Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


E o Governo Chumbou

Quarta-feira, 27.10.21

Orçamento do Governo para 2022 (em 230 deputados):

A favor da proposta ─ 108

Contra a proposta ─ 117

Abstenção ─ 5

Sendo a proposta reprovada (maioria a 116).

Screenshot 2021-10-27 at 18-52-13 Orçamento do Es

Assembleia da República

(constituída por 230 deputados)

 

Ainda no Outono (27 de outubro) e prevendo para este período e para o seguinte (o Inverno) a continuação da epidemia de Covid-19 (veja-se o seu crescimento a leste ─ particularmente na Rússia ─ e no Reino Unido), um vírus mais agressivo (este ano) da gripe (a nossa doença endémica) e agora o chumbo do Orçamento para 2022 (finda pelo menos temporariamente a Geringonça), com o previsível agravamento da crise económica (agora que a Europa, ou seja a Alemanha, ainda não tem liderança) e com o caos que já se começa a verificar em muito dos sectores da Saúde (questionando-nos “e se o Covid-19 e a gripe atacarem em força e simultaneamente, o que acontecerá”) ─ já nem falando da crise dos combustíveis podendo a qualquer momento explodir, como já aconteceu no passado e as ondas de greve de diversos sectores profissionais, já anunciados e aí a chegar

thumbs.web.sapo.io 1.jpg

Rui Rio

(líder do maior partido da Oposição o PSD)

 

Com o horizonte que se começa a desenhar perante os nossos olhos (sendo um pouco mais clarificado hoje) e que nos poderá acompanhar ainda durante vários meses (acompanhando-nos durante todo o Inverno), a poder ser se não negro ou escuro (acreditando sempre até ao último momento, nas virtudes da “Bazuca”), bem cinzento: num trajeto ainda no seu período inicial (ou pré-inicial, pois neste país tudo se promete/regista em papel e nada se concretiza/na prática, na vida real) mas ─ sendo tal o caos informativo, já instalado na cabeça deles ─ tendo já o seu canto de anedotas (no Anedotário Político de Portugal), com o Presidente da República na sua senda de resolução do problema (como se fosse um paizinho misto, antigo/novo regime) chamando a si o possível líder da oposição interna, não da AR, mas do maior partido da oposição (candidato a 1º Ministro) o PPD/PSD, deixando o líder como certamente todo o mundo, de boca-aberta.

thumbs.web.sapo.io 2.jpg

António Costa

(líder do PS e do Governo)

 

Passando ou não o Orçamento para 2022 mantendo-se a mesma situação política de impasse, com o PS a continuar no Governo, mas sem maioria na AR para o poder fazer (ou seja, Governar). Recusada a aliança à direita (PSD e CDS) e em maus lençóis à esquerda (BE e PCP) com o fim da Geringonça, não se vendo muito bem qual o futuro de António Costa (não se vislumbrando alianças significativas), logo ali ao lado tendo pronto o sempre atento e interveniente Marcelo sempre pronto para “as suas eleições”: arrumando Costa logo no Orçamento sendo bom (para Marcelo/para o PSD), mas adiar possíveis eleições passando o Orçamento e deixando queimar um pouco mais Costa em “lume-brando”, talvez até sendo melhor (daí a ação do Presidente quanto ao líder da oposição do PSD e agora quanto aos deputados do PSD da Madeira). Rui Rio ou Paulo Rangel para Marcelo sendo apenas um pormenor, na sua estratégia (mesmo tendo um favorito) insignificante.

(imagens: Mário Cruz/LUSA/24.sapo.pt)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:06

Covid-19 ─ Mundo e PT/27.10

Quarta-feira, 27.10.21

A Oriente os Russos (máximo de nº de Óbitos/dia) e a Ocidente os britânicos (máximo de nº de Infetados/dia), vistos atualmente como maus exemplos nesta luta conta a Covid-19.

image.jpg

Numa população global de mais de 7.902 milhões de pessoas, com mais de 245 milhões de infetados (3% da população) e quase 5 milhões de mortes (taxa de mortalidade de 2%).

No prosseguimento da Pandemia de Covid-19 iniciada em março de 2020 (já lá vão quase 20 meses) e estando a mesma atualmente globalmente estabilizada ─ mais 3% de novos casos de infeção e mais 0,8% de óbitos nos últimos sete dias ─ a Europa parece (ao contrário dos outros continentes) querer contrariar essa evolução com +20% de novos casos de infeção e +14% óbitos nesta última semana: para esses números (crescentes) contribuindo vários países de leste ─ destacando-se a Rússia (com 7.450 óbitos na última semana) assim como a Ucrânia (3.588 óbitos/última semana) e a Roménia (2.848 óbitos/última semana) ─ mas nunca se podendo esquecer o Reino Unido até pelo seu número diário de infetados. O Reino Unido sendo o país europeu com um maior nº de novos casos detetados nos últimos sete dias (310.748), refletindo-se isso nos 982 óbitos registados no mesmo período (o 4º a nível da Europa depois da Rússia, da Ucrânia e da Roménia). Ainda hoje a Rússia (a leste) a registar +36.582 infetados e +1.123 óbitos, com o Reino Unido a registar +43.491 infetados e +207 óbitos.

Abandonada a prioridade dada à área da Saúde nos últimos meses e em todo o Mundo ─ pela 1ª vez na História da Humanidade, com um ser vivo microscópico a paralisar a Vida de todo o nosso planeta ─ e com o Eixo de Influência do Mundo a deslocar-se de Ocidente para Oriente, questionando-nos sobre a razão da continuação deste conflito entre Economia e Saúde (no que nos toca, na Europa) quando (para funcionarem) estas deveriam ser complementares.

No caso de Portugal quando o coronavírus parece querer ressurgir a leste e a norte ─ aproveitando o aproximar do tempo frio (e do Inverno que aí vem) ─ e assistindo-se a um regresso da gripe este ano podendo ser mais agressiva (que a de anos anteriores, daí a campanha de vacinação) ─ e juntando-se a tudo isto a grande crise económica (incrementando a doença e a fome) e a necessidade urgente de ajuda financeira (daí o termo “Bazuca”) ─ com os números a permanecerem relativamente estáveis no que diz ao nº de infetados/dia e ao nº de óbitos/dia, apesar de uma ligeira subida registada no índice de transmissibilidade do vírus no presente acima de R(t)=1,0. Numa Pandemia de Covid-19 (provocada pelo vírus SARS CoV-2) tendo infetado no nosso país mais de 1 milhão de pessoas (máximo de 16.432 infetados/dia) e vitimado mortalmente mais de 18 mil pessoas (máximo de 303 óbitos/dia). Esta quarta-feira 27 de outubro de 2021 com Portugal (no Algarve com +68 infetados, mas sem vítimas mortais) a registar +965 infetados e +3 óbitos, com 316 doentes internados e 61 em estado grave/crítico (em UCI) ─ e (o mais preocupante por superior a 1) com o R(t)=1,08.

Com mais de 10% da população portuguesa a já ter sido infetada (criando naturalmente um mecanismo de defesa) e a caminho dos 90% de portugueses completamente vacinados (criando artificialmente um mecanismo de defesa), a nossa confiança neste processo (de luta contra o vírus SARS CoV-2) ainda se encontra em alta. Um tropeção inesperado (económico ou sanitário) podendo-nos fazer cair tragicamente.

Restando-nos na prática esperar e aguardar (neste território e com a evolução do tempo), agora que mais de 10% da nossa população já foi infetada e que se caminha a passos largos (mesmo sem o comandante) para os 90% de completamente vacinados. Mas prevenindo-se (“mais vale prevenir do que remediar”) tendo-se que ter ainda muito cuidado: com a crise económica andando por aí (doença e morte), assim como os vírus mortais da gripe e agora (e ainda) do Covid-19, persistindo a lei da inação (tão amiga do poder, do deixa ver) podendo os efeitos (para Portugal e para a Europa) ser mortais.

(imagem: Serviço de Medicina Intensiva do Hospital de São João no Porto/

Artur Machado/Global Imagens/dn.pt)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:18

Nebulosa Godzilla

Quarta-feira, 27.10.21

Uma imagem de uma nuvem de gás e de poeira (material interestelar) localizada no Espaço, denominada Nebulosa Godzilla (localizada na constelação Sagitário).    

PIA24579.jpgPIA24579_fig1.jpg

Unindo diversos pontos mais relevantes inseridos na imagem e recorrendo à nossa imaginação, elaborando o desenho de uma das mais conhecidas figuras dos filmes de ficção-científica e de terror, Godzilla.

(imagem: photojournal.jpl.nasa.gov)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:41

Mancha Explosiva e Instável (a caminho)

Terça-feira, 26.10.21

Tendo-se que ter em atenção (tendo alguma humildade) que o maior perigo para a sobrevivência da Terra (pelo menos, tal como ela hoje é) não vem obviamente do Homem (uma parte ínfima do nosso Ecossistema terrestre) ─ ou seja, não sendo de origem interna ─ mas certamente de algo para além de natural, muito mais poderoso (que a Terra/que o Homem): do Sol (tempestades solares) ou de um asteroide (impacto) ─ ou seja, tendo origem externa.

Martin-Wise-SurgeProms_CME_HA_150mmF10_IMX290_Colo

O Sol

(a 25 de outubro de 2021)

 

Apresentando-nos bem visíveis 5 manchas solares e com 1 potencialmente explosiva a caminho (começando a aparecer), o Sol parece querer contrariar a previsão de um 25º Ciclo Solar tranquilo, mostrando-se aparentemente mais energético (se comparado com os ciclos solares anteriores): vindo do fim de um ciclo (durando em média 11 anos) e iniciando outro a caminho de um novo pico máximo de atividade (previsto para 2024/2025), nos próximos dias podendo apresentar mais provas desse tipo de comportamento (mais agressivo), com a chegada dessa nova mancha solar considerada para além de explosiva (horas sucessivas de intensa atividade), como sendo instável. Acompanhando o movimento de rotação do Sol, com esta mancha na sua superfície a deslocar-se, podendo a qualquer momento entrar em erupção (ejetando material/chamas solares) e estando direcionada para o nosso planeta atingi-lo: para já só o fazendo (estando essa região ainda no limbo) lateralmente, mas dentro de 24h/48h colocando-se à vista de todos (um dia de frente), dando então origem ao aparecimento de mais uma fonte de atividade solar, oferecendo-nos chamas solares, CME’S e alimentando o vento solar (librando-nos por outro lado da influência mais perniciosa dos raios cósmicos, se comparados com os raios solares).

[Seja como for, com o Homem com todo o seu arsenal nuclear podendo autoinfligindo-se, exterminar-se (à sua espécie e a muitas outras) ─ ficando, no entanto, a Terra ─ já em alternativa entrando em cena o Sol ou um asteroide, com o Sol servindo-se de uma tempestade extrema (excessiva, prolongada) ou da sua própria evolução no tempo (transformando-se numa estrela vermelha gigante e engolindo-a) podendo esterilizar tudo/engolir-nos, ou com um impacto direto de um asteroide num evento extremo (de extinção) destruir o planeta. O Homem face ao Universo sendo parte de tudo ─ mas por outro lado no infinito não sendo nada, para se lhe poder sobrepor.]

(imagem: Martin Wise/spaceweathergallery.com/25.10.2021)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:17

A Nova Rota da Seda Planetária

Terça-feira, 26.10.21

“China’s New Orbital Weapon Is A Nuclear Provocation.

America’s Response Might Make The Problem Worse.”

(David Axe/Forbes/outline.com/18.10.2021)

106965165-1635172499492-Orbital-Reef-Underneith.jp

Ocean Reef

(Blue Origin)

 

Enquanto todo o MUNDO assiste (especialmente as outras grandes potências, como a China e a Rússia) finalizados os grandes financiamentos da NASA (Agência Espacial Norte-Americana) ao progressivo abandono da mesma (pelo próprio estado) sendo substituída nessa atribuição de incentivos (de dinheiro/de dólares) pela “Iniciativa Privada” (no pelotão da frente surgindo a SPACEX e a BLUE ORIGIN),

─ Originando para já uma vocação aeroespacial mais direcionada não para a exploração cientifico-tecnológica (em profundidade) do Espaço, mas para a sua exploração turística e comercial, mais local (nos seus destinos, limitados à órbita da Terra, quando muito indo/vindo e circundando a Lua)

Eis que do outro lado do nosso planeta (da TERRA) confirmando a deslocação (socioeconómica e financeira, comercial) do centro/eixo virtual da mesma de OCIDENTE para ORIENTE (de Washington para Pequim),

https _specials-images.forbesimg.com_imageserve_60

ICBM’s da China

(DF-41)

 

Depois das suas SONDAS e dos seus ROVERS (enviados para a Lua e Marte) e do lançamento da nova (e sua) ESTAÇÃO ESPACIAL (orbitando agora o planeta e acompanhando lá em cima a velhinha ISS), com os chineses deixando para trás os norte-americanos (mais uma vez a nível tecnológico) e aproveitando a situação para os “provocar”:

Com a China a testar um novo míssil com capacidade nuclear (se equipado de ogivas) ─ entrando em órbita com estabilidade, por breves momentos ─ conseguindo iludir os radares dos EUA e podendo colocar em perigo (e em questão, num ataque vindo de sul) a segurança e integridade do território (norte-americano).

Depois da Terra e do Espaço (na sua senda de Conquista e de Exploração, substituindo os EUA), com a China tentando (antecipadamente) reforçar a fronteira (enquanto os norte-americanos se divertem andando para cá e para lá dela), dessa forma (lá de cima) controlando melhor o planeta na sua luta (CHINA vs. EUA) pela supremacia (global e terrestre).

6176dde685f5407c554b4c67.jpg

Bloco China/Rússia

(o desespero do Ocidente)

 

No nosso Portugal dos Pequeninos, antes integrado numa comunidade gerindo os seus chorudos rendimentos (ainda oriundos da exploração das suas ex-colónias), depois (abrindo a leste, ainda com mais países) fazendo parte da mesma, mas com as verbas já esgotadas, já inseridos a nível continental numa crise profunda (económica e financeira, da conquista/perda de mercados) e apesar de todo o investimento vindo de fora (Rússia, China, países árabes), colocando-nos (a Europa Ocidental) no entanto sem reação aparente e num estado vegetativo (indiferentes à mudança),

Com Portugal “excedendo-se mais uma vez por baixo” depois de uma Crise Sanitária dramática (vitimando milhares de pessoas) e quando se preparava para receber mais uma ajuda económica e financeira (da Europa), sem saber sequer se uma nova vaga do coronavírus poderá estar aí a caminho (com a nova variante do delta), lançando o estado um perfeito cenário de confusão, com o possível chumbo do Orçamento (de 2022) ─ uma crise profunda no horizonte dificultando internamente o acesso à “Bazuca” (de António Costa), logo quando já estávamos de mão estendida e aguardando.

(imagens: Blue Origin/cnbc.com ─ forbes.com ─ Lintao Zhang/Getty Images/rt.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:16

Últimas de La Palma (Canárias)

Segunda-feira, 25.10.21

“Desde a 2ª semana de setembro com a sismicidade sentida em torno da região do vulcão Cumbre Vieja (nº de sismos/dia e sua magnitude), a justificar integralmente o nível de atividade e de intensidade do vulcão de La Palma.”

PA_SIS_histograma_serie.jpg

Sismicidade em La Palma

(11.09 a 25.10)

 

Confirmando os factos noticiados e reportados ao último fim-de-semana, com o vulcão CUMBRE VIEJA em erupção desde 19 de setembro de 2021, a aumentar significativamente de intensidade (nas suas manifestações vulcânicas e sísmicas), explodindo de novo num crescente de atividade e levando a um novo colapso parcial do cone do vulcão ─ para além da ejeção de mais cinzas para a atmosfera (contribuindo para o aumento da poluição do ar), surgindo uma nova abertura no vulcão, reforçando ainda mais a velocidade e o volume de lava (incandescente) escorrendo pelas suas vertentes (e destruindo tudo à sua passagem). Um fenómeno natural (vulcânico) acompanhado por um outro (sísmico) dando informações sobre o primeiro, com um número significativo de sismos (250/300) a ocorrerem nas últimas 24 horas (anteriores, na ilha de La Palma), alguns deles sentidos pela população (uns 10%) e com quatro deles com M>4.0. Com uma minoria (de sismos) com epicentro a profundidades de uns 30Km e com uma grande e expressiva maioria andando pelos 12Km (mais pertos da superfície); pela sua baixa profundidade podendo indicar uma continuação da subida do magma, tentando perfurar a crosta terrestre alimentando a saída do cone do vulcão (mantendo por mais tempo esta erupção), para por outro lado e sendo a esmagadora dos sismos relevantes locais (rodeando a região do Cumbre Vieja), se confirmar ser pouco provável que esta manifestação vulcânica se estenda (alastre) a outras regiões próximas ou mais afastadas (ficando por La Palma).

(imagem: IGN/watchers.news)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:55

Sobre a Erupção de um Vulcão

Segunda-feira, 25.10.21

Passadas mais de cinco semanas desde o início da erupção na ilha de La Palma nas Canárias, do vulcão estromboliano CUMBER VIEJA (ao contrário de outros, não estando próximo de nenhuma falha tectónica) ─ com 8.000 pessoas evacuadas, mais de 850 hectares de terras cobertas pela lava e acima de 2.100 habitações destruídas/danificadas ─ a imagem de um agricultor local dedicado ao cultivo da banana, preocupado com as consequências que este inesperado evento geológico (o vulcão encontrava-se adormecido desde há meio século), terá para o seu sustento (e sobrevivência) como para o futuro económico de toda a ilha (essencialmente dedicada ao cultivo da banana e ao sector turístico).

Jose-Alvaro-La-Palma-Cumbre-Vieja.jpg

O produtor de bananas e os seus cães,

tentando salvar as bananeiras.

(outubro 2021)

 

Desde o dia 19 de setembro de 2021 (hoje dia 27 de outubro, sendo o 37º dia) em atividade explosiva, sendo acompanhada por uma sucessão de múltiplos sismos afetando diariamente toda a região em seu redor (podendo ser mais ou menos de 100/dia) ─ ou seja toda a ilha de La Palma ─ com o cone do vulcão (já parcialmente abatido) a lançar para a atmosfera material vulcânico, formando nuvens escuras e espessas de gases e de cinzas (podendo atingir mais de 4.000 metros de altitude), ao mesmo tempo que expelindo do seu topo e por fissuras surgidas nas suas vertentes rios de lava incandescente, ia atingindo e cobrindo todo o terreno que encontrava no seu caminho (até atingir o mar).

Day-Smoke-Wide-La-Palma-Cumbre-Vieja.jpg

Um vulcão expelindo para a atmosfera,

fumo, cinzas e fragmentos.

(outubro 2021)

 

E se o material vulcânico ejetado para a atmosfera (como por exemplo as cinzas) para além de atingir toda a vida e quotidiano local ─ interrompendo as cadeias de produção, de comercialização e de transporte ─ pode ainda com a ação dos ventos ver os seus efeitos como o da poluição atmosférica transportados a grandes distâncias (como já se comprovou em altitude nos Açores), o efeito local provocado pelos diversos rios de lava descendo do cume do vulcão e chegando mesmo a atingir as águas do oceano (Atlântico), tem-se revelado muito mais dramático por destruidor, pois para além de matar sectores socioeconómicos importantes deixar outros moribundos e sem saberem o que fazer (senão limpar e esperar).

Volcano-By-Night-La-Palma-Cumbre-Vieja.jpg

De dia uma montanha fumarenta,

de noite brilhando de lava incandescente.

(outubro 2021)

 

À população local restando esperar que a atividade do vulcão Cumbre Vieja (um vulcão ainda jovem) decresça finalmente (a última erupção sendo menos intensa e durando cerca de quatro semanas) ─ descendo igual e simultaneamente a atividade sísmica por diminuição do nº de sismos/dia e da sua intensidade ─ diminuindo os diferentes impactos locais sendo já muitos e excessivos, desde a destruição total de território (afetado) ao aumento da poluição atmosférica (oriundo das cinzas e da lava). Entrados na última semana de outubro e (ainda esta noite) com a atividade a continuar intensa não se esperando para já grandes alterações (na atividade do vulcão), tendo-se apenas a curiosidade de ver se esta situação (de atividade vulcânica) se repercute noutro qualquer lugar próximo.

lapalma_k29693.jpg

Atividade explosiva com ejeção de cinzas

e intensos rios de lava originadas no cone do vulcão.

(setembro de 2021)

 

Nas últimas horas (desta segunda-feira 25 de outubro, 37º dia de erupção) com a atividade do vulcão de La Palma (o Cumbre Vieja) a intensificar a sua atividade, abrindo-se no seu cone (tendo já desabado parcialmente) uma nova abertura (por onde são ejetadas cinzas para a atmosfera e por onde é expelida lava incandescente descendo pelas suas vertentes) ─ a quinta (3 no centro +2 a oeste) ─ com o fluxo de lava (a maior preocupação para a população local) sendo mais intenso (aumentando o seu volume) e deslocando-se agora a maior velocidade, enquanto este (o vulcão) vai ejetando mais material piroclástico (para a atmosfera). Segundo muitos observadores podendo o vulcão no presente a estar a atingir o seu pico máximo (frequência/magnitude) de atividade (veremos se tal se confirma), na última noite tendo-se registado mais de 200 sismos (em La Palma e não excedendo os M3.5) exceto um deles de M4.3.

(imagens: Alexander Lerche/Al Jazeera ─ volcanodiscovery.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:23

O Cometa Vulcânico (vizinho do Gigante)

Domingo, 24.10.21

Provando que nem tudo apesar de parecer é rigorosamente igual (seja qual for o tempo e espaço e o ponto de observação ou de vista), suportados pelos nossos órgãos dos sentidos e por outros instrumentos tecnológicos de perceção, deparamo-nos todos os dias com o aparecimento de pequenos pormenores justificando a diferença: e se num pequeno passatempo utilizando dois desenhos aparentemente iguais, nos é proposto como tarefa a “descoberta das diferenças” (elas existirão sempre num sistema de base replicante, mesmo vindo de um mesmo molde original) ─ e na realidade com as mesmas, a aparecerem ─ num exemplo maior que o de um simples desenho, sendo natural ocorrer idêntica situação.

expansion2b.jpg

Comet 29P erupted 4 times in quick succession

Blowing shells of “cryomagma” into space

 

Como é o caso do objeto 29P/Schwassmann-Wachmann (60Km de dimensão) uma bola branca de gelo orbitando o Sol (numa órbita quase circular) para além da órbita do gigante-gasoso Júpiter (o maior planeta de todo o Sistema Solar), inicialmente na sua família sendo considerado como mais um entre muitos (iguais), mas na realidade tendo a particularidade de ter sido capturado por Júpiter e andar sempre por cá, muito próximo: tratando-se aqui do cometa 29P/Schwassmann-Wachmann, descoberto há quase um século (94 anos) e sendo considerado o objeto mais ativo vulcanicamente em todo o nosso sistema planetário (tal como a Terra centrado no Sol). Mesmo podendo ter vindo lá de longe (tal como a maioria dos cometas), andando sempre por cá, “sendo diferente dentro do igual”.

lesseroutbursts.jpg

A time series of previous outbursts June/April 2021

All small compared to the current superoutburst

 

Aparecendo de novo em erupção e brilhante e iluminando uma área no espaço maior que a de Júpiter (quando muitos deles oriundos da Nuvem de Oort têm um período orbital muito maior, demorando mais entre idas e vindas) neste ano de 2021 (desde 25 de setembro) ─ na sequência de anos anteriores com procedimentos semelhantes, mas pelos vistos nunca tão intensos ─ num evento (ocorrendo em média 20vezes/ano) considerado o mais intenso registado nas últimas quatro décadas. Sendo um cometa, mas pela sua órbita e certas manifestações por vezes (e por alguns) não o parecendo, internamente bem ativo e sujeito a erupções e podendo ser considerado um cometa vulcânico, mas em que a lava (neste caso) é de gelo.

(imagens/legendas: spaceweatherarchive.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:22

Olhando para a Cara do Sapo

Domingo, 24.10.21

“Monótono:

De um tom único, uniforme, sem variação.”

(dicio.com.br)

800px-Bufotes_balearicus_female.jpg

E a culpa não sendo do sapo

 

A uma semana de passarmos para o “Horário de Inverno” ─ atrasando de sábado/30 para domingo/31 o relógio de uma hora (às 02:00 passando a ser 01:00) ─ no dia em se sentiu um sismo em São Miguel de M4.0 (associando logo a notícia à erupção do vulcão de La Palma, dado os Açores serem igualmente de origem vulcânica e distarem de apenas uns 500Km) e em que se ficou a saber (o que já se esperava) que a variante Delta era duplamente mais contagiosa que o SARS CoV-2 original ─ deixando-nos a pensar o que nos reserva agora o coronavírus, com a variante do Delta (começando a ser notícia) ─ não esquecendo a notícia vinda dos EUA centrado numa das suas indústrias centrais (a outra sendo o Complexo Industrial-Militar) neste caso a “Indústria do Cinema”, um dos pilares da manutenção do domínio e da supremacia Global dos norte-americanos (e da Sociedade do Espetáculo) e envolvendo neste episódio o “Imitador” do presidente Donald Trump, Alec Baldwin (no contexto político e interno dos EUA, podendo até dar origem a teorias da conspiração, envolvendo republicanos e democratas), tendo forçosamente de declarar que quanto ao meu país mesmo que estando em muitas áreas muito mais avançado do que os EUA (principalmente no caso de proteção dos mais necessitados ─ a maioria ─ com toda a Europa a dar lições aos EUA) e da toda a proteção dada pela EU, parece em vez de avançar (suspendendo a sua ação) ter planos para (por segurança) recuar. Restando-nos, pois, e para esquecer (continuar a viver/sobreviver) feiras e vinho tinto (daí os indícios, já dados pelos mais jovens).

(imagem: Richard Bartz/wikipedia.org)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:59

SARS CoV-2 e COVID-19 (outubro 2021)

Sábado, 23.10.21

Neste 2º ano da pandemia COVID-19 e mais de 20 meses passados sobre o seu início (já com a 1ª vacina a ser administrada), com a evolução da pandemia nesta última semana a estar globalmente estabilizada ─ nº de novos casos nos +3% e nº de novos óbitos nos +2% ─ mas no entanto com a Europa, a parecer querer ir em sentido contrário: contrariando a evolução dos outros continentes (com valores de crescimento negativo ou mais ou menos estabilizados), com o Velho Continente (oeste e este) a ver nesta última semana o nº de novos casos a crescer +22% e o nº de óbitos a crescer 13%.

063249-1020x708.jpg

Ucrânia

(tal como na Rússia, um território c/ baixíssima taxa de vacinação)

 

Confirmando um crescimento da atividade do vírus SARS CoV-2 na Europa neste início de Outono e à medida que o período de tempo frio avança (a caminho do Inverno), coincidindo com um novo ataque do vírus (endémico) da gripe e parecendo ir avançando de este/norte: não sendo por acaso a Rússia o grande contribuidor para o aumento destes números (com mais de 240 mil infetados na última semana e mais de 7.000 óbitos) ─ apesar da sua vacina (tão eficaz como as restantes) com nem 1/3 da sua população a ter sido ainda vacinada ─ acompanhada pela Ucrânia e pela Roménia (mais de 100 mil novos casos na última semana) e como não poderia deixar de ser (ou não fosse a terra do Trump-Europeu) pelo Reino Unido (mais de 300 mil infetados na última semana).

Ficando-se ainda para ver o que acontecerá no decorrer deste 4º e último trimestre de 2021, sabendo-se a vacina ser a mesma e poder estar aí à porta uma nova variante da delta, podendo ser preocupante (para já com casos em princípio raros e pouco relevantes): quando, podendo ser cíclica esta pandemia (aí como a gripe, passando a doença endémica) ─ e olhando para os gráficos da doença Covid-19 desde fevereiro de 2020 ─ poderemos estar a atravessar uma fase mínima, antecedendo um período de aumento de atividade (do vírus SARS CoV-2 e suas variantes) até atingir um pico máximo: com os anteriores (globalmente com os seus máximos referidos a janeiro, abril e agosto) podendo apontar o seguinte para finais deste ano. Em Portugal e apontando os máximos (Covid-19) para abril, novembro, janeiro ─ o pior período com um máximo de 16.432 Infetados/dia e 303 vítimas mortais/dia ─ e julho, com os números a parecerem querer subir com o índice de transmissibilidade R(t) a ser um indicativo, sendo já na grande maioria do país o R(t)>1.

130946-1020x750.jpg

Rússia

(tal como na Ucrânia, um cemitério em Moscovo c/ vítimas Covid-19)

 

Deixando-nos todos extremamente preocupadas sendo bem negativa a ação global do Governo nesta luta contra o Covid-19, apenas sendo tudo composto e estabilizado com a chegada em força das vacinas, colocando-se para tal um militar (não fazendo nada o nosso Governo civil, senão esperar e ver o que os outros faziam, só que obviamente com atraso) para o processo poder ser eficaz e finalmente avançar (mais de 90% de população vacinada). Com a crise profunda instalada no sector da Saúde vindo aí uma nova vaga (podendo até pôr em causa, face a novas estirpes, a eficácia da vacina) e sabendo-se como estão já os hospitais (um caos governo/administrativo com consequências), sendo tudo possível até a implosão (e apenas não acreditando nisso porque apesar de tudo, ainda lá continuam profissionais de saúde dedicados a todos nós, não apenas por dinheiro). Neste sábado 23 de outubro de 2021 registando-se +883 Infetados (+41 no Algarve) e +4 Óbitos (+0 no Algarve) ─ -15 doentes em internados ou em UCI (de um total atual de 329) ─ com a maioria (total desde o início) de vítimas mortais a serem homens (9.509 contra 8.620 mulheres, estas últimas a serem, no entanto, as mais infetadas) e com o R(t)=1,02 (índice nacional).

Tendo um Governo como que em gestão, arriscando-se (agora que vem aí a Bazuca) a nem sequer ter orçamento ─ não usufruindo das virtudes da Bazuca. Ficando para si a escolha da definição de “bazuca” (segundo a infopedia.pt): “militar/arma portátil, de formato tubular, que se opera apoiada sobre um ombro, um tripé ou outro suporte e se usa sobretudo para disparar granadas anticarro; Moçambique/garrafa de cerveja de tamanho grande; figurado/medida ou conjunto de medidas de grande impacto.”

(imagens: Efrem Lukatsky/Dmitry Serebryakov/AP/seattletimes.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:04