Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O Sentido da Visão

Quarta-feira, 20.04.11

Olho de Horus

 

Símbolo do poder

 

A Terra ainda respira pelos poros da sua pele, espalhando à sua volta, toda a vida que a suporta e toda a beleza que dela exala: o seu odor sente-se, na diversidade da profusão das suas cores naturais. Não existe limite para a beleza – ela impõe apenas a nossa presença e o pleno usufruto da Natureza. O movimento é a sua última essência e a cor a sua evidência.

 

Pôr-do-Sol

 

Tanzânia – Serengeti

 

Paisagem em camadas sobrepostas, onde cada nível de estratos, se mistura e confunde com o nível adjacente: a vida é assim, não tendo princípio nem fim.

 

Pássaros

 

Brasil – Pantanal

 

A vida está em todo o lado do mundo e de um ponto qualquer, ela pode emergir e transmitir ao outro mundo que criamos, a mensagem de que, mesmo de onde menos se espera, a vida pode surgir e fluir pelo espaço, ondulante, envolvente e sufocante, como o vento dum deserto.

 

(Fotos – Google & National Geographic)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:14

Os Pais Não Servem Para Nada

Terça-feira, 19.04.11

O Massacre da Educação no Mundo à Mão dos Especialistas

 

A Escola como veículo educativo de qualquer sociedade tem na divulgação da cultura e da memória do seu povo, uma função fundamental para a sua sobrevivência, estabilização e evolução saudável. Sendo um local de confluência de diversas culturas e interesses, a escola funciona como um filtro para o estabelecimento de boas regras de convivência e até de solidariedade social, desde que ela reflicta o meio que a envolve e não uma cultura centralizada, apenas interessada no lucro e na representação desenfreada de uma mão-de-obra pretensamente especializada, mas apenas embrutecida por milhares de hábitos e rotinas. Pega-se no Homem, estabelecem-se regras, oferecemos-lhes um destino profissional, colocamo-lo na estrutura, sugamos-lhes todas as suas forças vitais, mutilamos-lhes o cérebro e transformando-os em anormais sedentários em fim de viagem, dispensamo-los e ignoramo-los, sem sequer olharmos para eles: e então, como estes já não existem como contrapoder, dado comportarem-se como animais com um cérebro de portas fechadas, sofregamente atiramo-nos aos mais novos e como o pior dos pedófilos em acção, ainda lhe chamamos “nomes e insultos rascas”.

 

A Escola foi morta às mãos do contabilista que mal sabia fazer as contas da mercearia mas que como filho pródigo e presente, foi à escola, conseguiu licença de porte de “arma” e arranjou um bom emprego. Nesta sociedade apodrecida, até as ovelhas negras podem ser aproveitadas, desde que respeitem a ética, a moral e o tempo de quem manda.

 

 

Os pais sem Estado e à rasca, assistem apáticos ao massacre dos seus filhos – Rio de Janeiro

 

O Estado entra em acção, para salvar as crianças “sem pais” e dar o exemplo – Rio de Janeiro

 

Tudo se resolve com violência e o estado é um especialista nessa estratégia, até numa escola, até com crianças – o exemplo baseia-se na promoção de imagens que nem precisam de ser reais, apenas susceptíveis de ser imitadas. E sem serem explicadas as consequências futuras para o desenvolvimento emocional de qualquer criança, o crime fica consumado, ainda por cima um crime perfeito, sem culpados: só falta mesmo fazer desaparecer as vítimas, marginalizando-as, tornando-as associais e marginais. Já chega?

 

1969 – A Culpa está no analfabetismo dos pais, reflectido nos filhos

2009 – A Culpa está no analfabetismo dos pais, reflectido nos professores

 

O meu percurso escolar começou ainda no tempo de Salazar.

 

Na escola primária do Campo 24 de Agosto, lembro-me bem da separação nos recreios entre meninos e meninas, ainda hoje não percebendo bem porquê, talvez porque eu habitava a cidade ou os seus dormitórios, ao contrário da nova burguesia florescente, que vinha emigrando da província interior para o litoral exterior, parcela de terreno livre, aberto ao mundo novo que agora se impunha.

 

Foi uma parte da minha vida, passada na Invicta cidade do Porto. Fui mais tarde para o Liceu Alexandre Herculano, após exames de transição para o ciclo educativo que se seguia, com o objectivo de continuar os meus estudos e continuar a minha formação. A minha irmã mais nova, como rapariga que era, foi encaminhada para o Carolina Michäelis. Tenho várias memórias do liceu: a sua grande e fornecida biblioteca e os fabulosos volumes de revistas TinTin e seus progenitores portugueses como o Mosquito, a hora de interrupção da manhã para a saborosa sandes de omeleta – o problema era o cheiro a podre quando se guardavam os restos –, as aulas de Francês com o apoio do projector às aulas e aventuras da banda desenhada e até, com o mesmo professor, as suas dúvidas face à minha sanidade mental de criança, com problemas mais que prováveis de auto-estima – só por afirmar que a minha mãe (note-se, “mulher” nessa época) era médica e divorciada, abandonara a família e ainda por cima, os avós maternos com quem vivia, eram novos-ricos na altura muito bem sucedidos, com prestígio e sobretudo dinheiro. Este professor prestigiado, até tinha os seus livros de Francês adoptados pelo regime!

 

Andei ainda por Espinho, onde completei o ensino secundário, apanhando aí com o 25 de Abril e a revolução, que rapidamente levantou a feira e partiu. Alguns feirantes como eu, ainda ficaram com a cabeça na Lua com saudades da convivência, mas rapidamente, os mais iluminados trocaram a tenda nómada pela loja sedentária e aí começaram a negociar os produtos, da nossa sobrevivência. No entanto o secundário já foi para mim, uma enorme desilusão, não passando de um mero prolongamento preparatório e sem evolução, do ciclo primário: com as mesmas regras, a mesma identidade e ingenuidade, agora com a presença reforçada do Estado e da Mocidade Portuguesa. A própria arquitectura da escola, a ocupação do espaço e a distribuição das suas zonas, hierárquicas e de género, faziam lembrar a estrutura militar, as suas casernas e espaços envolventes. Com os seus soldados em instrução!

 

A Pirâmide Social

 

Apanhei o 25 de Abril e dispensei da aptidão para a Faculdade, mas devido à confusão no meio da multidão, tudo acabou por passar de “degrau”, meteram-nos medo de permeio, fomos deslumbrados para outro curso e então, os difusores dos boatos persistentes, consistentes e com intenção, lá ocuparam o nosso lugar, sem querer, tirando cursos com cem anos de percurso ou passagens administrativas. E hoje, com merecimento por toda a burlice não descoberta, são santos e ministros.

 

Até pode ser que hoje em dia, ainda possas ser professor. Mas acredita que já não estás em posse de todas as tuas faculdades mentais pois, se tal acontecesse, já estarias reformado ou estarias a correr de novo à procura da tua infância. Nunca devemos levar a nossa cobardia ao ponto de, não fazendo nada para salvar alguém, ainda criticamos aquele que, por não ser capaz de deixar de ver, se lança de imediato na tentativa de salvação do nosso semelhante. Até porque é daí que deve vir a verdadeira definição de vida.

 

Não é por a nossa vida ser uma hipocrisia rica, que uma aventura alienada chega a ministra: ainda por cima acéfala, com uma ideologia de Leopoldina e na companhia duma boneca. Sendo marioneta de um mentiroso, do homem dos trocos e da sua bruxa mãe – grande descendente da paridade masculina, virgem educativa inspirada nas musas chilenas e discípula directa, do anarquista perfeito – não lhe devemos dar a outra face, mas acabar com este tipo de pessoas, que apenas pensando nelas, não reconhecem os nossos direitos. Acham que somos rascas!  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:35

Tintin

Terça-feira, 19.04.11

Caso “Tintin no Congo” conhece hoje datas para julgamento em Bruxelas

 

Teor da obra considerado racista

 

O livro da polémica

 

Este livro foi publicado por Hergé em 1931.

Ou seja há oitenta anos!

E como “mais nada de grave se passou desde então no mundo, no que diz respeito ao problema do racismo”, alguém declarando-se de mãos limpas, lá encontrou um boneco compensatório para os seus remorsos conformistas, tornando-se ilusionista.

 

Tintin no Congo

 

Cesse-se a publicação ou afastem-na das criancinhas!

 

Não custa nada ter memória e muito menos ter cultura. O problema é o daqueles que não tendo nenhuma das características anteriores, por opção fundamental de vida e necessidade de sobrevivência no mercado onde desejaram inserir-se – como é “bom” seguir-se um determinado percurso obrigatório e situacionista (de poucos anos) e em troca, obter-se uma boa segurança económica (de muitos anos), comprovada por um certificado de aptidão passado pelo poderoso estado – decidem por todos nós, o que é bom e o que é mau, confundindo-nos com datas e factos diferentes, misturando casos e exemplos sem qualquer espécie de ligação e resolvendo sem qualquer tipo de hesitação, atacar pessoas do século XX (os seus mestres) por não cumprirem as novas directivas – que eles próprios não cumprem – impostas em nome do bem do novo século XXI.

 

O Bobo

 

No mundo anterior, a força exercia-se e sentia-se, através do uso das armas: aí a posse de uma arma ou do detentor da mesma, representava o poder – daí a proliferação de postos hierárquicos e do poder de intervenção dos exércitos: era bom ser General! No mundo posterior e face à violência que a utilização indiscriminada de armas projectava sobre a sociedade – e o mau aspecto que dava – o poder resolveu substituir a força das armas pela força de um canudo: a força bruta era então substituída pela brutalidade de um saber seguro e controlado, de ingestão forçada, mas deveras compensatória: era bom ser Doutor! A violência não acabava, só que agora seria sempre certificada, antes de ser utilizada, até para controlar melhor os outros grupos rivais.

Antes de Bolonha só conhecia o esparguete, mas um barrete, enfia-se por qualquer razão. O meu grande erro foi não ter pegado em qualquer um!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:20

Geração à Rasca

Segunda-feira, 18.04.11

 "Geração à Rasca®" já é marca registada

 

Em Portugal as manifestações de 12 de Março levaram milhares de pessoas às ruas

 

16.04.2011

Jornal i

Os organizadores pretendem dar continuidade à acção de protesto através da fundação do "Movimento 12 de Março M12M"

 

E agora o que vai ser de nós, os desgraçados, os que não têm onde dormir, aqueles que nem dinheiro têm para comer?

 

Os “amigos” que ainda comem e que ainda têm força para falar e para gritar, já nos registaram na “praça da alegria” e agora até devem querer abrir um "bom" negócio, à pala da nossa desgraça!

 

Está certo: alguém que o faça e que esse alguém, represente a “Geração à Rasca®”!

 

Só mesmo neste país, é que a miséria se pode tornar um negócio lucrativo, chegando o medo ao extremo de nos impedir de abrir a boca, pelo perigo adjacente de começarmos, sem saber, a esgotar o nosso orçamento e a pagarmos sem parar, o uso inadvertido de marcas registadas, que antes “éramos nós”!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:32

Planet Earth

Domingo, 17.04.11

Arménia

 

Is Armenia's Nuclear Plant the World's Most Dangerous?

 

Nuclear Plant

 

Steam rises from the cooling towers of Metsamor nuclear power station in Armenia in September 2010. One of the last old operating Soviet reactors built without containment vessels, its location in a seismic zone has drawn renewed attention since Japan's earthquake-and-tsunami-triggered crisis.

 

USA

 

Arizona

 

Lightning

 

This is a time exposure of four lightning strikes over Scottsdale, Arizona.

 

 

Volcanic Plume Even Bigger Than Thought

 

 

Yellowstone´s

 

Steam rises above Grand Prismatic Spring in Yellowstone National Park.

 

 

Portugal

 

Tamega River

 

Amarante

 

The Tamega River flows under a Roman-era bridge in the scenic town of Amarante.

 

 

Algarve

 

Sun, water and food

 

Albufeira – Praia do Evaristo

 

This image was captured in the fading light of a stormy day on the Portuguese south coast, the Algarve. Waves were rolling in, very powerful, and there was salty spray in the air, covering the equipment within minutes, but I was so amazed by the light.

 

National Geographic

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:19

All Around Us

Quinta-feira, 14.04.11

Keshe Foundation

 

The Solar System shows a specific balancing system, where the Sun contains the largest part of the hiydrogen, and on the outside are gaseous planets. Between are metallic type of planets.

 

Fractal Universe

 

As might be expected of generators, the magnetic field strengths of the planets is determined mostly by their size; less so by their speed of spin.

Thus those of Mercury and Pluto are weak through small size, and Venus through very slow reverse spin.

Plate tectonic activity of the inner rocky planets appears to be another product of electromagnetic performance. The signs on Mars are not as well defined on Earth, such that professionals consider it to be no longer functioning. More likely is that its smaller size limits the action.

Opinion differs as to whether Mercury shows faint signs; not surprising in view of its miniscule size and resultant, tiny, magnetic field.

Venus, with its low field and reverse spin, predictably shows no evidence of continental drift as with the gas planets, of course. Nonetheless any rocky cores may be expected to follow the rule of size and electrical generation.

 

Google

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:16

Em Órbita

Quinta-feira, 14.04.11

I

 

Há 50 anos – Yuri Gagarin

 

April 12, 1961

 

On April 12, 1961, the era of human spaceflight began when the Cosmonaut Yuri Gagarin became the first human to orbit the Earth in his Vostock I spacecraft.

 

The flight lasted 108 minutes.

 

Control panel

 

This image is of the control panel of Vostok 1 spacecraft, which was designed to carry a single cosmonaut.

 

NASA

 

II

 

E a Laika?

 

“E não é que, mesmo no auge da luta entre quadrilhas, com a crise económica a atacar a nossa vida por todos os lados, com os ladrões a acusarem as suas vítimas de não se querem pôr de novo em posição – para o continuar duma violação natural, funcional e selectiva, com o apoio de milhões de cegos autopropostos ou então usufrutuários – os novos necrófagos da comunicação, lá se lembraram de uma data, que lhes fosse mais uma vez favorável: falaram, disseram e esqueceram, passando ao facto seguinte, na correcta sequência cronológica. Mas esqueceram-se duma grandessíssima cadela, chamada apenas de Laika.”

 

III

 

Há 54 anos – Laika

 

Laika em 1957

 

Laika (em russo Лайка, 1954 - 1957), uma raça de cães da Sibéria e norte da Rússia, literalmente: ("que ladra") foi o primeiro ser vivo terrestre a orbitar a Terra e o fez a bordo da nave soviética Sputnik II, em 3 de Novembro de 1957, um mês depois do lançamento do satélite Sputnik I, o primeiro objecto artificial a entrar em órbita.

Laika morreu entre cinco e sete horas depois do lançamento, bem antes do planejado. A causa de sua morte, que só foi revelada décadas depois do voo, foi, provavelmente, uma combinação de estresse sofrido e o super aquecimento, talvez ocasionado por uma falha no sistema de controlo térmico da nave. Apesar do acidente, essa experiência demonstrou ser possível para um animal suportar as condições de microgravidade, abrindo caminho assim para participação humana em voos espaciais.

 

Wikipédia

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:54

Passarada

Sexta-feira, 08.04.11

I

 

Sandhill Cranes

 

Sandhill Cranes – Platte River – photo by Joel Sartori

 

Half a million sandhill cranes pause on the Platte River in Nebraska to fatten up on corn waste, worms, and other food in nearby fields. The break occurs on their spring flight from Mexico and the southern U.S. to breeding grounds in the far north.

 

(National Geographic)

 

 

II

 

Grous

 

Tem-se registado um marcado declínio desta espécie, devido à drenagem de zonas de nidificação

 

“O Grou é uma ave da ordem dos gruiformes. É maior do que a Garça-real, tem pescoço comprido e pernas longas, o que contribui para o seu aspecto muito elegante.”

 

(parquenoudar.com)

 

 

III

 

Salgados

 

É da responsabilidade das câmaras municipais de Albufeira e Silves, a manutenção e preservação da reserva localizada na Lagoa dos Salgados. Situada nos antigos sapais de Pêra, esta é uma das reservas de Portugal mais visitada pelos amantes e estudiosos internacionais de observação de aves.

 

Na lagoa dos Salgados existem manchas de vegetação emergente que servem de refúgio a várias espécies de aves aquáticas

(avesdeportugal)

 

Agora terreno “abandonado e desprezado”, as únicas notícias que nos chegam deste local, referem a violenta e opressiva invasão “hoteleira”, que se reflecte na asfixia progressiva da zona, como ecossistema fundamental para a preservação da fauna e da flora local. Problema ainda mais agravado, pela proliferação por todo o Algarve, de infindáveis campos de golfe e estruturas envolventes. Isto tudo, sem controlo!

 

Onde está agora o pato, o flamengo, a garça, o estorninho, o cartaxo e outros tantas aves, antes tão comuns na zona e que nos visitavam durante o ano, todos os anos?

 

 

IV

 

Notícia

 

E a lagoa, será que ainda existe? Têm dúvidas? Vejam uma notícia de 2008:

 

CCDR autorizou esvaziamento

 

Pássaros "às secas" nos Salgados

 

Um esvaziamento fora de tempo transformou a Lagoa dos Salgados num “deserto”. Ambientalistas nem queriam acreditar no que viram.

 

A Lagoa dos Salgados - situada entre os concelhos de Silves e Albufeira -, uma das mais importantes zonas ecológicas do Algarve, sofreu um esvaziamento na semana passada que está a criar alvoroço no seio de várias associações ambientais.

Como está junto a um campo de golfe - propriedade da Herdade dos Salgados - e para evitar inundações, no Inverno, é costume abrir um canal até ao mar. No entanto esta acção foi feita em plena Primavera, altura em que as aves estão a nidificar.

 

“A lagoa já foi aberta duas vezes este ano mas a esta altura do ano não devia ter sido feito. A zona parece, um deserto. Milhares de aves desapareceram totalmente”, confessa ao Observatório do Algarve João Ministro, da associação Almargem.

 

Aves como o pernilongo, o camão, o papa-ratos ou a garça vermelha, que usam a área de 149 hectares para nidificar durante a Primavera, já não o vão fazer este ano, garante João Ministro, afirmando que algumas terão fugido para a Ria Formosa, não se sabendo se já teriam começado a nidificar. Ao todo, no pico da época de nidificação, a Lagoa dos Salgados chega a albergar perto de 1500 aves.

 

João Ministro sublinha ainda que o campo de golfe foi mal planificado, já que está construído sobre uma zona de leito da Lagoa dos Salgados, o que leva a ser esvaziada mais vezes que o normal e ressalva que há maneiras menos agressivas para libertar a água, como a bombagem, mas que envolve custos mais elevados.

 

“A lagoa fecha naturalmente, o que demora entre duas a três semanas, mas a ondulação não tem estado muito forte, por isso deverá demorar mais tempo”, admite.

 

Por enquanto ainda não foi feita qualquer queixa por parte da Almargem ou outra qualquer associação, mas a hipótese não está fora de questão: “Estamos a ver a situação com algumas associações de defesa do ambiente, incluído a SPEA (Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves), e vamos tomar decisões em breve”.

 

Recorde-se que a SPEA chegou mesmo a cancelar uma visita programada de observação de aves, devido à nova situação da lagoa.

 

 

 

CCDR deu luz verde

 

Contactada pelo Observatório do Algarve, fonte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR-Alg) confirmou que a abertura da Lagoa dos Salgados foi autorizada pela entidade: “Após um episódio intenso de precipitação, e tendo o nível da lagoa subido bruscamente, optou-se por autorizar a abertura da barra nesta altura", adianta a CCDR-Alg.

 

A medida terá servido como acção preventiva, com receio de que o nível das águas subisse para níveis não desejados. "Optou-se por autorizar a abertura da barra nesta altura, já que se temeu que, com novos episódios de precipitação, se tornasse forçoso abrir a barra com a época de nidificação mais avançada (ou que ocorresse uma abertura natural da barra), com prejuízos porventura mais graves e com menor possibilidade de reposição do nível de água na lagoa durante a época de estio”.

 

A mesma fonte salienta ainda a complexidade da gestão destes sistemas lagunares, em que pesam vários factores: "É necessário ponderar e conciliar variáveis diversas como a imprevisibilidade dos fenómenos climatéricos, a qualidade da água, a capacidade de suporte para a fauna aquática, a variação do nível da água, a qualidade da praia balnear adjacente e a salvaguarda de bens materiais nas imediações da zona húmida", esclarece.

 

De acordo com a CCDR-Alg, a Lagoa dos Salgados será fechada durante o dia de quinta-feira, com a reposição da areia entretanto removida.

 

(Observatoriodoalgarve.com) 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:22

Notícias de Ontem

Domingo, 03.04.11

Na central nuclear de Fukushima, mais um episódio negativo a acrescentar às consequências do desastre desencadeado com o tremor de terra e o posterior tsunami, que afectou uma das costas do Japão: nova fuga radioactiva no reactor 2 da central, contaminando fortemente as águas do oceano Pacífico.

 

Um dos 300 “voluntários” de Fukushima

 

Na Líbia, à medida que as forças dos Estados Unidos da América se vão retirando directamente do conflito e entregando o comando da acção à Europa, via NATO, o conflito parece querer tomar outra direcção, ainda não perfeitamente perceptível. Com isto, Kaddafi contra-atacou novamente com armas pesadas, pondo os rebeldes nuns casos em fuga, noutros em alerta total, chegando estes últimos ainda a ser bombardeados e mortos, no meio de toda esta confusão e caos, pelas forças amigas da coligação. A Europa ainda está a pensar – o petróleo falará mais alto?

 

Rebelde “a caminho” de Tripoli

 

O Dalai Lama falou recentemente do degelo acelerado que está a acontecer actualmente nos glaciares tibetanos e das consequências negativas que terá para o desenvolvimento e sobrevivência das populações que circundam toda esta região, o desenvolver deste processo, se entretanto não forem tomadas medidas para tentar contrabalançar o que está a suceder a nível climático, nesta zona do globo. Mas se o regime chinês nem liga aos tibetanos, como esperar outra atitude diferente, face aos territórios “destes”?

 

Uma parte do “outro mundo” em parte perdido

 

Fotos – The Huffington Post

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:55

Cães Sem Carta De Condução

Domingo, 03.04.11

Os bichos são nossos amigos, isso já nós sabíamos todos, mas também sabem esperar, sem protestar ou exigir, antes do que foi combinado. E muita das vezes, esse tempo que dispensamos, é tão pouco para eles: como na nossa vida diária, que se vai escoando sem sentir, adiamos para o dia seguinte, a confirmação da nossa amizade. E assim não se sente verdadeiramente, o amigo que no seu buraco, lá vai resistindo por nós – e se entretanto nos vê, nem que seja de relance, então é que é ver, a chegada do “fim-do-mundo”!

 

Milo

 

Estes bichos conseguem estabelecer connosco uma relação bastante forte, que se assemelha muita à existente entre seres da nossa espécie, associando-se plenamente ao nosso grupo – seu por adopção – e fortalecendo-o com a sua fidelidade total. Exemplo que muitas vezes não é seguida pelos seus donos e guias espirituais, que são frequentemente os detonadores irracionais do fim do seu próprio grupo e segurança – a liberdade perde-se quando se destrói um mundo existente, em nome de outro que nunca existirá.

 

 Bones

 

Existem pessoas com diferentes tipos de atitudes e comportamentos – perante factos com que se deparam no seu quotidiano diário – que nos levam a afirmar que há gente, que gosta de animais e outra que não os reconhece nem deseja, para compartilhar e idealizar o seu percurso de vida. Desses, os animais estão protegidos! O problema reside naqueles que se querem reflectir nestes bichinhos e impor-lhes, como o tentaram fazer aos seus filhos de espécie, a sua filosofia de vida.

 

Prospero

 

BoingBoing – Fotos de Martin Usborne

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:36