Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

25
Out 12

“Enquanto a barraca abana o outro mete rum”

 

Barak Obama e Mitt Romney

 

Eleições Presidenciais

USA 2012

 

Mais uma vez os norte-americanos tentam descomprimir o efeito provocado pela queda em plano fortemente inclinado e em velocidade cada vez mais alucinante da inexistente economia do seu país – o que já está a acontecer ainda há mais tempo na envelhecida e senil economia da Europa – utilizando as Eleições Presidenciais como uma grande feira popular com o único objetivo de adormecer as suas vítimas – falamos dos cidadãos – e promover os seus produtos particulares – falamos dos mercados. O Eixo Económico do Mal há muito que já se deslocou para a Ásia – com um ou outro mercado emergente suportado por riquezas próprias minerais e capacidade técnica de transformação da matéria-prima – e até os EUA parecem querer ver-se definitivamente livres dos seus antigos aliados europeus, abandonando-os mais uma vez às mãos dos alemães – o IV Reich de Ângela Merkel – dos oportunistas ingleses e até dos russos mafiosos.

 

(imagem – Google.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:11

22
Out 12

Albufeira – Ficheiros Secretos

Duas Notícias Vindas da Escuridão

 

Os Chimpanzés e a Cultura

 

E os chimpanzés ficaram admirados com a nossa postura ética e moral, sabendo ainda-por-cima da nossa capacidade de nos deslocarmos na vertical e de assim podermos dispor de uma maior e mais ampla amplitude de visão e de análise dos nossos acontecimentos de vida!

 

Clube dos Primatas Eruditos de Lisboa – Mestre Chim e os seus 5 discípulos

Os seis elementos deste mui nobre clube foram previamente autorizados a comparecer neste evento pelos seus superiores hierárquicos os Gorilas

 

Um grupo de humildes cientistas provenientes do Jardim Zoológico de Lisboa chegou hoje ao complexo subterrâneo situado nas proximidades da vila de Algoz – mais precisamente no polo das BAIÃNS – para participar num debate aberto a todas as espécies vivas habitando o planeta Terra e tendo como tema de fundo “A Sobrevivência do Espírito face à Matéria”. Após a sua chegada estes ilustres convidados foram imediatamente instalados em locais secretos e tranquilos nas imediações do complexo, podendo usufruir desde logo da possibilidade de apreciarem diretamente o encanto e a beleza da Natureza envolvente, rodeando as residências disponibilizadas para a sua curta permanência no local. As alfarrobeiras, figueiras e amendoeiras presentes nos terrenos circundantes, fizeram a delícia destes espantados e deliciados convidados, que acabaram finalmente por se deter – quase que em transe – a olhar fixamente o pôr-do-sol brilhante e avermelhado, estampado nesse céu hipnótico, enquanto uma lebre orelhuda fugia assustada pelo súbito voo rasante de um mocho, tudo isto com a Serra de Monchique como maravilhoso pano de fundo.

 

Vista parcial do Complexo Subterrâneo das BAIÃNS

Utilizando as numerosas galerias e grutas existentes no Algarve e estabelecendo circuitos internos de comunicação e transporte entre elas, o submundo tecnológico apoiado pelos alienígenas tem vindo a expandir-se progressivamente, envolvendo novas comunidades internas e externas a esse círculo e desejosas de novos horizontes e desenvolvimentos

 

Além do debate em que participarão como um dos convidados principais, estes primatas terão ainda a possibilidade de fazerem algumas visitas turísticas à região, visitando a Quinta da Avó e os seus excelentes bolinhos internacionalmente premiados, o Shopping da Guia com o seu mundo de lojas e de artigos completamente inúteis, o terrível e muito badalado crematório de frangos situado na mesma localidade – onde um verdadeiro genocídio é praticado todos os anos e pela mesma altura sobre a mesma espécie inferior em nome de um ritual gastronómico de Verão de outra espécie superior – e uma famosa casa de meninas recentemente inaugurada na região, com o único objetivo de estudar ao pormenor os hábitos e os corpos dos seus primos primatas e carecas.

 

Os Convidados da Área 51

 

A História da presença alienígena no planeta Terra remonta já a milhares e milhares de anos e de outros tantos documentos – testemunhando a sua passagem por cá, ao longo de todo o nosso friso cronológico – muitos deles divulgados ao longo dos tempos, mas muitos outros mantidos em segredo absoluto ou mesmo perentoriamente negados. Esse é o caso da Área 51, local de muitas teorias conspirativas envolvendo o governo dos EUA e seres vindos de outros mundos.

 

          

Área 51

Zona militar situada no deserto do Nevada, envolvendo colaboração estreita entre militares norte-americanos e entidades extraterrestres; com uma base secreta implantada no terreno – no seu subsolo – e ainda ativa, terá sido daí que terá partido o disco voador em direção ao complexo algarvio

 

Ao mesmo tempo chegava ao complexo das BAIÃNS uma delegação de extraterrestres vindas diretamente dos EUA para participar na Conferência sobre “Espírito e Matéria” e nela apresentar uma recente novidade científica que iria revolucionar e estreitar a ligação entre diferentes raças conhecidas no mundo, aqui compatibilizadas para a concretização de um desejo e objetivo final (e prioritário): a eliminação de diferenças genéticas que pudessem ser prejudiciais para a convivência e partilha de ideias e espaços autorizados, de modo a que jamais surgissem factos que pudessem provocar o aparecimento de possíveis momentos de confrontação violentos, que originassem ameaças à estabilidade do funcionamento da Máquina Universal na execução perfeita do seu Movimento. A comitiva era composta por dois seres alienígenas – sem capacidades físicas reprodutivas – acompanhados por um seu descendente ainda muito jovem, criado num ambiente fechado ao exterior e condicionado à estrutura de funcionamento psíquico dos seus progenitores. Para a concretização efetiva deste feito histórico – realizado em laboratórios secretos de grandes multinacionais ligadas à Industria Química e ao sector da Saúde e sediados no nosso planeta – este novo ser teria sido criado e posteriormente evoluído no ventre de uma mulher terrestre no auge do seu ciclo reprodutivo, tendo o óvulo da dadora sido implantado após controlo minucioso dos seus cromossomas, após fecundação artificial induzida a partir de células exponenciais, obtidas em tecidos alienígenas tornados compatíveis, utilizando métodos e técnicas já muito desenvolvidas anti rejeição.

 

O Híbrido com os seus progenitores

Com os problemas criados à segurança global de todas as civilizações existentes e conhecidas no Universo, os Alienígenas lançaram-se na criação de um novo ser híbrido, resultante do cruzamento de um terrestre com um alienígena

 

A ideia da criação de um ser híbrido que preservasse as caraterísticas básicas dos humanos e lhes retirasse a componente associada à sua necessidade de sobrevivência num mundo inicialmente hostil – e que ainda lhes sobrecarregava a parte emocional, denotando em muitas situações-chave um nível de violência irracional e despropositada – surgira numa reunião militar de urgência realizada há muitos anos atrás, convocada numa das muitas alturas em que a ação dos terrestres incomodara a comunidade de civilizações tecnologicamente mais avançadas e que nos rodeavam, deixando-os preocupados pela extensão e gravidade dos atos de violência perpetrados sem clemencia sobre os próprios e que poderia alastrar futuramente para lá das suas fronteiras terrestres, contaminando o espaço e os seus ideais de transformação e evolução em harmonia.

 

Nós não somos Iluminados, somos iluminados

Temos que nos convencer que não somos os únicos seres vivos existentes no Universo e que as nossas ações podem vir a ter consequências no futuro, como já o tiveram anteriormente

 

Inicialmente muitas das comunidades alienígenas – assustadas e inseguras com o nosso comportamento – propuseram a eliminação pura e simples da nossa civilização retrógrada e violenta, substituindo-a por uma nova espécie necessitada de espaço para se desenvolver e capaz de se integrar com normalidade em sociedade. No entanto vencera a opção da nossa manutenção como espécie dominante neste planeta – mas agora muito mais controlada do exterior – tendo-se ao mesmo tempo estabelecido um acordo muito importante, em que os terrestres e os extraterrestres trabalhariam em conjunto com o objetivo final da criação de um ser híbrido experimental e à imagem dos aspetos mais relevantes de ambos.

 

(imagens – Google.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:22

A possibilidade de que a Terra seja oca, que possa entrar nela através dos Polos Norte e Sul, e de que civilizações secretas floresçam em seu interior tem aguçado a imaginação desde tempos atrás. Assim, o herói babilônio Gilgamesh visitou seu antepassado Utnapishtim nas entranhas da Terra; na mitologia grega, Orfeo tratou de resgatar Eurídice do inferno subterrâneo; dizia-se que os faraós do Egito comunicavam-se com o mundo inferior, onde desciam através de túneis secretos ocultos nas pirâmides; e os budistas acreditavam (e acreditam todavia) que milhões de pessoas vivem em Agharta, um paraíso subterrâneo governado pelo Rei do Mundo.

 

(Blogue – Mistérios Desvendados)

 

Portugal dos Pequeninos

 

A OCOLÂNDIA é novo desígnio do mundo português, criada e evoluída em Democracia e inspirada na fervorosa ideologia do Fascismo e na construção elaborada, intencional e ternurenta – faz lembrar as crianças – do Portugal dos Pequeninos.

 

Caixa de Ressonância

 

Nada do que tu pensas e mesmo que te convenças é verdade, porque o teu cérebro todo fundido está simplesmente vazio, sendo apenas mais um mero objeto inútil como caixa-de-ressonância.

 

A Lobotomia total como Solução

 

Em Portugal, o descendente direto do aio do rei fundador do Reino de Portugal – D. Afonso Henriques, o tal rei que desrespeitou covardemente a sua própria mãe, aquando da morte do pai, claro – ainda pensou que com a sua cirurgia cerebral denominada LOBOTOMIA conseguiria controlar o cérebro e as suas mal formações. As ideias e as práticas de Egas Moniz acabaram felizmente por ser abandonadas após exigência de outros médicos especialistas, que tiveram contactos com pacientes que tinham sido operados utilizando esta técnica brutal, ao constatarem naquilo em que tinham transformado o objeto desta técnica primitiva – um embrulho sem conteúdo e sem qualquer tipo de referência, completamente oco e sem vida. Lobotomia total como solução?

 

(imagem – Google.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:41

“Não podemos passar toda a nossa vida, com medo de exprimirmos as nossas ideias”

 

Neste país de coveiros diplomados (e desempregados), os cadáveres putrefactos vem sempre à tona da vida – alucinados e esfomeados como é habitual – e a única hipótese que temos de nos salvar destes zombies modernos (e atualizados), é fugirmos para os velhos campos dos nossos antepassados – na altura bem mortos e enterrados!

 

Introdução ao crime

(o jogo vai começar mas o problema está na arbitragem – e nos amigos)

 

O que define um Chefe no meu país é a sua Covardia a 100% – um verdadeiro Filho-da-Puta como diria Alberto Pimenta!

 

O Crime Compensa para o Chefe Criminoso, desde que o seu assalariado e vítima seja pobre e a família também seja culpada, por profissão de fé e aposta profissional destes iletrados diplomados, nas Leis legais publicadas pelos prostitutos pagos por esses mesmos criminosos privilegiados.

 

Ontem:

Criança - 100 Diretora - 001

 

Em Quarteira cometeu-se um crime sobre uma criança.

Primeiro o povo indignou-se, depois foi forçado progressivamente a calar-se.

Até hoje a hipocrisia tem mais uma vez vindo a crescer e para já só se safa deste nojo, a Junta de Freguesia.

No fim esquece-se o caso, as crianças continuam a andar com fome, mas as chefias são preservadas.

Entretanto o país vai-se afundando e a culpa é de todos nós – filhos, pais, avós, pretos, pobres, doentes, alunos, desempregados, etc. – enquanto os chefes lá se vão continuar a sacrificar por nós, os analfabetos mal-agradecidos!

Associação de Pais, Câmaras Municipais, Comissão de Proteção de Menores, Delegações Regionais de Educação e tantos outos cargos para amigos – deixem-me rir: Trabalho ZERO!

 

Hoje: 

Criança - 001 Diretora - 100

 

Começamos a ter medo de exprimirmos com alegria, festa e liberdade, as nossas dúvidas e receios e até a desmascarar toda a violência hierárquica exercida sobre nós – ainda-por-cima aplicada como “quem não quer a coisa, não querendo ficar a perder privilégios”, por um protetor supremo do povo escolhido por este (?), o seu Cardial Patriarca. Isto quando o próprio título e missão a que estava destinado – ajudar os desprotegidos – o desmascara nas suas intenções e ações, transformando-o num traidor à cristandade, posto ao serviço dos mercados, do produto e da exploração ignóbil da mão-de-obra – renegando ao mesmo tempo e vergonhosamente em nome do poder e da sua subsistência nesta estrutura, a sua opção de solidariedade para com os sem nada, mas mantendo-se sempre fiel ao dono do dinheiro, do pecado e da caixa de esmolas. Representando intrinsecamente e desde sempre os interesses do Diabo e promovendo com as suas atitudes e comportamento morais, todos os seus rituais corno-sexuais – daí não admirar todo o tipo de pedofilia estrutural a nível psíquico-físico que tem invadindo a Igreja, por subserviência às leis de mercado e à força dos poderosos “fecundadores” mundiais, cheios de vigor e de virilidade e promotores de Espermatozoides Modificados pelas Multinacionais do “veneno e da comida”, como as associadas-forçadas da Monsanto. Isto porque são os filhos dos nossos algozes a controlar o pagamento dos nossos ordenados – em democracia – continuando de uma forma profícua e hereditária a tradição fascista dos seus pais.

 

Amanhã:

Criança - 000 Diretora - 300

(o jogo foi anulado – e dada a vitória à diretora – por falta de comparência da aluna)

 

A Diretora retomou o seu poder legítimo, derrotando a intriga provocada pela criança arrivista. A restante população calou-se, por temer a ocorrência de represálias democráticas e pedagógicas.

Para finalizar – e já que estou a ficar intoxicado com a emissão destes ares nauseabundos vindos do interior do cérebro destes animais: não vale a pena falar mais destas Moscas (é uma perda de tempo) e da Merda que nos impõe à anos e anos, escondidas como estão na sua fossa-fortaleza acética e segura (pensam eles).

 

Mas e o medo – será que terei mesmo de ter Medo?

 

(imagens: marionetas – Google.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:23

21
Out 12

Um pequeno meteorito atravessou os céus sobre a baía de S. Francisco no passado dia dezassete de Outubro, acabando por explodir na atmosfera e provocar um forte estrondo – devido ao boom sónico – o que fez estremecer as casas situadas nas proximidades.

 

O meteorito entrou na atmosfera a uma velocidade – baixa – de 14Km/s

 

Desintegrou-se, acabando por cair numa zona situada a norte da baía.

 

Este pequeno exemplar do meteorito sobreviveu acabando por cair no solo

 

Um pequeno exemplar resultante da desintegração em pequenos bocados desse meteorito acabou por ser descoberto posteriormente perto da localidade de Novato pela enfermeira norte-americana Lisa Webber. Este meteorito com pouco mais de sessenta gramas aparentava ser denso e tinha propriedades magnéticas.

 

(dados e imagens – spaceweather.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:16

20
Out 12

Albufeira – Ficheiros Secretos

EP 2 – Conferências sobre a Prevalência da Alma e da sua Integração no Espaço Infinito

 

Apresentando a Testemunha Confidencial

 

Como testemunha residente em Albufeira nas proximidades do Mercado Municipal dos Caliços, posso aqui confirmar que numa noite chuvosa deste mês de Outubro de dois mil e doze, acordei a meio da noite de um sono profundo e estranho, no preciso momento em que sonhava que a minha cidade estava a ser invadida por pequenas naves de origem alienígena, que se dirigiam e iam aterrando, nas imediações desse mesmo mercado – comparecendo a um convite para discutir a ligação entre o Meio Espiritual e o Meio Físico neste Universo. Ainda me dirigi para as janelas semicerradas da minha habitação situada perto do local onde decorria toda esta ação inverosímil, mas no meio de toda esta névoa misteriosa apenas vislumbrei formas difusas e levemente luminosas de materiais gasosos dispersos, trespassados por pesadas gotas de água de chuva, escorrendo envidraçada sobre água condensada. O sonho pareceu-me real, o local até existe e eu acabei mesmo por acordar!

 

A Alma – como ponto de equilíbrio entre o físico e o psíquico – vai para o Vazio, nunca deixando no entanto de existir, por deteção de níveis mínimos de Energia e Movimento em todo o Espaço visível e invisível, por ação/reação e por fenómenos de interseção. A Energia nunca é absolutamente Nula – o zero não existe, sendo apenas um ponto imaginário de referência e cálculo – por impossibilidade de ausência de Espaço (Infinito) ou de Movimento (Eterno). Mas existirá algum tipo de relacionamento – ou outro tipo de contacto – entre a Alma e a Energia?

 

A Erudita

Oradora do grupo “Terrestres Maquilhados Optando pelo Sonho” presente como independente e associada ao movimento dos Alienígenas Exteriores

 

No Espaço Físico existe Matéria e Antimatéria e outros setores em que ambas se anulam, formando buracos como o de um queijo a que incorretamente chama-mos Vazio. O conjunto total forma o Universo.

 

A Matéria

Os Estados da Matéria podem alterar-se muito rapidamente originando novas práticas e teorias nunca ensaiadas, podendo ser de cariz violento e revolucionário

 

A matéria pode apresentar-se em três estados: sólido, líquido e gasoso. No estado gasoso a matéria encontra-se mais recetiva a alterações/intromissões exercidas exteriormente sobre ela, vagueando mais nas diversas possibilidades de modificação das propriedades básicas desta e adaptando-a às novas circunstâncias ambientes, vagueando sem grandes limites por estruturas mais voláteis – psiquicamente um Estado Inconsciente. No Estado Líquido ou no Estado Sólido as partículas constituintes da matéria encontram-se mais agregadas entre si, partilhando com mais facilidade condições propícias para todo o tipo de trocas de informação e concretização, disponibilizadas aqui e sem grandes lacunas de percurso, entre espaços muito próximos e definidos, mas sempre integrados num espaço em constante formação e de dimensão infinita.

 

O Psíquico

Sempre associamos os fenómenos desconhecidos à ação de deuses e de espíritos, como uma forma de tentar explicar o que sucedia à nossa volta

 

Estes dois estados da matéria – líquido e sólido – podem então ser equiparados a nível psíquico e respetivamente, a um Estado Consciente e a um Estado Semiconsciente: o primeiro mais maleável e disponível para aceitar e digerir sem grandes incidentes ou convulsões, rápidas mudanças acontecendo em seu redor – mesmo que de consequências duvidosas, provavelmente desastrosas – e o segundo mais aberto ao sonho e à utopia real, mas ainda limitado pelas fronteiras psíquico-físicas que o seu espaço como corpo-produto, ideologicamente impõe ao ser humano. A coexistência destes três estados – num contexto físico e espiritual mais amplo – daria origem a toda esta estrutura montada à volta da Matéria existente neste Universo Vivo, cuja conceção original estaria baseada numa simples teoria de que, Tudo o que existisse neste Mundo teria Massa, implicaria Movimento e se manifestaria através da Energia. Essa Energia nunca poderia ser nula – uma impossibilidade real existindo a Matéria – nunca podendo o Vazio ser um recipiente de Nada, mas contendo pelo contrário matéria e antimatéria, mesmo que em quantidades muitíssimo diminutas, que se vão anulando entre si, tornando-se manifestações invisíveis apesar de percetíveis, com as constantes manifestações e transformações sofridas pela matéria e que decorrem diariamente diante dos nossos olhos. A este Vazio podemos chamar um Estado Sem Consciência, a que nós erradamente e por análise racional do nosso percurso nesta Vida, chamamos Morte: mas como já vimos nem sempre a ausência significa não existência. Aliás, o que é isso?

 

A Interseção

Sem Movimento e Interseção de Espaços não se criam condições para a existência de Vida – nem mesmo num Espelho

 

Podemos afirmar ainda que habitamos um Mundo de Interseções: o Espaço Vivo interseta-se através do Movimento e a criação de Vida a partir do (suposto) Nada resulta dessa mesma operação, envolvendo Tudo e o seu Contrário.

 

(imagens – Google.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:36

18
Out 12

Vampiros (e Crianças) na Escola com Família no Fim

 

VAMPIROS

No céu cinzento sob o astro mudo
Batendo as asas Pela noite calada
Veem em bandos Com pés veludo
Chupar o sangue Fresco da manada

(José Afonso)

 

Em Portugal aqueles que a nós Tudo Devem – as Novas Chefias Produzidas pelo Golpe de Estado de Abril, que sanearam o patrão e vampirizaram os antigos colegas de trabalho – perderam definitivamente todo o respeito que tinham por nós, agora que vêm que não temos de comer, nem nada para lhes oferecer: renegam a sua própria memória, a cultura das suas gentes, as esperanças dos seus filhos, tudo para garantirem o salário no fim do mês e tentarem impor aos outros e por transmissão, a força do vírus do seu corpo doente.

 

CRIANÇAS

Quando um adulto utiliza uma criança para reforçar os seus atos e impor as suas ideias, está a desprezar sem razão alguma, todas as outras crianças do mundo e todos os seus familiares e amigos, transformando-se num ser inútil e desprezível e sem recurso possível para a comunidade. Tem sempre a alternativa de ir lutar com outros, que sejam mais da sua idade!

 

Um dia uma criança chega à escola cheia de fome – tal com outros colegas seus – e à hora do almoço lá vai à cantina esperançada em comer algo, sendo de imediato impedida de fazer a sua principal (ou única) refeição do dia juntamente com os seus colegas, por falta de pagamento anterior. Ordens superiores dizem! Os colegas revoltam-se com a situação criada – enquanto estes almoçavam a colega ficou a vê-los comer – denunciando esta situação de violência aos seus pais. E depois veio o resto e até se soube que uma funcionária mais atenta se tinha prontificado a pagar do seu próprio bolso a refeição da criança, tendo sido impedida de efetuar este ato irrefletido por ordem da direção da escola. E o que teria acontecido se o tivesse feito?

 

E a Diretora fala (com insultos e ameaças como era de prever e apenas para se defender):

  • Todos os pais foram informados das medidas, que seriam aplicadas caso não regularizassem as dívidas até 9 de Outubro.
  • Podiam ter pedido a renegociação desses valores e até dos escalões, mas alguns foram negligentes e não o fizeram.
  • Foram participados à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (os casos de incumprimento).

ESCOLA

É nisto que dá os Mega Agrupamentos: desrespeito pelos pais, professores, funcionários, alunos e toda a restante comunidade educativa. E apenas apoiados por aqueles que detestando ser educadores, se querem servir exclusivamente da escola – como quem passa pelo governo – para se auto promover. Ou até pode ser, que já não batem bem da bolinha! 

 

De que é que a DREALG está à espera (será que ela ainda existe ou estará entregue aos bichos – e nas mãos de alguns bichinhos informáticos):

  1. Para libertar o dinheiro do estado pago com o nosso suor e lágrimas através de impostos na maioria ilegais e imorais e aqui necessário para pagar a alimentação dos nossos filhos que frequentam a escola – estando esfomeados por sermos pobres – ainda-por-cima tratando-se de uma jovem sentada à mesa com os colegas e vendo-os ao lado a comerem – sem poder fazer o mesmo – a sua refeição na cantina?
  2. Para abrir imediatamente um inquérito urgente para analisar o comportamento vergonhoso e inadmissível para uma “profissional da educação” aparentemente mulher, diretora e responsável, de nome Conceição Bernardes, suspendendo-a temporariamente de funções devido à gravidade da sua atuação e por desrespeito para com as regras básicas de funcionamento de qualquer instituição destinada à formação de jovens?
  3. Para verificar a responsabilidade indireta mas fundamental dos responsáveis da própria DREALG, na aceitação de chefias locais incompetentes – e achando-se hierarquicamente inimputáveis por nomeação superiormente confirmada – mesmo quando surgem casos inconcebíveis e escandalosos como este e ainda na emergência atual de dezenas de casos indetetaveis mas de foro criminal, como o da colocação de professores por oferta de escola, em que se privilegia quem se conhece e quem nos pode oferecer qualquer coisinha palpável, mas nunca ligando às prioridades de planeamento e investimento da própria terra onde os mesmos “chefes” residem ou nasceram ou caíram de paraquedas; por esse motivo a avalanche milagrosa da aparição como cogumelos e em todo o lado de cursos ligados à hotelaria e restauração, hoje em desgraça económica e criadores de mais desemprego por saturação de mercado e por outro lado o fim vertiginoso dos cursos intermédios técnico-profissionais ligados a áreas – pelos vistos sem futuro – como a da eletricidade/eletrónica, mecânica, madeiras, serralharia, etc., que pelos vistos ninguém na delegação controla e todos de olhos fechados aceitam?
  4. Para defender a funcionária – que deveria substituir imediatamente a diretora nas funções desta, por crime moral e ético de incompetência – impedida pela diretora de pagar a refeição da jovem com dinheiro do seu próprio bolso (como é que isto é possível? Só mesmo neste país!) e correndo futuramente o sério risco de poder vir a ser dispensada pela dita cuja, talvez para servir de exemplo para as restantes funcionárias e encarregados de educação?
  5. Para propor à diretora do Agrupamento de Escolas Dra. Laura Ayres – cuja memória não merecia a presença de indivíduos sem estatuto mínimo para esta função, mas com autorização concursal indevida, de utilização de armas deste calibre – uma consulta de acompanhamento psicológico ou psiquiátrico ou então a sua mobilidade para outra secção autárquica ou governamental, mas bem longe das suas vítimas, as famílias e das crianças?
  6. Para oferecer à mãe da criança um pedido de desculpa por parte da DREALG pela ação criticável e suscetível de averiguações tomada de uma maneira indigna e cruel por parte da Diretora, oferecendo à mãe da criança – e a todas as outras nas mesmas circunstâncias e merecendo todo o respeito devido – proteção contra ações futuras desta chefia incompetente?

FAMÍLIA

Parece que estamos todos a viver à volta de um vulcão que entrou de novo em atividade, em que todas as pessoas se queixam de estarem a ser constantemente atingidas por projeteis imprevisíveis e violentamente destruidores, continuando no entanto a defender a todo o custo e como se de um Deus se tratasse, a origem Divina desse fenómeno. E não é oferecendo sacrifícios humanos para apaziguar esse Deus-Vulcão – lançando-nos na boca do mesmo – que conseguiremos aplacar as suas terríveis exigências. Só se estivermos de fato, de Regresso ao Passado!

 

E os Pais respondem (pedagogicamente e como qualquer bom profissional da educação):

  • Nada justifica uma criança passar fome.
  • Não é justo castigá-la a ela.

A crítica é de Teresa Francisco, mãe de uma criança de cinco anos que foi proibida de almoçar na última quinta-feira na EB1 nº 2 de Quarteira (Loulé). Tudo porque a família não pagou a mensalidade da alimentação, cerca de 30 euros.

 

FIM

 

A reportagem da SIC sobre o tema aqui em questão, nada de importante esclareceu sobre os procedimentos corretos que se deveriam ter tomado até à exaustão para proteger o superior interesse da jovem esfomeada, redundando a entrevista à responsável da escola num expor de pequenas divergências colaterais e pessoais, que nada tem a ver com o papel coletivo e compreensivo da escola.

 

A Associação de Pais devia ter vergonha pelo “agarrar descontrolado desta oportunidade”, apenas para dizer presente. E ainda-por-cima “espiritualmente recomendada” por “entidades superiores” – esta instituição de solidariedade social não se pode esquecer que, atacar a irresponsabilidade dos pais de uma criança-vítima, pode também significar para os outros responsaveis insensíveis que a tudo isto assistem, que “a banalização da oportunidade pode fazer o ladrão”! Atacando-nos sem piedade, em nome do lucro e por todos os lados!

 

E para finalizar esta história de “Vergonha Contida” – construída de modo a salvaguardar a mediocridade das Chefias Essenciais – não me venham agora com a desculpa final de que as crianças também mentem e sabem ser mazinhas – como já ouvi dizer ultimamente e desculpabilizando a salvadora diretora inexistente, que a criança não ficou a ver os outros a comer, tendo sido pelo “contrário” cuidadosamente colocada sozinha numa sala “sem conteúdo e neutral”, a pão-e-água (desculpem “a pão e leite”) e vigiada solidariamente pela “Técnica Operacional”; holograma obrigado por obediência hierárquica a ser subserviente para com os seus líderes e orientadores, os Nomeados Tutores Fundamentais, responsáveis pela reconstrução da humanidade e controladores-salvadores da nossa mente e dos abismos ideológicos que nos rodeiam. O certo é que a parte mais fraca é sempre demolida e obliterada pela ética e pela moral de quem não a tem mas a consegue impor aos outros, olhando estes sempre o elo mais fraco da corrente – que eles próprios construíram com um brutal desprezo e humilhação, socorrendo-se da divulgação e manipulação dos fatos ocorridos – como um fator de progressão na carreira e não como uma obrigação assumida para com toda a sociedade, visível ou não! Digam-me:

  • Quantos professores se mostraram publicamente minimamente interessados com o que se estava a passar no seu agrupamento?
  • Quantos professores foram capazes de solidariamente apoiar a parte mais fraca e indefesa neste caso?
  • Onde estão as dezenas de pessoas indignadas com a situação criada à volta da criança e simultaneamente contra todos os criminosos que se serviram dela – não são só os pedófilos – na altura prontas a marchar contra a falta de decoro de alguns na defesa do interesse superior da criança e que hoje poderiam estar à nossa espera e ao lado dos seus/nossos carrascos, prontos a insultar-nos e agredir-nos (e até aos pais da criança)?

O pensamento, as ideias, as concretizações das nossas “elites” são mesmo Miseráveis!

 

(dados e imagens – a partir de 16.10.2012: CM + GOOGLE)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:22

15
Out 12

“Nós até podemos fugir de casa, mas acabamos por voltar sempre ao mesmo local de partida. Porquê? Porque numa Sociedade Limitada, Integrada num Mundo Infinito, não existem portas nem janelas – o Mundo é tudo o que a nossa vista alcança, não existindo muros, nem lamentações, que nos possam salvar dele. Só se a intenção de alguém for, separar-nos da própria Vida.”

 

O Mau Tempo terá vindo – definitivamente – para ficar

(USA)

 

O Mundo já não gosta de nós. Cresceu muito entretanto e já não tem tempo a perder com a senilidade crescente dos mais velhos. A confusão já não se compadece com o uso degenerativo do nosso corpo e a própria velocidade imprimida à vida, não nos dá sequer tempo de nos vermos demoradamente ao espelho e verificarmos a nossa acelerada e esperada decomposição. Aceitamos isso passivamente porque fechamos os olhos e adormecemos, ficando à espera que o príncipe dos nossos sonhos, nos venha salvar heroicamente. Mas inesperadamente damo-nos como acordados, sem sentirmos que mais um dia se passou e nada de novo nos viu.

 

 

O Caminho para o Céu é como uma Escalada – dura e perpendicular

(TIBET)

 

Temos que escalar todas as montanhas do mundo. Mas para isso teremos previamente de conhecer a história dos nossos antepassados através da preservação da sua cultura e memória no presente, projetando na ficção do futuro, toda a sabedoria de todos os que connosco vivem ou nos antecederam no tempo, pois só assim preservaremos e desenvolveremos os seus fantásticos conhecimentos neste novo Espaço, idealizado há milhões de anos pelos Ancestrais. E posteriormente saber-mos como proceder ao atingir o cume da Montanha, sem nos deixarmos levar pelas vertigens comuns aos humanos, quando situados a altitudes elevadas.

 

 

A Terra é muito Bela mesmo vista de longe e disposta às camadas

(TERRA)

 

Quando era pequeno ensinaram-me que vivia num planeta que girava à volta do Sol – uma pequena estrela da Via Látea – e que tudo o que me rodeava – a matéria – se encontrava ou no estado sólido, ou no líquido ou então no gasoso. Como exemplo demonstrativo deram-me o da terra que pisávamos, o da água que bebíamos e o do ar que respirávamos. Ainda me falaram dos movimentos da Terra, um em volta do seu eixo imaginário e que daria origem aos dias e às noites – o que não aconteceria com a Lua misteriosa, com um lado sempre oculto de nós – e o outro em volta do Sol, que daria origem ao aparecimento das quatro estações do ano. O primeiro durando um dia, o outro 365 ou 366 dias, conforme o ano não era ou era bissexto. Para lá do nosso planeta e para lá da nossa atmosfera – e protegidos do exterior pelo campo magnético terrestre – avistávamos o espaço infinito onde estávamos integrados e que partilhávamos com os Outros, não sabendo sequer se existiam ou por onde andariam. É claro que os planetas mais próximos foram os primeiros a serem invocados por quem os via ou deles tinha conhecimento, surgindo então os medos, os deuses e os extraterrestres, que todos começamos a associar a elementos estranhos que, afastados e desconhecidos, eram a fonte de todas as novidades, curiosidades e também de todos os perigos. Nesse aspeto o nosso satélite natural – a Lua – e o quarto planeta do nosso Sistema Solar – Marte – foram fonte de muitas teorias e suposições, desde poderem ter vida à sua superfície, passando pela existência dos canais marcianos ou até de já poderem ter sido habitados por outras civilizações antigas incluindo de passada origem terrestre. Tudo era possível. No entanto vivemos hoje em dia uma crise profunda e (parecendo) irreversível de ideias, tendo a nossa capacidade de pensar e recriar regredido a níveis baixíssimos de imaginação e de produtividade, face à sedentarização brutal da nossa vida num mundo que não admite paragens e se desloca a velocidades – para o nosso corpo – cada vez mais aceleradas e tornadas insuportáveis, por falta de reação e de movimento – caraterísticas de qualquer animal morto ou moribundo.

Isto tudo serve para demonstrar de um modo um pouco diferente do que é habitual, que a interpretação de tudo o que se passa connosco e à nossa volta é muito mais simples de entender e de compreender do que se pensa, bastando para tal observar todos os sinais que a Natureza nos dá e seguirmos sem hesitação o caminho escolhido por esta, por partilha e uso do espaço ilimitado posto indefinidamente à nossa disposição: a própria Terra apresenta na formação da sua atmosfera quatro camadas constitutivas, quatro camadas (de consciência) protetoras – como se tudo estivesse previsto mesmo no meio do caos.

 

 

Os Mundos que nos visitam acompanham-nos desde o Início

(VESTA)

                                                    

Todos os Mundos são o nosso Mundo. A história da nossa viagem no Cosmos depende apenas de quem nos vê e compreende. Para uma partícula infinitamente pequena, seremos uns monstros passando subitamente diante dela, mal vistos e descritos, ou mesmo imaginados, dada a sua velocidade acelerada exponencialmente e a sua evolução para outros estados espirituais da matéria; sendo gigantes – infinitamente grandes – a nossa perceção do espaço será diferente, não só pelo volume ocupado por um só objeto incapaz de diferenciação dos variadíssimos níveis de protagonismo – só se vê a ele próprio – como pela sua incapacidade de apreciar corretamente locais próximos ou mesmo no interior do seu raio de ação, por maior incapacidade de rápida movimentação e introspeção (custa mais olhar para os outros quando a nossa grande dimensão os submerge a todos).

Na conjugação dos opostos que se penetram, que se completam e que muitas vezes se anulam – no vazio existe matéria e antimatéria que se vão anulando, não deixando no entanto de estar presente e podendo dar origem de um momento para o outro a uma emissão de energia e à origem de qualquer coisa como a Vida – surge constantemente a renovação perpetua do movimento e do espaço, recriando sucessivamente Universos Intemporais e Paralelos.

O que nos falta é livrarmo-nos de vez da presença terrível da Morte como Fim, apenas para alguns Mercadores Egocêntricos atingirem o seu sucesso nesta sociedade e poderem usufruir em Vida – por Vampirismo – também da Vida dos outros, acabando no entanto todos por morrer por decomposição, abandonados como cães à sua sorte, religiosa por maldita.

 

(imagens – GOOGLE)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:23

14
Out 12

“Será o Pobre a representação do Mal e o Rico a representação do Bem”?

 

Para os nossos especialistas políticos é inaceitável recorrer-se ao aumento dos impostos sobre os nossos “ricos empresários”, pois tal levaria a uma espiral de violência tributária sobre os mesmos, levando-os a uma nova migração de divisas e investimentos, para locais mais seguros e lucrativos, longe das teorias suicidas e irresponsáveis de partilha de sacrifícios por todos, como se o benemérito investidor fosse culpado pelos erros e desnorte natural dos seus súbditos, caracterizados pela sua irracionalidade específica e analfabetos por natureza.

 

A Natureza do Rico vê-se na sua Educação e Formação. Pelo contrário o Pobre socorre-se logo do Insulto e da Ignorância, mesmo quando o querem ajudar!

 

No entanto para a generalidade da população portuguesa catalogada como não tendo acesso ao poder – por constatação verificada em exames da sua menoridade mental e financeira – os mesmos especialistas políticos já se acham (incompreensivelmente e mesmo a nível das suas doutrinas económicas) no direito de a privar do seu já misero salário e contrapartidas mínimas sociais, culpabilizando-as pelo acontecido e castigando-as por “abuso de confiança”: como pode o “pobre assalariado” contrapor o seu poder ao do seu empregador – e restantes protetores – combatendo sem recursos (que lhes foram entretanto sonegados) contra todas as armas poderosas e erudições inquestionáveis desta Estrutura e socorrendo-se apenas do seu “trabalho miserável e desprestigiante”, para tentar convencer os seus restantes colegas de estrada – muitos deles já completamente alienados pelos processos brutais de exploração e de desintegração social – de que esta não é uma noção de vida, mas uma interpretação limitada e errada desta, explicitamente dirigida para a opção pelo rumo da escravidão do Homem, como único caminho – sem alternativa – para a sua sobrevivência!

 

(imagem – Google.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:13

Asteroide 2012TC4

                                                                              

O asteroide 2012 TC4 passou ontem e como previsto a uma distância inferior a 100.000 Km do planeta Terra – apresentando uma dimensão desconhecida que vai dos 20 aos 140 metros, ou seja, do tamanho de um prédio de poucos andares até ao tamanho de um arranha-céus!

 

Os astrónomos da NASA demonstraram desde logo, interesse na passagem deste asteroide nas vizinhanças da Terra, de modo a tentarem compreender os efeitos provocados por um corpo celeste como este, passando tão perto de nós.

 

Asteroide “rasando” o nosso planeta

 

O que não quer dizer que a sua dimensão não provoca-se na NASA uma certa preocupação, até para alertar e prevenir o país para futuros acontecimentos como este. No entanto a possibilidade de haver alguma ameaça associada à sua passagem foi desde logo descartada, até pela distância da Terra a que este iria passar.

 

Para finalizar, este terá sido um dos asteroides conhecidos e com dimensões semelhantes, a passar tão perto de nós. O que nos deixa pairando no ar com esta dúvida premente, acompanhada como um irmão gémeo, por esta pequena e ao mesmo grande interrogação: o que nos aconteceria se o asteroide 2012 TC4 nos tivesse atingido?

 

(consulta de informação e imagem – Google.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:02

Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9

16
17
19

23
24
27

29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO