Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

06
Jan 17

Rússia = China = Irão = Coreia Norte = Terrorismo Global

 

Hoje (dia 5 de Janeiro de 2017 numa audiência no Senado comandada pelo republicano John McCain) fiquei a saber através de afirmações de um dos responsáveis pelo Departamento de Defesa de Estado dos EUA ainda sob o comando do 44º Presidente Barack Obama (Donald Trump tomará posse como 45º Presidente a 20 de Janeiro), que para o Governo Democrata comandando os destinos da maior potência económica e militar de todo o Mundo nos últimos oito anos (durante os dois mandatos de Obama), as maiores ameaças para a Segurança e Integridade dos EUA segundo os seus teóricos e aplicadores são: a Rússia, a China, o Irão, a Coreia do Norte e (para não dizer que são só estes e naturalmente podendo estar outros igualmente implicados) o Terrorismo Global (para não se falar sempre do Estado Islâmico e da Al-Qaeda) – e já com a Índia a caminho.

 

USA_Location_map.jpg

Mapa:

Os Estados Unidos da América (5% da população e 6% da área) e o Resto do Mundo

 

Confirmando assim que toda a estratégia de liderança conscientemente levada a cabo por toda a Administração Norte-Americana trabalhando sob as ordens do ainda Presidente Barack Obama, não foi uma obra do acaso ou de qualquer intervenção Divina (como afirmava G. W. Bush juntando-se com DEUS e com os EUA numa Santíssima Trindade), mas apenas a continuação de um plano desde há muito em curso e apenas numa outra fase da sua inevitável aplicação (sequencial): por um lado tentando dar um aspeto mais humanista (político) e como tal moralmente justificativo (religioso) a todo o tipo de intervenções mais urgentes e necessárias – tanto a nível interno como externo e tendo em conta os interesses dos EUA (e logicamente das suas Corporações e das suas Elites) – levadas a cabo ao longo de décadas, provocando milhares e milhares de vítimas e disseminando-se com consequências negativas um pouco por todo o Mundo (de que o prémio Nobel da Paz de 2009 atribuído a Obama foi o seu ponto Humanista inicial, mais alto e talvez final); mas por outro lado persistindo na utilização máxima e sem qualquer tipo de possibilidade de recuo da sua megaestrutura nuclear de suporte em que se baseia e assenta todo o edifício de poder nos EUA (os militares e todas as agências de segurança públicas ou privadas que para e com eles trabalham, como a CIA, o Pentágono, a NSA e até o FBI – entre muitas outras equiparadas a paramilitares) e desse modo, demitindo-se da sua responsabilidade de intervenção política (no sentido de obrigatoriamente servirem os cidadãos que os elegeram), optando contra todas as expetativas (pelo menos por parte dos poucos mas influentes que ainda acreditavam neles) por tudo aquilo nunca antes dito nem sequer sugerido, da mera continuação do Status Quo, do caminho até aí percorrido e dos seus únicos objetivos – o de manter a qualquer preço a sua Supremacia Global. Com Obama ou com Trump.

 

Lado

(da

Barricada)

Países

(do

Eixo)

População

(comparada ao total mundial)

Área

 (comparada ao total mundial)

Eixo

do

Bem

 

EUA

 

5%

 

6%

Eixo

do

Mal

Rússia, China, Irão, Coreia do Norte (e índia)

 

42%

 

21%

(provisoriamente

não categorizados)

(restantes

países)

 

(53%)

 

(73%)

(não contabilizando o EI e a Al-Qaeda numa criação contraditória e acessória atribuída ao Eixo do Bem)

 

Num Mundo hoje dominado por uma única grande potência como ainda o é os EUA (na sua essência devido ao seu investimento militar e aos triliões direta ou indiretamente aí aplicados nessa área estratégica, de dominação e de manutenção da supremacia global), que graças ao seu crescimento exponencial desde que o mundo optou pela solução dos seus problemas recorrendo à Guerra (em vez da Paz) e à sua Indústria extremamente lucrativa e associada ao poder Militar (não só a da indústria de produção de armas mas incluindo outras áreas interligadas muitas delas dirigidas sem controlo e originando circuitos paralelos de troca e de tráfico ilegal) – com maior evidência e impacto desde a II Guerra Mundial mas sobretudo desde o colapso da U.R.S.S. e o fim do contrapeso (necessário ao equilíbrio da balança) – ainda se acha no direito de impor aos outros as suas ideias (as melhores) e nem sequer os ouvindo (sejam boas ou más as suas ideias) por um lado nem sequer reconhecendo a sua existência e pelo outro e contraditoriamente à sua aparente inexistência sendo convidados a tomar partido se não quiserem mesmo nunca terem existido (para isso servindo a guerra levada a cabo nos Media). Colocando-se de um dos lados da barricada (do Bem) e colocando todos os outros opondo-se ou ignorando-os, do lado oposto da mesma (do Mal): com toda a Europa seguindo-os tal e qual como obedientes cordeirinhos (a caminho do matadouro) e com muitos outros contestando a obediência (cega) e restantes obrigações, a prestar àqueles que se acham nossos donos, patrões e novos Mestres (esclavagistas) deste Mundo. Hoje com o Lado do Mal a agrupar países/organizações como a Rússia, a China, o Irão, a Coreia do Norte, o Estado Islâmico e a Al-Qaeda, descartados para já os países aderentes aos BRIC querendo ser independentes (não alinhados) e escolhendo o seu futuro por si: com a África do Sul já num caos, o Brasil bem mergulhado nele e faltando apenas a Índia (já começando a ser mencionada como um futuro aderente ao outro Lado o do Mal).

 

Tendo no nosso vizinho (talvez mesmo no nosso grupo) um potencial inimigo (devendo como nós, ter uma arma na mão).

 

(imagem: mapsofworld.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:36

Tritão: a 7ª maior lua do Sistema Solar.

(d = 2700Km – ou seja 1/2 da maior lua Ganimedes)

 

Neptuno é o oitavo e mais distante planeta do Sistema Solar localizado a cerca de 4500 milhões de Km do Sol e com quase 4 X diâmetro da Terra. É considerado um dos quatro Planetas Gigantes (fazendo companhia aos planetas Júpiter, Saturno e Úrano) integrando os planetas Exteriores (e sendo mais conhecidos como planetas Jovianos), segundo os cientistas na sua composição e estrutura muito semelhante às condições que se verificavam aquando da formação do Sistema Solar. Possuindo 14 satélites naturais sendo um deles Tritão de longe o maior (diâmetro aproximado de 2700Km): um corpo celeste muito semelhante ao agora planeta-anão Plutão, movimentando-se nas proximidades do Cinturão de Kuiper (e talvez daí sendo originário) e tal como este ex-planeta recentemente visitado pela sonda New Horizons podendo conter água sob a forma de gelo.

 

PIA00317.jpg

TRITÃO – Lua de Neptuno (mosaico) – PIA 00317

(Voyager 2 – 1989)

 

Com os especialistas da NASA na altura responsáveis pelo estudo do planeta Neptuno através da utilização de dados enviados para a Terra (durante a passagem e aproximação da sonda ao Gigante Gasoso) – e antes de apontarem ao último planeta do Sistema (Úrano) – a servirem-se da sonda Voyager 2 (lançada de Cabo Canaveral em Agosto de 1977) para no seu trajeto para o lado de lá (para além das 100UA) ainda darem uma espreitadela na grande lua Tritão.

 

Cor

Região

Composição/Formação

Rosa

Grande parte da calote polar sul

Metano em gelo; reagindo à luz solar originando compostos rosa e vermelho.

Preto (raias)

Localizadas na calote polar sul (na zona rosa)

Depósitos de poeiras geladas talvez ricas em carbono; lançadas para o exterior por enormes geysers e em seu redor sendo depositados.

Verde/Azul

Estendendo-se por toda a lua entre a região da calote polar e o seu equador

Depósitos talvez recentes de nitrogénio.

Verde

Estendendo-se por toda a lua entre a região da calote polar e o seu equador

Catalogada como possuindo paisagens criovulcânicas tendo na sua origem (talvez) erupções oriundas do interior de Tritão de líquidos frios e gelados agora congelados; áreas de origem desconhecida.

(alguns dados sobre Tritão a maior das 14 luas de Neptuno)

 

PIA00340.jpg

Neptuno e Tritão (montagem) – PIA 00340

(Voyager 2 – 1989)

 

Deparando-se na sua análise sobre esta lua de Neptuno com o corpo celeste de todo o Sistema Solar com temperaturas mais baixas registadas à sua superfície, a tal ponto negativas (quase -400⁰C) que o nitrogénio ao condensar-se de imediato se transforma em gelo (cobrindo muito de Tritão). E a partir daí apresentando-nos a superfície da lua Tritão, desde a sua calote polar a sul até à região do equador. E com a nossa Lua a continuar a surpreender-nos entre outras razões pela sua expressiva razão entre o diâmetro da mesma e a do planeta principal que orbita.

 

[Com a nossa Lua a ser proporcionalmente a maior em diâmetro se comparada com o planeta que orbita (a Terra), sendo essa razão lua/satélite mais de 80X superior do que a registada com Fobos (a maior lua de Marte) e relativamente aos outros planetas possuindo luas (e todos eles Gigantes Gasosos) com a mesma razão (lua/planeta) mesmo assim a manter-se em valores bem altos e distantes do nosso (Lua/Terra) e variando entre 5X e 9X. O que significa que o mais natural seria a Terra ter uma lua tipo Fobos (ou um pouco maior em diâmetro) mas nunca uma outra que comparativamente com os restantes planetas (e seus satélites naturais) fosse inexplicavelmente muito maior. Um mistério entre muitos (envolvendo a nossa Lua) ainda por explicar.]

 

(imagens e alguns dados: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:26

Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14

18




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO