Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

12
Jun 14

Quantas vezes é que no teu país os responsáveis pela tua Saúde e pela Saúde de toda a população (que os elegeu para os representar e defender) pronunciaram e nos elucidaram sobre o significado total da palavra MONSANTO? Zero! “A Monsanto é uma das maiores empresas do mundo e a número um em sementes transgénicas, 90% das culturas modificadas geneticamente no mundo contam com os seus traços biotecnológicos”. (Esther Vivas)

 

Eles sabem que o Pecado da Gula faz parte do manual de instruções político-religiosos que nos é proposto logo no início do nosso percurso de vida e de formação: reduzindo simultaneamente um parâmetro abstracto como o é o tempo e o único parâmetro real (e fundamental) o espaço – ainda por cima possível de ser reduzido ao nosso imaginário entretanto assimilado. “O escritor Dante Alighieri disse que os culpados deste pecado capital (a gula) seriam castigados no inferno sendo obrigados a comer sapos e outros animais”. (texto – Web)

 

      

 

Os eruditos especializados – ou seja os ignorantes e analfabetos em todas as áreas, à excepção de uma (e nem nessa com curriculum) – talvez te informem que te deves estar a referir ao parque de campismo municipal da cidade de Lisboa (o único existente na capital): “380.000 m2 preparados para receber mais de 1800 hóspedes em alvéolos,bungalows, e acampamento livre durante 365 dias”. (lisboacamping.com)

 

Os mais cultos talvez ainda se lembrem de outras paisagens alternativas e de contornos mais underground: afinal de contas hoje em dia e no nosso país a cultura e a memória de nada valem, face ao poder absoluto e esmagador das aparências, da subserviência e do dinheiro. Monsanto continua a ser uma das mais belas terras da Beira, celebrizada pelo escritor Fernando Namora, que aqui viveu e exerceu medicina durante alguns anos. “Retalhos da vida de um médico” ou “Nave de Pedra” são algumas das obras profundamente marcadas pela experiência Monsantina do escritor”. (radiomonsanto.pt)

 

         

 

Provavelmente quase 100% da população mundial já comeu (duma forma directa ou indirecta) alimentos baseados na tecnologia Monsanto. Logo, mesmo estando contra a estratégia monopolista e estritamente comercial desta multinacional (farmacêutica e alimentar), o povo já está familiarizado com ela. E os mais novos? Será que nunca ouviram falar da Coca-Cola, da Danone, da Lipton, da Pringles, da Kellogs, da Hellmans, da Cadbury ou da Capri-Sun?

 

Até no nosso país a gigante agro-industrial Monsanto já está há uns bons anos cá instalada, contando com fortes e influentes apoios no respectivo sector – sobretudo no campo das sementes transgénicas: A gigante agro-industrial das sementes geneticamente modificadas reconheceu que o negócio dos OGM na Europa não é bem visto pela população. A excepção é Portugal e Espanha, onde diz beneficiar de amplo apoio político e um sistema de regulação mais favorável”. (esquerda.net)

 

 

A Monsanto sabe muito bem que “pela boca morre o peixe”. E com todos os especialistas mundiais (em nutricionismo) a serem obrigados a pactuar com as grandes multinacionais – caso contrário serão despedidos e ignorados, morrendo naturalmente de fome – já nada nos pode salvar de morrermos de barriga cheia, doentes e ainda por cima com fome: e com os outros a afirmarem ser apenas um sintoma passageiro, comunicacional e artificial. “O cientista José Maria Gusman Ferraz fez parte, por três anos, da CTNBio, a comissão que libera o uso de transgénicos no País. E denuncia a displicência com que as plantas e outros organismos geneticamente modificados são aprovados na comissão. A mais recente aprovação, que Gusman Ferraz considera absurda, é a do mosquito transgénico contra a dengue”. (sindicatonutricionistas.com.br)

 

Enquanto isso no nosso lindo e sereno Portugal a vida continua a rolar como sempre, como se nada se passasse (com o povo idiota do fundo da escada), nem ninguém se preocupasse (os especialistas e eruditos de topo). Chegado o Verão, ninguém parece incomodar-se com a perspectiva de poder estar a comer um saboroso salmãozinho grelhado acompanhado por uma fantástica e fresquinha bejeca, tudo muito bem regado e preenchido com os nossos amigos transgénicos. Para a Monsanto transgénico é sinónimo de Bom. E para ti? Para as abelhas decerto que não será. E para o teu filho que bebe leite – será que é mesmo o leite de que o teu filho precisa? “O ADN das plantas transgénicas aparece no leite das vacas que foram alimentadas com essas rações. Por isso somos também consumidores directos de tais 'invenções' quando consumimos leite. Que consequências é que este dado novo acarreta para a saúde humana? Ninguém sabe... porque essas experiências nunca foram feitas. Mas as experiências não deviam ser feitas antes de os transgénicos serem aprovados? Ou as cobaias somos todos nós”? (stopogm.net)

 

(imagens – humansarefree.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:10

“Não é por um aldrabão e bandido que tanto crime (legal até hoje) consentiu, que eu me vou levantar para lhe estender a minha mão: é que já são muitos os membros da nossa comunidade que ele ajudou a decepar”.

 

Uma Mensagem sobre o Anjo Negro enviada pelo Santo Anjo da Guarda de Portugal

 

No meu país o criminoso nunca é condenado pela simples razão de quem manda neles são os mesmos que fazem as leis do nosso país (que os protegem de todos os crimes possíveis ou até nunca imaginados): pagamos-lhes para nos representarem e ainda nos roubam mais, agora e cada vez mais à descarada. E se alguém por qualquer motivo não quiser ver o que está diante dele (e de todos nós) só porque eles se distinguem de nós considerando-se como Reis e desprezando-nos como bichos, isso não impede ninguém de pensar e reflectir nas suas fortunas e de como elas se fizeram: tal como o ladrão eles não se conseguem libertar facilmente do produto que roubaram e tal como os toxicómanos não mais conseguem largar o vício. O chamamento do dinheiro é sempre mais forte do que eles. Acusem esses monstros de assassínio sistemático, julguem essas bestas por matarem a nossa memória e a nossa cultura e façam esses psicopatas sociais pagar pelos seus crimes contínuos, sádicos e hediondos – isto se quiserem evitar outros genocídios justificados e entretanto estrategicamente esquecidos, em nome dos nossos pais e dos nossos filhos e em nome da nossa honra de ainda nos podermos considerar humanos.

 

(imagem parcial – retirada da Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:06

Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
18
20

27

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO