mais sobre mim

subscrever feeds

Domingo, 24 DE Setembro DE 2017

Inversão

Olhando para o que se passa no MUNDO um pouco por todo o lado, podemos facilmente constatar que uma das regiões da Terra mais citada nos Média nos últimos tempos ‒ a nível de METEOROLOGIA e de ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS ‒ tem sido o continente AMERICANO: abstendo-nos de comentar os acontecimentos de carater ARTIFICIAL criados pelo Homem e podendo-nos transportar a curto-prazo para cenários catastróficos (como aquele inserindo como protagonistas KIM e DONALD e até provocando ondas sísmicas), tendo a América nestes últimos dias a maior quota-parte dos desastres NATURAIS (provavelmente por intensamente espremidos ‒ pelos média ‒ face a outras regiões do Mundo não associado aos EUA) sendo submetida a FURACÕES (EUA, México e região das Caraíbas), SISMOS, TSUNAMIS e até ERUPÇÕES (México).

 

mexico-city-12.jpg

 Cidade do México

Sismo M7.1 a 1 Km ESE de Ayutla

19 Setembro 2017

(Um desastre natural com epicentro a 50Km de profundidade, colapsando edifícios e com as vítimas mortais a poderem ultrapassar as 300)

 

Na costa oriental (oceano ATLÂNTICO) atravessando-se neste momento a ÉPOCA dos FURACÕES (de 1 de Junho a 30 de Novembro com o seu pico máximo a registar-se entre meio de Agosto e os finais de Outubro), com uns sucedendo-se aos outros nem sequer dando tempo para respirar e apontando sempre o seu rumo (e alvo) para as mesmas regiões já tão destruídas e terraplanadas (pelas rajadas de VENTO ultrapassando os 250Km/h assim como pela violenta e intensa precipitação) ‒ tendo à frente o furacão HARVEY (atingindo o TEXAS) e o furacão IRMA (atingindo a FLÓRIDA).

 

Já no caso da costa ocidental (oceano PACÍFICO) e de novo submetendo o MÉXICO, com outros Eventos tão graves como os registados a este (mais destruição do que mortes) mas agora com outros fenómenos (naturais) mas a nível geológico: com SISMOS (TSUNAMIS e outras deslocações de águas) e até com VULCÕES (e já agora recordando ainda do lado oriental o furacão atingindo o México neste caso o KATIA). Ainda hoje sábado (dia 23) com o número de vítima mortais como consequência do último sismo atingindo o México com uma intensidade de M7.1 a atingir praticamente as TRÊS CENTENAS (> 300 e podendo ainda aumentar), mas felizmente sem mais nenhum acontecimento de relevo a reportar e com o vulcão (POPOCATEPETL) para já mais sossegado.

 

Mas por outro lado, um pouco mais a leste e a Sul e de novo no Atlântico, com outras notícias interessantes a chegarem ao conhecimento público, como a da barragem de PORTO RICO (e o perigo de COLAPSAR) e da recessão de águas (oceânica e temporária) no BRASIL ‒ talvez como uma consequência de todas as TEMPESTADES (meteorológicas e geológicas e já agora solares) e do AQUECIMENTO GLOBAL (Natural e Artificial):

 

guajataca-dam-failure-puerto-rico-september-2017.j

 Porto Rico

Barragem de Guajataca

22 Setembro 2017

(com a albufeira em riscos de extravasar os seus limites físicos de armazenamento e com o volume do caudal de água erodindo violentamente as suas margens)

 

No caso de PORTO RICO (um território dos EUA) e na sequência da passagem dos 2 furacões originados no Atlântico (inicialmente o Irma e de seguida o Maria) ‒ com rajadas de vento fortíssimas e precipitação extremamente elevada ‒ com um alerta de nível máximo para uma possível catástrofe (nos municípios de ISABELA e de QUEBRADILHAS) dada a possibilidade eminente do colapso de uma barragem: provocando uma grande inundação para todos os níveis inferiores, em volta de GUAJATACA (o nome do lugar da barragem);

 

Tendo como consequência para já e devido ao extravasamento indesejado das águas sustidas na albufeira ‒ rapidamente erodindo alicerces laterais, enfraquecendo-os e podendo colapsar os terrenos em redor e em cadeia ‒ o aumento abrupto do caudal do rio (Guajataca), inundações ao longo das suas margens (até à foz) e caso se dê o COLAPSO FINAL (das infraestruturas da barragem) uma torrente incontrolada de água (de lama e de outros detritos) correndo rápido para a costa e percorrendo o trajeto em menos de 12 horas. Aconselhando-se a FUGA (de pessoas e animais) para lugares de topografia ELEVADA;

 

guaratuba-ocean-receding-event-september-21-2017-b

 Brasil

Guaratuba ‒ estado do Paranã

21 Setembro 2017

(com a recessão temporária das águas do oceano Atlântico a ser explicada

 

Já no que diz respeito ao BRASIL e à RECESSÃO das águas verificadas recentemente na sua costa (tendo o Atlântico como vizinho e como companhia) com o fenómeno a ser explicado por uma conjugação de vários fatores, entre eles incluindo (os mais importantes) VENTOS intensos (impulsionando as ondas para longe da costa), a persistente presença de um ANTICICLONE no Brasil (o ASAS) mantendo as pressões (atmosféricas) elevadas (lembram-se do anticiclone dos Açores no cálculo das previsões meteorológicas?) e as FASES da LUA influenciando as marés ‒ e denominada como a “MARÉ SECA”; no nosso país irmão localizado do outro lado do mar com a observação a ser feita e testemunhada (vendo-se os seus efeitos) em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Paranã, Santa Catarina e São Paulo. Com as águas a IREM e a REGRESSAREM.

 

Como sempre e só para alguns com estas explicações a não serem suficientes, com teorias (ALTERNATIVAS) sobre o desaparecimento das águas (do oceano) a apontarem para CONSPIRAÇÕES e eventos APOCALÍPTICOS (ou pelo menos sinais e avisos) e naturalmente causando o PÂNICO (na população local) entre tantos rumores e boatos explorados até à exaustão: chegando-se ao ponto de transformar um fenómeno natural sem qualquer tipo de consequências negativas (a recessão inicial da água do mar) num outro mas GRAVE EVENTO, causado por um TSUNAMI (na sequência de um tremor de terra) e indo atingir a costa ‒ um rumor pondo todo o mundo a FUGIR (de pânico) incluindo TURISTAS e respetivas carteiras (e lá se vai o turismo).

 

(imagens: independente.co.uk e watchers.news)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 03:37
Quarta-feira, 20 DE Setembro DE 2017

Sismo M7.1 na Cidade do México (Ontem)

México ‒ Cidade do México (e Puebla) ‒ Sismo

 

mexicoquake1909g.jpg

 Colapso de um edifício na Cidade do México

(no decorrer do forte sismo de 19.09.2017)

 

Magnitude

7.1

Região

Puebla/México

Data/Hora

19.09.2017 18:14 UTC

Localização

18.59 N 98.47W

Profundidade

50 Km

Distância

58 Km SW Puebla

 

Com um tremor de terra de M7.1 registado no MÉXICO a 5km a ENE de RABOSO (estado de Puebla) ‒ localidade mexicana a cerca de 100Km SE da Cidade do México (capital do país) ‒ e com epicentro a cerca de 50Km de profundidade (11 dias depois do sismo de M8.1 que assolou o MÉXICO particularmente os estados de OAXACA e de CHIAPAS provocando mais de 100 mortos ‒ e com epicentro no mar a cerca de 70Km de profundidade), este país da América do Norte e já depois de ter sentido nos últimos dias os efeitos de um TSUNAMI, de uma ERUPÇÃO VULCÂNICA (os dois como consequência do sismo de 8.1 ocorrido em Setembro, sendo o 1º um pequeno Tsunami e o 2º tendo o vulcão POPOCATEPETI como protagonista provocando 15 mortos), de um FURACÃO (o furacão KATIA) e de um novo SISMO (ocorrido ontem por volta da hora do almoço) ‒ provocando para já mais de 250 mortos e grandes danos materiais em edifícios e outras importantes infraestruturas (com edifícios a colapsarem).

 

8962554-3x2-940x627.jpg

 Feridos resultantes do sismo M7.1

(registado ontem na capital mexicana)

 

Seguido (até às 06:00 UTC) por outros 3 sismos de magnitude igual ou superior a M4.5 (M4.9/M4.6/M4.6) e assim confirmando (posteriormente) informações proferidas pelas autoridades mexicanas aquando do sismo M8.1 (a 8 de Setembro) de que existiam fortes probabilidades do México (para além de todas as outras fortes réplicas registadas) vir de novo a ser atingido nos próximos dias por um sismo de intensidade semelhante ou até superior: o que se confirmou esta terça-feira (dia 19) no México com um sismo de menor intensidade (M7.1 em vez de M8.1) mas com um epicentro a menor profundidade (50Km em vez de 70Km), causando num ápice mais do dobro de vítimas (2.5X) comparativamente com o anterior.

 

mc.jpg

 Com as ondas sísmicas a repercutirem-se nos barcos de recreio

(em Xochimilco/centro da capital através do movimento das águas)

 

No dia de hoje (quarta-feira, 20) com os sismos mais intensos (de maior magnitude) a registarem-se a nível Global (com M>4.5) a serem (até às 08:39 UTC):

 

Região

Hora (UTC)

Profundidade (Km)

Magnitude

(M)

Leste

Irão

00:08

10

5.0

Ilhas Auckland

NZ

01:43

10

6.1

Estreito de Cook

NZ

02:42

24

5.0

Sul

Perú

05:26

115

5.3

 

Teoricamente podendo-se afirmar (se registado em zonas habitadas) que mesmo que não se tenham notícias provenientes do lugar, pela localização do sismo (em terra ou no mar), pela intensidade do mesmo (maior ou menor magnitude) e pela profundidade do seu epicentro (menores profundidades originando maiores efeitos), o mais grave em consequências (humanas e danos materiais) poderá ter sido o do leste do Irão.

 

Com o sismo mais forte sentido na Europa e nas proximidades de Portugal (este dia 20) a ser o registado a NW de Málaga (sul de Espanha), pelas 02:44, a 4Km de profundidade e de M1.6 (praticamente impercetível).

 

(imagens: AFP/GETTY IMAGES/standard.co.uk ‒ Carlos Jasso/REUTERS/abc.net.au ‒ Storyful News/youtube.com/abc.net.au)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:48
Domingo, 10 DE Setembro DE 2017

Esquecendo Guerras/Excecionais, Falando de Sismos/Furacões/Ordinários

Por que razão raramente se fala sobre uma Guerra Artificial com cerca de 1.000.000 de vítimas mortais (por exemplo a do Iraque), quando se fala até à exaustão de um Evento Natural apontando de momento para mais de uma centena de vítimas mortais (e isto juntando o sismo do México ao furacão Irma)?

 

“The overall conclusion reached is that the United States most likely has been responsible since WWII for the deaths of between 20 and 30 million people in wars and conflicts scattered over the world.” (In 37 “Victim Nations”)

(James A. Lucas/globalresearch.ca)

 

TELEMMGLPICT000139999063_trans_NvBQzQNjv4BqP4pV-m6

 A entrada do furacão Irma no estado da Flórida

(não atingindo diretamente e como esperado a zona de Miami Beach)

 

Enquanto no México o sismo de M8.1 (com origem no Pacífico e epicentro a quase 70Km de profundidade) que no passado dia 8 (sexta-feira) pelas 04:41 UTC (05:41 em Portugal) atingiu territórios da sua costa ocidental (especialmente os estados de Oaxaca e de Chiapas) tem passado quase despercebido ‒ face ao número de furacões por esta altura em grande e intensa atividade (ou não estivéssemos nesta zona das Caraíbas na época dos furacões) e atacando de momento (falando-se deles desde há uma semana) e violentamente (com furacões de Categoria 4/5) a costa ocidental (Atlântica) ‒ já no caso dos EUA postos perante um produto mais duradouro, com grandes probabilidades de rentabilidade e tendo a nação como protagonista (um sismo dura segundos, os furacões duram dias, sendo óbvia a preferência até para os média), os Furacões invadem os ecrãs, enchendo (de sombras) o nosso quotidiano de nada e preenchendo as nossas vidas (os poucos tempos ainda existentes) com notícias repetitivas e no fim asfixiantes (uma forma de manipular é pressionar/Eles e aceitar/nós): curiosamente (só) no Ocidente tendo um enorme impacto (noticioso), significando em conclusão que somos todos norte-americanos (como se no Mundo não existisse mais nada, senão o Território da Excecionalidade).

 

170908125308-22-mexico-earthquake-0908-exlarge-169

 Localidade de Juchitan ‒ estado de Oaxaca ‒ México

(a mais atingida pelo sismo M8.1 contabilizando para já 71 mortos)

 

No México e em poucos segundos com um violento sismo a atingir todo o seu território (sentindo-se mesmo na capital) e revelando-se mortal nos estados mais próximos do seu epicentro (Oaxaca e Chiapas) ‒ com algumas localidades e devido às fracas construções a serem verdadeiramente niveladas: de momento com 90 mortos com tendência para aumentar (com a localidade de Juchitan/estado de Oaxaca a liderar já com 71 mortos). Para já não falarmos das réplicas na ordem das várias dezenas (mais de 60 com M4.5 ou maior, sendo a última de M4.5 registada hoje pelas 12:00 UTC ‒ mais de dois dias depois do M8.1). E ainda do outro lado com um dos três furacões (Katia) circulando pelo Golfo (do México), mas acabando por se dissipar ao atingir terra (lá para os lados de Vera Cruz). Mas com muito menor impacto (Sismos) comparando com as tempestades (Furacões) ‒ até porque um é Mexicano, o outro Norte-Americano, estando separados pelo Muro (já existente que não de Trump): com um critério noticioso tendo como único objetivo o Mundo Ocidental (América do Norte + Europa Ocidental < 15% da população) e desprezando todos os outros como se só os primeiros existissem (Resto do Mundo > 85% população). E sendo assim voltando aos furacões Irma e José.

 

1070448.jpg

 Havana ‒ Cuba

(colapso de um prédio provocado pela passagem do furacão Irma)

 

Como não poderia deixar de ser com toda a América do Norte e Europa Ocidental especialmente neste fim-de-semana aguardando ansiosamente por notícias vindas dos EUA, com estações norte-americanas por cabo e com implantação global como a FOX e a CNN a bombardearem-nos ao segundo com notícias exaustivas (mesmo cansativas) sobre o furacão IRMA (o outro ‒ JOSÉ ‒ ainda só lhe seguido a peugada), criando um cenário de luta heroica travada entre uma Grande, Corajosa e Excecional Nação, só ela sendo capaz dentro de toda a adversidade e desequilíbrio do combate de derrotar o inimigo mesmo depois da batalha travada, talvez perdida, mas jamais deixando de lado a reconstrução (da sua nação) e a luta pela manutenção da sua soberania (e supremacia) mesmo numa guerra desproporcionada (aparentemente) contra a Natureza (e já agora contra o Aquecimento Global, negado por Trump e pelos Republicanos). De momento e tendo o furacão KATIA passado a tempestade (notícias de pelo menos duas mortes no México) com o furacão IRMA e JOSÉ (de momento de categoria 4) a continuarem o seu caminho aparentemente na mesma direção (costa do México/EUA), separados por cerca de 16⁰ de longitude e transportando consigo ventos podendo atingir mais de 200Km/h.

 

(imagens: telegraph.co.uk/cnn.com/dailystar.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:48
Sexta-feira, 08 DE Setembro DE 2017

Furacões

Com a terra ainda a tremer do lado do Pacífico (sismo de M4.2 pelas 21:13 UTC)

E com três furacões ainda ativos do lado do Atlântico (Irma, Katia e José)

 

154010.png

 Evolução da tempestade tropical

(previsão)

8/13 Setembro

 

Com o furacão IRMA a atravessar a região de Cuba e das Bahamas no seu trajeto em direção à costa da Flórida, outros dois furacões também criados nesta zona do Atlântico sensivelmente pela mesma altura (surgindo já com o furacão Irma em ação), parecem querer deteriorar ainda mais a situação meteorológica e juntar-se ao caos já instalado nesta região da América Central: falamos do furacão KATIA (neste momento de categoria 2) a caminho do México e do furacão JOSÉ (neste momento de categoria 4) na peugada do IRMA.

 

Nas próximas horas com as Bahamas e Cuba a sofrerem os efeitos do furacão IRMA (desejando-se que a tempestade passe ao lado) para no dia seguinte (e tal como previsto) a Flórida ser finalmente atingida pela frente de furacão (na melhor das hipóteses talvez de categoria 2/3) ‒ de qualquer forma com rajadas de vento na ordem dos 150Km/h a 200Km/h, acompanhadas de elevada precipitação e em função do estado dos terrenos podendo dar origem a grandes inundações (e podendo afetar todo o estado da Flórida).

 

snapshot furacao.jpg

 Furacão Katia, Irma e José

(da esquerda para a direita)

8 Setembro 2017

 

No caso do furacão KATIA movendo-se para já lentamente no Golfo do México, com o seu pico máximo a estar previsto (de atingir) antes do mesmo tocar terra no decorrer do dia de sábado (dia 9). No caso do México com o país a poder ser atingido na sua costa Atlântica (Vera Cruz no alvo) por um furacão de categoria 2 (KATIA), enquanto na sua costa do Pacífico se acaba de deparar com um sismo de M8.1 (seguido de tsunami) afetando especialmente os estados de Oaxaca e de Chiapas e fazendo-se sentir mesmo na Cidade do México (a capital).

 

 (imagens: noaa.gov/nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:42
Sexta-feira, 08 DE Setembro DE 2017

Furacões e Tremores de Terra

Sismo de Magnitude: 8.1

Região: Offshore de Chiapas/México

Data: 8 Setembro 2017 04:49:21 UTC

Profundidade: 72Km

Distância: 98Km SW Pijijiapan/México (15200 habitantes/23:49 locais)

 

Num menu Centro-Americano

 

E se de um lado do continente face à obscuridade asfixiante provocada pelo furação pouco se via ou nada se queria ver (tanta era a destruição), do outro lado e provavelmente provocado pela fricção existente entre placas (tectónicas) o céu iluminou-se com as Luzes do Terramoto.

 

MEXICO 1.jpg

 As “Luzes do Terramoto” na Cidade do México

(aquando do sismo registado esta noite dia 8 Setembro)

 

Enquanto do outro lado da América Central (e da ponta sul da América do Norte) uma tempestade de categoria 5 (furacão IRMA) tem assolado diversas ilhas das Caraíbas no seu eventual caminho em direção à costa leste dos EUA (tendo logo à frente o estado da Flórida) ‒ deixando atrás de si um rasto catastrófico de destruição material e com o número de vítimas e desalojados sempre a aumentar eis que agora e do lado ocidental (da América Central/Norte) um forte tremor de terra assolou o México (assim como a Guatemala) sentindo-se mais intensamente os seus efeitos nos estados sulistas (mexicanos) de Chiapas e de Oaxaca: com o sismo de maior intensidade e de epicentro a 98Km a SW da localidade mexicana de Pijijiapan/Chiapas (um ponto localizado no mar a cerca de 70Km de profundidade) a atingir a magnitude 8.1 (pelas 04:49 UTC) sendo seguido de diversas réplicas (com a seguinte a atingir M5.7/12 minutos depois e com a última registada na zona a atingir M5.2/mais de 7 horas depois) e de avisos para a possível ocorrência de tsunamis (dada a possibilidade de terem ocorrido desabamentos submarinos como consequência do fortes sismo).

 

mexico 2.jpg

 Os estados mexicanos de Oaxaca e de Chiapas (os mais atingidos pelo sismo M8.1)

E o aparente tsunami associado (com as águas inicialmente a recuarem)

 

Para já sem dados adicionais sobre o acontecimento mas com as regiões certamente mais afetadas a serem a de Chiapas e a de Oaxaca (por um lado e dada a profundidade do epicentro do sismo prevendo-se um impacto menor nas estruturas edificadas, mas por outro lado sendo expetável a ocorrência de um tsunami talvez com ondas até um metro) ‒ isto se não surgir ainda uma réplica idêntica (ou superior) nas próximas horas.

 

E se no caso da costa leste do continente americano (norte/centro) o furacão IRMA continua a sua caminhada em direção ao estado norte-americano da Florida (mas já tendo descido de categoria 5 para 4) ‒ no próximo fim-de-semana atingindo os EUA e mesmo perdendo força não deixando de ser uma grande tempestade tropical transportando consigo ventos fortes, elevada precipitação e cenários propícios para grandes inundações (não deixando de recordar que outros dois furacões já evoluem na mesma zona o José e o Katia) ‒ não se podendo ainda prever muito bem como tudo isto irá acabar (sendo a primeira vez que três furacões se apresentam simultaneamente nessa região do Atlântico): com toda a zona das Caraíbas em completa polvorosa (sobretudo falando-se de grandes destruições materiais) e hoje com as Bahamas e com Cuba a sujeitarem-se a um tratamento a que não estarão tão habituados (no fundo naquela zona atravessando-se agora o período crítico dos furacões e de outras grandes tempestades tropicais); já do outro lado e acompanhando um dos braços do Círculo de Fogo do Pacífico (a zona da terra mais viva e mais ativa tanto a nível sismológico como vulcanológico) com um forte sismo de M8.1 a abalar a costa do Pacífico como já é habitual ocorrer em todos os territórios adjacentes e rodeando o Anel (de Fogo).

 

iss053e002392.jpg

 O Olho do furacão Irma a 5 Setembro

(na altura de categoria 5 e entretanto passando a 4)

 

Deixando uma pequeníssima região do Globo completamente cercada por fenómenos naturais (possíveis de originarem cenários violentos e catastróficos), tendo de um lado “o céu a cair sobre as suas cabeças” (Caraíbas) e do outro “a terra fugindo sob os seus pés” (México). Sob os pés:

 

At least 15 killed in Mexico's 8.1M quake, one of biggest quakes ever.

(ktvu.com)

 

The most powerful earthquake to hit Mexico in 100 years struck off the nation’s Pacific Coast late Thursday. About 50 million people across the country felt the earthquake, which had a magnitude of 8.2, according to the Mexican government.”

(nytimes.com)

 

(imagens: metro.co.uk/express.co.uk/nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:33
Terça-feira, 08 DE Agosto DE 2017

Terramoto M7.0 na China

Deadly M7.0 earthquake hits China's Sichuan, causing heavy damage

(watchers.news)

 

outline-map-of-china.jpg

Províncias chinesas de Sichuan e de Gansu

 

Como resultado da colisão de duas placas tectónicas continentais ‒ A Placa Indiana e a Placa Euroasiática (com a primeira a introduzir-se sob a segunda) ‒ toda a zona dos Himalaias e regiões a ela adjacentes são das mais suscetíveis em toda a superfície terrestre à ocorrência de numerosos e intensos eventos sismológicos (com as duas placas a convergirem a uma velocidade entre 4 a 5 metros/século).

 

DGtrqhTXcAEgonW.jpg

Município de Jiuzhaigou/Província de Sichuan

 

Hoje dia 8 de Agosto por volta das 13:19 UTC (21:19 locais) com um forte sismo a atingir a zona fronteiriça localizada entre as províncias de Sichuan e de Gansu (ocidente da China) ‒ numa área com mais de meio milhão de habitantes estendendo-se por uma faixa de 100Km de extensão; segundo as autoridades chinesas com epicentro (do sismo) situado a 20Km de profundidade e tendo de intensidade M7.0 (muito forte).

 

Num evento geológico nesta região geralmente acompanhado por grandes danos materiais, numerosas vítimas (entre feridos e mortos) e consequências por vezes catastróficas na economia dessas regiões (mais expostas e originando milhares de deslocados): na esmagadora maioria dos casos e face às graves consequências (dada a vulnerabilidade das construções) exigindo intervenção imediata (a nível nacional) por parte das autoridades governamentais.

 

DGtrqxvXUAAp9dS.jpg

Município de Jiuzhaigou/Província de Sichuan

 

Um sismo ocorrido numa zona extremamente vulnerável (a nível de intensos movimentos geológicos), onde ainda há poucas horas se tinham verificado deslizamentos de terras (com 24 mortos), entre outros fatores (como por exemplo forte precipitação e inundações) originados em sismos anteriores.

 

E com os especialistas a anteciparem valores para as vítimas mortais indo desde 40/190 até 200/1.500, mas com os meios de comunicação chineses a limitarem-se para já a 7 (mais 100 feridos e 2.000 deslocados).

 

[The Guardian ‒ apontando pelas 22:00 para 100 vítimas mortais e 130.000 casas danificadas]

 

(imagens: worldpress.com e China Xinhua News/twitter.com)

tags: ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:01
Sexta-feira, 03 DE Fevereiro DE 2017

Portugal Tremeu – Anteontem e no dia Anterior (e também Ontem – mas menos)

Ainda bem: significa que a Terra está Viva!

(só esperamos que não abane muito)

 

GorringeAmpereLabels.jpg

Montanhas Gorringe (àdireita) e Ampere (à esquerda)

 

Reportando-nos aos últimos 7 dias (27 de Janeiro a 2 de Fevereiro) pode-se dizer que dentro da normalidade, Portugal Continental (e respetivas áreas marítimo-territoriais) tem estado de algum modo ativo a nível sismológico – tal como seria de prever num território como este (situado tão perto de uma falha tectónica), já com alguma tradição (veja-se o terramoto de 1755) e todos os dias abalado por sismos impercetíveis (a esmagadora maioria). Dos 24 registos de atividade sísmica em Portugal Continental, com 6 localizados na área terrestre/marítima associada à região do Algarve (Albufeira, Faro e Cabo de S. Vicente) e outros 4 nas suas proximidades (com epicentro referido a Almodôvar, Banco do Gorringe, Sines e Mar de Marrocos).

 

Data

Local

Profundidade

(Km)

Magnitude

01.02

SE

Faro

20

1.6

01.02

Mar de

Marrocos

31

2.6

01.02

SE

Faro

31

3.7

31.01

SE

Cabo S. Vicente

31

1.6

31.01

SE

Almodôvar

11

0.5

30.01

SE

Albufeira

13

1.8

28.01

W

Cabo S. Vicente

-

1.3

28.01

Gorringe

 

31

2.4

28.01

NW

Sines

12

2.6

27.01

SE

Cabo S. Vicente

-

1.4

(fonte: IPMA)

 

Como se pode constatar com um sismo de epicentro a SE Faro a atingir a M3.7 (neste caso de intensidade fraca/moderada e provocando nalguns locais da cidade apenas uma ligeira trepidação) – e com outro de menor intensidade mais de cinco horas depois – sendo um dos mais intensos registados nos últimos tempos no Algarve (pelo menos este ano). Anteontem e ontem (1 e 2 de Fevereiro) sendo já acompanhado em Portugal Continental por outros dois sismos (numa sequência algo semelhante de dois sismos, sendo o primeiro o mais forte), mas agora registados fora da região, numa sequência de M3.7 e M2.6 e com epicentro a NW Porto de Mós – com uma particularidade importante da sua profundidade ser menor (8/7 Km contra os 31/20Km de Faro).

 

(imagem: oceana.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:40
Quarta-feira, 01 DE Fevereiro DE 2017

Tempo Meteorológico

Alerta no Mar

 

Desde o fim do mês de Janeiro com diversas tempestades atravessando o Atlântico Norte (em direção ao continente Europeu) e provocando períodos de chuva intensa ou até mesmo de neve – mas sempre com temperaturas relativamente baixas (dependendo da pressão atmosférica registada),

 

1.jpg

Previsão para 1 Fevereiro

(tempestade a caminho e já sobre os Açores)

 

Eis que o mês de Fevereiro se inicia com mais tempestades (a caminho) oriundas da América do Norte: passando entretanto pelos Açores e deixando desde já um alerta para as condições climatéricas que se poderão registar na próxima quinta-feira dia 2 em Portugal Continental (tanto atmosféricas como marítimas) – provavelmente persistindo no dia seguinte (dia 3). Com as tempestades oriundas de Oriente a perderem-se de seguida pelo norte da Europa.

 

2.jpg

Previsão para 2 Fevereiro

(primeiro impacto da tempestade)

 

No seu conjunto uma enorme tempestade formada na costa leste dos EUA e prevista para atingir a Europa nos próximos dias. Considerada como extremamente perigosa, podendo provocar ventos fortes (soprando com velocidades na ordem dos 130Km/h) e ondas até 15 metros. Dissipando-se de seguida após 5 dias de viagem atravessando o oceano e atingindo de novo terra (de 30 de Janeiro a 3 de Fevereiro).

 

3.jpg

Previsão para 3 Fevereiro

(segundo impacto da tempestade já a caminho da sua dissipação)

 

Com os avisos meteorológicos para a Europa emitidos pelo METEO ALARM (meteoalarm.eu) relativamente a Portugal a colocarem em alerta amarelo/nível de precipitação, em alerta laranja/vento e em alerta vermelho/agitação marítima.

 

Como se vê com todas as atenções a virarem-se sobretudo para o estado do mar: com as zonas do litoral naturalmente mais expostas (sobretudo a costa ocidental) e prevendo-se para a tarde de quinta-feira de uma forma mais acentuada à medida que se sobe o litoral (para norte) o auge da agitação marítima (as maiores ondas de todas).

 

201702011000_msg3_msg_ir_piber.jpeg

Portugal – 01.02.2017 – 10:00 UTC

(Imagem satélite – infravermelho)

 

No que toca a Albufeira e mantendo-se relativamente normal a situação meteorológica que se tem vivido nos últimos dias, na próxima quinta-feira 2 e sexta-feira 3, o céu apresentar-se-á encoberto e com alguns períodos de chuva (mais intensa dia 2) e com as temperaturas pelos 10/11 de mínima e 18/19 de máxima (com vento maioritariamente SW).

 

Sismo de M3.7 e epicentro a 31Km de profundidade

Registado hoje dia 1 de Fevereiro a SW de Faro

 

Já sismologicamente e logo no primeiro dia deste mês Fevereiro verificaram-se dois sismos na região do Algarve: ambos a SW da cidade de Faro com o mais intenso a registar-se às 02:03 da manhã (M3.7) seguido de outro menor às 07:41 (M1.6). Com o primeiro a ser sentido (muito ligeiramente quase impercetível) nalgumas partes da cidade.

 

(imagens: opc.ncep.noaa.gov e ipma.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:15
Segunda-feira, 14 DE Novembro DE 2016

Palpitações

EUA

 

“Quanto ao que nos interessa (à Europa) a política externa norte-americana no fundo é sempre a mesma (com as mesmas intenções e objetivos, talvez diferenciando-se na estratégia) sejam eles (os candidatos) Democratas ou Republicanos: com os segundos mais perigosos (ideologicamente mais à direita) e com os primeiros (ideológica e aparentemente mais de esquerda) parecendo irmãos e retratando-se em Hillary (outro perigo talvez de extrema-direita). E depois do que fizeram a BERNIE SANDERS (talvez fosse hoje o Presidente eleito) também do que estavam à espera (os Democratas)?”

 

Com os Democratas ainda atónitos com a vitória do Republicano DONALD TRUMP nas presidenciais norte-americanas do passado dia 8 de Novembro (quando todas as sondagens apontavam para uma vitória mais ou menos confortável de HILLARY CLINTON),

 

Candidato

Partido

Estados & Territórios

(51)

Colégio Eleitoral (538)

Maioria: 270

Voto Popular

Donald Trump

Republicano

30

306

>60.367.210

(47,3%)

Hillary Clinton

Democrata

21

232

>61.035.065

(47,8%)

Gary Johnson

Libertário

0

0

>4.151.138

(3,3%)

Jill Stein

Verde

0

0

>1.249.970

(1,0%)

(HC com mais 667.855 votos populares comparativamente com DT)

 

Ainda-por-cima simultaneamente derrotados no SENADO e na CÂMARA de REPRESENTANTES onde os REPUBLICANOS ficaram em maioria (passando agora a ter um controlo total Presidência/Senado/Representantes) muito devido a DONALD TRUMP,

 

Partido

Senado (100)

Maioria: 51

Câmara Representantes (435)

Maioria: 218

Republicano

52

241

Democrata

48

194

(Republicanos – Presidência e maioria no Senado e na Câmara)

 

Torna-se preocupante quase uma semana passada sobre o ato eleitoral, a aparente não-aceitação da derrota de HILLARY CLINTON por parte dos DEMOCRATAS (e obviamente do seu canal televisivo a CNN) – incitando as massas ao protesto e até à violência.

 

NOVA ZELÂNDIA

 

“Com a Nova Zelândia ainda a tremer e após quase 20 réplicas de assinalar registadas nas últimas 24 horas (a última das quais de M5.1 pelas 19:17 UTC) – e com toda a região do ANEL de FOGO bastante ativa sismologicamente – torna-se pertinente para todo o Mundo e particularmente para Portugal (localizado perto de uma falha geológica já com tradições históricas e violentas como a que deu origem ao terramoto seguido de TSUNSAMI de 1755) refletir um pouco mais e pensar no que aconteceria ao nosso país se fosse atingido por um sismo de tais dimensões: uma espécie do Haiti (salvo-seja) da Europa?”

 

Localizada a sudeste da Austrália mesmo sobre um dos braços laterais (sudoeste) do ANEL de FOGO do PACÍFICO, a NOVA ZELÂNDIA foi no passado dia 13 de Novembro por volta das 11:02 UTC sujeita a um violento tremor de terra, com epicentro a 53Km de AMBERLEY (profundidade: 23Km) e 7.8 de magnitude.

 

earthquake-m7-8-new-zealand-november-13-2016-f.jpg

Terramoto de magnitude 7.8 na Nova Zelândia

(IIha Sul)

 

Fazendo-nos desde logo recordar o violento terramoto que afetou no ano de 2011 a cidade de CHRISTCHURCH (e toda a região envolvente) também situada na ilha sul da Nova Zelândia, na altura com magnitude 6.3 e epicentro localizado a apenas 10Km de distância (profundidade: 5Km). Aí vitimando 185 pessoas contra as 2 até agora noticiadas.

 

15032878_1169814873110376_7922991451480855670_n.jp

Estragos provocados pelo sismo de 13 de Novembro

(NZ)

 

No entanto com este último sismo (dia 13, M7.8) de epicentro localizado no mar, a originar a formação de um TSUNAMI potencialmente perigoso para toda zona litoral: felizmente atingindo a costa com ondulação moderada. Um sismo curiosamente seguido de outro cerca de 3 horas depois (14:01 UTC) e a 10.000Km de distância: M6.2 em LA RIOJA (Argentina).

 

 (imagens: watchers.news)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:58
Sexta-feira, 26 DE Agosto DE 2016

Crime disse Eu

“Mais um Fenómeno Natural com a colaboração do Homem

Transformado numa Tragédia”

(por seu consentimento, inação, irresponsabilidade e indiferença

– e configurando um crime)

 

The towns at the epicenter of the quake — Amatrice, Accumoli and Arquata del Tronto — are scenes of devastation, with what were once charming three-story buildings pancaked by the disaster. (ktla.com)

 

intensity.jpg

Sismo de magnitude 6.2

Epicentro na região da Úmbria a apenas 10Km de profundidade

 

O que não se compreende é como um GOVERNO de um país OCIDENTAL como a ITÁLIA, permite que milhares dos seus cidadãos vivam permanentemente em cima de um verdadeiro barril de pólvora SÍSMICO: num Estado que impõe deveres, os seus Cidadãos também têm que exigir que todos os seus direitos sejam estritamente respeitados – como o Direito à Vida!

 

Amatrice, a town of about 2,000 people in the north of Italy’s Lazio region, is in ruins. But amid the rubble, the town’s clock tower stood tall, with the clock stopped at the time the quake struck. (ktla.com)

 

AP_italy_earthquake13_ml_160824_12x5_1600.jpg

Cidade de Amatrice em ruínas

Após os dois violentos sismos de magnitude 6.2 e 5.5

 

Se alguém que estivesse à minha responsabilidade fosse encontrado morto no interior de um edifício transformado em armazém de pirotecnia e que eu lhe atribuíra como seu dormitório, certamente que seria responsabilizado e levado a TRIBUNAL. E assim, enquanto o equilíbrio não for reposto (Estado/Deveres-Cidadãos/Direitos) tudo não passará de mera conversa.

 

In May 2012, a pair of earthquakes killed dozens of people in northern Italy, while in April 2009, a magnitude-6.3 earthquake hit in the Aquila region of central Italy, killing 295. The earthquake Wednesday struck an area close to the 2009 earthquake. (ktla.com)

 

7782190-3x2-940x627.jpg

Amatrice

Com Accumoli e Aquarta del Tronto as localidades italianas mais afetadas

 

Num momento em que o violento sismo de magnitude 6.2 registado ontem (dia 24) e tendo como epicentro a região da Úmbria (10Km a SE da comuna de Nórcia) – ocorrido apenas a 10Km de profundidade – já arrasou parcial ou totalmente várias localidades, provocou cerca de 250 mortos, originou outros tantos feridos, mais de mil deslocados e ainda (em adição) um número indeterminado de desaparecidos. Seguido de um número elevado de réplicas e de um outro forte sismo (uma hora depois com características semelhantes e de magnitude 5.5).

 

[Já hoje dia 25 com um novo sismo de magnitude 4.6 e de profundidade 10Km, com epicentro na mesma região anteriormente atingida – agora a 7Km a E de Norcia]

 

(imagem: USGS – abcnews.go.com – abc.net.au)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:43

pesquisar

 

Outubro 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
19
22
24
25
26
27
28
29
30
31

comentários recentes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro