mais sobre mim

Sábado, 10 DE Fevereiro DE 2018

E Nevou de Novo e Intensamente em Marrocos

“Um território com uma certa ligação, do qual por destino e sem vontade própria, me desliguei.

Algo que incompreensivelmente se faz vezes demais, no nosso tão curto percurso por cá.”

 

Neve em Marrocos

 

Snow.png

Autoestrada Marraquexe/Agadir

 

Depois de há cerca de quinze dias o Reino de Marrocos ter sido submetido a uma das maiores quedas de neve desde há cerca de 50 anos (atingindo mesmo regiões a sul fazendo fronteira com o deserto),

 

‒ Interrompendo a circulação de transportes em várias estradas marroquinas e isolando muitas localidades sobretudo as rurais

 

O país voltou a ser submetido a uma nova onda de frio (intenso para as condições habituais) e a ficar coberto por uma nova camada de neve: cortando de norte a sul estradas de todo o seu território (uns 5.000Km) e levando ao encerramento (temporário) de quase 900 escolas.

 

ifrane10.jpg

Ifrane

 

Afetando regiões de Marrocos desde Tanger/Tetouan (cidades a norte, junto ao Mediterrânico) até atingir noutro extremo Tinghir/Zagora (cidades a sul, fazendo fronteira com o deserto) ‒ sobretudo zonas rurais e a altitudes elevadas.

 

Uma tempestade assolando de novo todo o Reino de Marrocos, com uma segunda onda de frio (intenso) e de queda de neve a submeter todo o seu território a partir do passado dia 5/6 de Fevereiro a condições atmosféricas extremas,

 

Provocando numa região do norte de África não muito habituada a estas condições climatéricas (num reino considerado como quente, seco e desértico e agora estando frio, com neve e formação de gelo),

 

Screenshot-2018-2-10 Facebook.jpg

Ouarzazate

 

Grandes perturbações no funcionamento básico e normal da sua sociedade extremamente dependente das vias e meios de transporte de modo a evitar o seu isolamento e dessa forma sobreviver (nestas condições para muitas pessoas consideradas extremas, dado não estarem preparados/apetrechados para tal):

 

Com valores na ordem de 170/280cm de queda de neve na região de Ifrane (6/7 Fevereiro), de 170/190cm na de Khenifra e de 80cm na de Beni-Mellal e levando o governo marroquino (logo a 8 de Fevereiro) a tomar medidas excecionais de auxílio às populações isoladas (rurais/montanhas), algumas mesmo sem condições para resistirem por muito mais tempo a esta vaga de frio,

 

‒ Afetando mais de 20 províncias e mais de meio milhão de pessoas em regiões do Reino de Marrocos onde não se vis Neve desde há uns 50 anos (1968).

 

Alguém em Marrocos

 

Military-Hospital-Set-Up-in-Anfgou-to-Assist-Cold-

Anfgou

 

[Num território por onde já viajei por diversas vezes (à boleia, de carro e de comboio) e onde já pernoitei em diversos tipos de lugares (desde o parque de campismo ao hotel) ‒ infelizmente onde não retornei já lá vão muitos anos ‒ e onde sobretudo na viagem concretizada por altura da Páscoa rapei muito frio no camping de Martil (localidade junto à praia com o mar Mediterrânico em frente) localizada perto de Tetouan. Chegados a Algeciras e atravessado o mar (separando a África da Europa) entrando-se num Novo Mundo (na altura, há muitos anos) ‒ como se entrássemos efetivamente nas fantásticas Mil e Uma Noites ‒ fazendo-nos lembrar o Mundo Antigo, a sua Memória e a sua Cultura (no meu país entretanto perdida) dos nossos (queridos) Antepassados: com Saudade mas aí (por essa altura) ainda com Presença. Hoje algo que não sei, pois nunca mais lá voltei.]

 

(imagens: moroccoworldnews.com e ورزازات أونلاين/facebook.com/watchers.news)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:45
Quinta-feira, 08 DE Fevereiro DE 2018

Vem Aí Ainda Mais Frio

De momento com a temperatura em Albufeira a andar pelos 13⁰C, com céu limpo e vento moderado de norte (especialmente frio de manhã cedo e à noite).

 

HeartyNippyBillygoat-mobile b.jpg

Com o efeito provocado pelo SSW a começar-se a sentir nas Ilhas Britânicas

Já hoje 8 de Fevereiro de 2018/quinta-feira/13:00

(gfycat.com)

 

Com as previsões para os próximos dias em Albufeira a apontarem para a manutenção das temperaturas (e do frio), geralmente com céu nublado/parcialmente nublado (e ainda com algumas possibilidades de chuva).

 

Com o tempo frio a afetar nos últimos tempos não só a América do Norte (Canadá e EUA) como todo o continente Europeu ‒ veja-se o caso de França com uma rara e grande e queda de neve a fazer-se sentir ontem em Paris (quarta-feira, 7), acompanhada por temperaturas a atingirem os 10⁰C negativos e colocando os transportes da capital num caos total (chegando mesmo a paralisar o transporte à superfície) ‒ os meteorologistas europeus veem-nos agora alertar da forte possibilidade de nos próximos dias as condições atmosféricas não só se manterem, como de se agravarem ainda mais e de simultaneamente se prolongarem no tempo (por mais uns largos dias).

 

HeartyNippyBillygoat-mobile.jpg

Com o efeito provocado pelo SSW a sentir-se mais intensamente em Portugal

A 14 de Fevereiro de 2018/quarta-feira/01:00

(segundo os meteorologistas)

 

Logo ‒ no Algarve e em Albufeira e apesar da queda de neve ao pé do deserto (em Marrocos) ‒ com o tempo no fundo a manter-se apesar deste fenómeno atmosférico associado ao vórtice polar.

 

Tudo isto provocado pelo aparecimento de um raro fenómeno atmosférico originado no Polo Norte e denominado SSW (Sudden Stratospheric Warming/Aquecimento Estratosférico Súbito) e que já no passado (Março de 2010) trouxe um período prolongado de frio (intenso) afetando algumas das regiões da Europa. Segundo as previsões dos meteorologistas (para as próximas duas semanas) com o Vórtice Polar atualmente sobre a Gronelândia a dividir-se em dois, com uma das partes dirigindo-se para o Canadá e a outra na direção da Rússia: e depois de se dividir (a 8/9) e ficar já bem desenvolvido (a 11), atravessando toda a Europa e o Mediterrâneo e atingindo igualmente a Península Ibérica ‒ e aí Portugal (mais intensamente a 14). Posteriormente enfraquecendo e finalmente dissipando-se (subindo então as temperaturas).

 

(dados e imagens: watchers.news/gfycat.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:23
Quinta-feira, 01 DE Fevereiro DE 2018

Austrália ‒ A Braços com as Monções e agora com a Super Lua

[E para comparar com Portugal/Albufeira]

 

Enquanto ninguém liga ao que se está a passar (Aquecimento Global/Alterações Climáticas), pelo menos vai-se dando notícia, do que toda a gente já vê (com todos os órgãos dos sentidos). O que não se percebe bem é do que é que todos estão à espera!

 

1517288964207_GB31EH6KL.5-1.jpg

Uma Estrada num Oceano

 

Portugal/Albufeira

 

Em Portugal Continental e com as condições meteorológicas a manterem-se ‒ tempo seco (mesmo em Dezembro) e frio (devido à presença de um centro de baixas pressões sobre o território) ‒ prevê-se para os próximos dias (usufruirmos de) sensações atmosféricas muito semelhantes com uma ligeira descida das temperaturas e alguns períodos de chuva. Em ALBUFEIRA com o céu a mostrar-se um pouco nublado (com probabilidade de precipitação reduzida), com vento moderado de norte e com as temperaturas (mínima/m e máxima/M) a descerem de 7⁰C/17⁰C (hoje, dia 1) para 3⁰C/12⁰C (3ª feira, dia 6) ‒ uma descida de 4⁰C/5⁰C (m/M); e no mar com ondas por volta dos 0,5 metros de altura (até 0,8m) e temperatura da água nos 15⁰C. E podendo chover entretanto (domingo dia 4, com a maior probabilidade), a partir de quarta-feira (dia 7) podendo voltar a espaços (não muito prolongados) a chuva.

 

1517288964207_GB31EH2JJ.5-1.jpg

Town Beach

 

Austrália/Broome

 

Já no caso do Mundo e particularmente (do Continente) da Oceânia com o norte da Austrália (e outras ilhas próximas) a ser exposto a condições extremas de mau tempo, com períodos de chuva intensa provocadas pelo período das monções (neste momento atingindo um máximo de precipitação) e inundações não só provocadas pela mesma (chuva) como pela circunstância da chegada da SUPER LUA de Janeiro, 31 (ocorrida esta quarta-feira): com a conjugação da Monção (provocando chuva intensa) e da Super Lua (originando a subida do nível da água do mar) agravando-se as condições (meteorológicas) e as consequências para as populações (em danos materiais e humanos). Já na passada 3ªfeira dia 30 (e referindo-nos apenas ao norte da Austrália) com a tempestade a descarregar toda a sua violência sobre a localidade costeira de Broome (uma cidade turística tendo a noroeste a Indonésia e a nordeste a PNG) ‒ com ventos fortes e precipitação intensa ‒ derrubando árvores e postes, cortando estradas e interrompendo o fornecimento de eletricidade, mas sobretudo dando origem a enormes inundações e criando o caos total.

 

1517288964207_G701EHKGA.4-1.jpg

Campo de Golfe

 

Com a Austrália situada no continente da Oceânia e neste momento (dado estar localizada no Hemisfério Sul) a atravessar a sua estação de Verão (na vila turística de Broome com as temperaturas em redor dos 20⁰C/30⁰C), a ver o norte e o oeste do seu território a ser varrido por uma grande tempestade (a nível de pluviosidade com níveis muito perto dos seus recordes e com ventos atingindo os 100Km/h ou mais). Para além de todos os danos materiais provocados falando-se até ao momento de uma possível vítima mortal: um homem de 62 anos desparecido desde 24 de Janeiro e que segundo amigos (seus) iria fazer um percurso de bicicleta. Com o vento e as inundações bem explicitas nas imagens anteriores (Uma Estrada num Oceano, Town Beach e Campo de Golfe).

 

global_lunar_eclipse_01182018.jpg

Eclipse da Lua

 

De um modo ou de outro com os períodos de mau tempo (desde o início do ano) a estenderem-se um pouco por todo o planeta, desde o Hemisfério Norte (atravessando o Inverno) até ao Hemisfério Sul (atravessando o Verão): com a América do Norte, a Europa e até Marrocos a tremer (com a mais recente vaga de frio) e até com os países do sul da Asia e da Oceânia e fazendo face às Monções (e até à Super Lua) a sofrerem perante a força do vento e a verdadeira muralha (invasora) de água (num duplo impacto com origem no ar e no mar). Sendo bem visível na última imagem (Eclipse da Lua) como toda aquela região do sul da Ásia/Oceânia foi um dos mais afetados pelo evento lunar (com marés mais elevadas) ‒ e em Portugal (como na Europa Ocidental) com o Eclipse não sendo visível.

 

(imagens: perthnow.com.au e nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:26
Quarta-feira, 31 DE Janeiro DE 2018

E Nevou em Marrocos

Às portas do deserto (do Sahara), com a neve a atingir os 30cm (em Imdrasse) e com as temperaturas a variarem entre os -4⁰C e +9⁰C (mínima/máxima).

 

First snow in 50 years hits southern Morocco, exceptional snowfall paralyzes the country.

(watchers.news)

 

low-pressure-area-over-morocco-january-29-2018.jpg

A área de baixas-pressões afetando a norte a Europa e a sul Marrocos

(29 Janeiro 2018)

 

Following unprecedented road conditions across Morocco on January 20, 2018, when 5.000 km of roads were closed due to what authorities described as 'exceptional' snowfall, heavy snow arrived to the country's southern regions on January 29, for the first time in 50 years.

 

Quando se fala em MARROCOS (um país do norte de África, banhado por dois mares/oceanos e com um deles separando-o da Europa ‒ mais rigorosamente o mar Mediterrânico), uma das primeiras ideias que nos vêm à cabeça até pela sua vizinhança com o deserto do SAHARA (localizado a sul), é que se tratará certamente de um extenso território (área = 446.550Km²/quase 5X Portugal e população = 34.042.582/mais de 3X Portugal) predominantemente (durante a maioria do ano) de clima quente, seco e desértico.

 

Ouarzazatte-neige-1-1.jpg

Queda de neve em Ouarzazatte

(por estrada e por montanha a quase 200Km a sul de Marraquexe)

 

The snowfall is currently affecting Ouarzazate (gateway to the Sahara Desert), Taroudant and even Zagora, which hasn't experienced snowfall since 1968.

 

E para se viajar para o reino (africano) do Rei Maomé VI de Marrocos (dinastia Alauita), sendo preferível fazê-lo em qualquer estação (do ano) desde que não seja a do Verão: com o clima mediterrânico/a norte e o desértico/a sul a proporcionarem temperaturas mais amenas/na Primavera e no Outono, podendo ser sufocante/no Verão (com temperaturas à sombra sobretudo a sul acima dos 40⁰C) e frio no Inverno (como nas Montanhas do Atlas). Num país a sul coberto pelo deserto (depois da anexação do Sahara Ocidental) e no entanto com neve.

 

Oukai_meden_morocco_snowing_76.jpg

Oukaimeden ‒ uma das estâncias de ski localizada a sul de Marraquexe

(por estrada na montanha a uns 80Km a sul de Marraquexe)

 

Head of communications at the National Meteorological Directorate blamed the cold weather and southern snow on the influence of a very low pressure area, adding that similar weather (cold, snow and rainfall) should be expected across the country at least until Thursday, February 1.

 

De norte a sul de Marrocos deparando-nos com montanhas, planaltos e vales (mais ou menos áridos e mais ou menos desérticos) com as Montanhas do Atlas e o deserto da Sahara influenciando o clima (tal como cá variável) e temperando o cenário (quente/frio): oferecendo-nos no Verão o Inferno do Deserto (entrando por Zagora) e no Inverno as suas estâncias de Ski (como a de Ifrane/2.100m/a N e a de Oukaimeden/3.200m/a S). Estâncias de ski meias-portas (como Oukaimeden 70Km a sul de Marraquexe) com o árido deserto.

 

Ouarzazate-neige-1024x683.jpg

Ouarzazatte ‒ temperaturas atingindo os - 5⁰C com cortes na água e na eletricidade

(originando falta de aquecimento/alimentação e 700.000 a necessitarem de auxílio)

 

Weather authorities said the cold weather will particularly affect the Rif, Oriental, plateaus of phosphate and Oulmes, the Saiss and the interior plains. Meanwhile, the provinces of Boulmane, Ifrane, Khénifra, Midelt, Beni Mellal, Azilal, Errachidia, Tinghir, Ouarzazate, Al Haouz and Chichaoua will see snowfall.

 

Pelo que notícias oriundas do Reino (com cerca de 40% do seu território sendo montanhoso, muito dele acima dos 2.000 metros e com as montanhas do Atlas a ultrapassarem os 4.000 metros) incidindo sobre a Meteorologia e as condições do tempo atuais ‒ informando-nos da maior queda de neve registada no sul de Marrocos de há 50 anos para cá ‒ não nos devendo espantar e sendo fácil de interiorizar: e tal como no nosso país neva na Serra da Estrela (2.000 m de altitude) sucedendo o mesmo em Marrocos a altitudes similares (ou superiores).

 

(texto/itálico: watchers.news ‒ imagens: NASA/Morocco World News/Sott)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:43
Sexta-feira, 12 DE Janeiro DE 2018

Meteorologia ‒ Para já sem notícias de David

Mas tal como com ELEANOR (felizmente não nos afetando) com uma outra Tempestade a caminho (das Ilhas e do Continente) podendo ou não cá chegar.

 

europe-storm.jpgtignes.jpg

Tempestade Eleanor (atravessando a Europa)

Estação de sky de Tignes (queda 40cm/de neve, estradas cortadas e risco/avalanches)

 

Com mais uma tempestade originada no Circulo Polar Ártico agora a caminho do Reino Unido (e da Republica da Irlanda) os ingleses preparam-se agora para ser atingidos este fim-de-semana (13/14 Janeiro) por uma frente fria acompanhada de ventos fortes e gelados: esperando-se uma descida acentuada nas temperaturas acompanhada por queda de neve.

 

Com a tempestade (o Vortex Polar) a ser criada na região do Polo Norte, quando grandes massas de ar sujeitas a Baixas Pressões começam a movimentar-se (rodando no sentido contrário sãos dos ponteiros dos relógios), neste caso deslocando-se para sudeste e atingindo fortemente (na sua passagem) o Reino Unido.

 

E dada a grande massa de ar frio a caminho, atingindo dentro de horas as ilhas (em princípio deslocando-se para sul e podendo atingir a Península Ibérica), temendo-se o regresso da chuva (mais intensa com granizo), do frio (descida das temperaturas) e da queda de neve ‒ podendo mais uma vez afetar os transportes, a distribuição de eletricidade e o quotidiano de muitos milhares de pessoas (isolando-as ainda mais).

 

E já tendo passado CARMEN ficando-se a aguardar por David.

(em princípio ainda este mês)

 

08SPCP03_006.jpg08SPCP03_027.jpg

Evolução do tempo na Península Ibérica de 12 para 13 de Janeiro

(relativo à precipitação ‒ possibilitando a queda de neve a altitudes elevadas)

 

Com um fluxo de jato (Jet Stream) colocado logo abaixo (da base) do Vortex Polar/VP ‒ localizado a uns 50Km de altitude ‒ e constituído por uma enorme e densa massa de ar frio, (vindo do Ártico) a poder devido à ação desse mesmo fenómeno meteorológico (VP) alterar as suas características, força e direção, neste caso afetando as Ilhas e (posteriormente) o Continente mais a sul (França, Espanha e Portugal).

 

Pelo que a partir do próximo fim-de-semana e mantendo-se a Tempestade nos próximos dias (no seu trajeto para SE), em Portugal Continental deverá manter-se chuva e frio (e possibilidade de neve pelo menos na Serra da Estrela) talvez mais forte/a chuva e intenso/a neve. Segundo o IPMA (no Algarve pelas 14 horas com a temperatura nos 13⁰C) prevendo-se para este fim-de-semana uma ligeira descida das temperaturas (2⁰C/3⁰C), chuva em todo o país (sobretudo no sábado), vento moderado (mas frio) e ondulação entre 1,5/2,5 metros (a sul 0,5/1 metro).

 

E relativamente ao Algarve e à cidade de Albufeira (e a este fim-de-semana) prevendo-se temperaturas entre os 6⁰C/16⁰C (mínima/máxima), alguma precipitação (aguaceiros sobretudo no sábado, menos no domingo) e com céu apresentando-se (mais ou menos) nublado. Seguindo-se uma semana sem chuva (do dia 15 ao dia 19) e com temperaturas entre os 4⁰C/17⁰C (no fundo muito semelhante à anterior).

 

(imagens: mountainwatch.com e meteoblue.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:14
Terça-feira, 09 DE Janeiro DE 2018

No Inverno é Natural ‒ Mau Tempo no Hemisfério Norte

Enquanto na América do Norte (Canadá e EUA) os ventos gelados e cortantes do Ártico têm provocado grandes quedas de neve e (devido à queda abruta das temperaturas com muitos valores a descerem até aos 30⁰C negativos) formação rápida de gelo ‒ com pelo menos 21 vítimas mortais já contabilizadas ‒ na Ásia (China) o mau tempo também não dá tréguas com uma grande queda de neve (e chuva gelada) assim como outras tantas (igualmente 21) vítimas mortais.

 

325962.jpg

EUA

 

No caso dos EUA com a chegada do mau tempo a colocar toda a região litoral-este da América do Norte sob o efeito de uma grande tempestade (os tais Ciclones-Bombas), apanhando num curto espaço de tempo os aí residentes sob o frio cortante oriundo do Circulo Polar Ártico (com a temperatura mais baixa conhecida a atingir quase os 70⁰C negativos), com fortes quedas de neve e criação de muito gelo. Colocando muitas localidades numa situação caótica. Ainda ativa.

 

snapshot1.jpg

China

 

Na China com a região central-oeste apanhando as províncias de Guizhou, Hunan e Jiangxi a registar (desde o início do ano) uma intensa queda de neve (caindo intensamente e surgindo em duas vagas) afetando mais de 2 milhões de pessoas e destruindo umas 7 centenas de casas. Uma tempestade de neve considerada das piores registadas na última década destruindo colheitas (mais de 200 mil hectares) e provocando imensos prejuízos (mais de 899 milhões de dólares). Ainda ativa.

 

(imagens: Reuters e The Star Online)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:17
Segunda-feira, 08 DE Janeiro DE 2018

Os EUA e o Ciclone-Bomba

USA to FREEZE in arctic WEATHER BOMB:

'Snow hurricane' and blizzards to smash east coast

(express.co.uk)

 

1.jpg

Residentes tentando limpar a neve na cidade de Boston ‒ Massachusetts

(Getty)

 

Com temperaturas em torno dos 30⁰C negativos ‒ e em muitas regiões devido aos ventos extremamente frios (acompanhando a queda de neve e a formação de gelo) chegando a atingir os 70⁰C negativos ‒ o Canadá e os Estados Unidos têm-se visto nestes últimos dias debaixo de uma verdadeira TEMPESTADE (condições meteorológicas extremas), colocando muitas das suas estruturas básicas em risco (transportes, eletricidade, vida social, etc.) e instalando o caos em muitas partes da América do Norte (Canadá/EUA):

 

2.jpg

Com as temperaturas no Canadá/EUA a atingirem os 30⁰C negativos

(Getty)

 

Devido aos Ciclones-Bomba com as temperaturas registadas a atingirem valores recordes negativos e com as mesmas (temperaturas) ao descerem abrupta e rapidamente (deslocando-se posteriormente para sul) a estenderem os seus efeitos a estados (norte-americanos) tão distantes como a Flórida ‒ apanhando as iguanas desprevenidas, enregelando-lhe os membros e fazendo-as cair das árvores.

 

4.jpg

Massachusetts ‒ Inundações e formação de gelo tornando impraticável a condução

(EPA)

 

Entre outros fenómenos meteorológicos provocados pela TEMPESTADE com o vento forte (em certas zonas do Canadá) a provocar a interrupção da distribuição de eletricidade, com a queda de neve (e formação de gelo) a interromper importantes vias de comunicação (costa este dos EUA), com as condições de tempo extremo (para o Homem) a provocarem para já 21 vítimas mortais (19 dos EUA e 2 do Canadá), com os aeroportos parcial/totalmente paralisados (e com os passageiros continuando presos tanto no aeroporto como nos aviões),

 

5.jpg

Boston sob efeito da Bomba-Ciclone

(Getty)

 

Para no final e conjugando todos estes fatores (queda de neve, ventos ciclónicos e descida abruta de temperatura) ‒ associados ao fenómeno CICLONE-BOMBA ‒ deixar todo este território abrangendo todo o norte do continente americano exposto aos ventos do Ártico e assim proporcionando o aparecimento de temperaturas extremas podendo bater recordes (como os tais 70⁰C Negativos).

 

3.jpg

O Olho da Tempestade tendo à esquerda os EUA e (um pouco mais) à direita a Europa

(NOAA)

 

No caso de Portugal e das suas Tempestades (Ana, Bruno, Carmen e exterior à lista Eleanor) ‒ às quais no passado chamaríamos (simplesmente) Mau Tempo ‒ passado o efeito provocado pela passagem das mesmas (ao largo de nós especialmente Eleanor) ‒ nos próximos dias e segundo o IPMA com a previsão meteorológica a prever uma ligeira subida das temperaturas (mantendo-se no entanto tempo frio) e o regresso da chuva. E em Albufeira (subindo ligeiramente as mínimas) com as temperaturas a andarem (especialmente a partir de 4ª feira) entre os 8⁰C/16⁰C (até sensivelmente o meio do mês) verificando-se o regresso da chuva (3ª/4ª feira e regressando para o fim-de-semana) com vento fraco a moderado (com Alerta Amarelo para dias 10/11).

 

(imagens/dados da legenda: bbc.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:02
Sexta-feira, 05 DE Janeiro DE 2018

Carmen de Visita a Albufeira

Com a consulta da palavra Tempestade a aparentemente fazer frente (na Web) à palavra Sexo (sendo que CARMEN é até agora e apenas a 3ª ereção meteorológica), o melhor estratagema para fazermos frente a ambos (Tempestade & Sexo) será sempre o de dar de comer a quem pensa que tem fome (assim aumentando o número de fans) deixando-os pensar (nós incluídos) estarem satisfeitos.

 

img_797x448$2017_05_11_08_23_22_225364.jpg

Tempestade CARMEN

Prevendo-se chuva, vento e queda acentuada nas temperaturas

 

Com a temperatura em Albufeira pelas 19:00 a registar 12,7⁰C (como anteriormente previsto) os efeitos da passagem da Tempestade CARMEN por Portugal (continental) começaram-se a sentir hoje (sexta-feira, 5 de Janeiro) com aguaceiros (ou períodos de chuva a sul), vento fraco a moderado (forte nalgumas regiões do interior-centro) e agitação marítima (com ondas de 3,5/4,5 metros a ocidente e de 1,0/1,5 metros a sul).

 

No que diz respeito à região do ALGARVE com a temperatura do ar a andar entre os 10⁰C/18⁰C (as do mar pelos 16⁰C/17⁰C), a oeste com aguaceiros (menor precipitação) e a este com períodos de chuva (maior precipitação).

 

Na previsão meteorológica para este fim-de-semana (sábado e domingo) e mantendo-se sensivelmente os mesmos parâmetros de vento/precipitação (em princípio tendendo a diminuir ligeiramente de intensidade) sendo de realçar até pela altura do ano (estação de inverno e época das gripes em certos casos sugerindo a vacinação ‒ este ano e para já sendo o vírus prevalecente um dos mais fracos) a descida generalizada das temperaturas (segundo os meteorologistas nalguns casos extremos e num espaço de poucos dias podendo atingir uma descida de 15⁰C):

 

No Porto com as temperaturas a descerem de 6⁰C/14⁰C para 3⁰C/12⁰C (descida máxima de 3⁰C), em Lisboa de 8⁰C/15⁰C para 3⁰C/12⁰C (descida máxima de 5⁰C) e em Faro de 10⁰C/18⁰C para 4⁰C/12⁰C (descida máxima de 6⁰C) ‒ e como se constata com a maior descida registada a sul (em Faro).

 

00-10.jpg

Tempestade CARMEN

Afetando toda a Península Ibérica incluindo o Algarve

 

Sendo ainda de realçar Trás-os-Montes e as Beiras, onde as temperaturas registarão valores Negativos:

 

Com os distritos de Bragança, Vila Real, Viseu e da Guarda a serem os mais atingidos (por esta nova Vaga de Frio) ‒ entre eles com as mínimas a atingirem os -2⁰C/0⁰C e as máximas 3⁰C/9⁰C (nevando na Serra da Estrela) e no caso do Algarve e do seu ponto mais elevado (Serra de Monchique) fazendo frio (em Monchique com as temperaturas pelos 2⁰C/9⁰C) mas obviamente sem neve (no Alto da FÓIA).

 

Finalmente e cingindo-nos exclusivamente a Albufeira prevendo-se para este fim-de-semana tempo muito idêntico ao registado hoje (sexta-feira) mas devido ao frio (e à descida acentuada de temperaturas) com o concelho colocado em Alerta Laranja.

 

(dados: ipma.pt ‒ imagens: sabado.pt/GETTY e tiempo.com/ECMWF)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:39
Quinta-feira, 04 DE Janeiro DE 2018

Esta Madrugada chega Carmen

Muito Vento, muita Chuva, talvez Neve (certamente) e ainda Mar Bravo (Evidente)

 

DSb9yaKXcAAe8uq.jpg large.jpg

Tempestade CARMEN

Atravessando toda a França pelos Pirenéus e atingindo a Córsega no Mediterrânico

 

Insistindo nos dias de hoje que um Dia de Mau Tempo (assim considerado no passado) é na realidade uma Tempestade (denominado agora no Presente), os meteorologistas portugueses (conjuntamente com os seus colegas espanhóis e franceses) insistem no Estado de Alerta para Portugal Continental na passagem do dia 4 para 5: prevendo-se aquando da passagem desta nova tempestade ‒ Tempestade CARMEN ‒ períodos de chuva intensa (podendo provocar inundações) e vento forte (podendo provocar quedas de árvores e interrupção no fornecimento de eletricidade), em certas regiões podendo originar granizo e trovoadas (mais a norte/no interior) e mesmo a maior altitude podendo-se registar queda de neve (por exemplo na Serra da Estrela mas não no alto da Fóia/Monchique). Sentindo-se os seus efeitos mais a norte (e no centro) do que a sul, pelo que na região do Algarve (incluindo Albufeira) os efeitos serão mais ténues com alguma precipitação e descida das temperaturas. De qualquer das formas com a passagem da 3ª tempestade catalogada pelos meteorologistas (depois de Bruno, antes de David e entremeada com Eleanor) a colocar (a nível marítimo) toda a costa portuguesa em alerta (sobretudo na costa ocidental a norte do estuário do Tejo) devido à grande agitação marítima com ondas entre 5/6 metros (aconselhando como tal a não se ir e não se andar junto ao mar) e (já agora) a nível terrestre e até como conselho (pois mais vale prevenir do que remediar) devido à queda de neve e formação de gelo tornando as estradas perigosas e como talas viagens (a evitar nestes momentos meteorológicos mais extremos).

 

Há 50 anos (num mundo de leigos e autodidatas e quando todo o mundo trabalhava) sendo um fenómeno meteorológico Comum, no século XXI (disparando os eruditos, exterminados os autodidatas e com muita gente empregada) um Bicho de 7 Cabeças.

 

(imagem: France Bleu RCFM)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:48
Terça-feira, 02 DE Janeiro DE 2018

Eis que chega a Tempestade Carmen (e logo de imediato a Eleanor)

Primeiro ANA (a pioneira), depois BRUNO, agora CARMEN

E já em preparação

(mas nesta lista restrita e por adição)

ELEANOR.

 

[Com os meteorologistas da Météo-France, da Aemet e do IPMA a decidirem manter o nome da tempestade oriunda da Irlanda ‒ a Tempestade ELEANOR ‒ deixando para mais tarde a chegada das Tempestade DAVID (letra D) e da Tempestade EMMA (letra E).]

 

800.jpg

Tempestade Carmen

(Costa da Bretanha/França)

 

Iniciado o novo ano de 2018 e ainda na expetativa da chegada da próxima Tempestade (mantendo-se a frequência inicial com uma nova tempestade a ocorrer de 15 em 15 dias) eis que apanhando-nos um pouco de surpresa (as probabilidades e estatísticas têm destas coisas) duas tempestades surgem de imediato e consecutivamente (lá se indo a 1ªProfecia de 29.12): na sequência da decisão de meteorologistas (franceses, espanhóis e portugueses) de criarem a sua própria denominação para as tempestades afetando os seus 3 países, depois da passagem da Tempestade Ana e da Tempestade Bruno surgindo agora a Tempestade Carmen (atingindo a França a 1 de Janeiro) ‒ e prevendo-se de imediato a passagem da Tempestade Eleanor (a partir de 2 de Janeiro). E por este andar com cada período de Mau Tempo (pelo menos em Portugal) a ser agora promovido a mais uma Tempestade.

 

6e122a64a998cdec2012a087ef53fa9a.jpg

Tempestade Bruno

 

Ontem dia 1 de Janeiro de 2018 com a Tempestade CARMEN a atingir território francês (sobretudo a ocidente) com chuva intensa e ventos fortes (com rajadas de vento acima dos 130Km/h) provocando (para já) uma vítima mortal e deixando dezenas de milhares de lares sem eletricidade (uns 60/70 milhares); e já amanhã (dia 2) prevendo-se a chegada em força da próxima Tempestade/ELEANOR (oriunda da Irlanda daí o nome) colocando vários distritos em Alerta Laranja. E com toda a linha de costa em torno do Cabo Finisterra (localizado na Corunha/Galiza/Espanha) a estar sujeita a mar bastante agitado, com ondas podendo atingir alturas elevadas abrindo caminho entre praias e barreiras (costeiras) e inundando as zonas do litoral (galego) ‒ no caso de Eleanor com condições climatéricas (de chuva e de vento) muito semelhantes às de Carmen.

 

thumbs.web.sapo.io.jpg

Tempestade Ana

 

No que diz respeito a Portugal e à passagem destas duas tempestades (e tendo que atravessar França, também o fazendo em Espanha) com a chegada da Tempestade CARMEN a estar prevista lá para 5 de Janeiro (sexta-feira início do fim-de-semana e com o IPMA a prever o regresso da chuva) e com todo o país (de norte a sul) podendo ficar em Alerta Vermelho (um nível talvez algo exagerado): com ondas até 10 metros, ventos até 130Km/h e aguaceiros muito fortes numa duração que poderá chegar a 3 dias ‒ dia 5, 6 e 7 de Janeiro. De ELEANOR de momento não se falando muito (mas não se dissipando seguindo-se de imediato a sua antecessora Carmen). E consultando as previsões do IPMA no que toca ao sul de Portugal (Algarve) e particularmente a Albufeira (no período de 3/Quarta-feira a 7 de Janeiro/Domingo), com Céu parcialmente nublado/aguaceiros (chuva mais intensa sexta-feira), com vento fraco/moderado geralmente de norte e com as temperaturas entre os 6⁰C/21⁰C e com tendência de descida (das mínimas/máximas ou seja mais frio).

 

(imagens: rtp.pt/sapo.pt/iol.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:09

pesquisar

 

Fevereiro 2018

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
18
20
22
26
27
28

comentários recentes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro