mais sobre mim

subscrever feeds

Terça-feira, 21 DE Fevereiro DE 2017

Elon Musk – A Caminho de Marte

Para ganhar mais dinheiro para a sua grande viagem, trabalhando para o Entreposto tal e qual um merceeiro, levando e trazendo encomendas; um apeadeiro que um dia deixará de ser do Governo dos EUA e que passará de vez para as mãos das grandes Corporações privadas – transformando-a aí numa verdadeira estação (central). Mas apenas se houver dinheiro.

 

1crs10_liftoff.jpg

Descolagem do foguetão Falcon 9 da Space-X carregando a nave espacial Dragão

 

Com o milionário de origem sul-africana ELON MUSK prestes a fazer 46 anos, é minha opinião que um dos objetivos de vida do criador da empresa de transporte espacial SPACE-X será o de um dia pisar o solo do planeta MARTE.

 

Talvez não no início de 2020 como inicialmente projetado mas segundo novas estimativas, previsões e prioridades, apontando lá para o ano 2030: numa missão já denominada como Dragão Vermelho mas ligeiramente prolongada no tempo (até à concretização do seu objetivo final pisar Marte) devido à necessidade da empresa Space-X obter mais recursos financeiros e ainda de se focar com mais atenção nas questões ligadas à tripulação e a certas questões técnicas do seu foguetão FALCON.

 

 Fazendo com que a empresa de Elon Musk por uma questão de prioridades ligadas ao aspeto financeiro do programa ligado ao projeto de colocar seres humanos vivendo em Marte, tenha que o arrastar um pouco no tempo colocando para já em primeiro lugar o seu programa comercial – pelo que só lá para dos 60 poderá cumprir o seu sonho.

 

2crs10_s2engine.jpg

Com o motor do segundo-andar já em combustão após a separação do 1ºandar

 

No passado domingo pelas 9:30 da manhã (14:30 em Portugal) com a nave espacial DRAGÃO a ser lançada do Complexo de Lançamento 39A localizado no Centro Espacial KENNEDY, transportada por um foguetão Space-X Falcon 9 e tendo como destino a Estação Espacial Internacional (ISS): segundo o site da empresa Space-X com a nave Dragão a carregar cerca de 2500Kg de material e mantimentos para a ISS e a ser o primeiro lançamento a ser efetuado do mesmo local desde o último voo do Vaivém ATLANTIS (em Julho de 2011).

 

E após a concretização da acoplagem entre a Dragão e a ISS, com a Dragão a ficar por lá cerca de um mês findo o qual descarregada e de novo carregada a nave, a mesma retornará à Terra.

 

5crs10_landed.jpg

O 1ºandar do foguetão Falcon 9 após a sua aterragem perto de Cabo Canaveral

 

E mais uma vez com o primeiro andar do foguetão Falcon 9 a ser recuperado em pleno mar, aterrando sem sobressaltos sobre uma plataforma flutuante colocada sobre a água – tornando-os reutilizáveis e sendo uma poupança substancial no investimento efetuado.

 

Por este andar e sabendo-se da ligação crescente entre a agência governamental NASA e a empresa privada Space-X (com a NASA a pagar 2.5 biliões de euros pelo transporte de astronautas entre a Terra e a ISS) com a empresa de Elon Musk a poder substituir no futuro os russos no transporte dos astronautas para a estação espacial – hoje realizada pela Rússia no cosmódromo de Baikonur, a maior base espacial do Mundo e onde se encontra instalado o centro de lançamento de foguetões para a ISS.

 

(imagens: spacex.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:29
Domingo, 19 DE Fevereiro DE 2017

Estranhos à vista da ISS

“Perto do Zoológico, mais uns ET passando ao lado de uma jaula flutuante (publicitária), com espécies locais no habitáculo – não parando, por inexistência de postos de venda (bilheteiras).”

 

Em mais um registo oriundo de [Streetcap1/youtube.com] tendo como protagonista a ISS, podem-se observar vindos da direita alguns pequenos objetos brilhantes e de forma aparentemente esférica, deslocando-se em formação e à mesma velocidade – no seu movimento para a esquerda sendo bem visível a sua passagem para além da Estação Espacial Internacional (por detrás dela).

 

1.jpg2.jpg

Fig.1 - Aparece o 1ºobjeto de forma esférica oriundo da direita

Fig.2 - Acompanha-o agora um 2ºobjeto vindo do mesmo lado

 

Ao contrário do que é usual com a transmissão (em direto e ao vivo) a continuar a ser emitida (a partir da ISS) e com esta observação a poder ser registada, sem mais uma intervenção intrusiva dos responsáveis técnicos da NASA – ou seja, interrompendo a emissão devido a inesperados problemas técnicos. Passando-lhes talvez ao lado como consequência da habituação (se eu vejo muitas vezes deixo de ver).

 

Nesta sequência podendo-se ver em primeiro plano e refletindo os raios luminosos (oriundos do Sol) a ISS, tendo como pano de fundo e sem nada de visível a assinalar uma tela escura, talvez profunda, mas parecendo incomodamente vazia. E neste perfeito contraste entre o branco e o preto (com as fronteiras bem definidas) e sem mais nada a apontar, surgindo uns corpos brilhantes e logo em formação.

 

3.jpg4.jpg

Fig.3-Ainda um 3ºobjeto com todos em aparente formação

Fig.4-Passagem dos objetos – à esquerda – do lado de lá da ISS

 

Atravessando tranquilamente todo o horizonte visual disponibilizado pelas câmaras da ISS (na altura em funcionamento), passando na retaguarda da estação e desaparecendo pela esquerda da mesma forma como o tinham antes pela direita. Deixando-nos mais uma vez na dúvida se o trânsito que se verifica hoje em dia nas proximidades da Terra, “será mesmo “só regional ou então intercidades”.

 

Um facto que só não é notícia porque efetivamente ninguém quer falar nele e que sendo eventualmente um produto do nosso desespero e da nossa sobressaltada imaginação (num mundo há muito alienado e parecendo ter cada vez menos, algo de comum a ver connosco), ninguém acha credível não confirmando a existência: e como poderá o Homem aceitar a possibilidade da existência de outras espécies – para além da nossa – lutando pela supremacia, se ainda hoje revogada a teoria geocêntrica não conseguimos largar a ideia homocêntrica.

 

(imagens: streetcap1/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:40
Segunda-feira, 06 DE Fevereiro DE 2017

ISS e Melbourne a mais de 400Km

“Uma cidade de um país que ainda recebe emigrantes (Austrália) parte dos quais os EUA iriam receber no seu território (num comprometimento anterior de Barack Obama): mas que agora Donald Trump não quer.”

 

Imagem (antecedida de localização) obtida a partir da Estação Espacial Internacional da cidade de Melbourne – registada por um dos elementos da ISS-Expedição 49 (sob o comando do russo Anatoly Ivanishin).

 

MapCoordinate.pl.jpg

Melbourne

Altitude da ISS – 411Km

 

Observação feita a partir da ISS

Sudeste da Austrália

Centro da cidade de Melbourne

(2ª maior cidade australiana)

Fundada em 1853

Atravessada pelo rio Yarra

Com 4.5 milhões de habitantes

 

iss049e010665_lrg.jpg

Centro da cidade australiana de Melbourne

(ISS – 23.09.2016 – por volta das 09:30 locais)

 

Uma cidade que espelha bem a forma como no passado esta grande ilha/continente do oceano Pacífico (a Austrália) foi povoada – dada a sua grande extensão, a sua baixa densidade populacional, a falta de mão-de-obra generalizada e especializada e sobretudo a sua riqueza) – sendo preenchida (em diferentes pontos do seu imenso território) por povos oriundos de todos os cantos do Mundo procurando um novo futuro num novo território (por explorar). Por tão desejados quase que importados, ao contrário do que hoje infelizmente acontece um pouco por todo o lado – recebendo os refugiados (sem qualquer tipo de condições previamente planeadas e preparadas para os receber com um mínimo de dignidade) e logo de seguida:

 

Largando-os de qualquer forma (dado o peso económico e financeiro que representam e esquecendo a parte moral e da crise de valores) e esquecendo-os de seguida (tornando-os invisíveis por má publicidade) – caso do dito Mundo Ocidental agora liderado pela oposição a Donald Trump nos EUA e logo seguido pela Europa;

 

Ou então tal como Donald Trump pretende e tal como todos os outros o imitam (mesmo que hipocritamente o neguem, apenas por terem sido afastados do poder – no fundo e basicamente o mesmo), impedindo-os de fugirem para outros países (para salvarem as suas vidas), deixando-os fechados (e contidos) no interior das suas fronteiras (como se fossem os muros de um campo de concentração), a sofrerem e morrerem nesses países em guerra. Ainda-por-cima com todos fornecendo armas para a matança.

 

Com esta grande cidade australiana a incorporar hoje entre a sua população as mais variadas etnias: como as originárias da Grã-Bretanha (33.7%), da Austrália (21.1%) e da Itália (5.5%) – a serem as maioritárias. Além de um número substancial de asiáticos (e certamente portugueses).

 

Melbourne

População: Mais de 4.5 milhões

Densidade populacional: 453/Km²

Área: Quase 10.000Km²

 

(imagens: earthobservatory.nasa.gov)

tags: ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:17
Quinta-feira, 19 DE Janeiro DE 2017

Tal e Qual como nos avisou Donald Trump

Pelos vistos os Alienígenas não abdicam de controlar o nosso Planeta!

(e não são mexicanos)

 

Eventual registo de vídeo obtido recentemente a partir das câmaras instaladas na Estação Espacial Internacional orbitando a Terra a cerca de 400Km de distância, em que é claramente visível o aparecimento de um objeto desconhecido no horizonte visual da ISS – seguido da sua aproximação à mesma e posterior desaparecimento: para uns (os leigos) evidentemente um UFO; para outros (os eruditos) claramente um simples erro de tradução induzido pelos nossos órgãos dos sentidos (como por exemplo a visão).

 

UFO 7.jpg

(ampliação da imagem 2)

 

Habitando num Mundo fechado e cada vez mais apertado em que o nosso quotidiano diário se replica estendendo-se – encurralado como está entre uma repetição constante de rituais dispersos e sem qualquer tipo de significado (prático) e a miséria que rodeia e limita esse ambiente de mera sobrevivência – a única de hipótese de fuga utilizando os nossos órgãos dos sentidos (não tendo de momento disponíveis meios físicos alternativos de transporte) será sempre o de abrir a nossa mente ao que poderá estar do Outro Lado: por mais estranho que nos pareça e por mais que nos ignorem absorvendo sofregamente essas perceções (talvez por residir aí a nossa derradeira esperança), mas sempre acreditando (o primeiro passo para passar do imaginário à realidade) que no fundo Algo de mais existe (além do Homem).

 

ufo1.jpgufo4.jpg

(Imagem 1 e 2)

 

ufo5.jpgufo6.jpg

(Imagem 3 e 4)

 

Na sequência do vídeo gravado a partir de uma das mais recentes transmissões oriundas do Espaço exterior onde orbita a ISS (a 400Km de distância da Terra), sendo possível observar na fronteira de transição entre o azul-claro do céu e a escuridão profunda do Espaço (conforme o desenrolar das imagens – de 1 a 4 – o demonstram), o aparecimento com aumento progressivo de dimensão e de luminosidade de um objeto de origem desconhecida (com o seu aumento de volume a poder dever-se à sua aproximação à ISS) seguindo-se de um processo inverso até ao seu desaparecimento total. Um fenómeno que se poderá traduzir na presença física (e temporária) de um determinado objeto nas proximidades da ISS ou então e muito naturalmente, apenas mais um caso de efeitos especiais (visuais e coloridos muito semelhantes ao arco-íris).

 

UFO8.jpg

(ampliação da imagem 3)

 

Deixando-nos mais uma vez sozinhos com a nossa dúvida existencial preferida: seremos Nós e mais Nada e criados para nascer para morrer? Com persistência continuando a adotar a teoria de que a Terra é o centro do Universo e por correspondência direta atribuindo ao Homem o galardão de ser a sua máxima criação – um ser quase perfeito mas limitado no tempo, por uma mera imperfeição: a sua visão estreita e ainda rudimentar da evolução (ainda somos uma espécie jovem) assente na preocupação da origem e do fim (nascimento/morte) e ignorando o Infinito e a Transformação. Ou não tenhamos nós aprendido na escola que “na natureza nada se cria nada se perde tudo se transforma”. Podendo-se assim aceitar que face ao nosso modelo terrestre (e já agora no seu contrário) poderão ser apenas Luzes como até Extraterrestres.

 

(imagens: Steetcap1/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:29
Quarta-feira, 21 DE Dezembro DE 2016

Telecomunicações Intergalácticas?

Talvez não!

 

A uma semana de distância da data comemorativa do aparecimento da Estrela de Natal (anunciando o nascimento do nosso Salvador a 25 de Dezembro),

Eis que inopinadamente na Terra um farol se reacende fazendo-nos de novo acreditar:

Ou num fenómeno natural (Red Stripes) ou num outro artificial

(provavelmente de origem humana).

 

Numa demonstração clara de que muito do que se passa na Terra ainda é do nosso total desconhecimento, as câmaras da ISS estacionadas no espaço e orbitando à distância de 340Km o nosso planeta, registaram no passado dia 18 (ontem) imagens do que poderia muito bem ser uma fonte de energia emitindo da superfície (ou do interior da própria litosfera), dirigida ao exterior (ao Espaço) e de cor avermelhada.

 

mqdefault.jpg

Red Pulse At International Space Station

 

Um fenómeno para qualquer um de nós naturalmente desconhecido, rapidamente esclarecido (não rigorosamente explicado) por especialistas de serviço, na esmagadora dos casos completamente esquecido (já que tanta coisa nos sobrecarrega), mas que no entanto alguns desesperadamente agarrados às Teorias da Conspiração se recusam determinantemente a largar (terminada a Esperança que eles ainda tinham na Terra).

 

A partir deste episódio (em principio único e circunscrito) podendo-se construir facilmente o cenário (neste mundo tudo é possível) de podermos estar perante Comunicações Alienígenas (certamente que não seremos um caso exclusivo nos vários Universos), dirigidas a partir do interior da Terra (litosfera), atravessando toda a atmosfera (daí a cor vermelha) e perdendo-se definitivamente nos muitos trilhos do Espaço.

 

Nunca deixando de lado acontecimentos adicionais de relevo (talvez relacionados) e ocorrendo simultaneamente no tempo (como é o caso seguinte):

 

Earthquakes Warning:

‘Unexplained Vibrations’ Heard Across Earth

Scientists are warning that the Earth appears to be “ringing like a bell”

Following a series of large earthquakes near the Pacific.

 

sddefault.jpg

 Mysterious "vibration" detected around the World | Source: Unknown!

 

8 hours after the Thursday earthquakes off the coast of California, seismograms shows the globe mysteriously vibrating and “ringing like a bell,” which scientists have warned is a precursor to a much bigger mega-earthquake.

 

Hours before the massive Solomon Islands earthquake struck, a mysterious vibration was detected on seismographs all across the planet as our videographer proves to us using charts from the USGS.

 

Looking like a classic earthquake on the USGS monitoring charts, there were NO earthquakes reported during the time period this mysterious vibration/pulse anomaly showed up on the govt charts for almost an hour, showing up not only all across America, but all across the Earth.

(Sean Adl-Tabatabai/yournewswire.com)

 

Tão útil para leigos e loucos como para eruditos menos loucos.

 

Devendo ser ficção mas pertencendo à realidade (pelo menos à nossa – mesmo que apenas sonhada ou imaginada mas no final sendo integrada na construção do nosso edifício mental), suscitando-nos logo aí a dúvida e provocando como reação um novo estado de alerta (num sinal inequívoco da preservação da espécie): uma comunicação será sempre (no mínimo) uma Reunião ou uma Interseção de Conjuntos.

 

O problema é que pela mesma lógica este contacto agora iniciado (segundo os contadores de histórias alternativas ou adeptos das teorias conspirativas) poderá ter consequências tanto boas (reunião) como más (intersecção). Pelo menos no que se trata de operações entre conjuntos nas Reuniões todos os elementos pertencem (como iguais) ao mesmo conjunto final; já nas Interseções são muitas as variações.

 

(imagens e legendas: mp3download-stafaband.info e youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:24
Sexta-feira, 05 DE Agosto DE 2016

ISS Live Feed Off

Com certa frequência quando somos informados de que algo de mau aconteceu, um dos primeiros pensamentos que nos passa pela cabeça é de que estaremos a entrar numa maré de azar e como tal, deveremos estar preparados para novos e maus acontecimentos que certamente aí virão (e se repetirão) – não há 2 sem 3! No caso de certas temáticas sendo um caso estranhamente prevalecente (só não o sendo por previa estratégia).

 

O fim da transmissão do ISS LIVE FEED

(em Agosto)

 

space station, missle, military, UFO, UFOs, sighti

Com a interrupção definitiva das transmissões

Resolvendo definitivamente

A questão duvidosa das interrupções temporárias

(imagem: ufosightingsdaily.com)

 

E foi algo de semelhante o que aconteceu no dia hoje: com a NASA a anunciar o fim das transmissões ao vivo a partir da ISS, com o observatório solar SDO a encravar aquando da passagem da Lua entre o mesmo e o Sol e finalmente com o observatório SOHO (como muitas vezes acontece) a cortar algumas sequências do suicídio de mais um cometa (mais de 2 horas aquando/após o seu impacto).

 

O Observatório SDO encravado

(desde a interposição da Lua)

 

latest_512_0193.jpg

Um acontecimento inédito nas transmissões SOHO

Com o observatório a já ter por várias vezes vivido

Momentos de interposição como este

(imagem: sdo.gsfc.nasa.gov)

 

Um cometa do grupo Kreutz resultante da fragmentação no passado distante de um outro cometa maior ao entrar no interior do Sistema Solar.

 

A falha do Observatório SOHO

(apagando mais de duas horas de imagem)

 

20160804_0312_c2_512.jpg

Com a NASA a oferecer-nos toda a aproximação do cometa ao Sol

Excetuando uma faixa de mais de 2 horas

Durante/após o seu impacto final

(sohodata.nascom.nasa.gov)

 

Por uma coincidência tremenda com tudo a acontecer como numa avalanche, aquando da passagem de um cometa (já referido atrás) no seu caminho de impacto em direção ao Sol. Com a NASA a parecer querer dar razão aos teóricos da conspiração (acusando-a não pela informação mas pela sua previa manipulação), não fosse a emissão diária e ao vivo da ISS uma fonte constante de notícias alternativas às oficiais: mostrando-nos imagens incompreensíveis mas que na realidade lá estão.

tags: , , , ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 09:53
Terça-feira, 23 DE Fevereiro DE 2016

ALIEN SCOTT ataca no interior da ISS

“Ainda não foi descoberta a nacionalidade do ALIEN.
Mas pelo aspeto não deve ser Mexicano.”
(US Presidential 2016)

 

Segundo as últimas notícias provenientes dos Estados Unidos da América (USA) e tendo como origem a rede de televisão NBC, a Estação Espacial Internacional (ISS) terá sido invadida por uma espécie alienígena. Os seis astronautas a bordo da ISS (KELLY/USA, KORNIENKO/RUS, VOLKOV/RUS, PEAKE/UK, KOPRA/USA e MALENCHENKO/RUS) terão sido subitamente surpreendidos pela presença de um ALIEN, que se terá sub-repticiamente introduzido a bordo da estação aquando do último reabastecimento.

 

snapshot A.jpg

 

Entretanto os responsáveis técnicos pela missão e pela tripulação a bordo da ISS afirmam que tal acontecimento só terá sido possível, dado o ALIEN contar com a presença de um colaborador seu no interior da própria estação: o que parece confirmar-se já que no momento do aparecimento do ALIEN deu-se pela falta de um dos seis astronautas. Confirmando-se tratar-se do norte-americano SCOTT KELLY o qual se terá transmutado num GORILA com a colaboração distante (na Terra) do seu irmão-gémeo Mark Kelly.

 

snapshot B.jpg

 

O que levou desde logo os investigadores a estudarem a correlação (talvez ocasional) que terá existido entre os irmãos-gémeos SCOTT e MARK e a transmutação do primeiro por intervenção exterior e alienígena num GORILA (ou seja, para um ALIEN, numa espécie muito semelhante à nossa): procurando perceber o sucedido, descobrir os seus responsáveis (e operadores) e interiorizar os seus objetivos. Talvez não passando tudo de algo natural e como consequência de alguma mera alteração comportamental: afinal de contas SCOTT KELLY está no fim da sua permanência na ISS (terminando daqui a poucos dias).

 

snapshot C.jpg

 

Nos últimos desenvolvimentos sobre este incidente aparentemente ocorrido a bordo da ISS e na presença de astronautas e de um potencial ALIEN, os cientistas que têm estado a acompanhar este caso pensam que o que terá acontecido integrar-se-á num exemplo de metamorfose temporária humana provocada pela mudança de idade, pela alteração radical do meio ambiente e pelos efeitos provocados por raios cósmicos de propriedades e origens desconhecidas: talvez mesmo dirigida e vinda das profundezas do Espaço Exterior. Ou então mais um erro induzido pelos nossos órgãos dos sentidos e contando na brincadeira com mais dois gémeos malandros.

 

(imagens: NBC)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:51
Sexta-feira, 16 DE Janeiro DE 2015

O Espaço (Lá longe perto de nós)

Lá longe perto de nós, os nossos problemas e angústias constantemente induzidas como que se alteram, constatando definitivamente a sua real pequenez.

 

B7VftzACAAAR1-T.jpg

Estação Espacial Internacional

 

Uma aparente fuga de um gás tóxico utilizado no sistema de refrigeração instalado a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS) e que afectou o sector ocupado pelos astronautas norte-americanos (mais correctamente dois norte-americanos e um italiano), obrigou por questões de segurança os elementos que ocupavam esse módulo a abandonarem-no de imediato, procurando temporariamente protecção e refúgio no módulo do sector russo (três astronautas russos).

 

people.jpg

Os seis astronautas

 

A fuga não se confirmou, acabando os astronautas ocidentais por abandonar o módulo de leste, sem nenhum tipo de incidente a assinalar.

 

(imagens – NASA e RIA Novosti)

tags: ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:16
Domingo, 11 DE Janeiro DE 2015

O Pai dos Visitantes do Espaço

A repetição da imagem pode dever-se (apenas) à existência de espelhos repercutindo pelo tempo e pelo espaço um mesmo objecto (de desejo) – seja real ou seja imaginário (se por acaso existe diferença).

 

unnamed.jpg

Imagem inicialmente transmitida pela ISS – Julho 2014
(com a transmissão a ser interrompida)

 

Esta imagem proveniente da ISS já tinha sido anteriormente assinalada (pelo menos) noutra transmissão ao vivo emitida a partir do espaço, apresentando-nos um objecto desconhecido com as mesmas dimensões, forma e aspecto exterior.

 

Desde o início que o objecto me fez lembrar um Vaivém da NASA, o que não me espantou nada apesar destes já terem passado à reforma.

 

Acredito que os Estados Unidos da América não resumem o seu programa espacial aos voos divulgados pela sua agência espacial (tipo voos civis), dirigindo a maior parte do seu investimento para a exploração espacial ao serviço das suas forças armadas (tipo voos militares).

 

É assim fácil de aceitar a coexistência de outros Vaivém (na concretização de missões e objectivos paralelos) e o seu aparecimento acidental em certas transmissões emitias ao vivo a partir da ISS (um dos problemas dos directos).

 

E porque não acreditarmos na existência de outras naves espaciais circulando por aí e com origem nas grandes potências do nosso globo terrestre (não nos limitando apenas aos EUA), na colaboração estratégica e secreta entre essas mesmas potências no encobrimento e descredibilização de factos testemunhados (mas indiscriminadamente omitidos por motivos que nos ultrapassam), ou até na possibilidade da concretização de viagens interplanetárias mais rápidas e seguras e capazes de transportarem equipamentos e humanos.

 

O primeiro passo para o início da verdadeira colonização do espaço (tendo na prossecução deste processo, a Lua como instrumento de iniciação) e para a conquista e conhecimento do planeta em tudo mais próximo de nós – Marte.

 

Uma coisa é certa: não existem coincidências!

 

(imagem – Web)

tags: ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:16
Domingo, 11 DE Janeiro DE 2015

Visitantes do Espaço

Why can't hackers hack into NASA so they can't block the feed or cut off”?
(comentário pertinente de um leitor sobre a interrupção da transmissão)

 

UFO_23452543.JPG

O estranho objecto visto e registado por Tony Lundh
(antes da interrupção da emissão)

 

Um curioso dos fenómenos OVNI e espectador atento das emissões realizadas ao vivo a partir do espaço utilizando as câmaras instaladas na ISS, afirma que no decorrer do dia 6 de Janeiro deste ano a emissão foi inesperadamente interrompida, quando na imagem começava a aparecer um objecto estranho e de grandes dimensões.

 

O indivíduo (Tony Lundh) afirma que as imagens de arquivo foram posteriormente removidas por técnicos da NASA, não deixando no entanto de solicitar a quem as possa também ter visto que comunicasse com ele via thirdphaseofmoon.net. A ser verdade mais um caso estranho e curioso, registado e não comentado (pela NASA) por remoção.

 

(imagem – Web)

tags: , ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:43

pesquisar

 

Agosto 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

comentários recentes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro