mais sobre mim

Domingo, 05 DE Fevereiro DE 2017

Snooker – Masters da Alemanha – Final

GERMAN MASTERS 2017

Berlin – Tempodrom

05.02.2017

Anthony Hamilton – 9 Allister Carter – 6

 

2019276-42381007-2560-1440.jpg

Allister Carter e Anthony Hamilton

 

Allister Carter (14ºRM)

 

Tendo chegado a 10 finais desde que se iniciou como profissional de Snooker (em 1996), o inglês de 37 anos Allister Carter (atual 14º da tabela do Ranking Mundial) detinha já no seu palmarés antes do início deste Masters da Alemanha (de 2017) cinco competições importantes ganhas: sendo as mais recentes a General Cup (não contando para o RM e tendo sido disputada em Hong Kong na época 2014/15) batendo na final o inglês Shaun Murphy por 7-6 e já nesta época (2016/17) o World Open (contando para o RM e tendo sido disputada na China) batendo na final o inglês Joe Perry por 10-8. E com as outras 3 a serem: o Open do País de Gales 2009, o Masters de Xangai 2010 e o Masters da Alemanha 2013.

 

Anthony Hamilton (66ºRM)

 

Quanto ao outro inglês de 45 anos Anthony Hamilton (atual 66º da tabela do Ranking Mundial) e iniciado como profissional de Snooker vai fazer 26 anos (em 1991), o seu palmarés antes do tiro de partida para este Masters limitava-se à presença em duas finais (contando para o RM mas ambas perdidas): uma no Open da Grã-Bretanha na época de 1998/1999 (perdendo face ao irlandês Fergal O’Brien por 9-7) e outra no Open da China na época de 2001/02 (perdendo face ao galês Mark Williams por 10-6) – e tendo como última melhor participação ter atingido as meias-finais do Open da Irlanda do Norte 2015 (perdendo aí por 6-5 face ao inglês Mark Williams).

 

Masters da Alemanha 2016

 

Hoje na final do Masters da Alemanha disputado no Tempodrom de Berlin, com ANTHONY HAMILTON a bater Allister Carter por 9-6 e finalmente a conquistar o seu primeiro torneio como profissional de Snooker (e logo a contar para o Ranking Mundial). Um verdeiro prémio de carreira para um dos que já foi (e pelos vistos ainda é) um dos grandes profissionais do Snooker.

 

AH

0

0

0

1

2

2

2

3

4

5

6

7

8

8

9

AC

1

2

3

3

3

4

5

5

5

5

5

5

5

6

6

(Evolução dos FRAMES do jogo da FINAL)

 

Amanhã (2ªfeira, 6) a iniciar-se a 17ª prova da época 2016/17 e a 13ª contando para o RM de Snooker (Guido Hall/Preston/ING) – o Grande Prémio Mundial Ladbrokes 2017 – no qual participarão 32 jogadores. Uma prova que decorrerá de 6 a 12 de Fevereiro e na qual Shaun Murphy tentará reconquistar o troféu ganho no ano passado (batendo na final Stuart Bingham por 10-9).

 

(imagem: eurosport.de)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:19
Sexta-feira, 03 DE Fevereiro DE 2017

Snooker – German Masters 2017

Com os dezasseis apurados da 1ª Ronda do MASTERS da ALEMANHA a terem entrado em atividade já na tarde de ontem (com 4 jogos disputados), realizam-se hoje os restantes 4 jogos:

 

Jogador

País

RM

Jogador

País

RM

Stuart Bingham

ING

3

David

Gilbert

ING

20

Michael

Holt

ING

22

Yan

Bingtao

CHI

70

Ben Woollaston

ING

27

Barry Hawkins

ING

12

Anthony Hamilton

ING

66

Mark

Selby

ING

1

 

Estando já na 2ª Ronda (jogos realizados ontem):

 

MARTIN GOULD (19ºRM/ING) – 5-3 sobre Ricky Walden

RYAN DAY (24ºRM/GAL) – 5-4 sobre Robin Hull

TOM FORD (37ºRM/ING) – 5-2 sobre Mark King

ALLISTER CARTER (14ºRM/ING) – 5-4 sobre Zhao Xintong

 

DSC_6899.jpg

Tempodrom – Berlin

 

E com os quartos-de-final a realizarem-se hoje a partir das 20:00 locais (Berlin) – com o quadro definido da seguinte forma:

 

Masters da Alemanha

(Quartos-de-final, 3 Fevereiro – 20:00)

 

Martin GouldRyan Day

Tom FordAllister Carter

Bingham/Gilbert – Holt/Bingtao

Woollaston/Hawkins – Hamilton/Selby

 

Sábado e Domingo decorrendo as duas meias-finais e a final. Neste momento tendo ainda em prova 12 jogadores (4 nos quartos-de-final e 8 ainda a tentarem entrar nele): por nacionalidades sendo a esmagadora maioria Inglesa (10/83%), 1 Galês (16%) e 1 Chinês (16%).

 

E durante este mês de Fevereiro com mais 3 provas a realizarem-se contando para o RM Snooker: dia 6 iniciando-se o Ladbrokes World Grand Prix/Preston (ING)/Vencedor 2016 Shaun Murphy, dia 13 o Coral Welsh Open/Cardiff (GAL)/Vencedor 2016 Ronnie O´Sullivan e finalmente dia 23 o Coral Shoot Out/Watford (ING)/Vencedor 2016 Robin Hull.

 

(imagem: snookerisland.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:29
Quinta-feira, 02 DE Fevereiro DE 2017

Snooker – Masters da Alemanha 2017

Com a primeira prova do ano de 2017 contando para o Ranking Mundial de Snooker, iniciou-se ontem o MASTERS da ALEMANHA.

 

Martin_Gould_and_Thorsten_Müller_at_Snooker_Germa

Martin Gould (ENG)

Vencedor do Masters da Alemanha de 2016

 

Contando com os 32 sobreviventes da fase de qualificação, realizada entre 6 e 9 de Dezembro do ano passado (onde participaram 128 jogadores).

 

Com a lista a ser encabeçada por MARTIN GOULD/19º RM vencedor do Masters em 2016 (batendo na final LUCA BRECEL/26º RM por 9-5);

Logo seguido por MARK SELBY/1º RM atual Campeão do Mundo e vencedor do Masters em 2015;

E por STUART BINGHAM/3º RM Campeão do Mundo em 2015 (e a partir daí parecendo estar a percorrer um caminho descendente).

 

Nas 10 provas anteriormente realizadas (OPEN ou MASTERS contando para o RM ou não) apenas com dois jogadores a repetirem o feito:

JOHN HIGGINS (2 OPEN contando para o RM);

E RONNIE O´SULLIVAN (1 OPEN e 1 MASTERS contando para o RM).

 

Com os outros vencedores a serem JOHN PARROT, MARK WILLIAMS, ALI CARTER e DING JUNHUI (além dos vencedores de 2015 e 2016 já referenciados anteriormente).

 

Com o Masters da Alemanha a decorrer desde ontem (dia 1 quarta-feira) e com algumas das 16 partidas do 1º ROUND entretanto já concluídas (11 faltando 5):

Destacando-se entre essas 11 partidas iniciais a surpreendente eliminação de RONNIE O´SULLIVAN/13º RM às mãos de MARK KING/21º RM, com o recente vencedor do DAFABET MASTERS a perder logo à primeira (eliminatória) por 5-4 (na negra à melhor de 9).

 

Um acontecimento negativo para quem pretendia retornar ao TOP TEN do RM de Snooker (saindo derrotado logo na 1ª prova do ano contando para o Ranking).

 

E com os oitavos-de-final a iniciarem-se sexta-feira (para de 16 se apurarem 8) com sessões pelas 14:00 e pelas 20:00 (na EUROSPORT).

 

[Com o vencedor do Masters da Alemanha de 2016 (Martin Gould) já apurado para os oitavos-de-final – os melhores 16 – e com o finalista vencido (Luca Brecel) ausente da prova em Berlin dado ter sido eliminado logo na 1ª Ronda do torneio de Qualificação (disputado em Dezembro na Inglaterra).]

 

(imagem: Wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:50
Sábado, 10 DE Dezembro DE 2016

World Snooker 2016

2016 UK CHAMPIONSHIP

FINAL – 4 Novembro 2016

 

MARK SELBY – 10 RONNIE O’SULLIVAN – 7

 

hqdefault.jpg

Christopher Keogan

Último jogador pontuado do Ranking Mundial Snooker

(123ºRM – 1 Pontuação)

 

Terminado o campeonato do Reino Unido no passado dia 4 (com a vitória de MARK SELBY) e concluindo-se hoje as qualificações para o Masters da Alemanha (com as eliminações entre outros de JOHN HIGGINS (3º RM), JUD TRUMP (4º RM), SHAUN MURPHY (6º RM), JOE PERRY (8º RM) e KYREN WILSON (16º RM) – e já agora CHRISTOPHER KEOGAN), começa já no próximo dia 12 (2ªfeira) o OPEN da ESCÓCIA – outra prova a contar para o Ranking Mundial de Snooker.

 

RM

Jogador

Nacionalidade

Pontuação

1

MARK SELBY

Inglaterra

995

2

Stuart Bingham

Inglaterra

519

3

John Higgins

Escócia

457

4

Judd Trump

Inglaterra

447

5

Ding Junhui

China

445

6

Shaun Murphy

Inglaterra

444

7

Neil Robertson

Austrália

365

8

Joe Perry

Inglaterra

307

9

Mark Allen

Irlanda do Norte

295

10

Barry Hawkins

Inglaterra

270

 

Na tabela do Ranking Mundial com o atual Campeão do Mundo de Snooker MARK SELBY a liderar bem destacado (talvez há umas 90 semanas) a lista de mais de 120 jogadores profissionais, mas ainda não incluindo no seu TOP TEN o finalista vencido do último torneio disputado a contar para o RM, o penta-campeão do mundo RONNIE O’SULLIVAN (12ª RM – 258 Pontuação).

 

2016 SCOTTISH OPEN

12/18 Dezembro

EMIRATES ARENA – GLASGOW

 

Ficando-se assim a aguardar a chegada da primeira ronda do OPEN da ESCÓCIA (a decorrer de 12 a 18 de Dezembro em GLASGOW no ARENA EMIRATES) com 128 jogadores a lutarem por chegar à final, vencê-la e ainda receber um prémio pecuniário de mais de 80.000 Euros. A partir do qual se seguirá uma ligeira interrupção (Natal e Ano Novo). Numa prova que poderá colocar (ou não) O´SULLIVAN no TOP TEN.

 

Yan-Bingtao.jpgзагружено-750x406.jpg

Yang Bingtao/16 anos/ 70º RM e Zhao Xintong/19 anos/85º RM

2 Jovens chineses eliminando 2 jogadores do Top Ten Mundial

Masters da Alemanha de 2017 (qualificações)

 

Deixando-se aqui alguns dos resultados mais significativos das duas rondas da qualificação para o GERMAN MASTERS de 2017:

 

1ª Ronda:

(Jogos – 7 de 64)

 

MARK SELBY – 5 DECHAWAT POOMJAENG – 0

RONNIE O’SULLIVAN – 5 DARRYL HILL 4

MARK KING – 5 RHYS CLARK – 1

CHRISTOPHER KEOGAN – 5 BRANDON SARGEANT – 3

ROBIN HULL – 5 LUCA BRECEL – 3

MARTIN GOULD – 5 SANDERSON LAM – 1

BARRY HAWKINS – 5 IAN BURNS – 3

 

2º Ronda:

(Jogos –11 de 32)

 

MARK SELBY – 5 FANG XIONGMAN 0

RONNIE O’SULLIVAN – 5 GARY WILSON – 3

MARK KING – 5 ANDREW HIGGINSON – 3

ZHAO XINTONG – 5 JOHN HIGGINS – 1  

TOM FORD – 5 JUDD TRUMP – 1

YAN BINGTAO – 5 SHAUN MURPHY – 4  

JIMMY WHITE – 5 JOE PERRY – 3

JOHN ASHLEY – 5 KYREN WILSON – 4

NEIL ROBERTSON – 5 CHRISTOPHER KEOGAN – 1

MARTIN GOULD – 5 CRAIG STEADMAN – 1

BARRY HAWKINDS – 5 JAK JONES – 0

 

Entre todos eles destacando-se o apuramento para a fase final do 2017 GERMAN MASTERS do atual detentor do troféu MARTIN GOULD (com o finalista vencido por 9-5 LUCA BRECEL já eliminado) e do vencedor do NORTHERN IRELAND OPEN MARK KING (com o finalista vencido BARRY HAWKINDS também apurado) – e com o último jogador pontuado do RM CHRISTOPHER KEOGAN a ser eliminado às mãos do aparente e temporariamente desaparecido (destas lides de que era participante habitual) NEIL ROBERTSON.

 

(imagens: World Snooker)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:54
Domingo, 24 DE Julho DE 2016

O Atentado de Munique

A questão não está propriamente no atentado, mas no que levou um jovem a matar-se e de seguida a suicidar-se: ou não fosse o meio a propiciar (e provocar) a reação. Nunca se discutindo o papel fulcral do verdadeiro autor o propiciador (ou formador).

 

_90500381_9de7715a-8931-4b0b-bde7-8db6c3abf723.jpg

David Sonboly

O que poderá ter levado um jovem estudante de 18 anos e nascido na Alemanha a matar pessoas e a suicidar-se de seguida?

Quem no Ocidente o terá ensinado e quem terá ele copiado?

(outros semelhantes no Oriente também usam crianças e jovens como armas)

Nós todos sabemos que começamos a apreender imitando o que fazem os adultos!

 

“As anteriores gerações e a atual têm que compreender e interiorizar que o Estado dos Cidadãos já acabou, tendo há muito sido substituído há muito pelo Estado das Corporações: uma estrutura estritamente económica em que o Homem se transformou num mero objeto desvalorizado e de desgaste rápido e ainda por cima incómodo, improdutivo e capaz de pensar.”

 

Como é que um político eleito, responsável e minimamente decente, pode explicar aos pais de um filho, sem qualquer razão aparente assassinado a sangue frio no seu próprio país – quando num fim-de-semana se deslocava para mais umas horas de convívio e lazer com os seus amigos, num local público e necessariamente seguro e protegido – que tal incidente mais cedo ou mais tarde seria inevitável de acontecer e que a única e melhor solução seria começarmos a habituar-nos a eles, banalizando em torno da morte a nossa vida e o nosso próprio quotidiano?

 

“Numa guerra fratricida sem amigos e inimigos, onde tudo o que fala e que mexe poderá ter o mesmo destino de um dia ser abatido (como um verdeiro troféu de caça): como no caso de Munique onde entre os dez mortos para já contabilizados (mais pelo menos 35 feridos) encontramos 8 vítimas com menos de 20 anos (14 anos/3, 15 anos/2, 17 anos/1, 19 anos/1, 20 anos/1), uma com 45 anos e o próprio autor do ataque com apenas 18 anos. Um jovem alemão nascido na Alemanha (de ascendência iraniana), sem passado criminal, porventura educado e que um dia pegou numa arma matou e de seguida se suicidou!?”

 

Será que eles (os políticos) não compreendem que as vítimas destes incidentes não são coisas a serem por eles utilizadas (e invariavelmente instrumentalizadas), como se as vítimas fossem iguais a terroristas? E que como tal devem ser (as vítimas) até ao extremo defendidas pelos seus representantes legais, para tais fins e objetivos eleitos e como tal responsabilizados? Ou não será que num caso desta gravidade e dimensão e face às afirmações provocadoras dos políticos relativamente a estas situações dramáticas e mortais (e que eles próprios fomentaram com os seus negócios de Guerra e de Morte lá longe e bem escondidos), não os devemos mesmo demitir, criminalizar e prender? Para tal bastando ler uma das últimas declarações hipócritas e ignominiosas do 1ºMinistro de França (face ao brutal atentado de Nice) dirigidas a todo o Mundo, a toda a França, a todos os mortos (só em Nice mais de 80) e a todos os feridos (só em Nice mais de 300), tentando demover-nos da nossa luta (hoje já travada pela nossa sobrevivência) e a aceitarmos o indescritível (como se fosse o destino do Povo):

 

“Il y aura d'autres attentats et d'autres innocents tués.”

(Manuel Valls – 1ºMinistro Francês)

 

_90499540_mediaitem90499537.jpg

Munique

Homenagem às vítimas do tiroteio ocorrido num centro comercial da Alemanha organizado por um único jovem (que se suicidou) e matando 9 pessoas (8 deles jovens)

Um reflexo nas novas gerações da podridão em que a cobardia e inação dos adultos os deixaram cair (ainda cima sendo seus filhos)

Responsáveis? Pensem bem em quem desde sempre e como por ordem divina vocês escolheram para vos (e forçosamente nos) representar!

 

“Não percebendo por que razão e apesar de tudo o que de dramático e mortal se tem passado neste Continente (agora incluindo velhos. mães e crianças no contingente crescente de mortos, feridos e estropiados), todo o povo da Europa permaneça indiferente e apático como se nada tivesse acontecido (pondo em causa a nossa existência) – ainda-por-cima com os nossos representantes políticos e legais (mesmo que nomeados) a convidarem-nos à apatia e à mera aceitação, do nosso próprio haraquíri como gado oferecido para abate.”

 

No caso de Munique com um jovem de 18 anos aparentemente a planear um ataque durante quase um ano e a levá-lo a cabo em solitário e armado com uma pistola Glock, num restaurante McDonald’s situado no interior de um Centro Comercial – frequentado esmagadoramente por jovens muitos deles de origem estrangeira. Um jovem pelos vistos apresentando alguns distúrbios mentais (poderá ter estado no passado internado), amante de jogos de vídeo violentos, possuidor de uma arma e que terá consumado o seu plano no dia 22 de Julho de 2016 – para uns uma enorme coincidência com outro grande atentado também concretizado e dirigido por um jovem contra outros jovens (maioria dos presentes) e que levou há 5 anos atrás o norueguês Anders Behring (cerca de 30 anos) a matar quase 80 pessoas e a ferir mais de 50.

 

(imagens: bbc.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:22
Sábado, 27 DE Fevereiro DE 2016

O Estado da Alemanha

Mutter Angela – Mitfuhlend Mutter – Mamma Merkel
“Europe’s Conscience on the refugee crisis”
(Newsweek)

image-898422-thumbflex-dnjv-898422.jpgc54e366e-4c44-4c12-af01-212d41beaa08-620x522.jpegmerkel-cover.jpg

A Mãe de Todos os Refugiados

 

Se alguém quiser ter uma ideia de qual é o ambiente geral na Alemanha relativamente à sua situação político-económica, basta olhar para o gráfico apresentado pela DW (dw.com) e verificar qual o nível de satisfação da população alemã no que refere ao trabalho do seu atual Governo. Nos últimos sete meses o Governo de coligação dirigido por Angela Merkel (CDU/CSU+SPD) tem vindo sistematicamente a descer de popularidade (com exceção de um interregno de dois meses), encontrando-se neste momento nuns baixíssimos 38% (fins de Fevereiro).

 

0,,19026571_403,00.png

 

Não sendo a tudo isto estranho o facto de a Alemanha ter recebido só no ano de 2015 centenas de milhares de refugiados, oriundos maioritariamente da Síria (vizinhos da Turquia e com ligações à grande comunidade turca na Alemanha). E com a confusão na Europa a aumentar sem que se veja sequer o canudo onde se encontra o buraco de onde avistaremos a solução, é fácil de adivinhar o sentimento e a resposta de qualquer cidadão posto frente uma invasão, sem reação e sem proteção. Numa corrida impressionante de milhões em fuga desesperada da guerra e da morte, mas com a mesma sempre presente e visível no horizonte.

 

0,,19026592_403,00.png

 

Pelo que a resposta à pergunta “terá o Governo sob controlo a situação dos refugiados?” ser evidente e inquestionável (pela sua força e claridade): 81% de Nãos. O que como consequência tem levado de novo ao rápido desgaste da política do Governo alemão personificado na figura do sua chanceler e dirigente da CDU Angela Merkel, metamorfoseando-a quase que num ápice de Boa Mãe da Alemanha em mais uma mãe (mulher) das muitas outras irresponsáveis: sendo já muitos os que declaram o seu fim, o mais tardar marcado para 2017 (nas próximas eleições alemãs).

 

Partido Área
Política
Governo (Ministros)
Oposição
Eleições
2013
(%)
Sondagem
2016
(%)
Variação
+/-
(%)
CDU+CSU Centro Direita G (7+3) 45 35 -10
SPD Centro Esquerda G (6) 29 24 -5
Esquerda Esquerda O 8 9 +1
Verdes Centro Esquerda O 7 10 +3
FDP Centro Direita O 2 5 +3
AFD Direita O 2 12 +10

 

Para já com a coligação no poder a perder 15% nas últimas sondagens desde as últimas eleições de 2013 (CDU/CSU+SPD) e com a Direita (mais rigorosamente a extrema direita populista do AFD) a crescer rapidamente para os dois dígitos (num crescimento de 10%). O que não augura nada de bom para o futuro da Alemanha e da Europa inconscientemente fazendo-nos recuar 80 anos. E não vejo a locomotiva alemã com força para toda a Europa. Entretanto a Guerra aproximasse cada vez mais de nós e os exércitos de WALKING DEAD já aí estão entre nós: a Verdade está aí, só tens mesmo de Acreditar.

 

(imagens: spiegel.de – theguardian.com – europe.newsweek.com – dw.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:34
Domingo, 30 DE Agosto DE 2015

Sempre a Velha Europa e se Necessário até ao Fim

Recusando-se a olhar para si enquanto é invadida por vagas contínuas de migrantes vindas de todos os lados (e em fuga desesperada pela sua sobrevivência) e não percebendo que este fenómeno de movimentação de grandes massas humanas, poderá muito bem ser mais um dos muitos sinais do futuro incerto e talvez mesmo trágico que nos espera.

 

barbed-wire-migrant-601417.jpg

Família de refugiados oriundos da Síria tentando atravessar a fronteira entre a Sérvia e a Hungria
(fechada com arame fartado pelas autoridades húngaras de nodo a evitar a entrada na EU de refugiados em fuga – famílias inteiras e como se vê até crianças)

 

E mais uma vez a velha Europa – através de um dos mais destacados representantes deste grande continente, referenciado como um dos principais responsáveis do FMI (Christine Lagarde) – ignorando todos os factos históricos relevantes e desprezando a memória mesmo que recente dos seus povos (globalizando pelo concentraccionismo monopolista a economia e banalizando o Homem através da força bruta dos números), limita-se simplesmente a olhar hipocritamente para o lado (talvez para não incomodar o eixo estratégico Alemanha/EUA/UK, agora que ao problema russo na Ucrânia se vem juntar a crise na bolsa chinesa) e sem demonstrar grande preocupação futura com o seu trajeto escolhido e com todos os pedregulhos que polvilham essa estrada (já há muito tempo a ser percorrida e com tantas vítima – entre mortos e feridos, internos e externos – no seu currículo), olha-se diretamente ao Espelho e clona de novo a mesma imagem.

 

“Lagarde prefere reestruturação a um perdão da dívida grega”

(economico.sapo.pt)

 

Como se já não chegasse a chegada da bolha económica norte-americana à Europa (vejam como o patrão/EUA passa rápida e estrategicamente a dívida aos empregados/EU convidando-os inopinadamente ao negócio quando algo lhes corre mal) ainda tivemos o desenvolvimento da grave crise militar entre a Ucrânia e os independentistas pró-russos (envolvendo a Rússia e toda a EU, como resposta à solicitação dos EUA), a mais que anunciada bancarrota da Grécia (em que o bode expiatório foi o Syrisa com a estratégia sem alternativa e suicidária de Tsipras) e finalmente a crise profunda registada na bolsa chinesa, com fortes repercussões negativas nas bolsas de todo o mundo e nos Orçamentos de muitos dos países europeus com fortíssimos investimentos chineses mas também com défices elevados (e infelizmente ainda em crescimento). E então se pensarmos em Portugal e nos extraordinários investimentos que a China aqui fez (trabalhando com um governo português sem ideias nem iniciativas e unicamente interessado na sua sobrevivência), nem sei se deva rezar (ao Deus cristão) ou aderir ao partido (Comunista Chinês). Uma dessas foi a opção do Governo! (ou então mesmo as duas, afinal eles são dois)

 

Se eu perguntasse a alguém o que ele pensava sobre a Europa em que hoje vivemos (pondo-o ao mesmo tempo a refletir um pouco mais sobre os tempos de crise que atravessamos), provavelmente que a primeira reação que dele obteria seria de surpresa e de indiferença: surpresa porque já nem se deveria estar a colocar a questão (o processo já se iniciou há muito), indiferença porque já estava tudo traçado (previsto e por questões de segurança irreversível). Mas resolvi perguntar a um Zé que sendo velho e português (mas atento aos constantes e instrutivos casos passados na sua vida), me pediu para o elucidar de tudo num curto e simples resumo. Só das coisas e das pessoas para apenas nelas pensar.

 

Se eu quisesse comprar uma casa só tinha duas hipóteses possíveis: pagá-la logo a pronto ou pedir dinheiro emprestado. Mas como nunca tive dinheiro nem sequer sorte no jogo, a única hipótese viável seria inevitavelmente a segunda. Fosse qual fosse o pedido, podendo ou não o pagar, existiria sempre a hipótese de alguma instituição o fazer: emprestando por exemplo 1 milhão (por um período de 10 anos e uma prestação de 10.000). E mesmo não tendo perfil acabando por o obter (acreditando na simulação) e por me comprometer a pagar sem nunca renunciar (temos sempre que ter fé). Só que voltamos sempre ao mesmo, como na volta em torno do Sol: onde não há dinheiro nem movimento na realidade nada se passa e tudo volta de novo ao início do evento. E eis que surge aí a inequívoca questão: como resolver este impasse e que proposta apresentar? Dada a impossibilidade de pagamento e a urgência na decisão passar-me uma declaração imediata de usufruto do imóvel. A bem de todos (e também de nós) e pelo menos até morrer (ou ser vítima de algo mais).

 

(imagem – express.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:29
Sexta-feira, 21 DE Agosto DE 2015

Europa – Já faltou mais para o Fim

“The third bailout is the result of more than six months of turbulent negotiations, which pushed Greece back into recession, left its banks subject to stringent capital controls, while delaying any action to reduce Athens’s huge debt burden until the fall.”

(economonitor.com)

 

img0.jpg

Berlim – Parlamento Alemão

 

Qual será a estratégia da Alemanha face à crise económica grega, agora que o seu interlocutor privilegiado apresentou o seu pedido de demissão? Apesar de ter capitulado contrariado (oferecendo a Grécia à Alemanha) e de estar em rota de colisão com o seu eleitorado (pedindo-lhe um NÃO e oferecendo-lhe um SIM), TSIPRAS sempre era o rosto da Grécia e um representante credível para o início (imediato) das privatizações. Mas agora que a primeira tranche do empréstimo foi paga e se regularizaram pagamentos (a curto-prazo), eis que o interlocutor se afasta e a Alemanha fica sozinha (para a concretização dos seus negócios). Um risco que a Alemanha não se pode dar ao luxo correr, sendo como é uma das partes mais interessadas na rápida resolução do problema económico e financeiro grego (já que a Alemanha é de longe um dos maiores credores da Grécia) e apressada como está no início da privatização (aquisição e controlo) de todos os sectores produtivos e fundamentais deste Estado anteriormente soberano. Pelo menos até 20 de Setembro (mais um mês de interregno) tudo ficará pelo menos parcialmente em suspenso, o que certamente poderá dar origem ao aparecimento de novas convulsões internas e exteriores à Grécia e como consequência mergulhar de novo a EUROPA na crise em que já vive há tantos e tantos anos. Entretanto ficamos a aguardar por novos desenvolvimentos sobre todo este impenetrável e comprovadamente irresolúvel processo (diminuição do défice de um estado falido), com a certeza absoluta de que a oriente nada de novo surgirá (seja por parte da Alemanha, seja por parte da Grécia), que todos os outros países fazendo parte da EU se calarão por receio de contágio argumentativo (como a Espanha e Portugal) e que Wolfgang Schäuble lá estará para nos lembrar daquilo que pretendemos e de como teremos que lhe retribuir para o conseguir. Caso contrário a solução (provavelmente já encomendada) será a da porta de saída, da sempre presente e solidária Comunidade Económica Europeia.

 

“Greece crisis: Syriza rebels form new party.”
(bbc.com)

 

E agora com o problema da Grécia de novo à nossa perna (e de toda a EU), ainda mais se irão animar as outras duas eleições a realizar este ano noutros dois países pobres e do sul do continente, tal como a Grécia com a corda cada vez mais apertada ao seu pescoço: Portugal e Espanha.

 

(imagem – fosterandpartners.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:57
Quinta-feira, 20 DE Agosto DE 2015

Nunca se Deve Resistir a um Ladrão?

Greece live:
Alexis Tsipras to resign and call September snap election
(telegraph.co.uk)

 

Com a Alemanha a atirar-se com voracidade total a tudo o que ainda mexe e possa dar lucro (como um eficiente predador económico que é privilegiando a parte financeira), não há ninguém que lhe diga da necessidade de pelo menos se conter (nem mesmo as suas futuras vítimas), pois de um morto já sem carne pouco mais que nada se tirará.

 

812-13yEE1.AuSt.55.jpeg

Wolfgang Schäuble

 

Depois de toda a UNIÃO EUROPEIA ter assistido impávida e serena (como faria qualquer oportunista) via parlamento alemão à declaração de vitória do Ministro das Finanças da ALEMANHA Wolfgang Schäuble sobre um Estado soberano como a GRÉCIA (e como consequência impondo definitivamente o seu Projeto Europeu a todo o continente integrando a EU), sabe-se agora que o Primeiro-Ministro grego Alexis Tsipras acabou por não aguentar o primeiro impacto desta onda vitoriosa e invasora vinda da Alemanha (nem sequer necessitando de exército ou de armas e podendo mesmo ser considerada humanitária), estando segundo as últimas notícias recebidas prestes a pedir a sua demissão e a convocar eleições antecipadas.

 

Se já ninguém compreendera a cambalhota do chefe do Governo da Grécia ao dizer SIM à Alemanha depois de uma consulta por si pedida ao eleitorado grego em que este por maioria respondera NÃO (e logo um SIM a pedido do Chefe), face ao imediato, devorador e no mínimo vergonhoso assalto do Estado alemão a todas as infraestruturas básicas e fundamentais do Estado grego (aproveitando-se da profunda crise grega para, devido à brutal desvalorização ganhar milhões) ele não poderia continuar mais com a sua atitude passiva e de capitulação (uma estratégia que nunca deu frutos para a generalidade do povo), sob pena de deixar a curtíssimo prazo de ser um ativo real e simplesmente desaparecer: o que até poderia ser bom para um qualquer político irresponsável e oportunista dito de direita (como nós conhecemos alguns idos do nosso país para o palácio de Bruxelas), mas que seria uma incontornável contradição face aos princípios defendidos pelo seu partido (de esquerda).

 

Última Hora:
Primeiro-Ministro da Grécia
DEMITE-SE
(evitando ser esmagado)

 

Depois de WOLFGANG o ter literalmente atropelado socorrendo-se de todas as rodas (países) da sua cadeira (nunca se esqueçam das rodas suplentes), TSIPRAS começa agora a ser esmagado pelo peso agora adicionado (político) de MERKEL.

 

(definição de Ladrão: “pessoa que toma para si objetos que a sociedade considera de outrem”/wiktionary.org)

 

(imagem: Markus Schreiber – AP)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:31
Segunda-feira, 20 DE Julho DE 2015

Debaixo do Tapete

“Agora que a França propõe (na Era do Automático)
O regresso à embraiagem e à manete das velocidades.”

 

Com medo de perder num futuro muito próximo o seu estatuto de Estação Principal (em vez de pelo contrário se preocupar com a sua posição a bordo da locomotiva) a França reforçando a sua carruagem (colocada logo atrás da locomotiva da Alemanha) propõe que algumas das outras (carruagens) regressem às suas Estações, enquanto outras passem a simples Apeadeiros. Quanto aos Britânicos esses continuam bastante despreocupados (na sua ilha), podendo em qualquer altura (a ideal) cortar o cordão umbilical (que ainda a liga pelo túnel do Canal da Mancha à linha ferroviária europeia).

 

IMG_9213.jpg

Os Gatos e a sua opção irracional
(que ainda mais nos atira ao tapete)

 

François Hollande não quer perder o protagonismo que lhe foi deliberadamente atribuído (especialmente pelos países que eram contra a expulsão dos gregos) aquando do acordo estabelecido muito recentemente entre a UE e a Grécia. Tentando com o seu lançamento para a frente (do comboio em andamento) travar a inevitável desagregação da CEE e o descarrilamento de algumas carruagens do comboio despreocupadamente puxadas pela máquina alemã. Com a Alemanha no comando da poderosa locomotiva, puxando a grande velocidade diversas carruagens (com algumas incapazes de aguentarem a imensa pressão exercida sobre elas) e pouco se incomodando com os mais que previsíveis descarrilamentos provocados por uma (ou mais) delas. E nessa François Hollande não quer certamente entrar, conhecendo como conhece a situação deficitária do seu próprio país (e de muitos outros dos países constituindo a UE) e a inflexibilidade total oriunda da Alemanha via Schäuble/Merkel.

 

E o que propõe então Hollande? Tentando não incomodar muito a Alemanha e evitando cenas menos próprias por parte dos seus líderes (refugiados na opinião pública alemã por eles muito bem trabalhada mas com benefícios compensatórios atribuídos), recorrendo às esperanças e ilusões do passado nunca lançadas nem concretizadas (por puro oportunismo político) e demonstrando ainda algum respeito pela memória e cultura europeia (mesmo sendo forçada, estratégica, temporária e sobretudo hipócrita por inconsequente – e aqui estaremos para o provar), o Presidente francês lança agora para a fogueira (em que se tornou o ambiente político da Europa) a proposta do lançamento de uma nova Vanguarda da Europa dirigida pelos fundadores da UE: Alemanha, Bélgica, França, Holanda, Itália e Luxemburgo. O que falta conhecer é qual será a reacção de certos países a esta proposta francesa (uma das partes mais interessada), como será certamente o caso da Alemanha (neste momento o líder absoluto e incontestável da Europa), da Finlândia (que já julgava pertencer ao grupo de países europeus mais poderosos pelo menos economicamente) e até de Portugal (o aluno conhecido como obediente, mas no futuro talvez condenado a andar em turística ou mesmo andar à boleia).

 

Mas se nos deixarmos definitivamente de tretas (lembremo-nos de que o tempo escasseia) o que Hollande nos apresenta nem é nada de novo: apenas e somente (e mais uma vez) a apresentação da teoria económica da construção da Europa em vários níveis e velocidades. Senão vejamos:
Um só Governo na Zona do Euro dirigido por apenas 6 dos seus Estados;
Esses 6 Estados (os países fundadores) formariam um único Governo Europeu (que orientaria todos os outros territórios comuns), apoiado por um Orçamento (feito pelos próprios) e um Parlamento (composto por representantes desses seis).

 

Uma Vanguarda dirigiria assim toda a zona económica e financeira do Euro dividindo a Comunidade Económica Europeia em dois grupos distintos: um que se faria representar exclusivamente em Bruxelas através de um ainda mais decadente e vazio de poder Parlamento Europeu, no qual os representantes políticos de cada um desses países tomariam conhecimento das tarefas a executar oriundas dessa Vanguarda, com a única função e responsabilidade de convencerem os seus cidadãos a acatarem as decisões dos mais ricos e iluminados; o outro representado por essa Elite do Grupo dos Seis (fortemente apoiados pelos ricos estados do norte) que se faria representar e apresentar à Europa sob a forma de um Governo independente e supranacional (como se tal fosse possível hoje no nosso continente em guerra) com propostas novas, revolucionárias e ambiciosas: mas como sempre assente no mesmo paradigma – ou seja actualmente que se saiba em Nenhum. E com a Grã-Bretanha como sempre a sorrir, conforme se acha fora ou dentro do Euro (a sua parceria com os EUA assim o permite).

 

E varrendo (novamente e como sempre) todo o lixo para debaixo do tapete, a Europa pensa resolver o problema: nem com um Tapete da China!

(imagem – ihavecat.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:43

pesquisar

 

Agosto 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

comentários recentes

Posts mais comentados

blogs SAPO


Universidade de Aveiro