Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

09
Jul 12

Novas Revelações

(ficheiro pessoal INV.UK.56)

 

A consciência da existência de um outro pode ser fatal para um deles

 

Um cidadão inglês há muitos anos residindo em Albufeira e seguindo atentamente as notícias que vamos publicando sobre os Ficheiros Secretos da nossa cidade, fez-nos chegar por mão própria esta espantosa ilustração que reproduz o mais realisticamente possível a situação com que se deparou há uns tempos atrás, quando se deslocou como já é seu hábito, a um clube privado localizado numa das partes novas da cidade, de arquitetura moderna e futurista e integralmente constituído por cabines individuais. Ao passar diante de uma cabine – precisamente a número 13 – e inexplicavelmente, a porta abriu-se ligeiramente e então este deparou-se com uma cena que jamais esquecerá durante toda a sua vida e que é aqui fielmente retratada nesta ilustração: um alto responsável político da terra – que ele recusa identificar por temer possíveis represálias – convivendo com grande à vontade com um ser não originário do nosso planeta, ambos muito concentrados no seu papel, tomando uma bica bem tirada e com o extraterrestre fazendo algumas brincadeiras com a chávena e o café.

 

Para se compreender uma sequência tem que se configurar o seu modelo

 

Juntamente com esta ilustração o mesmo cidadão entregou-me um pequeno bilhete que ele encontrou mais tarde ao atravessar um dos corredores servindo as cabines do clube privado e estendendo-se na direção da piscina do mesmo, que inicialmente ele não associou ao encontro anterior, mas que mais tarde e no sossego da sua casa, lhe recordou logo o estranho e fortuito encontro; e de neste bilhete poder estar registada uma mensagem codificada oriunda de fora do nosso planeta e mesmo – porque não – da nossa galáxia, o que tornaria a sua decifração fundamental, para o desvendar deste acontecimento fantástico. Como demonstra a imagem do bilhete, este cidadão ainda tentou fazer uma análise profunda e detalhada da disposição e sucessão numérica apresentada, mas os seus conhecimentos mostraram-se insuficientes. Um amigo meu natural da capital e momentaneamente retido nesta cidade devido a problemas jurídicos ligados à sua empresa de comunicação, especialista aposentado das Forças Armadas Portuguesas em Tecnologias de Informação e detentor de um mestrado específico em Descodificação de Elementos Primários pela Universidade de Moscovo, ainda tentou através de uma análise superficial mas extensiva desta estrutura numérica, decifrar a sua sequência básica de formação escrita, por reflexão verbal e interpretativa de símbolos sistematicamente utilizados nesta intrigante mensagem. Mas não conseguiu – apenas pareceu recordar-se, numa consciência um pouco tremida e nebulosa, de algumas vagas semelhanças com certos documentos confidenciais oriundos da organização norte americana de busca de vida extraterrestre, SETI.

 

Projeto inicial para a Orada da responsabilidade da empresa Original ET

 

Para finalizar deleite-se com o projeto original para a zona da Orada – encontrada numa gaveta secreta do gabinete do responsável camarário pela executação de grandes obras no nosso concelho – inspirada na famosa cidade perdida de Atlantis e que só não foi executado conforme planeado, devido a enormes dificuldades financeiras provocadas por fortes divergências de intervenção, entre as forças aliadas de ocupação e os legitimos representantes dos povos alienados e ocupados. O Impensavel ainda pode estar por aí.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:08

Que não está no Método aplicado

Mas sim no Dinheiro gasto

 

Gastos com a educação nos E.U.A.

 

Já repararam que uma das explicações para este fenómeno se poderá dever ao aumento da população norte-americana e à reconversão forçada dos seus cidadãos aos mercados nacionais e às crescentes necessidades de mão-de-obra qualificada, a fornecer de imediato e com a formação adequada, às empresas detentoras e vendedoras de nova tecnologia!

 

No resto do mundo – incluindo Portugal – e como não somos extraterrestres, o que se passa é o mesmo!

 

Em forma de conclusão NC:

 

“Existe um grande empecilho para qualquer tipo de patrão – ter que dar educação ao escravo ao mesmo tempo que lhe trata da saúde.”

 

(NC – Não Comento – Nuno Crato)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:16

Antigamente diziam que “OS Deuses Eram Astronautas” e nós sonhávamos com a beleza da vida e com o mistério e a experiência desta grande aventura. Agora estes “Falsos Atores da Arca de Noé” têm a patente da morte e negam-nos tudo o que nos é essencial para acreditarmos em nós e nos nossos direitos e partilharmos assim com os outros tudo o que o mundo por direito nos oferece.

 

Sinais de Decomposição

(o poder corrompe)

 

A Arca de Noé e os direitos adquiridos

Na memória desta gente não existem vestígios do passado (os sem cultura), apenas um objetivo único de manutenção no poder e sobrevivência prolongada (os com dinheiro)

 

Após intensas consultas e negociações realizadas entre as diferentes espécies de seres vivos existentes à superfície da nossa terra e que ainda demonstravam alguns sinais visíveis de vida, respirando, comendo e faturando, características fundamentais nestes tempos modernos para poderem ser financiadas – como é o caso da capacidade intrínseca de se vestir condignamente e de se manter tranquilamente em grupo para a fotografia de família – foram cuidadosamente selecionados os novos candidatos que irão contribuir para a esperada melhoria dos cromossomas dos nossos cidadãos, de modo a se poder relançar definitivamente o nosso país, na retoma da nova epopeia dos descobrimentos portugueses.

Assim, em vez de partirmos e invadirmos outros territórios exteriores, é tempo de redirecionar o nosso desígnio nacional e patriótico para a nossa esquecida e maltratada alma interior e vender rapidamente o que nos resta dela, antes que se dê mais uma nova desvalorização financeira e tenhamos todos que partir para o outro mundo. Refugiados nos seus armários blindados por esta democracia imposta aos seus eleitores, os nossos líderes zelarão pela realização do inventário final, protegendo-se como ferramentas imprescindíveis e transformando-nos em simples artigos de desgaste rápido e facilmente descartáveis.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:05

Queen Rat: Victorian London’s Sewer Succubus

 

This was a supernatural creature whose true appearance was that of a rat; she would follow the toshers about, invisibly, as they worked, and when she saw one that she fancied she would turn into a sexy-looking woman and accost him. If he gave her a night to remember, she would give him luck in his work; he would be sure to find plenty of money and valuables. He would not necessarily guess who she was, for though the Queen Rat did have certain peculiarities in her human form (her eyes reflected light like an animal’s, and she had claws on her toes), he probably would not notice them while making love in some dark corner. But if he did suspect, and talked about her, his luck would change at once; he might well drown, or meet with some horrible accident.

 

Queen-Rat

 

One such tradition was handed down in the family of a tosher named Jerry Sweetly, who died in 1890, and finally published more than a century later. According to this family legend, Sweetly had encountered the Queen Rat in a pub. They drank until midnight, went to a dance, “and then the girl led him to a rag warehouse to make love.” Bitten deeply on the neck (the Queen Rat often did this to her lovers, marking them so no other rat would harm them), Sweetly lashed out, causing the girl to vanish and reappear as a gigantic rat up in the rafters. From this vantage point, she told the boy: “You’ll get your luck, tosher, but you haven’t done paying me for it yet!”

 

Offending the Queen Rat had serious consequences for Sweetly, the same tradition ran. His first wife died in childbirth, his second on the river, crushed between a barge and the wharf. But, as promised by legend, the tosher’s children were all lucky, and once in every generation in the Sweetly family a female child was born with mismatched eyes–one blue, the other grey, the color of the river.

 

(disinfo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:29

Julho 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13

19
20

23
24
25
28



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO