Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

13
Nov 11

Três alegres e ingénuos porquinhos e o ardiloso Lobo Mau

 

O campo foi uma vez mais atingido por um terrível acontecimento, que acabou por ser o foco das notícias da maioria dos jornais e rádios da região. Três porquinhos de uma aldeia perdida lá para o meio da província, situada num fértil vale banhado pelo Rio Paiva, ainda carregadinho de trutas, foram atacados na sua residência por um outro animal que se declarou cobrador de impostos. Como os assustados animais se refugiaram na sua casa acabada de construir, fechando com medo, todas as portas e janelas, o Lobo Mau viu-se na obrigação de os ameaçar com uma cobrança forçada, através de dinheiro ou de artigos e para tal, tratou de arranjar um tractor para arrasar a casa dos bandidos e uma panela para os papar todos, todinhos. Aos gritos de socorro destas pobres criaturas, os seus amigos coelhos esticaram as orelhas, empinaram a cauda e vestiram a sua farda de coveiros.

 

(pignotícias.batráquio.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:13

Região Oeste atingida por queda de granizo do “tamanho de ovos”

 

A região Oeste foi hoje fustigada, ao início da tarde, por uma forte queda de granizo. À redacção da SIC têm chegado imagens impressionantes das pedras de gelo que atingiram várias localidades da região. De acordo com alguns relatos, as pedras de gelo atingiram mesmo “o tamanho de ovos”.

 

(sicnotícias.sapo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:08

A sua função terá que ser sempre de apoio e de solidariedade. E por se apoiar em impostos, estará sempre para os ilustres economistas, na coluna das despesas ou seja, na sua conta dos prejuízos.

 

Exemplo de despesas

 

       

Transportes, saúde e outros serviços públicos prioritários

 

       

Pagamento de salários, abonos e outras comparticipações devidas

 

Exemplo de receitas

 

Entrega de prémios de sobrevivência, por mérito na subtracção legal de salários

 

Ontem dia 12 de Dezembro de 2012, 180.000 pessoas manifestaram-se contra os interesses de alguns portugueses, ao serviço de algumas potências “amigas” europeias. Falta saber o que irá acontecer a partir de agora, já que esses alguns e desde há muito tempo, não reconhecem aqueles que delegaram neles a gestão da sua existência.

 

Imagens – Jornal Sol

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:40

O Primeiro-Ministro italiano finalmente saiu de cena, mas para todo o sistema político poder ainda sobreviver no seu tempo, até ao nosso colapso final, o espectáculo inevitavelmente terá de continuar.

 

     

Berlusconi e o seu Povo – adeus e profissão de fé

 

O primeiro ficará na história e o segundo fará dele uma lenda – para que tal aconteça para todo o sempre, basta manter as instituições de estado e continuar a nomear governos que o perpetuem.

 

E não se esqueçam que devido à miséria do quotidiano que nos oferecem – por vezes com oferta de televisões, frigoríficos, empregos e até outros produtos de contrabando, desde utensílios a pessoas – a religião e a política continuam a ser o ópio do povo, devido ao medo e à sua estreita relação com o negócio da morte.

 

(Imagens – BoingBoing)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:05

Lince do Alasca num fim de tarde durante o Verão, com as orelhas em movimento sinalizando atitudes

 

Estou violentamente chateado.

Chegou o fim-de-semana, não há nada para comer e a Maria ainda não apareceu por aí: deve estar à caça de comida, para alimentar as criancinhas.

As minhas orelhas reflectem a insanidade mental que me vai destruindo por dentro – a fome é grande e ninguém consegue aguentar!

E a moleza com que a orelha direita analisa o mundo, descaindo em sonolência descontrolada e escorrendo sem vergonha o seu odor pelo meu pelo caído, é ainda uma consequência da sujidade que me impregna e da acção malvada da força de gravidade.

Mas ainda me sobra a orelha esquerda, com uma réstia de esperança levantada em forma de antena e sustentando com alegria e coragem, o resto do meu corpo superior.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:08

 

O Mundo era grande e era de todos nós.

A partilha era uma escolha natural e todos ocupavam o seu lugar.

A especificidade da vida de cada um era preservada mantendo secreta a sua intimidade.

O lugar era um espaço individual onde decorria a vida, diluído num universo colectivo e solitário, mas dinâmico na ocupação de superfícies em transformação.

O Mundo era um conjunto solidário de coisinhas pequeninas, tornadas grandes, pela propagação a outros mundos dos nossos medos e inquietudes.

E a certeza de que valia a pena preservar a memória da nossa cultura, tornava este mundo, mais transparente e avesso á brutalidade da acção do tempo.

Era um mundo colorido com pessoas circulando livremente em todas as direcções e não esperando nada de novo, a não ser o seu movimento à procura de vida.

O ar, a profundidade, a simetria, a decomposição de cores e as diferentes ocupações de espaços em diferentes planos que se intersectam passando por diferentes referências, todas aglutinadas numa origem comum, compõe a parte sensual da imagem que nos absorve.

Talvez a necessidade de erecção de um novo símbolo fálico, que perfure a parte central desta nova realidade, á procura de mundos paralelos que compensem realidades perdidas.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:59

NASA – Cratera Endeavour

 

Dizem ser Marte!

 

Nesta foto de Marte e de uma das suas crateras, a paisagem apresentada parece-nos muito familiar, sugerindo-nos uma imagem do planeta Terra, com uma superfície pejada de pedras, semi-encobertas por uma camada de areia.

O preto e o branco, apesar de fazerem realçar muitas das características particulares da superfície do planeta Marte, escondem por outro lado outras curiosidades do nosso vizinho solar. Nesse sentido, apenas a luz e o desdobramento desta em todo o seu espectro as poderá revelar, expor e explicar, através das diferenças de cores e de tonalidades.

A NASA tem que compreender que em todo o mundo existem muitos leigos e eruditos que percebem um bocadinho de fotografia. Uma das questões que se coloca hoje em dia, para muita gente interessada no fenómeno é, qual será a verdadeira cor de Marte e qual a explicação para que esse fenómeno ocorra.

 

Poderia ser a Terra!

 

Partindo do princípio de que tudo é muito mais simples do que parece, não haverá algum paralelismo evolucionista entre o que sucede na Terra e nos restantes planetas do sistema solar? Não poderá o estudo de cada um desses corpos, significar um passo na evolução de um dos outros? Não será este sistema, um conjunto de pontos que se interligam entre si, de uma forma qualquer ainda não identificada? Poderá toda esta associação ser parte da explicação da nossa presença num universo vivo, integrado como um órgão num corpo dele dependente, mas formando com ele uma determinada entidade existente, num certo espaço do universo em movimento?

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:49

A Nuvem – Dmitry Gorilovskiy – África do Sul

 

Num safari em África, nem sempre os animais são os únicos pontos de interesse, de uma aventura previamente planeada. Aqui uma nuvem com uma forma bizarra – parece um OVNI – atira os nossos pensamentos para outras áreas de reflexão, demonstrando que por vezes o estranho, é uma fonte de ideias úteis, como outra qualquer.

 

O próximo Concorde – Lockheed Martin/NASA

 

É estranha a forma deste avião de forma alongada e aspecto perfurante, apetrechado de duas asas unidas por um arco, provavelmente para melhoria de seu suporte aerodinâmico e performance de voo. Esta máquina de cor verde poderá atingir velocidades na ordem do dobro da velocidade do som.

 

(a partir de NGM)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:36

Congresso dos Advogados Portugueses

12.11.2011

Portugal está a viver 'uma espécie de Estado de Sítio não declarado'

Garcia Pereira

 

 

O advogado Garcia Pereira afirmou hoje que Portugal está a viver «uma espécie de Estado de Sítio que não foi declarado», com medidas que retiram direitos fundamentais aos cidadãos, a pretexto de isso estar no acordo da troika.

Um Estado de Sítio que não foi declarado pelas formas previstas na Constituição da República, que «está suspensa de facto», declarou, durante o Congresso dos Advogados Portugueses, a decorrer até domingo na Figueira da Foz.

«Sob uma lógica de que, ou está no acordo da Troika, ou está para além do acordo da troika, estamos a assistir todos os dias à liquidação de direitos, liberdades e garantias dos cidadãos», acentuou.

Para o advogado, isto acontece «sem que se levantem vozes, designadamente daqueles que se dizem defensores da Democracia e de um verdadeiro Estado de Direito».

Afirma que as medidas estão a ser tomadas «à margem de quaisquer princípios e preceitos constitucionais» e que «o Tribunal Constitucional é absolutamente cúmplice» desta situação.

«O Tribunal Constitucional está hoje transformado num órgão político. Essa marca genética hoje agravou-se de uma forma muito significativa» e os juízes «estão a produzir decisões de conteúdo político, e não de defesa da Constituição, que é a tarefa atribuída ao Tribunal Constitucional», acentuou.

Sobre as medidas, Garcia Pereira diz que «os sacrifícios estão a cair em cima de quem vive do seu trabalho e deixando de fora os rendimentos do capital e aqueles que são os principais responsáveis pela grave crise financeira» que actualmente se vive.

O advogado realça que «doze mil milhões» de euros das tranches da troika são para recapitalizar os bancos, «que ao longo dos anos fizeram lucros fabulosos» com empréstimos do Banco Central Europeu a «um por cento e emprestando ao Estado e a devedores privados a taxas quatro, cinco ou seis vezes superiores».

Na sua perspectiva, em Portugal está-se perante «medidas com carácter de classe, claríssimo, anti-trabalhador».

Numa intervenção, produzida no Congresso dos Advogados Portugueses, Garcia Pereira exortou os colegas e empenharem-se cada vez mais na defesa dos direitos dos cidadãos.

«É o principal dever da Ordem e dos seus advogados», sustentou.

Garcia Pereira recordou ter-se formado «na escola de homens como Ângelo Almeida Ribeiro e Adelino da Palma Carlos, para quem o pior defeito da advocacia era a subserviência, o medo ou a cobardia de falar, e o primeiro dever era exactamente o de combater todas as injustiças, todas as iniquidades, todas as violações de direitos», afirmou.

 

Lusa/SOL

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:19

Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

16
18

24



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO