Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

22
Dez 15

Um asteroide curioso (binário) sendo acompanhado na sua trajetória por um satélite de cerca de 70m

 

No início do ano de 2015 o asteroide 2004 BL86 passou a quase 1,2 milhões de quilómetros do planeta Terra (pouco mais que 3x a distância Terra/Lua).

 

Mais precisamente a 26 de Janeiro e quando se encontrava a menos de 150 milhões de quilómetros do Sol (1 UA).

 

Como se pode constatar (pelo seu ponto da trajetória nesse dia) com o asteroide a passar 125x mais próximo da Terra, comparativamente com a sua distância nesse preciso momento ao Sol.

 

asteroid20150126-640-640x350.jpg

Asteroide 2004 BL86

 

No passado dia 15 de Dezembro quando o asteroide 2004 BL86 já se encontrava a quase 460 milhões de quilómetros da Terra (a afastar-se) e a mais de 310 milhões de quilómetros do Sol, surgiu a notícia de que o mesmo (com uma dimensão próxima dos 10Km uma brutalidade ao nível da extinção) passaria nesse dia bastante próximo do nosso planeta e até poderia colidir com o mesmo.

 

Com o impacto a registar-se sobre a Austrália (mais rigorosamente a 3km de uma praia de Adelaide).

 

E como um mal nunca bem só a fonte da notícia divulgada no theadelaidecurrent.com (que seria da responsabilidade da NASA) indicaria que o monstro seria de ferro, dificilmente se desintegraria e atingiria em cheio a Terra.

 

Tudo isso no dia 15 de Dezembro de 2015.

 

Não reparei. Também se o tivesse feito talvez já não estivesse aqui a escrever.


(imagem: NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:35

Que Mete Água!

 

Este material branco que observamos sobre a superfície agora seca e desértica do planeta Marte (GIPSITA um minério de cálcio) é apenas mais uma prova de que num passado muito distante da História deste planeta a ÁGUA estava presente – e talvez partilhando esse espaço com outras “coisas” como a VIDA.

 

NRB_503849215EDR_F0520000NCAM00190M_.JPG

Marte – Curiosity Rover
(Sol 1198 – 20.12.2015)

 

Nesta nova imagem obtida por uma das câmaras do ROVER CURIOSITY no seu 1198.ºdia de permanência na superfície do planeta MARTE (trata-se de uma ampliação parcial de Sol 1198), é bem visível a presença de uma substância clara e brilhante entre as fraturas existentes entre as diferentes rochas que constituem este cenário alienígena (substância essa surgindo bem contrastada face às areias mais escuras também aí bem visíveis).

 

“Water was here. This strip of white gypsum is the single most significant bit of evidence about the persistent presence of liquid water over a long period.”
(John Callas/JPL/2011)

 

O que nos leva a pensar (isto se houver alguma semelhança entre o funcionamento da Terra e de Marte, ambos planetas interiores e vizinhos muito próximos) que aquilo que de tão longe presenciamos poderá ser uma prova irrefutável de que existirá vida no planeta Marte: VIDA MINERAL. Porque pelo menos a este nível existirão reações químicas entre diferentes materiais, transformando-os noutros (sem nada se criar e sem nada se perder) e oferecendo-nos o resultado (visual). Quanto a vida animal (ou vegetal) e pelas imagens que recebemos (até hoje) nada de novo a assinalar nem suspeitas da sua existência (só mesmo na cabeça de alguns). O que não impede que há alguns biliões de anos Marte fosse parecido com a Terra!

 

NLB_503678551EDR_F0520000NCAM00273M_.JPG

Marte – Curiosity Rover
(Sol 1196 – 18.12.2015)

 

Num MUNDO onde até as dunas (mais uma “coisa” como na Terra) vão escondendo a sua História (à medida que vão avançando e tudo se vai esquecendo): só nos resta observar e procurar para perceber. Afinal de contas a Terra e Marte fazem parte da mesma família (o Sistema Solar): com algo que terão em comum e se calhar o que menos se espera!

 

(imagens: NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:23

Dezembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12


24
25

27
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO