Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

15
Jul 14

“Indústria Militar Norte-Americana não se contenta com Aparelhos Telecomandados: exige palcos e cenários credíveis de forte intervenção e investimento”

 

TWO-THIRDS OF REPUBLICANS: IMPEACH!

(huffingtonpost.com)

 

Barack Obama

 

Mais uma vez a extrema-direita norte-americana não se deixa intimidar pelos seus legítimos pares e dirigentes (muitos deles podendo ser considerados como verdadeiros criminosos de guerra) e como já é habito – quando o presidente pertence ao outro lado – luta agora desesperadamente pela eliminação do seu principal oposicionista: o Presidente Democrata (ainda por cima negro) Barack Obama. Invocando o liberalismo selvagem como o promotor socioeconómico da verdadeira liberdade e a força das armas como forma absoluta e definitiva de impor as suas regras civilizacionais, os Republicanos recorrem de novo a uma estratégia já anteriormente utilizada com o anterior presidente democrata Bill Clinton: sempre por motivos colaterais e simplesmente vergonhosos e miseráveis a figura do Impeachment!

 

Ainda por cima tendo como subscritora a ex-candidata Republicana a vice-presidente dos Estados Unidos da América e actual governadora do Alasca, Sarah Palin. Seja qual for a razão invocada por estes admiradores de um mundo controlado por armas, mais um episódio deplorável entre muitos outros consecutivos e sem explicação minimamente satisfatória (pelo menos para os potenciais investidores dos Estados Unidos), que demonstra a todo o mundo o estado cada vez mais caótico e sem rumo em que está mergulhada essa grande potência militar mundial e detentora da única moeda universal (o dólar). Nunca esquecendo que entre os Democratas também existem muitos entusiastas da utilização de armas como forma prioritária de protecção e defesa, entre eles um dos mais fortes candidatos democratas às próximas primárias norte-americanas: Hillary Clinton.

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:23
tags: ,

É fácil de perceber porque a Alemanha domina esta Europa: porque tal como no futebol despreza os vencidos.

 

Campeões do Mundo

(mesmo face ao nosso Mestre Irrevogável)

 

Thomas Müller

 

“Não me importa nada essa MERDA.

Somos Campeões do Mundo!

Podem pegar na Bola de Ouro e enfia-la no CU”

(após tradução)

 

E no caso do avançado da selecção alemã o seu raciocínio foi apenas lógico e imediato: o que interessa é ganhar e não os títulos que se tem.

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:20

Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO