Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

22
Jul 16

Depois do Iraque e da Síria talvez a vez da Turquia!

 

“Se antes do pretenso golpe militar Erdogan ainda era obrigado a manter a torneira relativamente controlada (no fluxo e refluxo fronteiriço entre a Turquia e a Síria – com refugiados, terroristas, armas e petróleo a cruzarem-se na canalização), após este último episódio (de suicídio golpista) vê-se agora justificado e completamente de mãos-livres. A Alemanha que se proteja contra uma vaga de atentados.”

 

CnwXHaiXEAACSFI.jpg

Consequências de mais um ataque aéreo no interior do território da Síria

Levado a cabo pela coligação liderada pelos EUA

 

Para aqueles que ainda têm dúvidas sobre a virtude da utilização de armas para a resolução de conflitos, basta olhar para a imagem seguinte com um mínimo de atenção e de sensibilidade animal (afinal de contas os animais só matam por necessidade/para comer), para imediatamente se compreender que de armas só se socorrem os assassinos.

 

Como é o caso deste momento brutal e criminoso aqui exposto como testemunho e em papel, demonstrando como ataques aéreos lançados contra os terroristas do ISIS por potências exteriores ao conflito (neste caso os norte-americanas como poderiam ser os russos) acabam por se transformar em verdadeiros genocídios de civis.

 

Levado a cabo nas proximidades da localidade síria de Manbij (pretensamente num bombardeamento a locais controlados por grupos de terroristas), mas que no final acabou por provocar a morte de dezenas de inocentes civis, por azar aí presentes como sua terra de nascimento. Como milhares de outros casos (com velhos, mulheres e crianças) nunca relatados.

 

Num momento de grande gravidade e tensão para todo o Mundo e para todos os seus 7 biliões de habitantes, em que uma Guerra Civil generalizada que se estende por todo o território do Iraque e da Síria desde há já vários (e muitos) anos, se prepara por contágio e com a colaboração preciosa de mais um ditador (já numa fase de purgas pós-golpe) para alastrar à Turquia.

 

BREAKING NEWS:

Police suspect terror in Munich mall shooting amid reports of at least 6 dead

Hunt for one or more shooters underway

(foxnews.com)

 

(imagem: Twitter/Haidar Sumeri/@iraqsecurity)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:15

“E enquanto o presidente turco ERDOGAN endurece o seu regime (ditatorial), os EUA de OBAMA esperam (para gerir) e a EUROPA de MERKEL morre de medo (até de falar).”

 

3667.jpg

O BOM

Presidente da Turquia – Recep Tayyip Erdogan

(no poder há 13 anos como 1ºMinistro e Presidente)

 

Quando na noite de sexta-feira dia 15 as televisões de todo o mundo começaram a falar de um Golpe Militar em curso na Turquia, a maioria das pessoas minimamente informadas sobre os acontecimentos a decorrer nesta zona do globo, acharam desde logo que algo de estranho se passava: como era possível um regime construído em torno de uma figura carismática e todo-poderosa dominando atualmente e em absoluto toda a estrutura do poder no interior do seu território, distrair-se de tal forma pondo a sua vida em causa. Ainda-por-cima num período de aparente viragem de direção e estratégia política do intocável presidente Erdogan e no preciso momento em que a Turquia se reaproximava da Rússia, tentando de algum modo afastar-se do problema da Guerra Civil a decorrer na Síria.

 

“Um Golpe em que o vencedor se confunde com a vítima e estrategicamente apresentando um plano extremamente brilhante e ainda-por-cima sem grandes chefes para culpar.”

 

103393963TurkishSoldiersNEWS-large_trans++eo_i_u9A

OS PORCOS

Jovens militares pertencentes ao Exército da Turquia a serem atirados deliberadamente, sem qualquer tipo de preparação e como bodes expiatórios, às feras da política turca atualmente no poder

(ou seja Erdogan e os súbditos do seu partido AKP)

 

Um golpe que (dadas as circunstâncias e factos comuns a muitos destes acontecimentos) só poderia ter sido levado-a-cabo pelos apoiantes do Governo, pelos apoiantes da Oposição ou então pelos militares (com uma possível quarta hipótese a poder muito bem ser a de um golpe conjunto Governo e ISIS, necessária e minimamente com o conhecimento dos EUA). E que na sua apresentação às ideias que pretendia difundir, pediu ao povo já tanto sofrido e que desejava sobretudo servir (o pretexto de todos os golpistas), para não se expor outra vez ficando protegido em casa (exclusivamente com esta atitude cometendo Haraquíri). Tendo nas consequências à vista, a resposta para todas as dúvidas (ainda hoje sem se conhecerem os cabecilhas do golpe): um Contra Golpe Ilusório como segunda fase do Golpe.

 

“Numa estratégia dúplice pós-golpe em que Erdogan chega a acusar o piloto que abateu o caça russo de ser simpatizante do ISIS (para satisfazer a Rússia), ao mesmo tempo que manda prender todos os militares anti-ISIS (para satisfazer os terroristas).”

 

3975.jpg

O MAU

Clérigo líder da Comunidade Islâmica na Turquia – Fethullah Gulen

(exilado nos EUA)

 

Excluindo como autores do Golpe os Opositores e alguns Militares. Uns porque mesmo críticos (do regime) se opuseram ao golpe, outros porque dos militares só vimos jovens a levar (sem se poder identificar a hierarquia golpista). E se não fosse mais nada pelo início da caça-às-bruxas com milhares de demissões, fugas, mortes ou prisões – neste momento de loucura a caminho dos 100.000. Com a declaração por três meses do estado de emergência e com a suspensão da convenção (europeia) dos direitos do Gomem na Turquia. Num tempo alucinante da História da Turquia (que a poderá lançar por contaminação num clima de Guerra Civil) em que um ditador aproveita para seu benefício a situação periclitante de uma sociedade por si próprio manipulada, dividida e sobretudo asfixiada, socorrendo-se de uma situação pelo mesmo propiciada (senão mesmo oferecida) de modo a assim se reforçar, eternizar e eliminar os seus inimigos.

 

“Restando ficar à espera da reação ao golpe por parte da hierarquia militar turca – agora que a sua credibilidade é mais uma vez posta em causa (militares esses mais utilizados do que participantes no golpe do último fim-de-semana); e da atitude a tomar face à evolução futura deste golpe por parte dos EUA (devido à presença do clérigo turco Gulen em território norte-americano, um exilado político e suposto líder do golpe).”

 

(imagens: theguardian.com/telegraph.co.uk e AP/GETTY IMAGES/REUTERS)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:18

Julho 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11

17
18

30



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO