Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

05
Jun 17

Porque será que todos apontam para uma terra formação (preferencial) de Marte com a Lua aqui tão perto? Talvez pela existência de algum tipo de ligação umbilical Terra/Marte.

 

Numa imagem senão inédita pelo menos surpreendente registada sobre a superfície seca e desértica do planeta Marte (Fig. 1A), um veículo motorizado aí circulando há já vários anos apanhou acidentalmente numa das suas câmaras duas formas projetadas como sombras sobre a superfície marciana, que pela sua familiaridade e fisionomia particular só poderão mesmo representar seres vivos senão idênticos pelo menos semelhantes aos existentes no nosso planeta.

 

1F549881178EFFCZJZP1214R0M1.JPG

Fig. 1A

 

Numa visão mais alargada do cenário apresentado pela extensa paisagem marciana comportando as duas formas atrás referenciadas (Fig. 1B), além de as mesmas sugerirem (como já vimos) réplicas de formas semelhantes às existentes na Terra (por um exemplo uma ave e um humano ou humanoide), sendo por outro lado fácil de compreender o verdadeiro dilema em confronto entre os dois sujeitos em presença: a partir dos trilhos já feitos escolher um novo destino.

 

1F549881178EFFCZJZP1214R0M1 b.JPG

Fig. 1B

 

Um planeta alienígena um pouco menor que a Terra (0.53 X d T), onde nenhum ser orgânico por mais primitivo (ou fossilizado) que fosse foi descoberto até hoje, sem uma atmosfera protetora (como a terrestre) possuindo oxigénio (fundamental para a nossa respiração) e protegendo-nos das radiações mortais (solares e cósmicas) e mesmo assim, despertando-nos o interesse e a curiosidade pelo que poderá ter sido no passado este planeta já com biliões de anos de História ‒ tal como o Sistema Planetário de que (como a Terra) faz parte.

 

1F549881178EFFCZJZP1214R0M1 C.JPG

Fig. 2

 

Num território (Marte) localizado bem para Além do nosso Ecossistema de sobrevivência e de evolução (a Terra), transformando-se desde a sua formação (há mais de 4 biliões de anos) num espaço e num trajeto, comum e paralelo (senão mesmo coincidentes em certos pontos da respetiva cronologia) para ambos os corpos (como parecem indicar os trilhos da Fig. 2), no caso da Terra com a História por nós partilhada (e conhecida) e no caso de Marte com todos os vestígios até agora encontrados a apontarem cada vez mais para algo muito parecido ao que hoje é a Terra: com atmosfera, um oceano e até vida orgânica.

 

(imagem: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:15

Saudi Arabia, UAE, Egypt, Bahrain cut ties to Qatar

 

Persian_Gulf_Arab_States-1-1.jpg

Os 6 países árabes do Golfo Pérsico

(integrando o CPP)

 

“Qatar's government categorically denied that the comments, in which the country's leader expressed support for Iran, Hamas, Hezbollah and Israel - while suggesting that US President Donald Trump may not last in power, were ever made.”

(aljazeera.com)

 

Num Mundo onde o Poder usa Máscaras de modo a poder fazer o que quer, as notícias das últimas horas sugerindo uma cisão entre os Estados Árabes Aliados, só pode ser mesmo uma reação oportunista à passagem recente do Presidente dos EUA pela Arábia Saudita: como toda a gente sabe desde o brutal atentado de 11 de Setembro de 2001, o Estado que tem financiado e espalhado um pouco por todo o Mundo e mais intensamente na região do Médio-Oriente o terrorismo mais execrável e sanguinário jamais visto e logo com o apoio do Ocidente colocando-lhes armas na mão por uns largos biliões de dólares.

 

Agora com a Arábia Saudita parecendo muito solícita aos recentes pedidos de Trump (ou exigências para o negócio de armas poder prosseguir), a servir-se do CPP (Conselho de Cooperação do Golfo composto por 6 Estados) para atacar um Estado irmão e assim se poder expiar (dos seus óbvios pecados) através, não na sua mas em segunda mão: conjuntamente com os Emiratos e o Barhein (a eles se juntando Egito, Iémen, Líbia e Maldivas não pertencendo ao CPP) tentando isolar o Qatar sem apoio dos outros membros (do CPP) como Omã e o Kuwait. Como se Arábia Saudita e Qatar não fossem os dois grandes pais (e irmãos) do Terrorismo Global.

 

Compreendendo-se a posição do Barhein dada a constante intromissão do Qatar nos seus assuntos internos (o que faz o Qatar ser um dos dois maiores Santuários de Terroristas a par da Arábia Saudita) e a dos Sauditas tentando arranjar algo que possa encher um pouco mais (agora politicamente) os bolsos de Donald Trump ‒ pegando no seu irmão-de-armas (mas mais de guerrilha e funcionando à base de mercenários) e eventualmente sacrificando-o no Altar da Guerra, face às queixas contínuas de outros países árabes seus vizinhos, aliados e ainda com alguma influência geopolítica (face ao poderio militar dos sauditas) na região.

 

No entanto e face a todos os interesses em presença nesta região de maior conflito, destruição e morte em todo o mundo (Líbia, Síria, Iraque, Afeganistão Iémen) ‒ com a Al-Qaeda, o Exército Islâmico e outros grupos subsidiários como criações máximas do Terrorismo Global Atual ‒ não constando certamente na projeção a curto-prazo desta atividade terrorista (promovida pelos Sauditas/Qatar) qualquer decrescimento ou suspensão nos principais locais de conflito. Restando esperar para ver e confirmar, se na realidade a Arábia Saudita já pode dispensar o Qatar da sua função no projeto e assim assumir de vez com todo o seu poder militar (baseada numa energia não renovável) a liderança do Mundo Árabe.

 

Partido

(Eleições)

8 Junho 2017

Sondagem

%

(23 Maio a 4 Junho)

Conservador

42

Trabalhista

38

Liberal

9

Escocês

4

UKIP

3

Verdes

3

(Grã-Bretanha ‒ Eleições Gerais ‒ Sondagens YouGov)

 

Mas com tudo ainda um pouco confuso, pois enquanto os norte-americanos aconselham Sauditas/Qatar ao diálogo e não ao confronto (afinal de contas fazem os dois parte do CPP), por outro lado e apesar de todos os desmentidos (da Aljazeera) outros média como a Sky News Arabia (sediada na UAE) continuam a insistir sistematicamente na notícia não confirmada: de que o Qatar (o grande aliado saudita) deixando de apoiar a Arábia Saudita e os terroristas da Al-Qaeda e do ISIS (num ato de pura traição), se estaria a passar para o lado de Israel, do Irão e dos terroristas do Hamas e do Hezbollah. Enquanto isso e na Europa pouco depois de mais um atentado (o terceiro em poucas semanas registado em Inglaterra) espera-se pelo que vai sair das Eleições na Grã-Bretanha. Com um palpite de que ganhe quem ganhar tudo continuará na mesma ‒ para Felicidade que não da Europa.

 

(imagem: newglobalindian.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:00

[00:00 de 29.05 a 23:00 de 04.06]

 

Neste momento com o Mundo a tremer por outras razões que não Naturais.

 

Stephen_C._Foster_State_Park_Trembling_Earth_Natur

 

Nem sequer se precisando de muito tempo para se poder definir com eficácia a região do Globo Terrestre mais ativa sismologicamente (sem qualquer tipo de dúvida o Círculo de Fogo do Pacífico), de vez em quando lá convém confirmar se a tendência predominante permanece ou se algo fora de comum acontece.

 

“If you live in the Ring of Fire — that horseshoe of seismic activity running along the Pacific shore from Chile to Alaska, Japan to New Zealand — you live where most of the world’s earthquakes happen”.

(Timothy Egan/2015/nytimes.com)

 

Nestes últimos 7 dias (29 Maio/4 Junho) com 27 sismos de M5.0/ou superior registados a nível Global, com a esmagadora maioria a ocorrer nessa região do Índico (vulcanicamente também muito ativa) e apanhando zonas (terrestres e marítimas) desde a costa ocidental da América até à Oceânia (passando pelo Alasca e pelo sul do continente Asiático).

 

“In Sunday's quake (26.12.2004) the crust shunted a huge 15 metres, producing so much energy that the Earth wobbled on its axis and tsunamis were felt thousands of miles away”.

(AF-P/2004/terradaily.com)

 

Com uma grande percentagem desses sismos a concentrar-se na Oceânia e no conjunto de ilhas do sul do continente Asiático (desde o Alasca até Timor) ‒ talvez uns 75% ‒ outros ocorrendo na costa ocidental da América ‒ talvez uns 20% ‒ e os restantes fora desta região extremamente ativa - talvez uns 5%.

 

Região

Coordenadas

Data

Magnitude

Profundidade

Distância

Ilhas Aleutas (proximidades)

54.03 N; 170.94 E

2 Maio

6.8

20 Km

821 Km E Rússia

O sismo mais intenso sentido a nível mundial durante a última semana

 

Nestes últimos 7 dias com os sismos mais intensos verificados a nível Global a serem 4 (com M5.0 ou superior): na Indonésia (M6.6) no dia 29, na Noruega (M5.0) no dia 31, nas Ilhas Aleutas (M6.8) no dia 2 e nas Ilhas Balleny (M6,0) no dia 3. Já com 2 sismos registados hoje (dia 4) perfazendo 6 sismos: um no Tonga (M5.1) e outro no Japão (M5.2).

 

“The Ring of Fire isn’t quite a circular ring. It is shaped more like a 40,000-kilometer (25,000-mile) horseshoe. A string of 452 volcanoes stretches from the southern tip of South America, up along the coast of North America, across the Bering Strait, down through Japan, and into New Zealand. Several active and dormant volcanoes in Antarctica, however, “close” the ring”.

(nationalgeographic.org)

 

No que se refere ao nosso país, mais especificamente à Região do Algarve e apesar da sua proximidade com uma falha também ativa, com perto de uma dezena de pequenos sismos registados nesta última semana (não sendo relevantes e nem tendo sido sentidos) e com o de maior intensidade a ser o ocorrido no dia 3 a NE Monchique (com M1.7).

 

(imagem: WEB)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:22

Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

12
13
15
16

20
24

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO