Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

01
Nov 12

Albufeira – Ficheiros Secretos

 

1.ª Situação (io78)

O CIO – Centro de Idosos Alienígenas

 

A reunião decorreu num ambiente geral de compreensão e diálogo

                              

Reuniu-se no último dia do mês de Setembro de 2012 numa escola do concelho de Albufeira, um grupo representativo do Conselho de Idosos Alienígenas – CIO – sob a presidência do futuro candidato ao pelouro dos idosos da Câmara Municipal da cidade e com um único tema agendado para debate: “A menopausa nos alienígenas”. Em certos momentos o debate esteve muito acalorado, tendo os participantes – nos intervalos programados de relaxamento – colaborado na elaboração de orgias técnicas, aplicando artes de penetração sobre mesas e cadeiras conjugando expressões corporais e eróticas, de modo a comprovar a improbabilidade sintomática da perceção de caraterísticas comportamentais humanas, em comunidades alienígenas misturadas, logo tornadas suscetíveis por contágio.

 

A reunião decorreu sob a proteção da cadela híbrida e fiel Guardiã NEILA I

 

A solução adotada pelos alienígenas para o problema da menopausa e de outros possíveis contágios de origem humana, não foi entretanto divulgada. Soube-se no final da reunião e oriundo de um participante ativo na mesma – mas que desejou manter o seu anonimato – que um dos conselheiros presentes teria proposto por solidariedade e amizade, a esterilização completa de todos os seres humanos, libertando-os de todo o processo da violência sexual física na adolescência e de traumas psíquico-sexuais degenerativos durante toda a velhice. Os restantes alienígenas presentes fartaram-se de rir com a proposta apresentada pelo seu ilustre colega, terminando o seu encontro com um pequeno beberete e com a distribuição de pequenas lembranças representativas do nosso país, tais como um boneco das caldas e um vibrador comprado na feira da ladra.

 

2.ª Situação (xp33)

Os AA – Alienígenas Anónimos

 

1. O Complexo

 

Cidade Subterrânea de Denrinkuy (Turquia) descoberta em 2007 e com origem por volta de 2000 A.C. (ou anterior). Repare-se nos diferentes níveis desta construção espantosa

                                       

Como é costume desloquei-me ao complexo situado a poucos quilómetros de Albufeira e de acordo com as funções que me foram previamente atribuídas pelos meus superiores hierárquicos, verifiquei se todas as condições exteriores de segurança estavam dentro dos parâmetros previstos. Tudo parecia estar de acordo com a estratégia delineada para a manutenção da invulnerabilidade desta área reservada e nada fazia prever que alguma falha de segurança viesse a prejudicar o objetivo da sua existência e do seu papel na intervenção importantíssima dos alienígenas nesta zona do planeta.

 

A casa situava-se num terreno com uma área de pouco mais do que um hectare, rodeado de vegetação e de algumas árvores típicas da zona como amendoeiras, figueiras e alfarrobeiras. Por vezes lá se via uma lebre a passar a correr diante de nós e lá iam o Noddy e a Tita – dois cães biónicos – numa corrida desenfreada mas responsável, perseguindo o descarado e suicida invasor. E nada fazia supor que por ali existisse algo mais, do que uma casa e alguns animais.

 

Abri a porta e entrei na habitação sempre extremamente limpa e arrumada. Introduzindo o código secreto de acesso, posicionei-me de imediato num cubículo não percetível da casa, fechado e completamente vazio – que me daria entrada à sala de comunicações – socorrendo-me então de um Transportador para chegar “ao outro lado”, artefacto capaz de deslocar objetos sólidos e de assim me colocar “do outro lado da parede”.

 

2. A Contestação

 

Cansados de toda a sucata que os terrestres lhes têm colocado à superfície do seu planeta, os Marcianos tiveram que exprimir a sua indignação e o seu ódio pelos terrestres – “Marte não será mais, uma lixeira a céu aberto” gritaram eles! Muitos dos participantes exigiram a imediata invasão e ocupação da Terra, como medida preventiva

 

Quando me sentei diante da consola que integrava os instrumentos e os respetivos terminais digitais de comunicações, reparei logo na mensagem colocada sobre a plataforma de tradução do sistema de impressão, associado a este Portal espácio-temporal e a um mini Transportador de tecnologia extraterrestre. Tratava-se de um panfleto provocatório e incendiário destinado aos terrestres como eu, no qual cidadãos independentes de todo o tipo de hierarquias constrangedoras e obsoletas existentes na galáxia – e que aí tinham decidido viver uma nova etapa da sua vida no cosmos – se insurgiam contra as investidas pseudocientíficas de invasores vindos do exterior selvagem e utilizando tecnologia retrograda e poluente, sem se importarem minimamente com os incómodos provocados sobre a população indígena e sobre a superfície já tão castigada deste nobre e antigo corpo celeste, merecedor do respeito e de admiração.

                                                                                                                                           

Era evidente que esta situação podia descambar num processo irresponsável, perigoso e sem retorno e a minha atitude foi o de comunicar de imediato as minhas preocupações face ao que se passava e de pedir instruções sobre medidas a tomar para controlar em segurança todos os possíveis cenários com que me pudesse deparar futuramente. A hostilidade dos marcianos era evidente e compreensível neste caso, mas os seus slogans tornavam-se cada vez mais duros, intrusivos e racistas: propunham a invasão e ocupação do planeta Terra e a utilização de todos os seus recursos até à sua completa exaustão, o rapto das suas populações como um direito superiormente adquirido devido ao seu elevado nível tecnológico e até a libertação dos seus presos da Antiga Guantánamo Alienígena, localizada na conhecida Área 51.

 

Numa mensagem recebida pouco tempo depois, as instruções enviadas pelos canais secretos de comunicação eram bem claras quanto à necessidade de provisoriamente se ignorar a origem desta ameaça e de nos concentrarmos na resolução doutros problemas muito mais urgentes e obrigatoriamente prioritários, como o da manutenção das tréguas ideológicas entre as diferentes raças, coexistindo neste Universo. Suspendeu-se assim e pelo menos momentaneamente, a troca unidirecional de acusações.

 

3. As Consequências

 

As últimas reuniões abertas aos AA – contando com a participação de diversos seres e raças habitando galáxias adjacentes – foram muito concorridas, atingindo por vezes momentos de grande excitação e incoerência, que poderiam ter levado a consequências perigosas para a segurança global. Ora tal não pode suceder!

 

Na cidade de Albufeira e decorrendo da implantação no terreno do inovador e revolucionário Projeto EMA, realizou-se numa destas madrugadas no subsolo do Espaço Multiusos de Albufeira, uma grande reunião de senadores e conselheiros dos Alienígenas Exteriores – associados ao grupo elitista dos Alienígenas Anónimos, os AA – que contou também com a participação de uma grande delegação de terrestres e híbridos associados. Esta reunião contou com a presença de duzentos delegados, sendo metade deles constituído por extraterrestres provenientes da Nuvem de Oort. O espaço esteve sempre bem preenchido – não só com a presença dos convidados-participantes e dos seus fiéis colaboradores, mas também com a presença de toda a segurança que a realização destes eventos requer – tendo-se por vezes atingido entre os presentes um clima de algum confronto e efervescência, mas que terminou sempre com o apaziguamento dos responsáveis pela mesa.

 

No final a mesa chegou a um compromisso entre as partes em conflito, ficando aí estabelecido que se iriam iniciar negociações secretas entre a NASA e os representantes alienígenas – com a presença dos híbridos como elementos de ligação – de modo a que as grandes potências económicas da Terra como os EUA se abstivessem durante os próximos anos de enviar mais monstruosos contentores de lixo com destino ao Planeta Vermelho.

 

             

Forças de segurança alienígena – com a colaboração de viaturas cedidas em segredo pelas forças de segurança terrestre aderentes ao movimento – tomaram em suas mãos a segurança do evento organizado por responsáveis ligados ao Projeto EMA

                                                 

A única agitação mais virulenta que atravessou todo o espaço de implantação do Projeto EMA de Albufeira e ocorrido no decurso do cumprimento da ordem de trabalhos desta reunião, registou-se quando se levantou o rumor da presença próxima de Dióspiro Silva e de Animal Cavalo no local, dois elementos preponderantes na comunidade regional e nacional na pratica de atos irresponsáveis e de legalidade duvidosa e que pretenderiam com a sua presença garantir apenas mais um contributo precioso para alcançar, um a presidência da RTA e o outro a continuidade tranquila do seu caminho como PR. ZÉZÉ Camarinha um conhecido patriota do sexo e regionalista convicto impediu com toda a força da sua ferramenta, a entrada destas duas personagens sinistras em cena e na companhia de algumas amazonas residentes em Portimão, convidou-os pedagogicamente a saírem em silêncio, o que obedientemente cumpriram firmes, hirtos e com um sorriso amarelo.

 

(imagens – Google)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:07

Novembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

14

22
23

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO