Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

01
Dez 14

Estamos na segunda metade dos anos sessenta. Em Portugal Salazar já caíra da cadeira (Estoril – 03.08.68), enquanto que nos EUA a NASA iniciava os voos tripulados do projecto APOLLO (Cabo Canaveral – 11.10.68). E no dia 16 de Julho de 1969 a nave tripulada APOLLO 11 descola da Terra, sendo a primeira missão a colocar homens na Lua (o nosso satélite natural situado a mais de 360.000Km de distância da Terra): parecia mesmo um filme de Hollywood, um sonho tornado realidade.

 

800px-5927_NASA.jpg

Aldrin e o módulo lunar Eagle
(Apollo 11)

 

Quando a 20 de Julho de 1969 o módulo lunar EAGLE entrou em contacto com a superfície da Lua, milhões de espectadores assistiam na Terra via TV a este momento histórico na vida da Humanidade: pela primeira vez o Homem abandonava o seu planeta de origem (ultrapassando o frio e a escuridão solitária do Espaço) para atingir um Outro Mundo e entrar em contacto com ele.

 

Nesse dia os astronautas da Apollo 11 Neil Armstrong e Edwin Aldrin tiveram o privilegio único de serem os primeiros homens a pisar um mundo alienígena (Michael Collins ficara no módulo de comando em órbita da Lua), deixando todos os habitantes na Terra entusiasmados e de boca aberta, com este feito espantoso e inacreditável.

 

Em Portugal milhares de portugueses também puderam assistir pela televisão (na altura a preto-e-branco) e durante toda a noite a este acontecimento extraordinário, observando atentamente os passeios e os saltos de Armstrong e Aldrin sobre o solo lunar, assim como (e não poderia deixar de ser) à colocação da bandeira norte-americana: ou não tivesse a América ganho a Corrida ao Espaço aos seus rivais Soviéticos.

 

No entanto pouco tempo se passou sobre este acontecimento (espacial) para logo começarem a surgir as primeiras interrogações colocadas pelos mais incrédulos (e cépticos) sobre a realização duma empreitada de tal envergadura, fazendo-se então ouvir cada vez com mais insistência que tudo não passava de uma mera encenação montada num estúdio de Hollywood.

 

Mas como o tempo tudo faz esquecer e como os voos extraterrestres se continuaram a realizar e evoluir sem problemas e para lugares cada vez mais distantes no nosso Sistema Solar (veja-se o caso das sondas VOYAGER) o assunto ficou para trás e um pouco esquecido, apesar de regressar (pelos mais diversos motivos) de tempos a tempos.

 

Nunca deixando no entanto de deixar algumas dúvidas e questões por responder, como mais recentemente a razão porque tinham os norte-americanos desistido de mais voos tripulados à Lua ou a qualquer outro tipo de destino localizado no espaço exterior: é que terminado o programa Apollo e pondo de lado as sondas automáticas (não tripuladas) o Homem têm-se limitado apenas a estações espaciais (como a ISS). Nada mais.

 

earth-shield-Baker-et-al-e1417032107784.jpg

Os cinturões de Van Allen
(nova ilustração)

 

E quando tudo parecia arquivado e esquecido (os únicos caminhos disponíveis ficavam agora para os teóricos da conspiração) eis que um engenheiro da NASA num vídeo educacional lançado para promover a nova nave espacial ORION (que segundo a NASA levará o Homem para lugares onde ele nunca esteve) afirma:

 

“As we get further away from Earth, we will pass through the Vann Allan Belts, an area of dangerous radiation. Radiation like this can harm the guidance systems, onboard computers, or other electronics on Orion. Naturally, we have to pass through this danger zone twice, once up and once back. But Orion has protection, shielding will be put to the test as the vehicle cuts through the waves of radiation. Sensors aboard will record radiation levels for scientists to study. We must solve these challenges before we send people through this region of Space”. (Kelly Smith – NASA Engineer)

 

“We must solve these challenges before we send people through this region of Space”

 

Só podemos ficar mesmo de boca aberta e com cara de palerma. Como é possível fazer-se tal afirmação – ainda por cima divulgada por um engenheiro e responsável da NASA – se todos nós sabemos que a agência norte-americana já enviou vários astronautas através dos cinturões de Van Allen há mais de 40 anos?

 

Com afirmações como esta até começamos a pensar se não haverá nisto tudo algo de verdade: se os cinturões de Van Allen (que protegem a Terra) são constituídos por material extremamente radioactivo e mortal (para os seres humanos), então e provavelmente o Homem nunca os terá (para já) ultrapassado, sendo esta a prova final de que a EAGLE nunca alunou (aplicando-se o mesmo a todos as missões tripuladas Apollo).

 

orion-first-test-flight-illustration.jpg

Primeiro teste de voo da nave espacial Orion
(ilustração)

 

Se alguma vez formos à Lua, só se formos (no futuro e protegidos das radiações) a bordo da nave espacial ORION.

 

“NASA is set to launch the first test flight of its deep-space Orion capsule this week. The Orion capsule — built for NASA by Lockheed Martin — is designed to eventually take humans deeper into space than they've ever gone before”. (space.com)

 

(imagens – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:47

Dezembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

18
20

24
27

28
29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO