Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

23
Jun 14

The Watchers

(thewatchers.adorraeli.com)

 

Campo magnético terrestre

(uma das zonas mais enfraquecidas situa-se na região do Atlântico Sul tendo já começado a estender-se pelo Oceano Índico) 

 

The first set of high-resolution results from ESA’s three-satellite Swarm constellation reveals the most recent changes in the magnetic field that protects us from cosmic radiation and charged particles that bombard Earth.

 

Magnetic field is in a permanent state of flux. Magnetic north wanders, and every few hundred thousand years the polarity flips so that a compass would point south instead of north. Moreover, the strength of the magnetic field constantly changes – and it is currently showing signs of significant weakening. (ESA)

 

Imagem do campo magnético terrestre neste mês de Junho

(a cor vermelha corresponde a um campo magnético forte em oposição à cor azul que corresponde a um campo magnético enfraquecido)

 

Measurements made by Swarm over the past six months confirm the general trend of the field’s weakening, with the most dramatic declines over the Western Hemisphere. But in other areas, such as the southern Indian Ocean, the magnetic field has strengthened since January.

 

The field is particularly weak over the South Atlantic Ocean – known as the South Atlantic Anomaly and the latest measurements confirm the movement of magnetic North towards Siberia.

 

The weak field has indirectly caused many temporary satellite ‘hiccups’ (called Single Event Upsets) as the satellites are exposed to strong radiation over this area. (ESA)

 

(texto excepto legendas/imagens – The Watchers/ESA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:50

Estados Unidos – 2 Portugal – 2

 

 

 

C

País

J

M-S

P

1

Alemanha

2

6-2

4

2

EUA

2

4-3

4

3

Gana

2

3-4

1

4

Portugal

2

2-6

1

 

A melhor hipótese ainda possível para se poder acreditar:

- A Alemanha goleia os Estados Unidos por 4 golos de diferença (como fez com Portugal):

- Portugal vence o Gana por dois golos de diferença.

 

Infelizmente a minha premonição aponta para fazer as malas (sem souvenirs) e desejo de boa viagem (de regresso).

 

(imagem – mundodeportivo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:25
tags:

22
Jun 14

Depois de apanhar Chapa 4 no seu primeiro desafio, Portugal defronta agora em jogo decisivo os EUA.

 

Copa do Mundo Brasil FIFA 2014

 

       

 

Estados Unidos – Portugal

 

Arena Amazónia – Manaus

23.00

 

E aqui vai a clasificação do grupo, antes das onze horas da noite – a hora marcada para o início da partida:

 

C

País

J

M-S

P

1

Alemanha

2

6-2

4

2

EUA

1

2-1

3

3

Gana

2

3-4

1

4

Portugal

1

0-4

0

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:38
tags: , ,

Enquanto o povo português desespera ou foge perante o clima de miséria que o corrói e destrói, Seguro – pretendendo navegar tranquilamente a sua nau até às legislativas de 2015 – não abdica de ser Primeiro-Ministro mas só lá para o ano. E seguro de si não hesita em atacar Costa (entalado entre os ponteiros do relógio) sempre bem protegido pelos seus funcionários (do aparelho).

 

Insultos a António Costa no final da Comissão Nacional do PS

(mas porque será que estas coisas – e como já se torna habitual – se passam sempre a norte?)

Estratégia!

 

 

"Traidor"

"Borra-botas"

"Oportunista"

Não prestas

 

Pelo menos ficamos agora a saber que Seguro pode muito bem ser para o já sofrido povo português um perigo igual ou superior a Coelho – como já tínhamos verificado há poucos meses atrás aquando da sua tentativa de co-assinar o acordo Cavaco/Coelho/Portas proposto pelo actual Presidente da República (oferecendo-lhe no futuro e virtualmente o cargo de Primeiro-Ministro), como consequência (e para branqueamento) de mais uma das grandes broncas governamentais. Mas em alternativa e para o bem do povo o que nos reservará Costa? Ninguém sabe.

 

(imagem – Expresso)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:26

“Quem não se lembra do episódio histórico da última Guerra no Iraque – num espectáculo patrocinado pelo último herdeiro da dinastia Bush e contando com o apoio nacionalista e em directo (para o caso de existirem qualquer tipo de dúvidas) da inquestionável CNN”?

Na caça ao ditador árabe e às suas inexistentes armas de destruição maciça – num safari contando com a participação de predadores como Blair, Aznar e Barroso (todos muito bem recompensados) – e que terminou com mais de 1.000.000 de vítimas, um país quase que terraplanado e petróleo ao preço da chuva.

 

Ataque com carro bomba na capital do Iraque – com mortos civis

 

Um dos inúmeros atentados registados em Bagdade (este ocorrido no mês de Março) sempre com um número elevado de vítimas entre a população civil – 30 mortos e 140 feridos. Só no ano passado foram registadas quase 9.000 mortos e este ano até Fevereiro, o número já ia em 1.400 (para já dentro da anterior média anual).

 

    

Militantes do Estado Islâmico da Síria e Levante/ISIS/ISIL – e campanha nos media

 

Com fortes ligações aos sunitas e à organização terrorista da Al-Qaeda e equipados com material novo de combate de origem norte-americana (na imagem transportando prisioneiros abatidos a sangue frio ou a caminho disso) desviado recentemente da Síria. Dando-se ainda ao luxo de gozarem nos media com os seus imprevistos fornecedores.

 

    

Combatentes armados ligados ao clérigo e líder xiita Moqtada al-Sadr – dois grupos

 

Estes grupos militarizados desfilam na cidade de Sadr City (um dos distritos de Bagdade) e na cidade de Kerbala situada mais a sul da capital iraquiana. Relembre-se que duas das principais correntes maioritárias entre a população iraquiana ou apoiam os sunitas (em menor número mas que detiveram o poder com Saddam Hussein) ou os xiitas (mais numerosos e com os seus grande baluartes a sul como Basra).

 

Lança-foguetes fabricado nos USA em território sírio e agora a caminho do Iraque

 

Referindo-me aos dois produtos aqui apresentados – o de formação ideológica representado pelo sujeito/homem e o de aplicação militar representado pelo objecto/arma – teremos que concordar que a estratégia dos Estados Unidos da América na defesa dos seus interesses particulares no mundo exterior tem uma eficácia verdadeiramente espectacular, particularmente quando se trata de aniquilar até às suas infra-estruturas básicas uma sociedade inteira destruindo toda a sua memória e cultura e ai instalando o reino da selvajaria. E no meio do caos instalado ninguém liga aos criminosos e ladrões.

 

E ainda temos que ouvir um especialista da CNN a referir-se ao grupo islâmico ISIS, como sendo apoiado e patrocinado pelos sauditas e pelos russos – como se os russos estivessem tão bem familiarizados com os sauditas e com a família Bin Laden como é o caso reconhecido da família Bush. É que os Diabos não se medem pela cor nem pelo tamanho dos seus cornos!

 

(imagens/excepto a última – e alguns dados RT/Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:07

21
Jun 14

Hoje é o dia do solstício de Verão no hemisfério norte (em que a duração do dia é a maior do ano), ou seja, o dia em que se inicia a estação de Verão e as férias grandes de muita gente como nós.

 

Praia de Albufeira

(há muitos anos atrás)

 

Momento para se recordar a vida das populações locais – neste caso de Albufeira – num ainda não muito distante passado: quando as casas dos seus antepassados ainda estavam de pé e os albufeirenses ainda não estavam extintos.

 

(imagem – edamalta.superforum.fr)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:58

 

Mais tropas russas a caminho da fronteira ucraniana

(agora que um dos seus postos fronteiriços já foi atacado)

 

Enquanto a aventura dos conglomerados que dominam a política externa (e interna) dos USA continuava em pleno desenvolvimento na Ucrânia – veja-se o número de infra-estruturas básicas destruídas (ou paralisadas), além dos mortos e dos feridos registados no leste da Ucrânia entre a sua população civil (com a colaboração interna e externa de mercenários privados) – a Rússia de Putin (e após a integração em território russo do que lhes verdadeiramente interessava, a militarizada e estratégica região da Crimeia) virava-se de imediato para o imenso e prometedor (que o digam os USA) mercado asiático: o estabelecimento dum mega acordo de abastecimento futuro de gás natural à China relançava a economia russa para a concretização dos seus desejos de penetração em mercados prioritários (como o chinês, ainda antes do fim do ano a maior economia a nível global), ainda por cima com a possibilidade de com o gigante chinês pôr de lado como referência internacional de pagamento a moeda norte-americana, o dólar. Isto tudo (e infelizmente como sempre) com a Europa a ver e nada fazer e até (ironicamente) a assistir à possibilidade desse pagamento ser feito em euros. Mas pelos vistos a Europa não necessita de ter acesso a fontes de energia, já que sendo auto-sustentável, abdica dos fornecimentos vindos da Rússia. Mas será mesmo assim?

 

E agora chegou a altura de Putin se virar de novo para o cenário secundário (a Europa) e se achar necessário actuar: tratar da saúde dos necessitados e tentar mais uma vez demonstrar às vítimas do Outro (Obama), que tal como ele – mas sem ser necessário recorrer de início à ameaça e à destruição – apenas pretende estabelecer acordos e negócios proveitosos para a Rússia. Mas uma coisa já todos sabemos: jamais a Rússia permitirá que cidadãos russos sejam abatidos como cães, logo ali ao lado e na cidade maioritariamente russa mais próxima.

 

“We are surprised by such claims about the concentration of Russian troops on the Ukrainian border. In this case, it’s not about any concentration of military forces, but about the measures to fortify the borders of the Russian Federation, the measures ordered directly by President Putin”.

“Concerning the quantity of the military forces, it’s determined by the requirements to ensure a sufficient level of security at the border”. (Dmitry Peskov – Secretário de Estado da Rússia para a Imprensa)

 

Refugiados residentes no leste da Ucrânia em fuga pela vida

(ou como diria o poder actualmente instalado em Kiev os subhumanos)

 

E no meio da espuma dos dias eis que do interior do oceânico Atlântico surge a velha e ultrapassada Europa, emergindo à superfície das águas com a ajuda dos seus salvadores habitando do outro lado do mar, a bordo duma fortaleza norte-americana ostentando (ao estilo dos antigos e poderosos piratas) a multi-interpretativa bandeira da NATO – apoiando indefectivelmente o comandante militar aqui devidamente apetrechado com todo o seu inestimável e revolucionário arsenal, ainda por cima oriundo do país mais poderoso do mundo, o único capaz de o dominar apenas imprimindo mais moeda). O que os Europeus poderão questionar agora mais do que nunca – já que nos encontramos numa crise soluçante (por ter sido importada do exterior, objectivamente para salvar outros) mas que nunca mais acaba (porque ficamos com os produtos tóxicos dos outros, descarregados deliberadamente e sem piedade sobre nós) – é a razão pela qual foi criada a EU e depois disso o Euro: se afinal a sua criação não era para a Europa contrapor o seu poder à asfixiante prepotência económica e financeira do dólar – ninguém consegue deter um país que tenha o poder e a capacidade de inundar o mundo com a sua moeda – então para que foi ela criada? Fácil: objectivamente e unicamente para colocar nas mãos de um único país o controlo económico e financeira de toda a Europa. Só que ainda não foi declarada oficialmente a III Guerra Mundial – apesar da decadência acelerada da Europa, com o esmagamento e aniquilação progressiva dos seus paradigmas civilizacionais de sustentação (deparando-se a nossa sociedade com uma pirâmide social em inversão) – nem Berlim é a capital dos Estados Unidos da América.

 

O que todos nós poderemos lamentar é a posição no meio de toda esta confusão, do país que com a sua iniciativa pretendia aparentemente ajudar a desenvolver o mundo (os Estados Unidos da América) – mesmo que fosse em seu benefício, mas também e de uma forma inteligente e empreendedora pensando nos outros – e que no final apenas conseguiu transmitir ao mundo a sensação do que é ter medo, viver num estado de permanente ameaças e terror e no fim poder ser violado e colonizado (sem pena nem remorsos) como se fossemos terroristas, traidores ou extraterrestres. Foi uma pena ou então uma inevitabilidade: o presidente Obama deixou-se levar pela extraordinária máquina de guerra norte-americana e se por um lado mandou regressar as suas tropas a casa, poderá ficar associado e mais tarde relembrado para todo o sempre – depois da morte e do funeral do célebre Yes We Can – como o Homem dos Drones. Como seu testamento político poderá no entanto invocar o Obamacare.

 

"We now see a new Russian military build-up around the Ukrainian border. At least a few thousand more Russian troops are now deployed".

"It seems Russia keeps the option open to intervene further in Ukraine".

"The international community would have to respond in a firm manner if Russia were to intervene further in Ukraine". (Anders Rasmussen – Secretário Geral da NATO)

 

(imagens: RIA Novosti/Pavel Lisitsyn e RT – texto em inglês: RT)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:16

19
Jun 14

Today (the 18), the Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO) celebrates its fifth anniversary in space. LRO launched from Florida on June 18, 2009. After a four-day journey, the orbiter successfully entered lunar orbit on June 23.

 

The Moon – Tycho Complex

 

Tycho crater's central peak complex, shown here, is about 9.3 miles (15 km) wide, left to right (southeast to northwest in this view). A very popular target with amateur astronomers, Tycho is about 51 miles (82 km) in diameter. The central peak's summit is 1.24 miles (2 km) above the crater floor.

 

(texto e imagem – NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:18
tags: ,

17
Jun 14

 

Iraque/Samarra/2014

Rebeldes a caminho de Bagdade

 

Vejam apenas o que se passa no Iraque com os terroristas da Al-Qaeda – fortemente armados pelos poderosos Estados Unidos da América, na guerra civil que se trava na Síria contra o governo de Bashar al-Assad – a deslocarem-se com todas as suas bagagens e armamento (graciosamente oferecidos para os mesmos, mas para outra guerra que não esta) para o país do ex-ditador Saddam Hussein. Além da nota de preocupação norte-americana com a sucessão de acontecimentos registados no norte do Iraque (e a sul?) – não querendo no entanto envolver-se directamente no conflito que provocaram desde que os seus poços de petróleo continuem protegidos pelos seus exércitos privados de mercenários – da Europa a única reacção conhecida e mesmo assim recente, vem do Primeiro-Ministro David Cameron: duma forma ingénua e como se nada soubesse do que se estava a passar no Iraque, desde o início da guerra civil na Síria – o que nada o abono na sua luta com Angela Merkel, pela liderança europeia. Afinal qual é o entendimento norte-americano sobre o fenómeno do terrorismo – promovido pelos Estados Unidos da América a tema fundamental de qualquer sociedade futura, que se queira livre e segura – quando o vemos a apoiar com armas pesadas a intervenção de elementos associados à Al-Qaeda na guerra civil a decorrer actualmente na Síria, mostrando-se depois surpreendidos por os verem logo ali ao lado no Iraque, a atacarem os seus interesses com essas mesmas armas.

 

Iraque/Talibans/2014

Assassínio colectivo de opositores

 

Hipótese A:

Vamos lá todos imaginar que um dia no futuro desse grande país que é os Estados Unidos da América, o estado do Novo México (devido a determinadas situações, que para eles poriam em causa a sua existência e soberania) afirma categoricamente e face aos protestos dos seus cidadãos, estar a ser violentado, atingido, diminuído e colonizado nos seus direitos básicos, face ao poder superior e intrusivo dos restantes estados norte-americanos. Em revolta o Novo México decide pedir aos restantes estados a sua autonomia e independência. Em resposta ao pedido, sem analisar as causas da revolta e sabendo deter em último caso o poder supremo de anular os contestatários, os Outros declaram inequivocamente esta gente – dirigindo-se àqueles que antes também eram como eles – potenciais terroristas, estando tal e qual um traidor ao serviço de outro país – por exemplo o México. Justificam desse modo as mortes inevitáveis como uma virtude de qualquer limpeza que se queira eficaz.

 

Hipótese B:

Vamos lá todos imaginar que esse futuro decorre agora muito mais perto de nós, não na casa do vizinho situada lá mais ao longe, mas mesmo ao lado de nós ou seja na porta seguinte: neste caso o conflito encontra-se instalado em Portugal, com o país a ser dividido em duas zonas distintas e adversárias, controladas e impulsionadas para a confrontação por políticos patrocinando ideologias diferenciadas, mas sem nenhuma ligação com os anseios da população que estes afirmam patrioticamente representar. Por exemplo (poderia ser o contrário ou outra cena qualquer): a norte do rio Tejo todos aqueles que propõem lançar fogo a Lisboa e expulsar do nosso território cristão todos os mouros que ainda existem e contaminam com as suas ideias Portugal (os bons) e a sul do mesmo rio fronteira a restante minoria de verdadeiros alienígenas, apenas interessados em não trabalhar ficando a dormir à sombra dum chaparro ou de um guarda-sol de praia (os maus). Não aceitando a obrigação da sua submissão face aos puros do norte, os mouros revoltam-se e declaram unilateralmente a sua independência. Como consequência do anúncio provocatório e após tomarem controlo da capital – por exemplo com o auxílio dos nossos aliados ingleses – os puros decidem: bombardear os mouros e expulsá-los para fora do país. Pelo meio famílias são destroçadas, direitos são violados e muitos portugueses perdem a sua terra e nacionalidade – nunca compreendendo o conflito, a acumulação indiferenciada de mortos e mutilados e a destruição das suas casas. Mas tudo fica agora muito mais controlado, livre e seguro, ficando todos nós bem mais longe dos subhumanos e afastados do perigo de contaminação por estes servos do Diabo.

 

Ex-Jugoslávia/Belgrado/1999

Bombardeamento humanitário da estação de TV pela NATO

 

O país do mundo que mais ofertas de solidariedade e amizade propõem a outras nações em guerra ou próximas disso – guerras por uma coincidência incrível sempre impulsionados por esse mesmo país, contando os necessitados e por esse motivo com o seu auxílio humanitário prévio, à base de bombas, mísseis e outros alimentos – está agora escandalizado por a Rússia estar a dar apoio às populações do leste da Ucrânia que combatem o poder instalado em Kiev e lá colocado pelos norte-americanos (à base duma estrutura de comando orientada por sectores extremistas e mercenários, que exteriormente controlam os militares), quando todo mundo sabe que os Estados Unidos da América só aparecem nas zonas de conflito que eles próprios criaram, quando é necessário defender a (sua) liberdade no mundo.

 

É clara aqui e mais do que evidente a responsabilidade da Rússia no agravamento dos acontecimentos no leste da Ucrânia, quando o que ela devia fazer era estar quietinha e caladinha perante o que se passava para além da sua fronteira, enquanto via outros cidadãos russos a serem perseguidos, mortos e se possível exterminados.

 

E porque não terraplanados à bomba atómica, tal e qual como seria o grande desejo de um dos mais recentes proto-ditadores ucranianos a ex-Primeira-Ministra Timochenkoanteriormente também presa por abuso do poder e corrupção – agora recuperada apenas porque é visceralmente anti-russa: pelo menos que fugissem para o seu maldito país como o fez o anterior presidente pró-russo Ianukovich.

 

Nunca dos Estados Unidos da América, vindos lá de longe como os Novos Cruzados Ocidentais – agora que a Europa morreu – unicamente para combater os novos mouros terroristas, ou seja as hordas invasoras vindas de leste com os russos e os chineses à cabeça: para os nunca nomeados por ninguém polícias do mundo, os seus únicos objectivos são sempre desinteressados e desligados da exploração de qualquer tipo de matéria-prima (mesmo que humana), apenas direccionados para a salvação e estabilização de qualquer região do mundo e sobretudo dos seus naturais e residentes.

 

ONU/Fundada após a II Grande Guerra Mundial/1945

O último edifício justificativo (de inocência) para quem manda no mundo (do crime)

 

Como o comprovam as sucessivas intervenções exemplares e vitoriosas desta nova polícia global, independente do mundo e correndo em paralelo com ele (convém nunca se misturar para não criar confusões): Vietname, Iraque, Afeganistão, Jugoslávia, Líbia, Síria, Ucrânia...e chega de exemplos que acabaram em destruição e genocídio.

 

Em vez de sermos hipócritas devíamos apoiar a esmagadora maioria dos ucranianos que nunca desejaram tal coisa para si, para os seus e para os restantes cidadãos do seu país, não nos colocando sempre e covardemente ao lado de quem vai à frente, na exploração dum povo e na destruição de toda a sua esperança no futuro, sejam eles russos, norte-americanos ou outros representantes de outro tipo qualquer de quadrilha (legal ou ilegal) apoiados pelos diversos tipos de mercenários.

 

Mas onde pára e para que serve a Organização das Nações Unidas, que consente que haja uma intervenção exterior num determinado país, apenas porque algo, alguém ou alguma coisa disse que certos cidadãos desse país invadido, eram mais cidadãos do que outros: ou seja uns são cidadãos e os outros não passam de estrangeiros convertidos ao terrorismo!

 

(imagens – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:20

Alemanha – 4 Portugal – 0

 

Analista de computadores português residindo temporariamente no Brasil, Chapa 4 resume numa curta frase obtida em suporte digital, a estreia de Portugal no Mundial de Futebol de 2014:

- A minha posição na poltrona exprime o mais fielmente possível a predisposição da selecção portuguesa para o esforço que iria desenvolver no seu desafio face à Alemanha, ainda por cima com um calor dos diabos e com metade dos elementos que defrontaram a República da Irlanda de fora – talvez por serem mais novos, mais rápidos e sabe-se lá, até por aí terem vencido: perderem tranquilamente e sem grandes sobressaltos para o adversário. Como assim os nossos amigos alemães e solidariamente com um colega europeu ainda por cima em dificuldade (como sempre nos conheceram) podem tentar aumentar a chapa quatro, com o Gana e os EUA. Viva a Alemanha!

 

Chapa 4: Pronto a confrontar Paulo Bento

 

Depois de correr repetidamente o programa de software utilizado pelos técnicos da nossa selecção, verificou-se a existência dum erro grosseiro e de base, na sua estrutura de aplicação: relativamente aos portugueses tratavam-se de modelos de hardware melhor adaptados a baixas temperaturas (indivíduos amantes do ar fresco ou então do ar condicionado) ao contrário do hardware utilizado pelos alemães (testado sob as temperaturas actuais), mais robusto e resistente ao aparecimento de amplitudes extremas e por consequência muito mais fiável.

Portugal perdeu inesperadamente com a Alemanha por 4-0 – uma verdadeira goleada – deixando no campo uma imagem de quem pretende apanhar o mais rapidamente possível o avião de regresso a casa: como assim em Portugal o Verão está prestes a começar e no Brasil até já começou o mau tempo – uma verdadeira carga de água e de golos.

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:38

Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
18
20

27

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO