Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

27
Dez 13

“A transcendência de π estabelece a impossibilidade de se resolver o problema da quadratura do círculo”

(Wikipedia)

 

Mas o que faz um saudosista da social-democracia do século passado (Pacheco Pereira) – que nem sequer aproveitou os ensinamentos básicos desta ideologia, não os promovendo ou aplicando enquanto poder – no meio dum futuro passarão (António Costa) e dum sempre passarinho (Lobo Xavier) deste novo e anti-democrático regime? O moderador (Carlos Andrade) só torna tudo muito pior, martelando o círculo sempre o deixam, para que fique mais quadrado.

 

A Quadratura do Círculo

 

Limito-me a olhar para um cenário de estúdio modelo T3+1 que a SIC me oferece e apresenta no monitor colocado na parede, enquanto mecanicamente levanto o cobertor que cobre a minha cama, esticando-me nela confortavelmente e ao longo de todo o seu comprimento. Debaixo do cobertor aqueço-me o melhor que posso já que o crédito está difícil e o salário não dá para comer. Com os olhos ainda fixos no monitor de forma rectangular, retorno visualmente ao quadrado e adapto a audição a este fenómeno televisivo. Só falta mesmo regular o volume. E é então que ouço a palavra crise e reparo que já vi aquele programa.

 

“Só temos duas hipóteses no cumprimento do nosso trajecto obrigatório em torno do quadrado que representa o nosso percurso de vida: ou nos deixamos levar pelo sonho e nos despistamos logo ao atingirmos o nosso primeiro vértice (e depois o que será será) ou então como única alternativa só nos restará dobrar completamente a espinha, se quisermos que nos deixem passar e que alcancemos a realidade”

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:55

“O Mundo da Ovelha CHONÉ até que podia ser o Meu”

 

Posição demonstrativa de à vontade e de natural responsabilidade

 

A minha geração ainda foi educada por professores escolhidos não sei bem como pelo Ministério da Educação Nacional, tendo desde a minha infância escolar cumprida no Porto a minha instrução primária – ainda com turmas separadas de rapazes e raparigas – e o subsequente ciclo preparatório no liceu Alexandre Herculano (enquanto a minha irmã como rapariga o cumpria no liceu Rainha Santas Isabel). Com dezassete no exame nacional de matemática – perto de começar a ler o Tintim, alguns escritores portugueses e posteriormente a literatura cativante de ficção científica – emigrei para os subúrbios do Porto, indo frequentar o antigo sexto e sétimo ano da alínea f) do liceu no recentemente criado (e improvisado) liceu de Espinho: aí concluí o meu percurso no liceu e fui voluntário no então criado ano propedêutico. Dispensado do exame de aptidão à Universidade vi-me confrontado com a anulação do exame para os restantes alunos/candidatos (meus colegas) e face à verdadeira invasão registada no acesso ao curso de Medicina (médico = dinheiro) e à possibilidade da respectiva universidade não abrir nesse ano lectivo, fugi inconscientemente para Engenharia (engenharia = dinheiro). Mas nesse período relativamente jovem, ignorante e ingénuo da nossa história ainda recente, vacilamos de novo um pouco, comprometendo nesse instante tão abstracto como real a parte melhor da nossa geração: mas alguma coisa ficou no cenário e alguns mestres conseguiram decifrá-lo e ensiná-lo.

 

Isto tudo a propósito de quê?

 

Solidariedade cultural e com memória de grupo

 

A minha geração ainda teve a sorte e o engenho de apanhar certos eruditos da experimentação vindos das margens ignoradas mas férteis do antigo regime e de todos aqueles leigos ou eruditos que procuravam à sua maneira e com o sacrifício da sua própria vida a sua memória e a sua cultura por prazer e sem a tal serem obrigados, com o único objectivo conceptual e desígnio sagrado de vida de reforçar a sua esperança e o futuro da sociedade. No entanto a geração seguinte desperdiçou tudo o que lhe foi oferecido, talvez por facilitismo de acesso ou por incompreensão dos factos históricos verificados no passado. Tudo por culpa dum sistema que face à boa situação económica do sistema parou e estabilizou, em vez de evoluir para uma nova fase que pudesse sustentar no futuro todo o tipo de cenários possíveis até os mais imprevisíveis. A última geração é a Geração do Vazio e da Indiferença: ultrapassada a desculpa da Geração Rasca os jovens vêm-se hoje em dia na necessidade dramática e de sobrevivência de abandonarem o seu Grupo e de partirem para lá das suas fronteiras de dignidade, obrigados a esquecer por necessidade pessoal e salvaguarda financeira dos seus, as suas origens, os seus antepassados e as suas tradições.

 

Hoje em dia o sistema educativo já está completamente destruído, continuando apenas a cumprir o seu processo normal de decomposição e extinção definitivo, sendo entretanto e progressivamente substituído por um outro sistema de orientação psicológica de massas, menos selectivo e mais extensivo e necessariamente de menor qualidade e englobando democraticamente – por obrigatoriedade moral de cumprimento de serviços mínimos – a generalidade da população.

 

(imagens – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:12

É um Movimento Experimental Radical Dedicado à Anormalidade, até hoje nunca reconhecido pela comunidade científica e com algumas notórias dificuldades de implementação – e ilogicamente com problemas de aceitação (o que é que uma coisa tem a ver com a outra?)

 

 

Com a nossa inteligência nacional entretida com a análise fundamental do profundo conteúdo metafísico e ideológico das cuecas do nosso presidente e da sua preferencial relação com o soutien da Primeira-Dama, só nos resta puxarmos o autoclismo e aguardarmos que a marca deste regime se dilui-a na água da descarga e desapareça pelo buraco da sanita. Com o último suspiro a ser lançado pelos excrementos do regime – antes do seu desaparecimento definitivo nas curvas desequilibradas do sifão – talvez acabem por surgir finalmente as escovas eliminadoras de evidências: e aí demonstrarão ao seu senhor a regra da inevitabilidade – podes limpar a sanita, mas tal como com os senhores, a merda vai sempre mudando.

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 03:03

“France is the second-most taxed European country after Belgium – risks ‘social explosion’ over high taxes”

 

França – um país à deriva

 

Com a França entalada entre a satisfação dos interesses retalhistas da Grã-Bretanha e as aplicações financeiras do Banco Central Europeu comandado pela Alemanha – e com os ricos países nórdicos a assistirem de bancada – tudo parece indicar que de acordo com esta atitude insana e situacionista do presidente francês, a França parece caminhar irremediavelmente para uma situação de emergência económico-financeira, muito semelhante à já vivida por outros parceiros da CEE.

 

E se tal crise extremamente dramática – dada a dimensão global da França no actual contexto europeu – se vier a concretizar, qual será a reacção da Alemanha? Estarei cá para ver se Portugal ainda existir (de facto) – provavelmente se entretanto algum dos líderes europeus (não vejo qual a não ser a França) se dignar reconhecer finalmente a existência dos pobres países do sul (como Portugal).

 

Sonhemos.

 

(imagem e introdução – france24.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:55

Albino Aroso:

O “Pai” do Planeamento Familiar

 

Médico, professor universitário e governante

(1923/2013)

 

O respeitado e não poucas vezes homenageado promotor do planeamento familiar em Portugal tem-se afirmado ao longo da vida como um homem interveniente em matéria cívica e como médico com forte sentido ético e de grande humanidade. Defensor da dignidade e dos direitos da mulher, é um dos principais responsáveis por fazer saltar o país do fundo da tabela dos indicadores de mortalidade infantil para os 5 lugares cimeiros a nível mundial, através, nomeadamente, do trabalho desenvolvido na Comissão de Saúde Materno-Infantil.

 

(texto: sigarra.up.pt – imagem: Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:43

Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

20

23



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO