mais sobre mim

subscrever feeds

Sábado, 01 DE Julho DE 2017

Vitória no meio de Escombros ‒ E no meio sem nada que se mexa

Iraq Recaptures Al Nuri Mosque in Mosul, but Only Rubble Remains

 

30Mosul-visual1-superJumbo.jpg

Recuperando o último reduto do Estado Islâmico

(centrado na Grande Mesquita de Al Nuri com a mesma e tudo o mais em seu redor ‒ parte antiga da cidade de Mosul ‒ reduzida a um extenso monte de escombros)

 

Numa VITÓRIA considerada histórica pelo 1º Ministro do Iraque HAIDER AL-ABADI, as autoridades militares do seu país declararam na passada terça-feira dia 27 a captura do último reduto ainda na posse dos militantes do ESTADO ISLÂMICO (incluindo a grande mesquita de AL NURI e toda a zona envolvente) e a conquista total e definitiva da cidade iraquiana de MOSUL ‒ numa derradeira operação militar iniciada há cerca de 8 meses pelas Forças Armadas Iraquianas, contando com o apoio aéreo e com a colaboração no terreno de militares norte-americanos.

 

The mosque complex is nearly gone, reduced to a pile of rubble on June 21, after Islamic State militants packed the building with explosives as their grasp on the city continued to slip.

 

Com HAIDER AL-ABADI a afirmar estarmos perante os últimos momentos de vida do (falso) ESTADO ISLÂMICO na região, num combate que só terminará quando o último terrorista for expulso do IRAQUE. De momento e apesar destas declarações com os militantes do ESTADO ISLÂMICO a não se darem ainda como vencidos, estando ainda presentes e ativos nalgumas bolsas de resistência e podendo tal facto ser um sinal de uma futura retirada estratégica muito provavelmente em direção à SÍRIA: onde provavelmente se sentirão mais seguros (talvez contando com a colaboração norte-americana) mas onde já começam a ser atacados (bombardeados pela força aérea russa no ataque a comboios de terroristas em fuga).

 

“Al Hadba minaret and Al Nuri Mosque in Mosul were among the most iconic sites in the city, and stood as a symbol of identity, resilience and belonging. This new destruction deepens the wounds of a society already affected by an unprecedented humanitarian tragedy.”

 

Por um lado não deixando de ser curioso esta correria desenfreada entre dois países vizinhos e em GUERRA CIVIL, os dois antes da Guerra sendo dos países mais abertos ao denominado MUNDO OCIDENTAL e no entanto e talvez por isso mesmo (veja-se a política inflexível da ARÁBIA SAUDITA) sendo sacrificados por estes últimos em nome de maiores valores (o PETRÓLEO) mesmo tendo que terraplanar um país cometendo inevitavelmente GENOCÍDIO: sempre com o mesmo protagonista, sempre com as mesmas consequências e no entanto com os únicos responsáveis (os que arrancaram com as armas esmagadoras) a sempre vistos invariavelmente e caso após caso, como os salvadores e como os guardiões da Lei e da Verdade (autodenominando-se EXCECIONAIS).

 

“The retaking of Mosul does not mean an automatic end to the suffering of the 1.5 million people that spent more than two years living under harsh ISIS rule. Despite the declaration, ISIS still controls some areas in the Old City of Mosul and ongoing fighting will continue to threaten the lives of civilians.”

 

AFEGANISTÃO, IRAQUE, LÍBIA, SÍRIA e agora o IÉMEN. E com o IRÃO sempre na lista e outros como o QATAR a ainda a poder integrar (por sugestão da Arábia Saudita solicitando aos norte-americanos o bombardeamento da Al-JAZEERA). O que poderia levar o conflito no Médio Oriente a alastrar-se a toda a região do Golfo (e não só), deixando em alerta a CHINA, levando ao reforço militar na RÚSSIA (pela proximidade do conflito a territórios destas duas grandes potências), pondo a TURQUIA em polvorosa (fazendo fronteira com a Síria), colocando todo o norte de ÁFRICA (do Egito a Marrocos) de novo em erupção e pela proximidade (já iniciada com migrações maciças após o recrudescimento destes conflitos) atirando de vez a EUROPA para um beco sem saída, sem nada poder fazer e sem lugar para fugir (talvez Portugal como na II Guerra Mundial). E nestas contas não entrando, até pelo oceano que os separa, os ESTADOS UNIDOS da AMÉRICA (que podendo ser sacanas não têm culpa de os outros serem burros).

 

(texto/negrito: nytimes.com/29 Junho 2017 ‒ imagem: Felipe Dana/Associated Press/nytimes.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:01
Sexta-feira, 14 DE Abril DE 2017

Mais Uma Vez a Nossa Salvação poderá vir dos Alienas

Ou então do Chocolate.

[Já que alienados, somos todos nós.]

 

“O chocolate contém um aminoácido chamado triptofano, responsável pela produção de serotonina no cérebro. A serotonina recebe quimicamente o nome 5-hidroxitriptamina e é representada pela fórmula molecular N2OC10H12, é a "substância química do bem-estar", é responsável pela sensação de felicidade e prazer.” (Líria Alves/brasilescola.uol.com.br)

 

Trump-cake.jpg

Donald Trump

45º Presidente dos EUA

Envolvido num novo escândalo ‒ o Russia Gate Chocolate Cake

(confundindo Síria com Iraque como se os dois tivessem algo em comum)

 

Depois da chegada surpreendente do Milionário da Hotelaria, dos Casinos e das eleições de Misses DONALD TRUMP a Presidente dos EUA ‒ retirando o cetro antecipadamente entregue à predestinada HILLARY CLINTON ‒ muitos norte-americanas pensaram que com a chegada de um novo líder privilegiando a política interna (a América Primeiro) face à política externa (evitando o envio de tropas, tentando dialogar e assim evitando novos conflitos e guerras), não só a sua situação económica tenderia a melhorar (como os primeiros indicadores financeiros pareciam querer sugerir) como finalmente e depois de anos e anos de conflitos, de guerras e da morte de milhares de norte-americanos (civis e militares), a fúria pela reprodução de sucessivos cenários de Guerra (interessando apenas ao diversificado Complexo Militar Norte-Americano & Seus Subsidiários) terminaria de vez: nem que fosse por um curto-prazo para se pensar livremente, refletir e só depois se decidir.

 

Interrompendo de vez a iniciativa terrorista levada a cabo a 11 de Setembro de 2001 nos EUA e que teve como consequência, o encobrimento de Estados autores do atentado (com a Arábia Saudita e os seus pilotos e demais terroristas à cabeça), o desviar das atenções para dois alvos colaterais apenas a serem utilizados em último recurso (e desde que pelo menos um deles fosse possuidor de matéria-prima, um ópio o outro petróleo, de acordo com os gastos militares envolvidos), a destruição total de 2 Estados reconhecidos pela ONU (o Iraque e depois a Síria para já não falar da Líbia e do Iémen) acompanhados num total (talvez mesmo mais) por 1 milhão de mortos (entre militares e civis, muito mais dos últimos) e sobretudo o apoio à estratégia de difusão do terrorismo mas agora a nível global e logo numa tentativa nunca imaginada mas que pelos vistos até poderia ter sido bem-sucedida, da criação de um Estado de Mercenários denominado como Estado Islâmico, com território, com capital e até com um futuro mapa de expansão (que chegaria à Península Ibérica):

 

moabrelease_4.jpg

MOAB

A maior bomba não nuclear ao serviço das forças militares dos EUA

Inicialmente produzida para ser utilizada na Guerra do Iraque

(e logo suplantada pela maior bomba não nuclear atual de origem russa o FOAB)

 

Tão bem representado por um Boneco chamado George (pai e filho);

No intermédio copiado por outro Boneco chamado Bill;

Por momentos tentando ser seguido por outro Boneco chamado Hillary (que BO não deixou limitando-se a brincar com drones e deixando cair Hillary);

Mais uma vez com o Boneco Hillary pondo-se em bicos de pé tentando chegar lá chegar (caindo com estrondo e ainda hoje com muita gritaria).

 

E agora com Donald Trump, o candidato antissistema, o militante antiguerra e o profeta propulsionador do ressurgimento da América, tal como BO diria Excecional, completamente cercado por Democratas, Republicanos e até Militares, a ser obrigado face ao seu eleitorado a contradizer-se e a negar tudo tal como o fez Judas (3 vezes, sendo a 1ª atacando a Síria, a 2ª atacando o Afeganistão e a 3ª atacando a Coreia do Norte) carregando mesmo no botão (o sonho do Boneco Hillary) e personificando finalmente o seu papel de Boneco: conformado, bem pago mas descaracterizado e desde já derrotado. E com o artista (aquele que manipula o Boneco) obviamente a não ser Putin. Um boneco ainda com sorte face ao que aconteceu no passado e em circunstancias muito semelhantes com J. F. Kennedy (o problema sendo que este ainda tinha algo dentro da cabeça para além do cabelo observado de fora).

 

ufo1.jpgufo 2.jpg

I-II

 

ufo 3.jpgufo6.jpg

III-IV

 

Alienas amigos

(e tentando evitar a WW3)

Nesta sequência de imagens (simulação do sucedido) com um UFO aproximando-se de um míssil em movimento, atingindo-o de seguida e originando a queda e a destruição do mesmo

 

E nestes momentos de pura indefinição política com dois blocos poderosos (um virtual e outro real) num duro conflito no interior dos próprios EUA (de longe a maior potência militar à face da Terra) ‒ perspetivando-se que algures no Mundo alguém irá pagar por isso, até como desresponsabilização antecipada para os dois blocos em conflito (apenas e somente numa luta de lugares e hierarquia) ‒ com os seus cidadãos acompanhados pelos de todo o mundo (cerca de 7 biliões), perdida mais uma vez a Esperança depositada nos seus representantes eleitos (adaptando-se e se necessário fazendo o oposto do anteriormente prometido), a virarem-se de novo para o Céu talvez à espera de mais um Milagre. E com a Igreja já ocupada noutras atividades como o da consagração do Milagre de Fátima (para os portugueses recordar já é viver), restando a todos nós (1) a via do nosso imaginário (ainda tão desconhecido) ou (2) de outra realidade entretanto (sendo) projetada ‒ e muitas das vezes mal interpretada (talvez pelo fascínio político da pura conspiração, sendo como é um dos maiores instrumentos de manipulação ‒ que o digam os média). Mas face ao perigo de se expor optando-se sempre pela mesma (2).

 

E com o Imaginário toldado e rodeado por muitas dúvidas (Reais), vendo-se o Homem a olhar para cima perscrutando atentamente os Céus e num número sempre crescente (natural devido à persistente observação) detetando anomalias: talvez procurando em desespero a chegada do Salvador, temendo estar por aí o início da Terceira Guerra Mundial. Só podendo ser estrangeiros oriundos de Outros Mundos ‒ naturalmente bem recebidos por Trump/Presidente se com a devida autorização de toda a Administração ‒ e nunca emigrantes clandestinos já residentes nos EUA (como os mexicanos e vejam-se as consequências). Nesse sentido e em conformidade com o desenrolar natural de todos estes acontecimentos, com os avistamentos de objetos voadores desconhecidos sobrevoando o nosso planeta, rodeando a ISS, circulando nas nossas imediações (espreitando as nossas atividades na Lua e em Marte) e até atuando misteriosamente nas proximidades da nossa estrela (como se estivessem lá com algum tipo de objetivo, bom ou nem tanto), sugerindo que algo se poderá estar mesmo a passar tendo a Terra como foco e uma possível intervenção (não visível ou verificável podendo-se catalogar como milagre). E assim evitando (mais uma vez e talvez por definitiva) a WW3!

 

1-trump-doll-2.w529.h352.2x.jpg

O Boneco

Na realidade ao serviço de quem (obviamente para além dele)?

E tendo atrás si e como sempre uma Grande Mulher

Utilizando chocolate para dar felicidade e prazer

 

Muito dependendo de quem controla o botão: pelos vistos não sendo certamente DT (e passando às revelações), passando o seu tempo-livre no Twitter, mais de 6 horas à frente da televisão, muito tempo a jogar golfe e ainda-por-cima comendo (sem controlo) muito bolo de chocolate ‒ enquanto vai viajando, gastando o dinheiro dos outros e aparecendo aqui e ali (na televisão) apenas para mostrar o Dedo do Botão. Ou não fosse ele o Novo Boneco só não se sabendo quem o controla.

 

Qualquer um de nós sabendo que a melhor forma de (com um comando) se controlar eficazmente um boneco à distância, é estarmos o mais perto possível dele (senão mesmo no seu interior) para desse modo se evitarem as inevitáveis interferências: tal como o fez a mulher de DT ao dar-lhe uma fatia de bolo de chocolate (à Bela Adormecida fora uma maçã) induzindo-o a atacar o Iraque ou então talvez a Síria. Com este certamente a não estar a dormir.

 

(imagens: sickchirpse.com/armaholic.com/ufosightingshotspot.blogspot.pt/ nymag.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:27
Segunda-feira, 26 DE Setembro DE 2016

EUA vs. RÚSSIA – Colocando todo o Mundo de Lado

“Numa operação militar coordenada pelos EUA e previamente planeada para uma determinada intervenção no terreno (aparentemente num combate aos terroristas presentes na região, cercando a única posição militar apoiando o regime sírio), a força aérea dos EUA atingiu em cheio o centro do alvo arrasando-o (os cercados) – assim abrindo as portas ao controlo total dos terroristas do ISIS (que pacientemente esperavam à volta do alvo escolhido). Mas o que esperavam os EUA face à provocação feira à Rússia? Uma III Guerra Mundial?”

 

obama_johnny02-520x300.jpg

Obama no País das Maravilhas

 

A um dia de mais um triste espetáculo envolvendo duas das maiores potências mundiais (EUA VS. RÚSSIA) – com a CHINA observando de longe, a ALEMANHA sem saber o que fazer e a ONU confirmando mais uma vez a sua não-existência – e a um dia do primeiro grande debate para as presidenciais norte-americanas (CLINTON VS. TRUMP) – em Portugal a iniciar-se por volta das 02:00 de terça-feira dia 27 – o ambiente político internacional em torno da Guerra Civil Síria continua progressivamente a agravar-se, preocupando cada vez mais todo o Mundo face a uma nova e perigosa escalada entre estas duas potências.

 

Num conflito reacendido durante um período de tréguas estabelecidas entre as duas partes (Rússia e EUA) e os seus representantes armados no terreno (Exército Sírio e Grupos Terroristas), com o cessar-fogo a ser repentinamente interrompido por um ataque aéreo levado a cabo pelas Forças da Coligação (apoiando os EUA) e como seria natural obtendo uma resposta imediata por parte dos apoiantes do regime sírio (apoiados pela Rússia): com os norte-americanos a destruírem uma base do Exército Sírio provocando mais de 60 mortos e mais de 100 feridos e com os russos a bombardearem um posto de operação conjunta EUA/Terroristas e a matarem militantes do ISIS, turcos, israelitas, sauditas e mercenários de outras nacionalidades (talvez mesmo norte-americanos).

 

Voltando-se de novo a reviver o para já suspenso conflito na Ucrânia (o grande pretexto norte-americano para o reinicio da Guerra-Fria) e com isso ressuscitando-se PUTIN (o autista) e os seus planos Ultravermelhos (semelhantes aos de Chucky o boneco diabólico): atirando-se para o palco mais uma tragédia civil (quase 300 mortos) provocada por políticos e militares (de ambos os lados) e vergonhosamente jogando-se com os mortos o vencedor do torneio (a supremacia global). Ucrânia, Crimeia, Voo MH 17: com a neocolonização Ocidental e com a anexação Oriental e agora e de novo com a chantagem da verdadeira autoria dos mortos, responsabilizando um dos lados (obviamente PUTIN e a sua Rússia) para apagar a presença do outro (no Ocidente a vantagem da versão dos EUA é realisticamente única e avassaladora).

 

No caso da queda do avião das linhas aéreas da Malásia abatido sobre território Ucraniano (voo MH 17) voltando de novo a apontar o dedo para a Rússia como responsável e autora: com o Ocidente (ou seja os EUA) a afirmarem tratar-se de um míssil russo (descontinuado, já não utilizado pelos militares russos, mas ainda fazendo parte do arsenal ucraniano), claramente lançado de território russo (quando na verdade se trata de uma região controlada pelos rebeldes no leste da Ucrânia) e tendo com alvo um avião civil (autorizado a atravessar o espeço aéreo de um estado em guerra civil, já com outras tentativas semelhantes levadas a cabo pelas duas partes – ambas com acesso a arsenais abandonados). Numa batalha entre dois blocos políticos e ideológicos (se é que as ideias ainda existem e são praticadas) que mesmo não invocando a sua cegueira permanente, deliberada e criminosa, se entretêm como abutres a brincar com os nossos restos – ensanguentados e mutilados.

 

Com este mórbido espetáculo de violações, saques e mortos, esvaziados, mutilados e foragidos, a prosseguir sem destino nem fim (na Síria) pelo menos enquanto não houver Presidente (nos EUA). Continuando-se assim a matar na Síria (impunemente e com o conhecimento da ONU), a mexer-se nos cadáveres e despojos das vítimas do voo MH 17 (levado a cabo por pretensos políticos mas na realidade verdadeiros abutres humanos) e até em esquecer-se de tudo o mais pensando apenas em CLINTON ou TRUMP. Nesse sentido sendo compreensível o estado de espírito da esmagadora maioria dos mais de 7 biliões de habitantes da Terra, que sabendo de antemão deterem menos dinheiro do que a outra CENTENA controlando ou sendo controlados pelas CORPORAÇÕES (o Futuro não por nós mas para nós escolhido), reconheceram por apatia, indiferença e incapacidade a sua Inferioridade (há muito decretada pelos seus líderes), desistindo da Esperança e aceitando como tutor o Dinheiro. Pelo que optar entre dois DEMÓNIOS (presentes nas presidenciais dos EUA) mesmo que não sendo vermelhos, nem sequer é uma opção de simples Sobrevivência.

 

“Com o dia 8 de Novembro cada vez mais próximo os motores das presidenciais norte-americanas começam a aquecer – com os seus efeitos a começarem a espalhar-se e a sentir-se cada vez mais intensamente tanto internamente (os tiroteios e vítimas são agora cada vez mais frequentes) como nos países do Outro Lado (com as guerras a terem de novo tendência a arrastar-se e a alastrar-se – como o é o caso Sírio). E como ninguém no planeta é capaz de dar mais no Leilão do Mundo (Dólares) os EUA continuam a ganhar e a dominar até ver (não se podendo esquecer que se os EUA fabricam os Dólares, é a CHINA que os tem usado e colecionado – e agora tendo tanto, construindo o mercado e investindo como maior potência Económica que já é).”

 

(imagem: nypost.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:17
Terça-feira, 09 DE Agosto DE 2016

Férias sem Guerras

“Em mais um Incidente Ocasional

Que por evolução natural se metamorfoseia invariavelmente em Coincidência Acidental

(a melhor justificação para um crime perfeito)

Os terroristas do Estado Islâmico

Foram de novo reabastecidos pelo Amigo Americano.”

 

_90703514_13a9469b-0871-4276-878a-a37a1f4d9d7b.jpg

 

ISIS Captures US Weapons, Equipment in Afghanistan

Pentagon Denies Report Soldier Was Captured Along With Gear

(Jason Ditz/antiwar.com)

 

Enquanto a Guerra na Terra continua inacreditavelmente a proliferar e a expandir-se (dramaticamente) num caminho por nós previamente escolhido e inequivocamente caraterizado como sendo uma opção única e sem qualquer hipótese de retorno (pondo em causa a sobrevivência da própria espécie por sinal a Dominante), no Hemisfério Norte agora que usufruímos das delícias que nos propõe este há tanto esperado período da estação de Verão (em que após um ano em que fomos convidados apenas a trabalhar sem pensar, nos decidimos por rebeldia obediente nem trabalhar nem pensar), toda e qualquer informação que nos perturbe ou condicione neste tempo necessário e fundamental de relaxamento, além de Banal (o que já é o ano inteiro) tornar-se-á insuportável e porventura Ilegal.

 

1037345855.jpg

Militantes Talibã

 

Pelo que notícias chegadas em pleno mês de Agosto (precisamente quando a maioria das pessoas estão de férias, de fora das suas casas e temporariamente ausentes das suas funções quotidianas), passa estratégica e imediatamente de simples informação a pura provocação (nestes cérebros antes estáticos e paralisados e agora por efeito das temperaturas elevadas em notório sobreaquecimento): ninguém querendo saber (por favor…) do que na realidade se passa no Mundo (mesmo na nossa terra). Concluindo-se que notícias chegadas do Afeganistão indicando que os terroristas do ISIS capturaram mais armamento de origem norte-americana alegadamente enviado para outros fins e destinos, além de ser banal nesta altura cai mesmo mal.

 

1036088368.jpg

Os DRONES anti Talibã e anti ISIS

 

Temos que compreender que segundo o Novo Testamento Readaptado à Nova Realidade do Mundo (numa nova e melhorada versão dos Tempos de Ouro da Idade Média – com o Rei, a Nobreza e o Clero de um lado e a plebe e os restantes animais do outro), o mesmo (o Reino) se divide em duas partes bem distintas e perfeitamente simétricas (anulando-se e autodestruindo-se): ideológica como religiosamente o Bem (hoje em dia tal como G. W. Bush afirmava representado pelos EUA os representantes de Deus na Terra) e sem nenhuma referência ou objetividade o Mal (hoje em dia e após a última atualização dos Serviços Secretos norte-americanos personificado no diabólico Vladimir Putin). Apesar da última candidatura proposta por Hillary Clinton (pelos vistos com sucesso nas sondagens), contando para o efeito com a participação do seu convidado especial Donald Trump.

 

isis_2.jpg

Militantes do ISIS

 

Um conflito que se estende cada vez mais a outras Zonas do Globo Terrestre (adjacentes mas não só) – talvez porque os seus patrocinadores e financiadores se estendam e o apoiem desde territórios exteriores, estando pelos vistos muito interessadas no desenvolvimento deste conflito com milhares de mortes, feridos e deslocados (e sendo ainda complementarmente acompanhados pela total destruição das infraestruturas básicas do Estado (para impedir qualquer tipo de recuperação dessas infraestruturas): tão claro como isto e como toda a gente facilmente compreende (se quiser pensar apenas um poucochinho). Neste caso particular do Afeganistão com os terroristas TALIBÃ/ISIS a afirmarem terem recuperado na província de NANGARHAR um carregamento de armas norte-americanas destinados ao Governo, num acontecimento explicado pelo PENTAGONO como tendo sido motivado pelo abandonado de algum armamento no local, durante um violento combate registado no passado mês de Julho e durante o qual se registaram 5 feridos entre os militares dos EUA.

 

(imagens: blazingcatfur.ca/tjcnewspaper.com/thehill.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:40
Domingo, 31 DE Janeiro DE 2016

Síria – Concecionários em Ação

Filiais das grandes multinacionais globais protegidas pela maior potência militar do mundo e pelas suas incansáveis impressoras de dinheiro (tendo como modelo o dólar), deixaram agora bem claro e de uma forma transparente (especialmente para quem ainda tivesse algum tipo de dúvida de que o dinheiro e o negócio comandam a Vida), a sua verdadeira posição face ao início de novas conversações de Paz sobre a Guerra Civil na Síria.

 

635898411352266214-EPA-SYRIA-UNREST-DAMASCUS-BOMBI

Atentado suicida em Damasco
(Domingo 31.01.2016)

 

“At least 50 people were killed Sunday in a triple suicide bombing near the Syrian capital of Damascus as the United Nations special envoy launched indirect peace talks to end the country's civil war.”

 

E enquanto este genocídio económico, estratégico e bem localizado (mas apenas no início por estar bem longe de nós mas nos dias de hoje já nem por isso com os migrantes fugindo da morte e a bater à nossa porta) se desenrola diante dos nossos olhos e como se nada se passasse (na realidade como no caso dos campos de concentração nazi em que ninguém por essa altura sabia da sua existência mesmo morando ao seu lado), a única coisa que entrevemos (a Europa continua ceguinha) é uma luta de concessionários: na prática de um lado os russos/com Bashar al-Assad e do outro os norte-americanos/com o Estado Islâmico (e com a Europa na mão dos dois calmamente a assistir).

 

Mas quantos mais atentados serão mesmo necessários para finalmente entendermos o que nos dizem as guerras? O que eu vejo é a morte (do sujeito) e o desprezo pelo homem (diminuído face ao objeto). E evidentemente o elevar da mais-valia.

 

(texto/negrito Gregg Zoraya e imagem SANA/European Pressphoto Agency/usatoday.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:58
Domingo, 15 DE Novembro DE 2015

Não sabia que uma arma era utilizada para matar

“Arma: instrumento que serve para atacar ou defender.”
(dicio.com.br)

 

images.jpg

 

O que poderá dizer o presidente norte-americano BARACK OBAMA colocado perante a afirmação do presidente francês FRANÇOIS HOLLANDE de que o atentado ocorrido em 13 de Novembro em Paris foi um ATO DE GUERRA? Uma declaração forte de um velho aliado esperando o apoio de todos os outros.

 

Sabendo-se de antemão que os serviços secretos norte-americanos são os criadores entre outros de organizações terroristas como o ESTADO ISLÂMICO, posteriormente desviadas do seu projeto inicial por diversificação das suas fontes de financiamento. Por exemplo a Arábia Saudita aliado dos EUA.

 

Resta-nos ficar a aguardar a resposta conjunta da Europa e do seu aliado norte-americano. E isso verificar-se-á nos céus do Iraque e da Síria com o ataque final ao TERROR e ao fim dos mercenários – Estado Islâmico ou AL-QAEDA. E chamando à razão dois países (por razões diferenciadas) apoiando o terrorismo: Arábia Saudita e Turquia.

 

Mas tal como em Janeiro deste ano tivemos o evento a nível global JE SUIS CHARLIE que no entanto nada deu (a não ser 12 mortos e dez feridos), perante a perspetiva de que neste novo evento os números finais possam ser muito maiores (10x ou 20x), suspeito que mesmo assim nada de novo se fará: nem com uma grande campanha tipo JE SUIS PARIS.

 

É que já é grande a INDIFERENÇA e a distância ao PODER.

 

(imagem: blogdoraniellybatista.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:26
Segunda-feira, 24 DE Agosto DE 2015

Baralhar e Tornar a Dar

“Study into the California drought confirms the worst is yet to come.”
(21.08.2015 – news.com.au)

 

Um território constantemente submetido às mais violentas manifestações atmosféricas como ciclones, furacões, fortes precipitações, inundações e tempestades de neve, tendo a ocidente o CÍRCULO de FOGO (no mar) e no interior um SUPER-VULCÃO (em terra), só pode mesmo rezar a DEUS, levar a sua vida em frente e esperar que nada aconteça.

 

italy_migrants_fran.jpgmacedonia.jpg

Populações em fuga dos seus países em guerra
(por mar/Mediterrâneo e por terra/Macedónia)

 

Enquanto as vítimas dos últimos conflitos surgidos a Oriente e em África fogem aos milhares do Inferno da Guerra (impulsionada por muitos e consentida pela Europa), o Velho Continente berço da tolerância e da solidariedade assim como da violência e do extermínio, vê-se agora perante a invasão de verdadeiros contingentes de seres humanos violados, esquecidos e desesperados, que vêm nos territórios dos vencedores a sua única hipótese de sobrevivência: vindos desde a fronteira a Oriente até ao extremo ocidental do Mediterrâneo, maioritariamente provenientes da Síria ou então da já extinta Líbia de Kadhafi (nunca esquecendo o Iraque, o Iémen e todas as outras vítimas de todas as Primaveras Árabes – como a Egípcia) e procurando apenas a paz que os outros destruíram (aparente e estrategicamente coligados em torno dos EUA). Deste modo surgindo as migrações aos milhares desde o norte de África (a Grã-Bretanha e a França destruíram a Líbia pelo dinheiro de Kadhafi) ou a fuga de outros milhares da destruição e morte a Oriente: contando já com três Estados pulverizados (como o Iraque, a Síria e o Iémen), sem esperança nem retorno (ou não estivessem os EUA aliados à Arábia Saudita).

 

Enquanto isso outros problemas de urgente resolução são abandonados, subalternizados à necessidade de controlo e manutenção de supremacia. E sendo atualmente os EUA a maior potência mundial (medida pela sua esmagadora supremacia militar), a sua prioridade será sempre a da manutenção da segurança nacional (forças militarizadas de intervenção interna ou externa) e nunca o da verdadeira preservação do seu território e das condições de vida da generalidade dos seus cidadãos. Como se vê com a aplicação da sua política externa oficial na qual aparece e se afirma sempre que algo de importante e interessante acontece no plano internacional (alterando logo os objetivos e redirecionando-os para os seus), numa atitude totalmente contrária a tantas outras tomadas e associadas aos graves problemas internos que os EUA atravessam (económicos e sociais), que pelos vistos as autoridades norte-americanas não querem discutir a sério. Sendo mais fácil preocupar-se com o terrorismo, do que se preocupar com uma seca.

 

earth20150819.jpgglobe-modis-full.jpg

 

A prolongada seca na Califórnia e o afundamento progressivo de terrenos
(e mais uma vez a Terra a ser colocado sob um cenário apocalíptico)

 

Enquanto nos dedicamos a algo (por vezes supérfluo) descuramos tudo o resto (por vezes fundamental). E nesse grande e multifacetado país como o é os EUA (entre brancos, hispânicos e afro-americanos), muitas vezes com os seus responsáveis políticos esquecendo e desprezando os reais desejos de vida das populações que representam, por vezes só as notícias extremas têm maior repercussão. Mesmo que parecendo distintas e na verdade sendo comuns. Como o poderiam ser as notícias de 1/Seca Extrema na Califórnia (uma Realidade) ou de 2/Possível impacto de um asteroide em Porto Rico (uma Previsão) – e com outros a optarem por um Tsunami (entre a Realidade e a Previsão).

 

No primeiro caso com o estado da Califórnia a ser afetado por um longo período de seca extrema e contínua, levando a perfurações cada vez mais profundas no seu subsolo na procura desse líquido cada vez mais precioso que é a água e provocando no final desse processo irreversível, alterações profundas na estrutura do terreno e o seu progressivo afundamento. O que até poderia colocar alguns de nós a pensar sobre a forte possibilidade de um dia as águas do Golfo da Califórnia se unirem pelo interior da costa ocidental norte-americana às águas da baía de São Francisco e isolarem toda a faixa litoral desse estado. O que naquelas áreas tão conturbadas (em fenómenos vulcânicos e sismológicos) é muito fácil de aceitar. De qualquer forma um cenário nada prometedor para o futuro do estado da Califórnia e que deveria preocupar bastante as autoridades norte-americanas: é que sem água não há nada e sem nada não há vida.

 

No segundo caso entramos numa zona de muito maior penumbra situada mesmo no interior das Teorias da Conspiração. Numa nação ainda hoje oscilando entre as fortes crenças do passado e o automatismo tecnológico do presente – vem visível (como em todo o mundo) com a diferença por vezes brutal entre o interior dos EUA (o Oeste Americano) e o seu litoral (as costas do Atlântico e do Pacífico) – e apresentando diversas formas de pensar e de interpretar (por vezes opondo-se entre elas mas lutando pelo mesmo objetivo: a procura da verdade para além da informação). Com o Governo e as suas agências a serem a origem de tudo (na dúvida sobre a explicação surge a nova teoria), tal como esconder, inventar e mentir. E então a partir daí toda a teoria proposta pode ser credível e até viável, desde que se apresente como uma alternativa imediata e eficaz face à sempre monótona e desmobilizadora versão oficial (falsa e sem esperança), mesmo nunca sendo concretizada (no fundo bastando ser renovada). Surgindo as crónicas e sempre persistentes teorias sobre o fim do mundo com a chegada do Apocalipse e o Evento comemorativo do fim da espécie: todos os anos durante o terceiro ou quarto trimestre, de preferência com a intervenção de um cometa ou asteroide e atingindo território dos EUA. Este ano apresentando a opção mais natural de um tsunami, mas sempre atingindo o litoral norte-americano.

 

“No asteroid will hit Earth Next month and We Are Safe: NASA Says.”
(23.08.2015 – themarketbusiness.com)

 

(imagens: Boris Grdanosky e Italian Navy/AP Photo – nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:07
Domingo, 10 DE Maio DE 2015

Pare, Escute e Olhe

E Jogue!
“Poderá estar errado mas nunca será atropelado”

 

Comboios_em_Portugal_Pare_escute_olhe.jpg


1. Qual foi o país do continente europeu que respondendo ao anseio da maioria do povo de um outro país europeu, o anexou e a todo o seu território?

 

Ajuda:

 

• Tratava-se do regresso às origens de um povo e de uma região (reunificação da região ocidental e da região de leste);
• Esse acontecimento foi celebrado em todo o mundo como um momento de Paz e de Libertação (simbolicamente assinalado com a queda do célebre Muro).

 


2. Qual foi o país do continente europeu que respondendo ao anseio da maioria do povo de uma região de um outro país europeu, a anexou e ao respectivo território?

 

Ajuda:

 

• Tratava-se do regresso às origens de um povo e de uma região (regresso da região à soberania do seu anterior país);
• Este acontecimento foi acompanhado por uma declaração de guerra preliminar (económica e financeira) de um país de um outro continente a esse país europeu, deixando a Europa suspensa e no limiar de uma nova Guerra.

 

(satsopser/ahnamela.1/aissúr.2)

 

Já agora e nada tendo a ver com o assunto atrás referido, dos países que pretensamente mandam no continente Europeu o único que esteve presente em Moscovo nas comemorações russas do fim da II Guerra Mundial (ao lado do diabólico Putin) foi o patrão de todos eles conhecido como Alemanha (e contando com a presença da angélica Merkel). Tão? Como é?

 

(imagem – Wikipedia)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:26
Segunda-feira, 13 DE Abril DE 2015

Jogos de Guerra

Com orgulho as autoridades do Reino Unido esperam que estes seus Jogos de Guerra 2015 sejam os maiores de sempre. Pelo menos nas bebidas de aquecimento (até o whisky é escocês) devem ser os melhores.

 

HMS-Ambush.jpg

 

Desde o último fim-de-semana que a Escócia tem vindo a registar um aumento bastante significativo da presença das forças da NATO no seu território (recorde-se que é na Escócia que estacionam muitas das suas forças nucleares). Aproximam-se os exercícios militares conjuntos de Abril (que decorrerão até o dia 24), com os mesmos a serem liderados este ano pela Grã-Bretanha. Com a participação de um largo número países ligados à organização militar (pelo menos 15), de mais de 50 vasos de guerra, de 70 aeronaves e de mais de 13 mil soldados, a Grã-Bretanha torna-se assim na capital dos Jogos de Guerra Globais (liderados pelos EUA), numa altura delicada para a Europa (económica por causa do Euro e militar por causa da Ucrânia) e em que as forças aliadas ocidentais se vêm confrontadas com a ameaça russa: actuando contra a moeda de referência mundial o Dólar (aqui apoiados pelos chineses) e contra a Europa (anexando regiões pertencentes a outros estados como foi o caso da Crimeia).

 

_82231758_jetscrown.jpg

 

É claro que os escoceses não gostaram: não só pelo perigo que estes Eventos de Guerra poderão representar para a população local, como também por mais uma traição eleitoral por parte do poder central instalado em Londres, às promessas assumidas em nome do bem de todo o Reino Unido aquando da campanha pela independência da Escócia e após as mesmas nunca cumpridas. Enquanto isso estão desde já marcadas várias demonstrações do poderio militar da NATO incluindo diversos tipos de exercícios como ataque a navios inimigos, desembarques de tropas, acções de apoio aéreo e até caça a submarinos. Como assim já se fala de grande actividade dos submarinos russos na região: se calhar também queriam participar nos Jogos. Ao mesmo tempo no mundo global norte-americano o genocídio de populações contínua: se há uns meses atrás era o EBOLA que matava numa parte de África (um vírus que até pode ter sido produzido por manipulação genética), agora o vírus mortal que ataca o mesmo continente (mas noutra região) é comprovadamente e sem qualquer tipo de dúvidas de origem (produção) Humana.

 

(imagens: forces.tv – bbc.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:26
Quinta-feira, 19 DE Março DE 2015

Quebrando o Silêncio

Um testemunho de um ex-primeiro-sargento do exército israelita, que encarada a realidade e entendido o panorama onde o tinham inserido, simplesmente mudou de atitude – nunca ignorando o cenário de guerra em que o fazia e nesse sentido limitando-se a escutar opiniões de colegas seus, vivendo essa guerra e nas mesmas condições.

 

92690001.jpg

Territórios ocupados

 

“That time of my life I seem to have lived in a movie. Looking back I realize I had this kind of self-destructive bent and didn't care about anything, but really, anything at all. I don't know, it's this surreal thing that I simply cannot explain, I can't explain how such things happen. How I stood there at the sentry box with my bullet proof vest and loaded M-16 each week, because even officers stood guard duty at division HQ, watching stunningly beautiful sunsets over those smooth sand-dunes of Gush Katif while behind me, in front of me, and all around me people shot each other and demolished each other's houses. I cannot explain it, this is something I'm still dragging around inside because I don't understand. I don't understand how humans can behave this way. I don't understand how such things happen in the world. So I don't know how I was a part of this, and how in a way I let myself be a part of this for half a year, because only in my last month there did I really, truly say I can't take it any longer. So it's something that stays with you all the time. It's also something the army doesn't really know how to handle, with – I don't know what to call it – scars or trauma or psychological damage to soldiers as a result of what they do in the army. I mean, not because of their personality problems but the things to which they're exposed. It's something no one handles, no one talks about, and as an education officer I was supposed to do all kinds of evaluations and talk about the unit's morale and to what extent the soldiers are in solidarity and believe in their mission and how much they blah-blah-blah. As I said in the beginning, a 19-year old girl is not supposed to do this, and to be frank, talking about the extent of social solidarity they show when their mates are getting killed on a daily basis seems pretty stupid and out of place to me, and not really relevant.” (Avihai Stollar – Breaking The Silence)

 

Precisamente aquilo que a esmagadora maioria de todos nós nunca faria: talvez por medo, ignorância ou cobardia. Ou como hoje é moda e de bem afirmar: por neutralidade (para os eruditos) ou por indiferença (para os leigos). Só temos que agradecer a este ex-soldado e agora militante da causa de outros soldados o seu comportamento e a oportunidade que deu a mais alguns de nós de nos confessarmos. É que alguns pecadores só o são (aos milhões) por terem sido obrigados a pecar (por poucos).

 

(texto/inglês e imagem: breakingthesilene.org.il)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:46

pesquisar

 

Julho 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
15
19
20
21
22
24
25
27
28
29
30
31

comentários recentes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro