Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

17
Set 13

“A nossa vida só acaba, quando deixamos de sonhar – mesmo que estejamos acordados”


O Feiticeiro de Oz

 

A vida é um caminho que devemos percorrer em conjunto, se quisermos ser felizes: a companhia é apenas um aperitivo para a viagem que em qualquer altura poderemos renovar e quanto ao trajecto escolhido poderá ou não ser o melhor, mas levar-nos-á sempre ao nosso destino.

 

Mas mais importante do que o caminho e do que o trajecto escolhido, aquilo que verdadeiramente nos dá o prazer de viver excitando todos os nossos sentidos e levando a nossa percepção até ao extremo, é a nossa capacidade ilimitada de usufruir de toda a beleza que a Natureza nos oferece.

 

A vida é uma dádiva e a morte é um percalço – e para além delas não estamos nós, mas um pouco grande do nada com tudo: em criança vi o Feiticeiro, mas nunca mais o esqueci.

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:15

13
Set 13

 

Voyager 1: out of the Solar System

 

Researchers have long waited for one of the Voyager probes to leave the solar system. In a surprising turn of events, NASA announced today that Voyager 1 entered interstellar space a whole year ago! This event sets in motion a new era of exploration of the realm between the stars.

 

In February 2013, the National Radio Astronomy Observatory's 5,000-mile-wide Very Long Baseline Array (VLBA) made a radio image of Voyager 1's signal. Little did they know, Voyager 1 was already in interstellar space:


Voyager signal spotted by Earth radio telescopes

 

Voyager 1's main transmitter radiates around 22 watts, which is comparable to a typical ham radio or a refrigerator light bulb. Though incredibly weak by the standards of modern wireless communications, Voyager 1's signal is bright when compared to most natural objects studied by radio telescopes.

 

The image is about 0.5 arcseconds on a side. An arcsecond is the apparent size of a penny as seen from 2.5 miles (4 kilometers) away. The slightly oblong shape of the image is a result of the array's configuration.

 

The VLBA made this image of Voyager 1's signal on Feb. 21, 2013. At the time, Voyager 1 was 11.5 billion miles (18.5 billion kilometers) away.

 

(texto e imagens: spaceweather.com e nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:25

09
Set 13

Quando estamos com fome mas já tudo nos foi retirado – seja o dinheiro ou a sachola – só nos resta podermos usufruir e ficar deleitados a ver aquilo que nos faz água na boca. A nossa capacidade de pensar e de organizar todos os nossos sentidos e percepções organolépticas foi despedaçada nos dias de hoje pelo estertor actual do sistema cultural e formativo actual, oficial e legal, por lobotomia necessária e assumida da generalidade da população: é que os animais só se controlam, aplicando-lhes por caridade o exercício da morte.


          

Terra e Júpiter prontos a comer – já o rico ao comer tanto, tira maior prazer ao evacuar

 

E que tal comermos o nosso planeta ou outra peça qualquer? Vivendo num mundo acolhedor e auto-suficiente, conseguimos apesar de todos os obstáculos racionais e naturais afastar a Humanidade da Natureza e integrá-la por subserviência remuneratória num mundo isolado e inconsequente, puramente mecânico, acéfalo e replicante. Pelos vistos só as crianças irresponsáveis e os velhos senis conseguem compreender o mundo e a vida, mas com as suas posições impraticáveis e extremistas, ninguém lhes dá ouvidos só os deixando brincar, sonhar ou morrer.

 

(imagens: space.com – Rhiannon/Cake Crumbs/Austrália)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:16

04
Set 13

Arderam sete cidades de Lisboa em 15 dias:

(título Expresso)

 

·        Os incêndios florestais só nos últimos 15 dias consumiram no continente uma área de mais de 63 mil hectares.


Incêndio de Sever do Vouga

 

A restante área ardida em Portugal (e por arder) nos outros dias do ano é de estrita exclusividade do Governo:

 

·        Nas Finanças

·        Na Justiça

·        Na Economia

·        Na Agricultura e no Mar

·        Na Saúde

·        Na Educação e Ciência

·        Na Solidariedade, Emprego e Segurança Social


Taça de Portugal – 1.ªEliminatória

Sousense – Moura

 

·        Na Cultura – coitada – que já nem Ministério tem...só se for mesmo um Mistério!

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:56

02
Set 13

Afinal podemos ser todos descendentes de Marcianos ou até de outros extraterrestres desconhecidos e de origem duvidosa, que nem sequer se deram ao trabalho nem ao devido respeito de na altura fundamental acompanharem os seus descendentes ou criações escolhidas, nas suas etapas de adaptação e desenvolvimento ao novo ambiente estranho e potencialmente hostil com que entretanto se depararam.


Vestígios em Marte: só falta mesmo a água

 

Isto apesar de não terem sido descobertos até agora nenhuns tipos de organismos originários do planeta Marte que sustentem essa ideia. No entanto se alguma vez eles existiram no passado distante do planeta Vermelho é na realidade bem possível que através de qualquer tipo de mecanismo de transferência, estes tenham conseguido chegar numa outra etapa da sua vida até ao nosso planeta.


Meteorito com origem em Marte: ALH84001

 

Todos sabemos que a existência de componentes orgânicos em ambientes protegidos como o da Terra são a base primordial para o aparecimento da vida: para que toda esta sequência se desenvolva e progrida naturalmente em todo o seu processo de adaptação e evolução, basta apenas fornecer a este conjunto um pouco de energia – sob a forma de luz ou calor – e deixar que as coisas aconteçam.


ALH84001: estrutura interna vista ao microscópio

 

E tudo isto começou com a chegada (e estudo) de meteoritos provenientes de Marte ao nosso planeta e com a descoberta de estruturas que poderiam significar a existência noutros tempos já muito distantes, de vida nesse planeta exterior à órbita da Terra. E se é verdade que certos organismos e outras estruturas mais simples ou complexas de vida são muito resistentes a ambientes super-agressivos, porque não acreditar também que um dia por qualquer tipo de motivo (impacto de outro corpo celeste) estes organismos tenham abandonado a protecção do seu lar, lançando-se no espaço interplanetário?

 

 (imagens: Wikipedia)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:26

01
Set 13

Foi descoberto na GROENLÂNDIA um dos maiores CANYONS conhecidos do Sistema Solar


Groenlândia a nu

 

Um dos maiores desfiladeiros conhecidos no Sistema Solar está situado ao longo do equador do planeta Marte mais propriamente no Vale MARINERIS: apresenta-se com uma extensão de mais de 4.000km, uma largura de cerca de 200km e uma profundidade que pode ultrapassar os 7km. Comparáveis só os canais sinuosos de Vénus – BALTIS VALLIS – com mais de 7.000km de extensão ou então os outros desfiladeiros provocados pelo aparecimento de fracturas em vales tectónicos – RIFT VALLEYS – originados por fenómenos de erosão exercidos durante milhões de anos pela força dos rios e dos glaciares – como é o caso do lago BAIKAL na Sibéria.

 

Mas agora um outro grande desfiladeiro foi descoberto por cientistas da NASA na Groenlândia – através do tratamento de informação obtida por radar – estendendo-se ao longo de 750km desde o centro da ilha até ao fiorde do glaciar de Petermann. Mais longo que o GRAND CANYON e atingindo profundidades muito semelhantes ao mesmo, este super-desfiladeiro terá tido origem antes da formação da última grande camada de gelo que tem coberto a região desde há milhões de anos: há milhões de anos atrás a água dos rios corria livremente no interior destes CANYONS, desde as nascentes no interior até ao momento que chegavam à costa, criando em muitos dos casos a sua bacia hidrográfica.

 

(imagem – NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:22

 

O oitavo planeta

 

Desde que Plutão foi despromovido do seu estatuto de planeta mais afastado do Sistema Solar – tomando como referência central o Sol – Neptuno acabou por tomar o seu lugar sendo agora o oitavo e mais afastado planeta girando em volta da sua estrela mãe: a sua distância média em relação ao Sol anda pelos 4,5 biliões de quilómetros, demorando 165 anos a dar uma volta completa na sua trajectória em torno do Sol.


Um gigante gasoso

 

Entretanto o planeta Neptuno passou nos últimos dias por uma posição particular de alinhamento (e oposição) formando uma linha recta com a Terra e o Sol.

Em relação a algumas curiosidades científicas sobre o planeta Neptuno a sua atmosfera é composta maioritariamente por hidrogénio (80%), sendo a sua massa constituída essencialmente por gelo (mais de 60%) e rochas (25%).


Em infravermelhos

 

Por outro lado o seu campo magnético é muito mais poderoso que o da Terra (quase 30 vezes), sendo o planeta internamente constituído por água, amónia e metano (gelados) rodeando um núcleo central metálico (ferro e silicatos de magnésio).

 

(alguns dados e imagens – space.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:34

Setembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
16

26
27

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO