mais sobre mim

Segunda-feira, 04 DE Abril DE 2016

A Razão dos Emigrantes

Aprender a ganhar dinheiro só com pobres ou vigaristas: os outros só aqui andam (a vender-se e ao corpo também) para servirem os primeiros (que os compram incluindo a mente).

É a força da Vida baseada no Dinheiro.

 

Desde sempre que os autodidatas da vida e da sobrevivência direta (em contacto com a Natureza, absorvendo-a, apreendendo-a e aplicando-a de imediato), mostraram com toda a sua prática e experiência adquirida e consolidada ao longo de centenas de gerações (e com a sucessão de erros por estas cometidas e continuamente corrigidos), a sua inegável superioridade na aplicação dos seus conhecimentos interiorizados e arquivados ao longo de milhares de anos (de cultura e de memória popular e absoluta).

 

Que o digam os Emigrantes Portugueses: no nosso país e na questão do Ouro os pioneiros do século XX.

 

Sem Título.png

Tabela indicativa da evolução do Ouro em dólares nos últimos cinquenta anos

 

Facto que contrasta bem com o que se passa hoje em dia em Portugal, com a área profissional da economia e da gestão em crise profunda de mercado (ainda por cima com um excesso de oferta de mão de obra qualificada para estas áreas) e por desconhecimento ou verdadeira qualificação prática básica, sem grandes contributos ou ideias por parte desta para se salvar, desenquadrada como está das necessidades reais do mercado de trabalho e desconhecedora de muitas das regras mínimas de sobrevivência: como o da tomada de consciência do seu baixo valor atual de mercado e da sua necessidade urgente de polivalência (e não de especialização que só vem a seguir).

 

“Os arqueólogos sugerem que o primeiro uso do ouro começou com as primeiras civilizações no Oriente Médio. É possível que tenha sido o primeiro metal utilizado pela humanidade.”

(wikipedia.org)

 

Algo de que um simples Emigrante Português logo se apercebeu nos inícios dos anos sessenta, quando o Ouro pela primeira vez quis começar a dar os seus primeiros saltos – correndo para as ourivesarias e comprando tudo o que vissem.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:19
Sexta-feira, 17 DE Abril DE 2015

Tudo por Dinheiro


"Faz-me muita impressão que num curto espaço de tempo, haja tanto investimento chinês", disse o presidente do BPI, assumindo que se sente chocado por Portugal "ser o porta-aviões da China para entrar na Europa." (dinheirovivo.pt)

 

Se alguém ainda tinha qualquer dúvida sobre o avanço civilizacional, científico e tecnológico do nosso país face a autoproclamadas potências como a China, se já não bastasse a comparação dos nossos enormes e cuidados centros comerciais com as caóticas e diminutas lojas chinesas dos trezentos, é ver agora a diferença entre um avião e um submarino português posto lado a lado com um avião e submarino chinês: se por acaso não forem cegos, a diferença é como da noite para o dia!

 

1280px-Chegada_do_submarino_NRP_Tridente_à_Base_NA340-300-TAP-CS-TOC-José-Serra.jpg

Submarino e avião português

 

Basta comparar o nosso extraordinário submarino NRP TRIDENTE e o nosso espectacular avião AIRBUS A340-300, com o desenrascado submarino deles e o avião de solo chinês também deles. No caso do nosso submarino ele tem a capacidade de lançar torpedos, mísseis e minas; no caso do submarino chinês ele só é capaz de apanhar ouriços e outros seres marinhos. No caso do nosso avião além da sua velocidade, alcance e capacidade de passageiros, ele é capaz de se deslocar para 88 destinos em 38 países; no caso do avião chinês e provavelmente por uma questão de segurança nunca levantará voo (podendo-se instalar aí mais uma loja chinesa).

 

2015-04-17-RTR31RFF.jpg2015-04-17-RTR2YKH0.jpg

Submarino e avião chinês

 

Enquanto a China se contenta em ver o Mundo, no nosso caso é o Mundo que vê Portugal. Esta a verdadeira razão para tanta maledicência e inveja referida e demonstrada sobre um assunto tão simples e corriqueiro como o é uma habitual e banal actualização de submarinos (com os críticos a aproveitarem a situação para atacarem a integridade territorial do nosso país – o submarino em si é considerado território português); e pela qual a nossa companhia aérea é considerada uma das melhores e mais seguras do mundo, não sendo pois de espantar a correria desenfreada para a sua próxima privatização (e já são tantas correrias).

 

Até que tudo isto poderia ser verdade (uma coisa, a outra, ambas ou nenhuma), mas neste caso trata-se apenas de mais uma projecção, entre milhões de outras miragens.

 

“Most Americans have no idea what a tremendous advantage the United States possesses by having the primary reserve currency of the world, and most Americans also have no idea how close the U.S. dollar is to losing that status.” (thetruthwins.com)

 

(imagens: wikipedia.org/newsavia.com/sicnoticias.sapo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:25
Terça-feira, 14 DE Abril DE 2015

Disponíveis a Aceitar uma Mini

“Hoje quem decide não é o Lima mas sim as Cervejeiras”

 

Pires-Lima-UNICER.jpg

O verdadeiro poder de uma SUPERBOCK
(enquanto presidente da UNICER)

 

Quando é que estaremos disponíveis para aceitarmos finalmente que os tempos mudaram e nos começarmos a adaptar à nova realidade (esquecendo tudo o que nos ensinaram e disseram durante toda a nossa vida)? Como não nos sentimos capazes para períodos revolucionários (o que até parece contraditório face aos políticos belicistas que escolhemos), só temos que nos convencer que o que está agora é para ficar e que na nova engrenagem criada nem sequer somos necessários para decidir. Ainda votamos mas além disso as consequências desse voto são nulas (ou já não se lembram das promessas nunca cumpridas e muitas das vezes até negadas?).

 

Já não são os Estados que decidem o destino da sociedade e de toda a sua população. E como exemplo desse fenómeno temos os Estados Unidos da América. O centro do poder já não se localiza nem no Congresso, nem no Senado nem mesmo na Casa Branca. Quem dirige esta máquina que neste momento ainda domina todo o mundo controlando até ao mais pequeno detalhe tudo o que se passa neste planeta (com a China a querer emergir dum mar de dólares norte-americanos, apoiada por um grande conglomerado assente num banco mundial já em constituição e inundado em dólares chineses), são os grandes conglomerados internacionais maioritariamente com interesses norte-americanos, a máquina militar dos EUA (governo ou privados) e a fantástica e ilimitada impressora responsável pela inundação do mundo com a sua moeda, tal a rapidez de produção das suas rotativas.

 

O poder está no Dinheiro, o poder está na Economia, o poder está nas Corporações: sociedades secretas e de donos indeterminados que nunca poderão ser responsabilizados e julgados por nada e que como consequência da sua áurea curricular, serão sempre e confidencialmente escolhidos para tudo. E desta que a última bolha rebentou (oferta tóxica dos negócios falhados dos nossos aliados do lado de lá) o sentimento de desespero e de frustração ainda mais aumentou. Cada vez estamos mais conscientes de que a Democracia do Dinheiro falhou, que contamos cada vez menos para a mesma (como produtos de desgaste rápido e de difícil reincorporação de mais-valias) e que já nem os nossos representantes nos ligam. O que eles nos transmitem é que este mecanismo de acção/reacção acabou e que agora não passamos de meros objectos ainda por cima facilmente manipuláveis e descartáveis.

 

Um dia tal como no futebol estaremos a votar nas lâmpadas do PSV ou nos medicamentos do BAYER.

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:24
Sábado, 07 DE Março DE 2015

A Negação da Política

Aqui se fala de indivíduos a quem toda a gente paga:

para que nos representem e também para que nos defendam.

(e não para cobrar numa porta e escapar-se logo pela outra)

 

2015-03-06-lb-passos-museu-agua-01-10-14-d4d6.jpg

Primeiro-Ministro

 

Nestes últimos anos sempre que não tive dinheiro ou ingenuamente me esqueci, posso jurar pela minha saúde que por seu lado o Estado nunca se esqueceu de mim: com multas a pagar, juros a crescer e processos sem fim.

 

• Ideias básicas de indivíduos prepotentes:

 

Luís Montenegro diz que "era o que faltava" que o primeiro-ministro se demitisse

 

• Reacções básicas de indivíduos colaborando e beneficiando com essas prepotências:

 

PR não quis comentar dívidas de Passos

 

• Esquecimentos básicos e necessários de indivíduos prepotentes:

 

Passo sabia que devia mais 26 meses do que pagou

 

• O que básico pode acontecer quando o nosso amigo é um indivíduo prepotente:

 

Dívida. Assessor de Passos denunciou Paulo Macedo

 

Como eu não pertenço ao grupo privilegiado de prepotentes, o que me poderia acontecer era ser-me instaurado um processo ou até vir a ser condenado: depois de requalificado e tornado excedentário, desse modo eliminavam-me de vez.

 

(títulos: Lusa e Expresso – imagem: Luís Barra/Expresso)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:42
Quarta-feira, 04 DE Março DE 2015

A Fonte Infinita

Como grandes empresários que são os norte-americanos rapidamente se aperceberam que o segredo estava na posse do dinheiro: tudo o resto vinha depois, até o poder absoluto exclusivo dos Reis.

 

10-Reasons-Why-The-Reign-Of-The-Dollar-As-The-Worl

Deter o exclusivo da única Moeda de referência global
(o Dólar)

 

Os Estados Unidos da América são hoje em dia a maior e única potência global:

 

• Com um crescimento que quase poderíamos considerar exponencial face a todas as outras economias mundiais (mesmo aquela que já é considerada a maior potência em termos económicos relativos e absolutos, a China);
• Acompanhado pelo trabalho invisível mas eficaz de todas as suas Corporações privadas (todas penduradas no poder da máquina do estado, através do estabelecimento de ligações profundas, estratégicas e preferenciais com as estruturas de poder estilo cogumelos – pelo que é natural que alguns deles sejam tóxicos – multiplicando-se no seu interior e em seu redor);
• E pela sua poderosa máquina militar (que toda somada ultrapassa a força militar de todos os estados existentes no restante planeta).

 

Quem é que por mais poderoso e influente que seja (nos EUA ou no seu exterior) alguma vez poderá colocar em dúvida esta evidência?

 

149285-u-s-federal-reserve.JPG

Dominar o próprio Banco associado à produção dessa moeda de referência
(a Reserva Federal dos Estados Unidos da América)

 

A única dúvida que ainda poderemos tentar compreender (ou no mínimo interiorizar para seguidamente a aceitar e absorver como definitiva, mas com níveis distintos de indiferença – já que o sistema necessita para sobreviver duma estrutura hierárquica de comando, remunerada conforme o seu nível financeiro e estatuto político):

 

• É como é que um estado limitado tal como todos os outros pelas suas fronteiras geográficas, demográficas e de matéria-prima (mesmo sendo um estado rico em produtos essenciais como o petróleo – veja-se a actual convulsão nos mercados mundiais por acção directa e deliberada dos EUA, por coincidência um dos seus maiores produtores e em guerra não declarada com duas das maiores potências emergentes, a Rússia e a China), consegue invariavelmente e sem alternativa que se veja (por esse motivo todos se quererem juntar a eles e desse modo ainda poderem repartir alguns restos ou qualquer coisinha que o valha – o que tem sido feito exemplarmente pela velhinha e não menos senil Europa), ter dinheiro para pagar todas estas despesas, todas as comissões a elas associadas e até premiar em certos contextos de guerra (todos eles o são pois esta guerra há muito que já é global) os seus maiores inimigos (por dinheiro rapidamente mudam de lado e dinheiro é o que não falta aos EUA);
• E por mais que estados como a Rússia e a China se esforcem por inverter todo este processo unidireccional e aparentemente imparável de controlo total dos mercados, não será tentando projectar uma nova imagem num mundo já esmagadoramente dominado e controlado por outro (como o tenta fazer a Rússia) ou invadindo o mercado com pequenas miniaturas pretensamente equivalentes (seja a loja inicial e extremamente agressiva dos trezentos ou as grandes multinacionais chinesas) que estes estados irão lá (à medalha de ouro);
• Mas o que é certo é que este pequeno estado tem vindo a dominar o mundo nestas últimas décadas (com o seu grande salto económico já associado à indústria de guerra e à II Guerra Mundial), entrando em completa roda livre (eu quero, eu posso, eu mando) a partir da queda do muro de Berlim e do fim da União Soviética (o inimigo principal já estava final e aparentemente morto – ultimamente e contrariamente ao desejado pelos EUA parece querer ressuscitar, daí o perigo eminente de guerra na Europa) e atingindo o estado final de impunidade com o Evento do 11 de Setembro e o início da destruição de todas as sociedades organizadas em torno desse bem ainda fundamental e precioso, que é o petróleo: com a utilização de extremos aparentemente incompatíveis mas todos confluindo na implementação da nova teoria norte-americana para os países árabes. A Teoria do Caos (contando com a colaboração das Primaveras árabes e de todos os grupos terroristas organizados).

 

Não sendo isto nenhum ataque à política dos EUA mas apenas uma constatação da realidade em que vivemos neste pobre, perdido e insignificante planeta: a culpa não é de quem tem a capacidade de nos convencer seja do que for (neste caso os EUA), mas de todos aqueles que sabendo os verdadeiros objectivos do outro, por covardia, interesse e falsa responsabilidade, nada fazem e como tal em tudo consentem (como a Europa).

 

22prasad-articleLarge.jpg

Dominar o Mundo onde circulará essa moeda única e real
(tendo a Rússia e a China como adversários, por conjuntamente já terem interiorizado o poder da impressão)

 

A resposta a isto tudo é no entanto de tal forma explícita e evidente:

 

• Que qualquer leigo vivendo neste mundo e não percebendo nada de economia, pela sua actividade e experiência pessoal realizada e adquirida durante todo o seu percurso de vida e dos seus semelhantes, facilmente chegaria à resposta dos 7 biliões de indivíduos vivendo neste planeta: apesar de tudo ainda fascinante mas cada vez menos recuperável (por não sustentável face à sobre exploração de todos os recursos do planeta, levados aos limites do imaginário de um qualquer psicopata); se alguma vez lhes perguntassem – o que infelizmente mas de uma forma inteligente quem manda não sendo parvo e não querendo cometer suicídio, mesmo que assistido, não faz; o que no entanto não nos impede de responder ou por receio pelo menos sugerir, mesmo que ninguém nos ligue ou pelo contrário nos dê qualquer tipo de importância, mandando-nos imediatamente e com a utilização de qualquer tipo de instrumento mesmo que subliminar mas convincente, calar;
• Lembram-se dos filmes norte-americanos em que os bandidos, criminosos e restantes quadrilhas melhor ou pior posicionadas no Sistema legal ou ilegal (o que era indiferente por equivalente) se orientavam reproduzindo riqueza para os próprios (e associados)? Apenas recorrendo a máquinas de falsificação de dinheiro e invadindo o mercado com moeda não correspondendo a nada produzido ou palpável (pelo menos para o povo e para a economia) que não fosse o poder que a moeda lhes oferecia gratuitamente? Foi aí que residiu o Segredo da conquista da Terra por uns alienígenas oriundos de um único continente, que sustentando-se no movimento impressionante das suas rotativas de impressão de dólares (na realidade e por não corresponderem a nada, falsos), o distribuíram como se fossem eles os representantes de Deus (ou Polícias para o caso de não sermos religiosos) e como que perdoando-nos dos nossos pecados, oferecendo-nos em troca boas esmolas;
• O único problema é que chegará o dia em que banalizado o dólar, os EUA não terão mais rotativas que cheguem. Isto se entretanto as rotativas russas e chinesas trabalhando em conjunto e tal como já anteriormente assumido (e previsto para o fim deste ano de 2015, desde que a China chegou ao pódio económico, pretendendo lançar-se agora para a conquista do mercado financeiro) não tiverem criado a sua moeda, ajudando a destruir o dólar (basta lançar livremente como seus maiores detentores directos e indirectos, o que possuem no sistema), a sua economia e o seu poder hegemónico.

 

Mas como todos nós sabemos serão sempre os loucos e poderosos a terem a última palavra: sejam eles norte-americanos, russos, chineses ou outro tipo qualquer de extraterrestres (só pode!), em qualquer altura qualquer um deles poderá carregar no botão (significativo) e aí será mesmo BOOM! Segundo alguns aí abandonaremos o Inferno (da Terra) e atingiremos o Paraíso (no Céu).

 

Pobre VS Rico.jpg

Portugal – Um país dirigido por indivíduos com indícios evidentes de lobotomia
(pois só falam em números não acertando uma conta)

 

E já agora, talvez com alguma utilidade, algo mais relacionado com este assunto tão importante, oriundo de um ex-professor de Matemática há muito requalificado:

 

• Uma coisa que pude constatar como professor que fui no ensino secundário a ministrar a disciplina de Matemática, foi que os piores alunos que passaram por mim nessa disciplina e que mesmo assim insistiram em seguir estudos superiores em áreas em que a mesma era fundamental (o desastre estendia-se à física por causa das suas fórmulas e ao desenho por causa da inimaginável geometria do plano e do espaço) achavam sempre que tinham duas opções;
• Ou seguiram Matemática (inacreditável não é? mas com alguns a chegarem a professores apenas por persistência, acabando um curso de quatro anos por exemplo e com muita sorte em oito); ou então optavam por Contabilidade e Economia (por curiosidade os melhores iam para Medicina e os médios para Engenharia);
• Assim não é difícil de compreender a razão para o real e actual estado miserável da esmagadora maioria do Mundo e das suas Sociedades, com tipos de olho (de Olhão!) como estes a controlarem a Economia.

 

Talvez que num amanhã ainda não datado mas já por muitos pressentido, depois do Apocalipse venha um novo salto na História e mais uma vez a Humanidade se regenere. Como assim e como o dizem os ricos (quando falam para os pobres) a esperança é a última coisa a morrer – mesmo que hoje já não passemos de uma espécie de mortos vivos (ou zombies).

 

Banks-Banking-Economy-Economics-Crisis-Monetary-Sy

A única tarefa que os norte-americanos tiveram que cumprir para assumirem o controlo do mundo, resumiu-se a convencer-nos eficazmente de que se lhes entregássemos todos os nossos bens, em troca eles os guardariam como se seus fossem
(oferecendo como contrapartida fantástica livre acesso à impressora)

 

Continuo a não perceber porque raio de motivo é que todos os Iluminados que nos perseguem todos os dias tentando impor-nos as suas ideias (aceites de uma forma no mínimo subserviente por emitidas pelos seus chefes em troca de moeda), ainda não compreenderam (como vêm, o privilégio de uma minoria de chefes) que depois de se canibalizar a economia do próprio país (construindo poucas e grandes Corporações privadas) e de se canibalizar a economia de todos os outros países (invadindo, colonizando ou destruindo a concorrência exterior), o passo seguinte e inevitável será o de canibalizar os próprios Estados de preferência obliterando-os e fazendo-os desaparecer (até na História, refazendo-a). O nosso problema (e dos tais 7 biliões) é que há muito que já foi iniciado o processo que tem levado à nossa crescente, progressiva e pelos vistos alegremente assumida não existência.

 

(imagens – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:37
Segunda-feira, 17 DE Novembro DE 2014

(O Banco de) ALI BABA E OS (seus) VINTE LADRÕES

“It is with regret and sadness we announce the death of money on November 16th 2014 in Brisbane, Australia.” (Russell Napier of ERIC)

 

us_president_barack_obama_r_sits_alongside_prime_m

Tony Abbott, David Cameron e Barack Obama

 

Já todos sabemos há muito tempo (pelo menos desde o tempo dos nossos avós aquando da Grande Depressão de 1923/32) que o mercado económico e financeiro mundial poderá estar à beira de um colapso superior a todos os que até hoje já se registaram: só que agora começamos a perceber melhor que se o colapso ocorrer mesmo, os Bancos nunca acabarão apenas mudarão o seu paradigma. E quem saltará (da prancha do barco pirata para ser comido pelos tubarões) serão os depositantes (especialmente os grandes), aqueles que até hoje e em troca de um dividendo por vezes miserável, têm sustentado os mesmos bancos. E não me venham cá com a conversa de que esses (os depositantes) são investidores minoritários e de pouca influência na economia e nas finanças globais, pois todos nós sabemos que são eles os maiores detentores actuais de dinheiro vivo (em moeda e não em plástico informatizado), além de terem sido até hoje aqueles que salvaram o mundo capitalista, mantendo-o à tona de água e salvando-o de afogamento, enquanto o seu dinheiro ia cobrindo os picos máximos da terrível doença do capitalismo (selvagem). Como o que se passa com uma rede eléctrica, em que geradores de reserva existem (sendo extremamente importantes, senão mesmo prioritários) pela necessidade momentaneamente de cobrir picos de consumo: se tal não acontecesse toda a rede entraria em colapso. E nenhum de nós poderá afirmar que ainda não tinha sido avisado, pois Chipre foi há muito pouco tempo.

 

 

0,,18066645_303,00.jpg

Brisbane G20

 

Russell Napier Declares November 16, 2014
The Day Money Dies
(Tyler Durden – zerohedge.com)

 

"On Sunday in Brisbane the G20 will announce that bank deposits are just part of commercial banks’ capital structure, and also that they are far from the most senior portion of that structure. With deposits then subjected to a decline in nominal value following a bank failure, it is self-evident that a bank deposit is no longer money in the way a banknote is. If a banknote cannot be subjected to a decline in nominal value, we need to ask whether banknotes can act as a superior store of value than bank deposits? If that is the case, will some investors prefer banknotes to bank deposits as a form of savings? Such a change in preference is known as a bank run."..."Large deposits at banks are no longer money, as this legislation will formally push them down through the capital structure to a position of material capital risk in any "failing" institution."..."From November 16th 2014 the large-scale deposit at a commercial bank is, at best, a lesser form of money, and to many it will cease to be money at all as its nominal value can fall and it could cease to be accepted as a medium of exchange."

 

(imagem – Web)

 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:32
Quinta-feira, 05 DE Junho DE 2014

Mundo Zombie PT

“Apocalipse Zombie também entra nos planos de defesa do Pentágono”

(notícia Web)

 

 

O problema provocado pela crise que actualmente varre o país de norte a sul já ultrapassou há muito tempo o nível mínimo de Preocupação: com um país cada vez mais agarrado à ampliação exponencial de Serviços não reprodutivos e tendo já eliminado a Indústria e os elos fundamentais das ligações comerciais associadas – as PME – o limite imposto pela imaginária linha vermelha já foi há muito ultrapassado, com um número crescente de cidadãos a viverem em condições cada vez mais extremas, já mais para o lado de lá do que para o lado de cá. E todos nós sabemos que condicionando os comportamentos humanos a uma estrutura económica ilusória assente apenas no valor do dinheiro (desvalorizando tanto o sujeito como o próprio objecto de troca a ele proposto) poderemos estar a criar uma nova raça de humanos cada vez mais afastada do seu molde original, em linha com o objectivo do sistema da reprodução de contingentes de excedentários cada vez mais numerosos, que justifiquem futuramente e como medida fundamental de sobrevivência (dos melhores) a sua eliminação. De início destruindo-os psiquicamente e posteriormente aprofundando a sua intervenção decisiva e aniquilando-os fisicamente – duma forma definitiva e irreversível. Muitos de nós já vivemos na Terra do Morto-Vivo, só que já ninguém quer saber mais de nós.

 

(imagem – A Crise no Limite – Maria João Cunha – RR)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:34
Segunda-feira, 28 DE Abril DE 2014

DINHEIRO & Equilíbrio

“Tal como o tempo, o DINHEIRO é uma abstracção e um meio de manipulação”

 

Terminado o cenário cientifico e premonitório envolvendo a palavra Sexo – o estudo estendeu-se por onze sessões e o resultado foi o esperado – e face à necessidade urgente do aumento de audiências do blogue face à rápida descida da taxa de visualizações – desde que a palavra Sexo desapareceu – resolvemos agora desenvolver um novo estudo pormenorizado de prospecção, envolvendo uma outra palavra da tríade Sexo, DINHEIRO e Poder: precisamente DINHEIRO. O período de utilização deste expediente publicitário será idêntico ao anterior (utilizando como engodo evidente a palavra Sexo). Como condimentos deste novo repasto – depois de Sexo o DINHEIRO como prato principal – e caso se verifique ser necessário a sua utilização para incentivar o leitor à visualização, poderemos adicionar como apêndice suplementar mas poderoso, a palavra Mulher (p/homens) e a palavra Homem (p/mulheres).

 

Numa mala de trabalho tudo cabe: desde preservativos até DINHEIRO

 

Pelo povo sacrifiquei-me a vida inteira – sempre ao serviço da causa pública – pondo de lado as minhas obrigações familiares e fixando-me num T0 em desconstrução, sem serventia e sem mulher. Mais tarde comprei um Mercedes com 300.000km (em cem prestações), aluguei uma moradia durante um mês (com o pouco DINHEIRO que me restava), frequentei a Câmara da terra (onde encontrei outros como eu) e o baile da aldeia (onde encontrei mulheres sem dono e sem sexo como eu), candidatando-me de seguida à Junta de Freguesia. A minha campanha foi exclusivamente dirigida às mulheres, vencendo as eleições com 80% dos votos, incluindo netas (de maior idade) e avós. E então a minha vida mudou e no movimento o DINHEIRO circulou. Já não precisava mais de amigos IEFP ou CAP para me certificarem e me arranjarem o emprego que me era devido e assim poder finalmente ensinar a cozinhar, sem nada mais ter feito neste sector senão comer. Como cidadão modelo fui comemorar o meu evento, levando comigo poder e DINHEIRO e recebendo em troca e no meio de muito álcool, mulheres e o devido sexo: o passo seguinte seria ser Presidente da Câmara e para só pedia “que me deixassem trabalhar”. Na terra a minha primeira amante era algarvia, tinha um grande espaço para receber e chamava-se Ema: de que me recorde dei-lhe multiusos.

 

(imagem – Web)

tags:
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:21
Segunda-feira, 28 DE Abril DE 2014

Canalhice Primária

Para a esmagadora maioria do português Pobre que acha que a Memória e a Cultura de nada valem – só a Canalhice e o Oportunismo Descarado – apenas porque foi isso que a esmagadora minoria Rica sempre lhes disse:

 

“Maioria das medidas do PEC IV já foi adoptada”

 

Deus e o Diabo ou As duas Faces da Mesma Moeda

(O Carrossel Financeiro)

 

O Programa de Estabilidade e Crescimento IV (PEC IV), assinado em Março de 2011, incluía dezenas de medidas até 2013. Apesar de o documento ter sido chumbado no parlamento, conduzindo à demissão do Governo socialista, as principais reformas foram implementadas.

 

No tempo da Outra Senhora ainda éramos nós que por vezes com muitos sacrifícios procurávamos o Mundo e a Liberdade – como o foi o caso da heróica emigração dos esquecidos e ignorados portugueses, tão mesquinhamente insultados pelos seus modos e gostos pela elite de então, ela que sempre os tentou manter estrategicamente apáticos e analfabetos.

 

Agora que os filhos revolucionários desta elite – infelizmente os sobreviventes do pior que o Estado Novo produziu – se converteram à realidade e ás mordomias do dinheiro, não se esqueçam os seus vassalos rastejantes de assumirem totalmente a sua lobotomia (bem paga), continuando em prol da Pátria (ou do Protectorado) a oferecer “o cuzinho”.

 

(texto em negrito e imagem – Jornal Sol)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:27
Terça-feira, 03 DE Dezembro DE 2013

Globalização, Normalização e Prostituição

Se fosse minha filha (a agredida), dava-te um tiro nos cornos (ao agressor)”!

(para todos os demagogos do poder e suas caras metades)

 

Ao reflectirmos como um vidro AMPUTADO – um ESPELHO – a IMAGEM modelo e icónica dos OUTROS, estamos duma forma ALIENADA a decretar a nossa PARIDADE NÃO EXISTENTE e a CONDENAR egocentricamente À MORTE, todos os outros humanos como nós.

 

DROGAS duras


Um crime não necessita de vítima para o ser: o que é necessário é que o relatório sobre o processo e o seu tutor seja intolerante, demagógico e minoritário – sem consensos

 

Quando aceitamos prostituir-nos a tempo inteiro em nome do DINHEIRO – e da RESPONSABILIDADE de o gerir – estamos a assumirmo-nos como PROXENETAS do nosso grupo.

 

Face a Anjos como o Ministro da Saúde, preferia Judas, o Diabo ou o Papão”!

(no nosso país o manual de instruções nunca existiu – e agora até vem em chinês)

 

Como português deves ter consciência do que o teu Governo actual não tem feito – e mesmo destruído e delapidado – e conhecer a evolução do consumo de DROGAS e do vírus da SIDA no nosso país: talvez aí e mesmo ignorando o que estão a fazer aos nossos velhinhos – os teus pais e avós – reconheças a IRRESPONSABILIDADE CRIMINOSA do teu Ministro da Saúde, um católico de fim-de-semana, covarde e contabilista assumido.

 

O Chefe-Homem tem qualquer coisa de Filho da Puta”!

(e agora até criou a sua mulher-objecto por simples paridade secundária)

 

Porque será que a MULHER se assume sempre como uma das vítimas do HOMEM e no entanto escolhe sempre o homem como seu EXEMPLO e DEFENSOR, dizendo mal das outras mulheres e escolhendo sempre o lado mais FÁLICO – para DELÍRIO dos homens que as tratam como putas?

 

Dicionário do Poder

(como colecção ordenada alfabeticamente)


AGREDIDO: ser que devido à sua racionalidade se sujeita irracionalmente a ser invadido e atacado;

AGRESSOR: ser que devido à sua irracionalidade se converte racionalmente em invasor e assaltante.

 

(imagem – CM)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:23

pesquisar

 

Junho 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
15
16
20
23
24
25
26
27
28
29
30

comentários recentes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro