Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

05
Mar 11

Foto do Homem do Espaço - ao fundo

 

Em 23 de Maio de 1964, o bombeiro Jim Templeton tirou três fotos de sua filha de 5 anos durante uma viagem para Burgh Marsh, com vista para o Solway Firth em Cumbria, na Inglaterra. As únicas pessoas relatadas na área pantanosa aquele dia eram um par de velhas senhoras, e animais muito longe da localidade da foto. Na segunda imagem da menina, uma figura branca pode ser vista no que parece ser um traje espacial. Jim insiste que ele não viu a figura até que suas fotografias foram reveladas. Analistas da Kodak confirmaram que a foto era genuína. Até este dia, a imagem permanece inexplicada e uma fonte de fascínio internacional. Quando a foto foi tirada, em 1964, os trajes espaciais humanos estavam em sua infância. Após o lançamento nacional da fotografia, Jim Templeton afirmou que foi visitado por dois homens que disseram ser do governo. Os homens tentaram fazer com que ele admitisse que havia fotografado uma pessoa, mas ele se recusou. No mesmo período de tempo que a foto foi tirada, um lançamento de míssil foi abortado por causa de dois grandes homens que foram testemunhados no campo de tiro. Os técnicos relataram que eles se assemelhavam ao homem espacial de Solway Firth. Ufólogos têm usado a fotografia como prova de que vida extraterrestre influenciou o programa espacial moderno, incluindo trajes espaciais.

 

hypescience.com

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:45
tags: ,

Indonesia - photo by John Stanmeyer

 

Mount Semeru, seen with an ash plume, is the highest volcano on the Indonesian island of Java and has been in a constant eruption since 1967.  It lies at the southern end of the Tengger caldera, which contains smaller volcanoes Mount Bromo and Mount Batok (both seen in the foreground), and several others.

 

National Geographic

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:03
tags:

Farol de Alexandria

 

O Farol de Alexandria foi criado por Ptolomeu, o rei do Egipto, em 290 A.C. e tinha 117 metros de altura. Com um grande espelho interno reflectia a luz do sol e orientava as embarcações. A noite usava-se o fogo para o farol brilhar. Em 1480 ele foi desmontado para se erguer um forte no local e restos do farol podem ser vistos submersos no mar.

 

Almanaque Estação

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:56

Torre de Belém

 

Portugal é um dos países europeus pertencentes à CEE, que atravessa uma crise transversal a todas as instituições e estratos sociais, que o compõem e sustentam. Em termos gerais a produção é inferior aos pedidos dos consumidores e isso reflecte-se na relação entre as exportações (mínimas) e as importações (máximas); problema ainda mais agravado por sermos infantilmente um país Lego, em que montamos as peças que nos dão e muito contentes as vamos mostrar ao nosso dono. A crise sente-se no nosso bolso porque o dinheiro não estica e se o estado continuar a penalizar os que já nada têm e verificar que daí já nada vem, só lhe restará virar-se para a nossa chamada classe média e exigir-lhe o que os outros já não podem pagar, esgotando deste modo os recursos, da dita classe média. Ora isso já está a acontecer e as respostas da sociedade civil, não se vêm no horizonte mais próximo. Até mesmo as miseráveis manifestações dos chamados políticos e fazedores de opinião, gritando ao contrário que o momento ainda não chegou, têm mais força e impacto nas pessoas, torcendo-nos cada vez mais o cérebro, de modo a secar mais depressa e sem grande despesa: é só cobrar sem parar, para assim baixar o défice e continuar a pedir dinheiro emprestado, para sustentar a máquina que nos sustenta a vida, através deles. Aquela Máquina!

Sem Memória e Cultura nunca poderá existir Educação. E sem esta última, todo o processo evolutivo a nível Científico e Tecnológico, não terá espaço para se desenvolver e expandir – sem livros e pensadores livres presentes, não existe um fim a atingir, porque não encontramos o seu centro, a sua origem. E a partir daí qual será o interesse em nos debruçarmos sobre áreas como os da organização social e económica, se já ninguém se preocupa com nada de nada e o medo nos leva a esconder no interior mais remoto da nossa toca.

A Torre de Belém é um símbolo actual do nosso país – um lugar belo, circundado por uma ausência que parece parada no tempo, todo iluminado no seu interior, que se pressente grandioso e glorioso, mas onde ninguém se avista, nem se detectam movimentos ou sombras. Parece um mundo após o Apocalipse, onde apenas a chuva no piso húmido, nos diz que ainda pode ter restado alguma coisa.

 

Foto do “National Geographic”

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:51

Planície alentejana

 

Esta é uma imagem de extrema beleza obtida no Alentejo.

O céu parece querer explodir, penetrando a terra subjugada debaixo dos seus pés.

Os campos expectantes parecem segurar com a sua leveza, as fronteiras que os separam.

Mirando o intervalo, sentimo-nos observadores de um sistema comprimido e sonhamos atravessá-lo.

O que se passará para além dos limites dos nossos órgãos dos sentidos?

O Universo Vivo!

 

Foto do “National Geographic”

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:45
tags:

Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
18

21
22

30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO