Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

03
Mai 17

Não entendendo muito bem o facto de a grande diferença salarial existente entre o topo e a base de trabalho em Portugal interessar e incomodar tanta gente (como se não soubéssemos já disso, os tesos e os endinheirados ‒ talvez menos os intermédios, enquanto não descaírem para um dos lados), eis que face à ausência de notícias ou como preparação da visita do Papa toda a gente fala dos Ricos e se indigna com tanto dinheiro ‒ até com o nosso Presidente e mediático (por Popular) Marcelo (Rebelo de Sousa) a dizer-se chocado e a afirmar:

 

“Há uma tendência internacional para as empresas terem ordenados dos gestores que chocam flagrantemente com os vencimentos dos trabalhadores. Esse é um problema que, no caso de Portugal, se torna mais evidente por serem poucas empresas. Daí ser mais chocante esse panorama.” (ionline.sapo.pt)

 

dinheiro_estendal.jpg

 

O que me levou desde logo e face à indignação de alguém considerado credível e além disso diretamente envolvido (como animal político consciente que sempre foi e será) a considerar a sua reação e a tentar descobrir uma explicação. Como fator envolvido pensando logo em Dinheiro e imediatamente nos seus próprios rendimentos: constatando que no ano de 2014 Marcelo Rebelo de Sousa terá auferido 385.000 euros em rendimentos. Ao nível de um Paulo Fernandes (passados 2 anos em 2016) ganhando 1055 euros/dia e como tal sabendo do que fala.

 

E com a afirmação anterior jamais querendo qualificar o comportamento de Marcelo Rebelo de Sousa ‒ considerando a sua intervenção essencialmente didática, até por quem a proferiu, um elogiado professor ‒ mas (agora é a minha vez) indignar-me com os processos e estratagemas (ainda se fossem estratégias) usados pelos jornalistas para nos captarem e manipularem a atenção, dando sempre o protagonismo a pormenores (aquilo tipo tem mais que eu) para nunca nos depararmos com o problema (mas quem será que lhes paga).

 

[De referir ainda que ao optar por ser PR, Marcelo Rebelo de Sousa aceitou que a sua remuneração baixasse de mais de 1.000 euros/dia para menos de 300 euros/dia, ou seja e no mínimo, cerca de 1/3 do que recebia.]

 

Gestores, CEO’s & Presidentes

(em 2016)

 

R

T

P

RD (euros)

1

António

Mexia

EDP

5578

2

Carlos Gomes da Silva

GALP

4441

3

João

Manso Neto

EDP

4093

4

Pedro Soares dos Santos

JERÓNIMO MARTINS

3477

5

João

Castello Branco

SEMAPA

3071

6

Francisco

de Lacerda

CTT

2534

7

Miguel

Almeida

NOS

2400

8

Luís Paulo

Salvado

NOVABASE

1978

9

Paulo

Azevedo

SONAE

1707

10

Paulo

Fernandes

ALTRI

1074

(R: Ranking T: Trabalhador P: Patrão RD: Rendimento Diário)

 

Para as portuguesas interessadas já que esta lista é de modelo ímpar (e como tal não existindo paridade de género), os dez trabalhadores mais bem pagos exercendo atualmente em Portugal e como tal podendo ser o conforto necessário e há tanto tempo procurado para qualquer alma mais carente e solitária ainda vagueando por estas paragens (todos entre os 50/60 e provavelmente casados, mas com o 2º fator podendo não ser impeditivo). Com o nome do Patrão (convém sempre informar-se) e o Rendimento Diário (perspetivando o futuro).

 

(imagem: idealista.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:47

02
Mai 17

Na sua recente visita aos EUA o Presidente chinês Xi Jinping ficou a saber através do seu homólogo norte-americano Donald Trump, que o modo mais civilizado de informar o seu adversário de que o estamos a atacar (mesmo de uma forma indireta, atacando um aliado ‒ a Síria - do seu maior aliado ‒ a Rússia), será o de no fim de uma boa refeição e para o caso do ambiente azedar (existindo sempre nestes casos o problema da azia), oferecer uma boa fatia de bolo de chocolate para neutralizar os efeitos (ao contrário seria certamente um grave incidente diplomático).

 

“Just as dessert was being served, the president explained to Mr. Xi he had something he wanted to tell him, which was the launching of 59 missiles into Syria.

It was in lieu of after-dinner entertainment.

The thing was it didn’t cost the president anything to have that entertainment.”

(Wilbur Ross - Secretário de Estado do Comércio dos US)

 

59082fb5c36188de4c8b45f7.jpg

Presidentes Xi Jinping (China) e Donald Trump (EUA)

Na recente cimeira realizada na Florida

(6 Abril 2017)

 

Os Estados Unidos da América têm desde 20 de Janeiro de 2017 um novo Presidente instalado na Casa Branca, caracterizado por ser a Ovelha Negra do partido (Republicano), por ser um candidato considerado antissistema (apenas por querer substituir os intermediários da política por outros) e sobretudo por ser um Milionário que se atreveu a pisar terrenos que não os seus e que até para sua segurança lhe deviam estar vedados:

 

Ou não fosse a classe política norte-americana instalada desde o Estado mais pequeno até ao centro do poder que é Washington (aqueles que mantêm com os seus esquemas administrativos o Sistema Vivo e em funcionamento);

 

O instrumento fundamental de defesa e de sobrevivência de alguns (os poderosos e os milionários) contra a obsessão igualitária e impossível de se reproduzir de todos os outros ‒ não sendo como tal aceitável que os Nobres se queiram agora apropriar dos cargos distribuídos pelos seus Servos e pela restante e subserviente Plebe (obrigados a obedecer para poderem sobreviver), retirando a estes o seu espaço devido (direitos adquiridos);

 

O seu lugar designado na hierarquia social (e que permite que os subalternos mantenham respeito e obediência por toda a estrutura);

 

Mas sobretudo o seu local de exercício de poder e de atuação e o respetivo pagamento justo e de retribuição (num sistema de trocas e de contrapartidas não só monetárias) pelo seu trabalho imprescindível e insubstituível desempenhado.

 

Não sendo pois aceitável que o Patrão que não percebe nada do assunto e que deveria ser apenas uma figura estilo logotipo (ficar entre as suas riquezas deixando os seus funcionários em paz), queira agora só porque não sabe mais o que fazer ou por estar a atravessar uma crise identitária do tipo existencial;

 

Ocupar as funções de outros;

 

Esvaziar as justificações para os seus cargos;

 

E ainda-por-cima sem mais nada exigir (pondo em causa os seus empregos e diretamente os seus proventos) lançando meros palpites baseados na mais pura ignorância tão típica de todos os ricos (pelos vistos retratados politicamente como uns parasitas pela Nova Classe em Ascensão).

 

Quando desde a chegada ao poder dos filhos de muitos (burocratas ignorantes, inexperientes, mas certificados pelos seus pais ou tutores) os acionistas tomaram o controlo (financeiro da empresa) e os patrões aceitaram o Jogo (da Administração Estatal e Política).

 

Pelo que todos os apanhados pelos ricos (capatazes, chefes e como diria Alberto Pimenta os restantes FDP) e pelo Sonho Americano (ou Pesadelo) ‒ que faziam tudo o que eles queriam por um bom punhado de moedas (até lhes entregando os filhos/as e até as outras fêmeas /machos da sua árvore) ‒ têm mesmo que se habituar às mordomias dos ricos (e às suas maneiras de ser, de falar e até de comer/conviver):

 

“I was (Trump) sitting at the table. We (Jinping) had finished dinner. We are now having dessert. And we had the most beautiful piece of chocolate cake that you have ever seen. And President Xi was enjoying it.”

 

“Mr President (Trump falando para Jinping), let me explain something to you … we’ve just launched 59 missiles, heading to Iraq … heading toward Syria and I want you to know that.”

 

“I (Trump) didn’t want him to go home … and then they say (os chineses): You know the guy you just had dinner with (Trump) just attacked [Syria].”

 

(imagem: AFP)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:02

A 7 de Abril de 2017 a França escolherá o seu novo Presidente.

E depois?

macron2 b.jpg

 Emmanuel Macron e Marine Le Pen

 

Nos dias de hoje e na América o seu Presidente e Administração (e todos os seus amigos poderosos, patrões, ricos e até milionários) travam hoje (curiosamente) uma luta de morte contra os seus antigos empregados e representantes no poder (político): pelo cenário com Trump a adaptar-se se não quiser mesmo desaparecer.

 

Em agonia profunda desde que a Alemanha a colocou no seu devido lugar no contexto económico e financeiro da Europa Comunitária ‒ um país tal como os outros, dependendo do Banco Central Europeu instalado e dirigido a partir de Frankfurt (curiosamente tendo como dirigentes máximos um italiano/Mario Draghi e um português/Vítor Constâncio) ‒ a França vê-se agora num beco sem saída (a encruzilhada já ficou para trás) entalada como está entre a escolha de uma candidata apoiada por setores tradicionais, conservadores e da extrema-direita francesa em que os Emigrantes são sempre os culpadose um outro candidato auto proclamando-se do centro democrático e partidário duma Europa revigorada e relançada, que aproveitando a (sua) oportunidade surgida, a sua juventude e elegância e o seu aparente desinteresse pelo poder de que poderá vir a usufruir dentro em breve (numa infeliz e aparente reencarnação do Tony Blair inglês) ‒ em que os cidadãos são sempre os culpados.

 

france-march-4.jpg.size.custom.crop.1086x712.jpg

E a França de ambos

 

Seja qual for a opção dos eleitores franceses face aos dois candidatos em confronto e a todos misteriosamente impostos (com ambos sem Objetivos transparentes, a não ser o de alcançar o poder e aí sobreviver), naturalmente tudo ficando na mesma com Macron a ser eleito (continuando Le Pen lá na sua) e a França a obedecer ‒ aos alemães e norte-americanos e com os ingleses já de fora. Tudo indicando que a partir do próximo fim-de-semana e com a eleição do novo Presidente, o ambiente na sociedade francesa manter-se-á inalterável, aceitando ordens externas, deixando a economia rolar e como sempre em ambiente fraternal (e situacionista) esperando por melhores dias: ainda não compreendendo como nos últimos anos o Mundo mudou tanto (com a China a começar a assumir o seu papel de maior potência Mundial Futura conjuntamente com a Rússia e com o grande Eixo Económico agora centrado na Ásia) e que até na América são já os Milionários a assumirem a Empresa e a chamarem a si todo o Poder (vindo daí toda a agitação política que atravessa não só toda a América como também todo o Mundo, com os políticos a verem ser posta em causa a necessidade da sua existência e os seus direitos adquiridos).

 

Podendo-se desde já afirmar ‒ até pelos políticos que o Tempo nos tem apresentado ao longo de toda e pela extensão do Espaço por onde se têm disseminado ‒ que desde que a Europa perdeu a sua Independência/no passado (com o fim da II Guerra Mundial e com a necessidade urgente da sua reconstrução, dividida de uma forma salomónica entre os dois Blocos vencedores) e no preciso momento em que um deles abandona o barco/no presente (a Inglaterra e porque será?) a opção deixou de existir, restando aos nossos representantes a gestão da desagregação e do nosso inevitável regresso ao passado. E o Futuro?

 

(imagens: AFP)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:53

Quatro imagens (efetivamente 4+1 sendo esta última orbital) recolhidas pelas 2 primeiras sondas norte-americanas a orbitarem e a aterrarem em Marte – VIKING 1 e VIKING 2 – neste caso recolhidas pelos seus módulos de aterragem quando já instalados na superfície marciana.

 

Limitamo-nos hoje à análise dos dados enviados por uma máquina localizada a milhões e milhões de Km de distância (bem no interior profundo e escuro do Espaço), posteriormente traduzindo-os através de tabelas de sinónimos reais (podendo ser projetado no espaço e datado no tempo) e mais tarde apresentando-a com contornos facilmente aceitáveis e de acordo com os modelos preconcebidos – e isso não relevando ainda as virtudes da edição e o primor do Photoshop.

 

O que deveríamos era lá estar como o sonha Elon Musk. E nós ainda sonhamos?

 

PIA00397.jpg

Imagem 1

Marte – Planitia Chryse – Big Joe

(Sonda Viking 1 – Lander – Câmara 1 – 4 Out 76 e 24 Jan 77)

 

Na contínua procura de um modelo de cenário que nos possa proporcionar de alguma forma credível alguma esperança na descoberta de um tipo de Vida no mínimo com alguns pontos de percurso comuns e potencialmente semelhantes aos percorridos pela Vida na Terra, uma das poucas fontes de consulta agora que o Homem parece ter subalternizado o Espaço e a sua necessária e obrigatória Conquista (isto se a nossa espécie não quiser ficar extinta, deixando-se morrer dentro de casa) é sem dúvida o PHOTOJOURNAL da NASA, que pensando-se no que por cá há (em Portugal) e associando-se a uma função semelhante (na área de comunicação) poderíamos sem dúvida equiparar à nossa RTP MEMÓRIA.

 

PIA00563.jpg

Imagem 2

Marte – A primeira imagem a cores – Por volta do meio-dia

(Sonda Viking 1 – Lander – Câmara 2 – 21 JUL 76)

 

“This color picture of Mars was taken the day following Viking l's successful landing on the planet (approximately noon). Orange-red surface materials cover most of the surface, apparently forming a thin veneer over darker bedrock exposed in patches. The reddish surface materials may be limonite (hydrated ferric oxide). Such weathering products form on Earth in the presence of water and an oxidizing atmosphere. The sky has a reddish cast, probably due to scattering and reflection from reddish sediment suspended in the lower atmosphere.” (nasa.gov)

 

Não deixando de ser irónico que passado quase meio século sobre a data em que o primeiro Homem (logo seguido de mais dois) pôs o seu pé pela primeira vez sobre um outro corpo celeste à distância com um aspeto muito parecido ao nosso – a Lua localizada a mais de 480.000Km da Terra – no presente nos limitemos a enviar astronautas para uma estação em órbita da Terra a uma distância de aproximadamente 400Km (a ISS) e para viagens mais extensas e prolongadas no tempo (limitados como estamos em relação à velocidade máxima das naves e à previsibilidade do tempo médio de vida da nossa espécie) nos apetrechemos convenientemente com as últimas novidades no campo da eletrónica, da informática e dos veículos aéreos teleguiados (o que têm feito norte-americanos, russos, chineses e por aí fora) e tirando-os do usufruto das crianças (inicialmente o alvo preferencial) relançando-os no mundo dos adultos e promovendo estas máquinas enviando-as em missões pelo Espaço.

 

PIA00571.jpg

Imagem 3

Marte – Utopia Planitia – Presença de gelo à superfície

(Sonda Viking 2 – Lander – Câmara 1 – 18 MAI 79)

 

“This photo was taken at Utopia Planitia landing site. It shows a thin coating of water ice on the rocks and soil. Scientists believe dust particles in the atmosphere pick up bits of solid water. Carbon dioxide, which makes up 95 percent of the Martian atmosphere, freezes and adheres to the particles and they become heavy enough to sink. Warmed by the Sun, the surface evaporates the carbon dioxide and returns it to the atmosphere, leaving behind the water and dust.” (nasa.gov)

 

Na Terra conhecidos como DRONES (e muito utilizados para matar a nossa espécie) e no Espaço como Sondas (com o objetivo de encontrar outras espécies). Tudo tendo sido criado com o único objetivo de lançar o Homem para lá das fronteiras do nosso planeta na procura de outros lugares onde como espécie organizada e inteligente um dia poderia ter hipótese de aí se instalar e prevalecer – até por necessidade ou por simples aventura, curiosidade, experimentação e logo expansão (o que mantem o nosso dinamismo e a nossa Evolução) – mas pouco depois com o mesmo a ser imediatamente subalternizado (o Homem) e desde logo a ser substituído (pelas Máquinas): com o pretexto financeiro e da salvaguarda dos astronautas. Enterrando-se o discurso de Kennedy, eliminando-se o protagonista do enredo (do Cenário da Conquista do Cosmos e que seria o Homem), apagando-se de vista a Lua (afinal de contas a poucas horas de viagem) e limitando-se a Aventura a um grupo de especialistas comandando Drones da Terra e enviando-os para onde devíamos ser nós a lá estar (desde esse Grande Passo da Humanidade concretizada na Lua nunca mais saindo de casa).

 

PIA00576.jpg

Imagem 4

Marte – Utopia Planitia – Nascer-do-Sol

(Sonda Viking 2 – Lander – Câmara 2 – 14 JUN 78)

 

“A Martian sunrise was captured in this Viking 2 Lander picture taken June 14, 1978, at the spacecraft's Utopia Planitia landing site. Pictures taken at dawn (or dusk) are quite dark except where the sky is brightened above the Sun's position. The glow in the sky results as light from the Sun is scattered and preferentially absorbed by tiny particles of dust and ice in the atmosphere.” (nasa.gov)

 

À falta de melhor e com as sondas com mais notoriedade pública (norte-americanas e europeias) a fornecerem-nos cada vez menos pormenores interessantes (e oriundos do Mundo Exterior), regressando temporariamente ao passado (não mais que 40 anos) para tentar entender o que terá ocorrido (entretanto e já agora em Marte) para nos deixarmos por aqui ficar (em terra e não no mar, na Terra e não no Espaço). E ficando tristes ao verificarmos como uma instituição de Vanguarda Científica, Tecnológica e representativa do expoente fantástico do Avançado Conhecimento do Mundo atingido por esse fantástico ser biológico que é o Homem (baseado na observação e experiência de sucessivas gerações querendo repetir noutros horizontes a proeza da Conquista dos Oceanos) como o era a NASA, se deslocou dos seus objetivos iniciais da Conquista do Espaço (a partir daí desenvolvendo toda a tecnologia, indústria, economia e vida social que certamente iria revolucionar o quotidiano de todos nós atirando a nossa sociedade, pensamento e organização para outra dimensão) para em vez disso e como Instituição de Concretização que deveria ser (prosseguindo o seu trajeto e o nosso destino), regredindo no espaço-tempo e transformando-se numa mera instituição de replicação (de conhecimento há muito adquirido e apenas retransmitido) se tornou numa mera Escola. Tal como nestas (escolas públicas) e por desinvestimento entrando em decadência e mais tarde fechando – e tal como nos EUA, na Rússia, na China e noutros sítios mais, com a iniciativa privada a ver o filão e a tomar a iniciativa.

 

E no que diz respeito às novas missões da NASA a Marte com as conclusões a serem apenas confirmações (das primeiras) – pelo menos enquanto os astronautas lá não chegarem. E pelos vistos com a SPACE-X (iniciativa privada) bem à frente nas pretensões (suas): ser a primeira a atingir e a colonizar o Planeta Vermelho. Na altura podendo visitar (talvez ainda vivas) a velhinha Opportunity e a menos velhinha Curiosity (este ano fazendo 13 e 6 anos respetivamente a partir do ano em que abandonaram a Terra).

 

vo1_mg07s078.gif

Imagem 5

Marte ‒ Valles Marineris ‒ 3000Km extensão/4Km profundidade

(Sonda Viking – Orbiter)

 

Viajando até ao passado e até ao momento em que as sondas ainda se acomodavam a Marte (imagem 5), transportando até ao presente algumas dessas imagens e recordando o que os cientistas da NASA então já afirmavam (e que muitos anos depois ainda repetem, mas naturalmente com o respetivo puzzle muito mais completo). Como nos confirmam as (4+1) imagens – e escutando agora ainda com muita mais atenção, o que estes verdadeiros pioneiros da exploração espacial (então com tão poucos recursos) alcançaram. E com entusiasmo e emoção (pela sua descoberta) logo nos comunicaram e fizeram sonhar:

 

Como as alterações verificadas em torno da rocha denominada como Big Joe (localizada na planície Chryse e demonstrando há já 40 anos a existência de elementos erosivos sobre a superfície de Marte), que através da ação de elementos presentes na atmosfera do planeta e provocando manifestações caraterísticas desse tipo de fenómenos (deslocando elementos superficiais devido à ação do vento e alterando as caraterísticas do terreno) nos informaram da existência destes agentes (dinâmicos) e do seu movimento relevante em Marte; tal como o dizem hoje falando dos Devil Dust (redemoinhos de vento já por diversas vezes observados em Marte); como se vê na imagem (1) com o abaixamento da superfície de areia situada sob a zona inferior direita da rocha Big Joe;

 

Ou então recordando-nos do momento em que usufruímos da primeira imagem a cores de Marte (imagem 2), mostrando-nos um mundo suportado por um cenário algo semelhante ao nosso, com uma superfície seca, desértica e aparentemente sem vida, refletindo para o exterior a sua cor característica avermelhada e na ausência pelo menos visível do líquido que na Terra significa a existência de moléculas orgânicas (a Água) sugerindo-nos, face aos parâmetros físicos e químicos aí apresentados, podermos estar perante o registo do leito de um antigo oceano que há biliões de anos atrás tenha como na Terra coberto uma parte da sua superfície; um líquido precioso não observável diretamente à sua superfície, mas na realidade ainda presente na mesma (Utopia Planitia) e em determinadas latitudes do planeta sob a forma de gelo (imagem 3) e podendo mesmo ainda existir a níveis inferiores (depósitos subterrâneos);

 

E até numa mistura de Realidade e de Imaginário (o conjunto que dá forma a esta projeção onde coexistimos) usufruindo da imagem do movimento do nosso Sol não tal como o vemos todos os dias na Terra, mas (imagem 4) como o veríamos se estivéssemos colocados num outro mundo um pouco mais afastado de nós (umas dezenas de milhões de quilómetros) um pouco mais longe do Sol (e no entanto calcinado por não ter uma atmosfera protetora): e olhando para o Sol erguendo-se, flutuando e pondo-se como aqui, ficando com a certeza interior de uma ligação profunda prevalecendo entre todos estes corpos (talvez numa ligação um pouco mais estreita entre a Terra e Marte) ‒ fazendo parte do Sistema.

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 08:45
tags: ,

01
Mai 17

Pela 1ª vez na História dos Campeonatos Mundiais de Snooker um jogador sagra-se Campeão do Mundo em dois anos consecutivos: o inglês Mark Selby vencedor este ano (18-15 sobre Higgins) depois de o já ter conseguido o ano passado (18-14 sobre Junhui).

 

MARK SELBY

(1º RM/ING)

Campeão do Mundo de Snooker 2016/17

 

1597.png     1347.png

MARK SELBY - 18 JOHN HIGGINS - 15

 

The first ever Indian Open ranking tournament was staged in New Delhi in 2013, an occasion celebrated with gusto throughout the snooker world. However it also provided the perfect opportunity to reflect upon the very origins of the sport 138 years earlier, with the game having been invented in 1875 by the British Army in the Indian town of Jubbulpore (or Jabalpur, as it is now known) situated around 450 miles south-east of the capital. According to author and essayist Compton MacKenzie in his account in ‘The Billiard Player’ magazine of 1939, young lieutenant Neville Chamberlain (not the former British Prime Minister) was experimenting on the officers’ mess table with the existing game of ‘Black Pool’ featuring 15 red balls and a black.” (The History of Snooker/worldsnooker.com)

 

[Antes das 15:00]

 

Hoje dia 1º de Maio por volta das 15:00 inicia-se a última sessão do Mundial de 2016/17 (sessão essa dividida em 2 partes e com a derradeira a iniciar-se às 19:00): contando com a presença de um lado do atual Líder do RM e ainda Campeão do Mundo o inglês Mark Selby e do outro lado daquele que já é já uma das lendas do Snooker Mundial (e no entanto ainda no ativo) o atual Vice-Líder do RM e Tetra Campeão do Mundo o escocês John Higgins.

 

Com o jogador mais novo Mark Selby (33 anos) a apresentar um currículo já invejável com 11 competições ganhas contando para o RM (e ainda por volta de uma dúzia de outras competições não contando para esse ranking), incluindo entre outras e como mais significativas os seus 2 títulos de Campeão do Mundo em 2014 e 2016 ‒ e nesta época de 2016/17 com 6 presenças em finais de competições integrando o Circuito Mundial de Snooker vencendo 4, perdendo 1 e aguardando-se ainda pelo desfecho da sexta, esta Final do Mundial.

 

14978088496_53e7dc883c_o.jpg

Campeões do Mundo

Joe Davis (15X), John Spencer (3X), Ray Reardon (6X) e John Pulman (8X)

 

E com o jogador mais velho (41 anos) John Higgins já um dos grandes nomes da História do Snooker Mundial ao lado de outras lendas como Joe Davis (15X CM), Fred Davis (8X), John Pulman (8X), Stephen Hendry (7X), Ray Reardon (6X), Steve Davis (6X) e claro está Ronnie O´Sullivan (5X) ‒ formando o Octeto Extraordinário ‒ a dispensar qualquer tipo de apresentação face a todos os valores dos parâmetros pelo mesmo até hoje alcançado: 28 provas ganhas contando para o RM (só atrás de Stephen Hendry com 36 e igual a Steve Davis e Ronnie O’Sullivan ‒ se ganhar este Mundial isolando-se em 2º), 4 deles títulos com Campeão do Mundo, esta época tendo ganho 3 competições do circuito de Snooker não contando para o RM e estando numa final de outra contando para o mesmo e para surpresa de muitos, este ano regressando ainda a outra final e logo contra o atual Campeão do Mundo e na Final de mais um Mundial (o de 2017 dez anos depois de ter ganho há 10 anos a este mesmo adversário).

 

15382655374_aede30d591_o.jpg

Ronnie O´Sullivan

O jogador ainda no ativo com maior palmarés no Mundo do Snooker

 

Ao fim da 1ª parte da Final com Higgins em vantagem sobre Selby por 10-7.

 

E com Mark Selby caso se sagre Campeão Mundial de 2017 a integrar o Quadro de Honra dos 3 melhores jogadores de Snooker Mundial ainda no ativo: com 3 vitórias colocando-se logo atrás de John Higgins (4V) e do líder Ronnie O´Sullivan (5 V) ‒ além de se tornar o primeiro jogador a ganhar 2 Mundiais consecutivos (algo inédito).

 

Final do Campeonato do Mundo de Snooker

1 Maio 2017

 

000dfbfc-800.jpg

Mark Selby

Tricampeão do Mundo de Snooker

2014/2016/2017

(em primeiro plano e com Higgins ao fundo já pensativo)

 

[Depois das 15:00]

 

3ª Sessão ‒ 1ª parte (tarde): 3-1

 

Iniciada a 3ª e penúltima sessão da final deste Campeonato do Mundo (com o resultado em 7-10) com a 1ª parte da mesma (num total de 4 Frames) a ter um começo dominador por parte de Mark Selby, sabendo aproveitar todos os erros e falta de concentração de John Higgins para o vencer técnica e tecnicamente em 2 Frames consecutivos (se contarmos com os 3 vindos de ontem num total de 5 seguidos) e chegando rapidamente aos 9-10. Mas com Jonh Higgins a minimizar os estragos repartindo os 2 Frames finais antes do intervalo (deixando Selby a perder por 10-11).

 

3ª Sessão ‒ 2ª parte (tarde): 3-0

 

Seguida de uma 2ª parte inicialmente marcada para ter 4 Frames mas posteriormente e sem se saber bem porquê encurtada para apenas 3 (deixando os 11 Frames possíveis para a 4ª e última sessão), mas que de facto foi uma verdadeira tábua de salvação para o plano inclinado vertiginoso e catastrófico em que se encontrava John Higginsperdendo esta mini-sessão por 3-0 e deixando Mark Selby finalmente em vantagem e logo por 13-11. Talvez definindo desde já aquele que poderá vir a ser o novo Campeão do Mundo (o atual?).

 

[Depois das 19:00]

 

F

Mark

Selby

P

MT

John

Higgins

P

MT

F

1ª/2ª S

7

 

121

10

 

141

7-10

3ª S

 

 

 

 

 

 

(7-10)

18

8

76

 

10

1

 

 

19

9

53

 

10

2

 

 

20

9

29

 

11

107

78

 

21

10

63

 

11

40

 

3-1

INT

 

 

 

 

 

 

(10-11)

22

11

68

67

11

19

 

 

23

12

82

58

11

0

 

 

24

13

72

72

11

0

 

3-0

4ª S

 

 

 

 

 

 

(13-11)

25

14

72

 

11

22

 

 

26

14

36

 

12

74

 

 

27

15

76

71

12

1

 

 

28

16

134

54, 70

12

4

 

3-1

INT

 

 

 

 

 

 

(16-12)

29

16

34

 

13

88

88

 

30

16

0

 

14

119

111

 

31

16

47

 

15

75

 

 

32

17

132

131

15

0

 

 

33

18

80

75

15

19

 

2-3

FINAL

 

 

 

 

 

 

(18-15)

(F: Frame P: Pontuação MT: Maior Tacada)

 

4ª Sessão ‒ 1ª parte (noite): 3-1

 

No início da sessão noturna com Mark Selby a dominar totalmente a 1ª parte da mesma, perdendo um único Frame (em 4) e reforçando ainda mais a sua liderança nesta Final ‒ e passando agora a comandar mais confortavelmente o encontro por 16-12. Com um John Higgins cada vez mais incapaz de mudar o rumo dos acontecimentos, assumindo maiores riscos na sua estratégia (e tacadas), errando repetidamente e assim entregando Frames sucessivos ao seu adversário e provavelmente terminando por lhe entregar o Título (em menos de 35 partidas).

 

4ª Sessão ‒ 2ª parte (noite): 2-3

 

E finalmente na 2ª parte da 2ª e última sessão, com um máximo de 7 Frames em disputa e com Selby em vantagem sobre Higgins por 16-12, verificando-se o ressurgimento inesperado e espetacular do escocês vencendo 3 Frames consecutivos e aproximando-se para um perigoso (p/Selby) 16-15. No entanto e numa arrancada à Campeão com Mark Selby a ganhar os 2 Frames seguintes e a vencer a Final por 18-15. Sagrando-se pouco passava das 23:00 Campeão do Mundo da época 2016/17.

 

(imagens: worldsnooker.com e rte.ie)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:34

Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12

16
18
20

25

28
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO