mais sobre mim

Sábado, 13 DE Janeiro DE 2018

Tempestade nos EUA

Afetando desde há vários dias o norte-leste dos Estados Unidos

(chuva intensa, queda de neve, formação de gelo e temperaturas na ordem dos – 30⁰C)

 

O leste dos EUA continua a ser fustigado por uma forte tempestade oriunda do Círculo Polar Ártico, tornando praticamente impraticável viajar-se pelas estradas dos estados sob o seu efeito (costa leste norte-americana). Com a frente da tempestade transportando consigo muita chuva e bem gelada (podendo originar granizo), queda de neve bastante intensa (acumulando-se e atingindo vários centímetros) e ventos fortes, frios e cortantes ‒ provocando adicionalmente devido à elevada precipitação (de chuva e de gelo) e à subida do nível da água dos rios grandes inundações.

 

DTXdq5eX0AIXI8l.jpg

EUA

Os militares trabalhando num acidente de trânsito envolvendo várias viaturas

 

Com o avanço da tempestade do Ártico pelo leste dos EUA, com a chuva gelada a transformar-se em neve ou gelo, tornando o trânsito extremamente caótico (além de perigoso) e levando ao encerramento de muitas vias de comunicação (tornadas impraticáveis): com as temperaturas baixíssimas registadas (muito abaixo de zero) e como vimos, cortando em muitas regiões as comunicações e isolando várias comunidades (algumas debatendo-se com falta de eletricidade), perturbando a vida social das populações e acarretando milhões (de dólares) de prejuízo.

 

DTWjhPyX0AEU1e2.jpg

EUA

Uma mistura de água, gelo e detritos levados pelo rio e originando inundações

 

Com os militares a terem que intervir na desobstrução das estradas (devido aos vários centímetros de neve e formação de gelo no pavimento) e para além da chuva, da neve, do frio e do vento com a população a debater-se (a curto-prazo) com outro perigo originado agora pelas inundações: imediatas (sentindo-se já) com o gelo a derreter, os caudais dos rios a aumentarem e com a água (daí proveniente e em excesso) inundando tudo em redor. Com os meteorologistas a preverem (de seguida) a deslocação da tempestade para sul começando a sentir-se já dia 12 (sábado).

 

(imagens: TN Highway Patrol/@TNHigwayPatrol e AccuWeather/@breakingweather)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 03:40
Sexta-feira, 12 DE Janeiro DE 2018

Meteorologia ‒ Para já sem notícias de David

Mas tal como com ELEANOR (felizmente não nos afetando) com uma outra Tempestade a caminho (das Ilhas e do Continente) podendo ou não cá chegar.

 

europe-storm.jpgtignes.jpg

Tempestade Eleanor (atravessando a Europa)

Estação de sky de Tignes (queda 40cm/de neve, estradas cortadas e risco/avalanches)

 

Com mais uma tempestade originada no Circulo Polar Ártico agora a caminho do Reino Unido (e da Republica da Irlanda) os ingleses preparam-se agora para ser atingidos este fim-de-semana (13/14 Janeiro) por uma frente fria acompanhada de ventos fortes e gelados: esperando-se uma descida acentuada nas temperaturas acompanhada por queda de neve.

 

Com a tempestade (o Vortex Polar) a ser criada na região do Polo Norte, quando grandes massas de ar sujeitas a Baixas Pressões começam a movimentar-se (rodando no sentido contrário sãos dos ponteiros dos relógios), neste caso deslocando-se para sudeste e atingindo fortemente (na sua passagem) o Reino Unido.

 

E dada a grande massa de ar frio a caminho, atingindo dentro de horas as ilhas (em princípio deslocando-se para sul e podendo atingir a Península Ibérica), temendo-se o regresso da chuva (mais intensa com granizo), do frio (descida das temperaturas) e da queda de neve ‒ podendo mais uma vez afetar os transportes, a distribuição de eletricidade e o quotidiano de muitos milhares de pessoas (isolando-as ainda mais).

 

E já tendo passado CARMEN ficando-se a aguardar por David.

(em princípio ainda este mês)

 

08SPCP03_006.jpg08SPCP03_027.jpg

Evolução do tempo na Península Ibérica de 12 para 13 de Janeiro

(relativo à precipitação ‒ possibilitando a queda de neve a altitudes elevadas)

 

Com um fluxo de jato (Jet Stream) colocado logo abaixo (da base) do Vortex Polar/VP ‒ localizado a uns 50Km de altitude ‒ e constituído por uma enorme e densa massa de ar frio, (vindo do Ártico) a poder devido à ação desse mesmo fenómeno meteorológico (VP) alterar as suas características, força e direção, neste caso afetando as Ilhas e (posteriormente) o Continente mais a sul (França, Espanha e Portugal).

 

Pelo que a partir do próximo fim-de-semana e mantendo-se a Tempestade nos próximos dias (no seu trajeto para SE), em Portugal Continental deverá manter-se chuva e frio (e possibilidade de neve pelo menos na Serra da Estrela) talvez mais forte/a chuva e intenso/a neve. Segundo o IPMA (no Algarve pelas 14 horas com a temperatura nos 13⁰C) prevendo-se para este fim-de-semana uma ligeira descida das temperaturas (2⁰C/3⁰C), chuva em todo o país (sobretudo no sábado), vento moderado (mas frio) e ondulação entre 1,5/2,5 metros (a sul 0,5/1 metro).

 

E relativamente ao Algarve e à cidade de Albufeira (e a este fim-de-semana) prevendo-se temperaturas entre os 6⁰C/16⁰C (mínima/máxima), alguma precipitação (aguaceiros sobretudo no sábado, menos no domingo) e com céu apresentando-se (mais ou menos) nublado. Seguindo-se uma semana sem chuva (do dia 15 ao dia 19) e com temperaturas entre os 4⁰C/17⁰C (no fundo muito semelhante à anterior).

 

(imagens: mountainwatch.com e meteoblue.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:14
Terça-feira, 09 DE Janeiro DE 2018

No Inverno é Natural ‒ Mau Tempo no Hemisfério Norte

Enquanto na América do Norte (Canadá e EUA) os ventos gelados e cortantes do Ártico têm provocado grandes quedas de neve e (devido à queda abruta das temperaturas com muitos valores a descerem até aos 30⁰C negativos) formação rápida de gelo ‒ com pelo menos 21 vítimas mortais já contabilizadas ‒ na Ásia (China) o mau tempo também não dá tréguas com uma grande queda de neve (e chuva gelada) assim como outras tantas (igualmente 21) vítimas mortais.

 

325962.jpg

EUA

 

No caso dos EUA com a chegada do mau tempo a colocar toda a região litoral-este da América do Norte sob o efeito de uma grande tempestade (os tais Ciclones-Bombas), apanhando num curto espaço de tempo os aí residentes sob o frio cortante oriundo do Circulo Polar Ártico (com a temperatura mais baixa conhecida a atingir quase os 70⁰C negativos), com fortes quedas de neve e criação de muito gelo. Colocando muitas localidades numa situação caótica. Ainda ativa.

 

snapshot1.jpg

China

 

Na China com a região central-oeste apanhando as províncias de Guizhou, Hunan e Jiangxi a registar (desde o início do ano) uma intensa queda de neve (caindo intensamente e surgindo em duas vagas) afetando mais de 2 milhões de pessoas e destruindo umas 7 centenas de casas. Uma tempestade de neve considerada das piores registadas na última década destruindo colheitas (mais de 200 mil hectares) e provocando imensos prejuízos (mais de 899 milhões de dólares). Ainda ativa.

 

(imagens: Reuters e The Star Online)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:17
Segunda-feira, 08 DE Janeiro DE 2018

Os EUA e o Ciclone-Bomba

USA to FREEZE in arctic WEATHER BOMB:

'Snow hurricane' and blizzards to smash east coast

(express.co.uk)

 

1.jpg

Residentes tentando limpar a neve na cidade de Boston ‒ Massachusetts

(Getty)

 

Com temperaturas em torno dos 30⁰C negativos ‒ e em muitas regiões devido aos ventos extremamente frios (acompanhando a queda de neve e a formação de gelo) chegando a atingir os 70⁰C negativos ‒ o Canadá e os Estados Unidos têm-se visto nestes últimos dias debaixo de uma verdadeira TEMPESTADE (condições meteorológicas extremas), colocando muitas das suas estruturas básicas em risco (transportes, eletricidade, vida social, etc.) e instalando o caos em muitas partes da América do Norte (Canadá/EUA):

 

2.jpg

Com as temperaturas no Canadá/EUA a atingirem os 30⁰C negativos

(Getty)

 

Devido aos Ciclones-Bomba com as temperaturas registadas a atingirem valores recordes negativos e com as mesmas (temperaturas) ao descerem abrupta e rapidamente (deslocando-se posteriormente para sul) a estenderem os seus efeitos a estados (norte-americanos) tão distantes como a Flórida ‒ apanhando as iguanas desprevenidas, enregelando-lhe os membros e fazendo-as cair das árvores.

 

4.jpg

Massachusetts ‒ Inundações e formação de gelo tornando impraticável a condução

(EPA)

 

Entre outros fenómenos meteorológicos provocados pela TEMPESTADE com o vento forte (em certas zonas do Canadá) a provocar a interrupção da distribuição de eletricidade, com a queda de neve (e formação de gelo) a interromper importantes vias de comunicação (costa este dos EUA), com as condições de tempo extremo (para o Homem) a provocarem para já 21 vítimas mortais (19 dos EUA e 2 do Canadá), com os aeroportos parcial/totalmente paralisados (e com os passageiros continuando presos tanto no aeroporto como nos aviões),

 

5.jpg

Boston sob efeito da Bomba-Ciclone

(Getty)

 

Para no final e conjugando todos estes fatores (queda de neve, ventos ciclónicos e descida abruta de temperatura) ‒ associados ao fenómeno CICLONE-BOMBA ‒ deixar todo este território abrangendo todo o norte do continente americano exposto aos ventos do Ártico e assim proporcionando o aparecimento de temperaturas extremas podendo bater recordes (como os tais 70⁰C Negativos).

 

3.jpg

O Olho da Tempestade tendo à esquerda os EUA e (um pouco mais) à direita a Europa

(NOAA)

 

No caso de Portugal e das suas Tempestades (Ana, Bruno, Carmen e exterior à lista Eleanor) ‒ às quais no passado chamaríamos (simplesmente) Mau Tempo ‒ passado o efeito provocado pela passagem das mesmas (ao largo de nós especialmente Eleanor) ‒ nos próximos dias e segundo o IPMA com a previsão meteorológica a prever uma ligeira subida das temperaturas (mantendo-se no entanto tempo frio) e o regresso da chuva. E em Albufeira (subindo ligeiramente as mínimas) com as temperaturas a andarem (especialmente a partir de 4ª feira) entre os 8⁰C/16⁰C (até sensivelmente o meio do mês) verificando-se o regresso da chuva (3ª/4ª feira e regressando para o fim-de-semana) com vento fraco a moderado (com Alerta Amarelo para dias 10/11).

 

(imagens/dados da legenda: bbc.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:02
Sexta-feira, 05 DE Janeiro DE 2018

Carmen de Visita a Albufeira

Com a consulta da palavra Tempestade a aparentemente fazer frente (na Web) à palavra Sexo (sendo que CARMEN é até agora e apenas a 3ª ereção meteorológica), o melhor estratagema para fazermos frente a ambos (Tempestade & Sexo) será sempre o de dar de comer a quem pensa que tem fome (assim aumentando o número de fans) deixando-os pensar (nós incluídos) estarem satisfeitos.

 

img_797x448$2017_05_11_08_23_22_225364.jpg

Tempestade CARMEN

Prevendo-se chuva, vento e queda acentuada nas temperaturas

 

Com a temperatura em Albufeira pelas 19:00 a registar 12,7⁰C (como anteriormente previsto) os efeitos da passagem da Tempestade CARMEN por Portugal (continental) começaram-se a sentir hoje (sexta-feira, 5 de Janeiro) com aguaceiros (ou períodos de chuva a sul), vento fraco a moderado (forte nalgumas regiões do interior-centro) e agitação marítima (com ondas de 3,5/4,5 metros a ocidente e de 1,0/1,5 metros a sul).

 

No que diz respeito à região do ALGARVE com a temperatura do ar a andar entre os 10⁰C/18⁰C (as do mar pelos 16⁰C/17⁰C), a oeste com aguaceiros (menor precipitação) e a este com períodos de chuva (maior precipitação).

 

Na previsão meteorológica para este fim-de-semana (sábado e domingo) e mantendo-se sensivelmente os mesmos parâmetros de vento/precipitação (em princípio tendendo a diminuir ligeiramente de intensidade) sendo de realçar até pela altura do ano (estação de inverno e época das gripes em certos casos sugerindo a vacinação ‒ este ano e para já sendo o vírus prevalecente um dos mais fracos) a descida generalizada das temperaturas (segundo os meteorologistas nalguns casos extremos e num espaço de poucos dias podendo atingir uma descida de 15⁰C):

 

No Porto com as temperaturas a descerem de 6⁰C/14⁰C para 3⁰C/12⁰C (descida máxima de 3⁰C), em Lisboa de 8⁰C/15⁰C para 3⁰C/12⁰C (descida máxima de 5⁰C) e em Faro de 10⁰C/18⁰C para 4⁰C/12⁰C (descida máxima de 6⁰C) ‒ e como se constata com a maior descida registada a sul (em Faro).

 

00-10.jpg

Tempestade CARMEN

Afetando toda a Península Ibérica incluindo o Algarve

 

Sendo ainda de realçar Trás-os-Montes e as Beiras, onde as temperaturas registarão valores Negativos:

 

Com os distritos de Bragança, Vila Real, Viseu e da Guarda a serem os mais atingidos (por esta nova Vaga de Frio) ‒ entre eles com as mínimas a atingirem os -2⁰C/0⁰C e as máximas 3⁰C/9⁰C (nevando na Serra da Estrela) e no caso do Algarve e do seu ponto mais elevado (Serra de Monchique) fazendo frio (em Monchique com as temperaturas pelos 2⁰C/9⁰C) mas obviamente sem neve (no Alto da FÓIA).

 

Finalmente e cingindo-nos exclusivamente a Albufeira prevendo-se para este fim-de-semana tempo muito idêntico ao registado hoje (sexta-feira) mas devido ao frio (e à descida acentuada de temperaturas) com o concelho colocado em Alerta Laranja.

 

(dados: ipma.pt ‒ imagens: sabado.pt/GETTY e tiempo.com/ECMWF)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:39
Quinta-feira, 04 DE Janeiro DE 2018

Esta Madrugada chega Carmen

Muito Vento, muita Chuva, talvez Neve (certamente) e ainda Mar Bravo (Evidente)

 

DSb9yaKXcAAe8uq.jpg large.jpg

Tempestade CARMEN

Atravessando toda a França pelos Pirenéus e atingindo a Córsega no Mediterrânico

 

Insistindo nos dias de hoje que um Dia de Mau Tempo (assim considerado no passado) é na realidade uma Tempestade (denominado agora no Presente), os meteorologistas portugueses (conjuntamente com os seus colegas espanhóis e franceses) insistem no Estado de Alerta para Portugal Continental na passagem do dia 4 para 5: prevendo-se aquando da passagem desta nova tempestade ‒ Tempestade CARMEN ‒ períodos de chuva intensa (podendo provocar inundações) e vento forte (podendo provocar quedas de árvores e interrupção no fornecimento de eletricidade), em certas regiões podendo originar granizo e trovoadas (mais a norte/no interior) e mesmo a maior altitude podendo-se registar queda de neve (por exemplo na Serra da Estrela mas não no alto da Fóia/Monchique). Sentindo-se os seus efeitos mais a norte (e no centro) do que a sul, pelo que na região do Algarve (incluindo Albufeira) os efeitos serão mais ténues com alguma precipitação e descida das temperaturas. De qualquer das formas com a passagem da 3ª tempestade catalogada pelos meteorologistas (depois de Bruno, antes de David e entremeada com Eleanor) a colocar (a nível marítimo) toda a costa portuguesa em alerta (sobretudo na costa ocidental a norte do estuário do Tejo) devido à grande agitação marítima com ondas entre 5/6 metros (aconselhando como tal a não se ir e não se andar junto ao mar) e (já agora) a nível terrestre e até como conselho (pois mais vale prevenir do que remediar) devido à queda de neve e formação de gelo tornando as estradas perigosas e como talas viagens (a evitar nestes momentos meteorológicos mais extremos).

 

Há 50 anos (num mundo de leigos e autodidatas e quando todo o mundo trabalhava) sendo um fenómeno meteorológico Comum, no século XXI (disparando os eruditos, exterminados os autodidatas e com muita gente empregada) um Bicho de 7 Cabeças.

 

(imagem: France Bleu RCFM)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:48
Quarta-feira, 03 DE Janeiro DE 2018

Tempestade Eleanor

Ainda com Carmen a caminho (de Portugal) mas com Eleanor desde já a apresentar-se (em França).

 

eiffel1.jpg

 

Depois de ter atravessado a Irlanda e a Grã-Bretanha provocando pelo caminho grandes inundações (devido à elevada precipitação), milhares de casas sem eletricidade (por danos provocados na distribuição devido aos ventos intensos) e ainda deixando todo o litoral em alerta devido à grande agitação marítima (especialmente a costa ocidental da Irlanda como foi o caso da cidade de Galway) ‒ na Grã-Bretanha colocando o país em Alerta Amarelo (essencialmente devido aos ventos intensos chegando a atingir os 160Km/h), provocando interrupções nos transportes e na distribuição de eletricidade (devido ao forte e duplo impacto chuva/vento) e inundações e quedas de árvores ‒ chegou a hora da Tempestade ELEANOR atingir a FRANÇA e de colocar os seus meteorologistas em estado de alerta: com a Météo-France, a Aemet e o IPMA (depois da passagem da Tempestade Ana, Bruno e Carmen ‒ com esta última ainda a caminho de Portugal) a decidirem integrar esta nova tempestade na sua lista recentemente criada (adiando para data posterior a chegada de David e Emma) lançando um novo alerta (meteorológico) para França/Espanha/Portugal.

 

231e33480ce94718c656ecd3fcdafd39.jpeg

 

Na sua passagem por França e entrando pelo norte (vinda do sul de Inglaterra) com a Tempestade ELEANOR a atingir fortemente a Normandia e no seu caminho para sul a cidade de PARIS (e arredores) ‒ no caso da Normandia deixando cerca de 200.000 habitações sem eletricidade (com a passagem da Tempestade Carmen aproximadamente 1/5) e no caso de Paris causando grandes perturbações (entre outros) nos seus transportes aéreos: com um dos símbolos da França e da sua capital Paris a TORRE EIFFEL a ser fechada à visita do público (e aos turistas) devido às fortes rajadas de vento aí verificadas (100Km/h). Para já com a passagem da tempestade Eleanor a provocar quase uma dezena de feridos (alguns deles em estado grave), segundo a meteorologia francesa deslocando-se para sudeste acompanhada de ventos podendo atingir os 200Km/h: consultando os mapas da EUMETNET e verificando-se a deslocação da tempestade para sudeste, sendo uma boa notícia para Portugal (meteorologicamente falando) localizado para sudoeste ‒ deixando para a Península Ibérica uma estreita faixa podendo vir a ser atingida (pelos efeitos de Eleanor) no caso de Portugal (e mais intensamente) toda a costa litoral do rio Minho até Lisboa (até pela forte agitação marítima).

 

(imagens: AFP/EUMETNET)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:02
Terça-feira, 02 DE Janeiro DE 2018

Eis que chega a Tempestade Carmen (e logo de imediato a Eleanor)

Primeiro ANA (a pioneira), depois BRUNO, agora CARMEN

E já em preparação

(mas nesta lista restrita e por adição)

ELEANOR.

 

[Com os meteorologistas da Météo-France, da Aemet e do IPMA a decidirem manter o nome da tempestade oriunda da Irlanda ‒ a Tempestade ELEANOR ‒ deixando para mais tarde a chegada das Tempestade DAVID (letra D) e da Tempestade EMMA (letra E).]

 

800.jpg

Tempestade Carmen

(Costa da Bretanha/França)

 

Iniciado o novo ano de 2018 e ainda na expetativa da chegada da próxima Tempestade (mantendo-se a frequência inicial com uma nova tempestade a ocorrer de 15 em 15 dias) eis que apanhando-nos um pouco de surpresa (as probabilidades e estatísticas têm destas coisas) duas tempestades surgem de imediato e consecutivamente (lá se indo a 1ªProfecia de 29.12): na sequência da decisão de meteorologistas (franceses, espanhóis e portugueses) de criarem a sua própria denominação para as tempestades afetando os seus 3 países, depois da passagem da Tempestade Ana e da Tempestade Bruno surgindo agora a Tempestade Carmen (atingindo a França a 1 de Janeiro) ‒ e prevendo-se de imediato a passagem da Tempestade Eleanor (a partir de 2 de Janeiro). E por este andar com cada período de Mau Tempo (pelo menos em Portugal) a ser agora promovido a mais uma Tempestade.

 

6e122a64a998cdec2012a087ef53fa9a.jpg

Tempestade Bruno

 

Ontem dia 1 de Janeiro de 2018 com a Tempestade CARMEN a atingir território francês (sobretudo a ocidente) com chuva intensa e ventos fortes (com rajadas de vento acima dos 130Km/h) provocando (para já) uma vítima mortal e deixando dezenas de milhares de lares sem eletricidade (uns 60/70 milhares); e já amanhã (dia 2) prevendo-se a chegada em força da próxima Tempestade/ELEANOR (oriunda da Irlanda daí o nome) colocando vários distritos em Alerta Laranja. E com toda a linha de costa em torno do Cabo Finisterra (localizado na Corunha/Galiza/Espanha) a estar sujeita a mar bastante agitado, com ondas podendo atingir alturas elevadas abrindo caminho entre praias e barreiras (costeiras) e inundando as zonas do litoral (galego) ‒ no caso de Eleanor com condições climatéricas (de chuva e de vento) muito semelhantes às de Carmen.

 

thumbs.web.sapo.io.jpg

Tempestade Ana

 

No que diz respeito a Portugal e à passagem destas duas tempestades (e tendo que atravessar França, também o fazendo em Espanha) com a chegada da Tempestade CARMEN a estar prevista lá para 5 de Janeiro (sexta-feira início do fim-de-semana e com o IPMA a prever o regresso da chuva) e com todo o país (de norte a sul) podendo ficar em Alerta Vermelho (um nível talvez algo exagerado): com ondas até 10 metros, ventos até 130Km/h e aguaceiros muito fortes numa duração que poderá chegar a 3 dias ‒ dia 5, 6 e 7 de Janeiro. De ELEANOR de momento não se falando muito (mas não se dissipando seguindo-se de imediato a sua antecessora Carmen). E consultando as previsões do IPMA no que toca ao sul de Portugal (Algarve) e particularmente a Albufeira (no período de 3/Quarta-feira a 7 de Janeiro/Domingo), com Céu parcialmente nublado/aguaceiros (chuva mais intensa sexta-feira), com vento fraco/moderado geralmente de norte e com as temperaturas entre os 6⁰C/21⁰C e com tendência de descida (das mínimas/máximas ou seja mais frio).

 

(imagens: rtp.pt/sapo.pt/iol.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:09
Sexta-feira, 29 DE Dezembro DE 2017

1ªProfecia para 2018

Aviso Meteorológico

 

nintchdbpict000300349555.jpg

Tempestade

Carmen Miranda

 

Profecia

 

Mantendo-se a sequência de aparecimento (aproximadamente de quinze em quinze dias) das recentemente inauguradas Tempestades Franco-Ibéricas (algo a que anteriormente não ligávamos ‒ vendo o fenómeno apenas como mau tempo ‒ mas que pelos vistos agora se tornou importante), a 3ª Tempestade a surgir (neste extenso território estendendo-se dos Alpes ao Atlântico) e que como todos nós já sabemos se chamará Carmen (depois de já termos conhecido os seus familiares Ana e Bruno), deverá ocorrer já no próximo ano (de 2018) lá para meados de Janeiro.

 

(imagem: thesun.co.uk/ALAMY)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:58
Terça-feira, 26 DE Dezembro DE 2017

Tempestade Bruno

“Na nova caraterização das tempestades Franco-Ibéricas, depois de ANA (a Pioneira) surge BRUNO seguindo-se posteriormente CARMEN.”

 

img_797x448$2016_11_24_21_33_10_195706.jpg

Com chuva e vento intenso

 

Agora que um grupo de meteorologistas englobando três países ‒ França, Espanha e Portugal ‒ se reuniram para fundarem o seu Departamento de Tempestades (denominando-as para o seu processador/memória por ordem alfabética/aparecimento), depois da passagem da Tempestade ANA eis que surge agora a Tempestade BRUNO.

 

Esta segunda-feira (dia 26) com a região dos Pirenéus (fazendo fronteira entre a França e a Espanha do Atlântico ao Mediterrânico) a entrar em estado de alerta laranja, devido ao aproximar de uma tempestade (moderada) acompanhada de ventos fortes (com rajadas na ordem dos 100/120Km/h).

 

Posteriormente deslocando-se para Espanha com chuva, neve e fortes ventos (a principal preocupação justificando o alerta), com as comunidades a serem as mais afetadas a serem as rodeando os Pirenéus (atingindo assim a Catalunha), com descida generalizada das temperaturas e podendo ainda levar (nas próximas horas) com outra frente da tempestade (também ela transportando mais chuva).

 

6e122a64a998cdec2012a087ef53fa9a.jpg

E com forte agitação marítima

 

Nesta noite de segunda (26) para terça-feira (27) e no que diz respeito a Portugal particularmente aos nossos vizinhos (localizados a norte e habitando a Galiza), começando já a ser sentida a chegada de Bruno com muitos municípios já em estado laranja. Assim já esta terça-feira (27) sentindo-se a chegada do Bruno (obviamente a Portugal) prevendo-se tempo de chuva, vento forte e mar agitado (estendendo-se por todo o dia/27 e ao dia seguinte/28).

 

Com ventos entre os 80/120Km/h (sobretudo a norte e no centro), períodos de chuva e forte agitação marítima (com ondas de 4/6 metros). Segundo informações oriundas do IPMA com o tempo a manter-se assim pelo menos até à próxima quinta-feira (28) e no que diz respeito a Albufeira (sorte de ser do Sul) chovendo sobretudo a 26/27, com vento moderado e temperaturas entre os 9⁰C/20⁰C (mínima/máxima).

 

(imagens: RTP/REUTERS e SÁBADO/GETTY)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:42

pesquisar

 

Janeiro 2018

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
17
18
21
23
24
25
26
27
28
29
30
31

comentários recentes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro