Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

22
Set 14

“Flash, Dale e Dr. Zarkov retornavam de suas antigas aventuras no espaço para descobrir que seu arqui-inimigo, o imperador Ming, tem uma nova e mortal arma: um raio devastador que atravessa o espaço para destruir a Terra. A única esperança para nosso planeta é que nossos quatro heróis mais uma vez levantem voo em sua nave para ir até Marte destruir a fonte de energia do raio. Mas lá eles ainda encontrarão mais uma inimiga para enfrentar: a Rainha Azura, que transforma seus adversários em homens de lama.” (resumo do filme, Flash Gordon no planeta Marte)

 

Sidding Spring em aproximação ao planeta Marte

 

A bordo da cabeça do núcleo do cometa Sidding Spring o lendário capitão Flash Gordon continua na sua trajectória imparável em direcção ao quarto planeta principal do Sistema Solar, nas vizinhanças do qual passará no próximo dia 19 de Outubro. A tangente do cometa ao planeta andará (segundo recentes previsões) na ordem dos 132.000Km. No entanto hoje o cometa Sidding Spring já se encontra a menos de 134.000Km de Marte e ainda faltam quatro semanas (deslocando-se a uma velocidade de quase 35Km/s).

 

Juntamente com Flash Gordon irá o seu astrónomo e cabeleireiro preferido – a princesa Dale Arden – o qual terá um papel determinante a desempenhar no momento em que Sidding Spring fizer corte e cabelo a Marte: segundo a bela especialista em física quântica, cosmética e representação, existe uma grande probabilidade do Evento atingir proporções imprevistas e de poder ser necessário a apresentação de assistência. Nem que seja pelo forte odor que envolverá inevitavelmente Marte, consequência dos detritos transportados na cauda do cometa – e que o planeta atravessará nos dias seguintes na sequência da sua órbita em torno do Sol.

 

Trajectória do cometa Sidding Spring

 

Flash e Dale irão aproveitar a ocasião para visitar a Feira de Quinquilharias Terrestres – actualmente em exibição diária sobre a superfície de Marte e na sua órbita – fazendo uso da sua passagem por estas paragens para visitar as antigas colónias de Marte: há já vários ciclos atrás que as forças do poderoso Imperador Ming por ali tinham passado, mas muitos dos seus descendentes e dos seus milhares de opositores por lá também tinham ficado, adoptando o planeta como lar definitivo e avisando disso os invasores terrestres – com o famoso ultimato feito à missão Apollo proibindo a presença futura de humanos na Lua (a qual nunca mais pisamos) e por extensão no outro planeta do mesmo eixo Marte.

 

A bordo da nave produzida pela empresa de hologramas Estúdios Universais e seleccionada pela Biblioteca do Congresso Norte-Americano – pelo seu importante significado cultural, histórico e estético – Flash e Dale assistiram em directo e confortavelmente instalados na sala de comando à evolução do inesperado e decisivo Evento: mas em primeiro lugar assistiram à chegada ao Planeta Vermelho de mais um dos rudimentares artefactos espaciais terrestres, demonstrativos do estado ainda demasiado primitivo (social e tecnológico) desta jovem civilização, apesar do processo cíclico iniciado há já muitos milhões de anos (com o fim do ciclo marciano e a transposição dos factores básicos de existência de vida para outro novo planeta e receptor). Nas vésperas da chegada do cometa Sidding Spring às proximidades do planeta Marte, uma nova sonda alienígena entrava em órbita do mesmo – a sonda terrestre Maven – agora com a missão de estudar a sua atmosfera e tentar perceber o que se terá passado no seu passado distante com componentes como a água e o dióxido de carbono. Tentando entender ainda a presença nos dias de hoje de um gás como o metano.

 

Quinquilharia terrestre à espera de Sidding Spring

 

E subitamente o planeta viu-se envolvido no turbilhão provocado pela passagem do cometa, embrulhando-se numa teia de poeiras e outros detritos que acompanhava o astro na sua trajectória vertiginosa em direcção a Sol: a visibilidade sobre o que se passava à sua volta tornou-se cada vez mais difícil, afectando significativamente as comunicações entre o espaço e a superfície.

 

Fazia lembrar aqueles dias em que Marte tinha morrido, tendo antes e com as suas penetrações preventivas fecundado a Terra e libertado decisivamente a sua raça da extinção. Enquanto isso num bar subterrâneo da base instalada no subsolo marciano localizado numa das crateras da região de Cydonia, Flash e Dale bebiam um último coktail: tinham agora a certeza de que quem pilotava o cometa SS era o cruel e tenebroso imperador Ming.

 

(imagens – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:37

Setembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11

15
16
17

21



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO