mais sobre mim

subscrever feeds

Terça-feira, 03 DE Janeiro DE 2017

US, Koch, Trump & World Millionaires

Para quem ainda pensa que Donald Trump não tem nada na cabeça, resolvendo tudo no momento por mero instinto e sem critério, deverá pensar duas vezes (já que à 1ª irá apenas replicar informações recebidas) o motivo pelo qual é milionário e Presidente dos US: talvez por conhecer todos os caminhos possíveis (e impensáveis) de como se chegar ao poder, reconhecendo os adversários e chamando a si os seus amigos (de negócios). E o que é que se poderia esperar de uma Nação gerida por Homens em nome do Dinheiro? Religiosamente e um pouco antissistema (como a Bíblia um conglomerado de Bem e de Mal) aplicando delicadamente a norma de base cristã (e aqui vista como moeda de troca) “Olho por Olho, Dente por Dente”.

 

5f41fcf8894a405ea68352133c1c5a05_XL.jpg

Donald Trump

(superstation95.com)

 

Sendo o caso dos irmãos KOCH (milionários) um exemplo dessa evidência,

 

Koch network refusing to help Trump

(31 JUL 2016 – breitbart.com/AP)

 

Que certamente continuará a alastrar na sociedade norte-americana – agora nas mãos de Trump (outro dos milionários) e fora das mãos dos Clinton (e da hierarquia Republicana). Com o verdadeiro problema a surgir (para a generalidade da classe média e classe baixa norte-americana – a esmagadora maioria) quando chegar a vez do povo. Senão olhemos a cena para já só para ver (e rever), sorrir e mais tarde chorar (pelas consequências) – e logo no Twitter:

 

29 JUL 2015

I really like the Koch Brothers (members of my P.B. Club), but I don't want their money or anything else from them. Cannot influence Trump!

 

2 AGO 2015

I wish good luck to all of the Republican candidates that traveled to California to beg for money etc. from the Koch Brothers. Puppets?

 

28 FEV 2016

While I hear the Koch brothers are in big financial trouble (oil), word is they have chosen little Marco Rubio, the lightweight from Florida

 

28 FEV 2016

Little Marco Rubio, the lightweight no show Senator from Florida, is set to be the "puppet" of the special interest Koch brothers. WATCH!

 

30 JUL 2016

I turned down a meeting with Charles and David Koch. Much better for them to meet with the puppets of politics, they will do much better!

 

ap_ap-photo-1700-640x444.jpg

Charles Koch

(breitbart.com/AP)

 

Não significando que a partir das afirmações proferidas por KOCH e das réplicas emitidas via TWITTER por parte de DONALD TRUMP (uma forma de vingança contra a campanha anti-Trump promovida pela generalidade dos Media norte-americanos), um deles tenha a razão (do seu lado) ou seja melhor do que o outro (apesar de um deles dizer ao que vem/KOCH enquanto o outro ainda se vê pensando/TRUMP). E sabendo-se que se este (DT) é uma grande incerteza (talvez por isso mesmo perigosa), com KOCH seria bem pior como o demonstram as ideias segundo ele a implementar: iniciando-se com uma campanha feroz contra a Administração Obama e a sua tentativa de melhorar as condições mínimas de sobrevivência de todos os cidadãos norte-americanos (no ensino, na saúde, nas leis do trabalho, no apoio e solidariedade social) e contrapondo como alternativa ao dispendioso e financeiramente incomportável programa Presidencial (como se os US não imprimissem moeda) – de modo a segundo ele e outros grupos restritos de milionários melhorar a economia e as finanças dos US – por um lado um novo decrescimento nos custos do trabalho (essencialmente nos impostos e no custo da mão-de-obra – diminuindo impostos/patrões, pagamentos e direitos/assalariados) e por outro a total liberalização (talvez até ao nível da pura e então banal selvajaria) e progressiva discriminização e perseguição (tornando legal o então aí ilegal e integrando-o na contabilidade global) até dos traficantes de droga (como poderiam ser os de crianças, os de mulheres, os de armas e até os de órgãos). E tendo atrás de si milionários rebeldes como ele (KOCH) que não gostam de outros como o outro (TRUMP): “Amigos, amigos, negócios à parte”.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:41
Terça-feira, 03 DE Janeiro DE 2017

O Legado de BO

Legado ou Herança?

 

No que aqui interessa o que acontece é que Barack Obama confunde Legado com Herança – pois tal como diz o dicionário “Legado é algo transmitido ou adquirido mas não como herança, é algo deixado para um todo e não só pra um” (dicionarioinformal.com.br). O que ele deixará será uma Herança em bens e para os seus herdeiros (o que como todos nós sabemos já não é nada mau). Legado (e infelizmente) só se Trump deixar (passar o Obamacare).

 

5866983a1500002300916855.jpeg

Obama Will Meet With Congressional Democrats

On Strategy To Block Obamacare Repeal

(huffingtonpost.com)

 

1

Enquanto nos seus últimos dias de mandato como Presidente dos Estados Unidos da América o Democrata Barack Obama tenta deixar atrás de si o seu Legado Presidencial iniciado com a atribuição ao próprio no ano de 2009 do prémio Nobel da Paz (o ano em que tomou posse como 44º Presidente dos US) – "pelos seus extraordinários esforços com vista a reforçar a diplomacia internacional e a cooperação entre os povos" (dw.com) – o único objetivo que se perceciona nos seus derradeiros atos assumidos na Casa Branca resume-se, inesperadamente e para espanto de todos aqueles que ainda acreditam nele até ao último segundo, num não reconhecimento da vitória do seu adversário Republicano Donald Trump provocando-o deliberadamente e aos seus apoiantes e votantes Republicanos (apesar da sua vitória no Colégio Eleitoral, o organismo oficial que sempre confirmou e designou o Presidente eleito), numa imediata montagem seguida de colagem do presidente eleito à Rússia e a Putin (criando uma situação irrecuperável e inalterável para as tentativas de Trump de implementar uma nova política e atitude face à Rússia), mas sobretudo pela campanha secreta e subterrânea levada a cabo por todos aqueles prestes a perder o controlo do poder nos US (seu desde há oito anos), com os Democratas (que não os retratados em Bernie Sanders), os apoiantes de Clinton (e da sua Fundação) e agora até com os órfãos de Obama, não se incomodando de com as suas ideias, mensagens e comportamentos incorretos, inadequados e até criminosos, conscientemente induzidos (persistentemente transmitidos e replicados incessantemente por todo o Mundo), criarem mais ódio, mais crimes e mais mortes.

 

2

Sucedendo-se assim vários entre muitos episódios demonstrando falta de valores e completa intolerância, muitos deles pela hipocrisia e falta de vergonha nunca conhecidos ou sequer divulgados (desde que Trump foi eleito, passando pela sua previsível tomada de posse e continuando a partir daí se entretanto não o fizerem desaparecer), mas com todos eles revelando claramente o mesmo denominador comum o da manutenção do Status Quo seja qual for o custo a pagar (pelos seus cidadãos e cobaias): com os últimos a serem o assassinato do embaixador russo na Turquia (colocando a vida de todos os embaixadores em causa) e a carnificina numa discoteca de Istambul na passagem de Ano Novo e provocando mais de 40 mortos – tudo isto depois da Turquia se atrever a assinar um acordo de Paz sobre a Síria envolvendo a Rússia e o Irão (recordando o golpe falhado dos norte-americanos para arrumar Erdogan), pondo em causa os terroristas apoiados pelos US.

 

3

No fim do seu 2º mandato como Presidente (o primeiro nos US oriundo da Comunidade Negra) e sem nada de significativo a apresentar – a não ser o seu prémio Nobel da Paz em 2009 e a sua tentativa de reforma na área da Saúde iniciada em 2010 (mais conhecida como Obamacare e que noutras circunstâncias poderia ter sido o seu verdadeiro Legado) – torna-se natural que face à vitória inesperada do candidato Republicano nas recentes eleições presidenciais dos US (ainda-por-cima sendo Trump quando todos no Mundo esperavam por destino e sugestão coletiva ser uma Mulher a suceder a um Negro – ou seja Hillary), os Democratas ainda se encontrem completamente perdidos (mesmo assim não recorrendo nem sequer a Sanders) e extraordinariamente descontrolados (pensando que ainda são poder e não o sendo, tentando impor um novo período de Macartismo mas agora subterrâneo – sem eco no poder) e que como consequência dessa crise psicótica retransmitida através do seu ainda Presidente (a prazo por menos de 18 dias) expressem essa desorientação (de quem há muito deixou de controlar o rumo) aumentando a nossa preocupação (de todos) pelo seu Estado de Negação (pelos vistos também dele).

 

5868651a1500002300916abe.jpeg

ISTANBUL CARNAGE:

SHOOTER SLAUGHTERS 39

(huffingtonpost.com)

 

4

[E se diversas personalidades da vida socioeconómica norte-americana (como poderiam ser de outras áreas como a Militar, a da Ciência e da Cultura), receberam e para muitos mereceram o seu Nobel da Paz na altura atribuído, analisando os candidatos eleitos nesses últimos digamos 50 Anos e oriundos dos US, poderemos encontrar entre os diferentes premiados caraterísticas e objetivos se não simétricos pelo menos irreconciliáveis com a nossa noção de Paz (e da esmagadora dos 7 biliões habitando este planeta único – a Terra): como por exemplo Martin Luther King Jr. (Ativista dos Direitos Humanos, 1964) e Jimmy Carter (Luta pela Democracia e Direitos Humanos,2002) de um lado e Henry Kissinger (Paz no Vietnam, 1973) e Barack Obama (Diplomacia Internacional e Cooperação entre povos, 2009) do outro (da barricada) – uns chegando ao prémio pela via da Paz outros chegando lá pelas virtudes pacifistas da Guerra. E até podendo citar outros norte-americanos verdadeiramente lutando pela Paz no Mundo, como Linus Pauling (Campanha contra os testes nucleares, 1962), Elie Wiesel (Sobrevivente do Holocausto Nazi, 1986) e Jody Williams (Proibição do uso de minas antipessoais, 1997).

 

5

Referenciando-nos unicamente ao último Presidente dos US o Democrata Barack Obama (eleito e reeleito Presidente dos US) e tendo em conta todas as Esperanças que a América e o Resto do Mundo religiosamente depositavam nele (como se o Bem e o Mal tivessem cor e nestas últimas presidenciais se distinguissem pelo género), servindo-me da afirmação de Eric Zuesse

 

“I’m a former lifelong Democrat, stating here a clear and incontestable fact:

Barack Obama is a failed President.”

 

Para concluir que a sua política e a da Casa Branca foi um completo desastre tanto a nível interno como a nível externo (comparativamente com outros Presidentes sendo mesmo das piores). Como nos induz Eric Zuesse (democrata, escritor e investigador histórico norte-americano) com algumas boas observações (cirurgicamente retiradas da experiência de outros) e ficando-nos aqui apenas pela política interna:

 

«Top Ex-White House Economist Admits 94 % Of All New Jobs Under Obama Were Part-Time»

(Tyler Durden – zerohedge.com)

 

«Poverty Rose In 96 % Of U.S. House Districts, During Obama’s Presidency»

(Eric Zuesse – rinf.com)

 

6

Deixando-nos apesar de tudo a pensar no que seria hoje a América – que amanhã será de Trump – se John McCain tivesse ganho em 2008 ou Mitt Romney em 2012. E ainda a constatar que se por um lado Obama foi muitas das vezes um estorvo (para muito do que se poderia ter feito pela liberdade e pelos direitos do Homem), também poderá ter sido outras vezes um poderoso travão (para outras políticas mais belicistas): mas nunca esquecendo o caos mortal instalado em todo o Médio Oriente (via Estado Islâmico/Arábia Saudita/EUA), a perseguição impiedosa a todos os que denunciam os crimes de Estado (whistleblowers como Assange e Snowden), os crimes sucessivos praticados impunemente pelos seus Drones (com centenas de inocentes despromovidas a vítimas colaterais) e até a destruição da Rússia através da demonização de Putin.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 09:03
Quinta-feira, 29 DE Dezembro DE 2016

2017 Só Começa 1 Segundo Depois

Date:

December 28, 2016

Source:

U.S. Naval Observatory

Summary:

On December 31, 2016, a "leap second" will be added to the world's clocks at 23 hours, 59 minutes and 59 seconds Coordinated Universal Time (UTC).

 

161228213356_1_900x600.jpg

 

Segundo o Observatório Naval dos EUA (e generalizando dada a diferença de fusos horários), no dia 31 de Dezembro de 2016 pelas 23:59:59 e quando os mais de 7 biliões de almas habitando este pequeno planeta esperavam estar a esgotar-se mais um ano da sua (em termos de tempo) tão curta vida (com os ponteiros a funcionar tal como uma guilhotina), eis que surpreendentemente somos todos premiados com mais 1 segundo de vida adicional: assim passado um segundo sobre a hora atrás referenciada, em vez de já estarmos em 2017 ainda teremos mais um segundo para usufruir em 2016.

 

“Historically, time was based on the mean rotation of the Earth relative to celestial bodies and the second was defined in this reference frame. However, the invention of atomic clocks defined a much more precise "atomic" timescale and a second that is independent of Earth's rotation.” (US Naval Observatory/sciencedaily.com)

 

Pelo que vivendo em tempos mais que acelerados, em que nem sequer existe um minuto para se poder olhar e pensar e em que nada se dá sem esperar algo em troca, se por um lado 1 segundo é apenas uma das partes dos mais de 2000 milhões de segundos de toda a nossa vida, já se compararmos a oferta com o minuto para pensar tudo se modifica num instante tornando o banal relevante: neste caso de 1 em 60. Oferecendo a todo o Mundo um pouco mais de Tempo mas mantendo-nos morbidamente paralisados no Espaço. Mas sempre é mais 1 segundo na nossa vida de mosca.

 

(texto/itálico e imagem: sciencedaily.com)

tags: , , ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:54
Quinta-feira, 22 DE Setembro DE 2016

Depois dos Índios e dos Negros de novo os Negros

Tudo depende do dinheiro e da qualidade da arma!

 

Já alguma vez pensaram nos deveres que todos os cidadãos norte-americanos têm que respeitar e cumprir (particularmente os pobres e as minorias) se compararmos com os direitos que lhe são destinados e atribuídos?

 

1609200057-Dashcam-Footage-Shows-Police-Shooting-U

 

“US police have tasered and shot dead an unarmed black pastor as he stood with his hands raised above his head. Terence Crutcher, 40, a pastor from Tulsa, Oklahoma was killed by police officer Betty Shelby on Friday evening. Vision taken from a police helicopter shows Crutcher walking back to his vehicle and leaning on it with his hands on his head, when he is tasered by officer Tyler Turnbough and shot by Shelby before collapsing onto the road.” (9news.com.au)

 

A menos de dois meses das eleições presidenciais norte-americanas de 8 de Novembro em que aparentemente participam quatro candidatos – Clinton (Democratas), Trump (Republicanos), Johnson (Libertários) e Stein (Verdes) – e no momento em que um dos candidatos (CLINTON) persiste na sua violenta campanha contra o outro candidato verdadeiramente na corrida (TRUMP), a população negra dos EUA continua sistematicamente a ser abatida a tiro e a sangue frio pela intervenção inopinada (mas dirigida e comandada) das forças policiais: mesmo contando atualmente com um presidente colorido (nem se sabendo se é preto(por dentro ou se é branco/por fora) e a cumprir o seu segundo mandato (OBAMA), mas que face às perseguições sistemáticas que os negros têm vindo a suportar nos últimos anos e apesar de todas as declarações antirracistas por parte do seu partido (vejam-se ao ataques impiedosos da Democrata Clinton ao candidato Republicano Trump), no fundo nada diz e nada faz, conformando-se como todos os outros (indiferentes) com tudo o que antes lhe disseram e ensinaram – ser um fenómeno normal, recorrente e inevitável.

 

OKTUL108-919_2016_000000.jpg

 

“The videotaped death of Terence Crutcher, an unarmed black man who was killed by Tulsa police on Friday, offers a disturbing look into the distrust that has arisen between police and communities of color.” (philly.com)

 

Depois do genocídio dos índios norte-americanos e cumprindo uma velha tradição de eliminação faseada de todas as minorias ativas e como tal rebeldes (como o são todos os escravos) chega agora o Momento dos Negros (talvez decisivo ou talvez já ultrapassado pela presença de um negro na presidência) e a hora de se exprimirem: sabendo-se como esta minoria está cada vez mais isolada (em números absolutos já ultrapassados pelos hispânicos), desprotegida (mesmo das ações da polícia) e abandonada (regressando inexoravelmente e aos poucos aos tempos da escravatura). Ainda-por-cima num tempo eleitoral em que os Democratas se declaram antirracistas (defendendo os seus eleitores negros norte-americanos) – e tentando usar essa arma para derrotar os Republicanos – mas por outro lado (e em sentido contrário) fazendo uma pirueta e defendendo furiosamente os hispânicos (como os estrangeiros mexicanos): no final tratando a sua população negra como nunca tratou os terroristas (da Al-Qaeda e do Estado Islâmico) – matando os primeiros e prendendo os segundos. Num cenário de pura violência patrocinada pelo Estado.

 

shot-dead-protester-575x354.jpg

 

“Residents of Charlotte, North Carolina, woke to a state of emergency on Thursday with National Guard troops deployed on the streets after a second night of violent protests over the fatal police shooting of a black man. The latest trouble erupted after a peaceful rally earlier in the evening by protesters who reject the official account of how Keith Scott, 43, was gunned down by a black police officer in the parking lot of an apartment complex on Tuesday afternoon. Authorities say Scott was wielding a handgun and was shot after refusing commands to drop it. His family and a witness say he was holding a book, not a firearm, when he was killed.” (reuters.com)

 

Numa sociedade norte-americana onde a perceção da estratégia de supremacia e controlo a nível de territórios exteriores por parte das suas elites (Corporações e político a elas ligados como toxicodependentes), reflete na essência e no paradigma a sua miserável política interna: até com as estruturas e serviços básicos minimamente necessários para a sobrevivência de qualquer tipo de Sociedade e respetivo Estado (um Coletivo), a serem todas entregues à iniciativa privada tendo como único objetivo o lucro e a satisfação dos seus desejos particulares (individuais). E no entanto sem que nenhuma das suas elites de primeiro-plano ou marginais se dignem a alterar o rumo (trabalhando-o, transformando-o e adaptando-o à evolução), evitando o desastre final e a sua própria extinção (como sempre tem acontecido a poderes desproporcionados – os Impérios – definidos por extensão mas de nulo conteúdo e nula compreensão). Pelo que mais esta notícia sobre mais um negro abatido a tiro por simples questões de trânsito e em conflito com a polícia, ser cada vez mais banal (morrem pessoas todos os dias), cada vez mais cansativa (falam todos em crimes) e no fundo aceitável.

 

(imagens: sky25.ddns.net/thelakeandeswave.com/breakingnewsblast.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:40
Domingo, 18 DE Setembro DE 2016

Syria

US Bombs Syrian Army Base in Ceir Ezzor, Killing 83 Troops

ISIS Overruns Area, Threatens Key Airport After US Blunder

(Jason Ditz, September 17, 2016)

 

antiwar_logo.gif

 

In what could prove to be the single biggest blunder of the entire US war in Syria, US warplanes today attacked a Syrian army base in the Jebel Tharda area on Deir Ezzor Province, in the ISIS-dominated eastern portion of the country, killing at least 83 Syrian soldiers and wounding 120 others.

 

Pentagon officials claimed they thought the site was “an ISIS tank position,” and admitted to not giving Russia a precise location before the attacks. Russian officials slammed the US over that, saying it underscored the Pentagon’s “stubborn refusal” to coordinate actions properly.

 

US warplanes killing 83 Syrian troops during a ceasefire may not be the worst of the story, incredibly enough. Those troops had been defending the area from ISIS, who quickly overran what was left of the base’s defenses, and are now even closer to the Deir Ezzor airport.

 

The airport has been one of the last major government holdouts in the Deir Ezzor capital, and at times the Syrian warplanes flying out of the airport were the only thing keeping ISIS from overrunning the entire eastern half of the country. The US airstrikes seriously softened up the defenses in the area, and might finally do what years of ISIS offensives couldn’t, put ISIS in control of the airport.

 

US officials expressed “regret” over the killing of the Syrian troops, but condemned Russia for requesting an emergency UN Security Council meeting, saying that the Russians “had blood on their hands” from the war themselves and wasn’t in a position to criticize the US botches.

 

According to Centcom, the Syrian troops were all “out in the open” at the base, and they also destroyed six military APCs and one tank. They reported they were “watching” the Syrian Army base for days before the attacks, figuring everyone there was ISIS.

 

(texto e imagem: antiwar.com)

tags: , ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:27
Quarta-feira, 25 DE Maio DE 2016

US 2016 – Trump Sim, Hillary ainda não

E o Mundo? Logo se verá!

 

US-Nominations-Spoilt-with-Choice-of-Nominees-Cart

US-Nominations-Spoilt-with-Choice-of-Nominees-Cart

 

Com as primárias norte-americanas a caminho do seu fim anunciado (Republicanos a 7 de Junho/Democratas a 14 de Junho), enquanto do lado REP o único candidato sobrevivente está a poucos delegados da Maioria na sua Convenção (DONALD TRUMP – a pouco menos de 30 delegados da maioria quando ainda faltam mais de 300 por atribuir), do lado DEM a candidata previamente declarada como vencedora (proteção) e simultaneamente escolhida (segurança) pela maioria dos delegados VIP (os famosos SUPERDELEGADOS), ainda luta pela sua reconfirmação perante o socialista BERNIE SANDERS (HILLARY CLINTON – a pouco menos de 80 delegados da maioria quando ainda faltam pouco mais de 900 por atribuir).

 

Até ao fim destas primárias destacando-se a SUPER TERÇA-FEIRA de 7 de junho:

 

Onde os REP disputarão os seus últimos 303 delegados (esmagadoramente para DT dado ser o único concorrente) e os DEM mais 806 delegados (onde se espera seguindo os resultados das últimas primárias e as sondagens entretanto realizadas novas vitórias de BS). Tendo como resultado mais que provável o esmagamento por parte de DONALD TRUMP do número Mágico de acesso à sua nomeação como candidato presidencial Republicano às eleições de Novembro deste ano (1237) – uma verdadeira surpresa/estalada para os dirigentes REP, que o aceitaram na corrida não como um candidato mas talvez como um bem provido ENTERTAINER;

 

E do outro lado e apesar da maioria de delegados conquistados, com HILLARY CLINTON a ter que ceder a muitas pretensões de BS para ter o seu apoio e assim ser nomeada – tudo isto porque até poderia acontecer HC e BS empatarem no número de delegados eleitos e tudo se poder decidir com a intervenção dos SD (e toda a gente sabe que “o que hoje é verdade amanhã poderá ser mentira”).

 

REP Delegados DEM Delegados
Donald Trump 1209 Hillary Clinton 2305
(Desistentes) 911 Bernie Sanders 1539

 

Desde já com os ataques REP/DEM a aumentarem de volume e de violência eleitoral (e ainda nem sequer se concluíram as primárias), desde as palavras frias e provocadoras proferidas por DONALD TRUMP às campanhas de provocação direta incentivas por HILLARY CLINTON (descaradamente copiadas das campanhas de alguns dos ex-adversários REP de DT). Podendo o Mundo concluir que seja qual for o candidato vencedor nas eleições Norte-Americanas o Mundo continuará irremediavelmente e como sempre na mesma (estático e como tal à espera resignada e inevitável da morte).

 

Apesar de existirem outros candidatos às eleições presidenciais norte-americanas de Novembro de 2016 (e até com a realização de primárias como os DEM e os REP), no entanto e infelizmente incapazes de ultrapassar o MURO que os separa dos Cidadãos – Muro que não é o de DONALD TRUMP (para já inexistente) mas o criado pelos meios de comunicação social, organizados com o único objetivo de nos separar da realidade (alienar) e assim escolhermos docilmente o eleito preferido e pré-designado. Num caso muitíssimo mais grave e claramente criminoso por deliberadamente manipulador, em que a nossa LIBERDADE é desprezada e esquecida para proteção e SEGURANÇA de uma minoria sem ética e apenas concentrada em si: antes os dirigentes políticos (ainda se podiam confrontar individualmente) agora as Corporações (impossíveis de identificar como um individuo logo impossíveis de criminalizar).

 

Como é o caso do terceiro maior partido em número de eleitores dos EUA (colocado logo a seguir aos partidos tradicionais Republicano/Democrata), nunca tendo sido convidado para nenhum dos debates presidenciais até agora realizados (e com impacto nos media): o partido LIBERTÁRIO.

 

(imagem parcial retirada de: fridaymash.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:48
Sexta-feira, 29 DE Abril DE 2016

Num País Onde Vale Tudo

US PRESIDENTIAL ELECTIONS

2016

 

Se não houver algum tipo de golpe ou outro tipo semelhante de Evento (por exemplo o impacto de um asteroide), no dia 6 de Novembro de 2016 um deles será o próximo Presidente dos EUA sucedendo a Barack Obama: Hillary Clinton (DEM) ou Donald Trump (REP). De qualquer forma o Mundo estará tramado e dos dois nem sei qual será pior.

 

clinton-trump-cartoon.jpg

O futuro do mundo nas mãos de Hillary Clinton ou de Donald Trump

Talvez apenas a confirmação do Inferno na Terra

(quando nos prometem o Paraíso)

 

Com as Primárias a aproximarem-se do fim

- Para os Democratas terminando a 14 de Junho no distrito de Columbia, com 46 delegados em jogo e tendo-se já realizado uma semana antes a sua última Super Terça-Feira

- E para os Republicanos terminando a 7 de Junho com os últimos cinco estados – California, Montana, New Jersey, New Mexico e South Dakota, num total de 303 delegados na sua última Super Terça-Feira

 

O resultado final parece desde já decidido.

 

Candidato Hillary Clinton Bernie Sanders
Estados ganhos 26 17
Delegados 1645 1318
Super Delegados 0520 0039
Total Delegados 2165 1357
% 61% 39%

(Convenção Democrata/em atualização)

 

No que diz respeito ao número de delegados já eleitos para as respetivas Convenções

- Com a candidata DEM Hillary Clinton muito perto de atingir o número mágico de 2383 delegados (faltando-lhe menos de 200 para atingir a maioria, quando ainda faltam disputar uns 1200)

- E com o candidato REP Donald Trump numa corrida mais apertada e apesar de tudo somando mais delegados do que todos os outros candidatos juntos (aproximadamente 1000 contra 900)

 

Com HC a atingir de momento 61% dos delegados e DT já colado aos 53%.

 

Candidato Donald Trump Ted Cruz John Kasich
Estados ganhos 27 13 1
Total Delegados 944 566 153
% 52% 30% 8%

(Convenção Republicana/em atualização)

 

Do lado da Convenção DEM com o candidato Bernie Sanders a ir até ao fim, de modo a assim demonstrar que se não fossem as entidades conhecidas como Super Delegados e todo o dinheiro investido em HC pelos donos do dinheiro e do poder, tudo seria certamente diferente para a candidata do sistema Hillary Clinton; do lado da Convenção REP e apesar da campanha ininterrupta, tóxica e brutal contra o candidato Donald Trump (veja-se o caso da FOX e o aproveitamento lógico da CNN), com o inesperado candidato milionário a estar na liderança, destacado e cada vez mais perto da maioria.

 

Trump-Media-Chair-600-LI.jpg

Transformando um conservador num herói anti sistema

Numa obra suicidária da elite e dos média Republicanos

(e que os Democratas agradecem colaborando)

 

Colocando os seus inimigos numa posição delicada (convocar uma outra Convenção paralela para quê? A grande maioria dos eleitores REP ignoram-nos!) e transformando DT – vejam lá bem – num herói anti sistema.

 

Num momento em que os dois candidatos DEM ainda têm ao seu dispor cerca de 1200 Delegados e em que os três candidatos REP ainda podem conquistar uns 550 (entre delegados normais e super).

 

Com o regresso das primárias marcado para o dia 3 de Maio (próxima terça-feira), disputando-se aí o estado de Indiana e os seus respetivos delegados: 92 para os Democratas (83+9) e 57 para os Republicanos. No caso dos DEM com HC com uma ligeira vantagem sobre BS (48/44) e no caso dos REP com DT com uma pequena vantagem sobre TC e já mais acentuada sobre JK (39/33/19) – HC contando sempre com o conforto suplementar dos seus Super Delegados e DT contando com nova vitória num estado onde o vencedor leva consigo todos os delegados.

 

(dados: realclearpolitics.com – imagens: agreeingloudly.wordpress.com e freedomsback.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:14
Quinta-feira, 09 DE Outubro DE 2014

Razões para uma Epidemia – EBOLA, Budgets & Racism

Ebola panic is getting pretty racist
The real culprit in Ebola's spread has been cuts to public health budgets
(The Verge/Arielle Duhaime-Ross/October 8, 2014)

 

dallas_ebola.jpg.size.xxlarge.promo.jpg

 O Reverendo Jesse Jackson acompanhando em sinal de apoio a mãe de Eric Duncan
(entretanto já falecido)

 

The first time a reporter asked a CDC representative whether Thomas Duncan — the first patient to receive an Ebola diagnosis in the US — was an American citizen, the question seemed pretty tame. One could excuse it as a general inquiry about the Duncan’s nationality during the first press conference announcing his diagnosis. But after the CDC declined to answer, the question kept coming. "Is he a citizen?" reporters repeatedly asked. "Is he one of us?" they meant.

 

"Is he one of us?" they meant.

 

The current Ebola crisis has been tinged with racism and xenophobia. The disease rages in West Africa, and has therefore largely infected people of color. But somehow Americans were among the first to get a dose of Zmapp — the experimental anti-Ebola drug — this summer, despite the fact that Africans have been dying from the current Ebola epidemic since its emergence in Guinea in December. There are a lot of reasons for that, of course. The drug is potentially dangerous and only exists in short supply. It’s also extremely costly. And it originated in Canada, so it's unsurprising that North America controls its use.

 

And now that Ebola has "reached" the US, American privilege — white privilege, especially — is floating to the surface, in even less subtle ways.

 

The difference in treatment for US patients and African patients is stark, beyond the use of experimental drugs. Some Ebola-stricken regions in West Africa don’t have access to fuel to power ambulances, and many health workers lack the protective gear to stave off infection. Which is why it's so strange that Duncan's health has been used as an excuse to voice concerns about the presence of foreigners in Dallas. Instead of asking government officials why the WHO has a much smaller budget than the CDC or why it has suffered massive cuts in the last two years, Americans have preferred to focus on themselves.

 

Duncan’s health is an excuse to voice concerns about foreigners

 

Yesterday, The Raw Story wrote about how immigrants living in the same neighborhood as Duncan’s family were facing immense discrimination. Some have been turned away from their jobs, David Edwards writes, while others have been refused service in restaurants. The color of their skin and their accents makes them a target, even though they never came into contact with Duncan, and therefore pose zero risk. It doesn’t matter: they’re dark-skinned and foreign. They’re in Dallas. They might be infectious.

 

Now, an ugly new hashtag has emerged: #Obola, a coinage that was popularized thanks to a tweet by conservative writer Dinesh D’Souza, and a Michael Savage radio segment. If you don’t get the reference, I don’t blame you. The President’s name doesn't exactly resemble "Ebola." But D’Souza, a known "birther," has somehow managed to liken a name like Obama with a disease that’s raging in Africa — not in the US. Predictably, this has given racist xenophobic Americans a banner to rally around.

 

America: your xenophobia is showing. Many have lost sight that the only way to become infected with Ebola is by coming into contact with the bodily fluids of someone who’s showing symptoms. Others have ignored the fact that, so far, no one who came into contact with Duncan has developed symptoms of Ebola. Instead, there are calls for larger quarantines in Dallas — or a continent-wide one in Africa — which would only lead to more infections, and a greater sense of panic.

 

Xenophobic rhetoric has dehumanized individuals dealing with a terrible disease

 

Ebola is scary because it causes quick, gruesome deaths. But it isn’t easy to transmit. Had we acted sooner, had we prevented the WHO’s budget from being cut, we probably wouldn’t be dealing with such large numbers of infected people now. It’s not like we don’t know how to stop Ebola — we’ve done it in the past. That’s what we should be talking about. We should be asking why the first case of Ebola transmission outside Africa happened in Spain, a country that recently experienced public health cuts.

 

We’re playing catch-up, and the CDC is optimistic. But when people spend more energy on dehumanizing individuals in Dallas than on urging politicians to help the people of Liberia and Sierra Leone, we all lose out.

 

(imagem – The Verge/The Star/Joe Raedle)

tags: ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:18
Terça-feira, 17 DE Junho DE 2014

ISIS

“The Goddess ISIS was worshipped as the ideal mother and wife as well as the patroness of nature and magic. She was the friend of slaves, sinners, artisans and the downtrodden, but she also listened to the prayers of the wealthy, maidens, aristocrats and rulers”. (Wikipedia)

 

ISIS is now the last US/NATO Solidarity Creation

 

Militants of the new Islamic State of Levante and Iraq

(including parts of Syria – a state in the way of total destruction – and parts of Iraq – already a decomposing state)

 

As Creators of Al-Qaeda – a terrorist organization that resembles like AIDS because it seems never dies but revives later stronger and efficient – now US bring us is latest steps in to war strategic innovation: to confuse the north-american people, Europe and the rest of the World, ours friends from the other side (of the Atlantic Ocean) decide to improvise, playing now in both sides of the chess board: strongly arming assassins and terrorists from the good side and them watching them (and doing noting to stop their genocide) as assassins and terrorists but now in the bad side. But they are not the guilty ones: as Prime-Minister of Ukraine Yatsenyuk said (referring to east ukrainians) people are been killed by invaders and sponsored by subhumans” (all russians); and defending the no subhumans saying its prime objective will be the true ukrainians“by wiping out those who killed them and then by cleaning our land from the evil”. The problem is that in Syria/Iraq we don’t know yet who are human or subhuman: better to learn with Hitler’s Mein Kampf.

 

(images – sott.net)

tags: , , ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:30
Domingo, 25 DE Maio DE 2014

O Início do Fim do Ocidente – Enforcado Numa Nota de Dólar

Who needs the United States? Not Russia and China

(retirado de: Michael Snyder – The Economic Collapse Blog)

 

Russia reached a $400 billion deal to supply gas to China through a new pipeline over 30 years

(A milestone between the world's largest energy producer and the biggest consumer)

 

Russia and China have just signed what is being called "the gas deal of the century", and the two countries are discussing moving away from the U.S. dollar and using their own currencies to trade with one another. This has huge implications for the future of the U.S. economy, but the mainstream media in the United States is being strangely quiet about all of this.

 

Showdown in Ukraine stems from Brzezinski's desire to chop Russia into pieces

(retirado de: Mike Whitney – Counterpunch)

 

"Comrade Wolf knows who to eat, and he eats without listening to anyone."
(Russian President Vladimir Putin referring
to the United States)

 

"Russia's longer-term role in Eurasia will depend largely on its self-definition...Russia's first priority should be to modernize itself rather than to engage in a futile effort to regain its status as a global power. Given the country's size and diversity, a decentralized political system and free-market economics would be most likely to unleash the creative potential of the Russian people and Russia's vast natural resources. A loosely confederated Russia - composed of a European Russia, a Siberian Republic, and a Far Eastern Republic - would also find it easier to cultivate closer economic relations with its neighbours. Each of the confederated entitles would be able to tap its local creative potential, stifled for centuries by Moscow's heavy bureaucratic hand. In turn, a decentralized Russia would be less susceptible to imperial mobilization." (Zbigniew Brzezinski – A Geostrategy for Eurasia)

 

(sott.net)

tags: , ,
publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:43

pesquisar

 

Maio 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
16
18
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

comentários recentes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro