Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

05
Fev 15

Um trabalho perfeitamente idiota (mas que neste mundo pode tornar-se real).
Mas ainda na expectativa de se transformar numa fonte de consulta de uma qualquer tese de mestrado ou de doutoramento (preferencialmente na área da Saúde/Contabilidade).
No mínimo incluído num workshop, numa acção de formação sem grande conduto ou em qualquer PowerPoint a ser disponibilizado neste país.

 

shutterstock_87934630.BLOGDOSERIDO.COM.BR.jpg

 

Face às fortes críticas ultimamente lançadas sobre o Ministério da Saúde relativamente à sua posição em torno dos doentes com hepatite C e correndo perigo de vida (necessitando ser tratados o mais rapidamente possível, com um medicamento inovador e eficaz, mas extremamente caro), encomendei a um especialista no ramo do cálculo estatístico e incapaz de se deixar influenciar pelo delicado tema em reflexão, uma sondagem rigorosa, imparcial e que estivesse assente em parâmetros reais.

 

Dada a impossibilidade de uma rápida apresentação de resultados caso se tivesse de recorrer à consulta personalizada de um determinado universo de indivíduos, o referido especialista e tendo em atenção a importância do rigor nos valores a recolher, optou por escolher como seu instrumento de trabalho um “Gerador de Números Aleatórios”, um produto reconhecido do Grupo Intemodino.

 

E dessa forma gerando aleatoriamente 100 números compreendidos entre 1 e 4 (ou entre as letras A e D), obtive a seguinte tabela de resultados (sondagem efectuada a um Universo de cem indivíduos virtuais, postos perante um Ministério em tempos de dificuldades orçamentais):

 

Opção Atitude do Ministro Situação em que fica o Doente Consequência para o Doente %
A Permite acesso livre ao fornecimento de tratamentos inovadores e eficazes Pondo de lado o aspecto financeiro e tudo o que isso implica, a melhor solução para os doentes Salvação da esmagadora maioria dos doentes 25
B Permite com condições mais flexíveis fornecer tratamentos inovadores e eficazes Pondo de lado o aspecto financeiro e tudo o que isso implica, uma solução dependendo do grau de flexibilidade Salvação da esmagadora maioria dos doentes 24
C Permite em determinadas condições fornecer tratamentos inovadores e eficazes Pondo de lado o aspecto financeiro e tudo o que isso implica, a solução para os doentes com sorte Condenação da maioria dos doentes à morte 22
D Recusa fornecer tratamentos inovadores e eficazes Pondo de lado o aspecto financeiro e tudo o que isso implica, a pior solução para os doentes Condenação à morte e a prazo de todos os doentes 29

(O Universo de consulta englobava cem elementos que escolheriam entre quatro possibilidades aquela que claramente apoiavam)

 

Como já era matematicamente previsto dado o aleatório também ser limitado (a média é o seu destino fatal), a distribuição final de percentagens foi muito equilibrada. Segundo esta sondagem recorrendo à geração aleatória de números, logo rigorosa e imparcial, o Ministério da Saúde teria a razão pelo seu lado: 29% dos virtuais inquiridos apoiavam a sua decisão, de condenação à morte e a prazo dos doentes. Apesar de estar tudo muito dividido (51/49), o que continuava a aconselhar extrema cautela.

 

ch_brasil023.saturnov.com.jpg

 

Assim se comprova como qualquer tipo de argumento utilizando números, cálculos, estatística, previsões, sondagens e até mundos reais e imaginários, é invencível e eternamente prevalecente (devido à força mágica dos dígitos e de tudo o que deles depende), mesmo que o guião seja o mais sacana e imbecil ou não passe de mais uma treta.

 

“Democracia: é uma crendice muito difundida, um abuso da estatística.”
(Jorge Luis Borges)

 

(imagens: blogdoserido.com.br/saturnov.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:22

Fevereiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

18
20

22


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO