Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

18
Jul 12

Os E.T.E. e as nossas necessidades de sobrevivência

 

A GNR de Albufeira vai investigar a presença de Velhos e de Gaivotas no mercado municipal

 

1

As profundas alterações climáticas registadas em muitas partes do mundo têm vindo a afetar progressivamente o tempo, incluindo a meteorologia do nosso país. No sul de Portugal os sinais de perigo que vão aparecendo são cada vez mais preocupantes, com o avanço da desertificação vinda do norte de África, associada ao crescente problema da falta de água, caso ainda mais agravado pela destruição maciça da fauna e flora algarvia em anos passados, debaixo da força devastadora dos incêndios aí ocorridos e da malfadada mão do Homem.

 

2

É já muito comum, vermos as gaivotas a afastarem-se da costa à procura de alimentos ou os charnecos em grandes bando vindos da serra interior, a visitar as nossas casas e a fixarem-se nos nossos campos mais ricos em alimentos e bicharada e estrategicamente localizados mais perto do litoral e das praias; locais turísticos onde se vai acumulando todo o lixo e animais mortos de que estas aves se alimentam e com que se banqueteiam e consequentemente, se instalam e se reproduzem.

 

3

Numa visita ao Mercado Municipal da cidade registamos a opinião de algumas pessoas sobre as consequências das constantes alterações climáticas e da profunda e prejudicial ação do Homem sobre a natureza, tendo a maioria das pessoas entrevistadas idades superiores a 45 anos e realizando visitas cada vez mais assíduas a este local de compra, venda e convívio de qualidade, face à degradação crescente das grandes áreas comerciais, cada vez mais impessoais e fortemente atingidas pela crescente falta de qualidade dos seus produtos expostos.

 

4

O povo presente queixou-se maioritariamente e sobretudo da falta de ação da autarquia para promover e desenvolver ainda mais esta zona – situada tão perto do centro antigo e do centro mais moderno da terra e com os jovens e as suas escolas tão à mão de semear – enquanto por outro lado deixa a GNR e a ASAE espalhar o pânico entre comerciantes inocentes, cumpridores, taxados e alguns mesmo já membros do grupo da terceira idade. Veja se por exemplo o caso da falta de alguns chapéus-de-sol para proteção de vendedores e clientes, muitos deles com idades já avançadas e da falta de respeito demonstrada sobre um comerciante de calçado legal – apesar da sua defesa feita no local pelo fiscal da câmara – por nós todos conhecido e respeitado e integrado com a sua família na sociedade albufeirense há cerca de 40 anos.

 

5

E aqui surge o Estranho. A sua vida é um pouco da história desta terra chamada Albufeira. Filho de gente honrada e honesta, de agricultores e pescadores abandonados à sua sorte, este teve que fazer o seu percurso de vida sem poder recorrer a nenhuma ajuda ou solidariedade, sob a pena de por abandono e desconhecimento da sua existência, poder aparecer morto numa valeta como o cão atropelado na 125 pelo potente carro do artista, que por acidente se viu desviado da Via do Infante – a via conhecida como não tendo custos para o utilizador, desde que se tenha dinheiro para a pagar.

 

(imagem - Passeio dos Tristes)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:28

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Julho 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13

19
20

23
24
25
28



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO