Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

30
Out 14

“Já que os norte-americanos parecem aparentemente ter desistido de Conquistar a Lua, deixem lá agora serem os chineses a experimentarem a Aventura: com os seus pequeninos passos sobre a superfície lunar (ao contrário dos passos norte-americanos considerados como “grandes passos da humanidade”), pode ser que deste modo (de locomoção limitada) o Mundo ainda aprenda um pouco (mais) com eles!”

 

036.jpg

Júlio Verne – Da Terra à Lua

 

0 Projéctil prosseguia indiferente a sua rota mas lá em baixo aquele caos não se modificava. Sucediam-se incessantemente círculos crateras e montanhas esburacadas. Nem uma planície, nem um mar. Era uma Suíça uma Noruega Intermináveis. Finalmente no centro daquela região gretada precisamente no ponto culminante apareceu o deslumbrante Ticho a mais esplêndida montanha do disco lunar à qual a posteridade ligará sempre o nome do ilustre astrónomo dinamarquês. (Júlio Verne – Da Terra à Lua)

 

17568_orig.jpg

A Lua (vendo-se a sua face oculta) e a Terra (o planeta azul ao fundo)

 

Entre os Cinco Continentes do nosso planeta, é no continente asiático que encontramos o país apresentando o maior índice populacional: a China, com mais de 1,2 biliões de pessoas (com outro país asiático – a Índia – a ficar perto dos 1,2 biliões). Sendo simultaneamente um dos maiores países do mundo (o terceiro depois do Canadá e da Rússia e dispondo de uma área de 9,6 milhões de km²) e estando perto de se tornar a maior potencia económica mundial (prevendo-se que tal suceda até ao fim deste ano de 2014), a China assume cada vez mais o seu paradigma e o seu caminho irreversível de se tornar a breve prazo a maior potencia global. E com a sua nova geração de cientistas e de investigadores em acelerado crescimento quantitativo e qualitativo, tudo se torna mais fácil e naturalmente possível: como é o caso do seu Programa Espacial, com o lançamento de inúmeros satélites, com o envio de outras sondas em direcção à Lua e a Marte e até com a construção de uma grande estação espacial em órbita da Terra, rivalizando com a actual estação internacional ISS.

 

5183685_orig.jpg

Trajectória da Chang'e 5 (na sua viagem de ida e volta à Lua)

 

Numa iniciativa conjunta estabelecida entre a China e o sector privado (neste caso a empresa europeia LuxSpace), foi lançado no passado dia 23 a partir do Centro de Lançamento de Satélites em Xichang o satélite Chang'e 5-T1, tendo como primeiro objectivo alcançar a Lua, orbitá-la e regressar de novo à Terra. A concretização com pleno êxito deste objectivo abrirá as portas para futuros lançamentos de outras naves em direcção à Lua, mas agora orbitando-a, alunando, recolhendo amostras, abandonando de novo a superfície lunar e regressando são e salvo à Terra (o segundo objectivo) – já que a ideia é colocar um homem sobre a superfície da Lua. E daí nasce o terceiro objectivo: a construção de uma base lunar e o início da exploração do único satélite da Terra.

 

A sonda Chang'e 5-T1 regressará ao nosso planeta no fim do mês (31Out/1Nov). Apesar de ainda não estar completamente confirmado, a sonda tentará ensaiar a sua reentrada na atmosfera terrestre de modo a assim poder aterrar em pleno território chinês: sendo capaz de fazer algumas manobras de correcção na sua trajectória e escolher um ponto de entrada correcto e em linha com a posição da Terra nesse preciso momento, tudo aponta para que tal possa vir a suceder (em princípio um dos módulos da Chang'e 5-T1 fará a sua reentrada na atmosfera terrestre – caso contrário tentará manter-se em órbita).

 

(imagens – AAA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:28

No próximo mês de Novembro uma nave de origem terrestre lançada pela Agência Espacial Europeia, irá pela primeira vez na História aterrar sobre a superfície de um cometa.

 

Comet_on_26_October_NavCam_node_full_image_2.jpg

Cometa 67P/C-G

(26.10.2014)

 

Tendo atingido o cometa 67P/C-G no dia 6 de Agosto deste ano, a sonda Rosetta prepara-se para enviar agora o módulo de aterragem Philae, em direcção à superfície do cometa.

 

Depois de realizadas algumas manobras de aproximação – que levaram a sonda até uma órbita distanciando cerca de 10Km de 67P/C-G – a sonda iniciará amanhã (dia 31) os seus preparativos para a aterragem do seu módulo Philae, inicialmente previsto para o dia 12 de Novembro.

 

Comet_activity_10_September_2014_node_full_image_2

Cometa 67P/C-G

(10.09.2014)

 

A sonda Rosetta irá acompanhar o cometa durante a sua trajectória de aproximação ao Sol (o cometa 67P/C-G atinge o seu periélio em Agosto do próximo ano), contando-se que no decorrer de 2016 ainda possa estar activa, continuando a enviar para a Terra mais dados e imagens. Isto apesar do fim da missão ter sido estabelecido para 31 de Dezembro de 2015.

 

À medida que o cometa se for aproximando do Sol a actividade à superfície de 67P/C-G irá crescendo e os fenómenos provocados pela mesma (actividade) serão cada vez mais extensos e visíveis.

 

A acção do Sol torna-se implacável para estes corpos celestes viajando a grande velocidade na sua direcção (muitos deles vindos das profundezas do nosso Sistema Solar), com alguns deles desintegrarem-se completamente ou até mesmo a colidirem com o Sol – o que não será o caso deste.

 

(imagens – ESA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:18

Outubro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO