mais sobre mim

subscrever feeds

Sábado, 10 DE Junho DE 2017

Albufeira 10

No aproveitar é que está o ganho

(e enquanto se puder por aqui)

 

201706101200_msg3_msg_ir_piber.jpeg

Península Ibérica - 10 Junho/12h UTC

(imagem de satélite/infravermelho/EUMETSAT/IPMA)

 

Céu limpo, humidade de 40%, visibilidade de 16Km e temperatura de 28⁰C é a descrição do estado tempo por volta do meio-dia de sábado (10 de Junho) na cidade de Albufeira (via sapo.pt): com a previsão a apontar para o dia de hoje temperaturas do ar entre 17⁰C (mínima) e 31⁰C (máxima). E para quem for para a praia com a temperatura da água do mar a andar pelos 20⁰C, sentindo-se uma pequena brisa de norte e pequena ondulação marítima (até aqui excelente) e no entanto com os raios ultravioleta a atingirem o nível UV10 (muito elevado e no fundo aconselhando-nos a irmos vestidos para a praia).

 

knysna-fire-south-africa.jpg

Enquanto aqui nos aproximamos do Verão no Hemisfério Sul é o Inverno que aí vem: como o demonstra o registo oriundo da África do Sul onde após a passagem de uma poderosa tempestade atmosférica acompanhada de ventos fortes, deflagraram vários incêndios (na região da Cidade do Cabo perto da cidade de Knysna) daí resultando destruição de infraestruturas, 10000 evacuados e pelo menos 3 vítimas mortais

 

Num dia (10 de Junho) em que foi registado por volta das 03:32 da madrugada um pequeno sismo a SE de Albufeira, verificado a 30Km de profundidade e de M2.0 (provavelmente nem sequer sentido). E num período de tempo iniciado na passada terça-feira (6 de Junho) em que o protagonista sismologicamente falando se situa bem mais a norte na região de Amarante (sobretudo NE) ‒ com 12 sismos de pequena intensidade registados nos dias:

 

Dia

 

Nº sismos

Magnitude

6

8

3.6/1.3/1.7/1.5/1.1/1.0/0.9/1.5

7

 

3

1.6/1.1/1.4

8

 

0

-

9

 

1

0.6

 

DBuXs0sXsAAxEKc.jpg  DBuXs0sXcAAMrRY.jpg

Our thoughts to Residents evacuated and Fire Crews battling Knynsa Fires

(legenda/imagem: @VulcanWildfire)

 

Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas (com o nosso poeta Manuel Alegre a receber este ano o prémio Camões), feriado nacional e dia primeiro (o segundo será domingo), onde passada a noite em festas populares com bailes, muita comida e bebida, o caminho aponta sempre para a água e para o usufruto das benfeitorias da terra e do ar: nem que seja bem sentado frente ao mar (à frente do INATEL), olhando-o a brincar e a ondular e com a baía à direita refletindo a luz solar a convidar, a mais um parafuso, penalty ou outro cálice qualquer (na altura sagrado), talvez mesmo de medronho ou então de amêndoa amarga mas sempre com uns cubos de gelo e algo mais para animar (mas que faça companhia).

 

(outras imagem: Jaco van der Walt e watchers.news)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:50
Terça-feira, 23 DE Maio DE 2017

Em breve o Verão

Segundo o IPMA de amanhã (24) até Domingo com as temperaturas do ar a manterem-se pelos valores atuais (16⁰C/21⁰C de mínima e 26⁰C/31⁰C de máxima) e com os valores na água do mar a andar pelos 21⁰C.

 

Agora que o bom tempo parece ter regressado de vez com a subida generalizada das temperaturas (mínimas e máximas) estão criadas todas as condições para o verdadeiro arranque da época balnear na Região do Algarve:

 

Sem chuva, com temperaturas bastante agradáveis, com o areal e o mar calmos e com bom aspeto, com boa comida à espera e sobretudo com relativamente poucas pessoas e alguma tranquilidade de espirito.

 

snapshot xxx.jpg

 

Pelo que se os responsáveis pela divulgação do turismo na região (públicos como privados) tiverem cumprido (mesmo que no mínimo) a sua obrigação de representantes, divulgadores e promotores deste sector prioritário e fundamental desta região do sul de Portugal (desprezadas como foram pelos mesmos a Agricultura e as Pescas e dando unicamente relevo à Industria Hoteleira e à Restauração),

 

Este Verão será um sucesso: com muita gente e calor.

 

Com a bolsa dos Europeus e até dos portugueses temporariamente aliviadas nestes últimos tempos (para nós desde que o Governo PS tomou posse),

 

Com todos os conflitos espalhados um pouco por todo o mundo (desde a Turquia ao Egito, passando pelo norte de África e terminando na crise sul-americana ‒ só para falar em destinos turísticos),

 

E até com alguns países europeus completamente absorvidos nas suas batalhas não só externas como internas contra o terrorismo (como a Inglaterra e a França por estarem mais envolvidas nas operações militares a sofrerem vários atentados),

 

Criando-se a oportunidade face ao problema dos outros de encher todo o sul da Península de Espanha até Portugal.

 

Destacando desde já 2 fatores que não devem ser desprezados mesmo nesta época do ano (início em breve do Verão), por um lado com os índices de raios ultravioleta a revelarem-se bastante elevados por estes dias (UV9 numa escala de 11) e por outro com a manutenção da presença de taxas também elevadas de CO2 na atmosfera como justifica o alerta de hoje (23) para a Ilha Terceira (401ppm/crítico).

 

E assim a menos de um mês do início da estação do Verão (21 de Junho) e com o tempo já com estas tão agradáveis condições ambientais,

 

Com toda a máquina aqui implantada e alicerçada a estar já plenamente preparada para a única coisa que ela sabe verdadeiramente fazer (que será infelizmente o Futuro reservado para todos os Algarvios e demais residentes) ‒ e para a qual temos vindo a ser todos forçados, condicionados e especializados:

 

Enchendo hotéis, servindo refeições, executando limpezas, preparando instalações, servindo bebidas, fazendo de guia, aconselhando negócios, promovendo intercâmbios, trocando moeda, disponibilizando cuidados, possibilitando passeios e outros apoios,

 

Em suma satisfazendo o cliente à custa de diversa mão-de-obra toda afeta aos mesmos Serviços (de Restauração e Hoteleiro) mas com diferentes escalões (retribuições) apesar das mesmas ambições (limitadas em exclusivo à contrapartida monetária).

 

Num percurso monocórdico e sem futuro visível, de mera retribuição de apatia e subordinação ‒ recriando-se o papel de criada (para a generalidade) e para os mais ofendidos o cargo de governanta.

 

(imagem: Sport Mídia II/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:38
Segunda-feira, 10 DE Abril DE 2017

Abril, Águas Mil

Enquanto lá por fora os meteorologistas europeus nos previnem da chegada de uma nova frente fria que poderá pôr parte da Europa a tremer (Central/Leste), por cá as previsões do IPMA para a cidade de Albufeira (numa previsão de 10 a 19 de Abril) apontam para pouca ou nenhuma precipitação e temperaturas entre os 12⁰C/14⁰C de mínima e os 25⁰C/28⁰C de máxima (com a presença de ventos c/velocidades máxima de 20Km/h) ‒ no fundo um tempo bem aceitável/agradável confirmando-se as previsões.

 

FrightenedVelvetyFeline 1.jpg

1

10 Abril 2017

 

Entrados no mês de Abril (o tal das águas Mil) já com um tempo convidativo para a praia (pelo menos em Albufeira já se vendo os turistas nos seus caminhos habituais até ao areal, antecedendo as tão desejadas águas tranquilas e amenas do mar), com os raios do Sol a começarem a aquecer-nos o corpo e com os mesmos a sugerirem-nos (de uma forma inconsciente e contra reprodutiva) a uma prolongada estadia pelo areal das praias do nosso litoral (por sinal num momento de maior atividade solar e com os raios ultravioletas a manifestarem mais intensamente a sua presença ‒ UV6 e UV7 numa escala até 10),

 

FrightenedVelvetyFeline 2.jpg

2

14 Abril 2017

 

Ainda-por-cima com todas estas circunstâncias associadas à quadra festiva da Páscoa a convidarem-nos ao usufruto destas delícias a todos nós propostas pela Natureza (as quais devíamos aproveitar respeitando os limites de segurança, já que tudo o que é feito em excesso é prejudicial) é natural que induzidos por todos estes parâmetros positivos (atmosféricos e não só) e entusiasmados com as boas condições climatéricas que o nosso ecossistema (ou microssistema local) nos proporciona, interiorizem que o bom tempo já começou e que o Verão já aí está.

 

FrightenedVelvetyFeline 3.jpg

3

18 Abril 2017

 

E não é que agora e para nos contrariar e estragar a época festiva que parecia estar já aí a rebentar, eis que os meteorologistas nos vêm alertar que segundo os seus modelos de previsão meteorológico (que em geral costumam estar corretos) a Europa irá começar a sofrer nos próximos dez dias de uma acentuada queda nas temperaturas, o que se por um lado significará o regresso do frio e de piores condições climatéricas, para as regiões mais afetadas poderá significar também danos irreversíveis para a agricultura ‒ e segundo os mesmos podendo arrastar estas condições meteorológicas bem para além do mês de Maio.

 

FrightenedVelvetyFeline 4.jpg

4

22 Abril 2017

 

Com as regiões da Europa Central/Leste a serem previsivelmente as mais atingidas, mas com a mudança repentina do tempo a afetar outras zonas (mais limítrofes mas também atingidas pela sua passagem) como o da Península Ibérica (incluindo pois Portugal). E se hoje (dia 10/quadro 1) a temperatura ao longo da Europa se mantem ainda num nível aceitável (apesar de algum frio que ainda incomoda), já lá para o dia 14 (quinta-feira/quadro 2) e com toda a Europa Central/Leste sob a ação do mau tempo (acompanhada de temperaturas abaixo de zero), tudo piorará para toda esta área do continente europeu ‒ evoluindo no mesmo sentido para dias posteriores (dia 18/quadro 3).

 

FrightenedVelvetyFeline 5.jpg

5

25 Abril 2017

 

Com a Península Ibérica segundo as previsões a apanhar com estas condições meteorológicas talvez uns dias mais tarde (de início limitando-se às possíveis influências vindas da periferia ocidental da tempestade), ao ser apanhada por uma nova frente fria por cá fazendo-se sentir mais intensamente depois de passada a quadra religiosa (dia 22/quadro 4) ‒ por essa altura (fim-de-semana seguinte ao da Páscoa) com Portugal de norte a sul podendo estar a tremer com temperaturas baixas ou até negativas. Mas no que nos toca, meteorologicamente falando e relativamente a Portugal, com o tempo a poder melhor na semana seguinte (dia 25/quadro 5 ‒ restando-nos pois esperar para ver o que acontece depois (se o mau tempo passa ou se assim continua durante todo o mês de Maio).

 

(imagens: gfycat.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:48
Quinta-feira, 29 DE Dezembro DE 2016

2017 Só Começa 1 Segundo Depois

Date:

December 28, 2016

Source:

U.S. Naval Observatory

Summary:

On December 31, 2016, a "leap second" will be added to the world's clocks at 23 hours, 59 minutes and 59 seconds Coordinated Universal Time (UTC).

 

161228213356_1_900x600.jpg

 

Segundo o Observatório Naval dos EUA (e generalizando dada a diferença de fusos horários), no dia 31 de Dezembro de 2016 pelas 23:59:59 e quando os mais de 7 biliões de almas habitando este pequeno planeta esperavam estar a esgotar-se mais um ano da sua (em termos de tempo) tão curta vida (com os ponteiros a funcionar tal como uma guilhotina), eis que surpreendentemente somos todos premiados com mais 1 segundo de vida adicional: assim passado um segundo sobre a hora atrás referenciada, em vez de já estarmos em 2017 ainda teremos mais um segundo para usufruir em 2016.

 

“Historically, time was based on the mean rotation of the Earth relative to celestial bodies and the second was defined in this reference frame. However, the invention of atomic clocks defined a much more precise "atomic" timescale and a second that is independent of Earth's rotation.” (US Naval Observatory/sciencedaily.com)

 

Pelo que vivendo em tempos mais que acelerados, em que nem sequer existe um minuto para se poder olhar e pensar e em que nada se dá sem esperar algo em troca, se por um lado 1 segundo é apenas uma das partes dos mais de 2000 milhões de segundos de toda a nossa vida, já se compararmos a oferta com o minuto para pensar tudo se modifica num instante tornando o banal relevante: neste caso de 1 em 60. Oferecendo a todo o Mundo um pouco mais de Tempo mas mantendo-nos morbidamente paralisados no Espaço. Mas sempre é mais 1 segundo na nossa vida de mosca.

 

(texto/itálico e imagem: sciencedaily.com)

tags: , , ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:54
Quarta-feira, 28 DE Dezembro DE 2016

Albufeira a 1 de Janeiro de 2017E12

Passagem de Ano em Albufeira

31 Janeiro 2016/1 Dezembro 2017

 

15781136_1408727499140458_8326498559739307929_n.jp

 

Albufeira 2017E12

 

 

Imagem obtida em exclusivo (através da utilização de práticas experimentais diferenciadas ou PEF’s) utilizando um artefacto temporal (capaz de nos colocar instantaneamente num ponto determinado da sequência cronológica terrestre) colocado num ponto indeterminado do litoral algarvio (pela análise de documentos anexos podendo ser a zona da serra de Monchique e outros territórios envolventes), segundo os seus produtores e remetentes retratando fielmente (e testemunhado pessoalmente no próprio local) o nosso planeta Terra no dia 1 de Janeiro de 2017E12. Numa viagem ao longo do nosso conhecimento tentando entender o porquê da nossa presença, não no tempo mas do espaço (o único sempre aqui).

 

1559ML0079590010604808E01_DXXX.jpg

 

Uma informação visual para nós (seres humanos e restantes seres vivos) deveras preocupante senão mesmo alarmante (no fundo para a sobrevivência do ecossistema terrestre) face ao cenário seco e desértico que a compões em diferentes tons e texturas mas (no entanto) sendo todas concordantes: sem presença, sem movimento, sem vida. Numa região outrora conhecida como um excelente destino de férias (sol, praia, mar e boa comida), neste futuro aqui projetado apresentando-se como o seu irmão gémeo simétrico, já com o planeta girando noutras regiões do Universo e provavelmente executando outras funções (noutra escala hierárquica – em constante transformação – da evolução humana).

 

vimana.jpeg

 

Felizmente complementada por uma outra informação adicional, extensiva e suplementar (inicialmente encriptada mas para certas Entidades temporariamente descodificada), deixando-nos uma importante pista não só sobre o destino deste planeta (eventualmente apenas o último ocupado pela nossa espécie) como sobre o nosso próprio destino – tendo alguma Fé na imagem (sugerindo-nos termos partido para outro lado qualquer ou não fossemos inteligentes e já tivéssemos estado no Espaço) e nas Entidades que a apresentam (quando muito réplicas mais avançadas do Homem): entrepostos celestes, uma lua talvez Europa e a Conquista do Cosmos (a Redescoberta do Mundo).

 

[Imagem intermédia correspondendo a um registo do ROVER CURIOSITY no seu 1559º dia de permanência em Marte – 24 Dezembro 2016; Na última imagem e segundo um trabalho controverso da dupla Anand/Ameya apresentada no Congresso Indiano de Ciência de 2015, sugerindo que terão sido os indianos a produzirem o primeiro avião muito antes dos irmãos Wright, durante o período da Civilização Vedic há cerca de 7000 anos – aviões capazes de realizarem mesmo viagens interplanetárias]

 

(imagens: nasa.gov – albufeira.pt – semprequestione.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:49
Quinta-feira, 22 DE Dezembro DE 2016

Albufeira – 22/26

A caminho do Natal e da Passagem de Ano, o tempo parece ter estabilizado (aguenta-se e pelo menos não chove) – tendo em conta para já os dois principais dias da Quadra Natalícia (24 e 25). Depois talvez se mantenha, mas logo se verá.

 

201612212200_msg3_msg_ir_piber.jpeg

Península Ibérica – imagem por satélite

(IPMA – Infravermelho – 21 Dezembro 2016 – 22 horas)

 

Com a previsível estabilização da temperatura entre os 8/10⁰C de mínima e 18/20⁰C de máxima e a mais que certa ausência de precipitação (pelo menos até ao dia 26), antecipa-se para este ano um período da Quadra Natalícia com céu limpo e contando com a presença do Sol (para nos aquecer o corpo), mais carregador por volta da hora do almoço, esmorecendo gradualmente durante a tarde e lá para o fim do dia e podendo contar com a presença de vento, ficando mais frio enfiando-se pelo corpo. No entanto suportáveis como o dizem a previsão: temperaturas de 8 a 20 (⁰C).

 

Já agora e dado que não podemos prever tudo o que venha do Céu e do Espaço, olhemos um pouco para a terra onde assentam as nossas casas: construções edificadas em terrenos de origem sedimentar localizados mesmo ao lado do mar e de zonas sismologicamente ativas. Na nossa zona de conforto sem registo de eventos de relevo ou até mesmo sentidos. Apenas com uns registos menores (5): M1.8 NE Monchique dia 15, M1.9 e M2.0 SW Albufeira dia 15, M2.0 NW Vila Bispo dia 16 e M1.6 SW Faro dia 21 (hoje). Como se vê com registos normais (ao contrário das Ilhas Salomão/Pacífico de novo a tremer – máximo M6.7 ontem).

 

2016-december-solstice.jpg

Solstício de Dezembro de 2016

(21 de Dezembro às 10:44 UT)

 

Numa data do nosso calendário (21 Dezembro) em que se regista o início do Inverno Astronómico (o Meteorológico inicia-se a 1 de Dezembro) e em que se dá o Solstício de Inverno (no Hemisfério Norte), momento da nossa cronologia anual em que as horas do dia sob os efeitos preciosos do Sol atingem o seu mínimo: e sendo o dia em que no Polo Norte as 24 horas se passam em total escuridão. E com o estado do tempo em Albufeira logo no início de quinta-feira (dia 22 00:00) a apresentar 10⁰C de temperatura, céu limpo e humidade de 74%.

 

(imagens: ipma.pt e earthsky.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:15
Terça-feira, 05 DE Julho DE 2016

A Alma (pelo menos a nossa)

Aproveitando as discussões intermináveis e provavelmente eternas sobre a existência da ALMA – como uma entidade absoluta pertencendo a um nível de existência imaterial, talvez separando matéria de energia, conservando o Espaço e eliminando o Tempo (deixando a paranoia da não ultrapassagem da velocidade da luz em vez de procurarmos oportunidades e atalhos) – deixo-vos aqui estes pensamentos de Angela Dijanic sobre o tema em questão, aqui expostos como uma versão científica da existência da mesma (num excerto retirado da 1ªparte de três do seu artigo Quantum souls publicado online no The Watchers).

 

angela_dijanic_quantum_souls_part_one_f.jpg

 

Quantum souls

(Angela Dijanic in The Watchers on July 3, 2016)

 

The idea that we are quantum beings having materialistic experiences is a challenging paradigm for us because we were born into a three dimensional linearly aligned physicality. And for too long, that physicality has been defined within the limitations of Newtonian Laws, or rather by the followers of those laws, often times  with their own interpretations - laws that place us as cogs and wheels in an enormous superficial machine with little room for forces beyond simple matter.

 

But we are not superficial machines that run on cogs and wheels. We are complex organisms made up of matter that is in turn made up of energy. Our physical bodies may fit neatly into Newton’s very limited world, but the force that drives these bodies, the intelligent energy that is behind thought and emotion, life and death, can only, for now, be explained through quantum science; and through the technologies we have not yet discovered or mastered.

 

Because of the nature of energy, we are very limited in our understanding of it, and so it becomes this magical thing that we either believe in or not… for now. But remember magic is simply science that has not yet been defined. Thus, anything that is too nebulous to understand, at the time, is labeled magic or philosophy.

 

We need to remember that at some point in history, in fact several points in history, everything we consider science now was considered magic then. By extension, everything that we consider magical now will be considered scientific in the future as technology evolves and understanding is gleaned. Even what we thought we understood, through scientific methodology, has changed. How many theories and hypotheses have been blown out of the water as we gain better insights?

 

We must remember that science is merely a human construct in and of itself. We fall under the excuse that magic is of gods, but science is of men. Not everyone believes in gods. Not everyone trusts the wisdoms of men.

 

We made science. We decided that magic and faith weren’t enough to go by so we created a system that would be more succinct and consistent, an attempt to even the playing field. But that succinctness and consistency is defined by us. We decide what succinct means.  We decide what consistent means. Humans created language. Then we fit our scientific ideals within those constructs. We are making this up as we go along.

 

Always, the various disciplines of science, regardless of type, focus or methodology, were developed through the minds, hands and hearts of humans using the tools available to us at the time- tools that we either discovered or created, like fire, hammers, and computers.

 

And, because science is a human construct, it is at the mercy of its creators. Just like magic. Like small gods giving birth to worlds, the creator and the created fused; and the philosophies grew with their followers. And so too did the limitations.

 

And yet everyone wants scientific proof of anything being espoused. Until they are given that proof, they label the entity as metaphysical, paranormal, or supernatural. But science is not about proof. It is about evidence. Science cannot prove anything because proof is subjective. The only person who can prove anything to me is me. Only I can decide if something is true or not. The evidence of the thing is objective. Evidence cannot buckle under opinion. It’s just data. Personal bias cannot sway evidence. It doesn’t matter what you think, the facts are just the facts.

 

Selective wiles and cyclical arguments are the hallmarks of close-minded, biased, judgmental people. Why do we care what fanatics from either extreme believe or do not believe? They are ignorant bullies who think that by using words bigger than the ones you use makes them superior and therefore they must be right. They may not be right.  

 

We have been taught to think in terms of human experiences and not soul experiences. This is a necessity since we are in a physical form in a dimension that is based on time and space. Unfortunately, we get tangled up in this physicality and forget how to communicate that which is most important to our existence. Perhaps that’s part of the experience. We simply need to break through the static.  

 

We are quantum souls living in a Newtonian world. Science is not the end all to be all, but it’s what we have so let’s use it responsibly recognizing the limitations.

 

(imagem e texto/inglês: thewatchers.adorraeli.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:57
Terça-feira, 10 DE Maio DE 2016

Albufeira e também Silves – Tempo, Estradas e Assaltos

Fez no passado dia 1 de Maio meio ano que o centro antigo de Albufeira foi completamente invadida pelas águas; e quase um ano que em Silves desconhecidos me limparam a casa, incluindo portas e janelas. E já agora um exercício de memória (política): porque será que este grande incremento na onda de assaltos e de outra criminalidade se reporta ao ano de 2011? Mas que diabo terá acontecido nesse ano em Portugal (estendendo-se os seus reflexos até aos dias de hoje)?

 

ALBUFEIRA.jpg

Albufeira e a inundação do cimento

(com o mar a querer espreitar)

 

Neste dia 10 de Maio de 2016 (terça-feira) Albufeira acordou com um dia frio e cinzento por vezes com muita chuva. Depois das onze horas da manhã e com o céu bem escuro e carregado de nuvens, ainda cheguei a pensar por uns breves instantes (já que entretanto a momentânea carga de água terminou) que a situação ocorrida a 1 de Novembro de 2015 poderia repetir-se mais uma vez. Felizmente que nada de grave ocorreu por estes lados, exceto continuarmos com um dia ventoso, meio sombrio e chuvoso, que sempre nos condiciona os movimentos (meteorologicamente falando) e nos entristece um pouco a alma (estas cidades ficam feias sempre que chove e se revelam os seus defeitos – como todas as outras não tendo apenas virtudes).

 

Quando ainda há poucos dias se vivia num tempo e clima de Verão, com muitos já meios despidos e deslocando-se para as praias. E como uma coisa má nunca vem só, com a notícia de que desde a passada 2ªfeira (dia 9) a ligação pela estrada nacional 125 entre Albufeira e Faro (a alternativa a pagar é a Via do Infante) será temporariamente encerrada perto da localidade da Maritenda durante cerca de dois meses – numa ação justificada pela demolição de duas pontes ferroviárias no trajeto da estrada (em más condições de segurança) e sua posterior reconstrução. Assim ou os automobilistas assumem as suas qualidades de contorcionistas entrando e saindo de estradas até descobrirem o segredo (do labirinto) atingindo o seu destino, ou então resta apenas sacar das carteiras e pagar a Via Rápida.

 

ÉGUA.jpg

Silves e a vaga de assaltos

(com um ocupante indevido)

 

Mas também para quem recentemente viu a sua casa assaltada e como se já não bastasse (já agora) ocupada – tendo que recorrer à GNR para reassumir a propriedade da mesma – e que ainda hoje vai verificar se entretanto já todos fugiram levando consigo um pequeno cachorro e uma égua branca bem bonita, posso dar-me por feliz por não ter ido também no meio da encomenda. Só tenho que reparar tudo (enquanto lá viviam iam roubando tudo o resto) e tentar explicar à vizinhança que a minha ausência forçada (durante 3 meses não pude lá ir e na verdade pelos antecedentes já tinha um certo medo) não tinha sido para Inglaterra, nem tinha entregado a casa (a eles) para dela tomarem conta. E provavelmente entregar o pobre cão e a pobre égua.

 

Como se vê o Algarve é em tudo igual a qualquer outra região. Seja no concelho de Albufeira ou no concelho de Silves (onde decorreu o assalto). Com as zonas de Lagoa e de Silves a serem das mais produtivas da região – no que toca a assaltos (repetidos e no mesmo local) acompanhados por vandalismo (demonstrando um total desprezo pelos outros e sabendo de antemão que ninguém os deterá). Mas como tudo, também tendo virtudes – apesar de serem cada vez mais difíceis de encontrar (em perfeito estado de conservação e respeitando a nossa cultura assim como a nossa memória): como o tempo ameno, a proximidade do mar, as suas praias tranquilas, a beleza rural interior, as saborosas sardinhas (grelhadas) e até os caracóis e as caracoletas (bem temperadas e com o peso certo de orégãos – fazendo com castelos e laranjeiras recordarmo-nos da presença Árabe.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:08
Sábado, 07 DE Novembro DE 2015

Repetição ou Erro (de programação)

Porque não queremos concluir que o nosso espaço de vida é uma simples réplica linear de uma outra vida, movimentando-se por sua vez no mesmo espaço?

 

Apresentando aleatoriamente um ou mais parâmetros distintos, sequencialmente originados pelo estado evolucionário de toda a transformação.

 

linguagem-de-programação.jpg

Qualquer um pode projetar a sua Realidade e torna-la acessível

 

Nesse sentido a História repete-se (no Espaço) da mesma forma que pela sua cronologia invariavelmente o nega (com o Tempo).

 

Duas verdades que se anulam e completam formando o Conjunto, criando mundos paralelos e confirmando o Infinito.

 

O Universo existe porque a Vida o alimenta.

 

(imagem: WEB)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:14
Quarta-feira, 01 DE Julho DE 2015

O Tempo, a Europa e Ceres

Enquanto por ALBUFEIRA o tempo se mantém abafado mas com uma ligeira brisa e na EUROPA o continente ainda vai lutando pela sua sobrevivência económica e financeira (hesitando em deserdar ou não um dos seus filhos), em CERES o panorama geral torna-se cada vez mais interessante e porventura misterioso.

 

we_jul12015_temperature_meteoearth_abn_f.jpg

A Europa sob uma forte vaga de calor
(este fim-de-semana com a temperatura a ultrapassar os 40ºC)

 

Enquanto somos avisados desde há vários dias que uma forte vaga de calor se encaminha para a EUROPA com temperaturas a atingirem e ultrapassarem os 40°C (já nesta quarta-feira se registaram temperaturas desse nível em PARIS), aproveitamos ao máximo este tempo abafado mas ainda com uma certa brisa fresca, que atravessa a região algarvia. Mas a partir do próximo fim-de-semana é que vai ser, com as previsões a apontarem para uma subida significativa de temperatura nos termómetros, acompanhada pela divulgação dos primeiros alertas especialmente orientados para crianças, idosos e pessoas debilitadas.

 

Numa outra área e num outro contexto o problema grego parece manter-se para já no mesmo nível altíssimo de temperaturas (e registando uma grande amplitude térmica entre a Grécia e o FMI), com diversas notícias a atravessarem o espectro informativo mundial, vindas do lado dos apoiantes da Grécia (de momento uma minoria na EU), dos críticos do SYRISA (de momento a esmagadora maioria da EU) e daqueles que sentados no sofá e por motivos muito diferentes, se puseram comodamente no papel de espectadores (de um lado o dueto EUA/UK e do outro o dueto RÚSSIA/CHINA). Notícias que vão desde a submissão total do SYRISA ao FMI, até à opção simétrica pelo perdão total da dívida grega.

 

Veremos o que se irá passar durante estes próximos dias, com o Governo grego a manter a data da convocação do referendo (marcado para o próximo fim-de-semana), ao mesmo tempo que a Europa ainda tenta segurar a Grécia (evitando a utilização do botão OUT) – e assim evitando que todos nós activemos em conjunto e definitivamente o botão OFF.

 

PIA19586_modest.jpg

A montanha com cerca de 5.000 metros de altitude
(mais de metade do Monte Everest)

 

Mas se a EUROPA só nos parece trazer problemas e preocupações, outros Espaços Exteriores à Terra ainda nos despertam curiosidade e nos levam a imaginar e até a sonhar: como é o caso do planeta CERES (localizado na Cintura de Asteróides) neste momento a ser escrutinado até ao pormenor pela sonda norte-americana DAWN. Desde luzinhas misteriosas, a montanhas com cerca de 5km de altitude, passando por estruturas estranhas ultrapassando o mais alto edifício terrestre, tudo parece estar a acontecer neste planeta anão que tal como PLUTÃO já foi um dos planetas principais do nosso Sistema Solar.

 

PIA19586_modest b.jpg  PIA19586_modest c.jpg

Manchas brilhantes em Ceres
(e escuras/imagem da direita)

 

E se vindo da Terra nunca esperamos que algo aconteça em nosso proveito e benefício, o que nos resta mesmo é aproveitar este tempo de férias e de lazer para nos divertirmos um pouco mais e nos orientarmos para outros guiões e cenários, como o poderão ser os temas passear, comer, ir para a praia (ou montanha), beber um cocktail e olharmos para o Céu. Tal como o foi no tempo dos Descobrimentos mais cedo ou mais tarde o ESPAÇO será o nosso destino: talvez CERES (ou até PLUTÃO) ainda nos façam sonhar (ou ter pesadelos).

 

(imagens – The Watchers e NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:30

pesquisar

 

Julho 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
15
19
20
21
22
24
25
27
28
29
30
31

comentários recentes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro