Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

26
Jul 12

A Sexualidade está em todo o lado!

 

A água escorre entre as margens do seu leito, introduzindo-se na terra por penetração e dando a origem à vida

 

1                       

No seu passeio matinal pela floresta o Rodolfo descobriu por um mero acaso de percurso, caída e inconsciente na margem do rio, uma bela e longilínea rapariga loira que nunca avistara por aqueles lados. Com a colaboração preciosa do seu colega aviador-de-pássaros, conseguiu solicitar a ajuda de mais dois amigos e transportar esta princesa para o abrigo e proteção de uma casa da qual era proprietário.

 

2

Viviam todos numa pequena localidade vocacionada para as férias e para o prazer, na qual Rodolfo era o chefe local e o principal interlocutor para a resolução de todas as querelas importantes que aí fossem acontecendo. Neste caso em questão cedera sem hesitar a sua habitação – perdendo com isso alguma da sua privacidade pessoal – pois estava em presença de um assunto que desejava resolver calmamente e em duo, entre a confidencialidade controlada das quatro paredes de sua casa.

 

3

Pouco tempo passado desde o início do transporte do jovem corpo feminino, ainda quente mas continuadamente inconsciente, a comitiva chegou finalmente ao seu destino e depositou a jovem princesa na cama principal da casa, precisamente a do seu chefe Rodolfo. Cada um dos amigos foi dando uma prolongada olhadela de despedida, conferenciando prolongadamente sobre o caso e demonstrando muita cumplicidade entre eles, contando algumas anedotas de sexo e de antigas orgias alucinadas e partilhando numa nuvem cada vez mais densa e pesada, ideias e pensamentos encharcados de utopias, regadas com muito álcool e muitas asneiras voluptuosas. Mas lá partiram minutos passados – pois que a vida assim ordenava – para os restantes afazeres do seu dia-a-dia de trabalho ainda, não conseguidos, ainda não terminados. Ao fundo a montanha estremecia mais uma vez sob os nossos pés e vomitava para os céus mais um pouco de lava incandescente que por ela ia escorrendo, quente, viscosa e pegajosa, deslocando-se sem hesitação pelas paredes fervilhando de prazer, das vertentes deste misterioso vulcão, ereto e em ejaculação.

 

4

A princesa despertou da sua inconsciência muitos dias depois. Acordou estendida numa cama imperial, com a pele brilhando intensamente como um sol emitindo raios intensos de pura beleza – motivado pela aplicação de cremes hidratantes – visualizando-se completamente nua e por reflexão, num enorme espelho colocado por cima dela e que destacava propositadamente e por ampliação, duas grandes e palpitantes proeminências: os seus seios e a sua zona genital. Doía-lhe todo o corpo especialmente a zona do tórax e da baía, parecendo ter sido atropelada por uma multidão enfurecida, que se tivesse evidenciado e andado por cima dela.

 

5

Ao fundo pareceu-lhe avistar encostado ao último pilar de sustentação do belo jardim suspenso, um homem estático, com o seu enorme instrumento fálico atravessando as suas barbas cerradas e compridas e parecendo deslocar-se ameaçadoramente e em profundidade na sua direção, tal a velocidade e comprimento da sua ereção.

 

6

A história acabou como tantas outras – as necessidades sexuais de qualquer animal não se compadecem com as regras estabelecidas, mas com o instinto animal de confirmar a sua existência, praticando (mesmo que não seja esse o objetivo principal, mas unicamente a desculpa) o ato do mais puro prazer, o ato da reprodução.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:37

“Que se lixem as eleições”

(ou o início da campanha autárquica de 2013)

 

No início Manuela quis suspender a democracia e agora Pedro quer acabar com ela

 

Baseando-nos nas declarações indecentes e injuriosas do líder do maior partido atualmente no Governo, ou ele se demite por insulto ao eleitorado que o elegeu e que sempre acreditou no sistema que este utilizou para atingir os seus fins – já que se trata de um episódio de consequências gravíssimas para o nosso país neste contexto de grave crise económica que toda a Europa atravessa, podendo afetar irremediavelmente a manutenção da soberania do estado, pois se utiliza para benefício pessoal ou de um determinado grupo, um esquema que no fundo não se reconhece como válido – ou então alguém lhe faz ver a gravidade das suas afirmações para a sobrevivência deste regime dito democrático, que engloba estruturalmente e como base de sustentação mais de dez milhões de pessoas, que apenas querem viver intensamente e sem grandes sobressaltos as suas curtas vidas e nunca se deixar representar por obscuros interesses económicos, daqueles que nem sequer reconhecem que existimos e que temos valor para reclamar o respeito pelos nossos direitos, tal como cumprimos com todos os nossos deveres.

 

A falta de vergonha também tem limites. E como diria o Mecenas Joe: “Fuck You”!

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:57

Julho 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13

19
20

23
24
25
28



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO