Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

11
Set 17

Esta sexta-feira perderemos mais um testemunho presencial, localizado nas profundezas escuras do Espaço: a sonda CASSINI.

 

A pouco de mais de 3 dias e 18 horas do seu suicídio (despenhando-se sobre o planeta SATURNO) a sonda CASSINI envia-nos mais um dos seus registos (neste caso do passado dia 28 de Agosto) tendo como protagonista a lua ENCELADOS:

 

PIA21887.jpg

 Encelados visto por Cassini

(2017)

 

Mostrando-nos esta lua ativa e gelada do longínquo planeta Saturno (o segundo planeta exterior, tomando como referência a Cintura de Asteroides) e as suas plumas gasosas a serem expelidas para o Espaço.

 

A 15 de Setembro de 2017 e quando Saturno estiver a cerca de 1500 milhões de quilómetros da Terra (aproximando-se do máximo da distância Terra/Saturno lá para finais de Dezembro), com a sonda a dirigir-se para o seu alvo (o 6º planeta principal do Sistema Solar), entrando na sua atmosfera (violenta) e desintegrando-se na queda.

 

O Fim.

 

(imagem: NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:51

Não se esqueça que hoje (segunda-feira) e devido à chama solar produzida na região ativa 2673 no dia de ontem (domingo) ‒ produzindo um fluxo elevadíssimo de protões na atmosfera e provocando uma tempestade (radioativa) de nível elevado e da classe S3 (numa escala de 1/5) ‒ os riscos biológicos para os seres Humanos aumentam (e para a restante fauna e flora) especialmente a altitudes elevadas (a atmosfera e o campo magnético terrestre não nos conseguem proteger de tudo):

 

DJa4mg0V4AAGL18.jpg

 

Razão pela qual astronautas e tripulantes/passageiros de aviões estão mais expostos a situações como esta (intensas chamas solares, muitas vezes acompanhadas por fortes CME), podendo colocar em risco a sua saúde devido às intensas radiações (solares) ‒ como será o caso dos astronautas a bordo da ISS (Estação Espacial Internacional) e das grávidas especialmente em voos de longa duração.

 

“Due to the ongoing S3-level #radiation storm, NASA model has active alert for aircrew & prenatal passengers on transcontinental flights now.”

(Dr. Tamitha Skov @TamithaSkov/6:38 AM - Sep 11, 2017)

 

goes-proton-flux-september-11-2017.gif

 

Para já não falar (ainda) dos efeitos das partículas solares no funcionamento dos diversos satélites quando expostos a chamas solares intensas (e transportadas pelo vento solar) e claro está das interrupções ou colapsos nas transmissões (na propagação das ondas na atmosfera) em certas frequências de radio (altas frequências).

 

Nunca se esquecendo também e a nível da superfície terrestre (já que o Verão ainda não acabou), o perigo do Sol (para quem não se previne) e dos seus raios ultravioleta: já conferiu o índice de hoje (especialmente se for para a praia)?

 

Hoje no Algarve indicando nível UV7 (nível elevado numa escala de 1/11).

 

(imagens: NOAA/NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:46

No dia 10 de Setembro o Sol produziu uma chama solar (oriunda da região ativa 2673) da classe X8.2 (a mais forte) emitindo uma CME não dirigida à Terra.

 

LC1.jpgLC2.jpgLC4.jpg

 SOHO ‒ Lasco C3

(10 Setembro 2017)

 

Enquanto cá pela Terra nos entretemos este fim-de-semana com notícias provenientes do interior do seu (e nosso) ecossistema ‒ com o violento sismo de M8.1 que atingiu particularmente os estados de Oaxaca e de Chiapas no México e com a passagem do furacão IRMA dirigindo-se para o estado norte-americano da Flórida ‒ no Espaço exterior que rodeia o nosso planeta e querendo de novo marcar presença (mesmo estando num período do seu ciclo de baixa atividade) eis que o Sol se manifesta (e de novo este mês e pela 4ª vez) com uma chama solar da classe X8.2:

 

SOL.gif

 O Sol com as suas regiões ativas 2673, 2674 e 2678

(com a 1ª prestes a desaparecer devido à rotação solar)

 

Originada de novo na mancha solar AR 2673 e pela velocidade adquirida e emissão de frequências de rádio registadas, estando certamente associada à emissão de uma intensa CME.

 

LASCO C2.jpgLASCO C3.jpgLASCO C5.jpg

 SOHO ‒ Lasco C2

(10 Setembro 2017)

 

Mas dada a posição da mancha devido à rotação do Sol, com a mesma a já não estar dirigida e aparentemente não atingindo a Terra ‒ acabando por desaparecer na prossecução da rotação, para dentro de um mês (ou até bem menos dependendo da latitude) continuando ainda ativa, voltar de novo a ser visível. Segundo os cientistas da NASA com a 4ª chama solar desta dimensão (classe X a mais forte) ocorrida neste mês de Setembro, a ser a segunda mais forte do 24º ciclo solar (logo depois da recente X9.3) ‒ todas da responsabilidade da mancha AR 2673 ‒ e a 48ª no total.

 

ET1.jpgET2.jpg

 Erupção na mancha solar AR 2673

(emitindo uma chama solar da classe X8.2)

 

Uma região ativa da coroa solar (2673) com uma configuração magnética integrando raios beta/gama/delta, como se vê capaz de provocar grandes erupções solares e de produzir intensas CME ‒ se tal acontecer não sendo para já.

 

(imagens: SOHO/nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:17
tags: , ,

Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

16

18



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO