Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

20
Fev 17

India Launches Record 104 Satellites In A Single Mission

(reuters.com)

 

58a4115a2900002200f267ca.jpeg

Fig.1

 

Numa única missão destinada a colocar ao mesmo tempo vários satélites em órbita da Terra, a Índia acaba de bater um record mundial ao conseguir aí colocar de uma só vez 104 satélites (na passada quarta-feira).

 

Numa iniciativa não só importante para a Índia como para todos os outros países Asiáticos (entre eles a China e o Japão), tentando chegar-se às outras grandes potências (como os EUA e a Rússia) na partilha da exploração da Indústria Espacial: um sector indubitavelmente de futuro e envolvendo biliões (no caso dos 104 satélites colocados agora em órbita da Terra pela Índia sendo 97% deles de origem estrangeira).

 

11.jpg33.jpg

Fig.2/3

 

A missão é mais uma iniciativa da Agência Espacial da Índia ISRO (uma agência governamental fundada em 1969) mundialmente conhecida e já com créditos firmados na área, como o demonstra uma das suas últimas missões espaciais com maior impacto mediático: o da chegada de uma sonda a Marte (módulo MOM) e da sua posterior aterragem no planeta em Setembro de 2014 (módulo Chandrayaan-1).

 

Uma sonda de baixo custo, resultado do esforço de cientistas e técnicos indianos e que apesar de todas as dificuldades com que estes se foram deparando (inerentes a uma 1ªtentatriva), conseguiu colocar um artefacto terrestre num mundo alienígena (no mínimo a mais de 70 milhões de Km de distância) e logo à primeira tentativa.

 

44.jpg66.jpg

Fig.4/5

 

Numa aplicação de tecnologia de ponta simultaneamente bastante eficaz e muito barata – e direcionada aos voos espaciais – e que começa a dar os seus primeiros e grandes frutos (financeiros) antes com o lançamento de 75 satélites e agora com 104 só num único transporte (num aumento de unidades a caminho de 40%). Dos 104 satélites agora colocados em órbita sendo 96 norte-americanos, 3 indianos e com Israel, Cazaquistão, Holanda, Suíça e UAE a terem cada um deles 1 satélite.

 

mccsnap3dview01.jpg

Fig.6

 

Entre as dez maiores Agências Espaciais Mundiais – depois da NASA (EUA), da ROSCOSMOS (RÚSSIA), da ESA (EUROPA) e da JAXA (JAPÃO) e à frente da CNSA (CHINA) – a ISRO (ÍNDIA) é hoje em dia considerada como a 5ªmaior delas.

 

Fundada em 1969 e tendo já lançado os seus foguetões em direção ao Espaço, as suas missões tem-se diversificado entre o lançamento e colocação de satélites em órbita da Terra e o envio de sondas automáticas em direção a alvos mais distantes do nosso planeta, como a nosso satélite natural a Lua (sonda Chandrayaan-1) ou então ao nosso vizinho exterior o planeta Marte (sonda Mangalayaan).

 

Com o seu último feito (e record mundial) a ser a concretização na passada 4ªfeira (dia 15 de Fevereiro) num único foguetão (PSLV-C37) lançado a partir do Centro Espacial de Satish Dhawan em Sriharikota (uma ilha localizada a sul do estado indiano de Andra Pradexe), da colocação em órbita de nada mais nada menos do que 104 satélites artificiais (1 grande e 103 pequenos).

 

Com o orçamento da ISRO a andar neste momento por uns 860 milhões de dólares, mas face ao sucesso da agência com as entidades governamentais da Índia a prometerem um aumento de cerca de 23% (mais de 170 milhões).

 

[Legendas: Lançamento do foguetão PSLV-C37/Fig.1-2-3-4-5 e planeta Marte a partir do módulo orbital/Fig.6]

 

(imagens: huffingtonpost.com e isro.gov.in)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:13

Numa demonstração da clara superioridade inglesa no panorama do Snooker Mundial atual com três ingleses a liderarem a tabela do RM (provisório): Mark Selby, Stuart Bingham e Judd Trump.

 

Open do País de Gales

Final

Stuart Bingham – 9 Judd Trump – 8

(1-0, 2-0, 3-0, 4-0, 4-1, 4-2, 5-2, 5-3, 5-4, 6-4, 6-5, 6-6, 7-6, 7-7, 7-8, 8-8, 9-8)

 

Bingham-snooker-769436.jpg

Stuart Bingham

 

Com a vitória do inglês Stuart Bingam (ganhando na final face ao seu compatriota Judd Trump por 9-8 na negra) terminou ontem o Open do País de Gales de 2017. Numa partida jogada à melhor de 17 Frames em que Bingham chegou rapidamente aos 4-0 para depois permitir a aproximação progressiva de Trump até este inverter o resultado para 7-8 – e com Bingham a arrancar para a vitória nas duas derradeiras partidas vencendo por 9-8. Num encontro equilibrado em que qualquer um dos jogadores poderia ter ganho. E com Stuart Bingham a ganhar finalmente um torneio do Circuito Mundial (contando para o Ranking) depois de ter ganho em 2015 a prova de atribuição do título de Campeão do Mundo de Snooker.

 

Q

J

N

RM

V

PF

PMF

1

Mark Selby

ING

1

3

4

5

2

Ding Junhui

CHI

4

2

3

4

3

John Higgins

ESC

6

2

3

3

4

Ronnie O’Sullivan

ING

14

1

4

4

5

Stuart Bingham

ING

2

1

3

7

6

Judd Trump

ING

3

1

3

5

7

Barry Hawkins

ING

7

1

2

4

8

Allister Carter

ING

12

1

2

2

Vitórias, presenças em Finais e presença em Meias-Finais

(Q: qualificação J: jogador N: nacionalidade RM: ranking mundial)

 

Relativamente à época de 2016/17 e às provas do Circuito Mundial (com a grande maioria contando para o RM/algumas não e sendo estas últimas realizadas por convite) com Judd Trump e Stuart Bingham a terem chegado a 3 finais e ganho 1; mas com Bingham a superiorizar-se a Trump nass presenças em meias-finais (7 contra 5). E naturalmente com o atual Campeão do Mundo e líder do Ranking Mundial Mark Selby a ser o que até ao momento teve a melhor performance: 4 presenças em finais e 3 vitórias. Até à realização da última prova do calendário 2016/17 o Campeonato do Mundo (a disputar de 15 de Abril a 1 de Maio) realizando-se ainda 5 provas (uma por convite e 4 contando para o RM): a Liga dos Campeões (convite) e o Coral Shoot-Out, o Open de Gibraltar, o Campeonato Ladbrokes e o Open da China.

 

P

J

N

£

P

J

N

£

1

Mark Selby

ING

936

9

Marco Fu

HK

338

2

Stuart Bingham

ING

598

10

Mark Allen

IRL

308

3

Judd Trump

ING

489

11

Joe Perry

ING

304

4

Ding Junhui

CHI

450

12

Allister Carter

ING

289

5

Shaun Murphy

ING

433

13

Liang Wenbo

CHI

281

6

John Higgins

ESC

429

14

Ronnie O´Sullivan

ING

270

7

Barry Hawkins

ING

385

15

Kyren Wilson

ING

253

8

Neil Robertson

AUS

376

16

Mark Williams

GAL

231

Ranking Mundial provisório

(P: posição J: jogador N: nacionalidade £: milhões de libras)

 

E terminado o Open do País de Gales com a tabela do Ranking Mundial a registar algumas alterações de relevo. Com o brasileiro Igor Figueiredo (13 lugares – 118º para 105º), o inglês Craig Steadman (12 lugares – 111º para 99º), o escocês Scott Donaldson (9 lugares – 77º para 68º) e o inglês Stuarty Carrington (8 lugares – 55º para 47º) a registarem as maiores subidas e destacando-se ainda pela sua posição na tabela a subida do inglês Robert Milkins (7 lugares – de 32º para 25º), a chegada de Judd Trump ao 3ºlugar (que anteriormente era de Higgins) e claro está a queda na tabela do escocês John Higgins (3 lugares – de 3º para 6º). Finalmente com o galês Mark Williams a ser para já o jogador a encerrar a lista dos 16 melhores jogadores do RM deste ano, lugares que garantem desde logo a participação na prova final e mais importante da época e onde é declarado o novo Campeão do Mundo (de 2017).

 

Já hoje (entre 20 e 23) realizando-se mais uma etapa da Liga dos Campeões (uma espécie de torneio de partidas rápidas realizada por convite) cuja final está marcada para 2 de Março (a 19ªprova da época), seguindo-se o Coral Shoot-Out uma prova contando para o RM e a disputar-se entre 23 e 26 de Fevereiro (a 20ºprova da época com 128 participantes).

 

(imagem: express.co.uk/getty)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:58

Fevereiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9


22



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO