mais sobre mim

subscrever feeds

Sexta-feira, 30 DE Dezembro DE 2016

Um Mundo Perdido no Tempo

Apesar de todo o Espaço que nos compõe e rodeia

 

58657633c46188305c8b45c9.JPG

Aleppo a 25 de Dezembro de 2016

Numa Sociedade destruída por adultos onde as Crianças poderão ser a única Esperança

(imagem: Khalil Ashawi/Reuters.com/rt.com)

 

Quando assistimos à assinatura do acordo triplo estabelecido entre a Rússia, o Irão e a Turquia no sentido de em colaboração com o regime governamental sírio e as forças rebeldes e de oposição chegarem a um acordo para pôr fim ao conflito instalado há já 5 anos na Síria, para além do que de bom ou de mau possa advir do acordo agora alcançado e que todos esperam vir a ser desenvolvido o mais rapidamente possível, a pergunta que toda a gente se coloca e que pelos vistos nunca parece ter resposta (pense cada um o que pensar sobre o assunto) será: mas afinal de contas qual é o verdadeiro papel da permanência dos USA nesta região?

 

Numa repetição tornada banal de muitos outros conflitos armados contando com a participação dos US, uma vez mais, face ao tempo decorrido e sabendo-o sem solução à vista, os norte-americanos saem de novo derrotados na sua estratégia de intervenção e no seu objetivo de manutenção da supremacia global: tal como na sua derrota na Guerra do Vietnam ainda no século passado (1959/1993) abandonando os seus aliados, entregando-os aos seus inimigos e iniciando também aí (danos colaterais) o engrandecimento da China.

 

Agora numa negativa e vergonhosa demonstração de força física e moral, já que depois de mais de 5 anos de Guerra Civil Síria sem nada acontecer senão mais morte e destruição e sabendo-se da forte intervenção dos US na região (armamento) contando com apoio turco (criando portas) e saudita (financeiro), se vêm numa posição ridícula e confrangedora de continuarem envolvidos num conflito onde já não são parte senão em certos guiões: como o poderá ser o da ONU mas que eles tanto desprezam.

 

Cessar-Fogo na Síria

A Melhor Notícia de NATAL

 

snapshot 1.jpg

 

snapshot2.jpg

snapshot.jpg

Sem problemas de mostrar ao mundo a felicidade das crianças sírias

Mesmo com imagens oriundas de uma estação russa comandada por Putin

(Maria Finoshina/rt.com)

 

Já no século XX (e entre outras) com a Guerra do Afeganistão (iniciada em 2001), com a Guerra do Iraque (iniciada em 2003), com a Guerra na Líbia (iniciada em 2011) e com a Guerra contra o Estado Islâmico (iniciada em 2014) e envolvendo diretamente a Síria, todos vistos como exemplos de Vitória (dos US e seus aliados) e no entanto pelas suas consequências contínuas e persistentemente dramáticas (até para a aparentemente longínqua Europa) evidentemente registadas como clamorosas Derrotas (terríveis por também o serem morais).

 

E assim no final do ano de 2016 e a cerca de 3 semanas da saída de Obama e da entrada de Trump (respetivamente como ex-Presidente e Presidente dos USA – o que o 1º parece não ter ainda entendido muito bem), assistimos a mais um episódio deprimente de mais uma Administração Norte-Americana de saída e desrespeitosa (principalmente para aqueles que representam e votaram neles), tentando torpedear Trump e o seu futuro Governo (na sua ação face aos russos e a Putin) e no entanto esquecendo-se do seu fabuloso fracasso (talvez criminoso – afinal de contas Obama tal como Kissinger/associado a crimes de guerra no decurso da conflito no Vietnam, recebeu um Nobel da Paz) – o último e brutal na Síria.

 

snapshot3.jpg

Finoshina has been covering the Syrian conflict visiting the war zone with the Syrian military.

 She has even interviewed militants from Islamic State.

(rt.com)

 

Ficando-se agora à espera da cerimónia de tomada de posse do novo Presidente dos USA (enquanto Obama se vai entretendo a expulsar russos enviando-os para junto de Putin) para confirmarmos se ao contrário do pretendido pelos Democratas e conforme afirmado por aquele que será Presidente a 20 de Janeiro – mas dito antes de ser eleito – a atitude perante a Rússia mudará, aceitando-os para o diálogo, para novas conversações e talvez para outro e renovado equilíbrio mundial. Mesmo com os Estados Unidos por cima mas reconhecendo outros eixos e o seu real poder (como a Rússia e a China). Até lá com águas revoltas de base aleatória (democrata) que tanto poderão dar em nada (umas expulsões de agentes) ou então em algo de mau (na morte do boneco).

 

E nunca se esqueçam que os Sírios são Gente como Nós.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:05
Terça-feira, 20 DE Dezembro DE 2016

Contra-Ataque do EI

Com a América a Mudar e a Europa sempre no Caminho

(agora Berlim)

 

“Russia’s ambassador, Andrey Karlov, 62, was shot and killed in the Turkish capital while delivering a speech at an exhibition hall on Monday. The man who assassinated the Russian diplomat was identified as a 22-year-old Turkish riot police officer.” (rt.com)

 

585820ca1c00000a070ec5a3.jpeg

Segurança que terá assassinado a tiro e pelas costas o embaixador da Rússia na Turquia

 

Numa resposta imediata à entrada das forças do exército sírio apoiadas pela força aérea russa na cidade martirizada de ALEPPO (falando da inocente população civil apanhada entre forças pró-russas apoiando o ditador Bashar al-Assad e pró-norte-americanas apoiando os terroristas do Exército Islâmico), um dos lados como sempre escondendo-se atrás dos seus associados no terreno e desse modo aparecendo de uma forma aparentemente inocente como uma terceira parte neutra e negociadora, acaba de cumprir a ameaça velada e recentemente veiculada pelo seu ainda representante máximo (Barack Obama) como resposta à pretensa intromissão russa e do seu presidente (Vladimir Putin) nas Eleições Presidenciais dos EUA (apoiando Donald Trump e minando a campanha de Hillary Clinton): sugerindo através de uma expressão bem explícita (para quem o quis ouvir e face à evolução registada em Aleppo) que a Rússia não teria que esperar muito tempo até ter uma resposta apropriada executada por parte dos norte-americanos.

 

E como a voz do dono chega sempre e em primeiro lugar aos seus súbditos mais leais (fundamentalmente aos mercenários que aceitam matar por dinheiro para a concretização de uma ideia que nem é sua) eis que os executores o ouviram e passaram de imediato às ação (entendendo que a autorização superior tinha-lhes efetivamente sido dada). De imediato surgindo nos noticiários de todo o mundo e ainda antes de terminar o ano (ainda-por-cima na quadra natalícia e nas vésperas de mudanças radicais na administração norte-americana) o atentado em Aleppo, o assassinato do embaixador russo e finalmente (para já) o atentado em Berlim.

 

585820cb1800002c00e43705.jpeg

Gritando palavras de ordem com o embaixador russo já morto e prostrado a seu lado

 

Nestes três episódios de mais esta série violenta e mortal envolvendo dois grupos poderosos e fortemente armados (aplicando-se intensamente sobre um território e população indefesa de modo a mantê-los subjugados) e tendo como protagonista evidente e dedicado o Estado Islâmico (do outro lado estando Bashar), com estes últimos a ameaçarem de morte a população síria (em fuga de Aleppo e entalados entre forças do Governo e terroristas), a Rússia (apoiando o inimigo centrado na figura de Bashar) e todos os outros que de uma forma ou de outra não os apoiando, naturalmente estarão contra eles sendo como consequência óbvia infiéis a abater (à sua causa se é que existe alguma senão a manutenção da supremacia dos grandes interesses e das grandes potências): o Ocidente e sobretudo a Europa.

 

Com o Mundo a ter que se sujeitar à apresentação de episódios como este, como se já não soubéssemos que se tornou banal, matar qualquer homem que seja: esteja ele na base ou no topo mas desde que contrarie alguém. Um verdadeiro retrato da nossa condição atual: sem valores a não ser o dinheiro. Deixando-nos perplexos por ninguém nada fazer (com poder para tal) mesmo com a carruagem a continuar a rolar impávida e serena em direção ao abismo.

 

[Com a Alemanha a utilizar a Europa sem usar preservativo: lixando-nos e lixando-se a ela.]

 

(imagens: huffingtonpost.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:25
Domingo, 21 DE Agosto DE 2016

A Criança- Suicida

Enquanto vamos a banhos no Algarve e nos entretemos com as Olimpíadas do Rio:

Turquey wedding suicide bomber "was child aged 12-14"

(num casamento uma criança-bombista fez-se explodir matando mais de 50 pessoas)

 

_90865189_034887696-1.jpg

Na manhã seguinte ao atentado mulheres choram à porta da morgue de Gaziantep

(este Domingo)

 

Com toda a sociedade civil da TURQUIA agora constantemente ameaçada, cercada e asfixiada pelas milícias armadas (legais ou ilegais) ao serviço da sobrevivência do ditador ERDOGAN – especialmente a partir do Golpe Militar para o derrubar supostamente levado a cabo por GULLEN e com apoio dos EUA – sucedem-se os atentados um pouco por todo o país. E assim após um aparente e delirante Golpe Militar levado a cabo por setores da oposição e pelos seus aliados norte-americanos (que deixou toda a sociedade turca paralisada com prisões e despedimentos em massa em setores fulcrais da sua sociedade não só pública como privada), no final expresso com uma derrota em toda a linha dos golpistas e dos seus poderosos aliados (internos e externos), eis que a violência persiste tanto externa como internamente: com mais um atentado bombista levado a cabo numa localidade perto da fronteira Síria (em GAZIANTEP – do outro lado da fronteira fica ALEPO a pouco mais de 120Km), provocando entre os participantes de um casamento curdo mais de 50 mortos e com o bombista-suicida a ser uma CRIANÇA (12/14 anos) ligada ao Estado Islâmico (ISIS).

 

_90864435_gaziantep.jpg

As ruas de Gaziantep cheias de gente e ambulâncias após a ocorrência do atentado

(este Sábado)

 

Claramente considerando este atentado mais um aviso dirigido ao poder centralizado em torno do líder do AKP no Governo (o antigo Democrata progressivamente elevado na hierarquia do poder e pós-golpe metamorfoseando-se em seu Ícone e Ditador absoluto), agora que ERDOGAN se reaproxima da Rússia e de PUTIN (com a China, o Irão e até a Arábia Saudita à espreita, estrategicamente para ver o que dá mais), afastando-se dos EUA, dos seus paus-mandados europeus e até dos terroristas do Estado Islâmico (ou DAESH). Mais um reflexo do retrocesso da influência estratégica e da supremacia global dos EUA registado nos últimos tempos um pouco por todo o Mundo, não se querendo convencer que o Mundo não é mais Unipolar (como quis acreditar com a queda da URSS) e que para se vencer e conquistar no futuro (como no presente) a melhor maneira é conversar (e não ser bruto nem matar). E se pensarmos que a partir de 2017 os EUA estarão entregues nas mãos de um CLINTON ou de um TRUMP (infelizmente as duas faces da mesma moeda o DÓLAR), dá mesmo para pensar que o APOCALIPSE está a chegar.

 

(imagem: REUTERS e STR)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:32
Sexta-feira, 29 DE Julho DE 2016

A Casa-Forte do Ditador

“Promovendo-se a ditador ERDOGAN está a construir à sua volta o BUNKER que o irá esmagar.”

 

201672811710.jpg

ERDOGAN – de Democrata a Ditador

 

Após o pretenso e fracassado Golpe Militar levado a cabo no passado dia 15 de Julho na TURQUIA, o que se pode concluir deste Evento (desde as primeiras e poucas horas que o golpe durou) é que se o objetivo era mesmo derrubar ERDOGAN o que na realidade aconteceu foi precisamente o contrário: a vítima indicada saiu vencedora e os golpistas obliterados (no sentido em que até os neutros – contra o golpe mas opondo-se ao regime – ou foram presos, despedidos ou mortos).

 

Turkey-594442.jpg

POLÍCIA – os novos Heróis da Turquia

 

Duas semanas após o Golpe ter sido executado (sem líderes e sem sucesso), com mais de 100.000 pessoas despedidas, presas, ou em fuga (já não contando com o número de vítimas no decorrer e após o alegado golpe militar), com milhares de escolas e outras instituições encerradas e sem saberem o que fazer (com os seus jovens estudantes e famílias), com verdadeiras purgas a estenderem-se de uma forma crescente por todas as classes da sociedade turca e até com alegações de tortura e um projeto do Governo para a reintrodução da pena de morte.

 

1429142_630x354.jpg

MILITARES – os mais recentes traidores da Pátria

 

Um caso intrigante de sucessão (numa Democracia Europeia) no qual uma estrutura querendo reforçar o poder do seu líder se ausenta por momentos do cenário representando-o simbolicamente (mas não as suas verdadeiras armas e todos os restantes ativos) – como por exemplo indo de férias – virtualmente deixando-a sem comando e nas mãos de potenciais intrusos, sem visão e oportunistas (muito semelhante à estratégia da aranha): terminando no final com a morte do artista (o rebelde e ingénuo inseto) como mais uma das vítimas às mãos do opressor (a poderosa aranha).

 

(imagens: jaagtv.com/express.co.uk/abc7ny.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:16
Terça-feira, 26 DE Julho DE 2016

Os EUA queriam Matar ERDOGAN

E talvez seja essa a rasão orquestrada pela paranoia dos Vencedores (rodeando o seu ícone Erdogan) pela qual os renovados líderes da TURQUIA fecharam o espaço aéreo em torno da base norte-americana instalada em INCIRLIK (definitivamente com medo dos helicópteros).

 

“Members of special units, backed by three helicopters, stormed the hotel where the President was on vacation to take or assassinate him, about 15 minutes after he left. By that time, the President was flying to Istanbul with his family. The presidential guard clashed with the pro-group faction before several of them fled through the mountains.” (yenisafak.com)

 

resized_43d16-3c75285dcampbell.jpg

General John F. Campbell

 

Segundo as últimas informações recolhidas e agora divulgadas pelo diário turco YENISAFAK (diário online pró-governamental de ideologia islâmica-conservadora), o pretenso GOLPE de Estado Militar levado a cabo no passado dia 15 de Julho na TURQUIA, terá tido como uma das figuras principais o ex-Comandante das Forças Armadas dos Estados Unidos da América: o General JOHN F. CAMPBELL. Terá sido este prestigiado militar norte-americano ainda há pouco tempo ao serviço numa operação levado a cabo pela NATO no Afeganistão, que terá organizado e feito a gestão dos militares, posteriormente mandando-os para o terreno e pondo o Golpe em curso – para além da sua participação financeira na sua preparação e execução, distribuindo dinheiro por todos os apoiantes do golpe militar: 2 BILIÕES de dólares recebidos via CIA.

 

resized_963da-07fb3959ssssssssssssssssssssssssssss

Soldados alegadamente envolvidos na tentativa de assassinato de Erdogan

 

Assim, depois da seleção e escolha dos candidatos mais visíveis e mais bem colocados no momento (situação que curiosamente o tal golpe lhe proporcionou), ERDOGAN designou como símbolos dos seus maiores inimigos: internamente o clérigo oposicionista islâmico FETHULLAH GULEN (exilado nos EUA) e externamente via comandante John Campbell os EUA. Entretanto não param as prisões, os despedimentos, os encerramentos, a suspensão dos direitos e todas as outras formas de coações e opressões, julgadas ainda há pouco impossíveis e mesmo inimagináveis: como se uma espessa e pesada camada de nuvens se tivesse despenhado na Turquia cobrindo todo o mal e escondendo todos os crimes. Num país onde ainda há poucos dias os seus líderes políticos insistiam em entrar com plenos direitos no espaço da União Europeia (e com o apoio de alguns desses países já integrados na UE) e onde agora reina um regime não democrático dirigido pelo antes democrata e agora ditador ERDOGAN.

 

0,,19300105_403,00.jpg

Presidente do Bundestag Norbert Lammert

 

Enquanto tudo isto se passa pondo mais uma vez em causa a segurança interna e externa de toda a EUROPA, os países súbditos da ALEMANHA aguardam impacientemente que ANGELA MERKEL se pronuncie sobre a sucessão inquietante de incidentes – já no seu próprio país e com tendência para alastrar. Ou não fossem estas as preocupações de NORBERT LAMMERT presidente do Parlamento Alemão, aqui referidas no diário online DW sob o título Alarm in Germany over Turkey: “Turkey is distancing itself ever more from Europe through mass arrests and official sackings, says German parliament speaker Norbert Lammert. A German historian says events in Turkey echo Hitler's 1933 seizure of power.”

 

(imagens: yenisafak.com e dw.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:47
Sexta-feira, 22 DE Julho DE 2016

Turquia – Matar não é Solução

Depois do Iraque e da Síria talvez a vez da Turquia!

 

“Se antes do pretenso golpe militar Erdogan ainda era obrigado a manter a torneira relativamente controlada (no fluxo e refluxo fronteiriço entre a Turquia e a Síria – com refugiados, terroristas, armas e petróleo a cruzarem-se na canalização), após este último episódio (de suicídio golpista) vê-se agora justificado e completamente de mãos-livres. A Alemanha que se proteja contra uma vaga de atentados.”

 

CnwXHaiXEAACSFI.jpg

Consequências de mais um ataque aéreo no interior do território da Síria

Levado a cabo pela coligação liderada pelos EUA

 

Para aqueles que ainda têm dúvidas sobre a virtude da utilização de armas para a resolução de conflitos, basta olhar para a imagem seguinte com um mínimo de atenção e de sensibilidade animal (afinal de contas os animais só matam por necessidade/para comer), para imediatamente se compreender que de armas só se socorrem os assassinos.

 

Como é o caso deste momento brutal e criminoso aqui exposto como testemunho e em papel, demonstrando como ataques aéreos lançados contra os terroristas do ISIS por potências exteriores ao conflito (neste caso os norte-americanas como poderiam ser os russos) acabam por se transformar em verdadeiros genocídios de civis.

 

Levado a cabo nas proximidades da localidade síria de Manbij (pretensamente num bombardeamento a locais controlados por grupos de terroristas), mas que no final acabou por provocar a morte de dezenas de inocentes civis, por azar aí presentes como sua terra de nascimento. Como milhares de outros casos (com velhos, mulheres e crianças) nunca relatados.

 

Num momento de grande gravidade e tensão para todo o Mundo e para todos os seus 7 biliões de habitantes, em que uma Guerra Civil generalizada que se estende por todo o território do Iraque e da Síria desde há já vários (e muitos) anos, se prepara por contágio e com a colaboração preciosa de mais um ditador (já numa fase de purgas pós-golpe) para alastrar à Turquia.

 

BREAKING NEWS:

Police suspect terror in Munich mall shooting amid reports of at least 6 dead

Hunt for one or more shooters underway

(foxnews.com)

 

(imagem: Twitter/Haidar Sumeri/@iraqsecurity)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:15
Sexta-feira, 22 DE Julho DE 2016

O Grande Golpe do Ditador Erdogan

“E enquanto o presidente turco ERDOGAN endurece o seu regime (ditatorial), os EUA de OBAMA esperam (para gerir) e a EUROPA de MERKEL morre de medo (até de falar).”

 

3667.jpg

O BOM

Presidente da Turquia – Recep Tayyip Erdogan

(no poder há 13 anos como 1ºMinistro e Presidente)

 

Quando na noite de sexta-feira dia 15 as televisões de todo o mundo começaram a falar de um Golpe Militar em curso na Turquia, a maioria das pessoas minimamente informadas sobre os acontecimentos a decorrer nesta zona do globo, acharam desde logo que algo de estranho se passava: como era possível um regime construído em torno de uma figura carismática e todo-poderosa dominando atualmente e em absoluto toda a estrutura do poder no interior do seu território, distrair-se de tal forma pondo a sua vida em causa. Ainda-por-cima num período de aparente viragem de direção e estratégia política do intocável presidente Erdogan e no preciso momento em que a Turquia se reaproximava da Rússia, tentando de algum modo afastar-se do problema da Guerra Civil a decorrer na Síria.

 

“Um Golpe em que o vencedor se confunde com a vítima e estrategicamente apresentando um plano extremamente brilhante e ainda-por-cima sem grandes chefes para culpar.”

 

103393963TurkishSoldiersNEWS-large_trans++eo_i_u9A

OS PORCOS

Jovens militares pertencentes ao Exército da Turquia a serem atirados deliberadamente, sem qualquer tipo de preparação e como bodes expiatórios, às feras da política turca atualmente no poder

(ou seja Erdogan e os súbditos do seu partido AKP)

 

Um golpe que (dadas as circunstâncias e factos comuns a muitos destes acontecimentos) só poderia ter sido levado-a-cabo pelos apoiantes do Governo, pelos apoiantes da Oposição ou então pelos militares (com uma possível quarta hipótese a poder muito bem ser a de um golpe conjunto Governo e ISIS, necessária e minimamente com o conhecimento dos EUA). E que na sua apresentação às ideias que pretendia difundir, pediu ao povo já tanto sofrido e que desejava sobretudo servir (o pretexto de todos os golpistas), para não se expor outra vez ficando protegido em casa (exclusivamente com esta atitude cometendo Haraquíri). Tendo nas consequências à vista, a resposta para todas as dúvidas (ainda hoje sem se conhecerem os cabecilhas do golpe): um Contra Golpe Ilusório como segunda fase do Golpe.

 

“Numa estratégia dúplice pós-golpe em que Erdogan chega a acusar o piloto que abateu o caça russo de ser simpatizante do ISIS (para satisfazer a Rússia), ao mesmo tempo que manda prender todos os militares anti-ISIS (para satisfazer os terroristas).”

 

3975.jpg

O MAU

Clérigo líder da Comunidade Islâmica na Turquia – Fethullah Gulen

(exilado nos EUA)

 

Excluindo como autores do Golpe os Opositores e alguns Militares. Uns porque mesmo críticos (do regime) se opuseram ao golpe, outros porque dos militares só vimos jovens a levar (sem se poder identificar a hierarquia golpista). E se não fosse mais nada pelo início da caça-às-bruxas com milhares de demissões, fugas, mortes ou prisões – neste momento de loucura a caminho dos 100.000. Com a declaração por três meses do estado de emergência e com a suspensão da convenção (europeia) dos direitos do Gomem na Turquia. Num tempo alucinante da História da Turquia (que a poderá lançar por contaminação num clima de Guerra Civil) em que um ditador aproveita para seu benefício a situação periclitante de uma sociedade por si próprio manipulada, dividida e sobretudo asfixiada, socorrendo-se de uma situação pelo mesmo propiciada (senão mesmo oferecida) de modo a assim se reforçar, eternizar e eliminar os seus inimigos.

 

“Restando ficar à espera da reação ao golpe por parte da hierarquia militar turca – agora que a sua credibilidade é mais uma vez posta em causa (militares esses mais utilizados do que participantes no golpe do último fim-de-semana); e da atitude a tomar face à evolução futura deste golpe por parte dos EUA (devido à presença do clérigo turco Gulen em território norte-americano, um exilado político e suposto líder do golpe).”

 

(imagens: theguardian.com/telegraph.co.uk e AP/GETTY IMAGES/REUTERS)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:18
Sábado, 16 DE Julho DE 2016

A Farsa Turca – O Pseudo-Golpe-Militar

Um Golpe Militar com um único objetivo: mudar de direção salvaguardando Erdogan.”

 

http _im.ft-static.com_content_images_25072cfe-01b

E a Vitória esmagadora foi para a Vítima do Golpe

Recep Tayyip Erdoğan

 

Num cenário global pré-apocalíptico onde o rácio população/matéria-prima se tornará obrigatoriamente no único parâmetro de sobrevivência da nossa espécie – neste momento tendo já ultrapassado os 7 biliões de indivíduos – e tendo em consideração que os EUA ainda são de longe a maior potência militar existente à face da Terra (apesar de estarem agora a ser ultrapassados a nível económico pela China), é do seu interesse exclusivo como suprema entidade mundial e no sentido de manter indefinidamente a sua supremacia global, tratar de todos os pormenores e antecipar certos problemas.

 

Como parece confirmar este filme de origem turca – que há apenas 24h não passaria para a esmagadora maioria dos críticos de um filme de antecipação/ficção científica – mas que na verdade retrata uma realidade pré-fabricada pelos insuspeitos do costume de modo a reforçar poderes (os seus) e eliminar (de vez) obstáculos (os outros). Pelo que o Golpe Militar de 15 de Julho na Turquia tendo como objetivo aparente derrubar o regime e o seu presidente Erdogan – e analisando toda a evolução do golpe, os seus vencedores e os derrotados – só poderia ter mesmo uma parte interessada: o próprio regime e o seu Presidente.

 

Razão pela qual toda esta encenação montada em torno de um pretenso golpe militar onde são alguns milhares de militares mais novos que são atirados para o terreno e entregues sem qualquer tipo de preparação às feras – ainda agora não se conhecendo nenhum dos seus principais cabecilhas – não convence ninguém, parecendo mais o início de mais uma fase de implementação e consolidação do poder do regime atual centrado no seu presidente, agora que Erdogan acabara de reconhecer alguns dos seus maiores erros e queria mudar radicalmente (mas sem se contradizer e sair).

 

“E assim em menos de 12 horas se descobrem soluções – há custa de mais umas centenas de mortos (a caminho dos 300), mais uns milhares de feridos (a caminho dos 1500) e muitos outros milhares de prisioneiros.”

 

Ficando-se agora a aguardar pela chegada de novas notícias, para desse modo se prever o futuro da Turquia – de toda a região, da Europa e do Mundo. Mas nunca desta maneira: “Erdogan prometeu limpeza e ela já começou” (rr.sapo.pt)

 

(imagem: ft.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:02
Sexta-feira, 15 DE Julho DE 2016

Golpe de Estado Militar na Turquia

"The power in the country has been seized in its entirety."

 

Turkey-coup.jpg

Istambul

(foto: AFP)

 

Aparentemente na sequência do atentado do 14 de Julho em NICE (que provocou mais de 80 mortos e de 100 feridos) e como consequência logica dos sucessivos atentados extremamente sangrentos registados nos últimos tempos na TURQUIA (pelos extremistas curdos e pelos terroristas do Estado Islâmico), o Exército Turco está neste momento a levar a cabo um Golpe de Estado Militar de modo a derrubar o regime atualmente no poder sob a direção do Presidente (e ditador) ERDOGAN.

 

No preciso momento em que o Secretário de Estado dos EUA JOHN KERRY se encontra numa visita de dois dias a MOSCOVO para pretensamente discutir com o Ministro dos Estrangeiros da Rússia SERGEY LAVROV a situação atual na SÍRIA e novas e decisivas formas de cooperação conjunta para o fim da GUERRA CIVIL e o início da pacificação do MÉDIO ORIENTE. Uma nova porta de esperança para todo o Mundo especialmente para a EUROPA, caso os militares cumpram a promessa enunciada desde os primeiros momentos do golpe:

 

"In order to ensure and restore constitutional order, democracy, human rights and freedoms and let the supremacy law in the country prevail, to restore order which was disrupted."

 

(texto/negrito e imagem: jamaicaobserver.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:14
Quinta-feira, 30 DE Junho DE 2016

Sinais para a Europa

Como um Sintoma da sua Doença

(de um Continente por Sinal Paralisado)

 

aljazeera.com.jpg

No aeroporto internacional de Istambul o massacre foi cometido à entrada do mesmo

Não no seu interior como o sucedido em Bruxelas

Com os passageiros completamente expostos

E ainda no exterior do perímetro de segurança

 

Enquanto a Grã-Bretanha prossegue o seu caminho já há muito desenhado de abandono progressivo da UE – sendo o referendo BREXIT apenas mais um dos episódios desta tão elaborada SAGA – por seu lado a Alemanha lá continua toda entretida com a sua liderança económica e financeira da EUROPA, agora podendo contar adicionalmente com a grande possibilidade da fuga de alguns nichos de mercado de Londres para Frankfurt, fortalecendo ainda mais o seu poder de decisão, a sua capacidade de controlo e sobretudo a sua eficácia (por imposição) de orientação ideológica (entendendo-se exclusivamente como económica e financeira e desprezando todos os aspetos sociais – especialmente fora da Alemanha).

 

35C4A4DE00000578-3664710-image-a-51_1467159863128.

Um dos atiradores e bombista-suicida

Iniciando o ataque com rajadas de Kalashnikov

E concluindo-o com a sua própria explosão

 

Assim de um lado temos agora a Alemanha (e todos os países ricos do norte), do outro lado todo o resto da Europa (com a França e todos os países pobres do sul) e resguardados no seu canto, na sua ilha da Europa, a independente Grã-Bretanha. Tendo ainda de um dos lados a Rússia e do outro os EUA. Num momento em que surgem muitos pontos em comum com o tempo que antecedeu o início da última grande guerra mundial – substituindo-se apenas nesta nova e brutal guerra (para já económica) os povos de leste pelos povos do sul, mas agora com a projeção futura a não ser o da reconstrução do Eixo Europeu mas a do seu abandono e substituição pelo Eixo Asiático. Ou não fosse esse o desígnio há muito assumido pelos norte-americanos.

 

x.jpg

Um dos bombistas-suicidas após ser abatido a tiro mas estando ainda vivo

Segundos antes de fazer deflagrar o seu cinto explosivo

E com o segurança que o atingiu a fugir de imediato

Ao aperceber-se do que iria acontecer de seguida

 

E assim chegamos ao atentado levado a cabo ontem ao final da noite no aeroporto de Istambul – neste momento com as vítimas a aproximarem-se dos 50 mortos e 200 feridos – pretensamente levado a cabo pelos terroristas do Estado Islâmico num momento em que os mesmos começam a recuar tanto no Iraque (com a intensificação dos bombardeamentos norte-americanos) como na Síria (devido aos fortes bombardeamentos russos), obrigando-os à prática de outros exercícios de violência brutal, paralela e para eles (necessariamente e como mecanismo de autodefesa) complementar – deslocando-os do palco de guerra para o palco de alguns dos seus financiadores (mas respeitando sempre e até à morte o patrocínio da Arábia Saudita). E logo na altura em que de novo se reatavam as relações entre a Rússia e a Turquia, com o pedido de desculpa do presidente turco Erdogan a ser enviado finalmente e pelo próprio ao seu homólogo russo Putin.

 

f_turkey_passrunning_160628.nbcnews-ux-1240-700.nb

Fugindo à explosão que se previa eminente

Face à presença de um dos três bombistas-suicidas

(com outro nas proximidades e o terceiro na entrada do metro)

 

Um atentado tendo de novo como alvo um aeroporto internacional europeu – neste caso o de ATATURK em Istambul – onde circulam atualmente cerca de 60 milhões de passageiros por ano oriundos de toda a parte do mundo: considerado o 11ºaeroporto com maior tráfego de passageiros a nível mundial e o 3º do continente europeu. Na sequência e em tudo idêntico ao atentado ocorrido há pouco mais de três meses no aeroporto de ZAVENTEM localizado na capital da Bélgica (Bruxelas a 22 de Março), também atingindo uma estação de metropolitano neste caso situada perto do Parlamento Europeu (e de outras agências associadas). Provocando com o seu triplo ataque (dois bombistas suicidas no aeroporto e um outro no metro) quase 300 vítimas entre mortos (mais de 30) e feridos (mais de 250).

 

5oyjznnde6zb_-d4lah6usy7qstzlq7p-xlarge.thefinance

O momento de uma das explosões

Registada pelas câmaras de vigilância do aeroporto

Com as pessoas a serem apanhadas na sua fuga desesperada

 

No aeroporto de Ataturk com o ataque terrorista a ser levado a cabo por três operacionais (fala-se de testemunhas que terão visto na altura do atentado um outro grupo suspeito em fuga), que certamente terão tido colaboração no próprio local do atentado de modo a aí se poderem infiltrar com maior facilidade (mesmo que no perímetro exterior de segurança) e transportando consigo e sem que fossem detetadas armas de tiro como as automáticas KALASHNIKOV e cinturas carregadas de explosivos à volta dos seus corpos de bombistas-suicidas: de momento a caminho de bater o número de vítimas registadas na Bélgica com cerca de 40 mortos e 240 feridos a registar (para já). Com dois dos operacionais a fazerem-se explodir à entrada do aeroporto e o terceiro numa entrada de metro aí existente.

 

160628203010-19-istanbul-ataturk-airport-explosion

Com a Turquia a ser o único país a servir de muralha

Ao avanço do conflito no Médio Oriente

E simultaneamente perante a fuga há muito iniciada pela GB da EU

Os povos da Europa vêm-se agora cada vez mais perdidos e ignorados no seu próprio continente

 

Apêndice

 

Entretanto, como responsáveis e incapazes que sempre foram (politicamente) e como sempre (e incompreensivelmente) de costas voltadas para a Realidade (que também ajudaram a criar), eis que a Europa se vira para a Ilha (o BREXIT inglês) e ignora o Continente (o MASSACRE turco) – levando um murro na mona (na Grã-Bretanha) e mais um tiro no cu (na Turquia)!

 

E com a distância entre Bagdad e Lisboa (dois limites do Califado) a ser cada vez mais curta e perigosa: antes ficando em Bagdad (a 4.800Km no Iraque) agora em Istambul (a 3.200Km na Turquia).

 

“1/3 Da Viagem e já com Batedores (para os restantes 2/3) ”

 

Num atentado certamente levado a cabo pela fação moderada dos mercenários e terroristas associados ao Estado Islâmico – e como tal certificados pela CIA ou pelo Pentágono e com a garantia da chancela dos EUA e a bênção sagrada da Arábia Saudita (com a Europa como beata ou como simples sacristão).

 

(imagens: aljazeera.com/dailymail.co.uk/youtube.com/nbcnews.com/thefinancetimes.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:32

pesquisar

 

Outubro 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
19
22
24
25
26
27
28
29
30
31

comentários recentes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro