Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

21
Set 16

“No próximo dia 30 a ESA fará impactar a sonda Rosetta sobre a superfície do cometa 67P/C-G. Um cometa onde os cientistas dizem não terem ainda encontrado qualquer vestígio de água, tendo no entanto detetado oxigénio – o que poderá significar a existência de vida microbiana: e que para o espanto de muitos (e de todos os outros cometas) é mesmo capaz de cantar.”

 

Rosetta_s_final_destination.jpg

Cometa 67P/C-G

9  Setembro 2016

Com a região de Ma’at assinalada a vermelho

(local onde a sonda Rosetta tocará o cometa)

 

1.Acompanhando-o no seu trajeto e tendo como referência o Sol (ao qual ambos estão presos gravitacionalmente) a sonda ROSETTA aproxima-se rapidamente do fim da sua missão: num projeto da responsabilidade da ESA (Agência Espacial Europeia) iniciado em Março de 2004 e tendo atingido o seu ponto mais alto em Agosto de 2014 com a inserção da sonda europeia em órbita do cometa 67P/C-G.

 

2.Neste intervalo de tempo decorrido desde 2014 assistindo-se ao comportamento de 67P/C-G na sua órbita de aproximação ao Sol (ao ser acompanhado pela sonda Rosetta), com o cometa a atingir o seu periélio no início de Agosto de 2015 (a mais de 185 milhões de Km da sua estrela de referência) e encontrando-se de momento a mais de 566 milhões de Km. E contando ainda com o fracasso da sonda de aterragem PHILAE.

 

3.Um cometa descoberto há 47 anos (1969), com um período orbital de seis anos e meio, no seu ponto mais distante localizado a cerca de 850 milhões de Km, composto por dois corpos de 2/4Km ligados entre si, rodando em torno do seu eixo virtual em pouco mais de 12 horas e atualmente circulando a uma velocidade próxima dos 15Km/s (menos de metade da velocidade no seu periélio: 34Km/s).

 

4.Para certos cientistas não sendo propriamente um cometa, já que se por um lado for constituído por rochas e certos metais podendo simultaneamente conter água gelada e outros gases, por outro lado e sendo esta uma das características dos asteroides a sua órbita nunca se estenderá para distâncias superiores a 10 UA (do Sol): sabendo todos nós que os cometas serão originários da distante NUVEM DE OORT e oriundos de regiões a mais de 100 UA.

 

“Se por um lado as forças gravitacionais associadas ao cometa resultarão num impacto da sonda Rosetta de consequências certamente muito similares ao da sonda Philae, por outro lado e segundo os cientistas o brilho e as poeiras inesperadamente observadas em 67P/C-G poderão ter como causa um deslizamento de terras à superfície desse corpo celeste.”

 

Rosetta_s_last_week_at_the_comet_node_full_image_2

A última semana da sonda Rosetta

Setembro 2016

Período durante a qual a sonda da ESA se preparará para atingir a superfície do cometa

(67P/C-G)

 

5.Ora o cometa 67P/C-G apresenta uma órbita com um período aproximado de 6.5 anos e com a mesma a estender-se (entre o seu afélio e o periélio) entre 1.2 e 5.7 UA de distância do Sol. Que eu saiba na sua aproximação à Terra nunca nos presenteando com o aspeto por todos nós esperado e imaginado (núcleo, cabeleira e cauda) e só agora surpreendentemente e ao afastar-se, oferecendo-nos um aumento no seu brilho e o aparecimento de poeiras.

 

6.Com os instrumentos da sonda a registarem imediatamente um aumento significativo nos parâmetros relacionados com o brilho, com a presença de gases/poeiras e até com a temperatura à superfície do cometa. Num fenómeno estranho que só poderá ter sido provocado por uma forte emissão de raios oriundos do Sol e impactando o cometa, por raios cósmicos oriundos do exterior do sistema ou até mesmo (porque não) por intervenção dos ET.

 

7.Esta última hipótese baseada em teorias da conspiração, que por sua vez nos pretendem apresentar a sua proposta alternativa e explicativa do que se passa na realidade e atualmente no cometa (e que já deveria ter sido observado na sua recente aproximação ao Sol): podendo tratar-se não de um corpo natural (asteroide ou cometa) mas de um objeto artificial tendo posto os seus propulsores em funcionamento por uma questão de correção de trajetória. Uau!

 

8.Seja como for no dia 30 de Setembro de 2016 por volta das 10:40 UTC a sonda ROSETTA dará por concluída a sua missão em 67P/C-G iniciando a sua descida em direção à superfície do cometa e finalmente entrando em contacto com a mesma na região de DEIR-EL MEDINA. Terminando aí a sua missão iniciada há doze anos e após serem percorridos quase 8.000 milhões de quilómetros.

 

(imagens: esa.int)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:47

Síria

 

Com a CIA e o Pentágono mínima, eficaz e militarmente bem inseridas e integrados no terreno (combatendo-se como parceiros e inimigos e desse modo implementando a ordem e o caos) e complementarmente contando ainda com a submissão da grande maioria (do Mundo) às milagrosas rotativas impressoras de Dólares (daí a ligação direta com Deus); na Síria e no Iraque e para os estrategas dos EUA (no instante), com o futuro na Al-Qaeda e nos terroristas do ISIS.

 

WireAP_281de2cff2e6445db4304cde79692062_16x9_992.j

 

“The Syrian ceasefire formally ended today, with the Syrian military announcing it was no longer sustainable amid growing rebel strikes. This was seen as all but inevitable since Saturday, when a botched US airstrike killed 83 Syrian soldiers and allowed ISIS to advance into crucial area around the Deir Ezzor Airport.”

 

Decretar a morte de um Estado Soberano sem se preocupar minimamente com tudo o que de objetivo e subjetivo este ato poderá provocar (no interior desse Estado e nos Estados seus Vizinhos), revela bem quais as verdadeiras intenções de quem decreta essa Extinção: a obtenção do maior lucro possível com as matérias-primas mais valiosas desse território, nunca se preocupando com as pessoas (tempo é dinheiro) nem com a sua sobrevivência (dada a destruição das infraestruturas básicas de apoio). Com a certidão de óbito a ser definitivamente passada face às múltiplas hemorragias internas (Fim da Cultura) e ao ser detetada a nossa morte cerebral (Fim da Memória). Por efeito de contágio alastrando a outros corpos e contagiando outros Estados.

 

“The truce began last Monday evening, and was a rousing success for the first few days, with no civilian deaths for several days, giving the country a rare period of calm after several years of war. There were some skirmishes reported later in the week, however, and then the US strike, by far the deadliest incident of the week, set off a powderkeg.”

 

Invadido o território, arrasado e saqueado o Estado, cilindrada a sua população (no fundo configurando um Genocídio) e quando agora tudo se resumia à observação dos abutres evoluindo num dos seus coutos preferidos de caça (com bons ou maus mercenários, com bons ou maus terroristas – num modelo seguindo um guião cinematográfico com cenários tipo Hostel), também aqui se revela o papel de aliados e neutros numa perspetiva paralela (não militar), mas neste caso visto como um roubo à vítima já abatida e sem possibilidade de defesa (numa campanha talvez solidária talvez de caridade orquestrada pelos falsos mas bem colocados intelectuais das artes): invadindo-se, matando-se, roubando-se, exportando-se e vendendo-se.

 

“Either way, the attacks dramatically weakened Syrian defenses in the area, and ISIS was quick to take advantage. It also sparked a new row between the US and Russia, as US officials responded to Russia’s call for an emergency UN Security Council meeting with angry condemnation.”

 

GTY_syria_convoy_as_01_160920_16x9_992.jpg

 

Pelo que a um Estado em morte cerebral (estado zombie de criação norte-americana – como o Iraque, a Líbia, a Síria e o Iémen) e sem grandes referências no tempo (de cultura e de memória mesmo que cronometradas no espaço), nada há a esperar senão o seu próprio limite (depois do nascimento, a morte): recusando a evolução e sublimando-a com a extinção – e replicando num mundo absurdo e povoado (de angústias), o paradigma humano e o fim da esperança (sustentada numa estrutura pela espécie projetada – como num processador – tendo como centro o Homem e a sua excecionalidade objetiva).

 

(texto/itálico: antiwar.com – imagens: abcnews.go.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:41

20
Set 16

Diga o que disser o Porto foi a cidade onde nasci. Da janela do sótão da casa onde então habitava (a janelinha do Douro) podendo vislumbrar entre uma floresta de árvores vivas e verdejantes (quase que lhe sentindo o cheiro), o rio Douro serpenteando como um jovem réptil entre as suas duas margens certinhas e curvilíneas ainda antes do Palácio do Freixo (projetado no século XIX pelo arquiteto italiano Nicolau Nasoni).

 

Vindo do lado da Ribeira e após transpormos o rio Douro atravessando a plataforma inferior da ponte de D. Luís (na superior circula agora o metro ligando o Porto a Gaia) entramos na moderna área de restauração alternativa à outra margem. Para um turista acidental (mas conhecedor da cidade) dando um banho à Ribeira e elevando o cais de Gaia a novo postal publicitário (da região Gaia/Porto).

 

B.jpg

Barcos rabelos no cais de Gaia

Barcos construídos na altura para navegarem no leito dum rio Douro então muito mais agitado e por vezes movimentando-se entre margens abrutas e estreitas (em partes do seu percurso); utilizado para o transporte dos barris de Vinho do Porto da região vinhateira às caves de Gaia (até cerca de 100 barris); numa altura em que a região não dispunha de comboios ou de estradas só disponíveis para o final do século IXX; data que inicia o fim da utilização destes barcos para esta função concluída por volta dos anos sessenta (1964) e reconvertidos atualmente ao turismo – lutando selvaticamente contra os novos predadores (os novos barcos turísticos); pelo menos não morreram e como tal serão sempre recordados.

 

Com uma verdadeira Feira Popular plantada numa das margens do Douro, mas a um ritmo mais calmo um pouco do tipo Gourmet: pretensamente com bom aspeto (talvez pela surpresa do cenário inicial) mas sabendo a muito pouco (como um mero ritual de passagem). Com transportes, peões, pontes, mergulhadores, barcos de recreio, comida, bebida, helicópteros, artesanato e todo um mundo sem fim, carregado de animais e de muitos dos seus artefactos.

 

 

A.jpg

Reserva Natural do Estuário do Douro

Talvez uma das zonas menos visitadas e conhecidas do estuário do Douro (para os aí residentes não certamente) e que pela sua beleza e enquadramento rio/oceano (pequena fronteira de areia estática separando parcialmente os dois enormes volumes líquidos e dinâmicos) nos deixa ainda alguma nostalgia do passado (afinal de contas já se trata de um reserva), face a uma certa selvajaria do presente (encoberta pelo progresso); numa iniciativa conjunta Gaia/Porto com menos de dez anos, tendo como objetivo proteger as aves e conservar este seu belo refúgio; como guarda-rios, garças-reais, papa-ratos, maçaricos-das-rochas, rolas-do-mar, tarambolas, seixoeiras, piscos-de-peito-azul e gaivotas.

 

Um rio nascido em Espanha e desaguando entre o Porto e Gaia após um extenso trajeto de cerca de 850Km (desde a serra de Urbião). Integrando a Região Vinhateira do Douro Património da Humanidade: com as suas barragens, a sua fauna e flora caraterística (aves, outros animais e vegetação), a topografia particular do seu terreno (com os seus montes, encostas e fragas), a sua gastronomia e claro como a água o precioso Vinho do Porto.

 

C.jpg

Costa Atlântica na zona da Afurada

Na zona de contacto entre o rio Douro e o oceano Atlântico; integrando do lado da cidade Invicta o Porto de Leixões (o maior da região norte) e desde o Verão do ano passado o novo terminal de cruzeiros (com a construção a ser iniciada no segundo mandato de José Sócrates); do lado que mais me diz respeito (da Afurada até Espinho) até porque vivi no Porto e na terra dos vareiros (costa de S. Jacinto até Espinho), vejo logo a diferença entre passado e presente – não reconheço a terra nem mesmo os seus habitantes (passada uma só geração); num litoral pejado de gente, antes apenas com casas (para dormir e trabalhar) agora com diversão (para descansar e pensar); certamente melhor e por simples transformação.

 

Terminando o seu trajeto (desde Espanha) no Estuário do Douro, ao confrontar-se na foz com o oceano Atlântico. Num passeio que a partir do tabuleiro inferior da ponte D. Luís nos transportará desde esta margem do Douro até às praias do litoral, situadas mais a sul e até com um passadiço (incompleto?): por uma extensa marginal das Caves até Espinho (onde se localiza a Feira mas também o Casino – agora com o comboio definitivamente afastado).

 

(imagens: Produções Anormais)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:11
tags: , , ,

19
Set 16

“E seremos nós os primeiros a ser atingidos pelos estilhaços”

(do fim de um novo império)

 

s4.reutersmedia.net.jpg

Ângela Merkel – Em queda livre

 

Enquanto a velha EUROPA descendente e órfã de Adolfo Hitler (e das suas ideologias nacionais-socialistas) continuar a pensar que a salvação da sua Elite continua a estar na exploração desenfreada e sem limites dos cidadãos que os elegeram (depositando neles toda a sua esperança e pensando ali estarem unicamente para os defender) – ainda-por-cima substituindo o certificado de posse de arma por um canudo completamente inútil mas indubitavelmente muito mais perigoso (enquanto a arma oprime fisicamente originando revoltas, o canudo deprime psiquicamente provocando psicoses) – o seu destino continuará traçado no caminho inexorável da sua extinção.

 

Pelo que as últimas sondagens realizadas na Alemanha e tendo como objetivo as eleições regionais de BERLIM (após as últimas e estrondosas derrotas do partido de ANGELA MERKEL) nunca poderão espantar, tal a situação que se vive no país especialmente desde que os norte-americanos optaram pela instalação do caos no Médio Oriente para assim melhor controlarem o preço do petróleo: destruindo todas as infraestruturas básicas de países árabes como o Iraque, a Síria, a Líbia e até o Iémen e encaminhando todos estes milhões em fuga da guerra, da morte e do genocídio para territórios aliados (e desvalorizados) como os da Europa.

 

Com as previsões a apontarem para uma derrota histórica da União Democrática Cristã (liderada por Merkel) este domingo ficando-se por uns míseros 18% (ganhando os Sociais-Democratas e registando o aparecimento de novas forças políticas como a direita populista da Alternativa pela Alemanha com cerca de 12%).

 

Agora que a Alemanha está pejada de refugiados, carregada de emigrantes e simultaneamente minada pelos problemas nunca resolvidos dos seus cidadãos oriundos da extinta Alemanha de Leste – incorporados mas sempre marginalizados.

 

Num cocktail explosivo de desespero e de violência – e com um número crescente dos seus cidadãos desejando um novo HITLER já que Merkel é mulher (e naturalmente inferior).

 

Sabendo-se que o problema não está no sexo mas no próprio instrumento (Chinês ou Made in Taiwan).

 

[Resultados provisórios das eleições regionais de Berlim:

SPD/21.6 CDU/17.5 The Left/15.7 Alliance '90/The Greens/15.1 Alternative for Germany/14.1 FDP – 6.7]

 

(imagem: WEB)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:03

18
Set 16

“Traindo um acordo (EUA) e ainda-por-cima catalogando o outro lado de hipócritas (RÚSSIA).”

 

ccc.jpg

Samantha Powers – ao lado do BEM

(embaixadora dos EUA na UN)

 

Para quem ainda tinha dúvidas sobre o papel atual da UN na resolução dos grandes conflitos GLOBAIS (como é o caso da Guerra Civil na Síria envolvendo um Estado soberano e uma multidão de grupos constituídos pela nata do terrorismo internacional), basta observar o que aconteceu neste fim-de-semana na região do aeroporto militar da cidade síria de DEIR EZ-ZOR e quais foram as consequências de tais atos (na atual situação político-militar síria agora que se vive um período de cessar-fogo imposto pelos EUA e pela RÚSSIA – e a dois dias de um primeiro balanço conjunto destas tréguas onde era suposto reforçar-se esta iniciativa conjunta):

 

1 – Quatro aviões de combate norte-americanos entrando em território da Síria pela fronteira aérea do Iraque e dirigindo-se para uma zona controlada pelos terroristas do Estado Islâmico, atacaram a última posição de defesa do aeroporto militar de Deir Ez-Zor (controlado pelo Exército da Síria) destruindo as suas defesas e provocando mais de 80 mortos e de 100 feridos: numa operação tendo aparentemente como alvo os diversos grupos terroristas presentes no terreno (talvez uma centena cercando a cidade síria), mas que acabou por acertar nas forças do Exército Sírio suportando o regime de Damasco (os cercados pelo ISIS e centro do alvo dos EUA). Num cenário de cinismo e de hipocrisia em que os EUA se desculpabilizam apresentando o acontecimento como um mero erro de guerra (se no terreno os conflitos entre as várias agências norte-americanas de segurança é mais do que evidente com a CIA a apoiar uns grupos, o Pentágono a apoiar outros grupos e o Governo intrometendo-se a falar do que não sabe), como se os seus satélites de espionagem não funcionassem ou estivessem desligados ao mesmo tempo que do lado russo estes iam transmitindo em direto o cumprimento do acordo do lado deles;

 

2 – Numa operação 100% bem-sucedida levada a cabo pelos EUA a pedido de grupos terroristas seus aliados e presentes na área de Deir Ez-Zor e que destruiu cirurgicamente o último ponto de resistência governamental ao avanço dos terroristas combatendo ao lado do Estado Islâmico: destruindo as forças do Exército Sírio e abrindo completamente as portas da cidade aos terroristas do ISIS e a todos os seus atos ilegais e criminosos (afinal de contas a maioria destes combatentes são mercenários estrangeiros). Repito: num período de cessar-fogo imposto em conjunto pelos EUA/RÚSSIA em que é logo uma dessas partes que viola grosseiramente o acordo intervindo diretamente e destruindo o outro lado – por engano dizem eles!

 

eee.jpg

Vitaly Churkin – ao lado do MAL

(embaixador da Rússia na UN)

 

3 – Levando como seria de todo lógico e obrigatório a Rússia a convocar de Emergência o Conselho de Segurança da UN, de modo a ser completamente esclarecido este ataque dos EUA/ISIS às forças RÚSSIA/SÍRIA em mais uma tentativa deliberada de destruir todas as possibilidades de diálogo e de Paz tanto na Síria como no Iraque. Como seria de esperar não levando a nada (ou não tivesse os EUA direito de veto – tal como a Rússia) e proporcionando-nos mais um espetáculo deplorável por parte da representante dos EUA nesse Conselho de Segurança tentando esconder/desvalorizar o incidente mortífero (que os EUA ainda afirmam ter sido levado a cabo para defender a posição do Exército Sírio cercado pelo ISIS) afirmando que os russos e os sírios ainda eram piores: se eles cometiam vários crimes qual seria o problema se os EUA cometessem um ou outro!

 

4 – No guião norte-americano aqui e grosseiramente mais uma vez exposto por uma responsável/irresponsável que mais parece um porta-voz dizendo tudo o que lhe vai à cabeça mas respeitando a voz do dono (que na realidade nem se sabe bem quem é, nem mesmo eles próprios – CIA, PENTÁGONO, GOVERNO), que na realidade com a sua presença e desvio ainda aumentou mais o clima de suspeição em torno deste incidente provavelmente deliberado e provocatório (como já o tinha sido o abate do jato russo por um jato turco, contando com a cumplicidade-ausente dos inocentes EUA – dado a entender posteriormente pelo próprio presidente turco ERDOGAN); voltando-se de novo com a embaixadora dos EUA na UN Samantha Power à retórica simplista da luta entre o BEM e o MAL de modo a desviarem-se as atenções e não se falar mais no verdadeiro problema (na realidade o TERRORISMO GLOBAL e nunca um ESTADO CERCADO).

 

Ficando o Mundo a aguardar os novos folhetins desta novela trágica e interminável que em genocídios sucessivos já destruiu pelo menos quatro Estados soberanos – Iraque, Síria, Iémen e Líbia – e que inevitavelmente já se estendeu a outros continentes e até à própria EUROPA: colaborando no massacre e levando com as populações desesperadas e em fuga EM CIMA. Com eles vindo as vítimas mas também os seus verdugos – daí os atentados e todos os mortos causados. Sendo no entanto a HIPOCRISIA, o CINISMO e a INDIGNIDADE o que mais nos mete nojo – levando muitos de nós a tomarmos um partido (logicamente o do BEM) e conjuntamente com eles a darmos um tiro na cabeça (APOIANDO O MAL). Em mais um episódio irreversível de caminho para o ABISMO (seja americano, russo ou chinês).

 

E por mais que gritemos e gesticulemos (se entretanto não levarmos um tiro por engano) o sentimento de nojo que se entranha e nos asfixia parece jamais querer abandonar o nosso corpo: pelos vistos já fomos possuídos pelo Demónio e já não há nada a fazer.

 

[A cidade síria de Deir Ez-Zor está localizada a nordeste da Síria, a cerca de 150Km da sua extensa fronteira com o Iraque (a outra grande fronteira faz-se com a Turquia): distando cerca de 450Km da capital do país Damasco e sendo conhecida como integrando uma região rica em petróleo – muito importante no passado para o regime sírio no poder; entretanto e beneficiando do 100% eficaz ataque dos EUA às forças militares ao serviço do regime sírio, o Estado Islâmico aproveitou a sua supremacia no terreno (agora alargada) para abater mais um avião da Força Aérea Síria]

 

(imagens: WEB)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:43

US Bombs Syrian Army Base in Ceir Ezzor, Killing 83 Troops

ISIS Overruns Area, Threatens Key Airport After US Blunder

(Jason Ditz, September 17, 2016)

 

antiwar_logo.gif

 

In what could prove to be the single biggest blunder of the entire US war in Syria, US warplanes today attacked a Syrian army base in the Jebel Tharda area on Deir Ezzor Province, in the ISIS-dominated eastern portion of the country, killing at least 83 Syrian soldiers and wounding 120 others.

 

Pentagon officials claimed they thought the site was “an ISIS tank position,” and admitted to not giving Russia a precise location before the attacks. Russian officials slammed the US over that, saying it underscored the Pentagon’s “stubborn refusal” to coordinate actions properly.

 

US warplanes killing 83 Syrian troops during a ceasefire may not be the worst of the story, incredibly enough. Those troops had been defending the area from ISIS, who quickly overran what was left of the base’s defenses, and are now even closer to the Deir Ezzor airport.

 

The airport has been one of the last major government holdouts in the Deir Ezzor capital, and at times the Syrian warplanes flying out of the airport were the only thing keeping ISIS from overrunning the entire eastern half of the country. The US airstrikes seriously softened up the defenses in the area, and might finally do what years of ISIS offensives couldn’t, put ISIS in control of the airport.

 

US officials expressed “regret” over the killing of the Syrian troops, but condemned Russia for requesting an emergency UN Security Council meeting, saying that the Russians “had blood on their hands” from the war themselves and wasn’t in a position to criticize the US botches.

 

According to Centcom, the Syrian troops were all “out in the open” at the base, and they also destroyed six military APCs and one tank. They reported they were “watching” the Syrian Army base for days before the attacks, figuring everyone there was ISIS.

 

(texto e imagem: antiwar.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:27
tags: , ,

Na Guerra Civil Síria

 

0,,19549079_403,00.jpg

John Kerry (EUA) e Sergey Lavrov (RÚSSIA)

 

As a delicate ceasefire appeared to be holding, the Syrian military said an airstrike Saturday by the US-led coalition hit a regime military position in eastern Syria. The US military said the coalition thought it was hitting ISIS militants, but hours later said the airstrike may have struck Syrian soldiers. (cnn.com)

 

Em pleno período de cessar-fogo aparentemente imposto na SÍRIA por duas das maiores potências militares mundiais – a Rússia apoiando o regime sírio e os EUA apoiando o Estado Islâmico – eis que uma das partes (EUA) e para espanto de todas as outras partes (não só da Rússia mas de todo o resto do mundo) resolve ignorar o acordo apoiando a sua parte.

 

Enviando a partir do interior do espaço aéreo do Iraque 2 F-16 e 2 A-10 (aviões de combate), tendo como missão bombardear uma posição do Exército (governamental) Sírio defendendo o aeroporto militar de DIEZ AZ ZOR (leste da Síria): a única posição de defesa do aeroporto ainda na posse do Exército Sírio num setor dominado pelo Exército Islâmico.

 

The U.S. military said Saturday it had halted a series of airstrikes in eastern Syria after Russia warned the United States that it mistakenly struck and killed Syrian military forces. The Russian Defense Ministry said 62 Syrians were killed in the strike, and the Syrian government said the coalition airstrike allowed the Islamic State to advance around Deir el-Zour province where the airstrike took place. (usatoday.com)

 

Numa região onde o PENTÁGONO reconhece a forte presença dos mais variados grupos terroristas (desde os terroristas do ISIS aos ditos moderados) – mas nunca reconhecendo o seu apoio aos mesmos – e onde por acaso os bombardeados acabaram por ser aqueles bem identificados apenas por estarem em desvantagem e cercados (como se fossem o centro bem visível de um alvo numa carreira de tiro).

 

No final com os EUA (acompanhado por todas as suas agências atualmente ativas em território sírio) ainda ficando a gozar com as consequências de mais este incidente da sua própria iniciativa, invocando estar a atacar os terroristas do Estado Islâmico e nem sequer se dando ao trabalho de nos informar de quem partiu a responsabilidade para o mesmo (ataque) e qual o motivo para tal. Para já causando mais de 60 mortos e mais de 100 feridos (num cessar-fogo também imposto pelos EUA).

 

Russia's military says rebel groups have increased attacks in Syria despite a ceasefire and has urged the US to act or be responsible for its collapse. Russian generals said attacks by rebels, some US-backed, had increased sharply over the past 24 hours. Gen Viktor Poznikhir said the rebel groups had "not met a single obligation" of the truce. Later Syrian state media said US-led coalition forces had struck government positions, killing dozens of troops. They quoted a statement by Syrian army general command as saying coalition jets had bombed a Syrian army position near Deir al-Zour in eastern Syria, and that this was allowing so-called Islamic State (IS) to advance. (bbc.com)

 

Engano dos norte-americanos? Deixem-me rir! Tréguas? Deixem-me chorar!

 

(imagem: AP Photo/K. Lamarque)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:08

“As câmaras do ROVER OPPORTUNITY acabam de apanhar no planeta MARTE a presença de um ser BIOMECÂNICO.”

 

1F527238006EFFCS1HP1211R0M1.JPG

Sombra projetada por um Cyborg detetado em Marte certamente trabalhando para uma grande Corporação Intergaláctica

(SOL 4495)

 

A NASA acaba de divulgar a primeira imagem de um ANDROIDE alienígena (na realidade a sua sombra), num registo captado recentemente pela sonda norte-americana OPPORTUNITY. Sendo fácil de constatar estarmos em presença de um ser bípede, de corpo ereto e na aparência (forma e constituição) muito semelhante a um ser humano: sendo constituído por um tronco (robusto), duas pernas, dois braços e uma cabeça (com dois olhos bem visíveis). Potencialmente um ROBÔ HUMANOIDE – disponível para interagir com outros seres – mas podendo estar-se mesmo em presença de um verdadeiro CYBORG (um organismo cibernético). No caso dos Cyborg com a sua presença sentindo-se cada vez mais próxima de nós (para já limitando-se aos écrans de cinema como plataforma de lançamento e manipulação): motivo pelo qual a sua pré-existência noutras Civilizações exteriores, mais antigas e avançadas (e por sua vez controladas por grandes CORPORAÇÕES), se tornar tão clara como óbvia, ainda-por-cima neste cenário aparentemente desértico, calcinado e (repetidamente afirmado pelos cientistas) sem vida.

 

1N527239980EFFCS1HP1933R0M1.JPG

Uma sombra representando um ser humanoide garantindo-nos desde já a presença de outras civilizações neste Universo partilhado

(SOL 4495)

 

Com a sombra do CYBORG a aparecer num outro registo das câmaras da sonda norte-americana Opportunity (agora colocada numa outra posição), projetando-a sobre a superfície do planeta Marte iluminado pelo Sol (a nossa estrela comum) e localizado a mais de 200 milhões de quilómetros. Surgindo nesta imagem inopinada como se estivesse a acenar-nos (a saudar-nos) e com a sua cabeça bem assente no cimo de um pescoço bastante alongado e com dois olhos contrastantes (claro/escuro). Numa altura em que o ROVER OPPORTUNITY abandona o Vale da Maratona após mais de um ano de exploração sobre a superfície marciana (introduzindo-se na brecha de LEWIS e CLARK), dirigindo-se de imediato para um outro ponto de partida de mais uma das etapas da sua missão no planeta MARTE (localizado a este). Tendo até hoje percorrido mais de 43Km nos seus 4496 dias (marcianos) de estadia na superfície do Planeta Vermelho (meados de Setembro) – nesta época do ano estando sujeito à ação das TEMPESTADES de POEIRAS ocorrendo à superfície, por vezes prejudicando a visibilidade geral (qualidade da imagem) e assim afetando a produção de energia através da utilização dos seus painéis solares (necessários para o funcionamento do Rover). Levando a poupanças energéticas mas nunca ameaçando a missão Opportunity (iniciada na superfície de Marte em 25 de Janeiro de 2004).

 

(imagens – nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:09

16
Set 16

Nasci na cidade do Porto (ainda no século passado) com uma ILHA na retaguarda, situada numa pequena viela da rua de Pinto Bessa (mesmo antes de chegar à igreja do Bonfim).

 

IMG_2829.jpg

Porto – ilha na zona de Campanhã

 

Desde que me conheço que o Porto é considerado um território operário: não só por todos aqueles que ajudaram a construir a cidade (com o seu sangue, suor e lágrimas) – os operários – como também pela contribuição solidária e desinteressada de alguns dos seus privilegiados (nacionais e estrangeiros) – os patrões. Em muitos dos casos oriundos das mesmas regiões e por vezes até das mesmas famílias: motivo pelo qual esta deslocação forçada do campo para a cidade (de grandes contingentes de camponeses), nuns casos originaram ricos e nos outros muitos pobres (a esmagadora maioria desta tríade opressora – trabalhar, comer e dormir e por vezes fornicar). Resguardados numa Ilha dos problemas do Continente.

 

IMG_2839.jpg

Porto – rua lateral a Pinto Bessa

 

Pessoas originários das Beiras como o meu avô-materno, que descendo do interior já esquecido e abandonado pelo regime nesse período no poder, procuravam no litoral Atlântico uma nova hipótese de vida (profissional) ou dar o salto para o outro lado (Brasil e EUA). Inclinando desde logo esta plataforma (Portugal) em direção ao mar e acumulando a maioria dos seus cidadãos numa faixa estreita de terra com os seus principais focos num ou noutro território – como o era o conjunto envolvendo a Invicta cidade do Porto. A porta de entrada e de saída de uma grande região (pessoas e mercadorias), socorrendo-se ainda da agricultura interna para poder sobreviver (fornecendo-lhe abastecimentos essenciais), utilizando uma Indústria dinâmica e objetivamente dirigida (como foi o caso dos têxteis) e ainda-por-cima assentando todo o seu desenvolvimento económico e social em torno de um meio de comunicação, de transporte e de comércio tão importante como era o rio Douro: numa região conhecida mundialmente como produtora do Vinho do Porto. Num sector produtivo e bastante lucrativo da Indústria e do Comércio introduzido pelos ingleses (rodando à volta do sector vitivinícola), que logicamente exigiu mais mão-de-obra, muitas mais acomodações e maior proximidade à empresa.

 

IMG_2827.jpg

Porto – rua de Pinto Bessa

 

Numa distribuição dos novos agregados populacionais ainda hoje de fácil compreensão e visualização (como assim já estamos no ano de 2016 mas as Ilhas ainda existem), na qual um terreno era ocupado por edifícios de um ou mais andares, construídos de modo a ficarem de frente para os novos caminhos, acompanhando-os num circuito fechado como que formando um determinado polígono (através de um emaranhado de outras derivações) e simultaneamente preservando na sua retaguarda terrenos desocupados, propícios a outras construções e até a uma agricultura complementar e comunitária (de sobrevivência). Bastando abrir mais uma porta (convidando-nos como todas as outras) para aí aparecer mais uma Ilha (e um outro mundo desconhecido).

 

“A ilha do Porto é um tipo de habitação operária muito diferente do de outras cidades industriais, como Lisboa, onde existem os pátios, ou as cidades industriais europeias. Surgiram inicialmente na zona oriental da cidade, mas rapidamente se estenderam ao centro e aos concelhos limítrofes. Para o aparecimento das ilhas acredita-se que tenha contribuído a grande influência inglesa na cidade. O esquema das ilhas é frequentemente associado às primeiras back-to-back houses em Leeds, quer em termos de morfologia, de promotores e em termos de intuito de construção. A origem das ilhas é desconhecida sendo certo que no século XVIII já eram relatadas casas a que se chamava de ilhas. Em inquirições de D. Afonso IV (1291-1357) fazem-se referencia também a conjuntos de habitações com apenas uma saída para a rua. Foi, no entanto, no final do século XIX, com o desenvolvimento industrial da cidade, e com a chegada de muitos migrantes das terras do norte do país, que este tipo de habitação se massificou.” (wikipedia.org)

 

(imagens: Produções Anormais)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:24

14
Set 16

Podendo ser Decomposição

 

Num país pretensamente inculto (previa e intencionalmente assim definido pelas suas elites) e completamente desorientado (com o povo contando o resultado do seu trabalho e comparando-o com o seu antigo estatuto de escravo) por onde passaram como se fosse um Flash os Ideais de três grandes Revoluções: a Agrária, a Industrial e a dos Serviços.

 

No entanto nunca interiorizando nenhuma delas mas sempre privilegiando a última (pela falsa novidade e na verdade pelo dinheiro fácil a receber).

 

IMG_2845.jpg

Porto – Cais de embarque da Ribeira

(como visto a partir do cais de Gaia)

 

O Porto do século XIX acabou: se no século seguinte algumas das suas estruturas e características básicas ainda refletiam as virtualidades da Revolucionária Sociedade Industrial – período durante o qual a mão-de-obra se deslocou maciçamente do campo para a sociedade abandonando definitivamente todas as esperanças depositadas na já ultrapassada Revolução Agrícola (desestruturada por uma nova centralização – a Globalização) – já no caso do século XXI com o abandono progressivo do desenvolvimento Industrial e a perda comercial (irreparável por contínua) no sector Agrícola, todo o cenário tem vindo a mudar (mantendo-se o aspeto arquitetónico numa base minimalista – aproveitando-se o que já antes existia – melhorando-se e decorando-se o mesmo como uma árvore de Natal – com pessoas, barquinhos e helicópteros – e tentando-se alterar radicalmente a sua base populacional e funcional – transformando tudo em Serviços dirigidos para uma única área; Hotelaria e Restauração).

 

IMG_2847.jpg

Gaia – A outra margem do Douro

(Caves do Vinho do Porto e Restauração)

 

Para quem se tenta escapar da loucura delirante de Agosto (dizem que provocada pelo calor) instalada neste período do ano no território sul de Portugal (mais precisamente nas praias cheias e bem quentinhas do Algarve), uma verdadeira surpresa (de nos deixar paralisados e até de boca aberta) uma assumida deceção (deixando-nos prostrados e de lágrimas nos olhos): num cenário desenquadrado e como se o Porto fosse um shopping.

 

Com boa comida e bebida e o português a Souvenir (as únicas três coisas de que o visitante se lembra), obediente e servil e de caracter bem doméstico – ontem matando o porco com uma facada no pescoço (e nem sequer se tendo no mínimo a 4ªclasse), agora colocando-o à mesa enfeitado e com laranja (mas sempre acompanhado pelo selo de garantia – e não só para o porco como para todos os outros Tôs).

 

Observando-se claramente duas ondas gigantes e bem distintas descendo compactas e a velocidades alucinantes em direção às duas margens do rio Douro (com uma horda de bárbaros vindos de norte e outra vinda do sul), esmagando-se violentamente e de frente sobre o leito aqui mais estreito do rio Douro e acabando por se desintegrar na sua superfície em múltiplos objetos sulcando o ar e a água com formas tão diferenciadas como barcos, helicópteros e até mergulhadores.

 

Fazendo-me recordar a minha infância, as noites de diversão no Palácio de Cristal (de onde também se podia observar mas mais à distância o rio Douro) e as barracas de frango e da sardinha assada. Na altura também no Verão mas ainda sem Gourmet de adição. E se há 40 anos atrás achava que aqueles que tinham destruído as grandes cidades portuguesas se tinham então deslocado para o Algarve (para continuarem aí a sua obra de rapina paisagística e ambiental), agora são de novo as grandes cidades já doentes e em decadência (não existe inovação apenas um falso investimento) a serem novamente atingidas e massacradas (e sempre com o mesmo modelo), mas agora (e espantemo-nos) pelos filhos do cada vez menor grupo dos poucos sobreviventes.

 

(imagens: Agosto de 2016/Produções Anormais)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:05

Setembro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
15
17

23

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO