mais sobre mim

subscrever feeds

Quinta-feira, 27 DE Julho DE 2017

Nada de Notícias Falsas, Notícias de Verão

Neste Mundo Alienado ‒ por dividido entre a Vida e o Outro Lado ‒ A Morte É Sempre Notícia

(mesmo para além dela, se for sempre bem espremida e se tivermos muita sede)

 

“Poucos dias depois de ver um OVNI no Arizona,

Chester Bennington vocalista dos Linkin Park suicidou-se na Califórnia.”

 

2017_0720_10272_6618.jpeg

 

Como é natural de suceder num Mundo Onde Já Nada Acontece (Terra) e Num Tempo Consagrado A Férias (Verão), tudo tem que ser mais espremido (como fruta já seca) se dele quisermos extrair algum sumo (senão existente pelo menos imaginado): com a fruta a ser agora um norte-americano natural da cidade de Phoenix, musicalmente famoso e recentemente falecido (faz amanhã uma semana) e com o sumo a vir do encontro imediato do mesmo com um Objeto Voador Não Identificado (OVNI).

 

E num período (de temperaturas elevadas) em que o nosso estado de consciência normal é constantemente posto à prova (com os nossos níveis de testosterona a atingirem valores elevados), muitas das vezes chegando a colapsar atirando-nos para um estado de semiconsciência (senão mesmo inconsciência), sendo também natural, normal e até lógico que a partir de um simples detalhe antes percecionado por sentido (noutro espaço e noutro tempo registado em memória) se associe o mesmo a um outro cenário e nele se processe a informação.

 

maxresdefault.jpg

 

Numa intervenção necessária e aparentemente Externa à nossa Realidade, mas ao contrário do que muitos pensam (por supostamente se opor à mesma) fundamental para a manutenção deste Sistema Monótono e Repetitivo (sem Imaginação) que hoje nos comanda a Vida (desde o nascimento até à morte e passando pelas diversas etapas da nossa certificação) seja dentro ou fora dos eixos (vindo dos a favor ou dos contra): ultrapassando as margens do rio (por onde segue a manada) e sujeitando-nos aos Teóricos da Conspiração (verdadeiros ou falsos). Num Novo Mundo onde o valor lógico da preposição tanto vale que seja V ou então que seja F.

 

Pelo que a morte recente (20 de Julho) do vocalista da banda norte-americana Linkin Park (Chester Bennington) suicidando-se numa das suas residências por enforcamento, não é bastante por si só para ser considerada notícia, necessitando de algo mais para poder persistir, ser reconsiderada e talvez elevada ao nível de reportagem ‒ e aí entrando o negócio (de novo) o marketing, a publicidade e as histórias alternativas de preferência conspirativas (e com sorte com mortes): nesse sentido com os Média informando-nos que Chester Bennington terá visto um OVNI pouco tempo antes de morrer. Vítima de Alienígenas (do OVNI) ou de Controlo Mental (Interno).

 

(imagens: linkinpark.com e KIISFM.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:17
Sábado, 27 DE Maio DE 2017

Nascida para Morrer

Não com uma extraordinária explosão (como é mais usual nestes casos) mas aqui com uma implosão deixando no seu lugar um buraco negro (provavelmente o destino de qualquer estrela maciça) ‒ desintegrando-se (devido às intensas forças em presença) e afundando-se sob si própria num determinado ponto do Espaço (reocupando-o ou redefinindo esse espaço e os seus moldes de utilização), antes talvez de existência agora de comunicação (e de equilíbrio como se estivéssemos a falar de vasos comunicantes). E de Mundos Paralelos.

 

NGC_6946.jpg

A Galáxia em espiral NGC 6946

(ou galáxia Fogo-de-Artifício dado o nº elevado de Supernovas aí detetadas)

 

Na cronologia histórica da estrela-gigante N6946-BH1, sendo visível na primeira imagem dois momentos marcantes e finais de uma das etapas da sua evolução, inserindo forçosamente o parâmetro Tempo para descrever a transformação registada no respetivo Espaço: com a estrela a desaparecer (num determinado espaço de tempo) dando origem a um buraco negro (num determinado tempo do espaço). E conjugando estes aspetos (dois e como que se anulando por simetria) e adaptando-os à visão do Mundo (exclusivamente nossa e como tal homocêntrica), sendo postos perante um quadro de esquecimento (como unidade independente e diferenciada que fora) e de Morte (concluída essa diferenciação e reintegrando-se no coletivo).

 

PIA21467.jpg

O desaparecimento por implosão de uma estrela-gigante

(no seu lugar aparecendo um buraco-negro por ela criado e no final engolindo-a)

 

No espaço de tempo de apenas oito anos (a nível cósmico um valor desprezável e praticamente igual a zero) com uma estrela-gigante a implodir, desaparecendo visualmente das suas coordenadas (como o comprova o telescópio Hubble) e sendo provavelmente substituída por mais um buraco negro (num espaço anteriormente emitindo luz e agora absorvendo-a toda): apresentando uma massa cerca de 25 X Sol, em 2007 observada como a vemos na primeira imagem à esquerda, repentinamente tornando-se imensamente brilhante (2009) e assim se mantendo durante vários meses (1 milhão de X mais brilhante que o Sol) e finalmente começando a perder todo o seu brilho desvanecendo, acabando por desaparecer completamente (como estrela que fora) ‒ como se comprova na primeira imagem (à direita) referida a 2015.

 

PIA21466.jpg

A fase final de uma estrela-gigante e maciça

(implodindo e desaparecendo no interior do buraco por si criado)

 

Numa explosão que não resultando numa Supernova (como acontece com muitas destas estrelas ao atingirem o seu limite de idade) resultou no total desaparecimento desse monstro estelar (se comparado com o nosso Sol), praticamente nada restando no local como o confirmaram dados posteriormente aí recolhidos: com uma reduzida luz infravermelha a ser aí detetada, talvez resultando de alguns fragmentos da mesma antes de serem engolidos e desaparecerem (integralmente) no interior de um buraco negro (engolindo num redemoinho irresistível tudo o que possa significar luz e energia, como o buraco de escoamento de um simples lavatório). E com o buraco negro responsável (criado pela implosão da estrela-gigante) a estar localizado na galáxia NGC 6946 a 22 anos-luz de distância de nós.

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:28
Quinta-feira, 13 DE Outubro DE 2016

Tudo se resolve a Tiro

[De preferência na Cabeça tal como no caso dos Zombies]

 

Um militar da GNR morto, mais dois feridos e um casal de civis baleado, tendo o homem morrido. Terá sido tudo obra de um único suspeito que continua a ser procurado.

(jn.pt)

 

pararellworld.jpg

Death is just an illusion: we continue to live in a parallel universe

(texto e imagem: messagetoeagle.com)

 

“Matamos porque nos colocaram as armas nas mãos, porque nos ensinaram logo a disparar e também porque nunca nos disseram que aqueles a abater eramos nós.”

 

Quando nos deparamos com certas notícias (que nos tocam e sensibilizam) e somos imediatamente confrontadas por elas (tal a intoxicação informativa), as duas primeiras coisas que nos vêm à cabeça e para as quais procuramos resposta (compreensão do fenómeno ocorrido pelo estudo da relação causa/efeito), são como seria lógico a sua compreensão (por perceção do ocorrido na origem) e a verdadeira extensão das suas consequências (através do processamento de todas as sensações entretanto recolhidas): no caso do triplo homicídio ocorrido na madrugada da última terça-feira no distrito de Viseu (dia 11), o conhecimento dos antecedentes sociais, profissionais e criminais do respetivo homicida (entre muitos outros parâmetros psíquico-físicos a valorizar e de modo a perceber-se com rigor o motivo da concretização deste ato criminoso e extremo) e a razão da escolha deste preciso momento para finalmente se exprimir (impondo-se de uma forma unilateral e violenta), sem limites e sem valores (ou seja matando).

 

“Como todos nós sabemos as tendências da moda nada tem a ver com os seus clientes, mas com todos aqueles que querem obter do seu produto o lucro máximo possível num mais curto espaço de tempo: e como tempo é dinheiro a melhor forma de resolver um conflito será sempre a tiro, até para se ser claro e se obter um grande impacto – sendo preciso, sempre eficaz.”

 

Deparando-nos neste caso particular com um indivíduo socialmente descrito (e visto na sua terra) como um cidadão normal (com virtudes mas também com alguns defeitos), filho de boas famílias e aparentemente sem grandes problemas financeiros (seria até piloto de aviação), com alguns problemas legais (e criminais) como qualquer descendente rebelde (daí a sua apresentação como ovelha-negra da família) e que adicionalmente (numa construção elaborada pelos media) apresentava desde logo algumas anomalias (pelos vistos relevantes mas nunca antes detetadas), que pelos vistos poderiam ser sintomas da doença que aí vinha. Num acontecimento dramático (3 indivíduos mortos, 1 em morte cerebral e 1 outro ferido) ocorrido num curto espaço de tempo e tendo a cabeça das suas vítimas como alvo (apenas um agente da GNR foi atingido nas pernas), explicado de uma forma infantil, ingénua, senão mesmo deliberada, socorrendo-se de dois episódios que (apesar de poderem ter sido explosivos) foram apenas a manifestação do potencial problema e não a sua causa: matamos porque somos condicionados para tal (percecionando e sentindo tudo o que nos rodeia e estrutura de uma forma desfocada, limitando-nos a perceção, baralhando a transmissão e originando erros na sensação) e não porque estivemos na África do Sul (= violência), porque somos caçadores (= morte) ou porque temos a casa cheia de animais exóticos (= trauma).

 

“Desde a Queda do Muro de Berlim não foi só o muro que caiu mas com ele todo o Mundo – interrompendo-se (pensava-se estar a acabar) aí a guerra entre o Bem e o Mal com a vitória do Bem. No entanto desde a queda das Torres Gémeas tudo mudou – deixando-os especados e sentindo-nos vulgarizados (verdadeiramente nas mãos do Diabo) com a evolução científica dada ao termo terrorista (sendo tudo e o seu contrário e impondo Bem = Mal).”

 

A nível de uma região de província, de um país pequeno, pobre e periférico da Europa, uma imagem fiel e de dimensão micro do que na realidade se passa um pouco por todo o Mundo: com os maiores exemplos a serem proporcionados a nível interno pelos EUA, com a perseguição impiedosa a todos os seus cidadãos que mexam e sejam de cor negra (em episódios todos os dias relatadas em toda a imprensa mundial e esmagadoramente terminando na morte do Preto (antes tinham sido os índios); e a nível externo com a vergonha (por ser tanta a hipocrisia presente e vinda de todos os lados) de vermos a maios potencia militar mundial (os EUA) a ter de se socorrer de todo o tipo de terroristas que tenha mais à mão (Exército Islâmico, Al-Qaeda, mercenários e ainda outros contingentes de menos bons e de menos maus) de modo a conquistar (neste caso um quintal historicamente russo) ou manter a sua supremacia (face à previsão da futura tomada de poder do bloco Russo/Chinês).

 

(imagem: a indicada)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:38
Quarta-feira, 21 DE Setembro DE 2016

Em Morte Cerebral

Síria

 

Com a CIA e o Pentágono mínima, eficaz e militarmente bem inseridas e integrados no terreno (combatendo-se como parceiros e inimigos e desse modo implementando a ordem e o caos) e complementarmente contando ainda com a submissão da grande maioria (do Mundo) às milagrosas rotativas impressoras de Dólares (daí a ligação direta com Deus); na Síria e no Iraque e para os estrategas dos EUA (no instante), com o futuro na Al-Qaeda e nos terroristas do ISIS.

 

WireAP_281de2cff2e6445db4304cde79692062_16x9_992.j

 

“The Syrian ceasefire formally ended today, with the Syrian military announcing it was no longer sustainable amid growing rebel strikes. This was seen as all but inevitable since Saturday, when a botched US airstrike killed 83 Syrian soldiers and allowed ISIS to advance into crucial area around the Deir Ezzor Airport.”

 

Decretar a morte de um Estado Soberano sem se preocupar minimamente com tudo o que de objetivo e subjetivo este ato poderá provocar (no interior desse Estado e nos Estados seus Vizinhos), revela bem quais as verdadeiras intenções de quem decreta essa Extinção: a obtenção do maior lucro possível com as matérias-primas mais valiosas desse território, nunca se preocupando com as pessoas (tempo é dinheiro) nem com a sua sobrevivência (dada a destruição das infraestruturas básicas de apoio). Com a certidão de óbito a ser definitivamente passada face às múltiplas hemorragias internas (Fim da Cultura) e ao ser detetada a nossa morte cerebral (Fim da Memória). Por efeito de contágio alastrando a outros corpos e contagiando outros Estados.

 

“The truce began last Monday evening, and was a rousing success for the first few days, with no civilian deaths for several days, giving the country a rare period of calm after several years of war. There were some skirmishes reported later in the week, however, and then the US strike, by far the deadliest incident of the week, set off a powderkeg.”

 

Invadido o território, arrasado e saqueado o Estado, cilindrada a sua população (no fundo configurando um Genocídio) e quando agora tudo se resumia à observação dos abutres evoluindo num dos seus coutos preferidos de caça (com bons ou maus mercenários, com bons ou maus terroristas – num modelo seguindo um guião cinematográfico com cenários tipo Hostel), também aqui se revela o papel de aliados e neutros numa perspetiva paralela (não militar), mas neste caso visto como um roubo à vítima já abatida e sem possibilidade de defesa (numa campanha talvez solidária talvez de caridade orquestrada pelos falsos mas bem colocados intelectuais das artes): invadindo-se, matando-se, roubando-se, exportando-se e vendendo-se.

 

“Either way, the attacks dramatically weakened Syrian defenses in the area, and ISIS was quick to take advantage. It also sparked a new row between the US and Russia, as US officials responded to Russia’s call for an emergency UN Security Council meeting with angry condemnation.”

 

GTY_syria_convoy_as_01_160920_16x9_992.jpg

 

Pelo que a um Estado em morte cerebral (estado zombie de criação norte-americana – como o Iraque, a Líbia, a Síria e o Iémen) e sem grandes referências no tempo (de cultura e de memória mesmo que cronometradas no espaço), nada há a esperar senão o seu próprio limite (depois do nascimento, a morte): recusando a evolução e sublimando-a com a extinção – e replicando num mundo absurdo e povoado (de angústias), o paradigma humano e o fim da esperança (sustentada numa estrutura pela espécie projetada – como num processador – tendo como centro o Homem e a sua excecionalidade objetiva).

 

(texto/itálico: antiwar.com – imagens: abcnews.go.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:41
Quarta-feira, 03 DE Agosto DE 2016

Mais um Negro abatido a tiro nos EUA

Com um Presidente Negro sempre ausente para os da sua cor (de pele) e num país onde até os estudantes universitários são aconselhados (pelo seu Estado) a andarem armados (até no interior da sua Escola) para se defenderem à força da bala (o argumento final tornado inicial).

 

57a09095c36188176e8b4571.jpg

Korryn Geines

(Shaun King/Facebook)

 

According to journalist Shaun King:

(escritor, jornalista e ativista norte-americano)

“Gaines regularly documented police abuse in the city”

And her Facebook videos

“Right before police killed her have been deleted.”

 

Na já incontável lista de cidadãos abatidos à queima-roupa e a sangue frio pela polícia norte-americana (maioritariamente negros de origem norte-americana), junta-se agora o nome de mais uma jovem de 23 anos assassinada no estado de Maryland: abatida a tiro no interior da sua própria habitação por se opor a um mandado de prisão.

 

Um mandado de prisão originado pela sua anterior ausência numa audiência em Tribunal e resultante de uma queixa da polícia contra a jovem agora morta, por conduta desordeira, resistência à prisão e ainda outros casos como numerosas multas de trânsito (certamente por pagar): o que pelos vistos nos EUA é um motivo válido para disparar atirando mesmo a matar.

 

Mesmo que entre a jovem e a polícia se interpusesse uma criança de apenas 5 anos! Com a polícia a entrar na sua habitação, a vê-la sentada no soalho da casa com uma criança ao colo, a ouvi-la ameaça-los com uma pistola em punho e imediatamente, pelos vistos com cobertura, sem pensar e sem qualquer tipo de hesitação (onde está a formação básica da polícia para casos tão comuns e banais como estes?) a ser ela a disparar e logo com o primeiro tiro.

 

Então o que se seguiu por mais óbvio ou evidente foi a jovem disparar (um tiro) e a polícia ripostar (todos os outros tiros): com a jovem Korryn Geines a ser atingida (mortalmente) assim como o seu filho de 5 anos (ferido e hospitalizado). Uma jovem que por mais defeitos que tivesse e por mais trapalhadas onde pudesse estar envolvida (não sendo essa a imagem transmitida pelos seus amigos), não merecia ser morta nem sequer perseguida.

 

Num crime incompreensível cometido pela polícia (após um período de negociações estranhamente improdutivas), em que mais um negro sofreu pela sua cor (pele escura), em que três agentes mataram e feriram dois jovens (um por desobediência o outro apenas por estar presente) e até (veja-se lá a coincidência) num caso onde a própria página de Facebook da vítima, foi imediatamente apagada logo após a sua morte.

 

Sendo necessário acrescentar que em princípio as forças policiais intervenientes já deviam estar equipadas com câmaras para registo de casos semelhantes (argumentando-se agora que nem todos estariam já equipados, sendo logo este um dos casos exemplares) e que a própria jovem e vítima aparentemente teria registado na sua câmara momentos do incidente, publicados no seu Facebook e entretanto apagados.

 

Em conclusão nunca se podendo acusar exclusivamente a população negra e a polícia (como se vivêssemos numa sociedade fechada) por todos os conflitos existentes, sabendo-se como se sabe que cada um deles tem uma arma (negros e polícia) e curiosamente (ou talvez não) vendidas pelos mesmos: e certificadas e autorizadas (logo sendo tudo legal) pelas respetivas autoridades – nos EUA como no Mundo.

 

(dados e imagem: RT)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:48
Quarta-feira, 21 DE Outubro DE 2015

O Asteroide 2015 TB145

“Como até hoje ainda não compreendemos a nossa posição no Universo,
Tememos a morte e até ela chegar procuramos o desconhecido.”

 

cdn1.uvnimg.com.jpg

Após o último impacto recomeça a contagem para o impacto seguinte

 

No próximo dia 31 de Outubro um asteroide com quase 500 metros de diâmetro passará a cerca de 540.000km da Terra. Um corpo celeste viajando a uma velocidade superior ao que é considerado habitual nestes objetos (mais de 125.000km/h) e em termos da dimensão do Sistema Solar, fazendo uma clara tangente ao planeta onde ainda hoje habitamos (um pouco mais do que a distância Terra/Lua).

 

Neste contexto recrudescem de novo e de uma força como sempre vigorosa as teorias conspirativas apontando para uma potencial catástrofe (em perspetiva) envolvendo o nosso querido e insubstituível planeta Terra, apontando para o possível risco de impacto do asteroide com o nosso planeta dada a sua relativa proximidade, tamanho e velocidade. O asteroide denominado 2015 TB145 encontra-se atualmente numa rota de aproximação à Terra (ainda a mais de 32 milhões de quilómetros) e a caminho do seu periélio (a concretizar-se lá para 10 de Dezembro e tendo o Sol como referência).

 

Mas como acontece na esmagadora maioria dos casos (voluntaria ou involuntariamente), quando algo de inesperado acontece, em geral ninguém avisou.

 

Um dia algo virá e prosseguirá a evolução.

 

(imagem: WEB)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:30
Quarta-feira, 15 DE Julho DE 2015

V de Vingança

OLHANDO-NOS AO ESPELHO VEMOS A GRÉCIA!

 

Vingança:

“Atitude de quem se sente ofendido ou lesado por outrem e efectua contra ele uma acção mais ou menos equivalente.”
(priberam.pt)

 

story_of_pr_mussachio_0.jpgstory_of_pr_mussachio_0.jpgstory_of_pr_mussachio_0.jpg

Um dia regressaremos às cópias antigas invariavelmente em triplicado

 

O que se passa na Grécia poder-se-ia estar a passar com qualquer dos outros 27 países que constituem a UE: por exemplo a Espanha cuja dívida já deve andar muito perto de 1 trilião ou a Itália cuja dívida deverá andar pelos 2,5 triliões. Mas a Sorte Grande não saiu à Grécia cuja dívida até poderá parecer insignificante face aos dois países anteriores: apenas 300 biliões de euros. Disso se aproveitaram todos os outros países cuja dívida também já é há muito considerada insustentável e que entre estar caladinho (como Portugal) ou recusar a saída da Grécia do EUROGRUPO (como a França, Itália, Irlanda e França), conseguiram pelo menos arrastar o problema por mais uns meses: isto se todos os credores internacionais aceitarem (como o FMI), se cada um dos países da UE o subscreverem (e apoiarem financeiramente), se a Alemanha e o BCE avançarem (urgentemente e com dinheiro) e sobretudo se a população grega aceitar mais este ataque à sua dignidade (ainda há uma semana a maioria dos seus cidadãos disse NÃO ao acordo) e à soberania do seu país (a proposta da Alemanha é a entrega de 50 biliões de euros em Património). E se na Europa da Velha Senhora (que pensa poder continuar a viver confortável e indefinidamente dos seus rendimentos) o Primeiro-Ministro grego poderá tornar-se agora num Político IN, custa a acreditar que os mais de 10 milhões de gregos (com mais esta lição agora sobre eles aplicada pelo SYRISA) aceitem mais uma vez um longo período de pobreza e de miséria que mais cedo ou mais tarde os colocará irremediavelmente (e em relação à Europa) OUT.

 

E tudo começou do outro lado do Atlântico, com a bolha imobiliária norte-americana a explodir e a ser rapidamente redistribuída por outros mercados externos – como a Europa (uma das formas dos EUA diminuírem os seus danos internos, reduzindo o volume de impressão das suas rotativas eternas produtoras de Dólares). Com o delírio gastador então proporcionado e impulsionado pela Alemanha (lembram-se?), facilmente os produtos tóxicos (embrulhados em papel dourado e prometendo a fácil resolução dos nossos problemas financeiros e talvez amorosos) invadiram o sistema bancário europeu, levaram a novos investimentos injustificados e financeiramente desastrosos, descapitalizaram os bancos e rebentaram com todas as economias: não só a Grécia, não só as do sul, como também a economia da Alemanha. Já pararam para pensar qual será a dívida encoberta alemã? Mas com a continuação desta política de loucura da Europa em torno de um termo importante mas não prioritário como o é a Dívida – misteriosamente por muitos tornada actual e deliberadamente obsessiva (estratégia que se entendia se fossem de outro continente e não vivessem por cá) – não se vê grande futuro para o Continente nem mesmo por um grande canudo. Infelizmente não somos os EUA e para pagar as nossas coisas, não temos impressoras autorizadas fabricando notas sem fim (muito menos à medida).

 

O que nos espera ali logo ao dobrar da esquina (grega), poderá ser uma surpresa inevitável e até mesmo irreversível. Com a Europa de costas viradas para a Rússia (um mercado poderoso e com ligações privilegiadas com a Ásia), com a China em queda nos mercados bolsistas (por volta dos 30%) e agora com os bancos centrais sem capacidade financeira (nada de empréstimos a empresas e particulares), qualquer observador minimamente atento e por mais ignorante que seja, apenas irá confirmar o cenário que o médico (honestamente) irá expor ao doente: sem tratamento eficaz a doença desenvolver-se-á, seguindo-se o caos (no diagnóstico e no combate), a integração e a Morte. E por contágio a Extinção. E como prova de que tudo isto é verdade podendo ser diferente ou mesmo bem pior, nunca se esqueçam que por mais forte e fundamentado que possa ser “O Juramento do Hipócrita” (líder carismático ou não, seja como Deus quiser), toda esta mentira se baseia nestas 3 claras verdades: a dívida grega é impagável (como a da maioria esmagadora dos países do mundo, excepção feita aos EUA – motivada pelas impressoras), é ilegal por aqueles que atinge (os cidadãos anónimos e comuns gregos, quando todo o dinheiro foi injectado directamente nos bancos para os salvar da falência) e acima de tudo um sintoma evidente de progressão de doença neste momento aparentemente localizada mas (como já se suspeitava) extremamente contagiosa. Desde que a Alemanha assumiu o poder que deixamos de ser assintomáticos (ou pelo menos assim pensávamos) e nos transformamos numa espécie contaminada (e em vias de extinção).

 

(imagem – WEB)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:34
Segunda-feira, 19 DE Janeiro DE 2015

Mais um Morto Mais uma Desculpa

No estado miserável (material e moral) em que começa a cair o nosso sistema de Saúde Pública, começa a ser desde já natural que uma das causas de morte em Portugal seja “a espera de atendimento em serviços de urgência”. E eu a pensar que essa era uma causa artificial – tal como infelizmente o é, o Ministro que temos!

 

urgenciashospitalareslisboa1002133863228c8_400x225

“Após uma análise sumária e preliminar podemos avançar que não foram detectadas quaisquer inconformidades no serviço prestado à [paciente], nem terá ocorrido qualquer situação anómala nos cuidados prestados”. (Comunicado do Hospital Garcia da Horta)

 

E já agora recuemos no tempo mas não no espaço:

 

No dia 11 de Janeiro um homem com cerca de 60 anos morreu depois de três horas nas urgências do Hospital Garcia Horta. O conselho de administração disse que a morte do doente “não se poderia ter evitado”.

 

(imagem e texto em itálico – RR)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:57
Sábado, 17 DE Janeiro DE 2015

Morte de Doente na Urgência era Inevitável

Aquilo que mais nos indigna e revolta além de nos revolver as nossas mais profundas entranhas, é a brutalidade bestial do argumento Administrativo:

 

Sem hesitação e pelo doente Administração demitida!

 

É que chefes e filhos da puta são o que não falta por aí.

 

Garcia da Horta vs. Vítima Mortal

 

TRIAGEM MAL FEITA B.jpg

 

O doente padecia de uma doença grave...
Com vários dias de evolução...
Esta sexta-feira...
O seu agravamento súbito...
Pelo carácter fulminante...
Tornou impossível qualquer procedimento...
Em tempo útil que evitasse a morte.

O tempo de espera não influenciou o desfecho final.
(administração do Hospital Garcia de Orta)

 

Um homem com cerca de 60 anos...
Recebeu uma pulseira amarela na triagem...
Morreu no dia 11 de Janeiro...
No serviço de urgência do Garcia de Orta...
Depois de ter estado três horas à espera de atendimento médico...
Mas a administração do hospital assegurou logo...
Que foram prestados todos os cuidados...

Que numa situação deste tipo são considerados adequados.
(administração da Família da Vítima)

 

Lembram-se?
Já na altura a guerra pela triagem estava instalada entre médicos e enfermeiros
Com o Ministro e como sempre irresponsavelmente a assistir

TRIAGEM MAL FEITA.jpg

Este caso aconteceu no Verão de 2013
E no entanto tudo se mantém

 

De quantas vítimas divulgadas pelos órgãos de comunicação social estão as autoridades responsáveis pela nossa Saúde à espera, para responsabilizarem de vez e se necessário FOR criminalmente, todos aqueles que com conhecimento de causa e por omissão deliberada têm pactuado com esta situação?

 

Para finalizar não interessa aqui considerar a consulta da ficha clínica do doente (atitude oficializada por ausência de resposta), já que se por um lado os leigos (a família) não a mencionaram, por outro lado os eruditos (o Hospital) limitaram-se a ignorá-la.

 

Pelos vistos somos todos Charlie!

 

(texto em negrito/itálico retirado de: RR – imagem retirada de: JN)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:15
Domingo, 20 DE Julho DE 2014

Genocídio na Faixa de Gaza

I

 

Projéctil de 155mm a caminho de Gaza

(lançado a partir de território israelita)

 

Sem falar no número de feridos (aos milhares) registados desde o início desta nova campanha de limpeza israelita na Faixa de Gaza, os mortos já estão neste preciso momento muito perto de ultrapassar as quatro centenas: com a população civil à cabeça deste assassinato indiscriminado e colectivo e incluindo agora em muito maior número velhos e crianças – dada a opção estratégica de Israel ao decidir bombardear habitações civis – o genocídio da população palestina e a terraplanagem do território de Gaza tornaram-se agora muito mais evidentes. Mais um passo para um futuro colonato.

 

A Morte a caminho das habitações civis da Faixa de Gaza

 

E apesar das intermináveis e sucessivas violações dos direitos internacionais – incluindo o desrespeito total pelas deliberações do conselho de segurança da UN – Israel lá continua com a sua repetida e eficaz estratégia de impor a morte e o terror como forma de dominar mais facilmente o seu inimigo e inferior: é que não é por acaso que os residentes na Faixa de Gaza vivem tal e qual como um qualquer animal irracional e doméstico vivendo numa quinta de produção animal, deixados aí a crescer até ao seu ciclo se completar e finalmente chegar o momento de o abater. Cercados por terra, mar e ar, como num moderno e renovado campo de concentração.

 

(imagem/parcial – AFP/Jack Guez)

 

II

 

Thousands Flee Major Battle In Gaza

GAZA CITY, Gaza Strip

(AP)

 

Escalating their ground offensive, Israeli troops backed by tanks and warplanes battled Hamas militants in a crowded neighborhood of Gaza City on Sunday. The fighting, including heavy Israeli tank fire, killed scores of Palestinians, forced thousands to flee their homes and left dozens of homes destroyed.

 

Correndo pela Vida face à selvajaria dos bombardeamentos israelitas

 

Palestinian health officials reported at least 50 dead in air and artillery strikes that echoed across the city for hours and sent panicked residents fleeing, many carrying small children and waving white flags. Gaza officials said 35,000 people fled their homes Sunday.

 

(texto/parcial: Karin Laub/Peter Enav/The Huffington Post – imagem: AFP/Mahmud Hams)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:59

pesquisar

 

Agosto 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
17
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

comentários recentes

Posts mais comentados

blogs SAPO


Universidade de Aveiro