Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

22
Jan 13

Carta enviada por João Tomate

(o primeiro autodidacta e erudito algarvio a utilizar – sem querer – software alienígena)

 

João Tomate chegou a ser Chefe de Cozinha num empreendimento de luxo do Algarve

 

Por vezes chegam às nossas mãos artefactos de origem desconhecida que pela sua forma pouco atractiva ou fora de comum não nos despertam o interesse que deviam merecer. E assim se perdem objectos que com um estudo e dedicação profunda, poderiam levar a uma sua melhor compreensão e possível manipulação, contribuindo decisivamente para a nossa transformação e evolução.

 

A Lua

 

Ao contrário do que afirmam muitos cientistas como explicação para o aparecimento do sinal X sobre uma região da superfície da Lua, o fenómeno não se resolve anunciando que este é apenas uma consequência lógica de como a topografia e a iluminação podem criar ilusões – como as criadas por deslocações de massas de ar na atmosfera a temperaturas diferentes originando as conhecidas miragens do deserto – originando o aparecimento de situações virtuais desejadas por simples associação de imagens que nos são familiares e que para ali são transportadas e realizadas.

 

Ora o que acontece é que o sinal X é mesmo real, tendo sido inadvertidamente desenhado por mim já há alguns anos sobre a superfície lunar, quando jogava pela primeira vez um jogo de computador que me tinha sido emprestado por um estrangeiro que passara ocasionalmente cá pela terra e que tivera subitamente de partir para fora desta região, muitos afirmando que por motivos muito estranhos e até bizarros que poderiam envolver questões não resolvidos entre grupos rivais de imigrantes.

 

O sinal X

 

Ao iniciar uma das funções deste jogo relacionado com a opção pelo local onde se passaria toda a acção, não escolhi na aplicação informática o ficheiro correcto para dar o início à execução inicialmente pretendida, acabando por ser introduzido por lapso meu no mapa representando a topografia da superfície da Lua, onde aleatoriamente o processador me colocou para iniciar o meu jogo, num ponto referenciado com a letra X. Ora qual não foi o meu espanto ao começar a ouvir na comunicação social estrangeira e nacional notícias sucessivas sobre a existência deste sinal considerado enigmático, precisamente no mesmo local onde o meu computador utilizado nos jogos me colocara anteriormente: como fora possível tal ter acontecido, exactamente com as mesmas coordenadas?

 

O problema estava na aplicação que dava acesso ao menu do jogo e ao uso incorrecto desse programa por parte do seu utilizador. Consultando pormenorizadamente as instruções de ajuda conclui que a aplicação consistia num programa de simulação, utilizado para a instalação de infra-estruturas necessárias para a construção de bases de apoio, em corpos celestes existentes no Sistema Solar e com viabilidade para aí se fundarem novas colónias. O programa informático poderia ter-me sido entregue numa situação de emergência por que passava então o estrangeiro – com o pretexto de ser apenas um jogo – acabando por não ser recuperado e por se perder do seu dono, derivado ao seu desaparecimento.

 

O sinal X foi criado através da utilização de um programa informático de simulação e execução

 

Mantive-o guardado numa das gaveta da minha secretária até ao dia de hoje, mas as implicações do possível conhecimento por parte de estranhos da posse deste artefacto em meu poder, tem-me preocupado vivamente e atirado para um estado de reclusão extremamente solitária e sem fim à vista – até o chamavam o “extraterrestre” – ainda mais agora que os conflitos sociais se agudizam exponencialmente e quando até se fala da presença crescente de alienígenas na nossa região e dos desentendimentos ocorridos entre eles e os diversos grupos que os apoiam.

 

(imagem – earthsky.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:30

Janeiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

15
16

25
26

27
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO