Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

14
Jun 14

Encontro Sexual no Algarve entre um Choco e uma Sardinha

(com uma Conquilha à espreita)

 

         

ZZC4 e as suas Amazonas

 

Por volta de meados do mês de Junho do ano 2101 – e como já era habitual na região no decorrer dos últimos anos – o litoral do Algarve tinha sido invadido por múltiplas hordas de animais, oriundos do Complexo Agro-Biológico da barragem do Alqueva. O complexo era por essa altura dirigida superiormente pelo Rei do Algarve e Regiões Adjacentes – incluindo zonas do norte de África e a ilha das Canárias – um descendente directo de um dos mais famosos machos algarvios e que se tornara Rei numa eleição improvisada e de emergência realizada no que restava da saudosa e querida (para o seu bisavô) Praia da Rocha: numa reunião de emergência improvisada contando esmagadoramente com a presença de indivíduos do SEXO feminino – a maioria dos indivíduos machos ficara retido no complexo, por aparentes motivos técnicos – o macho ZZC4 foi inesperadamente eleito com 99,9% da totalidade dos votos expressos, só porque tinha um corpo jovem e musculado e por se encontrar com o seu membro firme e hirto coberto por cuecas justíssimas e de lycra. Algo de estranho se passara na estrutura de poder do anterior complexo, tendo sido daí emanada a ordem para o restabelecimento dum novo poder. ZZC4 aceitara-o, assumira o controlo do complexo e a partir desse momento fizera-o à sua imagem. Escondera no entanto de todos os animais as explicações necessárias sobre o sucedido no complexo e que provocara um número brutal de mortos entre os indivíduos machos – com muitos outros mutilados, maioritariamente nas partes genitais – e talvez para sua protecção como líder e representante deste novo território a preservar, declarou a monarquia e instalou o seu harém. Assim e sem mais delongas, por esta altura do ano 2.101 e com a aproximação da época alta de Verão, já se sentia o cheirinho do choco, da sardinha assada e do odor das conquilhas algarvias. Perto dali mas mais no interior, o cheiro do genocídio do frango da Guia, ainda assustava muitos animais. Nesse ano em Pêra o Festival da Areia tinha como tema “SEXO entre Animais, Vegetais e outras coisas mais”.

 

O Polícia Marítimo

 

O Polícia Marítimo era um tipo curtido. Profissionalmente tinha evoluído de mirone a técnico especializado. Socialmente era um grande adepto do SEXO (seguro) como um hábito necessário para a preservação da nossa educação, saúde e sentimento de justiça, devendo-se praticar assiduamente (como beber, comer, obrar) mas sempre com precauções: é que por vezes este calor enlouquecia os indivíduos, levando-os à concretização de acções profundas e por vezes de consequências incontroláveis, girando sempre em torno de sintomas de reunião, intersecção, desejo e orgia. E é no meio disto tudo que surge o episódio explícito de SEXO no Oceano Atlântico. Relembre-se que a costa algarvia tinha mudado muito o seu aspecto e contornos, desde o início do degelo acelerado das duas calotes polares, degelo esse que tinha nos últimos anos provocado o elevar do nível médio da água do mar, inundando e fazendo desaparecer muito da antiga orla costeira – tal e qual como a conhecíamos dos nossos velhíssimos e quase extintos manuais escolares. No entanto os clientes habituais não tinham deixado de frequentar estas costas do sul de Portugal, com o seu mar tranquilo e de temperaturas amenas a convidá-los a aqui se instalarem e a usufruírem do mar, da praia e da sensualidade do local: desde os há muito tempo residentes em Albufeira – como o choco e a conquilha – até à cíclica invasão de camones – como era o caso da sardinha. A história decorre inicialmente na baía da cidade, onde na tranquilidade das águas da primeira baixa-mar ainda sob os raios dum bonito pôr-do-sol de Junho, um choco conversa animadamente com a sua pequena e engraçada companheira conquilha: no decorrer dessa animada conversa e na altura em que o choco atrevido se preparava para lançar um dos seus tentáculos em direcção ao interior físico da conquilha – surpreendendo-a e penetrando-a no seu habitat – eis que no cenário já em evolução e início de execução, surge a provocante sardinha, ondulando lateralmente o seu corpo na sua direcção e com as suas escamas brilhantes e coloridas, disparando cores cintilantes sob os últimos raios do Sol. Sinal de que estava fresquinha e pronta para os Santos Populares. O choco olhou para a sardinha e o tentáculo decidiu: já só pensava como seria ter SEXO com uma sardinha.

 

    

A Mulher-Peixe e o Homem-Choco

 

O Polícia Marítimo era agora responsável por uma extensa faixa costeira, umas largas centenas de metros afastada da antiga linha de costa – que definia o então litoral do concelho de Silves e de Albufeira. Ocupava o Posto de Observação, Controlo e Adaptação SA-1 (situado já no interior da freguesia da Guia) o qual englobava toda a zona onde anteriormente se situava a agora submersa Lagoa dos Salgados e que se estendia neste século XXII para o interior, este e oeste. Foi na execução da sua função que tomou conhecimento directo dos factos seguintes, os quais e como verdadeiro profissional registou prontamente (em plataforma digital), para uma possível e responsável constituição de memória futura. Teve todo o apoio do grande e poderoso ZZC4, até pelo tema fundamental deste testemunho verídico: que o entretinha e excitava nos tempos livres, quando não tinha mais nada para aviar. Eis a parte essencial do curto relatório escrito:

- Registei a presença dos elementos referidos como CH2.11.335 e CO2.11.899 na região sob meu controlo. Habitavam em zonas adjacentes que por vezes partilhavam, nunca tendo no entanto entrado em contacto directo, até ao dia em que ambos tinham participado inadvertidamente num acontecimento fortuito – uma maré-cheia anormal – que os tinha colocado frente-a-frente. Daí nascera uma amizade imprevista e passageira, que rapidamente e devido à época do ano que atravessavam se transformou em algo mais: o calor, a firmeza dos corpos, o ambiente ameno mas excitante e como tal convidativo a loucuras, levara a consequências mais físicas e penetrantes e que neste ponto envolviam sensualidade, excitação e sexualidade. Sob a pressão dos tentáculos firmes e hirtos do excitado e descontrolado Choco – lançados deliberada e intencionalmente na sua direcção e com um único objectivo a atingir – a Conquilha aceitou o desafio, abriu amplamente as portas de sua casa e até aceitou abandoná-la e ir-se com ele. Mas como sempre acontece no Verão tudo era transitório.

- No entanto o cenário altera-se completamente, poucas horas depois da concretização da loucura sexual de Verão (entre o choco e a conquilha). Reporto aqui e agora o aparecimento da Sardinha, que se seguiu à concretização do episódio anterior (Sardinha também transportada inadvertidamente pelas vagas da maré-cheia) e à sua chegada por mero acaso junto do casal de apaixonados. Num dos seus lançamentos sexuais o Choco reparou na Sardinha: e foi nesse momento que o Choco virou as costas para a sua querida Conquilha, nem reparando sequer que uma vaga a levara para longe (de sua casa) sendo logo (estando sem protecção) engolida por um outro animal, que em êxtase SEXO-alimentar se veio e até arrotou.

- Termino com o último episódio deste acontecimento em que me envolvi pessoalmente, já que ambos – o Choco e a Sardinha – acabaram por se dirigir até ao posto sob a minha responsabilidade. Pediram então acesso à Máquina Transformadora e só tive que aceder ao seu pedido: respeitavam todos os requisitos obrigatórios e dispunham das premissas iniciais para umas belas férias sexuais. No menu optaram pela réplica disponível, transformando-se então em dois belos exemplares prontos a entrar em actividade: a Mulher-Peixe e o Homem-Choco. A restante história é completamente absorvida por essa actividade, tal como se constata neste pequeníssimo extracto do meu registo:

- “A Mulher-Peixe e o Homem-Choco foram instalados no ainda belo e vertical Castelo de Silves. Já no interior do castelo foram transportados até umas escadas interiores que desciam obliquamente até um piso inferior, que ia dar a uma grande sala ampla, fresca e silenciosa. Mal entraram na divisão subterrânea, fecharam a porta atrás deles. Momentaneamente surpreendidos com o sucedido, a Mulher-Peixe e o Homem-Choco logo recuperaram deste tempo de dúvida e de incerteza, agora que verificavam terem sido colocados perante um cenário magnífico e surpreendente, próprio dum conto erótico das Mil e Uma Noites: estavam agora rodeados de tecidos sumptuosos que cobriam todas as paredes, com um lago de águas refrescantes no seu centro e mesas repletas de bebidas coloridas e alimentos de aspecto e odores fulgurantes. Com a luz introduzindo-se suavemente por entradas existentes no tecto deste pequeno paraíso, enquanto se escutava uma melodia sensual e deliciosa vinda do exterior. Estava assim montado o cenário. Enquanto isso numa sala extremamente bem equipada de uma das torres de vigia do Castelo de Silves, ZZC4 e as suas Amazonas observavam deliciados os contactos sexuais que se iam verificando (na antiga cisterna) entre os dois mutantes temporários, enquanto se iam masturbando e despindo para a próxima intervenção sexual do seu Rei e Senhor.

No bar instalado no pátio interior do castelo os servos preparavam a recepção a ZZC4, apresentando a mesa onde iriam servir a refeição já totalmente preparada, o fogo da grelha já bem lançado e quase no ponto e o menu já exposto numa bonita e decorada casca de conquilha: sardinha assada e choco grelhado. O início estava previsto para depois da concretização dos orgasmos.

 

A abandonada Conquilha

 

“As Conquilhas vivem junto à rebentação do mar enterradas na areia e a uns poucos centímetros de profundidade. Existem nas praias do Algarve sendo relativamente fáceis de capturar, sem ser necessário qualquer instrumento auxiliar. A apanha da conquilha já remonta há muitos anos. Actualmente, os veraneantes adoptaram isto como um passatempo, um desporto, mais uma distracção na praia. Para além disso, a conquilha é considerada como uma boa entrada para o almoço ou jantar”. (Wikipedia)

 

[Estudo/Análise/Publicidade/SEXO – 2.9]

 

(imagens: costumecraze.com – programacapivara.com – thunderbr.deviantart.com/zbruchcentral.com – olhares.sapo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:21
tags:

Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
18
20

27

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO