais de Agosto de 2016, com as duas a obterem 2 vitórias cada (1ª/4-1 e 3ª/5-4 para Ng On Yee e 2ª/4-1 e 4ª/4-3 Reanne Evans) para no derradeiro jogo (Final do UK Championship) vencer NG ON YEE conquistando o troféu.

 

Paul Hunter Classic + UK Championship

 

P

 

J

N

RM

V

PFD

PMF

PQF

1

Reanne Evans

ING

1

1

1

0

0

-

Ng On

Yee

HK

2

1

1

0

0

3

Maria Catalano

ING

3

0

0

1

1

-

Rebecca Kenna

ING

5

0

0

1

1

-

Katrina Wan

HK

s/r

0

0

1

1

(P: Posição V: Vitória PFD: Presença F derrotado PMF: Presença M-F PQF: Presença Q-F s/r: s/ranking)

 

Concluída esta prova (2ª) seguindo-se a 3ª da época contando para o RM, com a realização a 28/29 de Outubro (em Gloucester/Inglaterra) do EDEN WOMEN’A MASTERS 2017 (também com uma fase de grupos seguida de eliminatórias).

 

(imagens: facebook.com/wlbsl)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:46

pesquisar

 

Outubro 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
19
22
24
28
29
30
31

comentários recentes

Posts mais comentados

blogs SAPO


Universidade de Aveiro