Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

05
Ago 16

“Os nossos órgãos dos sentidos não só nos podem induzir em erro (apesar de na realidade eles funcionarem como excelentes tradutores, ignorando alguns dos nossos limites culturais), como por outro lado nos fazem despertar a nossa memória e descobrir o que afinal já sabíamos e que apenas estava guardado bem lá no fundo. Existindo provavelmente algo de comum (de espelho) entre a história de Marte e a história da Terra.”

 

NLB_521777252EDR_F0552222NCAM00261M_.JPG

 

A nossa historinha inicia-se num verdadeiro cenário de ficção-científica, localizado num mundo distante do nosso e com coordenadas interiores ao Sistema Solar. Proporcionando-nos extensas imagens de paisagens secas e desérticas, até ao horizonte sem nenhum tipo de movimentos visíveis para além de uma topografia misteriosa mas algo familiar. Um Mundo lembrando-nos as grandes extensões desérticas também existentes na Terra, no caso do nosso planeta estendendo-se por vezes sob condições extremas ambientais e impróprias para a sobrevivência da esmagadora maioria dos seres vivos, mas que no entanto e apesar das condições extremas de subsistência aí existentes, nunca impediu que noutro tempo ou noutro espaço a vida existisse, se adapta-se e persistisse – evoluindo como sucede no nosso planeta.

 

Talvez um corpo em forma e estrutura muito semelhante ao nosso, mas de onde nada de significativo se avistava para além de grandes extensões de areias preenchidas por montes de pedras, num mundo sem uma gota de água e sem organismos vivos visíveis e completamente desprotegido por inexistência de atmosfera: onde talvez no passado o cenário fosse outro (há biliões de anos atrás), aí talvez muito mais próximo ao que hoje temos na Terra (talvez mesmo com vida e com um grande oceano). Um mundo que após consulta demorada de todas as cartas se revelou morto e sem futuro, sem nada à vista para oferecer, sem atmosfera para nos proteger e sem um movimento que seja para ainda se acreditar. Deixando-nos no entanto nas dúvidas ao analisar os detalhes (já que os vestígios do passado não desaparecem, apenas se vão transformando).

 

FLB_521777022EDR_F0552222FHAZ00302M_.JPG

 

Segundo uma primeira análise feita à distância e baseada em todos os conhecimentos anteriormente adquiridos e registados noutros mundos – como o foram inicialmente a Lua e ultimamente o cometa 67P/C-G e até o planeta-anão Plutão – um corpo celeste que há biliões de anos no passado estaria coberto parcialmente por um vasto oceano, protegido das radiações cósmicas por uma camada de atmosfera semelhante à nossa e muito provavelmente inserido num ecossistema proporcionador da existência de vida no seu interior (mesmo que primitiva). Num registo que colocado em projeção num determinado espaço distendido e sobreposto no tempo, nos poderia estar a fornecer todos os dados para que no futuro não repetíssemos os mesmos erros do passado, mesmo que salientando-se da grelha (holográfica) e sobrepondo-se em muitos pontos à cronologia da Terra (levando-nos a suspeitar de um qualquer elo de ligação profunda, entre o mesmo corpo celeste e a Terra): numa coincidência brutal confirmando a Teoria dos Saltos. Ou não fosse a Vida Movimento num Universo de Energia e Matéria – onde a Evolução não distingue os parâmetros Tempo e Espaço.

 

Um planeta à primeira vista desolado e abandonado, mas onde antes poderá ter existido algo, tendo migrado ou ficado suspenso. Dando-nos a ideia face ao conteúdo da possibilidade de aí ter existido algum tipo de organização e civilização, que a Vida poderá ter por aí passado, evoluído e transformado (adaptado) e devido a forças extremas obrigada a partir. Com o planeta Terra a um salto do seu vizinho e oferecendo o seu berço ao então moribundo planeta Marte. Regredindo por momentos no nosso tempo cronometrado – de modo a melhor enquadrarmos esta hipótese mais que provável se não mesmo factual (por teórica e credível) – para uma melhor compreensão do que nos terão desde sempre ensinado e de tudo o mais que se poderia esconder atrás da verdadeira realidade (por menos distorcida): tentando compreender Marte e o que nesse nosso vizinho se terá passado. Integrados num Sistema Solar centrado na sua estrela de referência o Sol, com oito grandes e destacados corpos celestes orbitando essa estrela (os planetas principais) – sendo o terceiro a Terra a 1UA e o último Neptuno para além das 10UA – e ainda com muitos outros e diferenciados corpos celestes como luas, cometas, asteroides e outros objetos a preencherem o seu espaço interior estendendo-se para além de Neptuno por milhões e milhões de Km (100000 UA). Como se o nosso Sistema fosse uma célula gigante (um Ovo), rodeado por uma membrana virtual de proteção (a casca do ovo), constituído no seu interior pela sua componente fundamental e de suporte da existência de Vida (a gema do ovo) – o nível superior de interligação entre matéria e energia – e no seu exterior preenchendo toda a área intermédia entre a gema e a casca com um espaço interestelar estendendo-se até aos limites do nosso conjunto (a clara do ovo). E na gema do ovo dispondo de um escudo de proteção (o Cinturão de Asteroides) assim como na clara do ovo (a Nuvem de Oort).

 

À chegada ao Planeta Vermelho (cor associada à presença de óxido de ferro à sua superfície) após uma viagem de cerca de 100 milhões de Km (tendo como origem o único planeta conhecido onde existe Vida a Terra) deparamo-nos com um dos planetas mais pequenos do Sistema Solar (menor só mesmo o fervilhante Mercúrio), rochoso, praticamente sem atmosfera, carregado de crateras de impacto e sem uma única gota de água visível (talvez nas calotes polares senão mesmo limitando-se a indícios) – e no entanto fazendo-nos lembrar a Terra em muitos casos e situações, com a perceção constante (ao olharmos Marte) de terrenos e estruturas muito semelhantes com as nossas, como montes, vales, grandes extensões de desertos e até terrenos onde no passado terão existido vulcões ou que terão mesmo estado abaixo de grandes de grandes extensões de água líquida. Um mundo não só com vida mineral mas também com vida orgânica e que num passado já bastante remoto (e talvez ainda hoje claramente exposto na Terra) poderia ter sido a imagem do seu futuro objeto (a Terra). E que do seu passado tanto poderá ter preservado alguma da sua vida orgânica (um caso bastante problemático e só exequível em locais protegidos sob a sua superfície), como até poderá noutro sentido e complementarmente ter desenvolvido e potenciado outras formas de vidas alternativas, já existentes, mas antes ignoradas – a vida mineral. Com os dois Mundos a evoluírem sob as mesmas condições e influências ditadas pela Matéria, Energia e Movimento. E porque não um ser vivo, organizado e inteligente oriundo do Mundo Mineral?

 

NRB_521777284EDR_F0552222NCAM00261M_-br2.jpg

 

“Though our mammalian or reptilian friends do represent previous stages in human development, it is the mineral kingdom that is the domain of our most distance ancestry and origin.” (The Mineral World – Our Forgotten Ancestry – William Meader – meader.org)

 

“The drive on Sol 1400 went well and Curiosity drove ~13 m along the edge of the blocky deposit “Bimbe.”  Today’s plan involves a number of observations to assess the composition and textural properties of three large blocks in the deposit.  We’ll also acquire a mosaic to document the eastern edge of the deposit and an observation to search for dust devils.  Then Curiosity will continue driving to the southwest.” (SOL 1401 – Lauren Edgar – Research Geologist at the USGS Astrogeology Science Center and a member of the MSL science team – nasa.gov)

 

Once we confirmed that the ~26 m drive went well on Sol 1401, our first task was to evaluate the local bedrock and select a target for contact science.  We selected a target named “Uku” for activities to assess the texture and composition of the Murray formation.  We also planned an observation on the target “Songo,” a disturbed block which looks morered than some of the surrounding rocks.  The plan also includes some mosaics of the “Bimbe” blocky deposit. (SOL 1402/1404Lauren Edgar – Research Geologist at the USGS Astrogeology Science Center and a member of the MSL science team – nasa.gov)

 

NLB_521777284EDR_F0552222NCAM00261M_ B.JPG

 

O que nos leva finalmente para o início da nossa historinha, ao depararmo-nos com um pequeno planeta transmitindo-nos estranhos sinais – mesmo que induzidos em erro por distorção dos nossos sentidos, mas pela sua própria existência reconstruindo realidades sem fim (sobrepondo-se umas às outras e edificando o conjunto – o modelo). E á questão fundamental do Mundo Natural da invariável presença do Mundo Mineral. Como é o caso do artefacto (pretensamente um mero calhau) descoberto sobre a superfície do planeta Marte pelo veículo motorizado Curiosity (no seu 1400ºdia da sua estadia) – objeto que á primeira vista se assemelha a um (bem-proporcionado) prisma triangular de tonalidade escura (e um pouco desenquadrado das tonalidades do restante cenário envolvente) – destacando-se e surpreendendo-nos pelo seu enquadramento, forma e presença, tal como se estivesse suspenso “no ar”! Uma presença que noutro contexto menos restritivo até poderíamos considerar como uma presença e prova significativa de algum tipo de organismo Vivo e alternativo (inteligente e organizado), mas por qualquer motivo nunca associado ou aceite como fazendo parte do nosso Ciclo de Vida: como se as coisas (o Mundo Mineral) já não existissem antes de nós mesmos (o Mundo Natural) existirmos (pelo menos aqui na Terra que até poderá não ser o nosso ponto de origem).

 

Num epílogo funesto para esta história nunca acabada e a desproposito desmascarando o artefacto alienígena e revelando-o como mais um outro calhau apoiando-se no solo marciano.

 

(imagens: NASA – CURIOSITY ROVER – SOL 1400 – 14.07.2016)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:58

Com certa frequência quando somos informados de que algo de mau aconteceu, um dos primeiros pensamentos que nos passa pela cabeça é de que estaremos a entrar numa maré de azar e como tal, deveremos estar preparados para novos e maus acontecimentos que certamente aí virão (e se repetirão) – não há 2 sem 3! No caso de certas temáticas sendo um caso estranhamente prevalecente (só não o sendo por previa estratégia).

 

O fim da transmissão do ISS LIVE FEED

(em Agosto)

 

space station, missle, military, UFO, UFOs, sighti

Com a interrupção definitiva das transmissões

Resolvendo definitivamente

A questão duvidosa das interrupções temporárias

(imagem: ufosightingsdaily.com)

 

E foi algo de semelhante o que aconteceu no dia hoje: com a NASA a anunciar o fim das transmissões ao vivo a partir da ISS, com o observatório solar SDO a encravar aquando da passagem da Lua entre o mesmo e o Sol e finalmente com o observatório SOHO (como muitas vezes acontece) a cortar algumas sequências do suicídio de mais um cometa (mais de 2 horas aquando/após o seu impacto).

 

O Observatório SDO encravado

(desde a interposição da Lua)

 

latest_512_0193.jpg

Um acontecimento inédito nas transmissões SOHO

Com o observatório a já ter por várias vezes vivido

Momentos de interposição como este

(imagem: sdo.gsfc.nasa.gov)

 

Um cometa do grupo Kreutz resultante da fragmentação no passado distante de um outro cometa maior ao entrar no interior do Sistema Solar.

 

A falha do Observatório SOHO

(apagando mais de duas horas de imagem)

 

20160804_0312_c2_512.jpg

Com a NASA a oferecer-nos toda a aproximação do cometa ao Sol

Excetuando uma faixa de mais de 2 horas

Durante/após o seu impacto final

(sohodata.nascom.nasa.gov)

 

Por uma coincidência tremenda com tudo a acontecer como numa avalanche, aquando da passagem de um cometa (já referido atrás) no seu caminho de impacto em direção ao Sol. Com a NASA a parecer querer dar razão aos teóricos da conspiração (acusando-a não pela informação mas pela sua previa manipulação), não fosse a emissão diária e ao vivo da ISS uma fonte constante de notícias alternativas às oficiais: mostrando-nos imagens incompreensíveis mas que na realidade lá estão.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 09:53
tags: , , , ,

03
Ago 16

Veículo motorizado terrestre OPPORTUNITY

(operando em MARTE)

 

Oferecendo-nos uma imagem de Marte que até poderíamos facilmente aceitar como tendo origem no nosso planeta (a Terra), apresentando-nos um material rochoso de cor meio acastanhada/avermelhada tão característica da presença de minerais de argila. Num registo obtido pela câmara panorâmica do Rover Opportunity há cerca de nove meses, durante os seus 4182º/4183º dias da sua estadia em Marte (um dia marciano tem aproximadamente mais 40 minutos que um dia terrestre).

 

PIA20319.jpg

Olhando para os limites do VALE DA MARATONA localizado na cratera de ENDEAVOUR

(a partir do seu interior e na direção do cume KNUDSEN)

PIA 20309

 

Enviando registos de um cenário básico interplanetário

(sem confirmação da existência de Vida)

 

Mais um testemunho visual que mesmo podendo apresentar uma realidade distorcida de um mundo desconhecido, alienígena e em princípio nunca pisado pelo Homem (ao contrário do ocorrido na Lua há quase meio século), desperta na nossa memória e nas suas manifestações culturais (ainda, sempre e misteriosamente prevalecentes) algo há muito perdido no Tempo e ocorrido num Espaço entretanto transformado e alterado: recordações (paralelas ou coincidentes no percurso) de um Mundo há biliões de anos extinto?

 

(imagem: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:46

“Um Boeing a um fio de uma tragédia – mas felizmente foi só chapa!”

(salvaram-se 300)

 

36D55F1600000578-3721366-image-a-100_1470222126245

O estado em que ficou o Boeing 777-300 após a extinção do incêndio

 

Este é o aspeto final do BOEING 777-300 A6-EMW pertencente à companhia dos Emiratos Árabes Unidos EMIRATES, momentos após a sua aterragem no Aeroporto Internacional do DUBAI, na conclusão do seu voo EK-512 proveniente da cidade indiana de TRIVANDRUM (localizada no sudoeste da Índia). Transportando consigo 300 passageiros de vários continentes e nacionalidades mas maioritariamente asiáticos: para além dos 18 elementos da tripulação, com os passageiros a serem oriundos de países tão distantes como os EUA, a Austrália e até a Irlanda.

 

36D50D8400000578-3721366-Emirates_said_the_flight_

Provavelmente um problema num motor e/ou no trem de aterragem

 

Provavelmente como consequência de uma aterragem mal executada (pelos pilotos – diz-se que foi a Torre do aeroporto a relembrar a tripulação que ainda não tinha baixado o trem de aterragem) ou de algum tipo de problema técnico verdadeiramente inesperado (no Boeing 777-300 – testemunhas a bordo do avião afirmam que o comandante teria falado em problemas com o trem de aterragem). Segundo algumas testemunhas colocadas no local do acidente com o avião a poder ter focado a pista não tão suavemente como deveria ter feito, acabando no decorrer do seu percurso por se inclinar para a direita, embatendo com a asa no solo e incendiando um dos motores (que alguns passageiros afirmam já estar a deitar fumo instantes antes da aterragem). Imediatamente pegando fogo à estrutura próxima do avião e com os fumos tóxicos originários do incêndio a estenderem-se rapidamente a todo o seu interior.

 

36D5C79600000578-3721366-Hundreds_of_passengers_mi

Passageiros do avião em chamas fugindo em pânico pelas pistas do aeroporto

 

Um incidente que seja quais forem as suas causas (técnicas ou humanas), só não teve consequências mais graves graças à imediata intervenção do Comandante e restante tripulação do avião da Emirates: face à extensão do incêndio e a uma possível explosão foi dada ordem para se iniciar de imediato todo o processo de evacuação. Numa operação que pelos vistos decorreu com total eficiência não sendo notícia até ao momento a informação sobre algum tipo de vítimas (feridos ou mortos). Num cenário de salvamento total de todas as pessoas presentes no interior do avião (como se pode ver na imagem anterior – um verdadeiro MILAGRE), pois caso contrário e se a explosão se tivesse registado apenas alguns minutos antes, poderia ter certamente originado mais uma grande tragédia da aviação mundial.

 

(dados e imagens: dailymail.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:53

“Quando no século passado a Lua invadiu a Terra

(com a alunagem do módulo da nave Apollo11 no ano de 1969),

Nunca passaria pela cabeça de ninguém que quase meio século depois

(em pleno Futuro)

Estaria de novo a caminho da passada Idade Média.”

 

151123_r27336-1200x630-1447269176.jpg

O Modelo Americano – com o segredo a residir nas suas excecionais impressoras de dólares

Num caso exemplarmente expresso no seu Défice Fabuloso

(com o de 2016 ultrapassando 500 biliões e o acumulado expressando-se em triliões)

 

O que distingue os EUA da Europa é que enquanto na maior potência existente à superfície da Terra o que verdadeiramente interessa é a contínua perpetuação do Modelo, no restante jardim da nossa existência e das delícias prometidas tudo se limita apenas a simples Médias e Modas: na América do Norte com o seu Modelo privilegiando-se os gastos (o Investimento), na Europa com os seus constantes Delírios limitando-se as despesas (o Défice). Sendo fácil de constatar quem imita Portugal convidando os seus nacionais a partir e emigrar.

 

Não sendo pois de admirar que apenas uns insignificantes 60 residentes deste planeta se possam equiparar a quase 4 biliões seus semelhantes: num regresso da nobreza e do clero, da plebe e dos marginais, mas agora numa pirâmide (social) de aplicação impossível – com dois vértices suportando um outro que já deixou de existir, esmagando as esperanças dos residentes da base. Algo tentado no Governo anterior em Portugal mas que por um motivo qualquer nunca se concretizou (talvez à imagem de Putin tendo Sócrates como culpado).

 

Nos EUA com os dois candidatos a serem na sua essência solidários com o seu atual estatuto e relação com o Poder, assente nos Grandes Grupos Privados agora detentores dos Antigos Poderes do Estado. Por concessão (real e intemporal) e como consequência logica da robotização (tornando o Homem excedentário): e concordando plenamente dom o pensamento (não me lembro agora de quem) de que com TRUMP teremos HITLER e com HILLARY nada melhor – HITLARY.

 

“Já toda a gente sabe a quem se destinam os restos!”

 

(imagem: newyorker.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:53

Com um Presidente Negro sempre ausente para os da sua cor (de pele) e num país onde até os estudantes universitários são aconselhados (pelo seu Estado) a andarem armados (até no interior da sua Escola) para se defenderem à força da bala (o argumento final tornado inicial).

 

57a09095c36188176e8b4571.jpg

Korryn Geines

(Shaun King/Facebook)

 

According to journalist Shaun King:

(escritor, jornalista e ativista norte-americano)

“Gaines regularly documented police abuse in the city”

And her Facebook videos

“Right before police killed her have been deleted.”

 

Na já incontável lista de cidadãos abatidos à queima-roupa e a sangue frio pela polícia norte-americana (maioritariamente negros de origem norte-americana), junta-se agora o nome de mais uma jovem de 23 anos assassinada no estado de Maryland: abatida a tiro no interior da sua própria habitação por se opor a um mandado de prisão.

 

Um mandado de prisão originado pela sua anterior ausência numa audiência em Tribunal e resultante de uma queixa da polícia contra a jovem agora morta, por conduta desordeira, resistência à prisão e ainda outros casos como numerosas multas de trânsito (certamente por pagar): o que pelos vistos nos EUA é um motivo válido para disparar atirando mesmo a matar.

 

Mesmo que entre a jovem e a polícia se interpusesse uma criança de apenas 5 anos! Com a polícia a entrar na sua habitação, a vê-la sentada no soalho da casa com uma criança ao colo, a ouvi-la ameaça-los com uma pistola em punho e imediatamente, pelos vistos com cobertura, sem pensar e sem qualquer tipo de hesitação (onde está a formação básica da polícia para casos tão comuns e banais como estes?) a ser ela a disparar e logo com o primeiro tiro.

 

Então o que se seguiu por mais óbvio ou evidente foi a jovem disparar (um tiro) e a polícia ripostar (todos os outros tiros): com a jovem Korryn Geines a ser atingida (mortalmente) assim como o seu filho de 5 anos (ferido e hospitalizado). Uma jovem que por mais defeitos que tivesse e por mais trapalhadas onde pudesse estar envolvida (não sendo essa a imagem transmitida pelos seus amigos), não merecia ser morta nem sequer perseguida.

 

Num crime incompreensível cometido pela polícia (após um período de negociações estranhamente improdutivas), em que mais um negro sofreu pela sua cor (pele escura), em que três agentes mataram e feriram dois jovens (um por desobediência o outro apenas por estar presente) e até (veja-se lá a coincidência) num caso onde a própria página de Facebook da vítima, foi imediatamente apagada logo após a sua morte.

 

Sendo necessário acrescentar que em princípio as forças policiais intervenientes já deviam estar equipadas com câmaras para registo de casos semelhantes (argumentando-se agora que nem todos estariam já equipados, sendo logo este um dos casos exemplares) e que a própria jovem e vítima aparentemente teria registado na sua câmara momentos do incidente, publicados no seu Facebook e entretanto apagados.

 

Em conclusão nunca se podendo acusar exclusivamente a população negra e a polícia (como se vivêssemos numa sociedade fechada) por todos os conflitos existentes, sabendo-se como se sabe que cada um deles tem uma arma (negros e polícia) e curiosamente (ou talvez não) vendidas pelos mesmos: e certificadas e autorizadas (logo sendo tudo legal) pelas respetivas autoridades – nos EUA como no Mundo.

 

(dados e imagem: RT)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:48

02
Ago 16

“O Espetáculo Circense continua bem ativo nos Estados Unidos da América

– Como em todos os cantos do Mundo em que os Animais Somos Nós.”

(os tais 7 biliões de racionais que habitam este Único Planeta)

 

Apoiando-nos nas últimas sondagens apontando para uma recuperação e ultrapassagem da candidata CLINTON face ao seu adversário o candidato TRUMP (CNN: 52%/43%), o mais certo é que nos tempos mais próximos o Mundo Escureça enquanto não se desfizerem as dúvidas e finalmente se fizer Luz – no Reino dos Indivíduos Excecionais. Nesse sentido o Povo que se cuide (pelo menos nestes tempos incertos) e se abstenha de falar ou até mesmo de pensar (como já nos sugere com a sua censura – apagando completamente todas as contas de LUSHSUX – o próprio Instagram).

 

36A8E02B00000578-3711930-image-a-58_1469683804069.     36A8D7B500000578-3711930-image-a-55_1469683562097.

Hillary e Trump

(@lushsux)

 

Com as eleições presidenciais norte-americanas marcadas para daqui a pouco mais de três meses (8 de Novembro) e terminadas as convenções dos dois mais importantes candidatos à sua vitória (o candidato REP DONALD TRUMP e o candidato DEM HILLARY CLINTON), as controvérsias colaterais e sem qualquer tipo de significado para a importante e decisiva escolha popular (como a crise económica, o desemprego, as reformas e os prolemas na saúde e na habitação), começam a crescer exponencialmente como se tivessem sido, prévia e intencionalmente cultivados (como se a manipulação fosse o tema preferido e talvez único a explorar nesta derradeira etapa da campanha).

 

36C56CB800000578-0-image-m-27_1470052415447.jpg  36A6F32800000578-3711930-When_you_re_both_pieces_o

Hillary e Hillary/Trump

(@lushsux)

 

Deste ambiente verdadeiramente paranoico e asfixiante (limitando o leque de escolha a apenas 2 candidatos quando existem pelo menos 4) estando obviamente excluídos os outros dois candidatos (o candidato LIBERTÁRIO GARY JOHNSON e o candidato VERDE JILL STEIN), por nem sequer se conseguirem introduzir na campanha em que aparentemente participam, no seu percurso sendo barrados, inviabilizados e tornados completamente invisíveis, não só legalmente (os órgãos de comunicação social norte-americanos só são obrigados a convidar os candidatos com mais de 15% de representação) como de uma forma prepotente (aproveitando-se da situação para lhes negar qualquer outro tipo de acesso à divulgação das suas iniciativas).

 

3690473200000578-3711930-image-m-60_1469684032545.

Melania Trump

(@lushsux)

 

Deste modo abrindo a Via Rápida de acesso à presidência dos EUA a dois candidatos que por todos os indícios passados em nada contribuirão para a felicidade da esmagadora maioria dos cidadãos da ainda considerada maior potência a nível global e que dentro das suas estratégias alegadamente diferenciadas acabarão por desempenhar um papel muito semelhante e na realidade inevitável (um reclamando-se o defensor do investimento Público/privado o outro o Defensor do investimento Privado/público) de manutenção e consolidação do poder das grandes Corporações e Conglomerados Mundiais (quem verdadeiramente lhes paga e no fundo os mantem).

 

36A6F31400000578-3711930-image-m-39_1469675567129.

Censura no Instagram

(@lushsux)

 

Num momento da campanha em que cada um dos candidatos se tenta Diabolizar um ao outro e em que a cota HILLARY parece começar a levar a melhor sobre o outro cota TRUMP – ignorando tudo o que o mundo já se sabe sobre a campanha anti SANDERS (orquestrada pelas elites do seu próprio partido e que levou à demissão da sua Presidente Debbie Schultz) e desviando a intenção (do que verdadeiramente interessava) para o Diabo do costume: o ditador e autista russo Vladimir Putin (numa das versões norte-americanas já falecido e entretanto substituído por um sósia). Colando claramente TRUMP e PUTIN como se um fosse a imagem exata do outro (afinal de contas Hillary não é branca, nem é preta, é apenas uma mulher) e com isso colocando-se (de novo) à frente de Trump nas sondagens. Até ao próximo escândalo seja DEM seja REP.

 

(imagens: @lushsux – Twitter e Instagram – dailymail.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:43

Agosto 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
13

16

22
27

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO