Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

21
Jan 14

Mick Dodge:

- The man who lives in a tree, doesn't wear shoes, and brushes his teeth with a pinecone.

 

Talk about living off the grid...

 

About 25 years ago, Mick Dodge shed his shoes, grew his beard, and left modern civilization (and a family) to live alone in the Pacific Northwest’s Hoh rain forest.

 

 

“My family has perfected the art of dodging civilizations for hundreds of years. All I have to do is follow my feet,” says the backwoods philosopher.

 

What else would you like audiences to know?

 

 

"Just stand up, step out of your shoebox and walk around through your habitat, your local area. When you do perhaps you will begin to notice some simple things. What will happen when you begin to follow your feet? I have no idea, no one does. I only know my own story. But I also know this: all of us are storytellers, so I hope people step out long enough to feel into the remembering, develop a practice of recovery and begin restoring their footing with the earth".

 

(texto/excerto: humansarefree.com/mnn.com/Gerri Miller – imagens: nationalgeographic.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:14

“Sobrevivente da tragédia no Meco está com amnésia selectiva”

(mas pelos vistos há outros que também têm amnésia)

 

Toda a questão tem resposta

Desde que os responsáveis a queiram mesmo

(ou sejam por dever e/ou por saber, obrigados a descobri-la e/ou desvendá-la)

 

O problema não reside no adolescente sobrevivente – seja ele DUX e esteja a proteger essa instituição mafiosa à qual pertence e deve obediência cega denominada por PRAXE ou seja ele LUX e esteja agora logicamente a proteger-se “a si próprio” e simultaneamente a defender a instituição criminosa da qual pensa depender o seu futuro (e com a qual e apesar do tudo o de macabro sucedido, se continua a identificar) – mas na instituição que continua a permitir e a autorizar tacita e estrategicamente esses rituais selvagens sobre os estudantes (o poder instalado e o dinheiro têm muita força), sabendo de antemão que tais situações (evitáveis e denunciadoras do subdesenvolvimento cultural das nossas novas elites) poderão levar à ocorrência de situações extremas:

- Como deveria ser obrigatório e fácil de entender pelas Universidades e pelos seus corpos dirigentes (professores, alunos e administrativos).

 

E no fim da linha da responsabilidade criminal o Estado (como em todo o restante percurso), que tendo a completa noção do que são as PRAXES – pela sua experiência durante anos e anos com a universidade pública – entregou a sua função de fiscalização e de controlo do funcionamento das universidades privadas aos próprios interessados (como se uma empresa fosse capaz de se auto controlar, face à possibilidade de reforçar a sua mais-valia), unicamente e naturalmente obcecados pelo lucro e em não perturbar muito os seus financiadores directos e indirectos.

 

No fundo e em conclusão exclusivamente preocupados na manutenção de todos os rituais de acesso ao poder já institucionalizados (e por precaução de manutenção do poder fossilizados) – e como tal ultrapassados e desenquadrados da sociedade actual, que até já substituiu como critério de acesso a sectores privilegiados da sociedade a ARMA pelo CANUDO – mesmo sabendo de antemão e já agora apoiados em estudos científicos, que com tais procedimentos poderiam originar acontecimentos ignóbeis e inqualificáveis como este.

 

Será que no meio disto tudo ninguém tem um peso na consciência, será que este país já chegou definitivamente a um ponto de não retorno em que memória, cultura, valores e respeito já nada valem?

 

Jamais poderemos aceitar aquele critério cavaquista e estreito (e selectivo conforme regras impostas aos outros mas não respeitadas pelos mesmos) do sucesso a qualquer custo, mesmo que realizado por cima de cadáveres – isso faziam por exemplo os nazis, fora e dentro dos campos de concentração!

 

“Não se esqueçam que aqueles que agora se sentam na poltrona do Poder e que mais dizem querer atacar e liquidar o poder das Corporações que nos asfixiam, são os mesmos que posteriormente farão parte delas e que da mesma forma nos continuarão a controlar e manipular a partir delas: a vítima seremos sempre nós, uns dias os pais e os avós, neste caso os nossos filhos – e se fosse o meu? E se fosse o teu”?

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:43

A Terra vista no início da viagem pelas câmaras de Rosetta

 

A sonda espacial Rosetta lançada pela Agência Espacial Europeia (ESA) no ano de 2004 da base de Kourou na Guiana Francesa acabou decorridos dez anos, por despertar com sucesso do seu período transitório de hibernação (dois anos e meio).

 

Os primeiros sinais de vida oriundos da sonda Rosetta

 

Foi visível a satisfação dos técnicos da ESA responsáveis pela execução desta missão, ultrapassado que foi este ponto crítico da viagem da sonda ao encontro do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko's.

 

Centro de operações espaciais da ESA na Alemanha

 

A sonda Rosetta prosseguirá a sua trajectória de aproximação ao referido cometa, até que por volta de Agosto chegará ao seu destino colocando-se em órbita: além dum período de estudo pormenorizado e detalhado do cometa, a sonda aproveitará ainda a oportunidade para lançar uma outra mini-sonda (Philae) de encontro à superfície do mesmo onde aterrará (no decorrer do mês de Novembro).

 

Rosetta e Philae

 

Enquanto a Philae estiver a observar pela primeira vez na história da exploração espacial o solo da superfície de um cometa – utilizando uma câmara incorporada – a sonda Rosetta continuará a estudá-lo a partir da sua órbita, utilizando os seus onze instrumentos científicos de que vai apetrechada.

 

(fonte e imagens – space.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:44

Janeiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9


23



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO