mais sobre mim

Domingo, 04 DE Junho DE 2017

UK ‒ Em menos de 3 meses 3 Ataques

Neste momento e aproximadamente em 10 semanas com os atentados a já terem provocado perto das 40 vítimas mortais e tendo já ultrapassado os 200 feridos (alguns deles graves).

4 Mortos+20 Feridos/semana

[E que se saiba não foram os Russos]

 

Com as Eleições Gerais na Grã-Bretanha marcadas para a próxima quinta-feira dia 8, verificou-se ontem (sábado) em menos de 3 meses o 3º atentado (com feridos e vítimas mortais) em território britânico: recordando-nos do atentado da capital na Ponte de Westminster (23 de Março) e do atentado no espetáculo de Ariana Grande na cidade de Manchester (22 de Maio), agora com um novo atentado algo parecido com o primeiro e também na capital mas agora na Ponte de Londres.

 

1496546076_1-org.jpg

Um dos 3 elementos abatidos pela polícia britânica

(utilizando um falso cinto explosivo)

 

No atentado de sábado tudo se tendo iniciado por volta das dez horas da noite na Ponte de Londres (uma das pontes que atravessam o rio Tamisa ligando a City a Southwark), com uma carrinha a mergulhar subitamente sobre os pedestres que aí circulavam (tratava-se de uma noite de fim-de-semana), seguindo de imediato na direção de uma zona comercial onde três individuo armados começaram a esfaquear todas as pessoas que encontravam. Até serem abatidos pela polícia.

 

1496546076_1-org b.jpg

Os outros 2 elementos abatidos pela polícia britânica

(um à esquerda e outro à direita do agente)

 

Num intervalo de poucos minutos (8’) iniciado com o aparecimento da carrinha (Ponte de Londres) e concluído com o abate a tiro dos três indivíduos envolvidos no ataque (Mercado de Borough), tendo-se registado pelo menos 7 vítimas mortais e quase meia centena de feridos. Levando o Governo de Theresa May neste momento dramático e agora que estamos a 3 dias das Eleições, a chegar finalmente a uma conclusão óbvia e tomar a iniciativa (perante os COBRA e falando de terrorismo):

 

"We cannot continue as we are. Things need to change."

 

E com as Eleições na Grã-Bretanha aí à porta (com o inicialmente derrotado o Trabalhista Jeremy Corbyn cada vez mais próximo da líder Conservadora e 1ª Ministra Theresa May), com os atentados a prosseguirem um pouco com todo o lado (agora tendo Londres como um dos alvos prioritários), com a Guerra nos países árabes a não ter fim estando mesmo a expandir-se (Líbia, Síria e Iémen) e com o caos político instalado no Mundo Ocidental (com a eleição de Trump e de Macron envoltas numa possível e delirante manipulação russa), com a Luz ao Fundo do Túnel conduzindo à ainda possível salvação do Velho Continente (agora que a Europa se fossilizou sobre si própria, pensando consolidar-se e simultaneamente virando as costas à Rússia, uma autoestrada preferencial aberta rumo ao mercado asiático) a mostrar-se cada vez menos intensa (crise económica) e originada numa passagem cada vez mais estreita (imposta pelos EUA na defesa dos seus interesses), deixando a este espaço e a todos os que nele residem menores perspetivas de Paz e a importação da Guerra para o interior dos seus territórios (e das suas famílias).

 

Mas será que a Europa já se esqueceu da II Guerra Mundial (1939/1945)?

 

(imagem: Gabriele Sciotto)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:32
Domingo, 24 DE Julho DE 2016

O Atentado de Munique

A questão não está propriamente no atentado, mas no que levou um jovem a matar-se e de seguida a suicidar-se: ou não fosse o meio a propiciar (e provocar) a reação. Nunca se discutindo o papel fulcral do verdadeiro autor o propiciador (ou formador).

 

_90500381_9de7715a-8931-4b0b-bde7-8db6c3abf723.jpg

David Sonboly

O que poderá ter levado um jovem estudante de 18 anos e nascido na Alemanha a matar pessoas e a suicidar-se de seguida?

Quem no Ocidente o terá ensinado e quem terá ele copiado?

(outros semelhantes no Oriente também usam crianças e jovens como armas)

Nós todos sabemos que começamos a apreender imitando o que fazem os adultos!

 

“As anteriores gerações e a atual têm que compreender e interiorizar que o Estado dos Cidadãos já acabou, tendo há muito sido substituído há muito pelo Estado das Corporações: uma estrutura estritamente económica em que o Homem se transformou num mero objeto desvalorizado e de desgaste rápido e ainda por cima incómodo, improdutivo e capaz de pensar.”

 

Como é que um político eleito, responsável e minimamente decente, pode explicar aos pais de um filho, sem qualquer razão aparente assassinado a sangue frio no seu próprio país – quando num fim-de-semana se deslocava para mais umas horas de convívio e lazer com os seus amigos, num local público e necessariamente seguro e protegido – que tal incidente mais cedo ou mais tarde seria inevitável de acontecer e que a única e melhor solução seria começarmos a habituar-nos a eles, banalizando em torno da morte a nossa vida e o nosso próprio quotidiano?

 

“Numa guerra fratricida sem amigos e inimigos, onde tudo o que fala e que mexe poderá ter o mesmo destino de um dia ser abatido (como um verdeiro troféu de caça): como no caso de Munique onde entre os dez mortos para já contabilizados (mais pelo menos 35 feridos) encontramos 8 vítimas com menos de 20 anos (14 anos/3, 15 anos/2, 17 anos/1, 19 anos/1, 20 anos/1), uma com 45 anos e o próprio autor do ataque com apenas 18 anos. Um jovem alemão nascido na Alemanha (de ascendência iraniana), sem passado criminal, porventura educado e que um dia pegou numa arma matou e de seguida se suicidou!?”

 

Será que eles (os políticos) não compreendem que as vítimas destes incidentes não são coisas a serem por eles utilizadas (e invariavelmente instrumentalizadas), como se as vítimas fossem iguais a terroristas? E que como tal devem ser (as vítimas) até ao extremo defendidas pelos seus representantes legais, para tais fins e objetivos eleitos e como tal responsabilizados? Ou não será que num caso desta gravidade e dimensão e face às afirmações provocadoras dos políticos relativamente a estas situações dramáticas e mortais (e que eles próprios fomentaram com os seus negócios de Guerra e de Morte lá longe e bem escondidos), não os devemos mesmo demitir, criminalizar e prender? Para tal bastando ler uma das últimas declarações hipócritas e ignominiosas do 1ºMinistro de França (face ao brutal atentado de Nice) dirigidas a todo o Mundo, a toda a França, a todos os mortos (só em Nice mais de 80) e a todos os feridos (só em Nice mais de 300), tentando demover-nos da nossa luta (hoje já travada pela nossa sobrevivência) e a aceitarmos o indescritível (como se fosse o destino do Povo):

 

“Il y aura d'autres attentats et d'autres innocents tués.”

(Manuel Valls – 1ºMinistro Francês)

 

_90499540_mediaitem90499537.jpg

Munique

Homenagem às vítimas do tiroteio ocorrido num centro comercial da Alemanha organizado por um único jovem (que se suicidou) e matando 9 pessoas (8 deles jovens)

Um reflexo nas novas gerações da podridão em que a cobardia e inação dos adultos os deixaram cair (ainda cima sendo seus filhos)

Responsáveis? Pensem bem em quem desde sempre e como por ordem divina vocês escolheram para vos (e forçosamente nos) representar!

 

“Não percebendo por que razão e apesar de tudo o que de dramático e mortal se tem passado neste Continente (agora incluindo velhos. mães e crianças no contingente crescente de mortos, feridos e estropiados), todo o povo da Europa permaneça indiferente e apático como se nada tivesse acontecido (pondo em causa a nossa existência) – ainda-por-cima com os nossos representantes políticos e legais (mesmo que nomeados) a convidarem-nos à apatia e à mera aceitação, do nosso próprio haraquíri como gado oferecido para abate.”

 

No caso de Munique com um jovem de 18 anos aparentemente a planear um ataque durante quase um ano e a levá-lo a cabo em solitário e armado com uma pistola Glock, num restaurante McDonald’s situado no interior de um Centro Comercial – frequentado esmagadoramente por jovens muitos deles de origem estrangeira. Um jovem pelos vistos apresentando alguns distúrbios mentais (poderá ter estado no passado internado), amante de jogos de vídeo violentos, possuidor de uma arma e que terá consumado o seu plano no dia 22 de Julho de 2016 – para uns uma enorme coincidência com outro grande atentado também concretizado e dirigido por um jovem contra outros jovens (maioria dos presentes) e que levou há 5 anos atrás o norueguês Anders Behring (cerca de 30 anos) a matar quase 80 pessoas e a ferir mais de 50.

 

(imagens: bbc.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:22
Sexta-feira, 15 DE Julho DE 2016

Massacre com um Camião

Mais de 80 mortos e mais de 100 feridos:

“Certamente que não será um caso de terrorismo moderado”!

 

Nice-Attack.jpg

Um Terrorista e um Camião – O Necessário para um Massacre

 

Um atentado levado a cabo por um terrorista-suicida (segundo as primeiras notícias de nacionalidade francesa e com ascendentes tunisinos) e executado pelo mesmo segundo as indicações de um manual da AL-QAEDA (publicado em 2010 num magazine online da organização) denominado INSPIRE.

 

“Pick your location and timing carefully. Go for the most crowed locations. Narrower spots are also better because it gives less chance for the people to run away. To achieve maximum carnage, you need to pick up as much speed as you can while still retaining good control of your vehicle in order to maximize your inertia and be able to strike as many people as possible in your first run.” (jihadology.net/magazine associado à Al-Qaeda)

 

Aplicando ao pormenor todas as indicações aí mencionadas e neste caso do atentado sangrento do 14 de Julho em NICE, tendo ainda em atenção que a arma mortal se tratava aqui de um camião e que com grande velocidade e circulando aos esses (no local e na data previamente escolhida) a matança final seria muito maior.

 

“The ideal location is a place where there are a maximum number of pedestrians and the least number of vehicles. In fact if you can get through to “pedestrian only” locations that exist in some downtown (city center) areas, that would be fabulous. There are some places that are closed down for vehicles at certain times due to the swarms of people. If you have access to firearms, carry them with you so that you may use them to finish your work if your vehicle gets grounded during the attack.” (jihadology.net/magazine associado à Al-Qaeda)

 

Levando-nos a concluir facilmente que tendo sido um só indivíduo (ou mesmo um grupo) a cometer o MASSACRE, ele terá sido previamente planeado, suportado pela ideologia difundida pela AL-QAEDA (confundindo-se em muitas células terroristas com as do Estado Islâmico) e motivado ativamente com o único objetivo de provocar o maior número de vítimas possíveis.

 

“This idea could be implemented in countries like Israel, the U.S., Britain, Canada, Australia, France, Germany, Denmark, Holland and other countries where the government and public sentiment is in support of the Israeli occupation of Palestine, the American invasion of Afghanistan and Iraq or countries that had a prominent role in the defamation of Muhammad صلى الله عليه وسلم (Peace be upon him). In such countries we may strike at the public at large. As long as they target our noncombatants, we will target theirs. This is one of many ways to implement this idea. You may modify it and add or subtract to it according to what is suitable for your particular conditions.” (jihadology.net/magazine associado à Al-Qaeda)

 

Numa sequência de sangue e de violência tendo como origem o conflito do Médio Oriente, num genocídio iniciado ainda com BUSH pai com a 1ªGuerra do Golfo e continuado com BUSH filho com a 2ªGuerra do Golfo (e a invasão do Afeganistão) e para gáudio de alguns para sempre perpetuado no tempo pelo prémio Nobel da Paz BARACK OBAMA – com a destruição da Líbia e da Síria e os seus DRONES telecomandados, a serem as grandes estrelas deste seu putrefacto guião.

 

(texto/inglês/itálico: peoplespunditdaily.com – imagem: AFP)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:21
Sexta-feira, 15 DE Julho DE 2016

Atentado na Riviera Francesa

Num incidente em que os primeiros indícios apontam para mais um atentado terrorista – envolvendo um ataque de um único suicida utilizando um camião carregado de explosivos e com o objetivo de matar o maior número de pessoas possível.

 

Nice attack:

Up to 60 dead as truck rams into Bastille Day crowd in French Riviera city

 

CnWvBQ7WAAAv6c4.jpg

 

A França foi mais uma vez vítima de um incidente sangrento envolvendo um número elevadíssimo de mortes e de feridos, num ataque aparentemente dirigido e perpetrado por um único indivíduo.

 

"Saw a truck amongst people when the screaming started. About 50m away."

 

Levado a cabo no final dos festejos do 14 de Julho (Dia da Tomada da Bastilha) e quando a multidão desmobilizava após o encerramento das comemorações com o fogo-de-artifício de encerramento.

 

"We saw people hit and bits of debris flying around."

 

7631474-3x2-940x627.jpg

 

Com um camião a irromper a grande velocidade pelo meio da multidão caminhando tranquilamente de regresso a casa (incluindo naturalmente famílias), apanhando muitos completamente desprevenidos, atropelando uns e projetando outros.

 

"It was absolute chaos."

 

Com o duo mortal Assassino/Camião a ser apenas interrompido na sua loucura assassina quando já contava na sua lista com mais de 30 mortos e de 100 feridos, ao ser finalmente abatido pelas forças de segurança.

 

[Atualização (00:45): mais de 70 mortos e cerca de 100 feridos]

 

(texto/itálico: ABC – imagens: Nice-Matin)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:38
Quinta-feira, 30 DE Junho DE 2016

Sinais para a Europa

Como um Sintoma da sua Doença

(de um Continente por Sinal Paralisado)

 

aljazeera.com.jpg

No aeroporto internacional de Istambul o massacre foi cometido à entrada do mesmo

Não no seu interior como o sucedido em Bruxelas

Com os passageiros completamente expostos

E ainda no exterior do perímetro de segurança

 

Enquanto a Grã-Bretanha prossegue o seu caminho já há muito desenhado de abandono progressivo da UE – sendo o referendo BREXIT apenas mais um dos episódios desta tão elaborada SAGA – por seu lado a Alemanha lá continua toda entretida com a sua liderança económica e financeira da EUROPA, agora podendo contar adicionalmente com a grande possibilidade da fuga de alguns nichos de mercado de Londres para Frankfurt, fortalecendo ainda mais o seu poder de decisão, a sua capacidade de controlo e sobretudo a sua eficácia (por imposição) de orientação ideológica (entendendo-se exclusivamente como económica e financeira e desprezando todos os aspetos sociais – especialmente fora da Alemanha).

 

35C4A4DE00000578-3664710-image-a-51_1467159863128.

Um dos atiradores e bombista-suicida

Iniciando o ataque com rajadas de Kalashnikov

E concluindo-o com a sua própria explosão

 

Assim de um lado temos agora a Alemanha (e todos os países ricos do norte), do outro lado todo o resto da Europa (com a França e todos os países pobres do sul) e resguardados no seu canto, na sua ilha da Europa, a independente Grã-Bretanha. Tendo ainda de um dos lados a Rússia e do outro os EUA. Num momento em que surgem muitos pontos em comum com o tempo que antecedeu o início da última grande guerra mundial – substituindo-se apenas nesta nova e brutal guerra (para já económica) os povos de leste pelos povos do sul, mas agora com a projeção futura a não ser o da reconstrução do Eixo Europeu mas a do seu abandono e substituição pelo Eixo Asiático. Ou não fosse esse o desígnio há muito assumido pelos norte-americanos.

 

x.jpg

Um dos bombistas-suicidas após ser abatido a tiro mas estando ainda vivo

Segundos antes de fazer deflagrar o seu cinto explosivo

E com o segurança que o atingiu a fugir de imediato

Ao aperceber-se do que iria acontecer de seguida

 

E assim chegamos ao atentado levado a cabo ontem ao final da noite no aeroporto de Istambul – neste momento com as vítimas a aproximarem-se dos 50 mortos e 200 feridos – pretensamente levado a cabo pelos terroristas do Estado Islâmico num momento em que os mesmos começam a recuar tanto no Iraque (com a intensificação dos bombardeamentos norte-americanos) como na Síria (devido aos fortes bombardeamentos russos), obrigando-os à prática de outros exercícios de violência brutal, paralela e para eles (necessariamente e como mecanismo de autodefesa) complementar – deslocando-os do palco de guerra para o palco de alguns dos seus financiadores (mas respeitando sempre e até à morte o patrocínio da Arábia Saudita). E logo na altura em que de novo se reatavam as relações entre a Rússia e a Turquia, com o pedido de desculpa do presidente turco Erdogan a ser enviado finalmente e pelo próprio ao seu homólogo russo Putin.

 

f_turkey_passrunning_160628.nbcnews-ux-1240-700.nb

Fugindo à explosão que se previa eminente

Face à presença de um dos três bombistas-suicidas

(com outro nas proximidades e o terceiro na entrada do metro)

 

Um atentado tendo de novo como alvo um aeroporto internacional europeu – neste caso o de ATATURK em Istambul – onde circulam atualmente cerca de 60 milhões de passageiros por ano oriundos de toda a parte do mundo: considerado o 11ºaeroporto com maior tráfego de passageiros a nível mundial e o 3º do continente europeu. Na sequência e em tudo idêntico ao atentado ocorrido há pouco mais de três meses no aeroporto de ZAVENTEM localizado na capital da Bélgica (Bruxelas a 22 de Março), também atingindo uma estação de metropolitano neste caso situada perto do Parlamento Europeu (e de outras agências associadas). Provocando com o seu triplo ataque (dois bombistas suicidas no aeroporto e um outro no metro) quase 300 vítimas entre mortos (mais de 30) e feridos (mais de 250).

 

5oyjznnde6zb_-d4lah6usy7qstzlq7p-xlarge.thefinance

O momento de uma das explosões

Registada pelas câmaras de vigilância do aeroporto

Com as pessoas a serem apanhadas na sua fuga desesperada

 

No aeroporto de Ataturk com o ataque terrorista a ser levado a cabo por três operacionais (fala-se de testemunhas que terão visto na altura do atentado um outro grupo suspeito em fuga), que certamente terão tido colaboração no próprio local do atentado de modo a aí se poderem infiltrar com maior facilidade (mesmo que no perímetro exterior de segurança) e transportando consigo e sem que fossem detetadas armas de tiro como as automáticas KALASHNIKOV e cinturas carregadas de explosivos à volta dos seus corpos de bombistas-suicidas: de momento a caminho de bater o número de vítimas registadas na Bélgica com cerca de 40 mortos e 240 feridos a registar (para já). Com dois dos operacionais a fazerem-se explodir à entrada do aeroporto e o terceiro numa entrada de metro aí existente.

 

160628203010-19-istanbul-ataturk-airport-explosion

Com a Turquia a ser o único país a servir de muralha

Ao avanço do conflito no Médio Oriente

E simultaneamente perante a fuga há muito iniciada pela GB da EU

Os povos da Europa vêm-se agora cada vez mais perdidos e ignorados no seu próprio continente

 

Apêndice

 

Entretanto, como responsáveis e incapazes que sempre foram (politicamente) e como sempre (e incompreensivelmente) de costas voltadas para a Realidade (que também ajudaram a criar), eis que a Europa se vira para a Ilha (o BREXIT inglês) e ignora o Continente (o MASSACRE turco) – levando um murro na mona (na Grã-Bretanha) e mais um tiro no cu (na Turquia)!

 

E com a distância entre Bagdad e Lisboa (dois limites do Califado) a ser cada vez mais curta e perigosa: antes ficando em Bagdad (a 4.800Km no Iraque) agora em Istambul (a 3.200Km na Turquia).

 

“1/3 Da Viagem e já com Batedores (para os restantes 2/3) ”

 

Num atentado certamente levado a cabo pela fação moderada dos mercenários e terroristas associados ao Estado Islâmico – e como tal certificados pela CIA ou pelo Pentágono e com a garantia da chancela dos EUA e a bênção sagrada da Arábia Saudita (com a Europa como beata ou como simples sacristão).

 

(imagens: aljazeera.com/dailymail.co.uk/youtube.com/nbcnews.com/thefinancetimes.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:32
Sábado, 16 DE Abril DE 2016

Scott Kelly

This perspective of Earth makes violence on its own people unimaginable.

Thoughts with Brussels.”

(Scott Kelly)

 

CeLcHzyXEAEhw7E.jpg large.jpg

A Terra a 22 de Março de 2016

(data do atentado terrorista no aeroporto de Bruxelas)

 

No ainda para nós muito recente dia 22 de Março de 2016 – dia do atentado levado a cabo no aeroporto de Bruxelas por terroristas do Estado Islâmico (e que mataram no mínimo 35 pessoas ferindo mais de 300) – ainda em órbita da Terra e emocionado com o cenário com que o seu planeta o presenteava, o então astronauta da Estação Espacial Internacional (ISS) SCOTT KELLY, não resistiu ao contraste tão chocante e contraditório desta contradição nesse instante tão evidente, tendo de um lado a beleza e a imagem acolhedora do seu Lar (a Terra vista do Espaço) e do outro lado aqueles que usufruindo dela mas parecendo esconder-se de algo, nem em si próprios a reconheciam como berço da sua transformação (criação). Com a sua Imagem de Paz escondendo Tempos de Guerra.

 

(imagem: Scott Kelly/twitter.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:46
Domingo, 27 DE Março DE 2016

Atentado no Paquistão

Cidade de LAHORE

Mais de 70 mortos e de 300 feridos

 

Mais um atentado levado a cabo por uma pretensa fação do movimento TALIBÃ com ligações ao EXÉRCITO ISLÂMICO (Jamaat-ul-Ahrar), tendo como alvo a comunidade paquistanesa cristã da cidade de LAHORE – para o bombista suicida que o executou e para os seus mentores, um ataque ao Ocidente e a todos aqueles que os atacam na Síria e no Iraque. Com mais esta ação tendo por trás o próprio PAQUISTÃO, o seu grande financiador a ARÁBIA SAUDITA e o colaborador pretensamente desinteressado os EUA.

 

56f8025d1500002a000b3446.jpeg

 

Depois do recrudescimento dos ataques aos principais redutos do Exército Islâmico localizados na Síria (fundamentalmente depois da entrada da Federação Russa no conflito) e do rápido avanço do Exército Sírio no terreno (que tem obrigado os terroristas e mercenários no terreno a retirarem em debandada), eis que o Exército Islâmico responde agora com mais dois violentos atentados: um na EUROPA/BRUXELA e outro na ÁSIA/LAHORE – ambos com cenários violentos com dezenas de mortos e centenas de feridos.

 

56f81b951500002a000b3458.jpeg

 

Um atentado ocorrido num local popular situado num parque da cidade perto de um parque infantil onde a comunidade cristã local se costuma reunir habitualmente, para celebrar certas festas religiosas como era o caso nesse dia das festividades do fim-de-semana da Páscoa. Incidente explosivo provocado por mais um bombista-suicida e no qual as grandes vítimas foram esmagadoramente mulheres e crianças – com partes do corpo das vítimas a voarem pelo parque no meio da nuvem de poeiras provocadas pela explosão.

 

56f80d691500002a000b3448.jpeg

 

Paquistão: um país movendo-se numa grande balburdia política e geoestratégica de apoios e alianças, desde as suas grandes e antigas ligações ao IRÃO (das quais não se quer separar) até às suas estreitíssimas ligações com o grande inimigo dos iranianos a ARÁBIA SAUDITA (que tudo dá e tudo paga) – mas nunca esquecendo o amigo sempre com a mãozinha no seu ombro (os EUA) não fosse o PAQUISTÃO uma importante encruzilhada (para a AL-QAEDA e para o ISIS) e possuir ARMAS NUCLEARES.

 

(imagens: Arif Ali/Getty Images)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:50
Terça-feira, 22 DE Março DE 2016

Bruxelas, 22 Março 2016

Atentado do Estado Islâmico em Bruxelas

(mais de 30 mortos e cerca de 200 feridos)

 

Na continuação da vaga de atentados promovidos pela organização terrorista Estado Islâmico, mais cidadãos da Europa são vítimas desta luta criminosa entre diferentes fações, aliados e financiadores destes poderosos grupos de terroristas e de mercenários: depois da capital da França (Paris) seguindo-se agora a capital da Bélgica e de um certo modo da própria Europa (Bruxelas). Numa contabilidade crescente de mortos e de feridos que pelos vistos não parece incomodar muito todos aqueles que escolhemos (e responsabilizamos) para nos defender.

 

CeIs2DYXIAAT0oa.jpg56f13fed150000ad000b2ca9.jpeg

Duas explosões registadas no aeroporto de Zaventen

 

Etat Islamique

Comuniqué sur l’expédition nénie de Bruxelles contre la Belgique Croisé

 

“Um nombre de soldats du Califat portant des ceintures explosives, des bombes et des fusils mitrailleurs, et clblant des lieux choisis avec precision dans la capital belge Bruxelles se sont élancés à l’interieur de l’aéroport Zaventen de Bruxelles et d’une station metro pour tuer un grand nombre de croisés.Ils ont ensuite déclencher leurs ceintures explosives au millieu de leurs rassemblements. Le billan de cette ataque s’eleve à 40 morts et pas moins de 210 blessés parmi les citoyens des états croisés.” (EI)

 

CeJccESW4AAO-8L.jpgCeI7LRBW0AAaQ-C.jpg

Uma explosão registada no estação de metro de Maelbeek

 

Enquanto e por incrível que pareça a liderança política europeia nada faz de visível e de relevante (que garanta aos seus cidadãos mais alguma proteção e segurança), continuando impávida e serenamente à espera das ordens dos excecionais EUA e de mais algumas absurdas, prepotentes, terríveis e criminosas ideias que a Arábia Saudita possa ter (o verdadeiro estado patrocinador do terrorismo, ponto de origem da AL-QAEDA de BIN LADEN e grande financiador do ESTADO ISLÂMICO).

 

(imagens: huffingtonpost.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:24
Domingo, 31 DE Janeiro DE 2016

Síria – Concecionários em Ação

Filiais das grandes multinacionais globais protegidas pela maior potência militar do mundo e pelas suas incansáveis impressoras de dinheiro (tendo como modelo o dólar), deixaram agora bem claro e de uma forma transparente (especialmente para quem ainda tivesse algum tipo de dúvida de que o dinheiro e o negócio comandam a Vida), a sua verdadeira posição face ao início de novas conversações de Paz sobre a Guerra Civil na Síria.

 

635898411352266214-EPA-SYRIA-UNREST-DAMASCUS-BOMBI

Atentado suicida em Damasco
(Domingo 31.01.2016)

 

“At least 50 people were killed Sunday in a triple suicide bombing near the Syrian capital of Damascus as the United Nations special envoy launched indirect peace talks to end the country's civil war.”

 

E enquanto este genocídio económico, estratégico e bem localizado (mas apenas no início por estar bem longe de nós mas nos dias de hoje já nem por isso com os migrantes fugindo da morte e a bater à nossa porta) se desenrola diante dos nossos olhos e como se nada se passasse (na realidade como no caso dos campos de concentração nazi em que ninguém por essa altura sabia da sua existência mesmo morando ao seu lado), a única coisa que entrevemos (a Europa continua ceguinha) é uma luta de concessionários: na prática de um lado os russos/com Bashar al-Assad e do outro os norte-americanos/com o Estado Islâmico (e com a Europa na mão dos dois calmamente a assistir).

 

Mas quantos mais atentados serão mesmo necessários para finalmente entendermos o que nos dizem as guerras? O que eu vejo é a morte (do sujeito) e o desprezo pelo homem (diminuído face ao objeto). E evidentemente o elevar da mais-valia.

 

(texto/negrito Gregg Zoraya e imagem SANA/European Pressphoto Agency/usatoday.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:58
Segunda-feira, 16 DE Novembro DE 2015

Carnificina

No momento em que as vítimas portuguesas deste atentado já se cifram em três (além de existirem já confirmados pelo menos outros cinco feridos): uma na zona do estádio onde se disputava o jogo de futebol França-Alemanha (atingida pela explosão de um bombista suicida) e outras duas no Bataclan onde atuava uma banda da Califórnia (mortas a tiro ou quando os terroristas se fizeram explodir).

 

2E77584700000578-3319244-image-m-25_1447595206723.

Local da Carnificina
Interior do Bataclan
(sábado, 14)

 

Pelo fim do dia 13 de Novembro de 2015 (sexta-feira) quando muitos dos parisienses já usufruíam do seu descanso merecido de fim-de-semana, o seu quotidiano pacífico de amizade e de convivência foi subitamente interrompido por um evento catastrófico e deliberadamente mortal: vários atentados e uma carnificina.

 

Os atentados foram levados a cabo por indivíduos reclamando-se representantes da Síria, sendo posteriormente suportados na sua reivindicação pela organização terrorista Estado Islâmico. Talvez com resposta por parte dos terroristas atuando na Síria (assim como no Iraque) ao recente recrudescimento dos bombardeamentos por parte da força aérea francesa.

 

2E73D32C00000578-3319244-Tension_Armed_police_prep

Frente do Bataclan

(sexta-feira, 13)

 

2E6F326500000578-3319244-From_above_The_scene_foll
Traseiras do Bataclan
(sexta-feira, 13)

 

Mas talvez mais como pretexto, agora que a estratégia de atirar os contingentes de refugiados para o interior a Europa (migração bem organizada por todos os mercenários individuais/privados e coletivos/estados ao serviço desta imensa rede terrorista bem organizada e melhor financiada) parecia ir de vento-em-popa: no meio do rebanho em fuga não se notaria presença de nada (de estranho como o lobo).

 

As últimas notícias apontam para o reforço das medidas de segurança em território francês, com o prolongamento do Estado de Emergência durante os próximos três meses (enquanto prosseguem as investigações e a perseguição a outros possíveis envolvidos no atentado) e o início do bombardeamento por parte de jatos da força aérea francesa de bases situadas em pleno território sírio e controladas pelo Estado Islâmico.

 

(imagens: Mirrorpix/EPA/EPS – dailymail.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:12

pesquisar

 

Junho 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
15
16
20
24
25
26
27
28
29
30

comentários recentes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro