mais sobre mim

Quinta-feira, 02 DE Março DE 2017

Ataque Alienígena

Há 28 anos atrás uma nave alienígena abateu uma nave terrestre

Nas proximidades do planeta Marte

(com a particularidade de se tratar de uma nave soviética não tripulada, da era de Boris Yeltsin/na URSS e de Ronald Reagan/nos EUA)

 

1.jpg

A lua Fobos

(o maior dos dois satélites naturais de Marte)

 

Em meados do ano de 1988 a URSS decidiu enviar em direção ao planeta Marte duas sondas automáticas: tendo como objetivo anunciado para essa missão (interplanetária) além do estudo do Espaço estendendo-se até este planeta (tendo como centro do Sistema o Sol), a observação do próprio planeta e das suas duas luas Deimos e Fobos.

 

As duas sondas foram a Phobos 1 e a Phobos 2 lançadas no mês de Julho com uma diferença de cinco dias. Com a primeira delas a interromper as suas comunicações com a Terra e a perder-se no Espaço (menos de dois meses depois do seu lançamento), mas com a sonda Phobos 2 a prosseguir a sua viagem, a atingir o planeta Marte e a inserir-se na sua órbita.

 

Em Janeiro de 1989 com a sonda Phobos 2 a iniciar o que seria o seu curto período de trabalho em torno deste planeta nosso vizinho (cerca de 2/3 meses), perscrutando a sua superfície e analisando a sua atmosfera, mas apontando desde logo a sua atenção e mira para um das suas luas Fobos: das 2 a maior com cerca de 22Km (de diâmetro – Deimos tendo mais que 12Km).

 

Hoje quase 29 anos passados sobre o seu lançamento e desaparecimento (ainda a Rússia era URSS), vindo recordar o sucedido com a sonda Phobos 2 aquando da sua estadia em Marte (observando o planeta), redireccionamento para Fobos (2ªparte da missão) e posterior partida para este satélite (em princípio natural).

 

eckerphobos.jpg

O objeto cilíndrico de origem desconhecida

(com cerca de 20Km de extensão e 2.5Km de largura)

 

E com a ajuda do site (ufosighthingshotspot.blogspot.pt) mergulhando de novo num mistério já oriundo do século passado e ainda hoje não resolvido por não explicado, envolvendo uma sonda terrestre circulando nas imediações de um mundo alienígena subitamente e quando nada o fazia prever deixando de comunicar já nas proximidades do seu novo alvo – Fobos.

 

Um de 2 satélites descobertos há 140 anos, visitados pela 1ªvez há 29, com um deles orbitando a uma distância máxima de 9400Km (Fobos, cumprindo a sua órbita em 7.7 horas) e com o outro a 23500Km (Deimos, cumprindo a sua órbita em 30.4 horas): devido à sua velocidade e progressiva aproximação com Fobos a ter já encontro marcado com Marte.

 

Com a sonda Phobos 2 após dois meses orbitando e observando o espaço exterior, a atmosfera e a superfície do planeta Marte (onde já se deparara com estruturas agrupadas e outros fenómenos inexplicáveis, conforme registos de imagem), a pontar para o seu maior e mais próximo satélite a misteriosa e bizarra (pela sua forma) lua Fobos.

 

E assim, alinhada finalmente a sonda automática Phobos 2 em direção àquele objetivo que já muitos por essa altura indicavam como o verdadeiro destino dessa missão, esta iniciou a sua nova viagem dando-se então o incidente: com um objeto de forma cilíndrica e de origem desconhecida a deslocar-se em direção à sonda, momentos antes da mesma desaparecer.

 

f1.jpg

Sombra em movimento do objeto cilíndrico/elíptico

(projetada sobre a superfície de Marte)

 

Segundo os cientistas, técnicos e restantes responsáveis pela execução do Programa Phobos, com a sonda Phobos 1 e quando a mesma se preparava para lançar dois módulos em direção à superfície dessa lua de Marte, a (na verdade) desaparecer do ecrã e não apenas a deixar de comunicar.

 

Com todos os interessados no caso (oficiais e oficiosos) a levantarem a hipótese sustentada por dados (imagens recolhidas pela dita sonda) de que a mesma teria sido atacada por um objeto não identificado e de grandes dimensões (aparentemente com cerca de 20Km de extensão) antes de deixar de transmitir e desaparecer.

 

E com a Agência Noticiosa TASS a referir (e a acrescentar um dia depois):

"Phobos 2 failed to communicate with Earth as scheduled after completing an operation yesterday around the Martian moon Phobos. Scientists at mission control have been unable to establish stable radio contact"; "Phobos 2 is 99% lost for good".

 

Com o Programa Phobos a terminar ingloriamente com o aparecimento de falhas técnicas graves (num curto intervalo de tempo e afetando logo as 2 sondas) ou como explicação alternativa e também bastante credível (tanto ontem como hoje) estando os terrestres em 1988 e ao largo do planeta Marte perante o seu primeiro contacto com seres alienígenas.

 

5.jpg

Região de Hydroate Chaos em Marte

(onde se acredita existirem estruturas de origem artificial)

 

Num conjunto de registos obtidos pela sonda Phobos 2 em que a mesma nos presenteia com umas quantas imagens um tanto estranhas de Marte: nuns casos com pouca resolução e contraste, mas na nossa imaginação muitas das vezes real (e complementar) percecionando formas e até sombras – de edifícios, estradas e até pirâmides (por associação).

 

Em conclusão com a sonda soviética lançada no século passado tendo como objetivo a maior das luas de Marte Fobos, a ter sido abatida em pleno voo espacial já no trajeto Marte/Fobos (quando a mesma se preparava para o lançamento de dois módulos sobre o satélite); por uma enorme nave alienígena c/ a sua sombra a ser projetada e visível sobre a superfície marciana.

 

(imagens: retiradas da WEB)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 08:08
Quinta-feira, 19 DE Janeiro DE 2017

Tal e Qual como nos avisou Donald Trump

Pelos vistos os Alienígenas não abdicam de controlar o nosso Planeta!

(e não são mexicanos)

 

Eventual registo de vídeo obtido recentemente a partir das câmaras instaladas na Estação Espacial Internacional orbitando a Terra a cerca de 400Km de distância, em que é claramente visível o aparecimento de um objeto desconhecido no horizonte visual da ISS – seguido da sua aproximação à mesma e posterior desaparecimento: para uns (os leigos) evidentemente um UFO; para outros (os eruditos) claramente um simples erro de tradução induzido pelos nossos órgãos dos sentidos (como por exemplo a visão).

 

UFO 7.jpg

(ampliação da imagem 2)

 

Habitando num Mundo fechado e cada vez mais apertado em que o nosso quotidiano diário se replica estendendo-se – encurralado como está entre uma repetição constante de rituais dispersos e sem qualquer tipo de significado (prático) e a miséria que rodeia e limita esse ambiente de mera sobrevivência – a única de hipótese de fuga utilizando os nossos órgãos dos sentidos (não tendo de momento disponíveis meios físicos alternativos de transporte) será sempre o de abrir a nossa mente ao que poderá estar do Outro Lado: por mais estranho que nos pareça e por mais que nos ignorem absorvendo sofregamente essas perceções (talvez por residir aí a nossa derradeira esperança), mas sempre acreditando (o primeiro passo para passar do imaginário à realidade) que no fundo Algo de mais existe (além do Homem).

 

ufo1.jpgufo4.jpg

(Imagem 1 e 2)

 

ufo5.jpgufo6.jpg

(Imagem 3 e 4)

 

Na sequência do vídeo gravado a partir de uma das mais recentes transmissões oriundas do Espaço exterior onde orbita a ISS (a 400Km de distância da Terra), sendo possível observar na fronteira de transição entre o azul-claro do céu e a escuridão profunda do Espaço (conforme o desenrolar das imagens – de 1 a 4 – o demonstram), o aparecimento com aumento progressivo de dimensão e de luminosidade de um objeto de origem desconhecida (com o seu aumento de volume a poder dever-se à sua aproximação à ISS) seguindo-se de um processo inverso até ao seu desaparecimento total. Um fenómeno que se poderá traduzir na presença física (e temporária) de um determinado objeto nas proximidades da ISS ou então e muito naturalmente, apenas mais um caso de efeitos especiais (visuais e coloridos muito semelhantes ao arco-íris).

 

UFO8.jpg

(ampliação da imagem 3)

 

Deixando-nos mais uma vez sozinhos com a nossa dúvida existencial preferida: seremos Nós e mais Nada e criados para nascer para morrer? Com persistência continuando a adotar a teoria de que a Terra é o centro do Universo e por correspondência direta atribuindo ao Homem o galardão de ser a sua máxima criação – um ser quase perfeito mas limitado no tempo, por uma mera imperfeição: a sua visão estreita e ainda rudimentar da evolução (ainda somos uma espécie jovem) assente na preocupação da origem e do fim (nascimento/morte) e ignorando o Infinito e a Transformação. Ou não tenhamos nós aprendido na escola que “na natureza nada se cria nada se perde tudo se transforma”. Podendo-se assim aceitar que face ao nosso modelo terrestre (e já agora no seu contrário) poderão ser apenas Luzes como até Extraterrestres.

 

(imagens: Steetcap1/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:29
Sábado, 07 DE Janeiro DE 2017

Três Objetos Dirigem-se para a Terra

E o primeiro passa perto (mais de 1 UA) e já dia 14!

(deste sábado a oito)

 

marsprobe1.jpg

 

Com três viajantes fazendo atualmente o seu trajeto entre nós e passando sucessivamente a 170, 50 e 10 milhões de Km da Terra (com os dois primeiros a poderem ter 1000 metros e o terceiro apenas 10 metros), parece que o receio de um futuro impacto cresce cada vez mais na nossa cabeça.

 

Mais três objetos ainda não completamente identificados e oriundos (provavelmente na sua origem) do exterior do Sistema Solar, circulam já no seu interior numa trajetória de aproximação à Terra. Com o primeiro a atingir o seu ponto de maior aproximação ao nosso planeta a ser o objeto designado por C/2016 U1 NEOWISE (14 Janeiro), seguido pelo objeto 2016 WF9 (25 Fevereiro) e finalmente pelo objeto 1991VG (início de Agosto): para os cientistas com o primeiro a ser um cometa, o segundo a ser um asteroide e o terceiro, uma mistura qualquer.

 

Nestes três casos não havendo qualquer perigo de impacto com o nosso planeta, tal a distância entre a Terra e o seu ponto mais próximo (de aproximação): no 1º caso passando a uma distância maior que a entre a Terra e o Sol, no 2º caso a uma distância por vezes menor que entre a Terra e Marte e finalmente no 3º caso e apesar da sua mais curta distância, passando a mais de 20 X a distância Terra/Lua.

 

No caso dos dois primeiros corpos celestes com C/2016 U1 a ser observado pela primeira vez a 21 de Outubro do ano passado (e com a sua órbita a ser definida a 6 de Janeiro de 2017) e com 2016 WF9 a sê-lo a 27 de Novembro (e com a sua órbita a ser definida a 3 de Janeiro). Com C/2016 U1 a ser um visitante em estreia numa viagem interplanetária através do Sistema Solar (visto como um cometa) e com 2016 WF9 de origem ainda não muito bem conhecida mas talvez sendo oriundo das longínquas Nuvens de Oort (visto como um asteroide mas de origem cometária).

 

image48.jpg

 

Cada um deles possuindo a sua particularidade de relevo, dada não só pelo seu mistério, como pela sua inesperada passagem: transportando junto de si objetos de muitas paragens (nunca vistos, sempre imaginados e daí misteriosos) e pondo à disposição de todos um convite à compreensão (do viajante): muitas vezes transportando vida.

 

E com o terceiro objeto 1991 VG a ser observado pela primeira vez há mais de 25 anos (e pela última vez menos de 6 meses depois) tendo a sua orbita definida apenas em 13 de Junho de 2014. Pela sua estranha rotação e longevidade por muitos não sendo aceite como um asteroide e muito menos como um cometa (como o aparenta ser C/2016 U1 com a sua cauda poeirenta aumentando à medida que se aproxima do Sol); deixando nas mãos de outros a responsabilidade da procura de uma explicação para a existência deste objeto (catalogando-o) e como tal podendo sujeitar-se no decorrer do processo a todas as teorias e soluções. Uma nave alienígena?

 

Para aqueles que ainda acreditam fielmente (ou como última e desesperada esperança) nas Teorias da Conspiração e sabendo-se também que se algo de significativo acontecesse com a Terra, o mais certo é nem sequer teríamos tempo por dar por ele (ou pelo menos para nos protegermos) de todos o mais perigoso só 1991 VG – se por acaso já chegasse como o meteorito de Cheliabinsk. Ou se então fosse uma nave alienígena e hostil.

 

Com a particularidade de C/2016 U1 (com um diâmetro entre 500/1000 metros) atingir o seu periélio numa zona do espaço interior à órbita do planeta mais próximo do Sol (Mercúrio) mas num ponto localizado a mais de 170 milhões de Km da Terra – voltando apenas a estes lados daqui a uns milhares de anos; e no caso de 2016 WF9 (diâmetro aproximado de 1000 metros) com o mesmo a passar a cerca de 50 milhões de Km da Terra depois de passar a caminho do Sol (do seu periélio) ao lado da Cintura de Asteroides e do planeta Marte. Já com 1991 VG (em princípio de pequena dimensão) no início de Agosto (segundo os conspiradores podendo ser artificial e conter alienígenas) e ainda a caminho do seu periélio passando ao lado de nós a menos de 10 milhões de Km.

 

[E com a maior aproximação de um asteroide à Terra no ano de 2017 a ocorrer em 12 de Novembro, com o objeto 2012 TC4 (com um diâmetro de 10/30 metros) passando a cerca de 14.000Km da superfície (do nosso planeta).]

 

(imagens: inquisitr.com e coolinterestingstuff.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:17
Domingo, 18 DE Setembro DE 2016

Cyborg Virtual

“As câmaras do ROVER OPPORTUNITY acabam de apanhar no planeta MARTE a presença de um ser BIOMECÂNICO.”

 

1F527238006EFFCS1HP1211R0M1.JPG

Sombra projetada por um Cyborg detetado em Marte certamente trabalhando para uma grande Corporação Intergaláctica

(SOL 4495)

 

A NASA acaba de divulgar a primeira imagem de um ANDROIDE alienígena (na realidade a sua sombra), num registo captado recentemente pela sonda norte-americana OPPORTUNITY. Sendo fácil de constatar estarmos em presença de um ser bípede, de corpo ereto e na aparência (forma e constituição) muito semelhante a um ser humano: sendo constituído por um tronco (robusto), duas pernas, dois braços e uma cabeça (com dois olhos bem visíveis). Potencialmente um ROBÔ HUMANOIDE – disponível para interagir com outros seres – mas podendo estar-se mesmo em presença de um verdadeiro CYBORG (um organismo cibernético). No caso dos Cyborg com a sua presença sentindo-se cada vez mais próxima de nós (para já limitando-se aos écrans de cinema como plataforma de lançamento e manipulação): motivo pelo qual a sua pré-existência noutras Civilizações exteriores, mais antigas e avançadas (e por sua vez controladas por grandes CORPORAÇÕES), se tornar tão clara como óbvia, ainda-por-cima neste cenário aparentemente desértico, calcinado e (repetidamente afirmado pelos cientistas) sem vida.

 

1N527239980EFFCS1HP1933R0M1.JPG

Uma sombra representando um ser humanoide garantindo-nos desde já a presença de outras civilizações neste Universo partilhado

(SOL 4495)

 

Com a sombra do CYBORG a aparecer num outro registo das câmaras da sonda norte-americana Opportunity (agora colocada numa outra posição), projetando-a sobre a superfície do planeta Marte iluminado pelo Sol (a nossa estrela comum) e localizado a mais de 200 milhões de quilómetros. Surgindo nesta imagem inopinada como se estivesse a acenar-nos (a saudar-nos) e com a sua cabeça bem assente no cimo de um pescoço bastante alongado e com dois olhos contrastantes (claro/escuro). Numa altura em que o ROVER OPPORTUNITY abandona o Vale da Maratona após mais de um ano de exploração sobre a superfície marciana (introduzindo-se na brecha de LEWIS e CLARK), dirigindo-se de imediato para um outro ponto de partida de mais uma das etapas da sua missão no planeta MARTE (localizado a este). Tendo até hoje percorrido mais de 43Km nos seus 4496 dias (marcianos) de estadia na superfície do Planeta Vermelho (meados de Setembro) – nesta época do ano estando sujeito à ação das TEMPESTADES de POEIRAS ocorrendo à superfície, por vezes prejudicando a visibilidade geral (qualidade da imagem) e assim afetando a produção de energia através da utilização dos seus painéis solares (necessários para o funcionamento do Rover). Levando a poupanças energéticas mas nunca ameaçando a missão Opportunity (iniciada na superfície de Marte em 25 de Janeiro de 2004).

 

(imagens – nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:09
Terça-feira, 29 DE Março DE 2016

A Estrela Mexicana

Enquanto decorrem as primárias norte-americanas para a eleição do próximo Presidente dos EUA, o único candidato à nomeação Democrata ou Republicana com expressão mediática internacional, continua dentro e fora do seu país a atrair a curiosidade e atenção de muita gente. Publicidade grátis e avulso que o candidato REP – DONALD TRUMP – certamente muito agradece.

 

507505_img650x420_img650x420_crop.jpg

 

E se o ataque a tudo o que ele diz e faz já atingiu um pico máximo de hipocrisia no seu próprio país (como se o povo ligasse ao que eles dizem antes e não ao que eles fazem depois – e com a FOX a tomar a dianteira nessa campanha REP e ANTI-TRUMP), num momento de interregno como este (as primárias só regressam em Abril) torna-se necessário e fundamental aproveitar tudo o que caia no saco.

 

Numa campanha Republicana dirigida e abominável e em que todos os candidatos à nomeação em Convenção são apenas o reflexo da decomposição acelerada em que se encontra o partido do Elefante – mesmo em maioria no Congresso e no Senado e com um Presidente Democrata e Negro no comando da Casa Branca. Uma dádiva para HILLARY e talvez mesmo a confirmação da mesma como futuro Presidente dos EUA (depois de OBAMA o maior pesadelo REP).

 

E é neste cenário de Guerra Fria contra o candidato Republicano líder nos delegados e nas sondagens (e a caminho dos 50%+1 de Delegados), numa campanha Republicana assassina e suicida muito bem aproveitado pelos Democratas e pelos seus políticos atualmente no ativo (no que se refere ao aproveitamento do extremismo anti-islâmico de todos os candidatos REP), que surgem as festividades religiosas da Páscoa e os tão falados alienígenas mexicanos.

 

160327-trump_effigy_2-0605_919e15c0aa499519869ff86

 

Convêm no entanto recordar que a Guerra contra ao Alienígenas (neste caso Mexicanos) não é algo que se possa dizer como sendo uma criação do candidato TRUMP, bastando apenas recuar um pouco no tempo e verificar qual foi o papel desempenhado pelo partido Republicano, radicalmente contra a tentativa do Presidente OBAMA de legalizar muitos desses ALIENAS (facilitando-lhes a vida e a de muitas famílias já parcialmente instaladas nos EUA: com MURO ou sem ele NÃO.

 

Só que TRUMP abriu a boca e a língua caiu-lhe para a verdade (Republicana). Nada mais do que isso mas que muito irritou a elite (REP) – “há verdades que não se dizem e mentiras que se repetem”. Agora com BUSH (JEB) fora e com RUBIO (MARCO) despachado, com um evangelista cubano como única salvação, o mundo parece cair e à frente só têm TRUMP. E assim ele é exportado e a campanha ultrapassa o MURO (entrando em campo alienígena e como motivo de festa).

 

uni1459076480.jpg

 

E assim vamos encontrar DONALD TRUMP o mais forte candidato REPUBLICANO para ser o próximo presidente dos EUA (e atual líder destacadíssimo à Convenção REP) a entrar nas festas da Páscoa e a ser queimado vivo: como mais um dos Judas Malditos mas num boneco aparentando alegria e de cores berrantes e vivas. Mais uma vez com o candidato a ser promovido de graça e extra fronteiras, fazendo um estupendo papel (sem sequer lá estar) e cativando mais gente (com as imagens invadindo os média global.

 

E com tanta estupidez (TRUMP) só pode dizer OBRIGADO.

Mas entre tantos candidatos (agora só são cinco) que venha o DIABO e escolha (isso se o conseguir).

Talvez se salvasse o Professor PARDAL (Bernie Sanders).

 

(imagens: WEB)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:32
Sexta-feira, 21 DE Agosto DE 2015

Alienígenas de Marte

Enquanto no planeta Terra os seres vivos aí habitando parecem mais predispostos a utilizarem pretextos inúteis e absurdos para se entreterem da melhor forma possível com o seu quotidiano monótono e não criativo (como é o caso da guerra), noutros pontos muito mais distantes do mesmo sistema planetário os mesmos seres vivos demostram toda a sua curiosidade e necessidade de aventura, como forma a de um modo ou de outro conhecerem outros mundos e darem sentido à sua vida (e assim libertarem-se das amarras deste mundo limitado). E se na Terra não se exploram interessada e devidamente as suas ainda misteriosas profundezas (rochosas e oceânicas), já no caso do seu espaço exterior o entusiasmo pelo seu estudo e conhecimento é muito mais profundo e dedicado: com um único corpo celeste como o é o caso do nosso vizinho planeta Marte, a ter só para si a visita de sondas espaciais oriundas de três dos nossos continentes.

 

1074MH0003250050400733E01_DXXX.jpg

MARTE – CURIOSITY ROVER – SOL 1074
(presença de dois objetos não identificados)

 

O que nos leva rapidamente a concluir que se existisse vida inteligente e organizada no planeta Marte, com o aumento significativo do trânsito orbital e mesmo à sua superfície, certamente que mais cedo ou mais tarde os seus habitantes se começariam a preocupar e até num caso mais extremo podendo-os levar a intervir. Neste aspeto os norte-americanos têm neste momento em plena atividade sobre a superfície de Marte dois veículos motorizados (além de sondas orbitando o planeta): o ROVER OPPORTUNITY e o ROVER CURIOSITY. E se por um lado a viagem destes dois veículos terrestres (sobre um mundo alienígena) tem ao longo destes últimos anos de recolha e de investigação fornecido imensas informações sobre o misterioso Planeta Vermelho, por outro lado e de uma forma talvez para muita gente inesperada, muitos têm sido os episódios no mínimo estranhos até agora registados: como o demonstra esta imagem registada pelas câmaras de um desses veículos motorizados circulando em Marte (no passado dia 14 de Agosto), em que é bem visível sobre o fundo mais claro representando céu marciano, a presença de dois objetos voadores não identificados. Uma imagem que já é recorrente noutros registos enviados a partir da superfície do planeta, sempre muito semelhantes na sua forma e na sua cor e evoluindo na quase inexistente atmosfera marciana como se estivessem simplesmente a observar. O que apenas poderá significar (para nós) algo de artificial (e que pela sua constante ocorrência nunca poderá ser classificada como natural e/ou um erro induzido por um órgão dos sentidos): a existência de vida extraterrestre, organizada, inteligente e certamente muito mais evoluída do que a nossa, para além das fronteiras do nosso planeta (em princípio original) a Terra.

 

(imagem/ampliação parcial – NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:56
Sábado, 15 DE Agosto DE 2015

A Cabeça do Marciano

Ao olharmos para Marte poderemos estar a olhar para uma imagem da Terra (e da sua evolução) mas numa outra parte do Espaço (que nós parametrizamos como Tempo).

 

Na sua procura incessante de vida para além do nosso planeta Terra são muitos os leigos e curiosos (e nisso devemos elogiá-los na sua procura da verdade) que se servem dos instrumentos de pesquisa de eruditos e especialistas (e dos dados pelos mesmos disponibilizados) para tentarem de uma forma ou de outra atingir objetivos (por vezes muito semelhantes) que nem os primeiros descortinaram.

 

1073ML0047210010206510E01_DXXX.jpg

 

Curiosity Rover – Mastcam/Left – Sol 1073

 

Assim e mais uma vez, uma imagem proveniente do planeta Marte e obtida já este mês através das câmaras do ROVER CURIOSITY (e enquanto os cientistas responsáveis pela missão só viam pedras), acaba por nos rebelar mais um artefacto de origem desconhecida visível sobre a superfície calcinada de Marte, que os interessados nestes mistérios pelos próprios mentalmente criados sugerem representar a cabeça de um ser alienígena.

 

Na realidade não será muito difícil olharmos para esta imagem oriunda de um planeta distante como é o planeta Marte (a Lua está muito mais próxima) e por comparação com o que observamos no nosso planeta em condições para nós consideradas muito semelhantes (no fundo nós não estamos lá sendo evidentemente sugestionados pelos cenários apresentados e pelo que desejaríamos inconscientemente lá encontrar), acabarmos por ver coisas que podendo ser observadas pelo nosso órgão da visão, não representam o boneco que nos é proposto no final.

 

Mesmo parecendo representar uma cabeça, apresentando um crânio longo (como nós vemos os alienígenas) e ainda por cima com uma face bem delineada com nariz e olhos bem visíveis. Um artefacto que podendo ser de criação artificial e pondo logo de lado a nossa espécie (que se saiba o Homem nunca terá chegado e colonizado Marte), só poderia ter sido criado por alienígenas fossem marcianos ou não. O que até poderia ter acontecido há muitos milhões e milhões de anos (porque não?) num cenário em que o ambiente de Marte pudesse ser muito semelhante ao do nosso planeta Terra.

 

Por mais partidas que os nossos órgãos dos sentidos nos possam proporcionar, existem certas imagens que pela evidência dos conteúdos que exibem, não podem invocar erros técnicos ou de visão para os explicar e arquivar: como é o caso da peça de aspirador (da NASA?), encontrada sobre a superfície de Marte.

 

17788260_rpwmF.jpeg

Curiosity Rover – Mastcam/Right – Sol 821

 

Convém no entanto valorizar o trabalho desenvolvido por estes leigos do sistema científico atual (nunca devemos desprezar por princípio e erradamente, os autodidatas e os experimentalistas), já que muitos deles pelos seus trabalhos dedicadamente elaborados e respeitando os seus conhecimentos durante a sua vida adquiridos, acabam por nos deixar na dúvida, à procura e a pensar (o que até é bom para não acreditarmos em tudo, venham de onde vierem as verdades). Como é o caso da imagem apresentada anteriormente, onde sobre a superfície marciana acabamos inexplicavelmente por nos confrontar com um objeto estranho e desenquadrado do único cenário expetável e que muito se assemelha ao terminal de um tubo de sucção de um aspirador fabricado na Terra.

 

(imagens – NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:54
Sexta-feira, 10 DE Julho DE 2015

World War Earth War

ÚLTIMA HORA

 

Temperatura Elevada:
Quando a realidade desconhece o parâmetro tempo!

 

“Evidente demonstração do poder Alienígena, na presença de um submarino de guerra Norte-Americano e em pleno Atlântico Norte.”

 

map.jpg

Atlântico Norte
(nas proximidades da Islândia)

 

Segundo notícias de ÚLTIMA HORA oriundas de organizações secretas associadas à Marinha de Guerra dos Estados Unidos, um submarino norte-americano em missão de patrulhamento em águas do Atlântico Norte, esteve durante um certo intervalo de tempo de sobreaviso e em alerta de nível máximo, ao atravessar como habitualmente essa região do oceano (localizada em pleno mar entre a Noruega e a Gronelândia e tendo por perto a Islândia) e ser colocado frente a frente a forças desconhecidas (e aparentemente poderosas).

 

Arctic-UFO-Photographs-USS-Trepang-SSN-674-March-1       Arctic-UFO-Photographs-USS-Trepang-SSN-674-March-1

Dois dos objectos de origem desconhecida
(avistados no mar da Noruega)

 

Estes dados espectaculares e surpreendentes terão sido originados em comunicações oriundas do submarino da Marinha de Guerra dos EUA USS TREPANG, sob comando do oficial graduado DEAN SACKETT. Nas transcrições das afirmações aí contidas não seriam fornecidos dados específicos e adicionais sobre estes objectos, apenas aí se mencionando as suas formas diversificadas, a capacidade de cada uma delas se deslocar tanto no ar como no mar e de parecerem estar a desempenhar algum tipo de tarefa não identificada (e aparentemente não agressiva para a tripulação do submarino) mas seguramente de seu interesse (do ser desconhecido que pilotava a nave).

 

Navy-Sub-314601.jpg

O submarino USS TREPANG
(patrulhando o Atlântico Norte)

 

[Na realidade uma situação em tudo idêntica (mas em princípio verídica) ter-se-á passado com o submarino norte-americano USS TREPANG SSN 674 em águas do Atlântico Norte (entre a Gronelândia e a Noruega) mas no mês de Março de 1971 (há 44 anos): numa das suas missões de rotina o submarino terá estado em presença de objectos voadores não identificados (capazes de se movimentarem igualmente debaixo de água), não interferindo nas suas movimentações nem sendo incomodado pelas forças desconhecidas em presença (pelo menos é o que dizem documentos secretos governamentais recentemente desclassificados)]

 

(dados e imagems: mirror.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:38
Terça-feira, 09 DE Junho DE 2015

Terrestres, Ceres e Alienígenas

Agora que não nos fornecem (temporariamente) imagens frescas de Marte (por causa da conjunção – Marte está do outro lado do Sol relativamente à Terra, prejudicando as comunicações entre ambos), só nos restam mesmo os mistérios dos planetas anões.

 

582982_1.jpg

Pontos brilhantes e possível UFO em Ceres

 

O Sistema Solar é na actualidade constituído por oito planetas: Mercúrio, Vénus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Úrano e Neptuno. Em princípio só um deles contém Vida e até seres inteligentes, organizados em sociedades tecnologicamente evoluídas e em constante transformação: esse é o nosso planeta Terra. Dos planetas exteriores (os últimos quatro) pouco ou nada sabemos sobre a possível existência de Vida (mesmo que rudimentar), sendo dois deles mais conhecidos por serem monstros gasosos (Júpiter e Saturno) e os outros dois sendo vistos como mundos gelados (Úrano e Neptuno). Nestes dois últimos casos havendo sempre a possibilidade da existência de água. E existindo água poder existir Vida. Mas até agora e que se saiba nada. Sobram os planetas interiores. E pondo de lado Mercúrio e Vénus (os mundos mais parecidos com a nossa definição de Inferno) além da Terra (já atrás considerada) resta Marte. Além da possibilidade de alguns microrganismos poderem sobreviver às condições da atmosfera marciana (como o comprovam as experiências levadas a cabo na Terra com organismos simples e simulando as condições ambientais marcianas) e da mais que certa existência de depósitos de água gelada nos pólos (ou em certas zonas subterrâneas do planeta), da presença de vida ou de algo de parecido em Marte só vindo mesmo de alguns arqueólogos (ao analisarem certas estruturas estranhas existentes à superfície de Marte) ou dos teóricos da conspiração (que vêm indícios de vida em todo o lado): talvez não hoje mas num passado remoto.

 

E assim sobram-nos os outros corpos celestes que circulam no nosso Sistema Solar – asteróides, cometas, luas e até outros pequenos objectos como um planeta anão. Aqui podemos socorrer-nos das missões espaciais mais importantes a decorrem neste preciso momento no exterior (maioritariamente da NASA) e excluindo a confusão instalada em Marte com a presença de sondas norte-americana, chinesas e indianas e a viagem da sonda ROSETTA acompanhando 67P/C-G na sua trajectória à volta do Sol, surgem-nos logo à memória as sondas DAWN e NEW HORIZONS: com a primeira já em órbita de CERES e a segunda cada vez mais próxima de PLUTÃO. Fiquemos então pelo planeta anão onde a sonda já chegou: CERES (o outro – claro – é Plutão). O que me chamou desde logo a atenção foi a questão colocada (de uma forma inopinada) pelos cientistas da NASA aos seus leitores, solicitando-lhes uma explicação para a presença das manchas luminosas sobre a superfície de CERES – condicionando-lhe as respostas (pelas hipóteses apresentadas) ou atirando-as para o baú marginal e depreciativo das “outras coisas” – e como que desresponsabilizando-se daquilo que deveria ser da sua total competência: utilizando um inquérito sobre o que seriam aquelas luzes de CERES. E quando eu (como muitos outros) escolhi a minha opção (proposta e autorizada pelos censores da NASA), a percentagem era a seguinte:

 

Explicação p/brilho Ceres %
Gelo 29
Vulcão 9
Géiser 8
Sal 8
Rocha 6
Outra 40

 

É evidente que a maioria escolheria as hipóteses Gelo e Sal (pelos sua composição materiais reflectores), com uns minoritariamente a escolherem a opção Rocha (pela sua possível inclusão de minerais): num total de 43%. De acordo portanto com as directivas informativas e pedagógicas da NASA (ou seja seguindo o seu Manual de Instruções). Com as opções Vulcão e Géiser (apesar de credíveis mas sendo menos divulgadas) a serem menos consideradas (17%). E com o grande filão a ir para OUTRA (40%): surpresa ou mera confirmação (intencional)? Daí as múltiplas explicações para o aparecimento de luzes na superfície do planeta anão CERES (e ao contrário do que muitos afirmam não limitados a uma única cratera), desde as teorias emitidas por diversos astrónomos surpreendidos com o aparecimento deste fenómeno inesperado (e que procuram sempre uma explicação natural ou lógica) e acabando quase sempre em nada, até às teorias não menos credíveis invocando a presença de uma intervenção externa e obrigatoriamente artificial (ou seja não natural nem mesmo terrestre).

 

As luzes de CERES poderiam ter origem artificial, não terrestre e contando com intervenção alienígena. Se tal não fosse a opção correcta a única alternativa possível seria estarmos em presença de colónias em que o Homem seria pelo menos um dos elementos colonizadores (mesmo que em disputa activa com outros grupos), nesse caso visto como o intruso provocador da anomalia. CERES seria um corpo celeste habitado por seres vivos organizados, inteligentes e mais desenvolvidos tecnologicamente de que nós e as luzes que agora avistávamos uma das indicações da presença do equivalente às nossas cidades e de outros pólos civilizacionais. Por isso é muito natural que para além das luzes que todos nós vemos muitos já vejam também as próprias estruturas e edifícios que as mesmas iluminam, não tardando muito até que comecemos a ver os seus próprios habitantes: alguns até já vêm grandes naves espaciais na região, com alguns casos a serem comprovados por imagens registadas nas proximidades de Ceres (pela sonda DAWN) e pelas suas respectivas sombras (na superfície do planeta anão). E essa será a razão pela qual ao longo do tempo a opção OUTRO continuará a crescer inexoravelmente e com isso todos nós ficaremos contentes com a própria NASA incluída. Só falta mesmo OBAMA dizer YES THEY LIVE e o PÁPA reconhecer que JESUS provavelmente seria um deles.

 

(imagem – NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:51
Terça-feira, 05 DE Maio DE 2015

Gaseados

As próximas eleições legislativas portuguesas não deixaram os alienígenas indiferentes. Entre um bom almoço na cantina da AR (sector público), um bom lanche nos pastéis de Belém (sector privado) e um salto até às praias do Algarve, que maior prazer do que ver um povo obedientemente a votar. Um fenómeno pelo logro e pela alta credibilidade.

 

Sondagens – Legislativas 2015 – Maio
(Planetas Interiores)

 

jffjfg.jpg

Grupo Alienígena de Sondagens

 

Chegaram-nos agora mesmo os resultados da primeira sondagem realizada em urna de voto simulada entre alienígenas habitando os planetas interiores (Mercúrio, Vénus, Marte e Terra), tendo em vista as próximas eleições legislativas a realizar este ano:

 

Partido %
CDU 23
PS 21
PSD/CDS 20
BE 11
PDR 08
LIVRE 06
Outros 11

 (sondagem GAS)

 

Se as eleições se realizassem neste momento a CDU ganharia as eleições, tentando de imediato a concretização de uma coligação governamental CDU/BE/LIVRE (42%) contando com o apoio tácito na Assembleia da Republica do PDR (8%). Ficamos a aguardar as próximas sondagens (mais demoradas) agora oriundas dos planetas exteriores (Júpiter, Saturno, Úrano e Neptuno).

 

Em notícias de Última Hora ficamos entretanto a saber que o nosso Presidente (actual) aceitou o convite feito por um grupo de lunáticos e seus grandes admiradores para visitar o seu planeta, tendo para o efeito e desde já sido inscrito num dos próximos voos da nave de fabrico português PoSAL-2015 (um veículo destinado a indivíduos com necessidades de tratamentos especiais em local designado e não dispondo para o efeito de meio de transporte interplanetário).

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:10

pesquisar

 

Outubro 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
19
22
24
25
26
27
28
29
30
31

comentários recentes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro